Arquivos da categoria: Teatro

Fundação Raimundo Fagner apresentará o espetáculo Aretê: Guerreiro Menino

A Fundação Raimundo Fagner apresentará, entre outubro e novembro, uma programação especial para o final deste ano. Os apaixonados por música e teatro poderão prestigiar espetáculos com abordagem bem contemporânea e alegórica. O início da turnê traz para o público cearense o musical cênico Aretê: Guerreiro Menino, com estreia na próxima terça-feira (17), às 15 horas, no espaço Morro do Ouro (Anexo do Theatro José de Alencar), com entrada gratuita.

Depois o musical passa por outros palcos culturais de Fortaleza. No CUCA Mondubim, no dia 27, às 18h30min, e em seguida, já no mês de novembro, encerrará temporada nos dias 7 e 14, às 18 horas, no espaço cultural do Sesc Emiliano Queiroz.

Aretê: Guerreiro Menino

Trata-se de um espetáculo cênico musical autoral da atriz e dramaturga Mariana Elani que aborda de maneira simples acontecimentos diários que a pessoa leva para o resto da vida na questão ética e de valor humano. ”Mostra situações pequenas e corriqueiras em questões éticas e de valores humanos que são postos em xeque, e o protagonista (Aretê) as observa e expõe seu ponto de vista, que é de fato uma reflexão sobre ações que tomamos como simples, mas definem de fato aspectos da construção de nosso caráter”, acrescenta a dramaturga.

O espetáculo tem dez atores mirins no elenco com produção e músicos cearenses. A música na maioria autoral com letra e melodia da professora de teatro Mariana Elani e com pegada popular e lúdica do maestro Ezequiel Moreira que fez os arranjos, com exceção de Guerreiro Menino de Gonzaguinha, e Pedras que Cantam de Fagner, que fazem parte também do repertório. E Aretê tem como referência literária O Mágico de Oz e Alice no País das Maravilhas, além do audiovisual “Que luz é essa?” do saudoso cantor Raul Seixas.

(Foto – Divulgação)

Caso do sobralense Damião Ximenes inspira peça

O espetáculo “Quem Matou Damião?” parte do caso real de Damião Ximenes Lopes, cearense morto dentro de hospício em Sobral no ano de 1999, para discutir o ambiente manicomial. O assassinato de Damião, que rendeu ao País a primeira condenação por violação nos direitos humanos pela Organização dos Estados Americanos (OEA), serve como start para a construção de narrativas que questionam os limites da sanidade. Com direção de Renato Abê e Almeida Júnior, a peça tem dramaturgia também assinada por Renato, que é vencedor do prêmio nacional Jovens Dramaturgos do Sesc 2016. O espetáculo estreia no domingo, 24 de setembro, às 18h30min, e segue em temporada nos próximos dois sábados e domingos no Teatro Antonieta Noronha, no Centro.

Em cena, nove atores narram quatro histórias fictícias que têm como gancho o fato de acontecerem no mesmo ambiente em que Damião foi morto: a Casa de Repouso Guararapes, no município de Sobral. Entre os temas tratados estão gênero/sexualidade, estigmatização do papel feminino, poder/coerção social e a função do artista nesse debate sobre a suposta normalidade. E, apesar de falar de assuntos tão urgentes no Brasil de 2017, a peça não pretende levar a crueza dos fatos ao palco e bebe de referências genuinamente artísticas. O cenário é inspirado em “Alice Através do Espelho”, de Lewis Carroll, e o figurino, assinado por Felício da Silva, traz para o palco a “alma de gangue” do filme “Laranja Mecânica”, de Stanley Kubrick.

“A loucura que está sendo apresentada na peça é a loucura do cotidiano, que é representada a partir da pluralidade de questões que a sociedade nos apresenta atualmente”, afirma o ator Narieudes Lima. Ele compõe o elenco junto com Felipe Pereira, Felipe Viana, Geyson Costa, Maddu Andrade, Mailson Oliveira, Nayra Cordeiro, Tálita Camila e Viviane Vale. “Ainda existe no Brasil hoje espaços como esse em que o Damião foi morto, só que com outros nomes. Por isso, defendemos, com o espetáculo, a importância de olhar a singularidade de cada um, pois nem tudo pode se tratar com remédios, internações e fórmulas”, aponta Narieudes, destacando que, no País, ainda tem gente que associa a transexualidade a uma condição de doença e o feminismo a uma histeria feminina, por exemplo.

Tálita Camila afirma que a peça flerta com os estereótipos do que a sociedade entende como loucura para devolver esses clichês ao público num jogo de espelhamento. “A gente está avançando a partir dos estereótipos, porque não estamos falando de doenças, estamos indo na contramão do estigma”, aponta. Ela detalha que os distúrbios psicológicos ganham nova angulação na dramaturgia. “A gente sabe que existe a doença, mas resolvemos falar sobre ela a partir de uma sociedade que se acha normal e coloca o peso da loucura todo em cima de gente diagnosticada com patologia”, contrapõe.

Autor e diretor, Renato aponta a vontade do grupo de avançar nas questões apresentadas pelos noticiários todos os dias. “Não queremos criar uma biografia do Damião Ximenes Lopes, a proposta é partir desse assassinato emblemático e transportar a discussão para um ambiente onírico, espaço onde a sanidade tem outros parâmetros”, pondera.

SERVIÇO

*Teatro Antonieta Noronha – Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro.

*Ingressos: R$ 20,00 inteira R$ 10,00 meia.

*Mais Informações – 9 8865 8687.

Juiz proíbe peça de teatro que leva ao palco Jesus como mulher transgênero

Uma decisão judicial proibiu a exibição de uma peça de teatro. Trata-se de O Evangelho segundo Jesus, rainha do céu, que estrearia no Sesc em Jundiaí (SP) no fim último fim de semana e retrata Jesus Cristo como uma mulher transgênero nos dias atuais. A decisão é do juiz Luiz Antonio de Campos Júnior, da 1ª Vara Cível da cidade. Para ele, figuras religiosas e sagradas não podem ser “expostas ao ridículo”. A informação é do site Consultor Jurídico.

Adaptado na obra da dramaturga inglesa Jo Clifford, o espetáculo se propõe e recontar passagens bíblicas sob uma perspectiva contemporânea e promover a reflexão sobre a opressão e intolerância sofridas por transgêneros e minorias em geral, destacando que a mensagem cristã é de amor, perdão e aceitação. Em nota, o Sesc informou que recorreu da decisão para garantir a exibição do espetáculo, que “provoca reflexões em torno de questões de gênero”.

Para juiz, espetáculo invade a “existência do senso comum”
Divulgação

 

A ação contra o Sesc foi promovida por uma advogada. Segundo Virgínia Bossonaro Rampin Paiva, a peça afeta a dignidade cristã, expondo ao ridículo símbolos como a cruz e a religiosidade que ela representa.

O juiz de Jundiaí concordou com os argumentos da advogada e aceitou o pedido de antecipação de tutela. Ele também impôs multa de R$ 1 mil por dia de descumprimento.

O magistrado considerou o espetáculo de “mau gosto” e explicou que sua intenção com a decisão é impedir um ato que “maculará o sentimento do cidadão comum”. Na sentença, o juiz, também faz questão de ressaltar que não se trata de censura prévia e que não se pode confundir “liberdade de expressão” com “agressão e falta de respeito”.

“Não se pode admitir a exibição de uma peça com um baixíssimo nível intelectual que chega até mesmo a invadir a existência do senso comum, que deve sempre permear por toda a sociedade”, escreveu.

Os artistas da peça O Evangelho segundo Jesus, rainha do céu lamentaram o cancelamento do espetáculo em sua página no Facebook. Eles afirmaram que o juiz atendeu a um pedido que vinha sendo articulado “por congregações religiosas, políticos e pelo TFP (Tradição, Família e Propriedade)”.

A proibição da exibição da obra prova a sua importância, disseram os artistas, lembrando que o Brasil é o “país que mais assassina travestis e transexuais no mundo”. “Abençoada sejas se abusam de você ou te perseguem. Isso significa que você está trazendo a mudança. E abençoados sejam aqueles que te perseguem também. O ódio é o único talento que têm, e não vale nada”, declararam os artistas.

Por sua vez, a diretora e tradutora da peça, Natalia Mallo, classificou a decisão de Luiz Antonio de Campos Junior de “um tratado de fundamentalismo e preconceito”. “Censurar um espetáculo, em nome dos bons costumes, da fé e da família brasileira parece ser, para alguns fariseus, mais importante e prioritário do que olhar para a sociedade e tentar fazer alguma contribuição concreta para mudar o quadro de violência em que estamos todas e todos soterrados”, disse.

Comédia Cearense comemora 60 anos

A Comédia Cearense comemora 60 anos de atividades. Idealizada pelo ator e diretor Haroldo Serra, resiste ao tempo, sempre abrindo espaços para novos atores e, claro, novas produções.

Para marcar a data, a Comédia Cearense vai estrear na quinta-feira, às 20 horas, no Theatro José de Alencar, a peça O Morro do Ouro, de Eduardo Campos.

Com músicas de Belchior e Jorge Melo.

(Foto – Mariana Parente)

“Voo das Borboletas” aterrissará em temporada no Teatro Sesc Emiliano Queiroz

Kátia Camila, Aurélio Barros, Márcia Ribeiro e Tatiana Albuquerque (Centro).

A história de três mulheres que tentam sobreviver num cenário de dor e submissão será narrada pelo espetáculo “O Voo das Borboletas” que a Introspectus Cia. de Teatro estreará dia 9 próximo, às 20 horas, no Teatro Sesc Emiliano Queiroz, onde cumprirá temporada nos dias 10, 17, 23, 24 e 30 do mesmo mês e horário.

A peça terá como cenário um cativeiro, onde o universo feminino será discorrido através do caos que mostrará durante as apresentações, um sequestro onde ninguém sabe quem é a vítima e o algoz. “O Voo das Borboletas” é um texto escrito na década de 1990 por Ivan Antônio – ator, diretor teatral e dramaturgo de Arcoverde, em Pernambuco, que reside atualmente, na cidade de Camaçari (BA).

Essa peça foi criada durante pesquisa que Ivan fez ao conviver com ex-presidiárias que eram suas alunas nas oficinas após cumprir penas nos presídios femininos no Estado de São Paulo.

(Foto – Divulgação)

Velório de Rogéria acontece no Teatro João Caetano

O corpo da atriz Rogéria está sendo velado no Teatro João Caetano, no Centro do Rio de Janeiro. O enterro está marcado para amanhã (6), no município de Cantagalo, no norte Fluminense, cidade onde Rogéria nasceu. A atriz morreu ontem, aos 74 anos, devido a complicações provocadas por uma infecção urinária.

Ela estava internada desde o dia 8 de agosto em um hospital na Barra da Tijuca. Nascida Astolfo Barroso Pinto, Rogéria era a mais antiga transformista em atividade no Brasil. Ainda na adolescência, homossexual assumido, Astolfo virou transformista e começou a trabalhar como maquiadora, ainda com o nome masculino, na extinta TV Rio.

O nome Rogéria surgiu em 1964, quando venceu um concurso de fantasias no carnaval. Ela estreou nos palcos no mesmo ano, em um show de travestis na Galeria Alaska, então reduto gay de Copacabana.

(Com Agência Brasil)

Ator Silvero Pereira vai encerrar o 25º Festival de Teatro de Acopiara

O ator Silvero Pereira, com espetáculo “Levianas”, encerrará neste sábado o evento.

O 25º Festival de Teatro de Acopiara vai se encerrar neste sábado com espetáculos nas praças, ruas, escolas e equipamentos culturais. Neste ano, o festival recebeu 90 propostas de 68 grupos e companhias cearenses. Cerca de 38 espetáculos do interior e 52 de Fortaleza participaram da seleção, movimentando os grupos de teatro de 18 municípios cearenses.

No total, o evento levou ao município de Acopiara 13 espetáculos de 12 grupos, somando 30 apresentações teatrais, que aconteceram no palco do Centro Social da cidade, que foi transformado em teatro, no Clube Social, no Polo de Lazer e nas escolas da sede e dos distritos.

Programação

*Sexta-feira (01)

19h – Ordinários, do Grupo de Dança de Rua, em frente ao Centro Social de Acopiara

20h – Trans-Ohno, do Coletivo As Travestidas, no Centro Social de Acopiara

21h – Poeira, do Grupo Ninho, no Clube Social de Acopiara

*Sábado (02)

16h30 – Final da Tarde, do Grupo Teatro de Caretas, em frente ao Centro Social de Acopiara

18h – Feira Cultural Padre Crisares, no Polo de Lazer de Acopiara

20h – O Rei dos pés inchados, Cia do Batente, no Clube Social de Acopiara

21h – Show Levianas – Uma sofrência travestida, do Coletivo As Travestidas, no Polo de Lazer de Acopiara.

DETALHE – O ator Silvero Pereira integra o elenco da novela global “Força do Querer”, onde de dia é o motorista Nonato e de noite a travesti Elis Miranda.

(Foto – Divulgação)

Festival de Teatro de Acopiara agita as escolas do município

O 25º Festival de Teatro de Acopiara segue movimentando a cidade. Nesta segunda-feira (28), escolas municipais de dois distritos recebem espetáculos voltados ao público infantojuvenil.

Nesta manhã, o multifacetado Orlângelo Leal, do Grupo Dona Zefinha, está visitando a Escola Manoel da Silva Leal, no distrito São Paulinho, onde apresenta o espetáculo “Autômato”, que mistura humor e música. A tarde também será de alegria no Trussu. Lá, o artista será recebido pelos alunos da Escola Ricardo Pereira, às 16 horas.

Também às 16 horas, a atriz e bailarina Silvia Moura apresentará o espetáculo “A dança nossa de cada dia ou de dentro do cuidar ou de como seria se…” na Escola José Adonias. As apresentações integram o projeto de formação de plateia do festival.

A programação continuará à noite no Centro Social com a apresentação “Capoeira Gerais”, às 18h30min. Logo após, às 20 horas, o Grupo Oitão, de Caririaçu, sobe ao palco com a montagem “Cacos para um vitral”, que une os fragmentos afetivos dos artistas à poesia de Adélia Prado.

DETALHE – O FETAC, que se estenderá até sábado, é realizado pela Cia Cordel de Teatro e tem o apoio cultural da ENEL, da Secretaria da Cultura do Estado, Prefeitura de Acopiara e Moveletro de Acopiara, produção da Cinco Elementos Produções.

(Foto – Divulgação)

Ator Silvero Pereira participará do XXV Festival de Teatro de Acopiara

Sucesso na novela “Força do Querer” interpretando o motorista Nonato e a travesti Elis Miranda, o ator cearense Silvero Pereira anuncia: participará, como fez nas últimas edições, do XXV Festival de Teatro de Acopiara.

O festival será aberto no próximo dia 2, no Polo de Lazer da Cidade.

(Foto – Camila de Almeida)

XV Mostra Brasileira do Teatro Transcendental começa nesta quarta-feira no Cineteatro São Luiz

Será aberta às 19 horas desta quarta-feira, no Cineteatro São Luiz, a XV Mostra Brasileira de Teatro Transcendental, uma realização da Associação Estação da Luz. Até domingo, levará para o público seis espetáculos em dois palcos de Fortaleza: além Cineteatro São Luiz (Centro), o Teatro RioMar Fortaleza (Papicu).

Nesta edição, o evento traz como tema “Arte ultrapassando limites” e doará os alimentos arrecadados na troca de ingressos para a Igreja Batista Central, Pequeno Cotolengo Dom Orione, Área Pastoral Nossa Senhora do Brasil, Instituto Povo do Mar e Instituto Beatriz e Lauro Fiúza.

Na abertura, a estreia do espetáculo A Bagagem, do Grupo Lema. Com dramaturgia de Rafael Martins e direção de Yuri Yamamoto, a montagem cearense levará mais uma vez aos palcos o tema do suicídio. Em cena, o olhar sobre o tema recai numa avaliação espiritual.

PROGRAMAÇÃO

CINETEATRO SÃO LUIZ

Dia 23 (19h) – A Bagagem (CE)

Dia 24 (19h) – Os Cavaleiros (CE)

RIOMAR FORTALEZA

Dia 25 (20h) – De Repente Fim do Mundo (CE)

Dia 26 (20h) – Bumm (MG)

Dia 27 (16h) – Zeca e o Mundo (CE)

Dia 27 (20h) – Cléo: A Ópatra (RJ)

SERVIÇO

*Cineteatro São Luiz (rua Major Facundo, 500 / Praça do Ferreira – Centro) e Teatro RioMar Fortaleza (Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500 / Piso L3 – Papicu)

*Entrada: sugere-se que sejam trocados alimentos pelos ingressos. Os pontos de troca são nos shoppings RioMar Fortaleza, RioMar Kennedy, Aldeota e Benfica, e nas sedes do Grupo Espírita Paulo e Estevão (Gepe) Piedade e Água Fria.

*Programação completa: no site do evento www.teatrotranscendental.com

(Foto – Divulgação)

Vem aí o XV Teatro Transcendental

O jornalista Eduardo Galdino divulga, neste blog, a décima quinta edição do Teatro Transcendental.

*Mais Informações – www.teatrotranscendental.com.br

CAIXA Cultural terá Semana do Folclore

O Grupo Estação de Teatro (Natal/RN) retorna a Fortaleza com o projeto Caravana Estação CAIXA Cultural. Desta vez para celebrar a Semana do Folclore, que ocorrerá de 22 a 27 deste mês, na CAIXA Cultural Fortaleza, com mostra de espetáculos e atividades formativas, como oficinas e aula-espetáculo.

O projeto Caravana Estação CAIXA Cultural contempla uma temporada de seis apresentações dos quatro espetáculos do repertório do Grupo Estação para o público em geral. O projeto conta com parte da programação gratuita e outra parte a preço popular (R$10 e R$5), como forma de democratizar o acesso ao público em geral através das apresentações e oficinas realizadas nos espaços da CAIXA Cultural Fortaleza.

Programação

Dia 22 de agosto (terça-feira)

9h
Espetáculo: Estação dos Contos (45 minutos)
Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita

17h
Oficina: A Arte de Contar Histórias (4 horas)
Capacidade: 20 pessoas
Direcionada ao público professores, artistas e estudiosos em geral maiores de 14 anos.

Dias 23 e 24 de agosto (quarta-feira e quinta-feira)

19h30
Espetáculo: Quintal do Luis (60 minutos)
Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita

Dias 25 e 26 de agosto (Sexta-feira e sábado)

20h
Guerra, Formigas e Palhaços (60 minutos)
Classificação indicativa: 12 anos
Valor do ingresso: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

26 de agosto (Sábado)

10h
Aula-espetáculo: Um Sonho de Rabeca na Arca da Brasilidade (1 hora)
Capacidade: 160 lugares
Direcionada para estudantes de artes e música, músicos, atores e público interessado em geral.

Dia 27 de agosto (domingo)

17h
Um Sonho de Rabeca (45 minutos)
Classificação indicativa: livre
Valor do ingresso: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

SERVIÇO

*CAIXA Cultural Fortaleza – Avenida Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema.

(Foto – Divulgação)

 

Grupo Galpão fará apresentação em Fortaleza

O Grupo Galpão, de Minas, está festejando seus 35 anos de trajetória em turnê por várias cidades do País com o espetáculo “Nós”. Trata-se da 23ª e mais recente montagem. Por aqui, o grupo vai se apresentar, de 1º a 3 de setembro próximo, na Caixa Cultural Fortaleza.

A Petrobras é patrocinadora do Grupo Galpão. Ingresso: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). O local tem serviço de manobrista gratuito e paraciclo disponível no pátio interno.

(Foto – Divulgação)

Espetáculo “KKK” fará temporada no Teatro Dragão do Mar

Vem aí o espetáculo de dança “KKKK”, que fará temporada em Fortaleza nos dias 11, 18 e 25 deste mês, a partir das 20 horas, no Teatro Dragão do Mar. O trabalho surgiu inicialmente como exercício de conclusão da quarta turma do Curso Técnico em Dança do Ceará, em 2015 e partiu, segundo atores, de uma investigação do som do riso para compor a coreografia. Assim, foi se costurando uma composição de 13 minutos, onde quatro bailarinos partem da onomatopeia do riso e da gargalhada para desenvolver partituras de movimento.

O figurino remete à unificação de massas de trabalhadores e escolheu-se um traje típico de empregadas domésticas. as relações de trabalho estão entre os motes do espetáculo.

O trabalho é uma proposição do coreógrafo Victor Hugo Portela com estreita colaboração dos bailarinos Luciene Feitosa, Honório Félix, Jhon Morais e Bruno Gomes. Também participa do processo a diretora de fotografia e bailarina Indira Brígido. Os artistas participam de grupos e coletivos da cidade como a Cia Dita, Omi e No Barraco da Constância Tem! e compõem nessa obra o Criações de Calabouço, coletivo criado em 2015 a partir do nascimento da obra.

SERVIÇO

*Teatro Dragão do Mar

*Ingressos – R$10,00 / R$5,00

*Contatos – Victor Hugo Portela: (85) 99734-7792 e Honório Félix: (85) 99707-1818.

Orquestra Filarmônica do Ceará fará tributo a Elvis Presley

Gerard Presley, cover de Elvys, participará do espetáculo.

A Orquestra Filarmônica do Ceará apresentará, nesta quinta-feira, às 19h30min, no Theatro José de Alencar, o espetáculo Tributo a Elvis Presley. A regência é do maestro Gladson Carvalho. O espetáculo contará com a participação do cover Gerard Presley.

A OFCE, que surgiu em maio de 1998, em reunião na casa da mãe de seu criador, o maestro Gladson, promove esse tipo de evento com o objetivo de formação de plateias, laboratório profissionalizante, geração de trabalho e renda para cerca de 70 profissionais da música.

A Filarmônica do Ceará tem contribuído para conter a constante demanda de talentos musicais que o estado perde e ainda perde para outras terras, devido à falta de incentivos e recursos para manter-se em atividade. Assim como as filarmônicas do mundo inteiro, a Filarmônica do Ceará é mantida pela iniciativa privada, mediante doações, patrocínios e projetos culturais.

SERVIÇO

*Teatro José de Alencar  – Rua Liberato Barroso, 525 – Centro.

*Venda de Ingresso – R$ 15 (meia) e R$30 (inteira) – Bilheteria do TJA

*Mais Informações – 85 98899.0644.

(Foto – Divulgação)

Gero Camilo em dose dupla em Fortaleza

O ator cearense Gero Camilo volta aos palcos de Fortaleza. Desta vez para homenagear, às 18 horas de domingo próximo, no Cineteatro São Luiz, a memória do cantor e compositor Belchior. Vai interpretar o álbum “Alucinação” do artista cearense.

E tem mais: antes, a partir das 20 horas de sábado, no Theatro José de Alencar, Gero Camilo, ao lado de Victor Mendes, encenará a premiada peça “Aldeotas”.

SERVIÇO

Mais Informações sobre os espetáculos: (85) 3101 2583 (TJA) e (85) 3252 4138 (Cineteatro São Luiz).

(Foto – Divulgação)

CAIXA Cultural é palco da peça “Seu Rei Mandou…”

A CAIXA Cultural Fortaleza será palco para o espetáculo teatral infantil Seu Rei Mandou, dias 1º e 2 de julho (sábado e domingo), com sessões às 16 e 18 horas. Produzido pela Casa Mecane e criado pela Cia Meias Palavras, ambas de Recife, o espetáculo é inspirado no livro homônimo de contos escrito e ilustrado por Luciano Pontes, também ator e criador da Cia Meias Palavras.

A montagem incita o prazer em ouvir histórias e leva ao público o rico imaginário dos contos populares em histórias sobre o universo fabuloso dos reis e da trajetória de tirania, bravura, esperteza e bonanças de três reis, através de três contos que são levados ao palco: A Lavadeira Real, O Rato que roeu a Roupa do Rei de Roma e O Rei chinês Reinaldo Reis.

SERVIÇO

*CAIXA Cultural Fortaleza – Avenida Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

*Ingresso: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

*Classificação indicativa: Livre

*Vendas 2 horas antes de cada espetáculo.

*Informações gerais | CAIXA Cultural Fortaleza:
(85) 3453-2770.

(Foto – Divulgação)

Theatro José de Alencar homenageará a “Geração de Ouro” do Ceará

Do álbum de Ayla Maria.

O Theatro José de Alencar, comemorando seus 107 anos, promoverá o evento “Geração de Ouro” para reconhecer a importância de artistas, produtores, gestores, técnicos e demais profissionais que fizeram parte da história desse equipamento da Secretaria da Cultura do Ceará. A homenagem acontecerá neste domingo, no próprio TJA, às 17 horas, seguida da apresentação da Orquestra Eleazar de Carvalho, com o concerto “Belchior Vive”.

“Essa ideia da homenagem surgiu da necessidade de um momento de reconhecimento desses profissionais da cultura. Existe no campo cultural algumas instâncias de consagração. Uma instituição com o Theatro José de Alencar, de 107 anos, é uma instância de consagração. É importante termos isso no campo cultural, essas instâncias que reconheçam e consagrem essas pessoas”, destaca Selma Santiago, diretora do TJA.

A diretora reforça que serão homenageados profissionais de todas as áreas que contribuíram com a história do TJA entre os anos de 1965 a 1985. “Este foi um período importante marcado por lutas, resistências e conquistas e sobretudo pelo talento e criatividade de se manter atuante na cidade de Fortaleza e no Brasil”, frisa.

Homenageados:

O ator Ary Sherlock; a cantora Ayla Maria; o diretor teatral B. de Paiva; as regentes Dalva Estela e Elba Braga Ramalho; a professora Elzenir Colares, fundadora do Grupo de Tradições Cearenses; o ator Emiliano Queiroz; a atriz Fernanda Quinderé; os diretores teatrais e também ex-gestores do TJA, Haroldo Serra e Hiramisa Serra; o coreógrafo Hugo Bianchi; a regente e professora Izaíra Silvino; a atriz Jane Azeredo; o ator e diretor João Falcão; o iluminador do TJA José Brasil; o estafeta do TJA, José Tarzan; a atriz Lurdinha Martins; o diretor teatral Marcelo Costa; o sonoplasta do TJA, Mauro Coutinho; a coreógrafa Regina Passos; o ator e dramaturgo Ricardo Guilherme; e o ator e diretor Walden Luiz.

Edital de Ocupação do Teatro Carlos Câmara – Termina nesta quarta-feira prazo de inscrições

Termina, nesta quarta-feira, o prazo de inscrições para o Edital de Ocupação Artística e Cultural do Teatro Carlos Câmara (TCC – antigo Teatro da Emcetur). O edital conta com investimento de R$ 400 mil do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Cultura, e visa selecionar um projeto de ocupação de uma instituição cultural para o teatro, com a finalidade de dinamizar e qualificar ainda mais o funcionamento e a programação do TCC junto aos artistas, grupos, organizações culturais e espectadores.

A entidade que for selecionada trabalhará com a Secult para diversificar a oferta de produtos, serviços e atividades artístico-culturais cearenses nos espaços e na programação do Teatro Carlos Câmara, promover a formação de público, incentivar a sustentabilidade de artistas, grupos, coletivos, companhias e demais profissionais e empreendimentos culturais de Fortaleza e regiões do Estado, consolidando o teatro como espaço de referência para experimentação artística no âmbito da cultura cearense.

Quem pode participar

Poderão participar do Edital para Seleção Pública do Programa de Ocupação Artística e Cultural do Teatro Carlos Câmara 2017 apenas Pessoas Jurídicas de Direito Privado Sem Fins Lucrativos, com sede e foro no Estado do Ceará, com no mínimo 03 (três) anos de funcionamento regular e atuação na área cultural.

SERVIÇO

*O Edital está disponível no site dos Editais da Secult (www.editais.cultura.ce.gov.br) para conhecimento das instituições interessadas e de toda sociedade.

*Teatro Carlos Câmara –  Rua Senador Pompeu, 454, no Centro de Fortaleza.

(Foto – Deyvisson Teixeira)