Baixa autoestima contamina o sistema

Em artigo no O POVO deste sábado (13), o editor-adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO, Luiz Henrique Campos, avalia o registro do Boletim de Ocorrência (BO) pela internet. Confira:

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) anunciou nesta semana a ampliação dos serviços de registro de Boletim de Ocorrência (BO) Eletrônico no Ceará. Agora, será possível realizar boletins pela internet referentes a 11 tipos de delitos. Antes, só havia três possibilidades. A iniciativa é louvável e torço para que funcione. Mas, sinceramente, sou cético quanto a isso. Ressalto, de antemão, que esse ceticismo pode estar contaminado pela dificuldade que tive esta semana de registrar um BO, após ter um carro arrombado.

Mas, convenhamos, passar mais de quatro horas, à noite, em uma delegacia, para obter um texto de pouco mais de 10 linhas confirmando o ocorrido, é teste de paciência marcante. Teste que não se limita a questão do tempo.

Na delegacia, que naquele dia recebia demandas de outras plantonistas em virtude do sistema das demais estarem fora do ar, é surreal dividir o mesmo ambiente com presos, sentados ou deitados no chão, que chegam a todo momento. Presos, que acabam tendo a preferência do escrivão para registrar as ocorrências. O mesmo escrivão, é bom destacar, que também é o responsável pela feitura dos BOs.

Como jornalista, conheço grande parte das delegacias de Fortaleza e da Região Metropolitana. Sei, portanto, das dificuldades enfrentadas pelos policiais para prestar atendimento condizente com os impostos que todos pagamos. Confesso, porém, que vivenciar a experiência como usuário me fez considerar que nós, jornalistas, não estejamos conseguindo transmitir nem a metade do que se passa no dia a dia de uma delegacia, tanto pelos profissionais que ali trabalham bem como em relação a quem precisa do serviço.

O mais grave de todo esse quadro, todavia, talvez seja a condição em que se encontra o profissional que está prestando o serviço naquele local. Durante o tempo que passei aguardando o atendimento, o retrato da baixa autoestima era gritante. Praticamente todos admitem a perda da “guerra” contra a violência no Estado. Repito, espero que a ampliação dos BOs eletrônicos melhore o atendimento, mas a situação vivenciada hoje pelo sistema é capaz de resistir até a tecnologia.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =