Arquivos da categoria: Redes Sociais

Em vídeo nas redes sociais, Temer diz que “criminosos não sairão impunes”

O presidente Michel Temer divulgou nesta segunda-feira (19) um vídeo nas redes sociais destacando medidas do seu governo até agora e afirmando que as políticas postas em prática têm combatido a corrupção e o enriquecimento ilícito. “Acabamos com os favores que privilegiavam apenas algumas poucas empresas. Cortamos as práticas que permitiam a criminosos crescer à sombra dos ilícitos e do dinheiro público jorrado sem limite e com juros camaradas. E muita gente não gostou disso”, disse.

Temer afirma também, sem citar nomes, que esses criminosos “apontam o dedo para outros tentando fugir da punição”, mas serão responsabilizados. “Já está claro o roteiro que criaram para justificar seus crimes: apontam o dedo para outros tentando fugir da punição. Aviso aos criminosos que não sairão impunes. Pagarão o que devem e serão responsabilizados pelos seus ilícitos”.

A fala de Temer ocorre dias após a publicação de uma entrevista do empresário Joesley Batista pela revista Época. Na reportagem, Joesley disse que sempre que se encontrava com Temer, era para que este “pedisse alguma coisa ou alguma informação”. Ao firmar acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), o empresário entregou uma gravação de uma conversa com Temer, cujo áudio veio a público em maio.

(Agência Brasil)

TSE lança campanha nas redes sociais para acabar com mitos eleitorais

Com o objetivo de esclarecer questões sobre o processo de votação, opções de voto e o resultado de uma eleição, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lança neste domingo (18) em suas redes sociais a campanha Mitos Eleitorais. O primeiro tema a ser abordado na fanpage, no Facebook e no perfil do tribunal no Twitter será “Votar nulo anula uma eleição?”.

A ideia da campanha, que será veiculada este mês e em julho, é desmistificar alguns temas e esclarecer o eleitor brasileiro. Para isso, foram criados nove vídeos de curta duração, animados, com infográficos para as redes sociais.

Os demais temas da campanha são “Voto em branco vai para quem está ganhando?”, “Voto em branco é igual a voto nulo?”, “É eleito sempre o candidato que possui mais votos?”, “Quem não votou na última eleição não pode votar na próxima?”, “Depois da eleição é possível saber em quem o eleitor votou?”, “Quem é convocado para ser mesário, será convocado sempre?”, “Ninguém pode ser preso no dia da eleição?” e “O eleitor pode votar usando a camiseta do seu partido?”.

No Twitter do tribunal, o eleitor também pode participar de um jogo para testar seus conhecimentos.

(Agência Brasil)

Maduro acusa Twitter de desativar milhares de contas de chavistas

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesse sábado (17) que o Twitter desativou milhares de contas de cidadãos do país exclusivamente por eles serem “chavistas” e que isso ocorreu porque a rede social tem medo de que os governistas sejam maioria.

“Fazemos uma denúncia nacional e internacional contra a empresa Twitter da Venezuela, que no dia de hoje desativou milhares de contas de pessoas, de jovens, de trabalhadores, de profissionais, pelo único motivo de serem chavistas”, afirmou Maduro em um ato com militantes do Partido Socialista Unido (PSUV) em Caracas.

O presidente afirmou que a conta da governista Rádio Miraflores foi cancelada e chamou a decisão de “expressão do fascismo”. Além disso, pediu que os responsáveis pela exclusão das contas sejam desmascarados. “Vamos publicar a foto de quem dirige o Twitter na Venezuela”, ressaltou Maduro.

“Claro, eles têm a chave, têm o servidor e disseram acabou: mataram milhares de contas. Mas se eles apagarem mil contas, vamos abrir mais 10 mil, com a juventude e a força revolucionária da opinião pública e da verdade venezuelana”, afirmou o presidente.

Outras contas que parecem estar bloqueadas, segundo o governo, são as da Miraflores TV e a da Rádio Nacional da Venezuela.

“A batalha das redes sociais é muito importante. Eles sabem que é muito importante e utilizam as redes sociais para a guerra psicológica permanente”,acrescentou Maduro.

O ministro de Comunicação e Informação da Venezuela, Ernesto Villegas, disse no Twitter que, até o momento, cerca de 180 contas de órgãos públicos e de “militantes revolucionários” foram desativadas. “Não só contra a Rádio Miraflores e a Rádio Nacional da Venezuela: limpeza étnica contra o chavismo no Twitter é equivalente à queima de pessoas na realidade”.

(Agência Brasil)