Arquivos da categoria: Saúde

Não detectável, remédio derivado da cannabis começa a ser vendido

rshox-hempmeds-launch

A empresa Hemp Meds Brasil recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para importar um remédio derivado da cannabis livre do tetrahidrocanabinol (THC).

Criado nos Estados Unidos, o Real Scientific Hemp Oil-X (RSHO-X) é indicado para crianças que precisam usar o canabidiol no tratamento de epilepsia, mas não devem consumir a substância psicoativa responsável pelos efeitos da maconha.

O remédio também pode ser prescrito para os atletas que passam por testes antidoping. Isso porque o THC é proibido no meio esportivo e o RSHO-X não deixa qualquer traço de THC no corpo.

(Veja Online)

Pesquisadores da Uece descobrem poderoso analgésico à base do veneno de cobra e do sapo

uecee

A Universidade Estadual do Ceará (Uece), por meio do Laboratório de Toxinologia e Farmacologia Molecular do Instituto Superior de Ciências Biomédicas (ISCB), em parceria com a empresa GenPharma, anuncia: acaba de desenvolver poderosos analgésicos a partir do veneno da cobra cascavel e do sapo-cururu. O projeto é coordenado pelo professor do curso de Medicina da Uece, Krishnamurti de Morais Carvalho, e por Maria Denise Fernandes Carvalho, da GenPharma, que recentemente foi aprovada em concurso docente da Uece.

De acordo com Krishnamurti, os novos analgésicos, mais potentes que a morfina, “apresentaram grande eficácia contra as dores neuropáticas experimentais que atingem pelo menos 7% da população mundial, mas cujos tratamentos atuais aliviam apenas cerca de 30% dos pacientes”, além de possuir um mecanismo de ação diferente da morfina, condição que isentará uma série de importantes efeitos colaterais, como dependência física, depressão respiratória e constipação.

Os venenos utilizados no projeto pertencem a animais da biodiversidade do Nordeste, a uma altespécie de cascavel (Crotalus durissus cascavela) e a uma grande espécie de anfíbio, o sapo-cururu (Rinhella jimi), que conseguiram sobreviver e evoluir durante milhões de anos em regiões inóspitas, com secas frequentes e duradouras.

Segundo o pesquisador, graças ao apoio do programa Subvenção Nacional, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e mais recentemente dos programas de Apoio à Inovação Tecnológica em Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (TECNOVA/Finep), e InovaFIT, da Fundação Cearense de Apoio à Pesquisa (Funcap), na fase 1, a Uece e a Genpharma sintetizaram novos peptídeos a partir da estrutura química dos naturais e iniciaram os estudos toxicológicos agudos pré-clínicos, última etapa considerada essencial pela ANVISA, antes da realização dos estudos clínicos no homem.

A pesquisa, que conta também com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é um exemplo bem-sucedido da parceria Universidade/Empresa que contribuiu com o desenvolvimento e conclusão das teses de quatro alunos de doutorado do Programa de Apoio a Projetos de Doutorado Interinstitucional (DINTER) de Ciências Fisiológicas e RENORBIO da Uece, e com uma patente que está aguardando trâmites burocráticos para depósito no INPI.

Campanhas de acesso a contraceptivos por mulheres no Brasil são restritas ao carnaval e à prevenção de DSTs, diz estudo

Mesmo com uma das legislações sobre planejamento familiar mais avançadas da América Latina, o acesso das mulheres a contraceptivos no Brasil é influenciado por correntes religiosas e grupos conservadores. A conclusão está no relatório Barômetro latino-americano sobre o acesso das mulheres aos contraceptivos modernos, que levantou dados sobre direitos reprodutivos no Brasil, México, Colômbia, Argentina e Chile.

O documento, divulgado pela Federação Internacional de Planejamento Familiar/Região do Hemisfério Ocidental, aponta que a influência desses fatores na escolha dos métodos contraceptivos se dá porque as mulheres não têm acesso à informação nem a políticas públicas de educação sexual.

A pesquisa ouviu 20 especialistas de cada país, dos setores público e privado. No Brasil, o estudo foi coordenado pela organização não governamental (ONG) Cepia, que se dedica ao desenvolvimento de projetos que promovem os direitos humanos e a cidadania de grupos vulneráveis.

De acordo com o relatório, de modo geral, os cinco países analisados tratam os temas de direitos sexuais e reprodutivos de forma limitada em campanhas de saúde. No Brasil, as campanhas públicas sobre o tema são quase sempre restritas ao período do carnaval e voltadas especificamente para a prevenção de HIV/Aids.

No documento, a Federação Internacional de Planejamento Familiar elogia a política brasileira de distribuição gratuita de medicamentos contraceptivos no Sistema Único de Saúde (SUS), mas pondera que o acesso é desigual e varia de acordo com a região do país.

(Agência Brasil)

Em visita a Fortaleza, ministro da Saúde anuncia R$ 239,1 milhões para o Ceará

foto-rc-e-camilo-e-ministro-saude-170112

O Ministério da Saúde vai liberar R$ 239,1 milhões para o Ceará. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira, 12, durante a visita do ministro Ricardo Barros às obras do anexo do hospital Instituto Dr. José Frota.

Dessa verba liberada, R$ 179,8 milhões são empenhados de emendas parlamentares. Os outros R$ 59,2 milhões são voltados para o custeio de 264 serviços de saúde do Estado que estavam em funcionamento sem a contrapartida Federal como leitos, Samu, serviços especializados, entre outros.

“Os recursos já estão empenhados e parte está paga. Fora os recursos de obras que estão sendo realizadas com recursos do Governo Federal”, afirmou o ministro.

Ao todo, 48 municípios cearenses receberão tais recursos, que serão voltados para serviços como laboratórios de próteses dentárias, Centro de Especialidade e Reabilitação (CER), além de serviços hospitalares e ambulatoriais de média e alta complexidade.

O governador Camilo Santana e o prefeito Roberto Cláudio acompanham a passagem de Ricardo Barros pela Capital, que inclui ainda uma visita ao Hospital Geral de Fortaleza.

As cidades de Camocim, Fortaleza, Granja e Jijoca de Jericoacoara receberão ainda cinco Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

(O POVO Online / Foto: Eduarda Talicy)

Agenda do ministro da Saúde terá encontro com prefeitos do Ceará

foto-ricardo-barros-ministro-saude

Confirmado. Nesta quinta-feira (12 ), o ministro da Saúde, Ricardo Barros, cumprirá agenda no Ceará.

Em Fortaleza, ele visitarão às 16h30min o Instituto José Frota (Centro), bem como as obras do IJF 2. Em seguida, às 18 horas, visitará o Hospital Geral de Fortaleza (HGF). O objetivo é ver de perto as dificuldades, com promessa de liberação de recursos.

Ricardo Barros encerrará sua agenda ao lado do governador Camilo Santana (PT), quando terá reunião, às 19h30min, com prefeitos e gestores de saúde na Fiec.

Tabagismo pode custar aos países mais de US$ 1 trilhão por ano, diz OMS

foto-cigarro

As despesas de saúde e perda de produtividade econômica em decorrência do uso de tabaco podem custar aos países mais de US$ 1 trilhão por ano. A informação foi divulgada nesta terça-feira (10) pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos da América (NCI), que elaboraram relatório que trata dos impactos do fumo na economia dos países e na saúde da população.

O documento mostra que, se ignorada, a indústria do tabaco traz enormes prejuízos para o sistema de saúde e para as famílias. Atualmente, seis milhões de pessoas morrem prematuramente por ano em decorrência do fumo. A maioria das vítimas está em países em desenvolvimento. Em todo o mundo, 1,1 bilhão de fumantes tem até 15 anos de idade e 226 milhões são pobres.

Por outro lado, investimentos em políticas de controle do uso do tabaco, como aumento de preços e impostos, podem proteger as pessoas das doenças que mais matam no mundo (câncer e problemas cardíacos) e ainda ser para os governos uma fonte de receitas para saúde e desenvolvimento.

De acordo com o estudo, se os países banissem o marketing que incentiva o uso do tabaco e aumentassem os impostos de cigarros em US$ 0,80 por pacote, poderiam gerar um aumento em suas receitas em 47% ou US$ 140 bilhões. O aumento das taxas elevariam em 42% os preços de venda dos cigarros e estimularia o declínio do hábito de fumar para pelo menos 66 milhões de fumantes adultos.

(Agência Brasil)

Anamaria Cavalcante assume Políticas de Saúde de Fortaleza

foto-anamaria-cavalcante-medica

A pediatra e Mestra em Saúde Pública, Anamaria Cavalcante, é a nova coordenadora de Políticas Públicas de Saúde da Prefeitura de Fortaleza.

Ex-secretária de Saúde de Fortaleza, na gestão do então prefeito Ciro Gomes (1989/1990) e superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará, na gestão do então governador Cid Gomes, a médica Anamaria Cavalcante ganhou projeção nacional, após implantar o programa de combate à epidemia de cólera, em 1994, na gestão do então governador Ciro Gomes, com ações posteriormente adotadas pelo Ministério da Saúde.

Ministro da Saúde visita hospitais no Ceará na quinta-feira

foto-ricardo-barros-ministro-saude

Da Coluna Vertical, no O POVO desta segunda-feira (9):

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, cumprirá agenda, nesta quinta-feira (12), no Ceará. Ele vem pelas mãos do deputado federal Danilo Forte (PSB), hoje um dos parlamentares de influência no Palácio do Planalto.

Na agenda dele, ao lado do prefeito Roberto Cláudio (PDT), visita ao Instituto Doutor José Frota (IJF-Centro) e, principalmente, ao canteiro de obras do IJF-2, uma das promessas da campanha de reeleição do pedetista.

Barros, ex-prefeito de Maringá/PR, pelo Partido Progressista (PP), ainda passará pelo Hospital Geral de Fortaleza, com velhos problemas de superlotação, e esticará até o Interior.

Com o governador Camilo Santana (PT), segundo Danilo, ele conhecerá o Hospital Regional de Quixeramobim. O ministro deve assegurar repasse para o custeio daquela unidade hospitalar. É o que, no mínimo, espera o governador e, principalmente, a clientela do Sertão Central.

HGF inscreve para Especialização em Tomografia Computadorizada e Ressonância Magnética

hgf-600x298

O Hospital Geral de Fortaleza inscreve, até o dia 1º de fevereiro, para o curso de Aperfeiçoamento Especializado em Tomografia Computadorizada Multislice e Ressonância Nuclear Magnética. O curso será realizado no HGF, a partir do dia 1º de março. Os residentes selecionados participarão de uma entrevista, análise curricular e prova escrita.

O curso terá duração de 12 meses e tem como objetivo promover uma melhor qualificação dos profissionais que terminam a residência médica. Estão aptos a participarem da seleção médicos radiologistas que tenham concluído três anos de Residência Médica ou estágio reconhecido pelo Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR) em Diagnóstico por Imagem.

Latu sensu

A carga horária é de 30 a 42 horas semanais distribuídas entre atividades presenciais e plantões. A certificação é de pós-graduação lato sensu, em nível de especialização.

SERVIÇO

*As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas presencialmente na secretaria da Seção de Ensino, Aperfeiçoamento e Pesquisa (Seap), do HGF, das 8 às 17 horas.

*Confira o edital e Clique aqui

Fortaleza registra casos da febre de Mayaro, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti

Aedes_aegypti_CDC-Gathany

Da Coluna Vertical, do O POVO desta quinta-feira:

O mosquito Aedes aegypti é mesmo uma praga. Depois de transmitir dengue, zika e chikungunya, eis que aparece agora como transmissor do vírus de Mayaro (Alphavirus genus).

Trata-se de uma febre com sintomas parecidos com os da chikungunya, que começa a se registrar em Fortaleza. São poucas as ocorrências de doença, comum da Região do Amazonas. Aqui desembarcou trazida por visitantes dessa banda do País.

O infectologista Ivo Castelo Branco confirma a chegada desse novo tipo de herdeiro do Aedes aegypti e alerta para a necessidade de se combater o mosquito a todo custo e a qualquer tempo. “Não temos casos locais, mas oriundos do Amazonas.

“É preciso reforçar ações contra o mosquito”, reitera o infectologista.

Mais Médicos – Prazo para inscrições termina nesta quarta-feira

Brasileiros interessados em participar do Mais Médicos têm até hoje (4) para se inscrever no programa. Os profissionais concorrerão a 1,2 mil vagas distribuídas em 563 municípios e dois distritos indígenas. Até o dia 26 de dezembro, 5.887 inscrições já tinham sido homologadas.

Nesta fase, os médicos devem apenas realizar a inscrição no site do programa e submeter a documentação exigida no edital. O resultado das inscrições validadas deve ser divulgado no dia 9 de janeiro.

A seleção de localidades será entre os dias 10 e 11 de janeiro e os profissionais deverão escolher quatro cidades de preferência. Eles serão alocados nas vagas de acordo com critérios de classificação. A novidade é que os médicos que não estiverem totalmente satisfeitos com a alocação, poderão permutar a localidade com outro médico que tenha interesse.

As atividades desses profissionais nas unidades básicas dos municípios começam em fevereiro.

Entre as vagas ofertadas, 708 estão atualmente ocupadas por médicos cubanos, que participam do programa mediante acordo de cooperação com a Organização Pan-americana da Saúde (Opas). As demais vagas são relativas a reposições periódicas de rotina feitas em decorrência de saídas de profissionais.

A meta do governo é substituir 4 mil médicos cooperados em três anos, reduzindo de 11,4 mil para 7,4 mil o número de participantes cubanos no programa. A expectativa é chegar a 7,8 mil brasileiros no Mais Médicos, representando mais de 40% do total de profissionais.

Atualmente, dos 18.240 médicos participantes do programa, 5.274 são formados no Brasil (29%), 1.537 têm diplomas do exterior (8,4%) e 11.429 fazem parte do acordo de cooperação com a Opas (62,6%). Mais de 63 milhões de famílias, de acordo com o governo, são assistidas por esses profissionais e beneficiadas pelo programa.

(Agência Brasil)

Terceirizados do IJF já estão sendo demitidos

frotin

O Frotinha da Parangaba está precisando de reforma. Em alguns setores, há infiltrações no teto, mofo e piso quebrado. Também faltou produto essencial, como material de limpeza, por exemplo, nesta semana, segundo servidores da unidade.

Por falar em Frotinhas, no IJF-Centro começou a dispensa de terceirizados por parte de prestadoras de serviços. is um abacaxi que a secretária municipal da Saúde, Joana Angélica, terá que começar a descascar.

Aliás, no setor público é sempre assim… quando se fala em contenção de despesas, a corda sempre arrebenta do lado mais fraco.

(Foto – Leitor do Blog)

Governo nomeia Nísia Trindade para presidir a Fiocruz

odiroc

Odorico apelou ao ministro em nome da Frente Parlamentar em Defesa do SUS.

Após uma solução negociada diretamente com o presidente Michel Temer sobre a troca de comando na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Ministério da Saúde anunciou nesta tarde que a primeira colocada nas eleições, Nísia Verônica Trindade Lima, vai assumir o cargo de presidente do órgão.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, informou que houve um “entendimento em torno da unidade” da instituição. Nísia, o ministro e a segunda colocada na disputa, Tania Cremonini de Araújo-Jorge, reuniram-se com o presidente que, de acordo com Barros, patrocinou um “momento de conciliação” para a polêmica sobre a sucessão na entidade. Segundo ele, Tania e os demais integrantes da chapa vão participar da gestão de Nísia após uma “conciliação de interesses de união em torno dos objetivos propostos pela Fiocruz”.

Lista tríplice

Na semana passada, após notícias de que o Planalto nomearia a segunda colocada, o atual presidente do órgão, Paulo Gadelha, enviou uma carta a Temer e concedeu entrevistas à imprensa pedindo que o Planalto mantivesse a tradição e nomeasse a candidata mais votada. Via de regra, em órgãos vinculados ao governo, como por exemplo universidades federais, uma lista tríplice é enviada ao presidente da República após eleições internas, que pode escolher o nome que preferir.

O ministro da Saúde admitiu que o nome da segunda colocada, Tania, chegou a ser cogitado, mas disse que a solução negociada desde ontem com Temer foi a “mais adequada” para a Fiocruz. De acordo com ele, mudanças e “avanços” são necessárias no órgão para que tragam resultados como eficiência, aumento da produção de medicamentos e economia para os cofres públicos.

“Lá [na Fiocruz], como em uma eleição do Senado, você pode votar em dois ou três candidatos simultaneamente, portanto não há uma disputa direta entre as candidaturas. As duas tinham mais que os 30% de apoiamento exigidos, portanto estavam habilitadas para serem nomeadas. Então, não há nenhum prejuízo dentro da regra de que qualquer uma das duas fosse escolhida. Então conseguimos, com um pedido do presidente, articular essa solução de união e conciliadora”, afirmou o ministro.

Divulgado em novembro pela comissão eleitoral da Fiocruz, o resultado das eleições trouxe Nísia com 59,7% dos votos em primeira opção e Tania com 39,6% dos votos, também como primeira opção. “A presidente será a Nísia e haverá, da parte do ministério e da chapa da Tania, a possibilidade de interlocução e de participação no processo de busca dos objetivos que foram estabelecidos pelo ministério para a Fiocruz”, disse Ricardo Barros, acrescentando que a ocupação de cargos por Tania não foi discutida.

(Agência Brasil)
DETALHE – Nesta terça-feira, o deputado federal Odorico Monteiro, que preside a Frente Parlamentar em Defesa do SUS, esteve com o ministro Ricardo Barros e apelou pró-indicação da mais votada, no caso Nísia Trindade. Bom lembrar que o Pros é um dos partidos que, nacionalmente, integram a base de apoio do, governo federal.

ICC oferece especialização em Cancerologia

feira-solidaria-icc

O Instituto do Câncer do Ceará (ICC), por meio de sua Escola Cearense de Oncologia (ECO), vai inscrever, a partir desta quinta-feira, para curso de Aprimoramento em Cancerologia na
Área Multiprofissional – nível de Pós-Graduação. As inscrições se estenderão até 20 deste mês.

O ICC ofertará duas vagas por núcleo profissional (Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia e Serviço Social), sendo o preenchimento por ordem de classificação. A duração do Aprimoramento será de 24 meses, com carga horária semanal de 60 horas.

Bolsa

Os candidatos selecionados terão direito a uma bolsa de estudo mensal no valor de R$ 1.550,00. A seleção contará com prova escrita, entrevista e análise de currículo. A prova escrita ocorrerá no dia 11 de fevereiro. O início das aulas está previsto para 1° de março deste ano.

Os bolsistas, em regime de tempo integral, serão acompanhados por profissionais especializados em aulas teóricas e práticas, além de adquirirem conhecimento na rotina de trabalho assistencial do Hospital Haroldo Juaçaba (HHJ).

SERVIÇO

Mais informações podem ser obtidas no site do Instituto/ECO (www.icc.org.br) ou pelo Fone/FAX: (0xx85) 3288-4653.

Vacina HPV – Postos de Fortaleza já disponibilizam para meninos de 12 e 13 anos

vacinan

 

Os postos de saúde de Fortaleza já estão disponibilizando a vacina contra o Human Papiloma Virus (HPV) para meninos de 12 e 13 anos. Até o ano passado, a imunização era apenas para meninas.

A medida segue orientação do Ministério da Saúde, que promoveu mudança no Calendário Nacional de Imunização. Devem ser aplicadas duas doses com intervalo de seis meses.

Para meninas, continua a oferta na faixa etária de 9 anos.

Parceria entre Hospital Universitário e Hemoce é destaque em revista científica britânica

Uma parceria entre o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) ganhou destaque na revista científica britânica mais prestigiada da atualidade, a British Journal of Haematology. A publicação traz o relato de uma paciente de 22 anos, do interior do Ceará, cuja leucemia mieloide aguda foi identificada a partir de exames de sangue que apontaram anomalia importante e rara num grupo de células analisadas.
Após sessões de quimioterapia e acompanhamento no HUWC e no Hemoce, novos exames foram realizados na paciente e não foram mais identificados sinais da doença nela. O relato é assinado pelos médicos Fernando Barroso, chefe do Serviço de Onco-Hematologia do HUWC; Denise Brunetta, chefe da Agência Transfusional do Complexo Hospitalar da UFC; Jacques Kaufman e Lilian de Albuquerque, especialistas do Serviço de Onco-hematologia do HUWC; e Dra. Luciana de Barros Carlos, do Hemoce.
Transplante
A parceria HUWC/Hemoce já contabiliza, até 2016, 67 transplantes de medula óssea, sendo 37 autólogos, 29 alogênicos e um haploidêntico. O transplante do tipo autólogo consiste no autotransplante, ou seja, o próprio paciente é a fonte de células-tronco hematopoiéticas. Nesse procedimento, o paciente faz uso de uma medicação que estimula a produção de células-tronco. A coleta dessas células presentes no sangue é feita por meio de um processo automatizado chamado aférese. Essas células, então, são armazenadas por congelamento. Em um segundo momento, o paciente é internado e submetido a altas doses de quimioterapia e posterior infusão das células-tronco que estavam armazenadas.
Fernando Barroso explica que, no transplante alogênico, há a figura do doador, que pode ser aparentado (irmão, por exemplo) ou não aparentado (proveniente de bancos de doadores, como o Redome – Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea). “O paciente é submetido a altas doses de quimioterapia e, em alguns casos, radioterapia também. Um dia antes de o paciente receber as células-tronco, a coleta é feita no doador. Após a infusão das células doadas, o paciente permanece internado até que a nova medula comece a funcionar normalmente”, explica o hematologista.
Ineditismo
No transplante haploidêntico realizado pela primeira vez no Ceará no dia 18 de outubro passado, houve 50% de compatibilidade entre doador e receptor. Nesse caso, foi a mãe do paciente que doou as células. “A realização do transplante haploidêntico pode ajudar a resolver a questão de pacientes que não têm doador compatível e não podem esperar até encontrar um doador com compatibilidade. A possibilidade de contar com um parente que seja 50% compatível revolucionou a área dos transplantes, porque hoje praticamente todo mundo tem um doador; pode ser o pai, a mãe, um irmão e até um primo”, diz o médico.
A Unidade de Onco-Hematologia do HUWC é a única do Estado a realizar transplante de medula óssea pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e a primeira a fazer o do tipo haploidêntico.
SERVIÇO
*O relato publicado na revista British Journal of Haematology pode ser acessado no link http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/bjh.13565/full
(Com Site da UFC)

Frente Parlamentar em Defesa do SUS teme ingerência política na Fiocruz

FORTALEZA, CE, BRASIL, 11-07-2015: Odorico Monteiro, deputado federal. Primeira plenária estadual do deputado federal Odorico Monteiro, no Hotel Romanos, no bairro Messejana. (Foto: Rodrigo Carvalho/O POVO)

Em Brasília, nesta terça-feira, um grupo da parlamentares médicos terá audiência com o ministro Ricardo Barros (Saúde). Segundo o deputado federal Odorico Monteiro (Pros), hora de cobrar dele a nomeação do primeiro colocado da lista para a presidência da Fiocruz, no caso, Nízia Trindade.

O grupo teme ingerência política num organismo que atua prioritariamente no campo técnico da saúde.

Odorico, que já viajou para estar nessa articulação, preside a Frente Parlamentar em Defesa do SUS na Câmara.

 

Servidores da Saúde do Rio de Janeiro entram em greve

cristoto

Os servidores da Saúde do estado do Rio de Janeiro iniciaram hoje (2) uma greve “até que os salários sejam pagos integralmente”. A decisão foi tomada em assembleia convocada pela Central Sindical e Popular (CSP) Conlutas na quinta-feira (29). Os servidores, de várias categorias, estão sem receber os salários de novembro e dezembro, além do décimo terceiro. A previsão do governo é pagar a primeira de cinco parcelas de novembro nesta quinta-feira (5).

A integrante da diretoria executiva da Conlutas Cíntia Teixeira, que é nutricionista e servidora estadual, diz que a greve é dos servidores públicos e não afeta os trabalhadores contratados via Organização Social (OS), sistema que administra parte dos hospitais e das unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do estado.

“A greve afeta os hospitais Eduardo Rabelo, Azevedo Lima, Getúlio Vargas, Instituto Estadual do Tórax, o próprio prédio da secretaria, a Vigilância Sanitária. Em sua maioria são os ambulatórios, algumas clínicas. UPA é OS, não somos responsáveis sindicalmente, é outro modelo de gestão e outra relação de trabalho, é celetista, não é estatutário, inclusive muitos estão com os salários em dia, diferente dos servidores públicos”.

Cíntia diz que os servidores não recebem auxílio-transporte, portanto, estão sem dinheiro para ir trabalhar. “A Saúde nem passagem recebe do estado, estão com salário atrasado desde novembro e sem vale-transporte, impossibilitando fisicamente de ir ao trabalho, manter uma carga horária já estabelecida, além disso é o transtorno psicossocial”.

A Secretaria de Estado de Saúde, Assistência Social e Direitos Humanos informou, por meio de nota, que “reconhece o direito legítimo de greve, desde que não impeça a manutenção de serviços essenciais”. Segundo a pasta, a greve abrange “cerca de 30% dos funcionários, já que cerca de 70% dos colaboradores desta secretaria já receberam os salários”. E diz que os serviços à população estão sendo oferecidos.

“Vale ressaltar que os servidores lotados na Superintendência de Vigilância Sanitária receberão no dia 26 de janeiro de 2017 um adicional de produtividade, pago com recursos da própria secretaria”, diz a nota da secretaria.

O conselheiro da Associação dos Servidores da Vigilância Sanitária do Estado do Rio de Janeiro André Ferraz diz que menos da metade dos servidores da vigilância sanitária têm direito a esse adicional, que equivale a uma extensão de carga horária de 24 para 40 horas semanais. Para ele, está ocorrendo discriminação de categorias pelo governo.

“A secretaria continua segregando as pessoas, porque já pagou o salário de novembro e o décimo terceiro dos terceirizados por OS e por fundação, mas os estatutários não. Dentre os estatutários, ela pagou integralmente, após o movimento ter sinalizado a paralisação, somente quem está lotado nas unidades próprias da secretaria e tem nível médio, elementar e fundamental, salários que não passam de R$ 2 mil. Deixou de fora todos os profissionais de nível superior, como médicos, enfermeiros, farmacêutico, dentista, fonoaudiólogo, além de quem estava cedido, independente do nível de escolaridade do cargo. Não pagou nenhum servidor do Iaserj [Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro], tem vários ambulatórios, nem os inativos”, disse.

De acordo com Ferraz, outras categorias receberam integralmente, como Segurança, Procuradoria e Fazenda, enquanto parte da Saúde não recebe nada desde novembro. O governo do Estado foi procurado para responder aos comentários de Ferraz, mas não retornou a reportagem até a publicação desta matéria.

Os servidores da Saúde farão nova assembleia na quinta-feira (5), às 10h no Largo do Machado, zona sul do Rio, seguida de uma passeata junto com os outros servidores rumo ao Palácio Guanabara, distante cerca de 1,2 quilômetro do local.

(Agência Brasil)

Um ano após anúncio, repelentes não foram entregues a grávidas do Bolsa Família

Um ano após o anúncio feito pelo governo federal, os repelentes prometidos a grávidas beneficiárias do Programa Bolsa Família ainda não começaram a ser entregues. O pregão para a compra dos produtos foi feito em dezembro do ano passado e o processo de licitação está em andamento.

A expectativa do Ministério da Saúde é de que, uma vez concluída a etapa, os repelentes passem a ser entregues cerca de 15 dias depois. Ainda segundo a pasta, a burocracia comprometeu a agilidade do processo, já que houve dificuldade em encontrar empresas com capacidade de fornecer o produto em grandes quantidades.

Diante dos entraves, a nova previsão do governo federal é que os repelentes comecem a ser distribuídos no fim deste mês – cerca de um mês após o início do verão, período em que as chuvas intensas contribuem para a proliferação do mosquito Aedes aegypti. O vetor transmite os vírus da dengue, febre chikungunya e Zika.

O anúncio

Em janeiro de 2016, o governo federal anunciou que distribuiria gratuitamente repelentes a grávidas que participam do Programa Bolsa Família. A ação buscava intensificar o combate ao mosquito, responsável pelo aumento dos casos de microcefalia no país.

O ministro da Saúde à época, Marcelo Castro, informou que iria se reunir com fabricantes de repelentes para estudar a viabilidade de fornecer a quantidade necessária. Segundo ele, o governo trabalha com o número médio de 400 mil gestantes aptas a receber o produto em todo o país.

O decreto

Em abril do ano passado, a então presidente Dilma Rousseff assinou decreto que instituía o programa de prevenção e proteção individual de gestantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica contra o Aedes aegypti.

De acordo com a publicação, se caracterizam como em situação de vulnerabilidade socioeconômica as gestantes que integram famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família.

(Agência Brasil)

Fundação Oswaldo Cruz quer respeito às eleições da nova cúpula da entidade

A Fundação Oswaldo Cruz divulgou carta endereçada ao presidente Michel Temer. No conteúdo, pede que seja acatada a tradição de ser escolhido para presidir a entidade sempre o nome mais votado. Confira:

Carta ao presidente Michel Temer e à sociedade brasileira

A Fundação Oswaldo Cruz, com 116 anos de dedicação à ciência e saúde em prol da população brasileira, recentemente finalizou um intenso processo democrático, de escolha de candidatos à presidência da instituição, nos termos de seu Estatuto. A taxa de comparecimento às urnas foi de 82,1% (4415 servidores), e apresentou o seguinte resultado: em primeiro lugar, a dra. Nísia Verônica Trindade Lima, que obteve 2.556 votos; em segundo lugar, a dra. Tania Cremonini de Araújo-Jorge, que obteve 1.695 votos.

O resultado da eleição foi homologado pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz e encaminhado à Sua Excelência o Ministro de Estado da Saúde Ricardo Barros na expectativa do referendo ao resultado do pleito, e à decisão e nomeação de Nísia Verônica Trindade Lima, vencedora das eleições, como presidente da Fiocruz.

A comunidade da Fiocruz, com apoio de Instituições Científicas Nacionais e Internacionais, espera que a candidata mais votada, com maioria expressiva dos votos, como tem sido a tradição da Fundação, assuma a Presidência da Fiocruz. Devemos preservar o processo de gestão democrática e participativa da Fiocruz, tão duramente conquistado e construído por nossas instituições de ensino e pesquisa e que tem sido fundamental para tornar a Fundação Oswaldo Cruz referência na área de ciência e tecnologia nacional e internacionalmente.

Tal processo, levando-se em consideração a história da Fundação, tem sido decisivo para uma condução equilibrada e eficaz da instituição, o que tem permitido alcançar resultados de destaque na promoção da saúde: a inauguração do Centro Henrique Penna – Protótipos, Biofármacos e Reativos para Diagnósticos, que aumenta o fornecimento de produtos para o SUS; a eleição da pesquisadora Celina Turchi, como uma das dez personalidades do ano na ciência mundial pela revista britânica Nature, por seu trabalho para o estabelecimento da relação entre o vírus zika e a microcefalia em bebês; o registro de teste para zika, dengue e chikungunya, primeiro do país com a chancela da Anvisa; o escalonamento do projeto Eliminar a Dengue (Wolbachia) com mais bairros em Niterói (RJ), entre outros.

O acatamento do nome da dra. Nísia Verônica Trindade Lima como presidente da Fiocruz representa proteger a Fundação, como instituição estratégica de pesquisa, pela sua inegável contribuição para a saúde pública do Brasil. Segundo o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, “a comunidade da Fundação espera que o presidente Michel Temer reflita sobre essa decisão tão séria, que poderá pacificar a instituição, dando tranquilidade para que a Fundação continue desempenhando seu papel em favor da saúde do povo brasileiro”.

*Coordenadoria de Comunicação Social da Fiocruz.