Arquivos da categoria: Água

Polêmico livro sobre a construção da barragem do Castanhão ganha nova edição

O engenheiro civil Cássio Borges, ex-diretor do Dnocs, via lançar a segunda edição do seu livro “A Face Oculta da Barragem do Castanhão – Em Defesa da Engenharia Nacional”.

O lançamento ocorrerá às 19 horas do próximo dia 28, no Clube Náutico Atlético Cearense.

Cássio Borges expõe na publicação uma série de questionamentos sobre a barragem do Castanhão, hoje no volume morto.

A hora de perfurar poços profundos

Com o título ‘Criatividade e Atitude”, eis artigo do deputado estadual Carlos Matos (PSDB), que pode ser conferido no O POVO desta sexta-feira. Ele fala do projeto Poços de Produção”, iniciativa do Poder Legislativo. Confira:

Buscar soluções para os grandes desafios vividos pela sociedade: assim deve ser a atitude dos poderes constituídos. Seria simples para o Legislativo apontar que o Executivo não deu as respostas aos problemas que se apresentaram, mas não é assim que tem trabalhado a Assembleia Legislativa do Ceará.

Ao criar a Comissão Especial de Acompanhamento das Obras do Rio São Francisco, a Assembleia vem acompanhando de perto as questões relacionadas à crise hídrica do Estado. Em seu relatório, propôs 24 medidas para superar essa crise para além da transposição do São Francisco. É nesse contexto que surge o Projeto “Poços de Produção” diante de um único desafio: a superação da crise hídrica vivida há seis anos pelo estado do Ceará.

Diversas articulações já foram feitas; a Ematerce já iniciou o processo de qualificação da demanda, pré-selecionando 2.680 produtores interessados, comprovando que o problema existe e que há demanda. O financiamento ao produtor já está assegurado pelo Banco do Nordeste, que irá disponibilizar R$ 100 milhões. A Secretaria do Meio Ambiente e a Secretaria de Recursos Hídricos deram um verdadeiro tiro na burocracia para diminuir os entraves na implementação do projeto, com a dispensa de licença ambiental para perfuração em época de crise hídrica, além do processo autodeclaratório para a liberação de outorga.

O Ceará, ao longo de sua história, construiu 40 mil poços, dos quais 24 mil encontram-se ativos. Por iniciativa do Governo Estadual, foram perfurados 10.649 mil poços, sendo 4.300 nos últimos cinco anos. O Dnocs também foi participante desse esforço. Apesar dessas iniciativas há uma demanda que não está sendo atendida, gerando desestruturação de um setor produtivo no meio rural e impactando negativamente no tecido social das cidades.

Para aqueles que perguntavam se as Comissões existem e se realizam algo concreto, a Assembleia Legislativa vem dar essa grande resposta por meio da Comissão de Desenvolvimento Regional Recursos Hídricos Minas e Pesca, a qual tenho a honra de presidir. O projeto irá atingir diretamente a vida das pessoas com a construção de seis mil poços, dando um incremento de 25% no número de poços ativos no Ceará e impactando o desenvolvimento das comunidades rurais na luta contra o colapso hídrico.

*Carlos Matos

carlos.matos@al.ce.gov.br
Deputado estadual (PSDB).

Unifor promove roda de conversa sobre a abordagem da escassez da água na literatura cearense

A Universidade de Fortaleza e a Assembleia Legislativa promoverão nesta sexta-feira, a partir das 8 horas, no auditório da Biblioteca dessa instituição de ensino superior, a roda de conversa sobre o tema “A Escassez de Água Revisitada na Literatura Cearense”.

O encontro marcará o Dia da Literatura Cearense e contará com a participação de parlamentares estaduais e do ex-governador e presidente da Fundação Waldemar de Alcântara, o acadêmico Lúcio Alcântara.

Também estarão nesse debate os professores Batista de Lima, Aila Sampaio, Ana Carla Pinheiro, Hermínia Lima, Mônica Tassigny, Randal Pompeu e Tereza Porto.

Ceará vai receber R$ 112 milhões para perfuração de poços profundos

Uma emenda da bancada federal cearense ao Orçamento da União 2017, que destina R$ 112,3 milhões para perfuração de poços profundos no Ceará, foi aprovada, nessa noite de quarta-feira, pelo Congresso Nacional. O presidente da Casa, senador Eunício Oliveira (PMDB), fez apelo aos parlamentares pela votação, já que a sessão estava por ser finalizada.

A verba, que será liberada através do Ministério da Integração Nacional, viabilizará a aquisição de 49 máquinas perfuratrizes para o Estado e, assim, contribuirá para a execução do Plano de Convivência com a Seca nos municípios. A matéria segue agora para sanção presidencial.

Articulação

A inclusão do objeto no PLN, que atende ao Ceará, foi articulada pelo presidente do Congresso junto à equipe econômica do Executivo federal. Ainda em outubro, Eunício recebeu, na presidência do Senado, a visita do ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, que informou ao senador cearense sobre o envio da matéria ao Congresso conforme solicitação do peemedebista.

DETALHE – O Ceará enfrenta o sexto ano consecutivo de seca e dos 184 municípios, 115 decretaram situação de emergência em razão da estiagem.

5% da capacidade – Vereador alerta para falta d’água em Fortaleza e apela contra o desperdício

O vereador Idalmir Feitosa (PR) alertou nesta quarta-feira, 8, que Fortaleza está passando por problemas hídricos, tendo apenas 5% de sua capacidade para o consumo humano. De acordo com o parlamentar, é preciso criar uma maior conscientização sobre o uso e consumo de água na Capital.

Idalmir iniciou sua fala afirmando que chegou a hora de todos os vereadores, independente de posição partidária, se unirem e realizarem uma audiência pública para falar sobre a situação hídrica de Fortaleza. O vereador ressaltou que embora a Prefeitura e o Governo do Estado estejam trabalhando em ações para evitar o desperdício de água, a população precisa também fazer a sua parte.

“Precisamos de uma audiência feita por todos os vereadores, para que a gente possa verificar e pensar sobre os rumos, diretrizes e previdências desta situação que enfrentamos”, disse.

(Agência Fortaleza / Foto: Divulgação)

Consumidor da Grande Fortaleza precisa reforçar economia de água, alerta a Cagece

Da Coluna Vertical, do O POVO desta terça-feira:

O presidente da Cagece, Neuri Freire, afirma que a situação de abastecimento d’água da Grande Fortaleza é das mais “delicadas” e que o Castanhão já não contribui mais nesse aspecto. “O Castanhão está abaixo de 3,8% de suas reservas. Nós estamos contando agora com o sistema Pacajus-Pacoti”, diz ele, apelando à população para que economize.

Neuri explica que, por conta do período de elevadas temperaturas, o consumo aumentou e se faz necessário a colaboração para que se evite racionamento. “Se a gente mantiver o nível de consumo em 10,8% de metros cúbicos por família, como vínhamos registrando, não virá racionamento”, garante ele , na expectativa de que, a partir de janeiro, as águas do rio São Francisco desemboquem no Cinturão das Águas (Cariri) para evitar o colapso.

Ou seja, o mantra tem que ser chuva, chuva e chuva.

Fortaleza será sede do VII Encontro Intercontinental sobre Natureza – O2

Fortaleza será sede, de 6 a 8 de novembro próximo, do VIII edição do Encontro Intercontinental sobre a Natureza – O2. O evento é uma realização do Instituto Hidroambiental Águas do Brasil (IHAB) e ocupará espaços no Centro de Eventos. O tema central é “Governança da Água e Segurança Hídrica para Usos Múltiplos”.

A conferência magna, que ocorrerá no dia 6, às 16 horas, será proferida por Oscar de Moraes Cordeiro Netto, professor da Universidade de Brasília (UNB), ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) e ex-presidente da Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH).

Na ocasião, Oscar de Moraes será condecorado como Embaixador O2 para a Natureza 2017. O secretário dos Recursos Hídricos do Estado, Francisco Teixeira, será o cicerone do encontro.

SERVIÇO

*As inscrições estão abertas e podem ser realizadas pelo site: http://www.ihab.org.br/o2017/

(Foto – Divulgação)

Domingos Neto pede celeridade a Geraldo Alckmin na liberação de bombas pró-transposição

Geraldo Alckmin, presidenciável do PSDB, e Domingos Neto.

O deputado federal Domingos Neto (PSD) esteve, nesta semana, em São Paulo, com o governador Geraldo Alckmin. Na pauta, o contexto político brasileiro e o projeto da transposição do Rio São Francisco. O parlamentar pediu a Alckmin que acelerasse o envio de equipamentos para o Eixo Norte, que, concluído, deverá abastecer a Região Metropolitana de Fortaleza. Esses equipamentos do governo paulista – bombas, foram utilizados nas obras do Eixo Leste.

Em fevereiro último, Alckmin emprestou ao Ministério da Integração Nacional as bombas do estado de São Paulo que eram utilizadas para fazer a captação do sistema Cantareira. São equipamentos que conseguem bombear 2 m³/s e permitem que a água chegue com muito mais rapidez ao destino final.

Os equipamentos foram transportados de São Paulo para Pernambuco, no Eixo Leste da integração.

(Foto – Divulgação)

PMDB debate a situação hídrica do Ceará no próximo sábado

Cerca de 80% da agricultura irrigada no Ceará sofre restrições com a seca, enquanto o potencial hídrico de Fortaleza caiu 20% nos últimos três anos.

A situação hídrica no Estado e as ações prioritárias para a proteção desse recurso natural são temas do encontro regional do PMDB, no próximo sábado (28), em Solonópole, no Sertão Cearense, a 281 quilômetros de Fortaleza.

O encontro terá à frente o presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, que ouvirá da população as principais demandas da região. Eunício destacou que o PMDB visitará todos os municípios do Ceará para escutar os cidadãos, conhecer suas demandas e viabilizar um entendimento para resolução.

Camilo discute com bispos o quadro hídrico do Estado

O governador Camilo Santana (PT) recebeu, nesta segunda-feira, no Palácio da Abolição, os membros da Regional Nordeste 1 da Conferência Nacional dos Bispos (CNBB) para debater acerca das ações e necessidades do Estado no âmbito da segurança hídrica. O encontro foi marcado por sugestões a partir das dioceses de municípios cearenses e apresentação do saldo de investimentos do Governo do Ceará na busca por mais alternativas de abastecimento d’água diante do quadro de seca dos últimos anos.

“Temos o convencimento de que um governo só existe com diálogo, com debate. Isso tem feito com que o Ceará se destaque e mantenha o equilíbrio no nível dos investimentos. Então este é um momento extremamente importante, fundamental para avançarmos em diversas questões. E um dos pontos que vem nos deixando sem o sono é a questão hídrica. Na história do Ceará nenhum período foi como esse. Por isso manifestamos aqui o compromisso do Estado em sempre buscar as melhores soluções para assegurar que não falte água para o povo cearense”, disse o governador.

As reuniões entre Camilo Santana e os bispos ocorrem semestralmente desde o início do mandato, sempre procurando discutir temas de relevância social para os quais a Igreja pode colaborar com a apresentação de projetos e demandas colhidas da população.

Arcebispo de Fortaleza, Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques destacou que as reuniões foram iniciativa do próprio governador. “Esse momento nasceu de forma muito especial. O governador pode sentir um pouco da nossa visão sobre os anseios e as necessidades do povo. A nossa intenção é ajudar e encontrar o bem comum. Agradeço ao governador por esse espaço para ouvir nossos pedidos para ajudar os mais necessitados no Ceará”, afirmou o arcebispo.

Presenças

No encontro, a presença doarcebispo de Fortaleza, dom José Antõnio, e dos bispos de dioceses de Tianguá, Itapipoca, Crateús, Juazeiro do Norte, Crato e Iguatu, além dos gestores estaduais: secretário-adjunto dos Recursos Hidrícos, Ramon Rodrigues, secretário do Desenvolvimento Agrário, Dedé Teixeira, secretária da Justiça e Cidadania, Socorro França, secretário-chefe da Casa Civil, Nelson Martins, chefe de Gabinete do Governador, Élcio Batista, o procurador-geral do Estado, Juvêncio Viana, dentre representantes de órgãos responsáveis pela infraestrutura hídrica e pelo desenvolvimento agrário estadual (Cagece, Cogerh, Ematerce e Idace).

(Foto – Divulgação)

Açudes cearenses acumulam menos de 10% de sua capacidade

Pela primeira vez em seis meses, o Ceará voltou a ter menos de 10% de água armazenada nos reservatórios monitorados. O último registro superior ao índice tinha sido em março. No entanto, a situação atual (9,8%) dos reservatórios — amenizada depois de uma quadra chuvosa em torno da média histórica — ainda é melhor que a de setembro do ano passado, época em que só havia, conforme o Portal Hidrológico do Ceará, 8,8% de água acumulada.

Mesmo assim, dois dos maiores e mais estratégicos açudes estaduais têm sofrido consecutivas baixas. No dia 27 de janeiro deste ano, o Castanhão armazenava somente 4,97% da capacidade; ontem, registrava 4,07%. Já o Orós, que, por nove meses (entre julho de 2016 e março de 2017), tomou o protagonismo do abastecimento da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) junto ao Castanhão, saiu de 12,37% em 27 de janeiro deste ano para 8,31% no relatório de ontem.

Cada vez mais seco, o Ceará contribui, assim, para posicionar o Nordeste como a pior região do Brasil em armazenamento de água para o sistema hidrelétrico. De acordo com banco de dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), atualizado na última segunda-feira, 25, o Nordeste tem somente 9,64% de água em razão da capacidade total, enquanto que Centro-Oeste tem 25,48%, Norte tem 35,7% e Sul tem 37,8%.

Bacias hidrográficas

De todas as bacias do Ceará, a que está com menos água atualmente é a dos Sertões de Crateús, que opera com 0,6% da capacidade. Em seguida, em pior situação, estão: Baixo Jaguaribe (1%), Banabuiú (2,9%), Médio Jaguaribe (3,7%) — onde está localizado o Castanhão — e Alto Jaguaribe (8,5%) — onde fica o Orós.

A região Norte do Estado, onde mais choveu neste ano, segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), é a que mais concentra água nos reservatórios.

A região hidrográfica mais abastecida é a de Coreaú (66,1%), seguida do Litoral (48%), da Metropolitana (24,9%), da Serra da Ibiapaba (24,3%), de Acaraú (21,7%), do Salgado (11,9%) e do Curu (11,5%).

(O POVO – Repórter Luana Severo/Foto – Fábio Lima)

Ao lado de Eunício, ministro assina ordem de serviço para construção de barragem em Crateús

Eunício ao lado do ministro Helder Barbalho (Integração Nacional).

O ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) assinou, nesta sexta-feira, em Crateús, ao lado do senador Eunício Oliveira (PMDB), e do diretor-geral do Dnocs, Ângelo Guerra, a ordem de serviço da barragem Lago de Fronteiras. O evento ocorreu no momento em que o governador Camilo Santana está sendo aguardado de giro de negócios pela China.

Para alguns, um “drible” no governador, que vinha cobrando que a União repassasse ao Ceará a prerrogativa das obras. Mas o secretário dos Recursos Hídricos do Estado, Francisco Teixeira, ali esteve no evento representando Camilo.

Eunício assumiu a Presidência da República – em decorrência de viagem de Temer – e assinou decreto destinando recursos para desapropriações necessárias para o início das obras. Tocada pelo Dnocs, a construção é orçada em R$ 294,4 milhões e está parada desde 2014, quando foi realizada licitação. Segundo o Ministério da Integração Nacional, a barragem terá capacidade de 488 milhões de m³ de água e deve beneficiar diretamente cerca de 200 mil pessoas.

Francisco Teixeira (SRH), Ângelo Guerra (Dnocs), o ministro e Eunício no evento.

(Foto – Leitor do Blog)

Ministério da Integração libera R$ 20 milhões para obras do Cinturão das Águas

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) conseguiu liberar, junto ao Ministério da Integração, nesta segunda-feira (18), recurso na ordem de R$ 20 milhões para execução da obra do Cinturão das Águas do Ceará (CAC).

O canal está sendo construído pelo Governo do Estado, com recursos alocados pelo Governo Federal e vai receber a água do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

Somente entre maio de 2016 e abril de 2017 o empreendimento obteve mais de R$ 244 milhões da União, valor 70% superior ao mesmo período do ano anterior – entre maio de 2015 e abril de 2016.

“Sempre que o Ceará e os cearenses precisarem do meu trabalho, seja através do governador, prefeitos e lideranças políticas do nosso Estado estarei ao lado deles, independentemente de cores partidárias. Esse é o meu papel”, afirmou Eunício.

(Foto: Divulgação)

Privatização da Cagece é tema de audiência pública conjunta da Assembleia e Câmara Municipal

Da Coluna Vertical, no O POVO desta quinta-feira (14):

Uma audiência pública conjunta da Assembleia Legislativa e Câmara Municipal de Fortaleza debaterá nesta sexta-feira (15), a partir das 14 horas, os impactos de uma possível privatização do saneamento no Ceará. O encontro vai contar com palestra do professor e pesquisador internacional José Esteban Castro, que apresentará dados das experiências de privatizações do saneamento no mundo.

Esteban, que visita Fortaleza a convite do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Ceara (Sindiagua), é doutor em Ciência Política pela Universidade de Oxford e coordenador da Rede Internacional Waterlat-Gobacit, dedicada à pesquisa e docência sobre política e gestão da água.

O presidente do Sindiagua, Jadson Sarto, será um dos debatedores. Governo do Estado, Prefeitura de Fortaleza, Cagece, Cogerh e movimentos sociais foram convidados para a audiência.

A audiência tem o deputado estadual Elmano Freitas (PT) e o vereador Acrísio Sena (PT) como requerentes. Chega no momento em que o Governo Temer criou o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

Na equipe de Camilo Santana, há quem defenda a privatização nesse setor. É o caso de Célio Fernando, que integra grupo consultivo da Seplag para concessão de ativos públicos.

Primeira estação de bombeamento do Eixo Norte da transposição do São Francisco será acionada nesta segunda-feira

O senador cearense Eunício Oliveira (PMDB), presidente do Congresso Nacional, participa nesta segunda-feira (11), a partir das 10h30min, do acionamento da primeira estação de bombeamento “EBI-1” do Eixo Norte do Projeto Integração do São Francisco, em Cabrobró, a 531 quilômetros de Recife. Eunício estará ao lado do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, que ainda visitarão as obras do Eixo Norte no município de Penaforte, no Sul do Ceará, a 545 quilômetros de Fortaleza.

Além de conseguir a liberação de R$ 516 milhões, junto ao Governo Federal, para a retomada das obras, o senador cearense também atuou na solução do impasse jurídico que emperrava os trabalhos no trecho que vai levar a água para o Ceará.

A expectativa é de que, quando concluído, o Eixo Norte da Transposição beneficie 7,1 milhões de pessoas de 223 cidades, incluindo a Região Metropolitana de Fortaleza. A previsão é de que a água do Rio São Francisco chegue ao Ceará no primeiro trimestre de 2018 e à capital do Estado até o fim do segundo trimestre.

De acordo com o Ministério da Integração Nacional, as etapas 2N e 3N estão com 99,5% e 98,40% de execução, respectivamente. A etapa 1N, que havia sido interrompida em decorrência da paralisação do serviço prestado pela empresa responsável pela obra, já foi licitada, retomada e está em pleno andamento com 92,47% de execução física.

(Foto: Divulgação)

SDA investe quase R$ 30 milhões em abastecimento de água e projetos produtivos

O secretário-chefe da Casa Civil, Nelson Martins, e o secretário do Desenvolvimento Agrário, Dedé Teixeira, assinam nessa segunda-feira (4) 13 contratos de execução do Projeto Paulo Freire no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU). Ao todo, estão sendo investidos R$ 29,8 milhões em assistência técnica e abastecimento d´água para 60 mil famílias em 600 comunidades do interior cearense.

O recurso é fruto de um acordo de empréstimo entre Fundo Internacional de Desenvolvimento da Agricultura (FIDA), órgão das Nações Unidas, com o Governo do Ceará (Acordo de Empréstimo nº I-882-BR/E-17-BR). Somente com ações de assistência técnica em projetos produtivos estão sendo investidos R$ 24,4 milhões.

Para ações de tratamento e abastecimento d´água o valor será de R$ 3,9 milhões, além de R$ 1,3 milhão para supervisão e mobilização social do projeto executado em 31 municípios cearenses.

Dentre as novidades do projeto Paulo Freire está a aquisição de cinco estações de tratamento d´água (dessalinizadores) de Israel para melhorar a qualidade da água no sertão cearense.

“(Além do abastecimento) Essas comunidades vão receber cursos, seminários e capacitações envolvendo mulheres e jovens que terão a meta de erradicar a pobreza e construir um plano de investimento próprio. Estamos investindo na vocação das pessoas e em suas capacidades”, informou o secretário Dedé Teixeira.

(Governo do Ceará)

Castanhão chega a menor volume de sua história

Maior açude público de usos múltiplos do Brasil, o Castanhão, no Ceará, se encontra no volume mais baixo de toda a sua história. Atualmente, o reservatório mantém 4,46% de toda a sua capacidade de 6,7 bilhões de metros cúbicos. Uma marca semelhante a essa só havia sido atingida em 2004, quando era recém-inaugurado e estava pegando os primeiros aportes de água.

Pelos cálculos da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado (Cogerh), essa quantidade de água deve ser suficiente para manter os usos do açude, que já estão reduzidos, até por volta de janeiro de 2018. Após essa data a situação será reavaliada considerando os prognósticos do período chuvoso do Ceará, que começa em fevereiro e se estende até maio. O volume total disponível atualmente é de 298,5 milhões de metros cúbicos. Desses, 75 milhões de metros cúbicos correspondem ao chamado volume morto.

O gigante cearense é um dos principais responsáveis pelo abastecimento da Região Metropolitana de Fortaleza, onde vive quase metade da população do estado. No entanto, hoje ele responde somente por 10% da água que chega às casas da capital. Cerca de 7 metros cúbicos por segundo viajam por 250 quilômetros, via Eixão das Águas, para complementar os outros 90%, que são oriundos de reservatórios localizados na própria região. Ano passado, a lógica era contrária: o Castanhão contribuía com 70% da água consumida na Grande Fortaleza.

“O Castanhão é o mais emblemático dos açudes do Ceará. Ele é o maior e teve aportes muito pequenos. Há seis anos que ele não recebe quantidade suficiente de água”, relata o diretor de planejamento da Cogerh, Ubirajara Patrício. Neste ano, quando o estado registrou precipitações dentro da média histórica, o reservatório captou 121 milhões de metros cúbicos, mas em 2016 o aporte foi de apenas 75 milhões de metros cúbicos.

A queda do volume do Castanhão vem desde 2012, quando começou o longo ciclo de seca no Ceará que permanece até hoje. Mesmo ficando dentro da média histórica, as precipitações da chamada quadra chuvosa (entre fevereiro e maio) ocorreram de forma irregular e localizada. Com isso, os maiores açudes do estado, Orós e Banabuiú, a exemplo do Castanhão, não conseguiram se recuperar das perdas acumuladas.

Poucas chuvas e evaporação são dois dos fatores climáticos mais sensíveis nos açudes do semiárido cearense. Por outro lado, os usos da água também afetam essa equação. “Em tese, o consumo de água é crescente. Há mais produção, mais áreas irrigadas, as cidades crescem. Buscamos alternativas para fazer o balanço entre oferta e demanda”, explica Patrício.

Os perímetros irrigados públicos de Jaguaribe-Apodi e de Tabuleiro de Russas, que usam as águas do Castanhão para suas atividades, estão com restrição de pelo menos 70% de água, segundo a Cogerh. Além disso, ainda conforme o órgão, não há nenhuma permissão para irrigação usando a água do açude no percurso do Eixão das Águas. Os criadouros de tilápia também foram drasticamente reduzidos. Com pouca água, há pouco oxigênio, o que inviabiliza a criação.

Com essas restrições, as águas do Castanhão atualmente abastecem oito cidades ao longo de um trecho de 100 quilômetros do rio Jaguaribe, que foi perenizado pela obra do açude, além dos municípios que ficam ao longo do Eixão das Águas e do antigo Canal do Trabalhador.

(Agência Brasil)

Camilo inaugura sistema de abastecimento de água em comunidades de Orós

O governador Camilo Santana inaugurou nessa sexta-feira (1º) o sistema de abastecimento de água de Orós, que beneficiará 616 famílias das comunidades de Santarém I e II. A obra está inserida no Programa Água Para Todos e recebeu investimento de R$ 1,07 milhão.

“Água é prioridade total em nosso governo. Por isso, é uma alegria muito grande proporcionar que tantas pessoas tenham água em suas casas. Antes não havia água encanada nas comunidades. Vamos cavar ainda quantos poços forem necessários para garantir o abastecimento das famílias de Orós”, afirmou Camilo, que anunciou ainda a construção de uma estrada no município.

(Foto: Divulgação)

Dnocs deve concluir recuperação da parede do Castanhão ainda neste mês

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) continua as obras de recuperação e modernização da Barragem Castanhão e, pelo ritmo mantido, a previsão de conclusão, segundo o órgão, é para o final deste mês de setembro.

Situada no município de Jaguaribara, a 250 Km de Fortaleza, o Castanhão passa por serviços como de vedação da trinca, que já foi concluída desde o início do mês de abril, recuperação das comportas, viga pescadora, ensecadeira, sistema hidráulico de acionamento das comportas, limpeza das superfícies, entre outros já finalizados.

Os demais reparos encontram-se em andamento, contabilizando aproximadamente 90% de execução de avanços físicos. Os avanços gerais da obra estão com 95% compatíveis com o cronograma estabelecido inicialmente.

No valor de aproximadamente 15,643 milhões de reais, as obras e serviços tem como objetivo a integração ao Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF), que irá transpor as águas do “Velho Chico” amenizando a escassez hídrica em todo o Estado do Ceará.

Com a capacidade de acumular 6,70 bilhões de m³ d’água, a barragem Castanhão foi construída para atende ao consumo humano residencial de até 3,30 milhões de pessoas entre o médio e baixo Jaguaribe, junto a Região Metropolitana de Fortaleza, além de proporcionar o controle de cheias, produção de pescado, irrigação, turismo e geração de energia elétrica. Hoje, por causa da seca, acumula menos de 5%.

(Foto – Arquivo)