Arquivos da categoria: Brasil

As abelhas e a morte por néctar envenenado por agrotóxicos

Com o título “Afasta de mim esse cálice”, eis artigo do professor e pesquisador Jeovah Meireles, que pode ser conferido no O POVO desta segunda-feira. Jeovah aborda uma possível causa da morte de abelhas pelo néctar envenenado por agrotóxicos. Confira:

As abelhas, em risco de extinção no nosso planeta, estão encontrando no cálice das flores o néctar e os “defensivos agrícolas”. Bebem. E morrem. É veneno?

Há variados tipos de agrotóxicos para matar organismos que dão vida ao solo e que sustentam a biodiversidade. Além das diversificadas formas de contaminar as pessoas, as pulverizações com venenos especializados em matar o mato (e o solo), também afetam populações camponesas e consumidores. No pacote agrobiotecnológico liderado pelos “venenos” estão verdadeiros atentados à vida como, por exemplo, a tentativa de liberar as sementes geneticamente modificadas denominadas de terminator ou sementes suicidas (são estéreis).

Uma possível causa da morte das abelhas é o néctar envenenado por agrotóxicos.

No contexto dos maiores mercados consumidores de agrotóxicos do mundo, pesquisadores brasileiros encontraram princípios ativos de venenos lançados por avião nas caixas-d’água de residências no campo, nos canais de água doce, na corrente sanguínea dos trabalhadores (com alterações cromossômicas) e no leite materno das mulheres camponesas. E não sabemos com segurança o volume de agrotóxicos comercializado por cultura e por município.

Ainda assim, com as evidências científicas e ao revelar dados para a sustentabilidade no campo e para a saúde pública, do Relatório Nacional de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos elaborado pela Ministério da Saúde, o pesquisador da Fiocruz no Ceará, Fernando Ferreira Carneiro, foi interpelado judicialmente pela Federação da Agricultura do Estado do Ceará (FAEC). A ameaça de criminalização em curso inclui questões como Fernando ter usado a palavra veneno para expressar os problemas dos “defensivos agrícolas” (expressão exigida pela FAEC).

Ora, veneno é rótulo dos agrotóxicos, e deve ser acompanhado do símbolo da caveira nas embalagens por lei.

As pesquisas que tratam de revelar os malefícios dos agrotóxicos e das sementes transgênicas, o direito à alimentação adequada e segura, em tempos de proliferação de inúmeros casos de censura e intimidação – “tanta mentira, tanta força bruta” –, estão sendo submetidas a tentativas perversas de “tragar a dor, engolir a labuta” dos pesquisadores. Exigimos “outra realidade menos morta”, não cálice contaminado.

*Jeovah Meireles

jeovahmeireles@gmail.com

Professor Dr. da Universidade Federal do Ceará (UFC). Pesquisador do CNPq.

Atividade econômica do País cresceu 0,49% em novembro

O nível de atividade econômica no país continuou a registrar crescimento no mês de novembro, segundo dados divulgados hoje (15) pelo Banco Central (BC). Os números mostram que o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) apresentou alta de 0,49%. Esse foi o terceiro mês seguido de alta do indicador. Em outubro, a alta foi de 0,37% (revisada de 0,29%) e, em setembro, de 0,29% (revisada de 0,27%).

Na comparação com novembro de 2016, houve crescimento de 2,82% nos dados sem ajustes, pois a comparação é feita entre períodos iguais. Em 12 meses, encerrados em novembro, o indicador teve expansão de 0,68% sem o ajuste sazonal. No ano, até novembro, houve crescimento de 0,97% também sem ajustes.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o Banco Central a tomar decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic. O índice inclui informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Mas o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

(Agência Brasil)

TRF-4 cria “cortina de fumaça” ao abordar segurança no julgamento de Lula, diz Gleisi Hoffmann

Gleisi quando visitou Fortaleza no segundo semestre de 2017.

“O presidente do TRF-4 muda o foco e cria uma cortina de fumaça para fugir da questão central: não há provas para condenar Lula”.

A frase é da senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, sobre a conversa entre o desembargador e a presidente do STF, Cármen Lúcia, acerca da segurança no julgamento do petista.

(Foto – Paulo MOska)

Estágio 2018 – Amazon, Scania, LG e outras grandes empresas abrem processo seletivo

A Companhia de Estágios abriu processo seletivo para mais de 270 vagas de estágio em grandes empresas em todo o Brasil. Podem se candidatar estudantes do ensino técnico e superior das mais diversas áreas do conhecimento. Há vagas em diversas regiões do país, especialmente em cidades como São Paulo, Suzano, Campinas, São Bernardo do Campo e Jundiaí. Os contratados receberão bolsa auxílio no valor de até R$2.226,00 mais benefícios, dependendo da empresa e do perfil do candidato.

Podem se candidatar alunos dos mais variados cursos, com destaque para Administração; Comex; Contábeis; Ciências da Computação; Engenharias, Direito; Economia; Sistemas de Informação; Marketing; Publicidade e Propaganda e Jornalismo. As oportunidades abrangem grandes empresas do setor tecnológico, farmacêutico, químico e industrial.

Os interessados devem se inscrever no site da recrutadora www.ciadeestagios.com.br, dentro dos prazos descritos abaixo.

*Amazon – Estágio

Salário: R$1.900,00 + Benefícios.
Inscrições: até 10/02/2018 pelo site da Companhia de Estágios www.ciadeestagios.com.br

*BASF – Estágio Corporativo

Salário: R$1.521,00 a R$2.226,00 + Benefícios (VR/ VR/ Seguro de vida/ Assistência Médica e odontológica).
Inscrições: até 10/02/2018 pelo site da www.ciadeestagios.com.br/basf

*Scania – Estágio

Salário: Compatível com mercado + Benefícios
Inscrições: até 10 de fevereiro pelo site www.ciadeestagios.com.br/scania

*Sanofi – Estágio

Salário: Compatível com mercado + Benefícios
Inscrições: até 10/02/2018 pelo site da Companhia de Estágios www.ciadeestagios.com.br

*Henkel – Estágio

Salário: R$ 1.700,00 + Benefícios
Inscrições: até 10/02/2018 pelo site da Companhia de Estágios www.ciadeestagios.com.br/henkel

*LG – Estágio

Salário: R$ 1.200,00 a R$ 1.760,00 + Benefícios
Inscrições: até 10/02/2018 pelo site da Companhia de Estágios www.ciadeestagios.com.br/lg

(Fonte – Companhia de Estágios | PPM Human Resources)

Quando a intolerância supera fronteiras

Com o título “Mundo despedaçado”, eis artigo do professor universitário e arquiteto Romeu Duarte. Ele aborda a intolerância presente, de vários ângulos, entre nós. Confira:

E a semana que passou foi marcada por uma característica que mais e mais define as sociedades em todo o mundo: a intolerância. Detentora de vários sinônimos que vão da ausência completa de complacência à repressão face ao que é diferente, a danada se estende, como um odiento lençol, da política à religião, cobrindo as relações de gênero e demais aspectos de uma cultura cada vez mais global e cosmopolita. Demarcar rigidamente seu próprio espaço e reprimir quem se atrever a penetrá-lo é a norma que rege a fragmentação do planeta, ampliando para muito além a visão sartreana de que o inferno são os outros. Territórios cercados, portas fechadas, semblantes carrancudos, faróis desligados e capacetes retirados. Estamos interligados e distantes, fina ironia…

Depois da briga ridícula com seu congênere asiático, o koala coreano do norte, por causa de uns botões, na base de que “o meu é maior e mais potente do que o seu”, o presidente babaca da nação mais poderosa da Terra, ao assistir as duas Coréias conversando e se entendendo numa boa, resolveu criar mais um factóide. “Por que só vem para cá gente desses países de merda?”, rugiu o panacão, desancando os imigrantes do Haiti, El Salvador e de alguns países árabes. A arenga foi repudiada até pela Noruega, nação considerada “civilized” pelo abestado. É bom lembrá-lo que Osama Bin-Laden nasceu em um desses locais considerados “shit” por ele. Quem também se enquadra nesta categoria são os negros norte-americanos, trazidos à força aos EUA para servir e divertir.

Como se isso não fora bastante, estourou qual uma bomba, no meio feminista, a pendenga Oprah Winfrey x Catherine Deneuve. A primeira, vestida em negro num tom j’accuse, desancou os praticantes de abusos sexuais em Hollywood, aproveitando para também lançar, sutilmente, sua candidatura a presidente na cerimônia do Globo de Ouro. No outro lado do Atlântico, a eterna Belle de Jour, num manifesto assinado por várias intelectuais, manteve o tom duro contra as agressões masculinas, mas defendeu o chamego entre homem e mulher. Por aqui, a coisa ferveu e ainda ferve. Até a Danuza Leão meteu a sua enrugada colher no assunto. Eu, por mim, fico com a Leila Diniz: “Cafuné na cabeça eu quero até de macaco, malandro”. Afinal, galanteio não é atentado, ao contrário.

Aliás, a musa da liberação feminina no Brasil, pitando seu cigarrinho celestial e de biquíni na Praia de Alfa Centauro, deve estar dando sonoras gargalhadas dessa besteirada toda. E teve mais, muito mais. Teve o Marcelo Freixo pedindo respeito ao comportamento de certa esquerda Cabo Anselmo em 2013. Teve o surgimento de blocos de Pré-Carnaval no seio de blocos de Pré-Carnaval, em rachas mominos cult-bacaninhas. Teve a proposta da Prefeitura de transformar a Loura numa cidade competitiva e, para tanto, facilitadora de negócios, o que poderá gerar um forte processo de gentrificação urbana. Isso sem que se fale da habitual canalhice da política nacional, de olho no dia 24. Enquanto isso, o cadáver insepulto de Stephani continua na garupa da moto do seu assassino…

*Romeu Duarte,

Professor universitário e arquiteto.

Governo fará material didático sobre reforma da Previdência para distribuir em cadeia de varejo

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, propôs ao colega Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) que o governo elabore um material didático sobre a reforma da Previdência para ser distribuído em toda a cadeia de varejo do país.

A informação é da Coluna Painel, da Folha de São Paulo desta segunda-feira, adiantando que Moreira topou.

A ideia é que o material fique disponível em grandes redes de farmácias e supermercados, por exemplo, e explique à população de forma clara a necessidade das mudanças nas regras de aposentadoria. Baldy procurará entidades do setor para pedir apoio na divulgação.

Chico Lopes alerta consumidor para lei que combate itens abusivos do material escolar

Membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados, Chico Lopes (PCdoB) alerta o consumidor que está às voltas com a compra de material escolar, neste começo de ano. Ele lembra que há uma lei específica, de sua autoria, proibindo as escolas de exigirem itens abusivos. Trata-se da lei federal 12.886/13.

Nessa proibição de inclusão na lista de material escolar do aluno entram itens de uso coletivo como papel higiênico, detergente, álcool, copos e talheres descartáveis, grandes quantidades de papel, tinta para impressoras, grampeador, grampos e pastas classificadoras.

“No geral, itens que sejam de uso coletivo, e não de uso individual do aluno, são considerados abusivos e não devem ser comprados pelos pais”, destaca Chico Lopes (PCdoB). Ele parabeniza o Procon Fortaleza pelo trabalho de fiscalização que realiza no que diz respeito às listas de material emitidas por diversas escolas.

DETALHE – Pesquisa feita pelo Procon Fortaleza revelou uma diferença de mais de 600% em alguns itens de material escolar.

PIS/Pasep – Abono salarial pagou mais de R$ 16 bi para beneficiários de todo o País

Um total de 22,9 milhões de pessoas sacou o Abono Salarial ano-base 2015. Esse número equivale a 94,36% de trabalhadores com direito ao benefício no país, informa o site do Ministério do Trabalho. O prazo para retirar o dinheiro se encerrou em 28 de dezembro de 2017, após prorrogação do período.

O secretário-executivo do Ministério do Trabalho, Helton Yomura, lembra que o abono é um recurso importante para o trabalhador. “Esse dinheiro é um direito dos trabalhadores. Por isso, o governo se esforçou para fazer com que ele chegasse até eles em um momento de recuperação da economia”, afirma.

Cada trabalhador recebeu entre R$ 79 a R$ 937, dependendo do tempo trabalhado formalmente em 2015. No total, foram pagos mais de R$ 16 bilhões para beneficiários de todo o Brasil.

O Nordeste foi a região com maior taxa de cobertura. O percentual de trabalhadores com direito ao Abono Salarial que sacaram o beneficio chegou a 97,13%. No Piauí, por exemplo, a taxa de cobertura foi de 99,42%, a melhor do país. A região com menor desempenho foi o Centro-Oeste, onde 92,20% do total de beneficiários sacaram o dinheiro. O Distrito Federal teve o menor percentual, 86,62%.

Os recursos que não foram sacados até 28 de dezembro voltaram para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). O FAT é mantido com contribuição das empresas e seus recursos são destinados para pagamentos de Abono Salarial e Seguro-Desemprego.

Fernando Haddad é indiciado por recebimento de Caixa 2

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), foi indiciado pela Polícia Federal em São Paulo pelo crime de falsidade ideológica eleitoral – mais conhecido como caixa 2. A informação é do Portal G1. Além de Haddad, outras seis pessoas foram indiciadas: o ex-tesoureiro de campanha do PT João Vaccari Neto, o coordenador da campanha de Haddad à Prefeitura de São Paulo, Chico Macena, o ex-deputado petista Francisco Carlos de Souza e três pessoas ligadas a uma gráfica que prestou serviços para a campanha eleitoral da Haddad, em 2012.

O inquérito, segundo a PF, é um desdobramento da Operação Lava Jato. A investigação começou depois que o Supremo Tribunal Federal homologou a delação premiada do empresário Ricardo Pessoa, sócio da empreiteira UTC, um dos envolvidos no escândalo de corrupção da Petrobras.

Ricardo Pessoa disse que, após as eleições de 2012, foi procurado por João Vaccari Neto, então tesoureiro do PT. Vaccari teria pedido que o empresário pagasse uma despesa com a gráfica de um homem chamado Chicão, no valor de R$ 3 milhões.

O ex-diretor Financeiro da UTC, Walmir Pinheiro, contou em depoimento que tentou negociar com Chicão um parcelamento do valor, mas que ele não aceitou. A solução foi um desconto para o pagamento à vista — no total, R$ 2,6 milhões. Nenhum dos delatores sabiam dizer ao certo quem era essa pessoa com o apelido de Chicão.

Dois detalhes foram fundamentais para que os policiais chegassem à identidade dele: um número de telefone, fornecido pelo doleiro Alberto Youssef, e um reconhecimento por foto.

Só então a Polícia Federal teve certeza de que Chicão era o ex-deputado estadual pelo PT Francisco Carlos de Souza. Os delatores da UTC entregaram imagens de dele chegando na construtora para pegar o dinheiro. A investigação aponta que a ex-mulher de Francisco, Zuleica Lopes Maranhão de Souza, e um irmão dele, Gilberto Queiroz de Souza, eram donos ou tinham ligação com as gráficas.

DETALHE – Procurada, a assessoria de imprensa do ex-prefeito Fernando Haddad ainda não se manifestou. O G1 aguarda um posicionamento dos demais citados na reportagem.

(Foto – Agência Brasil)

João Doria volta a subir nas pesquisas

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), tem em mãos duas pesquisas que o deixaram animado, informa a Coluna Radar, da Veja. A primeira é um tracking de sua administração.

Depois das últimas quedas, sua aprovação voltou a subir. A segunda diz que o paulistano não ficará chateado se ele deixar a prefeitura para tentar o governo do estado.

Na visão do eleitor da capital, “é tudo São Paulo” mesmo.

Se for viajar para áreas com febre amarela, não se esqueça de se vacinar

Com comprovantes de viagens em mãos, muitas pessoas procuraram, na última semana, vacina contra a febre amarela no Posto de Saúde Paulo Marcelo, no Centro de Fortaleza. Na fila, gente que deve viajar para cidades brasileiras afetadas pelo surto da doença.

Para receber a imunização, é necessário comprovar o destino. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) recebeu cerca de duas mil doses da vacina. A recomendação é que elas sejam aplicadas somente em quem se deslocará para os estados afetados.

A secretaria municipal da saúde recebeu cerca de duas mil doses da vacina. A recomendação é que elas sejam aplicadas somente em quem se deslocará para os estados afetados”

Em todo o País, 19 das 26 unidades da federação apresentam surto e, portanto, recomendação de vacina (veja Saiba mais). Dos nove estados do Nordeste, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Sergipe são os únicos a não apresentar epidemia de febre amarela.

A assistente financeira Kevilane Matos, 28, vai para São Paulo no início de fevereiro e, prevenida, foi tomar a dose da vacina com um prazo ainda maior que o recomendado, que é de dez dias antes da viagem. “É melhor a gente se cuidar, porque pode trazer a doença para o Estado”, acredita.

Fortaleza conta com 109 postos de saúde e um anexo. Todos funcionam de segunda a sexta, das 7 às 19 horas. A sala de imunização começa as atividades às 7h30min e termina às 18h30min, com o tempo necessário de 30 minutos para estabilizar a temperatura da geladeira antes da aplicação e/ou armazenamento das vacinas. Mais de 20 tipos de vacina são disponibilizados pela Prefeitura.

Calendário de vacina

A segunda dose da vacina contra a varicela ou catapora passa a estar presente no calendário nacional de vacinação a partir deste ano. Antes aplicada em dose única, aos 15 meses de vida, a imunização foi dividida em duas etapas: a primeira dose aos 15 meses e um reforço aplicado entre 4 e 6 anos.

“A mudança vem para corrigir falhas vacinais da primeira dose. Em algumas pessoas, a vacina promove um tipo de imunidade e, em outras pode conferir uma imunidade menor. Como não é possível realizar a sorologia (exame para constatar o nível de imunidade), a segunda dose vem como garantia”, explica Vanessa Soldatelli, coordenadora de Imunização da SMS.

Outra mudança é que a vacina meningocócica C, contra a meningite, agora passa a ser disponibilizada também para adolescentes de 11 a 14 anos de idade.

Para Soldatelli, as mudanças impactam positivamente na proteção de crianças e adolescentes. “As orientações do Ministério da Saúde têm como base conhecimentos técnico-científicos com o propósito de ampliar o acesso e a proteção dos grupos etários contemplados. A segunda dose da varicela vem reforçar o esquema já praticado, enquanto que na meningocócica teremos uma ampliação do público-alvo”, informa.

Áreas de risco – Febre amarela no Brasil em 2018

Norte – Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins
Nordeste -Bahia, Maranhão e Piauí

Centro-Oeste – Goiás (incluindo o Distrito Federal), Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Sudeste – Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo

Sul – Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina

*Fonte – Ministério da Saúde.

(POVO – Repórter Angélica Feitosa)

Suplentes de congressistas recebem até R$ 67 mil para despesas

Um benefício concedido pelo Congresso a novos parlamentares permitiu que suplentes recebessem até cerca de 70.000 reais por menos de uma semana de trabalho. A verba, descrita como “ajuda de custo”, é concedida no início e no fim do mandato. Na atual legislatura, que começou em 2015, a Câmara e o Senado gastaram em torno de 3 milhões de reais com esse tipo de despesa. A informação é da Veja Online.

Segundo as normas legislativas, a ajuda, equivalente a um salário integral do congressista (atualmente no valor de 33.700 reais), deve ser “destinada a compensar as despesas com mudança e transporte” dos parlamentares, independentemente do tempo de duração do mandato. Pela regra, um suplente só deve ser convocado se a previsão de afastamento do titular for superior a quatro meses.

Nos últimos três anos, foram setenta mudanças na Câmara, que gastou pelo menos 2,2 milhões de reais com as trocas, e outras dezenove no Senado, ao custo de mais de 944.400 reais. Além disso, ao assumir o cargo os suplentes passam a ter direito a outros benefícios, como ressarcimento de despesas médicas e odontológicas, auxílio-moradia e verba indenizatória.

Brevidade

Em ao menos dois casos, os suplentes receberam a ajuda de custo, mas não ficaram uma semana no cargo. Em maio de 2016, por exemplo, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) se afastou do mandato para assumir o comando do Ministério do Planejamento. Em seu lugar, tomou posse Wirlande da Luz (PMDB-RR). Uma semana depois, a divulgação de gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro, Sergio Machado, colocou Jucá no centro de um escândalo, e ele renunciou ao cargo de ministro. Apesar da troca ter durado seis dias, o suplente recebeu 67.526 reais.

Outro caso é o do suplente Gilberto Piselo (PDT-RO), que também sentou na cadeira de senador por apenas seis dias. Ele entrou na vaga de Acir Gurgacz (PDT-RO), em 2016, e em seguida também pediu licença para resolver assuntos particulares. Na breve passagem pelo Senado, fez dois discursos, mas não teve tempo para tirar a foto oficial como parlamentar. Mesmo assim recebeu 33.763 reais pelo período em que ficou no cargo e mais 10.128 reais como salário proporcional.

Além disso, Piselo recebe, por meio da cota parlamentar, de cinco a seis mil reais por mês de Gurgacz, há sete anos, pela locação de uma sala comercial em Rondônia, onde funciona o escritório de apoio do atual senador. No total, Gurgacz já repassou mais de 500.000 para seu suplente com dinheiro do Senado desde 2010.

Procurada, a assessoria de imprensa de Gurgacz afirmou que o contrato do aluguel do imóvel que funciona como escritório de apoio do parlamentar em Ji-Paraná (RO) foi firmado em 2010, no primeiro mandato do senador, quando Piselo não era o suplente. “Portanto, não há nenhuma irregularidade nem ilegalidade no contrato”, diz a nota.

Após o pedido de licença de Piselo, em 2016, assumiu a vaga o segundo suplente da chapa de Gurgacz, pastor Sebastião Valadares (PDT-RO), ligado à igreja Assembleia de Deus. No mesmo mês, o pastor também recebeu mais de 33.000 reais apenas para iniciar o mandato, além do salário proporcional de senador pelos dias em que trabalhou (22.508 reais). Depois de permanecer os quatro meses na vaga, tempo mínimo para as licenças particulares, ele deixou o cargo para que Gurgacz reassumisse e recebeu outro salário extra como ajuda de custo.

Recesso

Quando parlamentares pedem licença às vésperas do recesso, entre dezembro e fevereiro, os suplentes assumem o mandato em época em que a atividade no Congresso é praticamente inexistente, mas ganham o direito à ajuda de custo no início e no fim do mandato.

No final do ano passado, três senadores pediram licença para tratar de interesses pessoais ou cuidar da saúde: Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) e Ricardo Ferraço (PSDB-ES), em novembro, e Edison Lobão (PMDB-MA), em dezembro. Os pedidos precisam ser aprovados pelo plenário da Casa.

Cearense é o novo presidente do Conselho de Arquitetos e Urbanistas do Brasil

O arquiteto e urbanista cearense Luciano Guimarães é o novo presidente do Conselho de Arquitetos e Urbanistas do Brasil (CAU/BR). A eleição aconteceu na 74ª Plenária Ordinária do CAU/BR, em Brasília. Guimarães cumprirá mandato até 31 de dezembro de 2020.

Por indicação do presidente, conforme previsto no Regimento Interno, homologada pelo Plenário, a arquiteta Patrícia Silva Luz de Macedo, do Rio Grande do Norte, será a primeira vice-presidente em 2018. O arquiteto e urbanista Guivaldo D’Alexandria Baptista, da Bahia, será o segundo vice.

Perfil

Luciano Guimarães é conselheiro do CAU/BR representante do Estado do Ceará. É formado pela Universidade Federal do Ceará, com especialização em Patrimônio Histórico pela Universidade de São Paulo e especialização em Planejamento Local e Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona (Espanha). Foi presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Ceará (CAU/CE) no mandato 2011-2014 e suplente de conselheiro do CAU/BR no mandato 2015-2017, com atividades na Comissão de Política Urbana e Ambiental, na Comissão Temporária de Harmonização do Exercício Profissional (função de resolver as demandas de resoluções conjuntas com o CONFEA) – indicado pelo Conselho Diretor do CAU/BR na condição de especialista – e na Comissão Temporária do Direito à Cidade do Conselho de Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria Especial de Direitos Humanos do Governo Federal.

(Foto -CAU/BR)

Livro de Padre Reginaldo Manzotti foi o mais vendido de 2017

“Batalha espiritual”, do Padre Reginaldo Manzotti, foi o livro mais vendido de 2017. Segundo o colunista Lauro Jardim, do O Globo, foram 140 mil cópias vendidas.

Mas o sacerdote já tem um sucessor para o best-seller.

No final de fevereiro, a editora Petra lança “Combate espiritual”, um manual para manter a fé e superar os problemas cotidianos, de família, trabalho, amor e dinheiro, e os da mente, como vícios e insegurança.

(Foto – Paulo MOska)

Reforma da Previdência – Mesmo no recesso, base aliada tenta conquistar votos

As articulações em torno da reforma da Previdência devem se intensificar nos próximos dias à medida que alguns líderes partidários estão voltando do período de férias e se aproxima a data da votação da matéria no plenário da Câmara. A notícia do rebaixamento da nota de investimento do Brasil reacendeu o debate e deve reforçar os argumentos da equipe favorável à reforma.

Com o recesso do Congresso Nacional até fevereiro, quando está previsto o início do debate da reforma no plenário da Câmara, muitos parlamentares estão se movimentando em seus estados para angariar os votos necessários para aprovar a proposta. A estratégia envolve encontro com governadores, prefeitos e outras autoridades locais com o objetivo de aproximar o debate da reforma das bases eleitorais dos deputados.

Em Brasília, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, tem se reunido desde o início do ano com vários parlamentares para definir as próximas estratégias de articulação em busca dos votos para aprovar a reforma. Responsável pela articulação política do governo, Marun disse à Agência Brasil que a reforma da Previdência “está em todos os diálogos” da agenda da equipe de governo e o clima em torno da reforma tem melhorado e se tornado mais “favorável”.

Por se tratar de uma emenda constitucional, são necessários pelo menos 308 votos favoráveis entre os 513 deputados para ser aprovada, em dois turnos. Desde o fim do ano passado, os principais articuladores da base governista tem evitado comentar o número atual de votos já conquistados em prol das mudanças na Previdência. Segundo líderes governistas, a contabilidade dos votos deve ser fechada com mais precisão no início de fevereiro, quando as lideranças já estarão em contato mais direto com as bancadas.

Grau de investimento

Na visão dos líderes governistas, a redução da nota de crédito do Brasil por uma agência internacional de classificação de risco gerou um “impacto preliminar” na motivação dos parlamentares. “Isso melhora na narrativa para nós que defendemos [a aprovação da reforma”, disse o líder da maioria na Câmara, Lelo Coimbra (PMDB-ES), que completa: “agora é torcer pra gente reunir a tropa, né? Não é tropa de choque, é tropa de convencimento”.

O presidente Rodrigo Maia também acredita que a avaliação negativa do país pode contribuir para convencer os parlamentares. Já para o ministro Marun, a notícia do rebaixamento do grau de investimento do Brasil ajuda na conscientização da sociedade e consequentemente dos parlamentares, mas “a notícia em si não vai trazer votos”.

“A consciência de que nós temos que reformar a Previdência já é consolidada. Claro que eu vejo a notícia do rebaixamento como ruim, porque não deixa de corroborar o que nós estamos afirmando: que o Brasil precisa reformar sua Previdência pra ter a perspectiva de um futuro de menos incerteza e de mínima prosperidade”, disse Marun.

O ministro disse que esta semana ainda não deve ter nenhuma grande reunião em Brasília sobre o assunto, pois ele e outros articuladores, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), estarão fora da capital.

Marun foi convidado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) para participar de um evento na terça-feira (16), na capital paulista, para falar sobre a situação macroeconômica do Brasil. O evento é organizado por um grupo de profissionais favoráveis às mudanças na legislação previdenciária e deve contar com a participação de vários líderes governistas.

Rodrigo Maia embarcou neste sábado (13) para os Estados Unidos, onde tem extensa agenda marcada com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterrez, empresários e parlamentares norte-americanos. Maia viajou com outros quatro deputados e voltará para o Brasil na sexta-feira (19).

(Agência Brasil)

MPF quer transexuais nas Forças Armadas

O Ministério Público Federal recomendou, nesta sexta-feira (12), que as Forças Armadas do Brasil não considerem a transexualidade como motivo determinante para a reforma de militares, e nem que a condição impeça o exercício de atividades. A informação é da Veja Online.

Para os procuradores da República Ana Padilha e Renato Machado, a suposta impossibilidade de manutenção da militar transexual não encontra amparo legal.

Os procuradores também recomendam que implementados programas de combate à discriminação, voltados à erradicação da homofobia e transfobia.

“Os comandantes deverão, no prazo de 30 dias, informar as providências adotadas, sob pena de impetração da medida judicial cabível em caso de inércia ou descumprimento”, escreveu o MPF.

PT vai puxar bloco pró-Lula no Pré-Carnaval de Fortaleza

O Partido dos Trabalhadores, sindicalistas e movimentos sociais vão botar um bloco em defesa do ex-presidente Lula, a partir das 9 horas deste sábado.

O bloco, de Pré-Carnaval, sairá da Praça da Igreja do Carmo (Centro), e percorrerá várias ruas da cidade, entoando músicas em defesa de Lula que, dia 24 próximo, será julgado pelo TRF-4, em Porto Alegre.

Lula é réu em processo da Lava Jato, sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro. A ordem, no bloco, pró-Lula, é mobilizar a militância e puxar a nandeira “Em Defesa da Democracia”, naquela de que “Eleição sem Lula é Fraude”.

Jair Bolsonaro elogia Capitão Wagner e bate no “coronelismo “de Tasso e de Ciro Gomes

No Ceará, ele tem apoio aberto do deputado federal Cabo Sabino.

“É o coronelismo de Tasso”, afirmou Jair Bolsonaro (PSC) ao O POVO Online ao explicar como entende o veto do senador Tasso Jereissati (PSDB) à sua presença no palanque de Capitão Wagner (PR) – caso se concretize candidatura ao Governo do Estado. Para o presidenciável carioca, “é patente” a alternância de poder entre PT e PSDB, sustentada, no Ceará, pelos Ferreira Gomes e Tasso.

“Coronelismo de Ciro Gomes (PDT) e Tasso também. São dois coronéis da política. É patente ver PT e PSDB na política nacional, jogando ping-pong o tempo todo”, disse Bolsonaro.

O presidenciável ainda negou ter “algum problema” com Tasso Jeressati, mas afirma também não ter pretensão de se aproximar do senador. “Não me interessa ter contato político com uma pessoa que vive de coronelismo, baseado em esquemas, e até mesmo envolvimento com pessoas com histórico de corrupção.”

De acordo com Bolsonaro, a “população vai querer o diferente” a partir de 2018 e “o coronelismo localizado vai deixar de existir”.

Geraldo Alckmin e Capitão Wagner 

Jair Bolsonaro ainda vê como “um tiro no pé” a intenção de Tasso de apoiar nome de Geraldo Alckmin (PSDB) para a candidatura à Presidência da República, por possibilidade de denúncias contra o governador de São Paulo na Operação Lava Jato e envolvimento em escândalos de corrupção.

Ele elogiou o deputado estadual Capitão Wagner e avalia que é pelo medo de denúncias contra Alckmin que o cearense “não o quer goela abaixo”.

“A questão da honestidade vai falar muito alto nas eleições. A eleições esse ano vão ter pressão enorme das mídias sociais. A melhor alternativa sou eu, ninguém nega isso: não tenho políticos grandes comigo, mas estou com o povo, com um percentual bastante elevado nas pesquisas. Mas me coloco no lugar do Capitão Wagner”, destaca o deputado federal, recentemente alvo de denúncias envolvendo aumento no patrimônio pessoal que não seria condizente com sua renda.

Bolsonaro admite, contudo, ter “pouco contato com Wagner”, mas exalta a “vida pregressa” do deputado estadual. Ao agradecer a “aceitação positiva” do seu nome, diz que “está junto” de Wagner. “O que o capitão daí decidir, o capitão daqui vai aceitar.” 

O POVO Online entrou em contato com a assessoria de Tasso Jereissati, mas não houve resposta até a publicação desta reportagem. A assessoria de Ciro Gomes não quis comentar a acusação.

(O POVO Online – Repórter Daniel Duarte)

Elevação da nota de risco do Brasil é questão de tempo, diz Meirelles

A elevação da nota de risco do Brasil é uma questão de tempo, disse na tarde desta sexta-feira (12) o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Em entrevista coletiva para comentar o rebaixamento da classificação da dívida pública brasileira pela agência Standard & Poor’s (S&P), Meirelles manifestou confiança na aprovação da reforma da Previdência e das medidas de ajuste fiscal nos próximos meses.

“O Congresso tem mostrado que tem aprovado as reformas fundamentais no país. Aprovou o teto de gastos, a reforma trabalhaista, a Lei das Estatais e a TLP [Taxa de Longo Prazo]. Outras medidas, como o cadastro positivo e a duplicata eletrônica estão em aprovação. Existe um histórico de aprovação. Essas reformas vão continuar ocorrendo, e a perspectiva de aumento do rating é questão de tempo. Isso foi levado em conta na melhora da perspectiva [da nota do Brasil pela S&P] de negativa para estável”, destacou o ministro.

Meirelles comentou que, no dia seguinte à redução da nota do Brasil para três níveis abaixo do grau de investimento, o mercado financeiro está tendo uma reação calma. Segundo o ministro, isso ocorre porque o país continua crescendo com baixa inflação e porque o rebaixamento já estava “precificado”, incorporado aos indicadores financeiros.

“Um ponto importante, que parece ser digno de ênfase neste momento, é a reação da economia no curto prazo, dos indicadores de mercado que reagem na mudança do rating no Brasil. Hoje, o dólar caiu um pouquinho, os juros de longo prazo caíram um pouquinho, e a bolsa continua estável”, acrescentou.

De acordo com Meirelles, a economia brasileira está num momento positivo, com previsão de crescer até 3% este ano e criar 2 milhões de empregos, depois de incorporar pelo menos 1 milhão de pessoas ao mercado de trabalho em 2017. Para ele, as previsões da S&P são conservadoras, comportamento que considerou normal nas agências de classificação de risco.

(Agência Brasil)