Blog do Eliomar

Arquivos do autor Eliomar de Lima

Ceará fecha primeiro semestre deste ano como 3º estado com maior taxa de homicídios no País

O Ceará é o terceiro estado brasileiro com a maior taxa de assassinatos registrados no primeiro semestre deste ano. É o que aponta o projeto Monitor da Violência, uma parceria do portal de notícias G1 com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e o Núcleo de Estudos da Violência (NEV), da Universidade de São Paulo (USP).

A taxa de homicídios no Ceará é de 26 por 100 mil habitantes, conforme dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) repassados ao levantamento. Ao todo, 2.380 pessoas foram assassinadas no Ceará de janeiro a junho deste ano, conforme a SSPDS. São 81 mortes a mais que o registrado no mesmo período do ano passado: 2.299.

É uma taxa menor apenas que as registradas nos estados de Roraima (27,7 por 100 mil) e Rio Grande do Norte (27,1 por 100 mil). E está empatado com o Acre, que também teve média de 26 homicídios por 100 mil habitantes.

Os dez Estados que lideram o ranking ou são do Norte ou do Nordeste. Completam essa lista Sergipe, Pará, Pernambuco, Alagoas, Amapá e Bahia. São Paulo é o estado com o menor número proporcional de assassinatos: 3,8 por 100 mil habitantes.

Em levantamentos desse tipo, a SSPDS costuma ressaltar que o padrão adotado pela pasta não é seguido pela maioria dos Estados, o que torna a comparação distorcida.

A pasta já divulgou números referentes ao mês de julho no Estado. Contando com os registros referentes a esse mês, o Ceará passou a acumular 2.758 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) no ano uma redução de 0,5% comparado com o mesmo período de 2017. Neste mês de agosto, dados não consolidados da SSPDS apontam a ocorrência de, pelo menos, 300 homicídios até a última segunda-feira, 27.

Ao todo, o Monitor da Violência registrou 26.126 assassinatos no Brasil nos seis primeiros meses de 2018. O número, no entanto, é maior, já que três estados (Maranhão, Paraná e Tocantis) não enviaram dados, alegando não estarem consolidados. A taxa proporcional de assassinatos no País é de 12,5 por 100 mil habitantes.

Em artigo divulgado junto com o balanço do projeto, o jornalista e economista Bruno Paes Manso, pesquisador do NEV-USP, apontou que a “truculência” do conflito entre facções criminosas é a responsável pelos números catastróficos. “Chacinas, mortes de policiais, vídeos de assassinatos e torturas passaram a fazer parte da cena criminal desses estados”, ressaltou. Ele ainda alerta que o Ceará é uma das unidades federativas que podem ver a taxa de homicídios passar de 50 pessoas por 100 mil habitantes.

No Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2018, do próprio FBSP, o Ceará apareceu como o terceiro estado com o maior número de assassinatos registrados em 2017, com uma taxa de 59,1. Ficava atrás apenas de Acre e Rio Grande do Norte, com 63,9 e 68, respectivamente.

(O POVO/Repórter Lucas Barbosa)

Justiça do Ceará continua a passos de tartaruga?

A Justiça do Ceará é a mais lenta do Brasil. Cada magistrado do Tribunal de Justiça do Estado (TJCE) conseguiu finalizar, em média, 908 casos em 2017. No Rio Janeiro, juízes alcançaram a marca de 3.321. Por trás do índice estão a mais baixa despesa da Justiça por habitante do País, R$ 125,3; as 83 vagas ociosas de juízes; iniciativas que tentam solucionar a lentidão e outras que aind estão em busca de identificá-los.

Os dados do relatório Justiça em Números,publicado nesta semana pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), não são novos. No documento de 2017, com informações relativas a 2016, o Ceará já apresentava a pior marca de produtividade.

Para o advogado Mário Cruz Dias Neto, vários fatores justificam os resultados. “Poderíamos citar a falta de servidores, magistrados, principalmente nas comarcas do Interior”, pondera. Falta de melhor capacitação dos servidores e o baixo orçamento, conforme o advogado, também justificam a lentidão que prejudica o cotidiano do Poder Judiciário.

O presidente da Associação Cearense dos Magistrados (ACM), Ricardo Costa, reconhece o problema, principalmente nas varas criminais e de família, que demandam mais audiências e, portanto, mais tempo e servidores.

O juiz ressalta que o índice destacado pelo relatório não considera as decisões de sentença proferidas. Mas sim o arquivamento (ou baixamento) do processo. “O fato de eu proferir uma sentença hoje não quer dizer que eu finalizei o processo. A pessoa pode recorrer até a quarta instância”, explica.

O momento, conforme Ricardo, ainda é de identificar os gargalos da Justiça e aguardar os resultados de ações como a criação de vagas de assistentes nas comarcas (em maio de 2017) e de varas metropolitanas e especializadas.

“A criação da vara dos crimes organizados, em outubro, por exemplo, deve desafogar as demais unidades. Hoje, um juiz criminal fica até cinco dias debruçado num processo desse”, detalha. Para o juiz, os efeitos das mudanças deverão ser sentidos apenas em 2018.

Através de nota, o TJCE endossa as mudanças destacadas pelo presidente da ACM. Acrescentando a implantação do projeto de virtualização dos processos no Interior e a criação do Programa Melhoria da Produtividade 2018. “Vale ressaltar que o Judiciário cearense é o primeiro em número de conciliação do Brasil entre as Cortes estaduais, com 21,1%. No ano passado, o TJCE também liderou o ranking com índice de 25% de conciliações, o que representa 62.601 acordos do total de 250.682 sentenças”, cita o documento.

OAB-CE

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-secção CE), Marcelo Mota, destaca que a marca de lentidão do Poder Judiciário cearense provoca uma sensação de falência da Justiça.

ÓRGÃOS

O POVO procurou a Defensoria Pública, o Ministério Público do Estado (MPE) e a Secretaria do Planejamento (Seplag). Nenhuma das instituições se posicionou sobre o relatório do CNJ.

(O POVO)

Vereador dos Progressistas declara voto a Salmito nas redes sociais

Com a segunda maior bancada da Assembleia Legislativa do Ceará, atualmente com sete parlamentares, os Progressistas (antigo PP) perderam uma liderança forte em Fortaleza, diante do anúncio nas redes sociais do vereador Dr. Eron Moreira à candidatura de Salmito Filho, do PDT. Para a Câmara Federal, Dr. Eron anunciou o voto para o correligionário Antonio José.

Com quase 8,1 mil votos em Fortaleza, na última eleição, o médico-oftalmologista Eron afirma que o apoio a Salmito fortalece o projeto político no Ceará.

(Foto: Divulgação)

TSE nega pedido para obrigar cobertura de Lula em telejornais

Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nessa terça-feira (28) negar pedido feito pelo PT para que as emissoras de televisão façam a cobertura da campanha presidencial do partido.

O TSE julgou o recurso da coligação O Povo Feliz de Novo, composta pelo PT, PCdoB e PROS, que tem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à presidência e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como vice.

Antes da decisão desa terça-feira, o ministro Sergio Banhos tinha rejeitado o mesmo pedido de forma individual.

Lula está preso desde 7 de abril na sede da Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, em função de sua condenação a 12 anos e um mês de prisão na ação penal do caso do triplex em Guarujá (SP). Para o PT, como candidato registrado no TSE, Lula tem direito de participar da cobertura jornalística das eleições.

Em tese, o ex-presidente estaria enquadrado no artigo da Lei da Ficha Limpa que impede a candidatura de condenados por órgãos colegiados. No entanto, o pedido de registro e a possível inelegibilidade precisam ser analisados pelo TSE até 17 de setembro.

De acordo com o PT, a TV Globo, Band, Record e SBT devem dar igualdade de condição a todos os candidatos por funcionarem por meio de concessões públicas. Segundo a legenda, Lula está liderando as pesquisas de opinião e também deve ter espaço destinado à cobertura jornalística dos atos de campanha.

Ao julgar o recurso, por 6 votos a 1, o colegiado seguiu voto de Banhos e entendeu que as emissoras não estão descumprindo as regras legais que impedem a concessão de tratamento privilegiado a candidatos no rádio e na televisão.

Segundo o ministro, “circunstâncias pessoais” impedem a cobertura jornalística da campanha do ex-presidente. Ele afirmou que “não há agenda a ser divulgada” por Lula. O entendimento foi acompanhado pelos ministros Luís Roberto Barroso, Tarcísio Vieira, Edson Fachin, Rosa Weber e Jorge Mussi.

(Agência Brasil)

Bolsonaro diz no JN que criminoso não é ‘ser humano normal’ e defende policial que ‘matar 10, 15 ou 20’

O candidato a presidente da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, afirmou nessa terça-feira (28), em entrevista ao Jornal Nacional, que um criminoso não pode ser tratado como “um ser humano normal” e, por isso, se um policial “matar 10, 15 ou 20 com 10 ou 30 tiros cada um” deve ser condecorado e não processado.

Bolsonaro foi o segundo entrevistado da série do JN com presidenciáveis. O primeiro foi Ciro Gomes (PDT). Nesta quarta (29), será a vez de Geraldo Alckmin (PSDB), e, na quinta, de Marina Silva (Rede). A ordem das entrevistas foi determinada por sorteio. Luiz Inácio Lula da Silva, presidenciável do PT, está preso e proibido pela Justiça de dar entrevistas.

O candidato do PSL foi questionado pelo jornalista William Bonner sobre ter declarado que violência se combate com mais violência ainda. “Como o senhor acha que os brasileiros que vivem nessas comunidades dominadas por traficantes, que são vítimas desses tiroteios tão frequentes, como é que elas recebem uma afirmação como essa sua?”

O presidenciável defendeu “ir com tudo para cima deles” desde que moradores de comunidades estejam fora da linha de tiro.

“Temos que fazer o quê? Em local que você possa deixar livre da linha de tiro as pessoas de bem da comunidade, ir com tudo para cima deles. E dar para o agente de segurança pública o excludente de ilicitude. Ele entra, resolve o problema. Se matar 10, 15 ou 20, com 10 ou 30 tiros cada um, ele tem que ser condecorado [o policial] e não processado.”

*Confira a íntegra no Portal G1 aqui.

 

Morre Narcílio Andrade, ex-presidente da Câmara Municipal de Fortaleza

Acontece na Câmara Municipal de Fortaleza o velório de Narcílio Andrade, , ex-vereador por 28 anos. Ele morreu nessa noite de terça-feira (28), aos 77 anos, vitima de insuficiência respiratória e complicações causadas pelo diabetes. O enterro ocorrerá no fim da tarde, no Cemitério Parque da Paz.

O presidente da Câmara Municipal, Salmito Filho (PDT), decretou luto oficial de três dias no parlamento.

Narcílio Andrade nasceu no dia 10 de março de 1941, em Juatama, distrito de Quixadá. Foi balconista de loja de discos, servente, auxiliar de escritório até concluir o curso de Contabilidade e assumir emprego na Cidao.

Em 1976 começa vitoriosa carreira política que o faria vereador de Fortaleza por 28 anos consecutivos. Era casado com Maria Iracilda da Costa, pai de Ubiratan, Nartan, Marcília e Marciana, avô de Rodrigo, Lucas, Mariana, Théo, Martin, Maria Giovanna e Pedro Arthur. Foi também Rei Momo do Carnaval de Fortaleza.

(Foto – Edimar Soares)

Bolsonaro compara bancada do Jornal Nacional com “plataforma de tiro de artilharia”

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, foi o segundo entrevistado pelo Jornal Nacional, na noite desta terça-feira (28), na série com os candidatos ao Palácio do Planalto melhores colocados na última pesquisa Datafolha. Nessa segunda-feira (27), Ciro Gomes (PDT), abriu a série. Nesta quarta-feira (29), será a vez de Geraldo Alckmin. Na quinta-feira (30), Marina Silva encerra as entrevistas.

Antes mesmo de iniciar as perguntas, Bolsonaro comparou a bancada do Jornal Nacional, que tem à frente os jornalistas William Bonner e Renata Vasconcellos, com “uma plataforma de tiro de artilharia”. “Esteja certo de que não é”, desconversou Bonner.

Ao responder que o candidato vive da política e vive para a política, inclusive com um patrimônio em torno de R$ 2 milhões, ao longo de 27 anos, Bolsonaro se disse diferente de outras oligarquias em Brasília, por causa de sua suposta honestidade.

Ao ser questionado que não entende de economia, Bolsonaro disse que Lula também não entendia, quando eleito pela primeira vez.

Sobre a questão da desigualdade salarial entre homens e mulheres, nos mesmos cargos, Bolsonaro apontou o Ministério Público do Trabalho. “É só as mulheres denunciarem”, disse. “Vocês vivem em grande parte aqui de recursos da União. São bilhões que recebem o sistema Globo, de recursos da propaganda oficial do governo”, ressaltou Bolsonaro, ao ser interrompido por uma indignação de Renata Vasconcellos, sobre que não aceitaria ganhar menos que o homem, em uma mesma função.

Com relação à segurança pública, Bolsonaro defendeu a força ostensiva contra a criminalidade no país. “Você vê bonde aqui no Rio de Janeiro, na Praça Seca, com 20 homens de fuzil. Como é que você tem que tratar essas pessoas? Pedindo para levantar as mãos?”, questionou.

(Foto: Reprodução)

Temer decreta emprego de Forças Armadas em Roraima

O presidente Michel Temer decretou hoje (28) o emprego das Forças Armadas no estado de Roraima. A decisão do presidente se dá no âmbito da Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Segundo o presidente, a medida é para assegurar segurança aos brasileiros que vivem em Roraima e também aos venezuelanos que entram no Brasil pelo estado, fugindo da crise no país vizinho.

“Eu decretei hoje o emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem no estado de Roraima. Naturalmente para oferecer segurança para os cidadãos brasileiros e migrantes venezuelanos que fogem em busca de refúgio no Brasil. Tomei essa decisão para complementar as ações humanitárias que o governo federal promove há vários meses em Pacaraima e Boa Vista”, disse o presidente, em pronunciamento feito no Palácio do Planalto.

Segundo o ministro da Defesa, general Silva e Luna, não houve pedido da governadora do estado, Suely Campos, para edição desse decreto. A GLO, período em que os militares têm poder de polícia, terá validade de 29 de agosto até 12 de setembro. Ao final do período, será avaliada a continuidade ou não da medida. O efetivo utilizado será aquele que já atua na região, da Primeira Brigada da Infantaria de Selva, lotada em Boa Vista. O emprego militar se dará em um perímetro que engloba as cidades de Pacaraima, que faz fronteira com a Venezuela, e Boa Vista, que têm acolhido os migrantes que vão além de Pacaraima. O decreto deve ser publicado no Diário Oficial da União, amanhã (29).

De acordo com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, a GLO é para conter a crise no estado, e não para impedir a entrada de venezuelanos.“Esse é o problema. Podemos reduzir o número de imigrantes em Roraima lá com a interiorização, mas não é um processo simples. É voluntário e precisa garantir condições dignas”, disse.

Etchegoyen disse ainda que, dos 600 a 700 venezuelanos que entram diariamente pela fronteira, apenas cerca de 20% a 30% permanecem no país.

Críticas ao governo de Maduro

Em seu pronunciamento, o presidente criticou o governo do presidente Nicolás Maduro por não “cuidar do seu povo” e, com isso, criar uma situação “trágica” em todo o continente. “A onda migratória em Roraima é resultado das péssimas condições de vida a que está submetido o povo venezuelano. É isso que cria essa trágica situação que afeta quase toda a América do Sul. O Brasil respeita a soberania dos estados, mas temos de lembrar que só é soberano um país que respeita e cuida do seu povo”.

Temer afirmou ainda que buscará a solução para a crise na Venezuela em “todos os foros internacionais”: “Por isso é preciso encontrar urgentemente um caminho para mudar essa situação. [A crise] avançou pela fronteira de vários países e ameaça a harmonia de todo o continente”.

Venezuelanos no Brasil

Em Boa Vista, ainda vivem nas ruas cerca de dois mil venezuelanos e outros seis mil estão em abrigos no estado. A Polícia Federal estima que entraram no país quase 130 mil venezuelanos, de 2017 até junho deste ano. Desses, cerca de 60% já deixaram o território brasileiro. Os dados atualizados de ingresso de venezuelanos no país devem sair nos próximos dias.

Na semana passada, moradores de Pacaraima expulsaram venezuelanos de barracas e abrigos e atearam fogo a seus pertences, em um protesto contra a presença deles na cidade. O motivo do conflito foi o assalto e espacamento de um comerciante local, supostamente cometido por quatro venezuelanos, que provocou a revolta dos moradores da cidade.

(Agência Brasil)

Princípio de incêndio é registrado em área da CSP

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), situada em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza) registrou, na última segunda-feira, um princípio de incêndio.

O fato ocorreu no pátio de matérias-primas, com chamas chegando a atingir a correia transportadora interna de carvão mineral, segundo relatos de alguns funcionários.

O fogo imediatamente controlado e não se registrou feridos, de acordo com a assessoria de comunicação da CSP. As causas que provocaram o princípio de incêndio serão investigadas, adiantou a assessoria, acrescentando que a correia transportadora não operava no momento do fogo.

(Vídeo feito por leitor do Blog)

Com placar de 2 a 2, STF adia decisão sobre denúncia contra Jair Bolsonaro

Com um pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) interrompeu hoje (28), com o placar de 2 votos a 2, o julgamento sobre o recebimento ou não de uma denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), candidato à Presidência da República.

Ao pedir vista, Moraes disse que trará o caso de volta a julgamento já na sessão da próxima semana, em 4 de setembro, quando já terá se iniciado a campanha eleitoral dos presidenciáveis na TV e no rádio.

A denúncia foi oferecida ao STF pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em 13 de abril, em decorrência de uma palestra proferida no ano passado por Bolsonaro no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro. Ela acusou o deputado de racismo e manifestações discriminatórias contra quilombolas, índios, refugiados, mulheres e LGBTs.

Na ocasião, o deputado disse, por exemplo, que ao visitar um quilombo constatou que “o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador eles servem mais”.

O relator do caso, ministro Marco Aurélio Mello, votou pela rejeição da denúncia. Para ele, as falas proferidas por Bolsonaro, apesar de passíveis de “censura moral”, não podem ser caracterizadas como crime, por não terem tido a capacidade de provocar atos criminosos em consequência e por terem sido feitas no contexto de sua atividade parlamentar, protegida por imunidade. Ele foi seguido pelo ministro Luiz Fux.

“A imunidade parlamentar, ainda que fora das dependências do Congresso Nacional, embora sujeitas à censura no plano moral, quando no exercício do cargo eletivo, a atuação do congressista está coberta pela imunidade”, afirmou Marco Aurélio.

O ministro Luís Roberto Barroso divergiu e votou para que Bolsonaro se torne réu pelos crimes de discriminação, devido à sua fala contra os quilombolas, e de incitação ao crime, devido ao conteúdo de suas falas em relação a homossexuais, proferidas em outras ocasiões, mas inseridas na denúncia pela PGR. Ele foi seguido pela ministra Rosa Weber.

“Me parece inequivocamente claro ser um tipo de discurso de ódio que o direito constitucional brasileiro não admite, porque é o ódio a grupos minoritários, historicamente violentados e historicamente vulneráveis”, disse Barroso em relação às declarações de Bolsonaro. O ministro, entretanto, dispensou as acusações relativas a indígenas e às mulheres, por não as ver como suficiente para caracterizar crime.

Antes, o vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, defendeu o recebimento da denúncia. “Em sua fala, estão presentes todos os elementos do discurso de ódio racial, sendo prática que exterioriza preconceito e induz a discriminação”, afirmou.

Em resposta, o advogado Antônio Pitombo, que defende Bolsonaro, afirmou que a denúncia apresentada pela PGR contra o deputado é inepta e contrária à liberdade de expressão garantida pela Constituição.

“Não é que o discurso é bonito, não é que todos nós devemos aderir positivamente ao discurso, não é este o ponto. O que não se pode eliminar é o direito de expressão de opinião, goste-se ou não. Não estou discutindo racismo, e sim a liberdade de expressão”, disse o defensor.

(Agência Brasil/Foto – Pedro Ladeira, da Folhapress)

A economia também depende do Congresso

Com o título “A economia também depende do Congresso”, eis artigo da jornalista Beatriz Cavalcante. Soa como um alerta para a votação para os senhores parlamentares federais. Confira:

Tão importante quanto votar para presidente é estar atento aos candidatos ao Congresso Nacional (senadores e deputados) que vão representar os interesses, sobretudo, do nosso Estado. Afinal, são eles que votam muitas das medidas aplicadas no nosso País e impactam e muito no andamento da economia.

Vale lembrar que parlamentares já foram responsáveis por aprovar muitas “pautas-bomba”. Ou seja, projetos lesivos aos cofres públicos e que visavam a apenas interesses de determinados públicos. E a consequência chega, logicamente, à população, achatando mais ainda o poder de compra dos brasileiros.

Um exemplo foi neste ano, em julho, quando passou pelo Congresso a medida provisória que estabeleceu o frete mínimo para o transporte de cargas no País. Isso mexeu com o livre mercado de uma cadeia enorme de segmentos, diminuiu a margem de lucro das empresas e, no Ceará, como O POVO mostrou na matéria “Incerteza sobre frete atrapalha saída de mercadorias do Ceará para outros estados”, fez a entrega de produtos atrasar.

Outra medida aprovada foi o fim da cobrança da conta de luz para famílias com renda menor ou igual a meio salário mínimo, quando antes o desconto ia até 65%. O problema desta votação foi que não se analisou o fato de que alguém tem de pagar essa conta. Nada é de graça e tudo tem uma consequência, que chega à população.

A percepção é que os eleitores estão preocupados apenas com qual candidato irá ocupar a cadeira da Presidência da República. As redes sociais pululam embates, alguns com palavrões, sobre os presidenciáveis, e deputados e senadores vão ficando de lado. A polarização é entre Jair Bolsonaro (PSL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – este último preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Portanto, quem se preocupa com o futuro econômico do Brasil também deve entender o que um parlamentar faz e estar atento para votar consciente. Em suma, ele deve legislar, fiscalizar e propor políticas públicas, neste caso específico, matérias que não prejudiquem ainda mais as contas públicas. É importante saber se o candidato está proposto a encarar as reformas necessárias que o País precisa: política, tributária e previdenciária. A economia também depende do Congresso.

*Beatriz Cavalcante

beatrizcavalcante@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

Apenas 18% dos brasileiros pouparam em junho, diz CNDL

Entre os brasileiros, apenas 18% pouparam dinheiro no mês de junho, de acordo com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Em média, o valor guardado foi de R$ 520.

A maioria, 73%, respondeu que terminou o mês sem nenhuma reserva. Entre as justificativas estão a renda muito baixa (44%), o que inviabiliza guardar dinheiro. Outros motivos apontados foram imprevistos (17%), ausência de renda por desemprego (15%) e reconhecimento de descontrole sobre os próprios gastos (14%).

O levantamento mostra que 35% dos brasileiros poupam habitualmente, sendo que 28% afirmam guardar o que sobra do orçamento e 7% estipulam um valor a ser poupado. Os objetivos para o dinheiro poupado são cobrir imprevistos (53%), garantir um futuro melhor à família (37%), enfrentar eventual desemprego (28%), cobrir a aposentadoria (17%), arcar com a educação dos filhos (16%), fazer viagens (15%) e reformar a casa (15%). Já 55% admitem que não têm o hábito de poupar.

Aplicações

A poupança lidera entre as aplicações financeiras, sendo citada por 64% dos que poupam habitualmente. Guardar dinheiro em casa é a segunda opção, mencionada por 25% dos brasileiros. Em terceiro lugar, aparece a conta corrente (15%); em quarto, os fundos de investimentos (9%) e, em quinto, a previdência privada (7%).

Modalidade de investimento mais conhecida pelos brasileiros, 92% já ouviram falar sobre a poupança. Em seguida vêm os títulos de capitalização (57%), os planos de previdência privada (53%), as ações em bolsas de valores (42%), os fundos de investimentos (34%), o Tesouro Direto (25%) e os CDBs (25%).

A sondagem mostra que 38% dos poupadores precisaram sacar alguma parte dos seus recursos em junho. Os imprevistos foram a principal razão para o saque, citado por 13%. Outros 8% sacaram porque os ganhos não haviam sido suficientes, 8% para quitar dívidas pendentes e 5% por estarem sem emprego.

O indicador da CNDL abrangeu 12 capitais das cinco regiões brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Salvador, Fortaleza, Brasília, Goiânia, Manaus e Belém. Juntas, essas cidades somam aproximadamente 80% da população residente nas capitais. A amostra, de 800 casos, foi composta por pessoas com idade superior ou igual a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais a uma margem de confiança de 95%.

(Agência Brasil)

Teatro RioMar Papicu recebe o espetáculo “O Bichão, uma comédia espilicute”

O comediante Haroldo Guimarães vai apresentar o espetáculo “O Bichão, uma comédia espilicute” nesta sexta, às 21 horas, e sábado, às 20 horas, no Teatro RioMar Papicu. O ator ficou conhecido depois de interpretar os personagens “Ciço”, de Cine Hollyúdy e “Fanho”, de Shaolin do Sertão.

No espetáculo, Haroldo, também advogado, professor e músico, traz divertidas histórias sobre assuntos do cotidiano, com uma maneira própria de falar e de interpretar suas ideias de um jeito espontâneo e extrovertido, já conhecido pelos fãs. “O Bichão, uma comédia espilicute” vem conquistando plateias em todo o país e tem classificação livre.

SERVIÇO

*Teatro RioMar Papicu – Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500.

*Mais Informações – (85) 99722.1222

*Ingressos: à venda na bilheteria do Teatro RioMar Fortaleza (Piso L3) e no site www.teatroriomarfortaleza.com.br

Valores

Plateia Baixa A – Inteira R$ 50,00 / Meia R$ 25,00

Plateia Baixa B – Inteira R$ 40,00 / Meia R$ 20,00

Plateia Alta – Inteira R$ 40,00 / Meia R$ 20,00.

(Foto – Divulgação)

Calçadão da Rua Guilherme Rocha passa por reforma

A Secretaria Regional Centro, da gestão municipal, iniciou as obras de reforma do calçadão da Rua Guilherme Rocha, prevista na primeira fase do projeto Fórum Novo Centro, um conjunto de intervenções que objetivam o ordenamento na região central de Fortaleza. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, a reforma tem previsão de conclusão no mês de novembro próximo.

Nesta quarta-feira, ás 8 horas, o secretário da Regional Centro, Adail Fontenele, estará visitando a obra que tem sua primeira fase abrangendo a Rua Guilherme Rocha entre a General Sampaio e Major Facundo.

A segunda etapa, prevista para iniciar em fevereiro de 2019, compreenderá a rua Liberato Barroso no trecho entre as ruas General Sampaio e Floriano Peixoto. Essas vias vão receber novos canteiros, pavimentação, colocação de bancos e lixeiras, instalação de quiosques para vendedores informais e nova iluminação.

(Foto – Paulo MOska)

Petição de Amoêdo para participar de debates chega a 500 000 assinaturas

444 2

A campanha do candidato a presidente da República pelo Partido Novo, João Amoêdo, está comemorando o resultado de uma petição lançada há dias.

Segundo informação da Veja Online, o documento virtual que pede a participação do postulante nos debates presidenciais deve chegar a 500 000 mil assinaturas ainda nesta terça-feira.

João Amoêdo, bom lembrar, cumprirá agenda em Fortaleza, nesta quarta e quinta-feira, tendo ao seu lado o ex-técnico Bernardinho, da seleção brasileira de vôlei. Entre alguns compromissos, palestra às 19 horas na Estácio FIC.

Confira a agenda

.

Hapvida lança nova função no seu aplicativo

O Hapvida está com uma nova função no aplicativo. Segundo a assessoria de imprensa do grupo, implantou a nova aba “Minha internação”. Por ela, é possível acompanhar o tratamento com apenas um clique.

A nova plataforma, que pomete maior transparência e assertividade sobre o diagnóstico do paciente, fornece diversas informações sobre a internação.

Pelo aplicativo, dá para conferir os medicamentos que estão sendo administrados, quais exames foram solicitados, se foi solicitado encaminhamento para outra especialidade e quais procedimentos (cirúrgicos, fisioterápicos, dentre outros) foram pedidos pelo médico.

DETALHE – Essa nova função pode ser acessada tanto pelo paciente, quanto por familiares, caso estes tenham o acesso do paciente.

Tande, ex-atleta do vôlei, dará palestra em Fortaleza

Tande, ex-jogador de vôlei, cumprirá agenda em Fortaleza no próximo dia 1º de setembro. Segundo a assessoria de imprensa da Universidade de Fortaleza, ele vem participar de um encontro com docentes e alunos da Instituição, em clima de bate-papo motivacional.

O encontro, que ocorrerá às 9 horas, no auditório da Biblioteca Central, vai marcar o Dia do Professor de Educação Física. Atualmente, o ex-atleta faz reportagens especiais para o Esporte Espetacular da TV Globo.

Bom lembrar que Tande integrou a Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos de Barcelona 1992 (medalha de ouro), Atlanta 1996 e Sydney 2000. No vôlei de praia, foi parceiro de Giovane, Emanuel, Loiola, Pará, Pedro Cunha e, em 2004, do cearense Franco.

(Foto – Divulgação)

Guilherme Boulos é entrevista desta terça-feira na EBC

Guilherme Boulos é o candidato do PSOL à Presidência da República

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) vai entrevistar, nesta terça-feira (28), o candidato a presidente Guilherme Boulos (PSOL). Ele é o quarto a participar da série de entrevistas com os candidatos à Presidência da República, iniciada no dia 17 de agosto e que irá ao ar até o dia 12 de setembro, de segunda a sexta-feira, a partir das 17h30min, sempre ao vivo.

Como o sorteio, para a ordem das entrevistas, foi feito antes do período das convenções, não haverá entrevistas nos dias reservados aos pré-candidatos não confirmados por seus partidos.

(Agência Brasil)