Arquivos da categoria: Economia

Preço do diesel e da gasolina tem hoje nova redução

Um dia depois de o preço da gasolina ter sido reduzido em 3,8% e o do diesel em 1,3% nas refinarias, nova diminuição no preço dos dois combustíveis entrou em vigor neste sábado (18). De acordo com a Petrobras, o diesel hoje caiu 0,3% e a gasolina 1,4%.

A redução de 3,8% da gasolina na sexta-feira (17) nas refinarias foi a maior para um único dia desde que a Petrobras passou a adotar, este ano, a metodologia de ajustes quase diários dos valores do diesel e da gasolina.

(Agência Brasil)

Reforma Tributária -MP sobre tema deve movimentar a semana do Congresso

A MP 808/2017, que fez ajustes na reforma trabalhista (Lei 13.467/2017), promete ser um dos temas dominantes da agenda do Congresso nos próximos dias. Editada na última terça-feira (14), uma véspera de feriado, ela deve começar a ser debatida na sessão não deliberativa do Senado agendada para segunda-feira (20), às 14 horas.

O prazo de recebimento de emendas perante a Comissão Mista que vai apreciar a MP se encerra nesta terça-feira (21). A oposição já anunciou que vai apresentar grande número de emendas.

A medida provisória era parte de um acordo proposto pelo governo para que a reforma fosse aprovada no Senado sem alterações – evitando, assim, que retornasse à Câmara e acelerando sua sanção. Os pontos mais polêmicos da reforma seriam ajustados pela MP.

(Com Agências)

Número de pessoas com planos de saúde no Brasil cresceu em outubro

O número de pessoas com planos de saúde no Brasil cresceu em outubro, atingindo 47.399.495 de usuários. Segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), houve aumento de 84,09 mil beneficiários em relação a setembro.

Os dados mostram que os planos odontológicos também aumentaram em outubro, um acréscimo de 129,06 usuários em relação ao mês anterior, chegando a mais de 22,9 milhões de clientes.

O levantamento da ANS mostrou também que, em comparação com outubro do ano passado, 13 estados registraram aumento do número de beneficiários em planos de assistência médica: Acre, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

O Ceará foi o estado que registrou o maior crescimento, com 40,29 mil pessoas com planos de saúde. Em segundo lugar, está o Amazonas e, em terceiro, o Distrito Federal.

O estado com o maior número de beneficiários ainda é São Paulo, com 17,3 milhões de usuários, seguido do Rio de Janeiro, com 5,4 milhões, e de Minas Gerais, com 5 milhões.

(Agência Brasil)

Ajuste não pode degradar a vida dos mais pobres

Editorial do O POVO deste sábado (18) aponta que é preciso criar uma rede social para acudir os mais frágeis, pois, desde junho, quando a Petrobras mudou a política de preços, o botijão de gás de cozinha subiu 54%, derivado mais utilizado pela classe mais pobre. Confira:

Pode-se afirmar, com bom grau de segurança, que há consenso na sociedade de que são necessários ajustes nas contas públicas para que o País possa encontrar o caminho do desenvolvimento seguro. Porém esse ajuste não pode degradar as condições da vida dos setores mais pobres e desprotegidos da sociedade, que dependem, essencialmente, dos serviços públicos – e não têm como suportar reajustes de preços em produtos básicos à sobrevivência.

De alguns meses para cá, a degradação desse segmento mais vulnerável pode ser observada nas ruas de Fortaleza, quando se nota o aumento de pedintes, inclusive famílias inteiras ao abandono nas calçadas e ruas.

Um exemplo de como a situação piora para o setor social mais pobre é o aumento do preço do gás de cozinha. Desde junho, quando a Petrobras mudou a política de preços, o botijão de gás subiu 54%, custando hoje, em média, R$ 75.

Reportagem publicada no portal Uol (16/11/2017) mostra a situação dramática de famílias da periferia de Maceió, que não podem mais comprar o gás, apelando para o fogão a lenha. O chefe de uma dessas famílias diz que seu dilema é comprar comida ou o gás. E que a situação é tão difícil que até madeira está faltando no lugar onde mora. A mesma circunstância se repete aos milhares, em qualquer cidade brasileira.

E a situação tende a se complicar mais ainda: depois de uma inflação relativamente baixa, de 2% nos últimos 12 meses, para as famílias com renda abaixo de R$ 900 por mês, o preço dos alimentos voltará a pressionar as taxas inflacionárias, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Os alimentos representam 29% da cesta de consumo dos mais pobres, sendo de apenas 9% entre as pessoas com renda acima de R$ 9 mil. Nos últimos 11 anos, pressionada pelos alimentos, a alta da inflação dos mais pobres acumulou 102%, bem superior à registrada na faixa de renda mais alta, de 86%.

É preciso, portanto, criar uma rede social para acudir os mais frágeis, ao mesmo tempo em que se busca tributação mais equânime. Não seriam medidas simples e baratas, porém efetivas como essas, que prejudicariam um necessário plano de ajuste econômico.

A Charge do Clayton

Exportações do setor agropecuário brasileiro crescem mais de 150% em um ano

O indicador mensal de Comércio Exterior do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/Ibre/Icomex), que traz os principais dados da balança comercial brasileira, mostram aumento de 31,7% no volume exportado no país em outubro último, em comparação a outubro do ano passado. Já o volume das importações no mesmo período cresceu 26%.

Os dados divulgados pela FGV revelam crescimento de 151% no volume exportado pelo setor agropecuário. O resultado é recorde e supera o de setembro, que também já havia sido recorde e, consequentemente, todas as variações registradas nos meses anteriores entre 2016 e 2017.

Já a indústria de transformação apresentou a segunda maior variação, com crescimento de 25,7%, superando pela primeira vez no ano o crescimento das exportações da indústria extrativa, que fechou em outubro com crescimento de 21,4% sobre o mesmo mês do ano passado.

Os destaques da indústria de transformação foram as vendas de automóveis para os mercados da América do Sul e para novos mercados, como a Arábia Saudita, justificando, segundo a FGV, “o bom desempenho do setor de bens duráveis da indústria de transformação”.

Os dados indicam que o preço das exportações aumentou em relação a setembro e cresceu 4,7% na comparação entre os meses de outubro de 2016 e 2017. “As principais contribuições para esse aumento foram do minério de ferro, com crescimento de 51% e petróleo e derivados (17,3%).

As contribuições foram importantes para o saldo positivo na balança, uma vez que o preço de alguns dos principais produtos agrícolas caiu, como foi o caso do complexo da soja, cujo recuou chegou a 10,3%.

A nota da FGV indica ainda que, no caso das importações, a liderança no volume importado coube aos bens semiduráveis, que chegou a crescer 34%, seguido dos bens duráveis, com expansão de 26%.

A FGV também observou desaceleração no ritmo de crescimento das importações de capital em relação ao resultado da comparação mensal de setembro, passando dos 71,5% da comparação setembro 2016/setembro 2017 para 25,6% entre outubro 2016/17. “Observa-se, porém, que é o terceiro resultado seguido de variação positiva, o que sinaliza uma possível recuperação da taxa de investimento da economia”, ressaltou a nota da FGV.

(Agência Brasil)

IBGE – No Brasil, falta trabalho adequado para 2,6 milhões de pessoas

A taxa de subutilização da força de trabalho no país ficou praticamente estável no terceiro trimestre do ano, fechando em 23,9% do mercado de trabalho – crescimento de apenas 0,1 ponto percentual frente aos 29,8% relativos ao segundo trimestre. Os números, no entanto, significam que ainda representa 26,8 milhões de pessoas sem trabalho adequado no país.

Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados hoje (17), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de subutilização, segundo os parâmetros do IBGE, agrega a população desocupada, os subocupados por insuficiência de horas e os que fazem parte da força de trabalho potencial.

Deste total apurado pelo IBGE, 18,5% (o equivalente a 19,2 milhões de pessoas) diziam respeito à taxa combinada de subocupação por insuficiência de horas trabalhadas e desocupação (pessoas ocupadas com uma jornada de menos de 40 horas semanais, mas que gostariam de trabalhar em um período maior, somadas às pessoas desocupadas).

Em relação ao segundo trimestre, essa taxa combinada mostrou estabilidade, uma vez que equivalia a 18,6% do total da força de trabalho. Quando a comparação se dá com o 3º trimestre de 2016, de 16,5%, há um aumento da taxa de 2,1 pontos percentuais.

No terceiro trimestre de 2017, as maiores taxas foram verificadas na Bahia (30,8%),  no Piauí (27,7%), em Sergipe (25,2%), no Maranhão (24,9%) e em Pernambuco (24,5%). As  menores  taxas foram registradas em Santa Catarina (8,9%), no Mato Grosso (12,0%), em Rondônia (12,2%),  no Mato Grosso do Sul (12,8%), Paraná (13,0%) e Rio Grande do Sul (13,0%).

(Agência Brasil)

Setur participa de jantar da Câmara do Comércio Brasil-França

Arialdo Pinho e empresário convidado.

O secretário do Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, participou, nessa noite de quinta-feira (16), em Paris, de um jantar na Câmara de Comércio do Brasil-França, juntamente com o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz. Os dois foram convidados do embaixador do Brasil na França, Paulo Campos.

O evento reuniu empresários e investidores franceses interessados no Brasil e homenageou empresas brasileiras de destaque na França. Arialdo Pinho aproveitou para acertar alguns contatos com empresários da área do turismo.

(Foto – Câmara do Comércio Brasil França)

O POVO e GPTW divulgarão as Melhores Empresas para Trabalhar no Ceará

A entrega do Prêmio Melhores Empresas Para Trabalhar no Ceará 2017 vai ocorrer nesta sexta-feira, às 12 horas, durante almoço no Centro de Eventos. Organizadores da premiação, do Instituto Great Place Work (GPTW) e do O POVO, confirmam a inclusão da categoria “Pequenas Empresas”, ou seja, empresas que tenham a partir de 30 funcionários. Há, também , as categorias Médias Empresas e Grandes Empresas.

Ao todo, serão 50 empresas premiadas de acordo com pesquisa feita diretamente com os colaboradores. Essa mesma pesquisa é aplicada em mais de 50 países. No início deste ano, 16 empresas cearenses foram para a lista nacional.

O presidente do GPTW Brasil, Ruy Shiozawa, e o vice-presidente do O POVO, Dummar Neto, comandarão o evento, considerado um dos mais disputados do País.

Inflação do país nos últimos 11 anos pesou mais no bolso do pobre, diz Ipea

No período entre julho de 2006 e setembro de 2017, a inflação foi mais pesada para a população de renda mais baixa. Dados analisados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e publicados na nota técnica sobre Inflação por Faixa de Renda indicam que, no período, enquanto a inflação ficou em 102% para quem tem renda mais baixa, registrou 86% para os de renda mais alta.

A técnica de planejamento e pesquisa da Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea, Maria Andréia Parente Lameira, destacou que, neste período, houve uma influência grande dos alimentos. “Neste tempo de 10, 11 anos, mesmo tendo uma queda recente [no preço] de alimentos, a gente teve pelo menos dois choques fortes de alimentos, que jogaram a inflação lá para cima, e isso, de fato, pesou muito mais nas famílias de renda mais baixa”, disse.

Mas, no processo de desinflação recente, a análise apontou que, apesar de generalizado, as famílias de menor poder aquisitivo foram beneficiadas de forma mais intensa. Em outubro, a inflação acumulada em 12 meses dessas famílias teve alta de 2%, enquanto que, para o segmento da população mais rica, ficou em 3,5%.

O percentual das famílias de renda mais baixa também foi influenciado pelos alimentos, mas dessa vez pelo recuo dos preços. Nessa faixa, o peso na cesta de consumo é de 29%, bem maior do que o que incide na faixa mais alta, que é de 10%. Para o segmento econômico mais alto, o peso maior ocorreu em outros segmentos que apresentam variações mais altas e maior rigidez à baixa, como mensalidades escolares e planos de saúde, que impedem uma queda mais acentuada na inflação do grupo.

Segundo a pesquisadora, nos planos de saúde e em serviços médicos, os mais pobres gastam aproximadamente 1,5%, já para os mais ricos, a despesa sobe para quase 7%. Em educação, a diferença é ainda maior. Enquanto os mais pobres gastam 2%, os mais ricos, 10%. “Isso quer dizer que, quando tem uma alta muito elevada em mensalidade escolar, isso vai bater muito forte na inflação dos mais ricos, mas, em compensação, praticamente não vai influenciar a dos mais pobres”, explicou.

(Agência Brasil)

Começa a segunda etapa de pagamento do PIS-Pasep a idosos

Os aposentados com valores nas contas do PIS-Pasep na Caixa e no Banco do Brasil (BB) podem sacar a partir de hoje (17). É a segunda etapa do calendário de pagamento, divulgado em setembro por esses bancos.

Na última terça-feira (14), 417 mil aposentados, correntistas do BB e da Caixa, foram beneficiados com o crédito em conta, representando pagamentos no valor de R$ 446 milhões.

Os pagamentos começaram em outubro. Na primeira fase, homens e mulheres com mais de 70 anos foram beneficiados. Para aqueles que ainda não sacaram, não há data limite para retirar o dinheiro, os recursos continuarão no fundo à disposição dos correntistas.

Até quarta-feira (15), R$ 764 milhões já haviam sido pagos, beneficiando 693 mil pessoas.

Mais de R$ 9 bilhões, pertencentes a cotistas com mais de 70 anos – ou seus herdeiros, em caso de falecimento – continuam à disposição. Os bancos lembram que se a pessoa não puder comparecer à agência, por motivo de saúde por exemplo, o saque poderá ser feito por procuração.

Os cotistas do Pis-Pasep que têm contas na Caixa e no Banco do Brasil, mas que não receberam o crédito automático, devem procurar as agências para atualizar os cadastros. A falta do CPF, por exemplo, impede o depósito automático. Regularizando os dados cadastrais, o saque pode ser feito.

Tem direito às cotas o trabalhador cadastrado no Fundo entre 1971 e 04/10/88, que ainda não tenha sacado o saldo total da conta individual de participação. A MP 797/2017 alterou a idade para saques. Passaram a ter direito não apenas os trabalhadores com idade superior a 70 anos, mas também os aposentados e as mulheres com 62 anos ou mais e homens a partir de 65 anos.

Maiores informações podem ser obtidas nos sites da Caixa e do Banco do Brasil ou pelos telefones 0800 726 0207 (Caixa/Pis), 0800 729 0001 e 4004-0001 (BB/Pasep)

(Agência Brasil)

Economia deve continuar crescendo, ainda que devagar, indica pesquisa da FGV

O estudo que mede o comportamento dos principais movimentos econômicos registrou nova alta em outubro, confirmando a tendência de crescimento da economia brasileira. O Indicador Antecedente Composto da Economia (Iace) para o Brasil subiu 0,6%, em outubro sobre setembro, chegando aos 110,9 pontos. Dos oito componentes do Iace, seis ajudaram a elevar a taxa. A maior participação partiu do Índice de Expectativas do Setor de Serviços, que teve alta de 2,3%.

A medição, feita pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), em parceria com o instituto de consultoria norte-americano The Conference Board (TCB), avalia as mais importantes ações do mercado de capitais, títulos públicos e pesquisas de sondagem da confiança de empresários e consumidores.

Já em relação ao Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil, que analisa o momento atual da economia, houve pequena queda de 0,1%, ficando em 99,5 pontos. Essa foi a primeira redução desde março, mas ela não significa uma mudança no processo de crescimento econômico, segundo avalia o economista Paulo Picchetti, responsável pela pesquisa. Para ele, isso mostra apenas um ritmo mais lento. “O resultado demonstra a lentidão da retomada no nível de atividade. Mas, ainda que lentamente, esta recuperação deve ter prosseguimento, como apontado pelo Iace”, afirma ele.

De acordo com a pesquisa, cada um dos oito componentes econômicos analisados vem se mostrando, individualmente, eficiente em antecipar tendências econômicas. Reunidos no Iace, eles funcionam como espécie de filtro para os “ruídos”, o que ajuda a identificar a real tendência econômica.

Lançado em julho de 2013, o Iace permite uma comparação direta dos ciclos econômicos do Brasil com os de outros 11 países e regiões já cobertos pelo The Conference Board: China, Estados Unidos, Zona do Euro, Austrália, França, Alemanha, Japão, México, Coreia, Espanha e Reino Unido.

(Agência Brasil)

Grupo 3Corações ganha Prêmio Empresa Padrão do Ibef do Ceará

O Grupo 3corações, líder nacional no segmento de café torrado e moído, foi eleito Empresa Padrão 2017, no prêmio promovido pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef), regional do Ceará. A premiação acontecerá no próximo dia 21, às 19 horas, no Hotel Gran Marquise.

Pedro Lima é o controlador do grupo e um empreendedor com mais de 30 anos de experiência. O Grupo 3corações, que é pioneiro e líder de mercado com o Cappuccino 3 Corações, é também vice-líder de mercado em café solúvel. O empresário também é presidente do Conselho de Acionistas da São Miguel Holding Investimentos, Conselheiro da Fundação Raimundo Fagner e LIDE-Ceará e embaixador da Endeavor Brasil.

O Grupo

Fundada em 1959, a companhia industrializa e comercializa as marcas de café 3 Corações, Santa Clara, Pimpinela, Kimimo, Letícia, Fino Grão, Itamaraty, entre outras, e o cappuccino #PRONTO. Também produz filtro, porta-filtro, café solúvel, refresco em pó Frisco e Tornado, achocolatado, derivados de milho Claramil e temperos Dona Clara.

Com 25 Centros de Distribuição (CDs), seis Plantas Fabris (nove Unidades Industriais), duas Unidades de Compra e Beneficiamento de Café Verde (Armazéns), uma Unidade Corporativa – Integradora – e a Escola de Serviços e Sabores, a empresa está presente em mais de 300 mil pontos de venda no País, com estrutura logística e comercial próprias. Teve o faturamento de 3,63 bilhões em 2016.

 

AFBNB recebe Prêmio da Câmara dos Deputados

Rita Josina comanda o coletiva da entidade.

A Associação dos Funcionários do BNB (AFBNB) receberá, às 16h30min da próxima terça-feira (21), no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, em Brasília, o prêmio “Selo Participação Legislativa”, concedido anualmente pela Comissão de Legislação Participativa (CLP) a entidades da sociedade civil que tiveram atuação relevante na Câmara dos Deputados. Esta é a quarta edição do prêmio e prestigiará a atuação de entidades ao longo de 2016.

Em 2016, a Associação apresentou quatro sugestões à CLP, tendo uma delas virado projeto de lei: a sugestão 86/2016 CLP, transformada no PL 7979/2017 – que dispõe sobre proteção legal aos dirigentes e representantes de associações de trabalhadores, propondo tratamento isonômico e análogo ao dispensado aos dirigentes ou representantes sindicais. O PL 7979/2017 teve parecer favorável do relator, deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA), aprovado na CTASP e segue agora para CCJ da Câmara.

Outras duas sugestões – aprovadas e já realizadas – foram a SUG 85/2016 e a SUG 88/2016 que propunham, respectivamente, a realização de audiência pública para discutir o tema “A Questão Regional e as Prerrogativas do Desenvolvimento na Constituição Federal de 1988” e a realização do Seminário “Desenvolvimento Regional, Prioridade Nacional” – ambos realizados em agosto passado.

A outra sugestão – SUG 87/2016 – segue aguardando parecer do relator, dep. Luiz Couto (PT-PB). A proposição trata de emenda à Constituição, no sentido de alterar o inciso IX do art. 21, atualmente com o seguinte texto: “elaborar e executar planos nacionais e regionais de ordenação do território e de desenvolvimento econômico e social”. Pela proposta, o artigo passaria a ter a seguinte redação: “elaborar e executar planos nacionais e regionais de ordenação do território e de desenvolvimento econômico e social, garantindo o recorte regional nas políticas, programas e projetos, inclusive os de âmbito nacional, com ações diferenciadas às regiões menos desenvolvidas, especialmente ao Norte e Nordeste, com vistas a fortalecer e dar desigualdades entre os indicadores econômicos e sociais dessas regiões frente àqueles da média nacional”.

SERVIÇO

*Confira a lista completa das entidades premiadas em http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/clp/destaques.

Em Fortaleza, aplicativos de hospedagem compartilhada terão que pagar impostos

A Câmara Municipal aprovou, nesta quinta-feira, a inclusão, no Código Tributário de Fortaleza, dos serviços que operam com a chamada hospedagem compartilhada. Com isso, o município passará a ter condições de fazer a devida cobrança de impostos que incidir sobre o segmento.

A medida surgiu em meio a uma polêmica envolvendo aplicativos como o Airbnb, que oferecem casas, apartamentos e flats para temporadas, e os hoteleiros de Fortaleza. Com isso, o Airbnb terá, assim como outro aplicativo do gênero, que cumprir normais tributárias como faz a rede hoteleira, logo que o prefeito sancione. A previsão é de que Roberto Cláudio cumpra essa tarefa na próxima semana.

A informação é do presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Manuel Cardoso Linhares, e endossada pelo presidente da Câmara Municial, Salmito Filho (PDT). Cardoso comemora, pois explica que, dessa forma, haverá igualdade de concorrência no meio.

Todos os detalhes da medida, que visa regulamentar esse tipo de aplicativo, serão divulgadas ainda pelo município que, dessa forma, passará a ser o primeiro no Brasil a cobrar impostos da hospedagem compartilhada.

A Fortaleza que cresce na Zona Oeste

Com o título “A Grande Fortaleza Oeste”, eis artigo do advogado Irapuan Diniz de Aguiar. Ele fala de um outro lado uma cidade que vem surpreendendo, em matéria de empreendimentos. Confira:

Quem se dispuser a fazer um passeio margeando a lagoa de Parangaba em direção ao antigo jóquei clube, vai se deparar com um agradável e surpreendente cenário. Aquela populosa área da cidade transformou-se num verdadeiro canteiro de obras com uma série de empreendimentos, públicos e privados, evidenciando seu vertiginoso crescimento.

Numa antevisão de futuro, o primeiro grande equipamento social que ali aportou, há cerca de dezessete anos, foi no segmento do ensino superior com a implantação da Faculdade Integrada da Grande Fortaleza (FGF). Um grupo de engenheiros, aparentemente caminhando na contramão dos indicadores socioeconômicos e da opção feita por outras IES, viu naquela região da capital, a possibilidade de mudança do perfil educacional da população, permitindo-lhe o acesso, não apenas à formação superior nas diferentes áreas do conhecimento, mas também a moderna tecnologia, a qualificando e a capacitando para o mercado de trabalho. O projeto pioneiro idealizado por estes empreendedores se constitui, hoje, em uma esplêndida realidade.

No segmento da saúde, construiu-se um hospital que é uma referência no setor, seja pela grandiosidade da obra, seja pela qualidade do atendimento ofertado, especialmente aos residentes naquela região de Fortaleza. A se somar a estes dois importantes empreendimentos o grande comércio também ali se fez presente com a instalação de uma unidade da rede de supermercados Makro.

Consolidando o desenvolvimento da Zona Oeste da cidade como importante polo, eis que vultosos investimentos privados foram feitos a um só tempo patrocinados por consórcios de empresas as quais promoveram verdadeira revolução na área, com a construção de shoppings multifuncionais como os shoppings Parangaba e Jockey, ambos já em pleno funcionamento e, como decorrência, a edificação de torres residenciais e outros empreendimentos a eles associados evidenciando que ali na Zona Oeste de Fortaleza, o futuro se fez presente.

A estação do metrô, os terminais de ônibus da Lagoa e de Parangaba, o bilhete único instituído nos transportes coletivos, sem dúvida, são instrumentos que complementam e facilitam o deslocamento da população para o lado oeste da cidade que apresenta, sem margem a dúvidas, um inquestionável desenvolvimento.

*Irapuan Diniz Aguiar

Advogado.

Petrobras vai reduzir preço da gasolina e do diesel nas refinarias

A Petrobras anunciou hoje (16), no Rio de Janeiro, que a partir da zero hora desta sexta-feira, reduzirá os preços da gasolina e do diesel nas refinarias em todo o país. Segundo nota divulgada pela empresa, o diesel terá redução de 1,3%, enquanto a gasolina cairá 0,38%.

No sobe e desce dos preços dos dois produtos nas refinarias, em sintonia com a nova política da estatal de acompanhar as oscilações dos preços das duas commodities no mercado internacional – onde os aumentos e redução são quase que diários – esta é a sexta queda de preços anunciada pela Petrobras somente este mês para o óleo diesel.

Desde o último dia 1º, o diesel cobrado nas refinarias fecha os primeiros 17 dias do mês com queda acumulada de preços de 1,3%. Com quatro reduções e sete altas desde o último dia 1º, a gasolina, com a queda anunciada para amanhã, fecha o mesmo período com alta acumulada de 3,7% nas refinarias.

(Agência Brasil)

ZPE do Ceará vai reservar área para pequenas e microempresas

Na próxima segunda-feira, 20, o Sebrae vai visitar o espaço destinado, dentro da Zona de Processamento de Exportação do Ceará (ZPE), no Pecém, em São Gonçalo do Amarante (RMF), às micros e pequenas empresas. Além disso, a cúpula do  órgão vai conhecer os detalhes, as regras e condições que vão nortear a implantação das empresas na ZPE.

A informação é do diretor técnico do Sebrae-CE, Alci Porto, adiantando que o secretário para Assuntos Internacionais do Ceará, Antonio Balhmann, deverá mostrar como pode se dar a instalação de negócios de pequeno porte, voltados para exportação. Um termo ou protocolo de cooperação deverá ser firmado para que o Sebrae atue junto aos micros e pequenos empresários. Alci Porto diz que a visita contará com um grupo de dirigentes do Sebrae no Nordeste que vêm conhecer a experiência da ZPE cearense.

O presidente da ZPE-CE, Mário Lima Júnior, informa que existe uma área reservada para essas empresas com potencial exportador não só na parte de manufaturados mas na de serviços. Hoje apenas indústrias podem se instalar nas ZPEs, mas, se for aprovado o projeto 5957/13, que tramita no Congresso Nacional, empresas do ramo de serviços também poderão se instalar. No setor de telemarketing, por exemplo, há muitas empresas que contratam serviços em outros países.

De acordo com Mário, inicialmente estão previstos para as micros e pequenas empresas, quatro hectares (ha) com galpões modulares de 500 e 1.000 metros quadrados (m²), na ZPE-CE. Explica que a área está dentro da primeira expansão do local, que está sendo implantada. Num total de 150 ha ela também será alfandegada, com despacho aduaneiro e todas os itens que compõem uma ZPE.

(Com O POVO – Repórter Artumira Dutra)

Inflação pelo Índice Geral de Preços cai de 0,49% para 0,24%

O Índice Geral de Preços–10 (IGP-10) teve uma inflação de 0,24% em novembro em todo o país. A taxa é inferior ao percentual de outubro (0,49%), mas superior ao de novembro do ano passado (0,06%). Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o IGP-10 acumula deflações (quedas de preços) de 1,31% no ano e de 1,11% no período de 12 meses.

Os preços no atacado, medidos pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo, tiveram inflação de 0,21% em novembro, enquanto os preços no varejo, apurados pelo Índice de Preços ao Consumidor, acusaram taxa de 0,32% no mês. O terceiro subíndice que compõe o IGP-10, o Índice Nacional de Custo da Construção, registrou inflação de 0,30%.

O IGP-10 é calculado com base em preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

(Agência Brasil)

Receita está pagando o sexto lote de restituições do IR

A Receita Federal paga hoje (16) o sexto lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2017. O lote contempla 2.358.433 contribuintes, totalizando mais de R$ 2,8 bilhões. O lote multiexercício inclui restituições residuais do período de 2008 a 2016. O crédito bancário chega a R$ 3 bilhões. Desse total, R$ 107,844 milhões referem-se aos contribuintes com prioridade: 26.209 idosos e 3.354 pessoas com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante a entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones, que facilita a consulta às declarações do IR e à situação cadastral no CPF.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento pela internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física.

(Agência Brasil)