Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Ciro não explicita apoio neste segundo turno e sugere “grande movimento” pela democracia brasileira

148 2

“Todo mundo preferia que eu, com meu estilo, tomasse um lado e participasse da campanha. Não quero fazer isso por uma razão muito prática que eu não quero dizer agora. Porque se eu não posso ajudar, atrapalhar é que eu não quero”.

A declaração é do ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes, na tarde deste sábado (27), por meio de vídeo no Facebook. Ciro foi o terceiro colocado no primeiro turno à Presidência da República, com 13,3 milhões de votos.

“O que a gente precisa, a partir de segunda-feira, é que a gente construa um grande movimento. Que, de um lado, proteja a democracia brasileira. Do outro lado, proteja nossa sociedade mais pobre dos avanços contra os direitos. Que se proteja os interesses nacionais contra a entrega e a cobiça estrangeira. Tudo isso está armado nesse debate”, completou Ciro, sem apontar uma provável vitória de Bolsonaro, conforme indicam as pesquisas de intenções de voto.

“Não será com medo que nós vamos enfrentar o que quer que venha por aí e vocês sabem que eu estarei na linha de frente com todos vocês”, ressaltou Ciro.

(Foto: Reprodução)

Eleitores poderão justificar ausência na votação em nove aeroportos

Os eleitores que quiserem justificar o voto e que estão com viagem de avião marcada para amanhã (28) terão oportunidade de procurar os postos em nove aeroportos do país. Os postos funcionam no mesmo horário da votação, das 8h às 17h.

Há postos organizados nos aeroportos de Aracaju, Belém, Cuiabá, Goiânia, Maceió, Recife, Teresina, Vitória e Uberlândia (MG).

Para justificar a ausência, o eleitor deverá levar um documento oficial com foto, o título de eleitor ou o número do documento, além do requerimento de justificativa eleitoral preenchido – que estará disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral e nos postos de justificativa.

(Agência Brasil)

Conquistas sociais – Eunício declara apoio a Haddad

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (MDB-CE), declarou neste sábado (27) apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República, por representar “todas as conquistas sociais alcançadas nos últimos anos”.

“O Brasil tem um encontro marcado com a cidadania neste domingo, dia 28. Vamos às urnas, depositar nossa esperança em dias melhores para nossas famílias e para o nosso país. A democracia é o sistema político mais legítimo, e precisamos valorizá-la. Por todas as conquistas sociais alcançadas nos últimos anos, especialmente em benefício das camadas mais vulneráveis da sociedade, o meu voto é em Haddad 13 Presidente”, disse Eunício.

(Foto: Arquivo)

Carmen Lúcia concede liminar suspendendo ações em universidades

A ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu medida cautelar para suspender atos judiciais e administrativos em universidades contra a livre manifestação de pensamento. A decisão ocorre no momento em que várias universidades públicas foram alvo de ações policiais e de fiscais eleitorais. A medida tem caráter de urgência para impedir que a ocorrência de atos semelhantes aos registrados nos últimos dias.

Segundo as decisões judiciais expedidas, as ações policiais e administrativas baseavam-se na fiscalização de supostas propagandas eleitorais irregulares. Estudantes, professores e entidades educacionais, no entanto, viram as ações como censura.

De acordo com a ministra, a decisão tem carácter de urgência para evitar que as ações deflagradas nos últimos dias se multipliquem. A medida foi enviada ao presidente do STF, Dias Toffoli, que poderá submeter a decisão ao plenário.

Na decisão publicada hoje, Cármen Lúcia suspende “os efeitos de atos judiciais ou administrativos, emanados de autoridade pública que possibilite, determine ou promova o ingresso de agentes públicos em universidades públicas e privadas, o recolhimento de documentos, a interrupção de aulas, debates ou manifestações de docentes e discentes universitários, a atividade disciplinar docente e discente e a coleta irregular de depoimentos desses cidadãos pela prática de manifestação livre de ideias e divulgação do pensamento nos ambientes universitários ou em equipamentos sob a administração de universidades públicas e privadas e serventes a seus fins e desempenhos.”

A ministra Cármen Lúcia condena ações totalitárias, afirmando que “toda forma de autoritarismo é iníqua”. “Pior quando parte do Estado. Por isso, os atos que não se compatibilizem com os princípios democráticos e não garantam, antes restrinjam o direito de livremente expressar pensamentos e divulgar ideias são insubsistentes juridicamente por conterem vício de inconstitucionalidade.”

Nessa sexta-feira (26), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, anunciou o pedido de liminar ao STF para “restabelecer a liberdade de expressão e de reunião de estudantes e de professores no ambiente das universidades públicas brasileiras”.

Raquel Dodge, que também é procuradora-geral eleitoral, apresentou ao Supremo uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF). Segundo a procuradora, esse tipo de ação busca reparar lesão a princípio fundamental da Constituição que tenha sido provocada por ato do Poder Público.

(Agência Brasil)

É preciso cautela

Editorial do O POVO deste sábado (27) avalia a tensão nos dias que antecederam a eleição deste domingo (28), Confira:

Nesses dias que antecedem a eleição foram registradas operações da Justiça para conter supostas práticas de propaganda eleitoral em universidades públicas de várias partes do País. Por decisão da Justiça Eleitoral, foram proibidas aulas públicas com temas presentes na campanha, como fascismo, democracia e ditadura. Foi o caso, por exemplo, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e na de Grande Dourados (MS). Na Universidade Federal Fluminense, em Niterói, foi ordenado que se retirasse uma faixa com os dizeres “Direito UFF antifascista”. Várias outras instituições universitárias tiveram problemas parecidos.

Mas o alvo dos juízes eleitorais não se restringe às universidades. O bispo auxiliar da arquidiocese de Olinda e Recife, dom Limacêdo Antônio da Silva, foi notificado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) para que se abstenha de “fazer propaganda eleitoral de qualquer natureza (direta ou indireta) em benefício de quaisquer dos candidatos em tempos religiosos, em face da expressa proibição legal”.

Segundo o TRE-PE, a medida foi tomada devido a “denúncias” de que dom Limacêdo estaria “fazendo apologia de certa candidatura e dizendo para não votar na outra, induzindo o voto dos fiéis”. No entanto, a assessoria da arquidiocese afirma que o bispo não menciona nome de candidatos durante a pregação. Seus comentários, segundo a assessoria, restringem-se a destacar a importância de os eleitores votarem de acordo com os preceitos do Evangelho, respeitando os direitos humanos, a não-violência e a democracia.

O que, aliás, é o que consta de uma nota oficial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) a respeito das eleições.

A lei eleitoral (9.504/1997) estabelece que só pode ser considerada propaganda eleitoral em instituições públicas quando há pedido explícito de voto a um determinado candidato, pelo seu nome ou número. Assim, como enquadrar os debates universitários sobre fascismo e democracia na lei, se não houver propaganda de um candidato ou de outro?

Quanto à proibição de o bispo Limacêdo de manifestar-se em suas homilias, é mais difícil ainda encontrar justificativa razoável na lei para a decisão do TRE-PE. Mesmo porque igrejas das mais diversas denominações vêm fazendo campanha aberta pelos candidatos de sua preferência, sem que seus pastores sejam incomodados.

Assim, tem razão o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, ao pedir “cautela” à Justiça Eleitoral para evitar exageros nas ações contra as universidades. Poder-se-ia acrescentar o mesmo conselho à Justiça Eleitoral de Pernambuco, em relação a dom Limacêdo.

Chanceler saudita vê histeria internacional após morte de jornalista

O ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, queixou-se hoje (27) de que a resposta internacional pelo assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, cometido há três semanas no consulado saudita em Istambul, na Turquia, tem sido “histérica”.

“A questão tornou-se histérica. As pessoas estão culpando a Arábia Saudita antes de se completar a investigação”, disse Al-Jubeir, em discurso no fórum Diálogo Manama, organizado pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS), em Bahrein.

O chanceler saudita reiterou que seu país deixou “muito claro” que investigará o caso, que compartilhará os resultados das investigações e punirá os responsáveis “para assegurar que isso não aconteça novamente”.

O Ministério Público da Arábia Saudita reconheceu, na quinta-feira (25), que a morte de Khashoggi, ocorrida no dia 2 deste mês, foi um assassinato premeditado.

A Turquia pediu que a Arábia Saudita providencie a extradição dos 18 suspeitos do assassinato, para que sejam julgados pelos tribunais turcos.

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, que também participa do evento, afirmou que o assassinato de Khashoggi “mina a segurança regional”. “O assassinato de Khashoggi deve preocupar a todos. O fracasso de qualquer nação em aderir às normas internacionais e do Estado de Direito mina a estabilidade regional em um momento em que é necessário”, disse Mattis, em seu discurso.

Apesar das suas declarações sobre Khashoggi, Mattis reiterou o compromisso de seu país com os aliados árabes contra o Irã, ao qual acusou de apoiar a Al Qaeda, além de armar outros grupos terroristas e de ameaçar a segurança marítima.

(Agência Brasil com Agência EFE)

Ciro Gomes e um desembarque que deixou rastro de queixas

410 14

Ciro chegou com sua namorada, Gisele da Europa.

O desembarque de Ciro Gomes em Fortaleza, no fim da noite dessa sexta-feira, foi dos mais tumultuados. Não somente por conta da multidão que foi ao aeroporto recebê-lo. Deixou também um saldo nada positivo para a gestão da Fraport.

Além de caixas eletrônicos quebrados, enormes filas nos guichês de pagamento do estacionamento, onde só operam, normalmente, e por conta do horário, apenas dois caixas.

Ciro, que foi candidato a presidente da República pelo PDT, acabou não tendo condições de dar entrevista.

Confira mais uma vez o desembarque de Ciro:

(Foto – Tatiana Fortes, do POVO/Video – WhatsApp)

Aos que farão história

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (27), pelo jornalista Érico Firmo:

A história não é linear. É construção sinuosa e conflituosa, com avanços e recuos. No caminho, ficam lições. Retrocessos ocorrem quando aprendizados são ignorados. O mundo se move, todavia. O atraso até prevalece ocasionalmente, mas não perdura.

É uma derrota que questões tão fundamentais e discussões dadas por superadas se tornem centrais no debate eleitoral. Com todas suas imperfeições e limitações, a experiência histórica não construiu nada melhor que a democracia. Ela não está em votação. Trata-se de garantia e direito de todos. Não pode ser suprimida nem pelo desejo da maioria. Não se trata apenas do regime em que decide quem tem mais votos. É, sobretudo, aquele no qual as minorias têm voz, espaço, representação e valor. O direito criticar e fazer oposição é fundamento civilizatório.

Assim como o respeito às diferenças, à multiplicidade social, cultural e ideológica é lição da história. Sempre que se tentou suprimir o diferente, houve violência. Simbólica, real. Houve sangue. Da mesma maneira como superar as desigualdades – os contrastes não de perfis, gostos e pensamentos, mas de oportunidades e direitos – é outro legado dos séculos de amadurecimento das sociedades.

O diálogo, e não a agressão; o respeito, e não o desprezo; a compreensão, e não a intolerância; a inclusão, em todas as suas dimensões, e não a segregação. Esse é um legado de quem acertou e errou antes de nós. Percursos já trilhados, e que nos ensinam.

A história não começa agora. Muitos erros, de muitos e muitos, trouxeram o Brasil até este momento. Mas, também houve acertos. Três indicadores: a taxa de analfabetismo da população com 15 anos ou mais chegou a 7% em 2017. Na década de 1950, era de 50,6%. Mais da metade da população não era capaz de ler e escrever (dados do IBGE). Em 1950, a mortalidade infantil era de 135 por mil nascidos. Em 2016, chegou a 14 por mil. Também em 1950, a expectativa de vida do brasileiro era de 48 anos. Hoje é de 75 anos. O País tem muito a avançar, mas o passado não era melhor. Era muito pior. Avançamos.

Hoje, as divergências, tão profundas, são tratadas nas urnas e no voto. No qual cada um vale tanto quanto qualquer dos outros. Isso é lindo e poderoso.

Pense o que pensar, cada um pode defender aquilo em que acredita. Isso não é dádiva gratuita. A liberdade de expressão é conquista pela qual muitos foram presos, torturados e morreram. Num Brasil tão dividido, é maravilhoso termos possibilidade de discordar, de se opor, de contestar, de debater.

Foram eleições furiosas, violentas. Parte do Brasil sai dessa eleição com olhar de incompreensão para a outra, e vice-versa. Não há, entretanto, opção ao reencontro. O entendimento terá de se estabelecer, sob bases mínimas de concordância. Há muitas divisões, mas a experiência histórica nos legou consensos mínimos, dos quais falei acima. É preciso lembrá-los e reafirmá-los. Não se pode jogar fora tudo que caminhamos. Não podemos reiniciar nossa caminhada do zero. Há uma história e um legado.

História que não é linear e está em permanente movimento. A eleição de amanhã estará nos livros como o dia em que o Brasil decidiu um caminho. Talvez como nunca em nossa história, as opções são radicalmente antagônicas. Nunca uma opção de voto foi tão contrastante com a outra. O momento é histórico, uma história a ser construída por cada eleitor. Cada decisão.

Amanhã é dia de fazer história com o voto, mas a construção persistirá na segunda-feira pelos anos porvir. A história não acaba. O início desse novo Brasil não pode ser delegado a quem quer que seja eleito. É tarefa coletiva e intransferível. Será preciso reencontrar as diferenças e os diferentes e construir entendimentos possíveis. Não será o País feito com alguns se nós e sem outros. Não existe opção à nossa diversidade, aos nossos contrastes e contradições. Seguiremos com eles.

Esta eleição tem um simbolismo. Há 29 anos, as eleições diretas para presidente foram retomadas. Depois de 29 anos sem o eleitor poder escolher o chefe do Executivo. Não foi conquista que veio de graça.

Com prêmio magro, Mega-Sena poderá perder apostadores para a Quina neste sábado

Sem prêmio acumulado, mas com um valor de aposta mais que o dobro da Quina, a Mega-Sena poderá perder apostadores para a Quina neste sábado (27).

Ao preço de R$ 3,50 a aposta mínima, a Mega-Sena prevê um prêmio de R$ 2,5 milhões para quem acertar sozinho os seis números do teste 2.092, segundo a Caixa Econômica Federal. A chance de acerto com aposta mínima é de uma para 50 milhões de tentativas.

Já a Quina possui uma premiação de R$ 2 milhões, com aposta mínima de R$ 1,50. A chance de acerto dos cinco números com aposta mínima é de uma em 24 milhões de tentativas. Nessa sexta-feira (26), a Quina voltou a acumular. Os números sorteados foram: 03 – 26 – 50- 51 e 62.

Confira os estados que vão adotar a Lei Seca neste domingo

Assim como no primeiro turno, diversos estados terão restrições à venda de bebida alcoólica neste domingo (28), segundo turno das eleições. A questão é definida pelos tribunais regionais eleitorais (TREs) e pelas secretarias de Segurança Pública de cada estado. A medida tem o objetivo de evitar que o abuso de álcool potencialize conflitos em um dia em que a disputa política costuma acirrar os ânimos.

Confira a situação em alguns estados

Acre
No Acre, cada zona eleitoral ficou responsável pela definição de horários próprios, que variam entre as cidades. Na capital, Rio Branco, em Porto Acre, Bujari, Sena Madureira e Santa Rosa, a proibição vai vigorar das 18h deste sábado (27) às 16h de domingo (28). Em outras cidades, o início e o fim da restrição são diferentes, como no caso de Xapuri, Capixaba, Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo Porto Walter e Rodrigues Alves (desde a 0h de domingo), ou Basileia, Epitaciolândia e Assis Brasil (das 22h de sábado às 22h de domingo). O horário por cidade está disponível no site do TRE.

Alagoas
A proibição foi definida para todo o estado pela Secretaria de Segurança Pública e vai vigorar das 8h às 17h de domingo. Em quatro cidades (Anadia, Boca da Mata, Marimbondo e Tanque D´Arca), a comercialização só será liberada às 22h.

Amapá
O TRE e a Secretaria de Segurança Pública não disponibilizaram informações.

Amazonas
O consumo de bebidas alcoólicas em bares, restaurantes, mercearias e supermercados fica proibido da 0h às 18h do domingo.

Bahia
O TRE e a Secretaria de Segurança Pública não disponibilizaram informações.

Ceará
O TRE informou que, pelo menos na capital, Fortaleza, a venda será proibida da 0h às 19h de domingo. Nas demais cidades, deve ser feita a consulta junto à Zona Eleitoral.

Distrito Federal
Assim como no primeiro turno, no Distrito Federal, não haverá Lei Seca.

Espírito Santo
O TRE não disponibilizou informações.

Goiás
O TRE soltou lista com 138 cidades onde foi instituída a proibição tanto para o primeiro quanto para o segundo turno. O período fica a cargo do juiz de cada seção. A capital, Goiânia, não está na lista.

Maranhão
O TRE não disponibilizou informações.

Mato Grosso
O TRE não disponibilizou informações.

Mato Grosso do Sul
Não será permitida a venda de bebidas alcoólicas entre as 3h e as 17h, mas a limitação não vale para restaurantes que funcionem exclusivamente entre as 11h30 e as 14h30.

Minas Gerais
Será proibida a venda, a distribuição e o fornecimento de bebidas alcoólicas entre as 6h e as 18h de domingo.

Pará
O TRE não disponibilizou informações.

Paraná
Não haverá Lei Seca no estado.

Paraíba
Não haverá Lei Seca no estado.

Pernambuco
Não haverá Lei Seca no estado.

Piauí
O TRE determinou a proibição da comercialização e distribuição de bebida alcoólica no primeiro turno, mas não informou se a decisão vale também para este domingo.

Rio Grande do Norte
A comercialização de bebidas alcoólicas será proibida em todo o estado. A regra vale das 6h às 18h de domingo.

Rio Grande do Sul
Nem o TRE, nem a Secretaria de Segurança Pública do estado estabeleceram regulamentação.

Rio de Janeiro
Não haverá Lei Seca neste ano.

Rondônia
A venda de bebidas alcoólicas será proibida nas cidades de Ariquemes, Alto Paraíso e Monte Negro.

Roraima
No primeiro turno, a comercialização e distribuição de bebida alcoólica foram proibidas da meia-noite de sábado às 18 horas do domingo. Contudo, o site do TRE não explicitou se a decisão será mantida para o segundo turno.

Santa Catarina
Não haverá Lei Seca no estado.

São Paulo
Não haverá Lei Seca no estado.

Sergipe
O TRE de Sergipe não informou se adotará a restrição.

Tocantins
O TRE não disponibilizou informações sobre a limitação.

(Agência Brasil)

No Ceará, chega ao fim o processo mais antigo do país

190 1

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado (27):

Finalmente, o mais antigo processo em tramitação na Justiça do Trabalho do País está se resolvendo por um acordo entre as partes. É a briga dos professores da Uece, UVA e Urca pelo piso salarial, iniciada há 32 anos, ainda na Era Tasso Jereissati.

Nesta semana, os professores realizaram uma assembleia geral. Foram 73% dos votantes a favor do acerto, que só se concretizou após longas conversas envolvendo as partes e a Procuradoria Geral do Estado. Ficou garantido o pagamento do piso – média de R$ 4.500,00 nos contracheques e o pagamento dos precatórios – o maior deles é de R$ 242 mil a um dos docentes.

Os professores Célio Andrade e Pádua Valença tocaram a negociação, que durou três meses, entre idas e vindas de cinco propostas.

Nessas três décadas, alguns dos beneficiários já morreram e outros estão beirando hoje os 90 anos, mas seus familiares terão o direito assegurado nos precatórios, bem como pensionistas.

Até dezembro, valores acertados vão estar no contracheque dos docentes. Os precatórios começam a ser pagos no começo de 2019, garante a PGE, que evita assim uma bomba-relógio para o próximo governo de Camilo Santana (PT), já que tal pendência incorreria em conflito com o limite prudencial de gastos com pessoal, como determina a Lei de Responsabilidade Fiscal. O TRT-7º Região chancela.

Eleitor que não votou no primeiro turno poderá votar neste domingo

Os eleitores vão às urnas neste domingo (28) para votar no segundo turno das eleições. No dia 7 deste mês, foi realizado o primeiro turno. E quem não votou no primeiro, pode votar no segundo turno? Sim, pode.

O eleitor poderá votar no segundo turno desde que esteja em situação regular com a Justiça Eleitoral, com título eleitor ativo. Se o título estiver cancelado ou suspenso, o eleitor não pode votar.

De acordo com a Justiça Eleitoral, cada turno de votação é considerado como uma eleição independente. Por isso, se o eleitor não compareceu em um turno, não fica impedido de votar no outro.

O eleitor que não votou no primeiro turno é obrigado a justificar a ausência. O prazo é de 60 dias após cada turno. Desta forma, se o eleitor não justificou a ausência do primeiro turno até o dia 28, não fica impossibilitado de votar neste domingo, poderá votar.

A regra da justificativa vale também para quem não comparecer neste domingo (28).

Para justificar, basta preencher o formulário de justificativa eleitoral pela internet ou entregá-lo pessoalmente em qualquer cartório eleitoral.

Há também a possibilidade de enviar o formulário pelo correio para o juiz eleitoral da zona eleitoral. Além do formulário, o eleitor deve anexar documentos que comprovem o motivo que o impediu de comparecer no dia do pleito.

Pela internet, o eleitor pode justificar a ausência utilizando o “Sistema Justifica” nas páginas do TSE ou dos tribunais regionais. No formulário online, o eleitor deve informar seus dados pessoais, declarar o motivo da ausência e anexar comprovante do impedimento para votar.

O requerimento de justificativa gerará um código de protocolo que permite ao eleitor acompanhar o processo até a decisão do juiz eleitoral. A justificativa aceita será registrada no histórico do eleitor junto ao Cadastro Eleitoral.

Para regularizar sua situação eleitoral, o cidadão terá de pagar uma multa R$ 3,61 por votação não comparecida.

O Tribunal Superior Eleitoral explica que a não regularização da situação com a Justiça Eleitoral pode resultar em sanções, como impedimento para obter passaporte ou carteira de identidade para receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público.

A não justificativa também pode impedir que o eleitor participe de concorrência ou administrativa da União, dos estados, Distrito Federal e municípios, além de ficar impedido de se inscrever em concurso público ou tomar posse em cargo e função pública.

(Agência Brasil)

Fortaleza só empata em casa, mas acesso à Série A está praticamente assegurado

Com um Castelão mais uma vez lotado, o Fortaleza não passou de um empate em 1 a 1 com a Ponte Preta, na noite dessa sexta-feira (26), pela 33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Uma vitória asseguraria o acesso do Leão à Série A do próximo ano, mas o Fortaleza se mantém na liderança da competição, com seis pontos de vantagem para o segundo colocado, a cinco rodadas para o final da temporada.

A Ponte Preta abriu o placar com André Luís, aos 18 minutos da segunda etapa, e Marcinho empatou para o Leão, quatro minutos depois. O Fortaleza volta a campo no sábado (3), em Goiânia, diante do Atlético.

O Fortaleza chegou a 61 pontos, seguido pelo novo vice-líder Avaí, com 55 pontos, que na noite dessa sexta-feira goleou o Goiás, por 3 a 0, fora de casa. O CSA está na terceira colocação, com 54 pontos, enquanto o Goiás completa o G4, com 53 pontos. A primeira equipe na boca do G4 é o Vila Nova, com 51 pontos, que ontem perdeu para o Londrina, por 3 a 2.

Série A

Na abertura da 31ª rodada da Série A, na noite dessa sexta-feira, o Vasco empatou com o Internacional, em 1 a 1, em São Januário, e passou o Ceará na tabela de classificação. Com um ponto a mais que o Vozão, o Vasco agora é o 13º colocado, com 35 pontos, a mesma pontuação que o Botafogo, agora 14º colocado. O Ceará é o 15º colocado, mas ainda enfrentará o Atlético Mineiro, na segunda-feira (29), no Castelão, pelo complemento da rodada. No outro jogo dessa sexta-feira, o Vitória foi derrotado em casa pelo São Paulo, por 1 a 0, e segue na zona de rebaixamento.

(Foto: Reprodução)

Ciro retorna ao Brasil, a 32 horas da eleição, e diz: “Ele, não!”

198 2

Para quem esperou uma declaração de apoio de Ciro Gomes à candidatura do petista Fernando Haddad, na noite desta sexta-feira (26), no Aeroporto Internacional Pinto Martins, teve que se conformar como um “ele, não”, referente a uma oposição a Jair Bolsonaro.

Surpresa maior foi o número de pessoas que recepcionaram Ciro, em um lançamento de pré-candidatura à Presidência da República para 2022.

Para o deputado estadual eleito Salmito (PDT), que pelas redes sociais mobilizou cerca de 600 apoiadores, o futuro bate à porta.

Neste sábado (27), Ciro deverá se pronunciar sobre a eleição do domingo. No primeiro turno, o pedetista teve mais de 13,3 milhões de votos.

(Fotos: Divulgação)

Com apoio de Ciro Gomes, Haddad confia que possa ganhar 4 pontos

254 3

A dois dias do segundo turno das eleições presidenciais, o candidato do PT Fernando Haddad afirmou hoje (26), em Salvador, que o apoio explícito de Ciro Gomes, candidato do PDT derrotado no primeiro turno, pode alavancar sua candidatura em até quatro pontos percentuais. “A gente vai ganhar uns 3 a 4 pontos com o apoio do Ciro.”

Ciro Gomes embarcou para a Europa logo após o primeiro turno e a previsão é de que ele desembarque hoje à noite em Fortaleza. Antes de viajar, ele afirmou que não votaria em Bolsonaro. O PDT defendeu o “apoio crítico” a Haddad.

Pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada ontem (25), mostrou o candidato Jair Bolsonaro (PSL) com 56% dos votos válidos enquanto Haddad aparece com 44%. A diferença diminuiu seis pontos percentuais em relação ao levantamento anterior. (Agência Brasil)

DETALHE – Ciro deverá chegar a Fortaleza, logo mais, após o voo das 19h30min atrasar. Cerca de mil pessoas deverão recepcioná-lo no Aeroporto Internacional Pinto Martins.

(Foto: Arquivo)

No Ceará, mais de 6,34 milhões de eleitores vão às urnas neste domingo

O Tribunal Regional Eleitoral divulgou o número oficial de eleitores aptos a votar nas eleições deste domingo (28 de outubro).

No Ceará são 6.344.483 eleitores que irão votar em 21.449 seções. É o oitavo maior colégio eleitoral do País que conta com um total de 146.785.039 nos 26 Estados e no Distrito Federal.

Fortaleza é a cidade do Estado com maior número de eleitores (1.774.989), enquanto Granjeiro é a que tem menos (5.154).

A presidente do TRE do Ceará, desembargadora Naílde Pinheiro Nogueira, gravou mensagem desejando bom voto ao eleitorado e garantindo que tudo está pronto para o dia da cidadania.

BNB desenvolve programa Acelera Microcrédito a partir de novembro

Romildo Rolim preside o BNB.

A população de municípios de todo o Nordeste e norte de Minas Gerais e Espírito Santo recebe, a partir de novembro, serviços da ação Acelera Microcrédito, promovida pelo Banco do Nordeste. Serão oferecidos, gratuitamente, corte de cabelo, maquiagem, apresentações culturais, entretenimento para crianças e atendimento negocial das equipes dos programas de microcrédito urbano, o Crediamigo, e rural, o Agroamigo, informa a assessoria de comunicação do banco.

O microcrédito do BNB tem como características o acompanhamento aos empreendedores por parte de um profissional, com orientações individualizadas para melhor aplicação do recurso. Clientes do Crediamigo e Agroamigo exporão seus produtos durante os eventos Acelera Microcrédito.

O Crediamigo oferece até R$ 15 mil em crédito, com taxas mensais a partir de 1,08%. O portfólio de produtos tem opções de crédito para capital de giro, empréstimos para aquisição de móveis, utensílios, máquinas e equipamentos, reformas de instalações físicas e seguro de vida.

O microcrédito urbano do Banco do Nordeste atende pessoas que trabalham por conta própria, individualmente ou reunidos em grupos solidários, que atuam nos setores informal ou formal da economia, no comércio, serviços e indústria.

Em 2018, o Crediamigo já aplicou R$ 6,4 bilhões na economia, até setembro. O valor é 11,3% maior do que no mesmo período do ano anterior. São mais de 3 milhões de operações, 5,39% a mais do que em 2017. No Ceará, foram contratados mais de R$ 2 bilhões, distribuídos em 1,1 milhão de operações.

O Agroamigo foi criado para atender, nas comunidades rurais, agricultores familiares do Nordeste, norte de Minas Gerais e Espírito Santo enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, no grupo Pronaf B. As taxas de juros atuais praticadas são a partir de 0,5% ao ano.

A metodologia do programa impulsiona a sustentabilidade dos empreendimentos rurais, a equidade de gênero no campo, a inclusão financeira dos agricultores familiares e a redução de desigualdades.

O microcrédito rural já aplicou, até setembro, cerca de R$ 2 bilhões na área de atuação do Banco do Nordeste, valor 14,4% maior do que em 2017, por meio de 387,5 mil operações. No Ceará, foram contratados R$ 235,9 milhões, em 48,9 mil operações.