Caso Eloá – Julgamento será retomado nesta 3ª feira

“O segundo dia do julgamento do caso Eloá Pimentel está programado para começar às 9h desta terça-feira (14) no fórum de Santo André (Grande SP). A sessão será iniciada com o depoimento de Ronickson Pimentel, irmão mais velho de Eloá, a última testemunha arrolada pelo Ministério Público a ser ouvida no júri popular. O réu Lindemberg Alves, 25, manteve Eloá, sua ex-namorada, como refém em outubro de 2008 por cerca de cem horas, e o cárcere terminou com a morte da jovem.

Ver em tamanho maiorCaso EloáFoto 54 de 65 – 13.fev.2012 – Lindemberg Alves aguarda início de seu julgamento no Fórum de Santo André, na Grande São Paulo, na manhã desta segunda-feira (13). Ele responde pela morte da jovem Eloá Pimentel. Em outubro de 2008, Lindemberg manteve Eloá, sua ex-namorada, como refém por cerca de cem horas Mais Leandro Moraes/UOLEm entrevista coletiva na última sexta-feira (10), a promotora Daniela Hashimoto informou que o irmão mais velho de Eloá poderia dar detalhes sobre o comportamento agressivo de Lindemberg. Depois de Ronickson deverão depor as dez testemunhas convocadas pela defesa. A previsão é que o julgamento dure até quarta ou quinta-feira.

Após os depoimentos das testemunhas, o réu será interrogado –Lindemberg, que até agora se recusou a falar, poderá permanecer calado, mas sua advogada, Ana Lucia Assad, já adiantou que ele vai falar sobre o caso e “expor sua versão”. Depois dessa etapa, os debates são abertos, com uma hora e meia para a acusação e uma hora e meia para a defesa, além da réplica e da tréplica.

O primeiro dia de julgamento durou pouco mais de nove horas e foi encerrado às 20h de segunda-feira (13). As quatro testemunhas que prestaram depoimento confirmaram que Lindemberg fazia ameaças de morte durante o cárcere privado. O testemunho mais esperado do dia era o da amiga de Eloá, Nayara Rodrigues, que foi feita refém junto com a jovem. Nayara pediu que Lindemberg fosse retirado da sala enquanto ela falasse.

A jovem, que foi ferida por um tiro no rosto quando a polícia invadiu o local, disse que o réu agrediu Eloá durante o período de cativeiro e que a vítima dizia o tempo todo que “sabia que ia morrer”. Nayara afirmou que ouviu três disparos antes da entrada da polícia no apartamento –o que comprova a tese da acusação, de que os tiros partiram do réu e não da polícia.

(Portal Uol)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Um comentário sobre “Caso Eloá – Julgamento será retomado nesta 3ª feira

  1. Não há ânimo nem palavras para comentar sobre coisa tão repugnante e odiosa ─ por ser algo concreto, e já ter tornado comum em nosso país…
    Mais um julgamento; no qual, respeitado o Direito de defesa ver-se-á todas aquelas coisas impróprias que nos causa tristeza e até revolta. Quando os advogados de defesa, no pleno exercício de seu Direito Constitucional as fazem ostensivamente ─ as da tristeza e revolta citadas acima ─, conforme poderá ser visto no acompanhar o julgamento, e em comentários que faço no Blog: EXISTE MALDIÇÃO HEREDITÁRIA? http://www.maldicaosatanasepessoas.blogspot.com , que vale a pena ser lido; no qual, também abordo o Tema CRIMES DOLOSOS CONTRA A VIDA…
    ─ Uma explosão (para arrombar a porta do apartamento), seguida de três tiros: um na cabeça da Eloá, outro em sua região pélvica e o terceiro ─ não se sabe se nesta exata ordem ─, na direção da cabeça da Nayara, que graças a Deus não a matou; serem os disparos de origem: sei lá de quem?! É afirmação de alguém inconseqüente e mal intencionado com toda certeza buscando holofotes, contraditoriamente aquilo que acusa! De alguém, que também, não tem respeito pela vida humana e de maneira direta a do indivíduo mulher.
    Atenciosamente JORGE VIDAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 3 =