Arquivos da categoria: Indústria

Governo libera recursos para criação de Polo Industrial Químico de Guaiúba

O governador Camilo Santana (PT) vai assinar, às 9 horas desta manhã de segunda-feira, a liberação de recursos para a infraestrutura do Polo Industrial Químico. Esse empreendimento será implantado na cidade de Guaiúba (Região Metropolitana de Fortaleza). O ato ocorrerá ao lado da Câmara Municipal de Guaiúba, na Rodovia CE-060.

O Polo Industrial Químico de Guaiúba vai contar com 27 empresas, gerando 1.967 empregos diretos, com investimento do Governo do Ceará superior a R$ 10 milhões, através da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece) e das secretarias do Desenvolvimento Econômico (SDE) e da Infraestrutura (Seinfra). O investimento das empresas supera a casa dos R$ 95 milhões.

Crise econômica leva indústria do aço a adiar investimentos de U$$ 3,2 bilhões

Os impactos da crise econômica que o país atravessa levaram a indústria do aço a adiar, entre janeiro de 2014 e junho de 2016, investimentos da ordem de US$ 3,2 bilhões, período em que foram paralisadas ou desativadas 83 unidades produtivas e mais de 40 mil postos de trabalho foram fechados.

As informações são do Instituto Aço Brasil, que enfrentou em 2016 a pior crise de sua história, com queda de 9,2% na produção de aço bruto e de 7,7% na de laminados.

Dados divulgados esta semana revelaram que a produção acumulada de aço bruto no país em 2016 totalizou 30,2 milhões de toneladas, uma queda de 9,2% em comparação a 2015; enquanto a produção de laminados totalizou 20,9 milhões de toneladas no ano passado, que representa queda em ralação a 2015 de 7,7%.

O presidente-executivo do instituto, Marco Polo de Mello, disse que em 2016 a crise atingiu a economia como um todo, mas em especial o setor de produção de aço em razão da sobre-oferta do produto no mercado mundial. Hoje, a produção mundial de aço totaliza cerca de 780 milhões de toneladas, das quais mais de 400 milhões na China.

Na avaliação do executivo do Instituto Aço Brasil, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país começou a piorar já em 2014, apresentando que expressiva tanto em 2015 quanto em 2016.

“Quando se olha especificamente para o setor de aço, observa-se que os principais setores demandadores da matéria-prima (automotivo, máquinas e equipamentos e construção civil) e que juntos representam 80% do consumo do produto, todos sem exceção tiveram redução drástica em suas atividades”.

Juntos, estes setores fecharam em queda de 11,8%, em média, nos onze meses de 2016, queda esta que chega a 32% quando comparada ao mesmo período de 2013.

(Agência Brasil)

Baixa produtividade é entrave para o Brasil competir, diz CNI

Dirigentes da Confederação Nacional da Indústria (CNI) consideram a baixa produtividade um dos principais entraves ao aumento da competitividade da economia brasileira. Os representantes da entidade comentaram os resultados da pesquisa Competitividade Brasil, divulgada nesta quinta-feira (19) e que mostra o país no penúltimo lugar em um ranking de 18 países.

O Brasil superou apenas a Argentina em uma lista de países escolhidos por suas semelhanças com a economia brasileira, seja pelo nível de renda parecido ou por competirem com os mesmos produtos no mercado externo. O país demonstrou o pior desempenho em custo e disponibilidade de capital. No entanto, para a CNI, os problemas para custear e achar mão de obra também merecem destaque. O Brasil ocupou o décimo primeiro lugar na avaliação desse quesito.

O gerente executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, diz que a mão de obra mais cara está ligada também à baixa produtividade, ou seja, reduzida capacidade de produzir com eficiência. “O problema é a baixa produtividade. Nesta edição da pesquisa, a gente ficou no vermelho em crescimento da força de trabalho [conceito associado às pessoas disponíveis com capacidade para serem empregadas] e isso nos fez cair várias posições”, comentou.

Fonseca afirmou que o aumento da produtividade passa pela melhoria da educação. “Em termos de solução, vários fatores dificultam. A educação é um deles. A baixa qualidade da educação dificulta que os trabalhadores consigam absorver novas tecnologias, em um mundo em que a tecnologia muda muito rápido. Ou seja, o aprendizado tem que ser rápido e isso é difícil”, declarou.

Curiosamente, a educação foi o quesito em que o Brasil ficou mais bem posicionado no ranking: ocupou o nono lugar, entre 15 países com informações disponíveis sobre o assunto. O principal motivo foi o subfator gastos com educação, no qual o país figura em quarto lugar.

(Agência Brasil)

Faturamento da indústria cresce 4,5% em novembro; horas trabalhadas sobem 0,7%

A indústria brasileira registrou aumento de 4,5% no faturamento real e de 0,7% nas horas trabalhadas em novembro na comparação com outubro. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (13), em Brasília, na pesquisa Indicadores Industriais, da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os dados são dessazonalizados, ou seja, ajustados para o período em que foram coletados.

Os indicadores relativos ao mercado de trabalho, no entanto, continuaram a observar queda. O indicador do emprego recuou 0,3% na comparação com outubro, enquanto a massa salarial real caiu 2,1% e o rendimento médio real, 1,5% para o mesmo período. A utilização da capacidade instalada ficou em 76,6%, apenas 0,1 ponto percentual acima do piso da série histórica.

Para a CNI, os números de novembro não sinalizam recuperação da atividade industrial. A entidade destacou na pesquisa que “a comparação anual dos indicadores continua a mostrar quedas expressivas”.

O faturamento real, por exemplo, recuou 9,9% e as horas trabalhadas caíram 5,5% em novembro de 2016 na comparação com o mesmo mês de 2015.

(Agência Brasil)

Fiec reinicia atividades deste ano

foto-fiec-170112

O presidente da Fiec, Beto Studart, reiniciou esta semana as atividades da Federação com uma solenidade cívica nos jardins da Casa da Indústria. Antes do reinicio propriamente dito, porém, o dia foi movimentado na Fiec, com dois eventos em paralelo ocupando os auditórios da entidade representativa dos industriais.

Em um deles, o prefeito Roberto Cláudio e a secretária Águeda Muniz apresentaram a Certificação Ambiental Fator Verde, selo que possibilitará que o Município certifique construções sustentáveis, com o objetivo de alcançar índices de sustentabilidade de construções e uma melhoria na qualidade de vida urbana.

Já o secretário de Ciência e Tecnologia do Estado (Secitece), Inácio Arruda, apresentou o relatório final do “Estudo de Viabilidade para a Implantação do Parque Tecnológico do Ceará”. O estudo de viabilidade do Parque Tecnológico é resultado de diversas oficinas coordenadas por uma consultoria feita pelo Banco Mundial a pedido da Secitece. Durante cinco meses, vários atores de instituições ligadas à Ciência e Tecnologia – UFC, Uece, IFCE, Embrapa, Padetec, Nutec, Centec, Sistema Secitece, BNB, Fiec, Sebrae, instituições de Ensino Superior, entre outras – estiveram envolvidos nas discussões que culminaram no documento.

(Fiec)

Indústria recua em oito locais em novembro de 2016, diz IBGE; Ceará tem terceira maior queda

Porto-do-Pecém-7

A produção industrial recuou em oito dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na passagem de outubro para novembro deste ano. A maior queda foi observada na Região Nordeste (-5,2%). O resultado da região agrega a indústria de todos os seus nove estados.

Os três estados nordestinos que também são analisados individualmente tiveram as maiores quedas em novembro: Pernambuco (-4,9%), Bahia (-2,1%) e Ceará (-1,9%). Outros estados com recuos em suas produções industriais foram Goiás (-1,6%), Rio de Janeiro (-1,2%), Rio Grande do Sul (-0,8%) e Espírito Santo (-0,5%).

Santa Catarina manteve sua produção estável na passagem de outubro para novembro. Cinco estados tiveram crescimento: Pará (6,6%), Minas Gerais (5,9%), Amazonas (4,4%), Paraná (2,4%) e São Paulo (1,6%).

(Agência Brasil)

Pesquisa CNI mostra queda nos índices de atividade industrial em novembro

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou pesquisa Sondagem Industrial correspondente ao mês de novembro. Ela mostra continuidade na queda dos índices da atividade industrial, embora em ritmo menos intenso. O indicador de emprego mostra a tendência do mês com menos empregos no setor, mas com uma queda menor se comparado com o ano anterior.

De acordo com o sistema utilizado pela pesquisa, todos os índices abaixo de 50 pontos indicam queda (quanto menor o número, maior a queda do índice) e, acima dessa marca, um aumento. O indicador de número de empregados permaneceu estável em 45,8 pontos, ou seja, continua caindo, embora menos do que caía em 2015. Naquele ano, foram registrados 42 pontos.

A produção foi melhor do que no mês passado, mas também abaixo dos 50 pontos. Nessa leve melhora, passou de 45,8 pontos para 47 pontos. Todos os quatro índices de expectativa (demanda, número de empregados, compra de matérias-primas e quantidade exportada) estão abaixo da linha dos 50 pontos. Com exceção do número de empregados, todos os índices chegaram a atingir números positivos em algum momento, o que durou até os meses de setembro e outubro, mas caíram em novembro.

O índice de intenção de investimento, medido pela pesquisa, segue a tendência. A boa perspectiva está na reação dessa intenção, que vem em tendência de melhora desde abril, embora ainda não atinja um patamar positivo. Naquele mês, a intenção de investimento ficou abaixo de 40 pontos e agora chega aos 44,6 pontos.

(Agência Brasil)

Senai no Ceará faz teste de desempenho acústico

O Senai Ceará é pioneiro no Norte e Nordeste a realizar medição de desempenho acústico de edificações habitacionais para cumprimento da norma NBR 15.575.

Um dos diferenciais do Senai é que ele leva até a sua obra o equipamento, para realização in loco do teste. O público-alvo são as construtoras.

Mais informações com o consultor Anderson Moreira, do Senai Cetis, pelo e-mail amoreira@sfiec.org.br ou pela Central de Atendimento do Sistema Fiec: 4009. 6300.

(Senai-CE)

Prêmio FIEC por Desempenho Ambiental será entregue na quinta-feira

foto fiec 160903 prêmio ambiental

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) entrega na próxima quinta-feira (8) o Prêmio FIEC por Desempenho Ambiental. A solenidade será realizada na unidade do SESI na Barra do Ceará (Av. Francisco Sá, 6623), às 8h30. Concorrem à premiação 14 projetos de nove indústrias filiadas aos sindicatos associados ao Sistema FIEC.

O prêmio, em sua 12ª edição, tem por objetivo reconhecer as iniciativas e a atuação das empresas em prol da preservação do meio ambiente. É dividido em quatro modalidades: produção mais limpa, reuso de água, educação ambiental e integração com a sociedade.

Neste ano, as empresas que concorrem ao prêmio são Solar Br – Coca Cola, Companhia Siderúrgica do Pecém – CSP, Ecomax, Paraipaba Agroindustrial LTDA, Companhia Energética do Ceará (Coelce), Ceagra – Grupo Tavares, Sindicato das Empresas de Reciclagem de Resíduos Sólidos e Industriais do Estado do Ceará (Sindiverde), Ypióca – Unidade Paraipaba (Usina) e Sanebrás.

Segundo o gerente do Núcleo de Meio Ambiente (Numa), Renato Aragão, os projetos inscritos são avaliados por uma comissão composta por técnicos de excelente formação e destaque no cenário ambiental, técnico e político do Ceará. Entre os candidatos, o primeiro lugar em cada modalidade recebe uma placa alusiva ao prêmio, acompanhada de um diploma. Os demais recebem certificados pela participação.

Neste ano, nove empresas concorrem ao Prêmio Fiec por Desempenho Ambiental. São elas: Solar Br – Coca Cola, Companhia Siderúrgica do Pecém – CSP, Ecomax, Paraipaba Agroindustrial LTDA, Companhia Energética do Ceará, Ceagra – Grupo Tavares, Sindicato das Empresas de Reciclagem de Resíduos Sólidos e Industriais do Estado do Ceará, Ypióca – Unidade Paraipaba (Usina) e Sanebrás.

Empresários querem acordos comerciais com EUA e União Europeia, diz CNI

Os Estados Unidos e a União Europeia são considerados os parceiros mais atrativos para acordos comerciais, de acordo com a maioria dos empresários brasileiros que trabalham com exportações. A informação está na pesquisa Desafios à Competitividade das Exportações Brasileiras, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com a Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas (FGV). O estudo ouviu 847 empresas de pequeno, médio e grande portes das cinco regiões do país.

Questionados sobre países com os quais seria desejável fazer acordos comerciais, 23,9% mencionaram os Estados Unidos, 6,8% a China, 3,7% o México e 3% a Argentina. No caso de blocos econômicos, 16,1% citaram a União Europeia, 3,9% o Mercosul e 2,8% o Nafta (em português, Acordo Norte-Americano de Livre Comércio, abrangendo os EUA, México e Canadá).

O consultor Welber Barral, da Barral M Jorge Consultores Associados, explica que, apesar de importante, o Mercosul é visto como um bloco problemático. “Há muita crítica ao Mercosul que, de fato, agora está atravessando um momento ruim. O bloco é lento para tomar algumas decisões, mas é quem compra a maior parte dos manufaturados brasileiros”, diz.

(Agência Brasil)

CNI aponta que construção civil mantém queda, mas em ritmo menor

A indústria da construção civil continua a apresentar queda em seu nível de atividade. Entretanto, a sondagem feita no mês passado e divulgada nesta quinta-feira (21) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que a desaceleração do setor perdeu fôlego em junho, confirmando tendência de recuperação observada desde o início do ano.

O índice de evolução do nível de atividade da construção civil foi de 41,2 em junho, ante os 40,1 observados em maio. Quanto mais esse número se aproxima de 50, menor é a redução da atividade no setor. Em dezembro de 2015, esse índice se encontrava 33,3, o menor nível da série histórica iniciada em 2009.

A recuperação foi mais intensa nas empresas de portes pequeno (de 39,2 para 43,8 pontos) e médio (de 39,2 para 41,3 pontos).

Segundo a pesquisa, o nível de atividade da construção civil registrado em junho continua bem abaixo do usual para o mês. A utilização da capacidade de operação do setor, por exemplo, ficou em 56%, quatro pontos percentuais abaixo do auferido em junho de 2015 e oito pontos percentuais abaixo da média histórica para o mês.

Como o índice da CNI continua a retratar uma queda na atividade dos canteiros de obras, mesmo que em um ritmo menos agressivo, a construção civil segue demitindo mais que contratando. A evolução do número de empregados ficou em 38,1 pontos, ainda indicando demissões por estar abaixo dos 50 pontos, mas com ritmo estável em relação ao mês anterior.

Os principais problemas relatados pelos empresários da construção civil foram a demanda insuficiente, a elevada carga tributária e as altas taxas de juros da economia.

(Agência Brasil)

Fiec parabeniza senador Tasso por parecer na transparência das estatais

foto tasso homenagem fiec

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) destacou em publicações a iniciativa do senador cearense Tasso Jereissati (PSDB), que resgatou na condição de relator o texto original do projeto de Lei de Responsabilidade das Estatais, ao proibir a nomeação de dirigentes ligados a partidos políticos ou sindicatos para cargos de direção e para os conselhos de administração das estatais.

Aprovado esta semana no Senado, o projeto havia sofrido alterações na Câmara dos Deputados que afetariam a transparência da gestão e dos gastos dos recursos públicos nas estatais.

Para Tasso, “a regra é evitar as práticas de corrupção identificadas pela operação Lava-Jato”.

‘Doutor Ivens construiu um mar de oportunidades’, diz deputado federal José Airton

foto josé airton e ivens

O coordenador da Bancada Federal do Ceará, deputado José Airton Cirilo (PT), lamentou a morte do empresário cearense Ivens Dias Branco, presidente do Grupo M. Dias Branco. Confira:

Dr. Ivens nos deixa um legado de quem construiu um mar de oportunidades e capitaneou o crescimento industrial e econômico do Ceará e do Brasil. “Um homem de fé, determinado, respeitado pela sociedade e admirado pelos seus colaboradores”.

Nesse momento de dor, envio minhas condolências à família, na pessoa de sua esposa Dona Consuelo Dias Branco, filhos, netos e parentes.

Eunício destaca o legado de Ivens Dias Branco

foto eunício e ivens

O senador Eunício Oliveira lamentou a morte do empresário Ivens Dias Branco, ocorrida nessa sexta-feira (24). Eunício iniciou a vida profissional, aos 13 anos de idade, após oportunidade do “seu Ivens”.

“Aprendi com ele o que é trabalho, ética, correção, decência e a construir a vida pelo dinamismo, pela coragem, pelo discernimento e pela vontade de vencer. Ele deixou um legado para todos os cearenses, para os brasileiros e para a sua família”, comentou Eunício.

Beto Studart homenageia ‘seu Ivens’ com logomarca que marcou o grupo M Dias Branco

foto ivens homenagem beto studart

O presidente da Fiec, Beto Studart, homenageia o empresário Ivens Dias Branco, que morreu nessa sexta-feira (24), com a logomarca que mais caracteriza o grupo M Dias Branco: o bonequinho do Macarrão Fortaleza.

 

Ivens Dias Branco – Câmara Municipal de Fortaleza decreta luto oficial

Em nota enviada à imprensa, o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), decretou luto oficial pela morte do empresário Ivens Dias Branco, ocorrida nesta sexta-feira (24). Confira:

A Câmara Municipal de Fortaleza, em luto oficial, rende homenagem ao empresário e Cidadão Honorário de Fortaleza Ivens Dias Branco. Homem de inúmeros méritos, tirocínio ímpar e simplicidade incomum, Sr. Ivens conquistou não só o sucesso empresarial, mas também a admiração dos fortalezenses. Aos familiares e colaboradores do Grupo M Dias Branco nossas sinceras condolências.

Fiec destaca trajetória empreendedora de Ivens Dias Branco

Em nota enviada ao Blog, a Fiec destaca a aptidão empreendedora, a simplicidade, a criatividade e a praticidade de Ivens Dias Branco. Confira:

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) manifesta profundo pesar pelo falecimento do industrial Ivens Dias Branco.

Empresário visionário, iniciou aos 19 anos sua trajetória, quando, ao lado do pai, Manuel Dias Branco, passou a desenvolver sua aptidão empreendedora para os negócios com simplicidade, criatividade e praticidade. Atuou em diversos segmentos empresariais, sendo proprietário do maior grupo do setor de alimentos da América Latina, o M. Dias Branco, que hoje gera mais de 16 mil empregos diretos.

Em 1992, foi agraciado com a Medalha do Mérito Industrial e, em 2004, com a Ordem do Mérito Industrial.

O presidente Beto Studart e a diretoria da FIEC consideram uma perda irreparável de um empreendedor exemplo de trabalho e determinação para o Ceará e para o Brasil.

Deputados brasileiros discutem no Panamá a desindustrialização na América Latina

daniloforte

“Estratégias para superar a desindustrialização na América Latina e no Caribe” é o principal tema na reunião desta terça-feira (14), no Panamá, da Comissão de Assuntos Econômicos, Dívida Social e Desenvolvimento Regional do Parlamento Latino-Americano (Parlatino).

Sob a presidência do deputado federal Danilo Forte (PSB-CE), parlamentares brasileiros debatem ainda, até esta quarta-feira (15), “Assuntos Trabalhistas”; “Segurança e Cidadania”; “Direitos Humanos com enfoque nas Políticas Carcerárias”; e “Foro Parlatino/PNUD”.

O colegiado do Parlamento Latino-Americano possui representantes de 33 países.

Encontro Industrial EIM – Prêmio destaca empreendedorismo no Ceará

foto pedro lima três corações

Após homenagear empreendedores na economia nordestina, a exemplo de Beto Studart (presidente do Grupo BSPAR e atual presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – Fiec), Ivan Bezerra (presidente da TBM Têxtil Bezerra de Menezes), Raimundo Delfino (controlador do grupo Santana Textiles), Ivens Dias Branco (presidente do Grupo M. Dias Branco) e Alexandre Grendene (presidente do Grupo Grendene), a EIM Instalações Industriais homenageou neste fim de semana o empresário potiguar Pedro Lima, do grupo Três Corações, em evento ocorrido no bairro Cambeba.

Um dos maiores produtores de café do País, com mais de 20% do segmento, Pedro Lima comanda um conglomerado que fatura mais de R$ 2 bilhões por ano.

As homenagens marcam o Dia da Indústria e também o dia do empreendedorismo, da coragem, da competência, do civismo. Segundo a EIM, “é uma data na qual são homenageados clientes e parceiros do setor industrial, diante de um reconhecimento a empresários e personalidades com atuação marcante no impulso do desenvolvimento econômico do Ceará”.

A EIM foi criada em 1956 pelo italiano Luigi Poluzzi, em Recife, para oferecer à indústria soluções especializadas em montagens industriais e instalações eletromecânicas. Em 1988, a empresa ampliou suas operações para Fortaleza. Hoje, possui um portfólio de mais de 400 clientes no Brasil, atuando também no exterior e diversificando seu atendimento em novos segmentos.

Fiec recebe novo Country Manager da Enel Brasil

beto

O presidente da Fiec, Beto Studart, recebeu nesta sexta-feira (10) o executivo Carlo Zorzoli, novo Country Manager da Enel Brasil.

Formado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Roma e com MBA pela Duke University, Fuqua School of Business, Carlo ocupava desde 2005 o cargo de presidente da Enel Green Power na América Latina.