Arquivos da categoria: Policia

Aníbal Gomes passa mal em Brasília

O deputado federal Aníbal Gomes (PMDB) foi internado às pressas, nesta quarta-feira, com embolia pulmonar. Ele passou mal na hora do almoço e seguiu para o Hospital Santa Lúcia, em Brasília. No momento, está na UTI fazendo exames.

Aníbal Gomes é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Em dezembro, o STF aceitou a denúncia formulada pelo Ministério Público e ele virou réu na Lava-Jato.

(Veja Online/Foto – Paulo MOska)

Furto ao BC – Policia do Paraná prende um dos envolvidos no caso

Policiais militares do Paraná prenderam nesta quarta-feira, 29, em Borrazópolis (PR), no Vale do Ivaí, um dos assaltantes que participaram do furto ao Banco Central em Fortaleza (CE), em agosto de 2005. O crime é considerado um dos mais ousados já registrados no País e apenas uma parte dos mais de R$ 164 milhões levados dos cofres do banco foi recuperada.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná, Jean Ricardo Galian, conhecido como “Gordo”, foi detido nas primeiras horas da manhã, em uma ação coordenada que mobilizou 15 policiais do 10º Batalhão da Polícia Militar e da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar (PM).

Com cinco mandados de prisão em aberto expedidos pela Comarca de Araçatuba (SP), Galian foi localizado no sítio de parentes, na zona rural de Borrazópolis. Ele já tinha sido abordado por policiais nessa terça-feira, 28, na cidade de Mauá da Serra (PR). Os agentes estranharam seu comportamento ao flagrá-lo dentro de um veículo blindado, junto com outro homem. Os dois suspeitos apresentaram documentos e foram liberados. Só depois disso os policiais descobriram que a documentação apresentada era falsa e que um dos indivíduos era Galian.

“A partir daí foi montada a ação deflagrada por volta das 6 horas da manhã desta quarta”, explicou o comandante do 2º Comando Regional da PM, coronel Marcos Antônio Wosny Borba, contando que o detento voltou a apresentar documentos falsos para evitar a prisão. Procuradas pela reportagem, nem a Polícia Militar do Paraná, nem a Secretaria de Segurança Pública souberam informar se Galian cumpriu integralmente a pena pelo furto ao Banco Central e a natureza dos cinco mandados de prisão em aberto.

Galian foi detido em flagrante, em setembro de 2006, enquanto participava da escavação de um túnel que daria acesso aos cofres de agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Rio Grande do Sul (Banrisul). Após confessar ter ajudado a escavar o túnel de cerca de 75 metros de comprimento por meio do qual a quadrilha chegou ao cofre do Banco Central, em Fortaleza, “Gordo” foi condenado, em dezembro de 2007, a 40 anos e seis meses de reclusão pelos crimes de furto, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Pouco tempo depois, a Justiça reduziu sua pena a oito anos e seis meses de prisão.

Durante seu julgamento, Galian afirmou à Justiça que pagou mais de R$ 2,4 milhões a policiais que o haviam detido e liberado após o pagamento de propina em pelo menos três ocasiões. Advogados de outros acusados chegaram a afirmar que, a exemplo de Galian, seus clientes também tinham sido soltos após pagar propina a policiais de São Paulo e do Ceará que já os tinham detido antes deles serem definitivamente presos e julgados.

O túnel, no qual a quadrilha acessou o cofre do Banco Central foi aberto a partir de uma casa alugada pelo grupo, que montou uma empresa de fachada no local para não chamar a atenção. Os bandidos levaram mais de R$ 164 milhões em cédulas de R$ 50 durante um final de semana. As notas tinham sido recolhidas para verificação do estado de conservação.

(Agência Brasil)

Cabral terá maratona de depoimentos na próxima semana

O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, vai enfrentar uma longa maratona de depoimentos na próxima semana. A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

Entre a quarta (5) e a terça (11), Cabral será ouvido cinco vezes pelo juiz da 7ª Vara Federal do Rio, Marcelo Bretas.

Prédio do antigo Colégio Rachel de Queiroz vai virar mais um “gueto”?

Da Coluna Vertical, do O POVO desta quarta-feira:

O antigo Colégio Rachel de Queiroz, na rua José Leon, bairro Cidade dos Funcionários, está se transformando em um novo Gueto, lembrando aquele cortiço tomado pelo tráfico de armas e drogas na Barra do Ceará.

Abandonado, o estabelecimento foi ocupado pela indústria da invasão. Já são dezenas de famílias na escola abandonada. O prédio é particular, assim como a antiga fábrica Villejack, que hoje é um dos pontos de violência em Fortaleza.

Daqui a pouco, a SSPDS anuncia uma operação midiática para o Rachel de Queiroz. Todos concordam: não adianta só a polícia ocupar guetos. É preciso também políticas públicas para que o Estado, assim, neutralize o poder do tráfico nessas áreas.

Operação Lava Jato – Força-Tarefa manda prender cinco dos sete conselheiros do TCE do Rio

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) é alvo de nova etapa da Operação Lava-Jato no Rio. A delação premiada do ex-presidente do órgão Jonas Lopes de Carvalho Filho levou à ação contra cinco conselheiros em pelo menos dois esquemas de arrecadação de propina para fazer vista grossa para irregularidades praticadas por empreiteiras e empresas de ônibus que operam no estado. São alvos de prisão preventiva os conselheiros Aloysio Neves (atual presidente); Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio Alencar e José Maurício Nolasco. Já o presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB), é alvo de condução coercitiva.

A operação de hoje tem como principal suporte, além da delação do ex-presidente do TCE Jonas Lopes de Carvalho Filho, a de e seu filho, o advogado Jonas Lopes de Carvalho Neto, homologadas recentemente pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Félix Fischer, que autorizou os mandados de prisão e condução coercitiva.

A operação, batizada de “O Quinto do Ouro”, é uma referência ao imposto correspondente a 20% que a Coroa Portuguesa cobrava dos mineradores de Ouro no período do Brasil Colônia.

A força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) e 150 agentes da Polícia Federal cumprem, desde as 6 horas desta quarta-feira, 43 mandados, a maioria deles na cidade do Rio, em Duque de Caxias e São João do Meriti. Por se tratar de uma investigação que tem como alvos membros de um Tribunal de Contas Estadual, os trabalhos correm sob a Presidência de um Ministro do STJ no curso de um Inquérito Judicial.

(Com O Globo)

Caso Débora – Mãe da menina forneceu à Pefoce retrato falado com características do criminoso

O desaparecimento da menina Débora Lohany de Oliveira, de quatro anos, desde a noite de segunda-feira, 27, na Aerolândia, gerou comoção e mobilizou forças de segurança do Estado e moradores da região. A mãe da criança, Daniele de Oliveira Santos, disse ao O POVO que Débora brincava com um amigo na calçada da avenida Raul Barbosa, perto de casa, quando um homem a levou, por volta das 20h40min.

Até o fechamento desta página, a criança continuava desaparecida. No fim da tarde de ontem, a mãe da criança esteve na Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa) para ajudar na confecção de um retrato falado do raptor. O POVO apurou que teria havido contradição na descrição apresentada por ela.

“Ela (Débora) estava brincando. Dei até um danone a ela. Fui na cozinha e, quando voltei, ela não estava mais lá. Procurei na casa dos coleguinhas, na minha tia que ela sempre ia, e nada”, lamentou a mãe à reportagem.

Proprietário de uma oficina mecânica na avenida Raul Barbosa, Erenildo Caetano, 39, conta que a garota estava próxima à loja dele. “Minha esposa ouviu um choro aqui embaixo. Quando desceu, tinha um garoto chorando aqui e um homem de boné estava atravessando a Raul Barbosa com a menina”, relatou.

Ela (Débora) estava brincando em frente à nossa casa. Dei até um Danone a ela. Fui na cozinha e quando voltei ela não estava mais lá.

No fim da tarde de ontem, na Dececa, a mãe de Débora forneceu informações para que fosse feito o retrato falado do criminoso. Não ficou claro como ela conseguiu descrever o suspeito do crime, já que ela não teria presenciado o rapto. Conforme a Polícia Civil, o suspeito é conhecido na região, mas não foram dados mais detalhes para não atrapalhar as investigações. Daniele deve ser intimada a depor novamente hoje. Na noite de ontem, o perito responsável já tinha o retrato falado em mãos, mas a imagem ainda não foi divulgada.

Antes disso, durante a tarde, um homem que teria características semelhantes às do suspeito do crime chegou a ser encaminhado à Dececa. O homem estava no perímetro onde são realizadas as buscas, mas, conforme a Polícia, não seria o responsável pelo rapto de Débora. Ele prestou depoimento na condição de testemunha, sendo liberado posteriormente. A Polícia Civil mostrou preocupação com a viralização da foto do homem nas redes sociais, diante do risco de ele ser confundido com o suspeito e ser alvo de linchamento.

Buscas

Após o alerta do rapto na comunidade, os moradores começaram as buscas em matagal na Raul Barbosa, que seguiu até as 3 horas de ontem. O helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) foi acionado à 00h10min, de acordo com o tenente-coronel Marcus Costa, relações públicas da Ciopaer. A aeronave parou à tarde apenas para abastecer.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que as investigações sobre o caso estão a cargo Dececa, com apoio do Departamento de Inteligência Policial (DIP).

Conforme a pasta, as buscas são realizadas por policiais militares do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), da Companhia de Policiamento com Cães (CPCães) do Batalhão de Choque (BPChoque), do Policiamento Ostensivo Geral e do Ronda. Trabalham ainda no caso bombeiros de buscas e resgate com cães e da guarnição de salvamento. Trechos do rio Cocó também estavam sendo patrulhados por embarcações do BPMA.

(O POVO – Repórter Igor Cavalcante e Jéssika Sisnando)

MPF pede que Justiça mantenha presos operadores de Sérgio Cabral

O Ministério Público Federal (MPF) requereu ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) a manutenção das prisões preventivas de três operadores da organização do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. As informações foram divulgadas nesta terça-feira (28) pela assessoria do MPF. A íntegra da nota pode ser lida na página do órgão na internet.

A Procuradoria Regional da República emitiu pareceres contra habeas corpus a três réus envolvidos no caso por lavagem de dinheiro e associação criminosa: Luiz Paulo Reis, Wagner Jordão Garcia e Sérgio Castro de Oliveira.

O MPF sustentou a necessidade das prisões preventivas dos réus das Operações Calicute (Reis e Jordão) e Eficiência (Oliveira), ressaltando que as investigações revelam a importância das suas atuações na organização criminosa, responsável por graves delitos de corrupção e lavagem de dinheiro. Segundo o MPF, a libertação dos três poderia comprometer a aplicação da lei penal, bem como risco de fuga, ressaltando que a prisão domiciliar seria insuficiente para resguardar a ordem pública.

(Agência Brasil)

Acusado de matar mulher por vingança é condenado a 13 anos de prisão

O Conselho de Sentença do 2º Tribunal do Júri de Fortaleza condenou o réu Tiago Alves Duarte a 13 anos de reclusão, em regime fechado, por homicídio qualificado (motivo torpe e recurso que impossibilitou defesa). Ele foi julgado pelo assassinato de Beatriz das Chagas Martins, ocorrido dentro da própria casa da vítima. O julgamento ocorreu na sexta-feira (24), no 2º Salão do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, informa o site do TJCE.

A sessão foi presidida pelo juiz Henrique Jorge Holanda Silveira, titular da 2ª Vara do Júri da Capital. A acusação ficou por conta da promotora de justiça Alice Iracema Melo Aragão. Já defesa foi feita pela defensora pública Lara Teles Fernandes. Os jurados acataram a tese da acusação e rejeitaram a da defesa, que sustentou o argumento de homicídio privilegiado por “relevante valor moral” e pediu a retirada das qualificadoras. A defesa apelou da decisão.

Conforme o processo (nº 0041802-79.2013.8.06.0001), o crime ocorreu no dia 27 de março de 2013, por volta das 12h, na Travessa Alvorada, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza. Segundo as alegações finais do Ministério Público do Ceará (MPCE), cerca de dois meses antes do fato, houve um desentendimento entre a filha do acusado e a vítima, quando a primeira atingiu a última com uma bola suja de lama.

De acordo com o MPCE, a vítima repreendeu a criança, inclusive com ameaça de agressão. A rixa culminou no homicídio por vingança (motivo torpe), com o réu indo até a residência da vítima e efetuando disparos de revólver contra ela, mantando-a sem possibilidade de defesa. O órgão ministerial sustenta que a prova da autoria está tanto nos depoimentos das testemunhas quanto na confissão do réu.

Já a defesa, também nas alegações finais, disse que a vítima era perigosa e que já havia cometido crime de tráfico de drogas. Assim, o acusado temia que ele ou membros de sua família fossem mortos, pois sofria constantes ameaças.

José Dirceu: “Estou preso há 20 meses sem culpa formada em última instância”

O juiz Sergio Moro, que toca a operação “lava jato” em primeiro grau, usa um despacho de prisão para justificar o outro, de forma a impedir que as ordens sejam questionadas. É que o afirma o ex-ministro José Dirceu, condenado a 11 anos e 3 meses pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados a contratos da Petrobras.

Em carta publicada nesta segunda-feira (27/3) pelo site Nocaute, do jornalista Fernando Morais, Dirceu afirma que sua prisão é ilegal e inconstitucional, além de contrariar a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal. Dirceu tem outra condenação, a 20 anos, por corrupção, lavagem e integrar organização criminosa, mas não teve nenhum recurso julgado pela segunda instância ainda. “Não há base legal para a manutenção da minha prisão preventiva”, afirma, no texto.

A última condenação de Dirceu foi por recebimento de propina com dinheiro de contratos superfaturados para fornecimento de tubos entre Apolo Tubulares e a Petrobras. De acordo com a sentença, o ex-ministro recebeu R$ 1,4 milhão em propina por meio do ex-diretor de serviços da estatal Renato Duque.

Segundo Dirceu, o despacho de prisão é uma manutenção da preventiva já decretada em agosto de 2015, por causa da condenação por corrupção e lavagem de dinheiro proveniente de contratos superfaturados assinados entre a Petrobras e a Engevix. E, naquele despacho, Moro diz que a preventiva é instrumental para aquela ação penal.

De acordo com o ex-ministro, Moro fez isso para forçar sua defesa a começar os Habeas Corpus do zero a cada prisão. Mas a tese de seus advogados, coordenados pelo criminalista Roberto Podval, é a de que se trata da mesma prisão, justificada com outros fatos. Por isso, o HC que ele tem pendente de análise pela 2ª Turma do Supremo pode abranger também a nova condenação.

Na sentença, Moro afirma que Dirceu tem “papel central” no esquema da Petrobras porque foi o responsável pela indicação de Renato Duque para uma diretoria da empresa.

Dirceu rebate: “Moro não tem uma prova sequer de que eu tinha ‘papel central’ na Petrobras. Não existe nenhum empresário ou diretor da Petrobras à época que o afirme; não há um fato, uma licitação, um gerente, um funcionário, que justifique ou comprove tal disparate”.

(Consultor Jurídico)

MP do Ceará fecha convênio com Consulado Geral dos EUA

Promover a colaboração entre os serviços de inteligência cearense e norte-americano no combate ao tráfico de drogas, de seres humanos, lavagem de dinheiro e fraude de documentos e compartilhar expertises e técnicas de investigação eis o objetivo do Termo de Cooperação Técnica Internacional que será firmado nesta quarta-feira (29), às 9 horas, entre o Ministério Público do Ceará e o Consulado Geral dos EUA, por meio do Serviço de Segurança Diplomática – Investigações Criminais no Exterior.

O ato de assinatura do documento envolverá o​​ procurador-geral de justiça, Plácido Rios, e pelo cônsul-geral do Consulado dos EUA no Recife, Richard Reiter, e ocorrerá no​ p​lenário dos Órgãos Colegiados da PGJ (Bairro Joaquim Távora). “Essa cooperação trará melhorias nas nossas ações de combate à criminalidade, principalmente, em delitos de mais difícil elucidação, que envolvem corrupção, tráfico de drogas e organizações criminosas, que, inclusive, já se proliferam e condensam um número absurdo no nosso Estado”, afirma o procurador-geral de justiça, Plácido Rios.

Outro destaque apontado pelo PGJ é a cooperação no combate aos crimes que ultrapassam as fronteiras brasileiras. O termo prevê obrigações às duas entidades. Entre as obrigações comuns, estão a cooperação nas investigações para combater a produção e o uso de documentos fraudulentos; e a investigação de crimes relacionados ao terrorismo, crime organizado, corrupção, tráfico de seres humanos, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e produção e distribuição de documentos falsos.

Caixa Econômica lembra os 73 anos da Polícia Federal

A Polícia Federal comemora 73 anos de atividades. Quem está fazendo esse lembrete, com mensagem para quem está usando seus caixas eletrônicos,  é a Caixa Econômica Federal.

Bom lembrar que a Operação Lava Jato é uma ação tocada pela PF e que vem desnudando a corrupção dos bastidores da política brasileira.

Seminário prepara fiscais contra a corrupção no serviço público

A Ação Cearense de Combate à Corrupção e Impunidade vai promover, nesta terça e quarta-feira, seu II Seminário de Capacitação para o Controle Social. Os trabalhos começam a partir das 9 horas, na Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho – 7ª Região (Bairro Meireles).

No cronograma, palestras com os temas Transparência Pública, Acesso a Informação, Licitações, Fiscalizações de Obras e Serviços Públicos e Prestação de Contas.

O Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas do Estado e o Tribunal de Contas dos Municípios apoiam o evento.

 

Polícia Federal deflagra 30º fase da Lava Jato

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta terça-feira (28), a 39ª fase da Operação Lava Jato. Os mandados judiciais são cumpridos apenas na cidade do Rio de Janeiro. Até a última atualização desta reportagem, não havia mais informações sobre a nova etapa.

A fase anterior da Lava Jato, deflagrada no dia 23 de fevereiro e batizada de Blackout, apura o pagamento de US$ 40 milhões de propinas durante 10 anos. Jorge Luz e o filho dele Bruno Luz são suspeitos de facilitar o pagamento de propinas.

Ainda conforme a força-tarefa da Lava Jato, entre os beneficiários, há senadores e outros políticos, além de diretores e gerentes da Petrobras.

(Portal G1 Paraná).

Lobista vai delatar esquema do PSDB de São Paulo

Adir Assad, operador e lobista que promete entregar os caminhos dos desvios de grandes obras das gestões tucanas em São Paulo, assina sua delação premiada nos próximos dias.

A informação é do jornalista Lauro Jardim, no O Globo.

Expulsão de agentes de segurança cai 96% nos últimos quatro anos

Nos últimos quatro anos, as demissões ou expulsões de agentes de segurança no Ceará pela Controladoria Geral de Disciplina (CGD) caíram 96%. Enquanto 73 servidores foram desligados de suas corporações em 2013, no ano passado, três policiais foram excluídos dos quadros da Polícia Militar (PM), por motivos diversos.

Antes, em 2015, somente um militar foi expulso, o que representa queda de 98% com relação a 2014, quando 48 agentes foram desligados, entre bombeiros, peritos, policiais civis e agentes penitenciários, além de PMs, ampla maioria entre os punidos. Os dados foram solicitados pelo O POVO à CGD.

A expressiva redução salta aos olhos, sobretudo em um cenário de sucessão de medidas adotadas pelo Governo, objetivando manter a reaproximação entre as forças de segurança e o Estado. Relação cujo desgaste teve ápice durante a greve da PM, entre dezembro e janeiro de 2012, o que possibilitou o surgimento de lideranças políticas de oposição ao Executivo.

A controladoria criou uma nova cultura policial, no sentido de que eles sabem que há um órgão estruturado, que exerce vigilância constante”

Desde então, a CGD passou a enfrentar denúncias de uso político e perseguição. Considerada pelo Governo um “divisor de águas” na fiscalização e disciplina dos servidores da segurança, foi tachada de “vilã”, sobretudo por policiais, e alvo de pedidos de extinção por representantes de associações, sob a justificativa de que a missão da pasta estava “desvirtuada”.

Mas a discussão foi arrefecida nos últimos anos. Exceto no período em que estava sendo investigada a Chacina da Grande Messejana, ocorrida em 12 de novembro de 2015. Ao final da apuração, a CGD indiciou 38 PMs por participação nos 11 assassinatos, três tentativas de homicídio, três torturas físicas e uma tortura psicológica registradas na ocasião. O Ministério Público do Ceará (MP-CE), porém, denunciou 45 PMs. A Justiça acatou 44 pedidos.

Interino

Hoje, com 2.326 procedimentos em andamento, a Controladoria, que tem status de secretaria, é a única pasta de primeiro escalão do governo de Camilo Santana (PT) que segue sem um novo titular. Desde o último dia 6 de janeiro, quando a ex-controladora Socorro França foi nomeada secretária da Justiça e Cidadania (Sejus), o órgão está sendo comandado de forma interina pelo controlador-adjunto, Rodrigo Bona.

Ele foi procurado pelo O POVO para falar sobre o desempenho da CGD nos últimos dois anos, mas não concedeu entrevista. Por meio da assessoria de imprensa, o órgão informou apenas que “não possui somente o papel punitivo”, mas realiza atividades “preventivas e educativas por meio de correições, inspeções in loco, sindicâncias, processos administrativos disciplinares civis e militares”.

2017

A CGD também destacou que os números informados têm como base decisões já publicadas no Diário Oficial do Estado (DOE) do Ceará, e que há dados complementares de novas expulsões, ainda não publicados, em razão de trâmites diversos. São os desligamentos de dois policiais civis, em 2015, e dois policiais civis, em 2016. Mesmo considerando estes casos, a redução em 2015, com relação a 2014, seria de 94%. Já a queda registrada em quatro anos seria de 93%.

Em 2017, conforme decisões publicadas no DOE, foram expulsos dois policiais militares e um bombeiro. Em decisões ainda não divulgadas, houve a expulsão de cinco policiais civis e um perito.

SERVIÇO

Denúncias sobre a conduta de agentes de segurança devem ser comunicadas à CGD:

Onde: Avenida Pessoa Anta, 69, Praia de Iracema.

Contato: 3101 5028.

(O POVO – Repórter Thiago Paiva)

Carne vendida no Ceará é de boa qualidade, garante superintendente do MARA no Ceará

Todos os superintendentes estaduais do Ministério da Agricultura foram convocados para reunião, nesta segunda-feira, em Brasília. A convocação partiu do próprio ministério, que vai discutir consequências da Operação Carne Fraca, realizada pela da Polícia Federal neste mês e que detectou esquema de propina envolvendo fiscais e liberação de carne de origem duvidosa.

A superintendente estadual do Ministério da Agricultura, Maria Luiza Rufino, embarcou para essa reunião e garantiu que a carne vendida no Ceará é de boa qualidade. Ela considera o caso da carne podre encontrada no Paraná algo “pontual”, mas que atinge a credibilidade do País, o maior exportador de carnes do mundo.

Propina da Odebrecht era entregue até em cabaré, diz delator

Em depoimento à Justiça Eleitoral, o delator da Odebrecht, Hilberto Mascarenhas, responsável pelo setor de repasses de propina da empresa de 2006 a 2015, relatou que entregas de dinheiro em espécie aconteciam em “lugares absurdos” e até em “cabaré”. A reportagem teve acesso à íntegra do depoimento Hilberto.

Questionado pelo juiz auxiliar da ação que pede a cassação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) da chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer na eleição de 2014 sobre como eram os pagamentos ao marqueteiro João Santana e à esposa dele, Mônica Moura, Hilberto respondeu: Se fossem valores pequenos encontravam num bar, em todos os lugares. Você não tem ideia dos lugares mais absurdos que se encontra, no cabaré.

(Com Agências)

Motorista transportava aparelhos de GPS de caminhões-pipa. Iria burlar entrega de água à população

Um homem foi detido neste sábado (25), em Jaguaribe, a 308 quilômetros de Fortaleza, com dois aparelhos de GPS (Global Positioning System – Sistema de Posicionamento Global) no interior de um veículo de passeio, quando os equipamentos deveriam estar instalados em caminhões-pipa, como forma de monitoramento da distribuição de água potável às populações necessitadas.

Os policiais sargento Baltman, soldado Bleydson e soldado Fábio Júnior, que efetuaram o flagrante, se disseram indignados com a situação, diante da reclamação da população que há dois meses não recebe água em suas casas.

“Também tinha no veículo uma planilha com todo o itinerário que deveria ser feito e todas as cisternas que deveriam ser abastecidas, inclusive repasses de  valores por cada abastecimento diário, que girava em torno de R$ 10 mil, e que onerava os cofres públicos sem a prestação do serviço”, comentaram os policiais, por meio das redes sociais.

O flagrante foi feito na Delegacia Regional de Iguatu, que se encontra de plantão neste fim de semana.

Por uma cidade de paz. Também na periferia

Com o título “Por uma cidade de paz. Também na periferia”, eis artigo do jornalista Haroldo Barbosa. Ele expõe o que foi a IV Caminhada pela Paz no Grande Bom Jardim, evento ocorrido nessa sexta-feira, em Fortaleza, e não pouca críticas ao Pacto Ceará Pacífico. Confira:

Basta de violência. Basta de uma vida sem direitos. Foi com esse mote que os moradores do Grande Bom Jardim saíram às ruas do bairro na sexta-feira, 23 de abril. Nem a chuva que alagou Fortaleza foi mais forte que a vontade/necessidade de protestar.

A IV Caminhada pela Paz no Grande Bom Jardim foi organizada pela Rede de Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável- DLIS, que congrega mais de 20 entidades.

A concentração para o ato aconteceu no Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ) e denunciou a farsa que tem sido o programa “Ceará Pacífico Território Bom Jardim”, cujas 30 propostas previstas nas Matrizes de Prioridades foram entregues ainda em julho do ano passado à vice-governadora do Estado do Ceará, Izolda Cela, coordenadora do Projeto. Até hoje nem a resposta inicial do governo às proposta, que deveria acontecer um mês após a entrega, foi dada.

Na caminhada, vi evangélicos lado a lado com integrantes da Associação Espírita de Umbanda São Miguel.

Vi o MC Goga da Rima,que promove atividades culturais no bairro integrando MCs de toda a cidade, denunciar um suposto suplente de vereador, “Júnior Grandão”, que só vai permitir o uso das praças do bairro para cantar rap se os MCs pagarem uma taxa.

Vi vários cartazes levados por pessoas da comunidade lembrando com carinho a travesti Dandara, brutalmente assassinada e ouvi a fala vigorosa dos integrantes do grupo Asa Branca denunciando o preconceito e os crimes contra GLBTs.

Em outros cartazes li frases como “educação e cultura são também segurança pública” e “sem hipocrisia – a polícia mata na favela todo dia”.

Ouvi a denúncia contra chacinas e a impunidade de quem matou covardemente um jovem no bairro em 2009 e até hoje permanece impune. Eu e uma amiga, integrante do Instituto Ambiental Vira Mundo, lembramos do assassinato do ambientalista Carlos Guilherme, morto em 1º de abril de 2012 no Conjunto José Walter e cujos culpados permanecem impunes até hoje graças à inépcia(ou descaso) da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Ceará.

Vi a participação dos integrantes do MTST e da Ocupação Gregório Bezerra, que não fica no Bom Jardim, mas vieram apoiar a luta.

Vi crianças, juventude, pessoas idosas, muitas mulheres, trabalhadores com rostos sofridos e vi o apoio da população.

Não vi nenhuma equipe ou câmera dos programas policialescos e nem a presença de nenhum dos abutres que apresentam os mesmos.

Não vi a presença do deputado policial que, indo contra provas, Ministério Público, investigação policial e justiça, fala em chamar a população às ruas para garantir a liberdade imediata dos PMs acusados pela chacina do Curió.

Em sua fala,o integrante da Frente de Luta por Moradia Digna e coordenador do Centro de Defesa da Vida Herbert Souza (CDVHS), Rogério Costa, disse que a paz reivindicada na caminhada “Não é a paz do império, não é a paz dos governos, mas a paz que nasce da justiça, a paz que vem de baixo, a paz que nasce da garantia dos direitos para todos e todas”. E essa paz, que também não é a dos cemitérios, só será conquistada com muita luta.

*Haroldo Barbosa
Jornalista

Mais uma delação confirma suposto repasse para Rodrigo Maia

Ex-presidente da Braskem, Carlos Fadigas confirmou, em delação premiada, as informações de Claudio Melo sobre o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ).

Segundo a dupla, Maia teria levado 100 mil reais para ajudar na tramitação de uma MP no Congresso. A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

Além de Maia, também é citado na Lava Jato o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB/CE).