Arquivos da categoria: Água

Rio Cocó ajudará a abastecer a Região Metropolitana de Fortaleza

O governo do Ceará vai retirar, a partir dos próximos meses, águas do rio Cocó para reduzir impactos da seca no abastecimento de Fortaleza. A informação foi confirmada neste sábado pelo secretário de Recursos Hídricos do Estado, Francisco Teixeira, e está incluída entre ações que buscam diversificar fontes locais e evitar o colapso de água na Capital.

Segundo Teixeira, as águas serão captadas a partir da vazão do Cocó na barragem construída ano passado no bairro Conjunto Palmeiras, em Fortaleza. A ideia, segundo o secretário, é usar uma vazão de até 300 litros por segundo durante os meses de maiores índices de precipitações.

“A Cagece está desenvolvendo um projeto para criar uma estrutura para a gente poder usar [essa água], nem que seja somente em alguns meses do ano”, diz Teixeira.

A barragem, construída com justificativa oficial de evitar alagamentos em comunidades ribeirinhas da região, tem capacidade de 6,4 milhões de metros cúbicos. “É pouca água, mas qualquer 200 litros [por segundo] que a gente tire, em algum período, já ajuda Fortaleza em um cenário de crise. Vai se somando às outras ações planejadas, o que diminui o risco”, diz.

Atualmente, atividade semelhante já ocorre no rio Maranguapinho, que tem parte das águas de cheia retirada para abastecer a população de Maranguape e o distrito industrial de Maracanaú. “A ideia agora é ampliar as ações de dessalinização, de reuso de água, concluir a transposição do São Francisco e buscar a diversificação das fontes locais”, explica Teixeira.

“A gente sempre trabalha com risco. Foi risco em 2015, foi risco em 2016, em 2017 e agora em 2018 também. É natural. O que a gente procura é instrumentos para reduzir o risco o máximo possível”, diz. “É pouca água, mas qualquer 200 litros [por segundo] que a gente tire, em algum período, já ajuda”

Neste fim de semana, Teixeira esteve reunido com o governador Camilo Santana (PT) e demais secretários estaduais para reuniões de Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários (Mapp). No encontro, gestores do Estado apresentaram prognósticos de recursos hídricos do Estado e estratégias para ligar com a seca prolongada.

Segundo ele, cobrança maior do governador veio para que a SRH e a Cagece acelerem a elaboração da planta de dessalinização da água marinha para a Região Metropolitana da Capital.

“Nós dividimos as ações em que a gente trabalha entre as de contingência, mais emergenciais, as mais estruturantes, de médio e longo prazo, e até um planejamento futuro, inclusive já pensando no plano Ceará 2050. O governador está muito tranquilo em acelerar algumas ações que podem ser concluídas no atual governo, e detectando uma ou outra mudança de rumo”.

Ele aproveita, no entanto, para “alfinetar” ritmo de obras da transposição do São Francisco, tocadas pela União no Ceará. “Foge da nossa governança o controle da obra de transposição, mas o governador acompanha e se reúne periodicamente com o ministro. Infelizmente a gente não pode obrigar a construtora, o Ministério, a terminar no prazo que queremos”.

(O POVO – Repórter Carlos Mazza)

Líder espiritual defende “nova revolução” contra crise hídrica mundial

A necessidade de uma aliança global pacífica pela conservação e uso consciente dos recursos hídricos foi um dos lemas da palestra do líder espiritual brasileiro Sri Prem Baba, na noite dessa quinta-feira (11), no evento Águas pela Paz – II Seminário Internacional Água e Transdisciplinaridade, evento preparatório para o 8º Fórum Mundial da Água, que ocorrerá em março, em Brasília. Segundo a organização, mais de 600 pessoas se reuniram para ouvir o idealizador do movimento global Awaken Love.

Para Sri Prem Baba, é necessário criar uma nova revolução para enfrentar a crise hídrica mundial. “Precisamos criar uma nova revolução, mas de consciência. Temos que conseguir superar crenças limitantes que tem nos feito reféns do sofrimento. Temos que ter essa coragem de reescrever o nosso destino. Estamos no clímax dessa revolução, sinto que daqui a pouco vamos olhar para trás e não vamos reconhecer esse nosso mundo”, disse.

O líder espiritual destacou que a água tem sido a precursora e mapeadora da jornada evolutiva do homem. Prem Baba ressaltou que sociedade sempre se organizou em torno dos rios, ou seja, das águas. No entanto, segundo ele, o desenvolvimento desordenado tem afastado a sociedade dos recursos hídricos.

“Fomos nos afastando das águas e a grande maioria da população só conhece a água da torneira para dentro e desconhece o percurso da água da fonte até que ela possa chegar em casa e isso criou uma desconexão com a água e buscamos encontrar soluções apenas técnicas”, ressaltou.

Para ele, é necessária a criação de uma aliança global pela conservação e uso consciente da água pelo planeta. “A água é a causa da vida e deve estar disponível para todos”, destacou.

(Agência Brasil)

Funasa lança nesta sexta-feira projeto para perfuração de poços no Ceará

A Fundação Nacional da Saúde (Funasa) lança nesta sexta feita (12), a partir das 8 horas, na CDL Quixadá, no Sertão do Ceará, o Projeto PerfurAÇÃO, que prevê a perfuração e a instalação de centenas de poços profundos em dezenas de municípios do Estado.

O projeto recebe o apoio político do presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (MDB-CE).

(Foto: Arquivo)

Esgotamento sanitário e uso indiscriminado dos recursos hídricos de Jijoca serão debatidos nesta quarta-feira

Problemas relacionados ao esgotamento sanitário e ao uso indiscriminado dos recursos hídricos do município de Jijoca de Jericoacoara serão levantados na tarde desta quarta-feira (10), a partir das 14 horas, no auditório da Agência Reguladora do Estado do Ceará (Arce).

Integrantes da Agência e representantes da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), do Ministério Público, da Secretaria das Cidades (Scidades), da Secretaria do Turismo (Setur), da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio) e da Prefeitura de Jijoca estarão presentes.

A iniciativa partiu do presidente do conselho diretor da Arce, Hélio Winston Leitão, que acatou sugestões apresentadas em encontro realizado em dezembro de 2017, no próprio município de Jericoacoara.

Segundo o dirigente da Arce, “os problemas relacionados ao município de Jericoacoara perpassam a competência das entidades relacionadas com o saneamento básico, envolvendo a necessidade de uma articulação interinstitucional”.

Nesse contexto, entre outros pontos, serão abordados: fiscalização das ligações de esgoto factíveis (tem a rede à disposição, mas não se interligam) e sem interligação (há ligação com caixa coletora, mas não há interligação alguma); fiscalização de poços irregulares; fiscalização das ligações não autorizadas à rede de esgoto; e investimentos em Jericoacoara no sistema de esgotamento sanitário.

(Arce / Foto: Arquivo)

Tema água precisa estar na agenda do cidadão comum, diz diretor do Fórum Mundial

Pela primeira vez, o Fórum Mundia da Água ocorrerá em um país do Hemisfério Sul. O potencial hidrográfico fez com que o Brasil fosse escolhido como sede. Para o diretor executivo do 8º Fórum Mundial da Água, Ricardo Andrade, um dos principais objetivos é chamar a atenção do cidadão comum.

“É fazer com que o tema água entre na agenda do dia a dia do cidadão. Não só do cidadão mobilizado, aquele que discute o tema da água, mas daquele cidadão comum, que acha que a água nasce na torneira, que para ter água limpa precisa de torneira limpa, que não tem a percepção da importância de cuidar bem da água”, destaca.

Andrade é diretor de Gestão da Agência Nacional de Águas (ANA) e um dos 50 profissionais responsáveis pela organização do Fórum Mundial da Água, que ocorrerá em Brasília entre os dias 18 e 23 de março.

Ele ressalta que a realização do fórum é um desafio. “Alguns falam que teremos 30 mil participantes. Outros dizem que pode ser até mais do que isso. Mas a nossa pretensão não é fazer o fórum com o maior número de participantes, mas um fórum que de fato transforme a discussão política sobre a água, que eleve nossa preocupação com o tema da água. Acho que esse poderá ser o principal legado do Fórum”.

(Agência Brasil)

No último dia de 2017, Governo do Ceará entrega adutora para garantir abastecimento em Caridade

Os mais de 5 mil moradores do distrito de Campos Belos, em Caridade, ganharam um presente de fim de ano neste domingo (31), último dia de 2017. O governador Camilo Santana inaugurou a adutora que garantirá o abastecimento d’água da comunidade. Com 19,6 quilômetros, o equipamento teve investimento de R$ 2,5 milhões do Governo do Ceará e captará água do Açude General Sampaio.

“Eu sei da luta de vocês para receber essa adutora. Hoje conseguimos realizar esse desejo de toda população de Campos Belos. É muito simbólico a gente encerrar o ano trabalhando e entregando um equipamento que vai garantir água para nossos irmãos cearenses. É uma alegria muito grande terminar 2017 dessa forma. Que a gente possa ter um ano de 2018 com muita paz, amor e muita chuva em todo o Ceará”, disse Camilo Santana.

A prefeita de Caridade, Amanda Lopes, agradeceu o empenho do Governo do Ceará por entregar o equipamento ainda em 2017. “Agradeço ao governador por conseguir trazer esse presente mesmo no Réveillon. Lutamos muito para que o distrito de Campos Belos tivesse água e hoje estamos conseguindo realizar esse sonho. Água é vida. Hoje é um dia de agradecer, já que a população de Campos Belos não precisa mais deixar a localidade por causa de falta d’água”, destacou Amanda Lopes.

A adutora tem tubulações de 150mm e 200mm em DeFoFo (conexões hidráulicas em PVC modificado) que conduzirá 13,88 litros por segundo, suficiente para abastecer toda a comunidade. A obra teve ainda a construção de uma Estação Elevatória e instalação de duas motobombas de 25CV cada. A intervenção contou com o apoio da Prefeitura de Caridade.

Campos Belos era atendido por uma Adutora Montagem Rápida (AMR), que captava água do Açude Desterro. Em decorrência da falta de chuvas na região, o abastecimento teve de ser interrompido. A adutora definitiva é uma medida do Governo do Ceará para solucionar o problema. A Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra) é a responsável pela obra.

O evento contou com as presenças do deputado federal Odorico Monteiro, dos deputados estaduais Walter Cavalcante, Lucilvio Girão e Audic Mota, dos secretários Nelson Martins (Casa Civil), Dedé Teixeira (Desenvolvimento Agrário) e Ramon Rodrigues (adjunto da SRH), além de prefeitos, vereadores e lideranças políticas da região.

(Governo do Ceará)

Boa Viagem assegura adutora, após convênio com Dnocs

A Prefeitura de Boa Viagem será a responsável pela execução da obra da adutora Madelena, após firmar esta semana um convênio com o Dnocs. O acordo foi intermediado pelo deputado federal Domingos Neto (PSD-CE), com articulação do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

“Isso representa agilidade. Desburocratizamos o processo para que a obra seja executada com mais rapidez e os moradores possam ter a água o mais rápido possível”, comentou Domingos Neto.

(Foto: Arquivo)

Ceará tem apenas 7,33% do volume total dos seus 155 açudes

Açude Castanhão em estado crítico.

O Ceará está com 7,33% do volume total nos 155 açudes. A situação é levemente melhor do que a de 2016, quando os reservatórios chegaram a 6,8% no mesmo período. Do total de açudes, 79,3% estão com volume abaixo de 30%. O aporte este ano foi de 1,4 milhões de metros cúbicos (m³), o dobro do ano anterior. Ainda assim, o Estado acumula 51 açudes em volume morto (quando a vazão de água é dificultada pelo baixo nível) e 21 secos. Os dados são do Portal Hidrológico da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Com 2,3% e 0,26%, as bacias do Banabuiú, no Sertão Central, e do Sertão de Crateús, respectivamente, são as que causam a maior preocupação para o ano vindouro, aponta o presidente da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), João Lúcio de Farias. “Se não tiver recarga (em 2018), nós vamos enfrentar mais dificuldade”, comentou. Perfuração de poços e adutoras são colocadas como ações governamentais para tentar sanar a situação.

Conforme o gestor, as bacias do Litoral (com 37,51%) e bacias ao Norte do Estado, como a bacia do Coreaú (com 52,14%), têm situação mais tranquila, porque tiveram boa recarga em 2017. “Os reservatórios que estão nessas bacias estão em condições de atender o próximo ano mesmo sem recarga. Um exemplo é o açude Gameleira que está com 69%, tendo condições de atender a cidade de Itapipoca”, informa. Sobral e Tauá estariam, de acordo com o presidente, em situações hídricas estáveis para 2018.

A espera agora é pelo prognóstico da Funceme para quadra chuvosa, que deve ser divulgado no próximo dia 20 de janeiro. Para João Lúcio, a esperança é que, mesmo irregulares, como historicamente são as precipitações no Ceará, as chuvas se concentrem em áreas de grandes reservatórios como o Castanhão (2,7%), Orós (6,2%) e Banabuiú (0,5%). Fortaleza e Região Metropolitana, que até julho tinham grande parte da água sendo fornecida pelo Castanhão e pelo Orós, conforme o presidente, têm alternativas já que a bacia Metropolitana (16,86%) está em área que recebe mais chuvas.

(O POVO – Repórter Domitila Andrade)

Cogerh reforça que consumidor deve economizar água

O governo estadual continua garantindo que não será necessário racionamento de água em 2018.

A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Ceará (Cogerh) informa que há reserva de água suficiente até agosto próximo.

Mas a ordem, alerta o órgão, é continuar economizando e olhar pro céu, na torcida por inverno.

Região Metropolitana de Fortaleza tem água até agosto de 2018

O abastecimento d’água da Grande Fortaleza está garantido até agosto de 2018, assegura o secretário dos Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira. Ele diz que há reservas suficientes até essa data, mas torce para que o inverno ocorra a partir de janeiro.

O nível em média de reservas dos açudes no Estado, hoje, é da ordem de 3%, com algumas regiões em situação crítica como o Vale Jaguaribano. Ele reforça apelos para que a população da RMF continue colaborando e economizando água. Ele não fala em racionamento.

Francisco Teixeira afirma que o Estado continua aguardando as obras da transposição do rio São Francisco, dentro de um cenário onde a primeira etapa do Cinturão das Águas – canal para receber essas águas, está praticamente concluído.

 

Juíza manda suspender obras que retiravam recursos hídricos em Caucaia

A juíza da 1a. Vara da Comarca de Caucaia, Maria Valdileny Franklin, concedeu nesta quarta-feira (13) a medida liminar para suspender de forma imediata as obras e as atividades relacionadas à retirada de recursos hídricos do Lagamar Cauípe e do aquífero das dunas.

A juíza sustou também todos os atos administrativos – licenças, autorizações e outorgas – que autorizavam essas obras.
Ela atendeu os pedidos feitos em Ação Popular, ajuizada por lideranças Anacé do território atingido pelas obras.

Adutora rompe e afeta abastecimento em Fortaleza

A Cagece informa, por meio de nota, que, na madrugada desta quarta-feira (13), houve um vazamento de grandes proporções no trecho da adutora de 1.200 mm que passa por dentro da Base Aérea de Fortaleza, ocasionando desabastecimento em alguns bairros da capital e baixa pressão em outros. Adianta que equipes da companhia estão trabalhando desde no local para garantir que a ocorrência seja sanada com a maior brevidade possível.

A previsão é de que o serviço seja concluído até as 20 horas de hoje, quando o abastecimento será retomado. Como o sistema funciona por pressão, estima-se que o equilíbrio total aconteça em até 24 horas após a conclusão dos serviços.

Confira os bairros afetados com falta de água:

Benfica, Fátima, Montese, Jardim América, Bom Futuro, Damas, Quintino Cunha, Parreão, Vila União, Aeroporto, Rodolfo Teófilo, Dias Macedo, Bela Vista, Renascer, Mata Galinha, Soares Moreno, Castelão, Aldeota, Pio XII, Lado do Jacarey, Comunidade do Dendê, Cocó, Centro, Dionísio Torres, Varjota, Meireles, Joaquim Távora, São João do Tauape, Alto da Balança, Aerolândia, José Bonifácio, Farias Brito, Guararapes, Salinas, Luciano Cavalcante, Jardim das Oliveiras, Parque Manibura, Cidade dos Funcionários, Cajazeiras, Cambeba, Moura Brasil, Jacarecanga, Edson Queiroz, Sabiaguaba

Confira os bairros afetados com baixa pressão:

São Gerardo, Carlito Pamplona, Colônia, Cristo Redentor, Amadeu Furtado, Vila Velha, Antônio Bezerra, Barra do Ceará, Pirambu, Presidente Kennedy, Floresta, Jardim Guanabara, Parquelândia, Jardim Iracema, Demócrito Rocha, Pici, Couto Fernandes, Parangaba, Henrique Jorge, Autran Nunes, Dom Lustosa, Jockey Clube, Panamericano, João XXIII, Barroso, Vincente Pinzón, Cais do Porto, Papicu, Cidade 2000, Dunas, Praia do Futuro, Mucuripe.

Camilo lança livro que aponta a relação do cearense com a água

O governador Camilo Santana (PT) lançou na noite desta terça-feira (12), no Palácio da Abolição, o livro “Caminho das Águas”, que apresenta a relação do cearense com a água.

A obra foi elaborada por cinco jornalistas, que percorreram todo o Estado. O livro serve como fonte de pesquisas e será distribuído gratuitamente em bibliotecas.

O “Caminho das Águas” recebeu o apoio da Caixa Econômica Federal e do Ministério da Cultura.

(Foto: Paulo MOska)

Ministro do STJ diz que sociedade deve acordar para o drama da crise hídrica no Brasil

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Herman Benjamin, disse na noite dessa sexta-feira (8), durante o Seminário Internacional sobre Direito da Água, no Tribunal de Justiça do Rio, que sociedade deve acordar para o drama da crise hídrica no Brasil.

“Os nossos rios estão morrendo e sofrendo com a diminuição de sua vazão. Há uma crise hídrica no Brasil e é importante que toda a sociedade acorde para o aspecto dramático dessa situação”, disse Benjamin, organizador do encontro preparatório para o 8º Fórum Mundial das Águas, que se realizará em março de 2018, em Brasília, que acontecerá pela primeira vez no Hemisfério Sul.

“É um momento importante para nós debatermos os nossos avanços, os nossos fracassos no que se refere à água. Quem imaginaria que faltaria água nas grandes cidades brasileiras, como São Paulo e Brasília?”, ressaltou.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, também participou do evento mas não falou com a imprensa, restringindo-se a discursar sobre o tema, no encerramento do encontro. Segundo ela, é necessário criar um instituto do Ministério Público para o meio ambiente. A procuradora-geral disse que o acesso à água faz parte dos direitos humanos fundamentais, o que ainda não está garantido nas leis dos países. “A água é um bem essencial à vida”, frisou Dodge.

(Com a Agência Brasil)

Dnocs debaterá projeto Lago de Fronteiras durante audiência pública em Crateús

A Câmara Municipal de Crateús realizará, nesta sexta-feira, uma audiência pública para debater o projeto Lago de Fronteiras. Nessa ocasião, o diretor-geral do Dnocs, o engenheiro Ângelo Guerra, falará sobre o projeto e atualizará as informações acerca das obras no município. Esse empreendimento é reivindicação antiga da população que o vê como a redenção de água e desenvolvimento para toda a região.

No exercício da Presidência da República, o senador Eunício Oliveira (PMDB) assinou decreto determinando ao Dnocs a realização de todos os procedimentos necessários para a construção da barragem Lago de Fronteiras, que deve beneficiar mais de 74 mil pessoas segundo estimativa do IBGE.

Ainda de acordo com Ângelo Guerra, diretor-geral, a água também será utilizada para a irrigação de aproximadamente cinco mil hectares de produção agrícola.

(Foto – Paulo MOska)

Comunidades do Cauípe acampam em disputa por água

Varias famílias da localidade de Coqueiro e outras comunidades de Caucaia ocuparam o canteiro da obra que quer levar água do Lagamar do Cauípe para as indústrias do Complexo industrial e Portuário do Pecém. Barracas foram montadas e o grupo promete resistir, pois defende a água para o consumo da população local.

A Companhai de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado (Cogerh) admite fazer uma reunião, nesta sexta-feira, para tratar do assunto.

Já as comunidades do Cauípe marcaram para as 16h30min, na localidade de Coqueiro, uma assembleia geral para avaliar a luta.

(Foto – Leitor do Blog)

Gestão das águas nas regiões Norte e Nordeste é tema de audiência pública

A obra da Transposição do São Francisco, considerada lenta, entre pontos do debate.

A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) tem audiência pública na quarta-feira (29). Na pauta, a segurança hídrica e a gestão das águas nas regiões Norte e Nordeste. O requerimento é dos senadores Fátima Bezerra (PT-RN), Lídice da Mata (PSB-BA) e Humberto Costa (PT-PE).

Foram convidados para o debate o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e os dirigentes da Agência Nacional de Águas, do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e da Companhia Hidroelétrica do São Francisco.

Também devem participar da audiência pública representantes da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba; do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais; do Instituto de Estudos Avançados; do Instituto de Mudanças Climáticas; do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos; do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco; da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental; e das universidades do Acre, da Bahia, de Brasília e de São Paulo.

(Agência Senado)

Sertão Central ganhará Areninha e sistema de abastecimento de água

Mais uma Areninha será implantada no Ceará. O município de Quixadá, no Sertão Central, foi contemplado com o projeto do Governo do Ceará, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS). Nesse sábado (25), o governador Camilo Santana foi representado pelo secretário Nelson Martins, chefe da Casa Civil, na solenidade de assinatura da ordem de serviço.

Para a conclusão da Areninha serão necessários quatro meses de obras, com recursos da ordem de R$ 1.544.643,86 investidos em sua construção, sendo 80% do Estado e 20% oriundos do município. O equipamento esportivo contará com gramado sintético, banco de reserva, alambrados, redes de proteção, vestiários, depósitos para materiais esportivos, iluminação, rampa de acesso para cadeirantes, paisagismo e pavimentação.

Segundo o secretário Nelson Martins, a obra faz parte de um conjunto de 40 Areninhas que o governador licitou e que já se encontra em ordem de serviço. “É uma forma de incentivar o esporte, como uma das formas de combater a violência e a insegurança”, atentou.

Presente à solenidade, o secretário do Esporte, Euler Barbosa, pontuou a política de disseminação do esporte do Governo do Ceará, tomando Quixadá como exemplo. “Estamos aqui, fazendo a ordem de serviço da quinta Areninha. É significativo, porque temos outras obras acontecendo aqui em Quixadá, como quadras esportivas, um campo de futebol vinculado à Policia Militar e a gente vai procurar fortalecer a questão do esporte, principalmente através dessas parcerias com as prefeituras”, defendeu.

Em seu discurso, o prefeito Ilário Marques falou sobre a parceria entre o Estado e os municípios. “Estamos em uma política de promoção em larga escala do esporte mais popular do país. As cidades do interior passam a ter acesso àquilo que já havia sido implantado na capital, que são essas Areninhas”, disse.

A representante do secretário Josbertini Clementino, da STDS, Fátima Lourenço, coordenadora estadual do Programa de Apoio às Reformas Sociais (Proares III), falou sobre a importância de um equipamento como a Areninha para a cidade. “Esse centro de esporte traz um benefício imediato, porque, além do esporte, ele pode ser usado para congregar outros segmentos e atividades da comunidade”, disse.

Nelson Martins também assinou uma ordem de serviço do sistema de abastecimento de água em Quixeramobim, na localidade de Aroeira, e visitou a localidade de Barrocas / Onça, onde está sendo implantado o sistema que beneficia 245 famílias. O sistema, que está com 40% das obras executadas, a partir de investimento de R$ 1.673.118,22.

(Governo do Ceará)

Obras no aquífero Dunas/Cumbuco serão debatidas em audiência pública na Assembleia Legislativa

O licenciamento das obras dos poços horizontais no Lagamar do Cauipe, que vão abastecer o Complexo Industrial do Pecém, em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), prejudicando as comunidades da região, constitui uma “grave e brutal” ilegalidade. É o que diz o deputado estadual Renato Roseno (PSOL). Para ele, o Ceará vive hoje uma verdadeira guerra pela água, que tenderá a se acirrar ainda mais por conta da prioridade que o governo estadual, na gestão Camilo Santana (PT) e nas anteriores, vem dando aos grandes empreendimentos em detrimento do abastecimento humano.

Para discutir a situação do manancial – e do aquífero Dunas/Cumbuco de uma forma geral, também ameaçado pelas obras do governo, Renato requereu a realização de uma audiência pública para esta sexta-feira,24, às 14 horas, no Complexo de Comissões da Assembleia Legislativa.

“O Lagamar do Cauipe constitui uma Área de Preservação Ambiental. Além disso, o processo de licenciamento das obras considerou tão somente o município de São Gonçalo do Amarante, enquanto a prefeitura de Caucaia, onde se localiza a APA estadual do Cauipe, não deu anuência às obras por conta dos impactos da extração de água”, afirma Renato. “Não bastasse tudo isso, o projeto também fere a legislação estadual, que estabelece que a prioridade para o uso da água será o consumo humano”.

A Obra

A Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh) está construindo 46 poços na área do Cauipe para extração das águas do lagamar e do aquífero Dunas/ Cumbuco. A ideia é garantir a segurança hídrica das indústrias estabelecidas no Complexo do Pecém, numa vazão estimada de 200 litros por segundo.

As comunidades locais estão se manifestando contra as obras porque a extração de água do local prejudica as atividades econômicas e a própria sobrevivência daquelas populações. O governo, entretanto, tem acionado a tropa de choque a Polícia Militar para não apenas reprimir as manifestações, mas para impedir o acesso dos moradores à área.

Castanhão atinge volume morto

O volume de água no Açude do Castanhão, no Ceará, responsável pelo abastecimento de água da Região Metropolitana de Fortaleza, onde vive quase metade da população do Estado, atingiu o seu volume morto, quando o nível da água fica abaixo da captação normal. O reservatório tem capacidade para acumular 6,7 bilhões de metros cúbicos de água

ág

 

Até bem pouco tempo, ajudava a abastecer a Grande Fortaleza.

De acordo com o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), órgão responsável pela administração do açude, o volume morto foi alcançado no último dia 13. Nesse dia, “o Castanhão atingiu cota de 68,73, que corresponde ao volume de 228.599.505 metros cúbicos, abaixo da cota 71, que corresponde ao início de seu volume morto”, informou o Dnocs.

A redução do nível de água do Castanhão é consequência de seis anos de seca na região que fez com que diminuísse a vazão da Bacia Hidrográfica do Rio Jaguaribe. Este ciclo de estiagem atingiu também outros açudes do estado, entre eles, Orós e Banabuiú.

As águas do Castanhão abastecem também oito cidades ao longo de um trecho de 100 quilômetros do Jaguaribe, que foi perenizado pela obra do açude, além dos municípios que ficam ao longo do Eixão das Águas e do antigo Canal do Trabalhador.

Segundo dados do Ministério da Integração Nacional, o Castanhão é o maior reservatório público do país para múltiplos usos. Concluído em 2003, sua barragem fica localizada no município de Alto Santo e constitui importante reserva estratégica de água. É utilizado para irrigação, abastecimento urbano, piscicultura e regularização da vazão do Rio Jaguaribe.

(Agência Brasil)