Câmara Municipal – Parentes de políticos, ex-gestores e bancadas da bala

camara-municipal-de-fortaleza-fachada

Com 26 vereadores que não estavam na legislatura anterior, a Câmara Municipal de Fortaleza teve neste ano uma das maiores renovações de sua história. A atualização, no entanto, se resume na maioria a parentes de políticos, ex-gestores que já estavam na máquina ou ex-vereadores de volta ao Legislativo. A novidade ficou pela ampliação de alguns segmentos, sobretudo de religiosos e da área da segurança.

Ao todo, foram eleitos seis parentes de políticos e seis ex-dirigentes de órgãos na gestão Roberto Cláudio (PDT). “O que a gente viu foi uma renovação de grande porte, então esperamos que isso traga mudança de pensamento, de cultura. Uma novidade com a juventude”, diz o vereador eleito Renan Colares (PDT).

Ex-secretário-executivo de Planejamento e Gestão de RC, Renan é filho de Fernando Hugo (PP), deputado estadual por sete mandatos. Ele nega, no entanto, que isso comprometa renovação que seu nome representa. “Sou filho de deputado, mas tenho uma nova forma de pensar, de agir”.

Vereador desde 1988, Iraguassú Teixeira (PDT) não tentou reeleição e elegeu o filho, Iraguassú Filho (PDT). Situação semelhante envolve Paulo Martins (PRTB), Marta Gonçalves (PEN) e Frota Cavalcante (PTN), parentes de alguns dos mais antigos políticos em atuação na capital.

 

Há ainda veteranos de vários mandatos que voltam agora ao Legislativo. Ex-vereador pelo PSDB por cinco mandatos consecutivos, Idalmir Feitosa (PR) rompeu “jejum” de oito anos e volta à Câmara ao lado de Plácido (PSDB) e José Freire (PTN).

Segurança e religião

Seguindo tendência nacional, novidade na Casas acabou ocorrendo pelo crescimento de bancadas ligadas a setores conservadores. Isso ocorreu sobretudo por parlamentares da segurança ou religiosos, que elegeram, respectivamente, cinco e dois nomes.

Presidente da Associação de Profissionais da Segurança (APS), Soldado Noélio (PR) afirma que, apesar de ter carregado corporação da Polícia Militar na urna, não será “monotemático”. “Não achamos que segurança só se resolve com polícia. Vamos trabalhar muito por saúde, segurança”.

Ele ainda rejeita pecha de “bancada da bala”, atribuída a parlamentares do tema. “Acredito que esses vereadores receberam voto de confiança porque são bons nomes, não foi só a insegurança. Creio que todos os vereadores querem segurança, mas querem também saúde, educação”.

Quinto vereador mais votado de Fortaleza, mas que não se elegeu por conta do quociente eleitoral, Ailton Lopes (Psol) contesta a “renovação” da Câmara. “Houve algumas mudanças, claro, mas não vejo mudança nas ideias de um ponto de vista programático”.

O POVO tentou falar com Priscila Costa (PRTB) ou Jorge Pinheiro (PSDC), que têm forte ligação com instituições religiosas, mas não obteve resposta.

(O POVO – Repórter Carlos Mazza)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =