Câmara apura esquema de venda de vaga de garçom

“A Polícia Legislativa da Câmara investiga a existência de um esquema de venda de vagas de garçom e copeiros terceirizados. Para se conseguir um trabalho na Casa, mesmo com salários pouco superiores a R$ 1.000, seria necessário pagar uma espécie de “pedágio” ou “contrapartida”, que variava de R$ 1.000 a R$ 3.500.

Os policiais também apuram se funcionárias terceirizadas – que deveriam estar a serviço da Câmara – foram trabalhar na residência da encarregada geral da prestadora de serviços, enquanto o ponto delas no Legislativo era assinado por outras pessoas.

Nos últimos dias, o Congresso em Foco entrevistou e conversou com vários funcionários informados sobre o caso e ainda teve acesso a depoimentos que integram um inquérito policial. Segundo eles, participam do esquema a encarregada geral da Unirio Manutenção e Serviços Ltda, Patrícia Guedes Silva, o encarregado da empresa José Vanilson e o garçom Antônio Gonçalves de Abrantes. Patrícia foi indiciada por estelionato.

Procurada, a encarregada geral disse preferir o silêncio, enquanto Vanilson e Abrantes negaram as acusações. A Unirio afirma que aguarda as investigações da polícia e que, se forem comprovados os fatos, vai desligar os funcionários. A assessoria de imprensa da Câmara garante que não houve prejuízo aos cofres públicos.”

(Congresso em Foco)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 − dois =