Batizados no Cocó

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (25):

Nada mais gratificante do que ser testemunha, neste momento, da batalha travada por alguns cidadãos de Fortaleza na defesa do direito de decidir sobre a vida da Cidade, frente à insistência de um poder político que se mantém aferrado a referenciais obsoletos de autoridade, recusando-se a enxergar a chegada de um novo tempo.

Neste, há a necessidade de governante legitimar cada ato seu perante uma cidadania consciente do próprio poder soberano. E é confortante ver a juventude novamente ser tomada por uma causa que a transcende – como não se via desde a geração de 1968 -, recusando-se a afundar no pântano do conformismo e da alienação, como era esperado pelos mantenedores do status quo.

O “batismo” recebido nas águas do Cocó cria nesta nova geração uma marca indelével que lhe dá identidade e que será resgatada no futuro como parte da memória histórica da Cidade, ao mesmo tempo em que comporá o sentido de suas jovens vidas, enchendo-a de orgulho por ter vivido “estes dias”.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 1 =