Blog do Eliomar

Categorias para Acessibilidade

Características do autismo são perceptíveis nos primeiros anos de vida

Atraso na fala, dificuldade de comunicação, falta de interação social e de contato visual são características comuns do transtorno do espectro do autismo perceptíveis já nos primeiros anos de vida.

O diagnóstico do autismo é essencialmente clínico, feito por meio da observação do comportamento e com a participação de psicólogos, psiquiatras e neurologistas. Há três características principais a serem observadas no comportamento que podem indicar o autismo, explica a professora aposentada do Departamento de Psicologia Clínica da Universidade de Brasília, Izabel Raso Tafuri.

Uma das características é o atraso significativo da fala e da capacidade de comunicação da criança, ou seja, de se fazer entender e transmitir uma mensagem com frases. Há também dificuldade de interação, o que leva a criança a se isolar, não conseguir brincar com as outras e se sentir excluída na sociedade. Outro traço são comportamento repetitivos, ritmados e obsessivos ou ritualísticos.

“Bebês com risco de desenvolver autismo geralmente não apresentam modulações na voz, não olham para as mães quando estão sendo amamentados e muitos não se aconchegam nos colos das mães”, explicou Izabel.

Os sintomas característicos dos transtornos do espectro do autismo estão presentes antes dos 3 anos de idade. Segundo a presidente do Movimento Orgulho Autista Brasil, Viviane Guimarães, o diagnóstico é possível por volta dos 18 meses. Quanto mais cedo o transtorno for diagnosticado, mais chances o autista tem de desenvolver autonomia e se tornar um adulto mais independente, afirma Viviane.

“Quanto mais cedo a gente conseguir diagnosticar, menos atrasos a criança vai ter. Nosso cérebro fecha alguns canais de aprendizagem com determinada idade. O ideal é iniciar uma intervenção antes dos 3 anos. Conseguindo fazer isso, a criança vai ter mais autonomia. Nós, do Movimento Orgulho Autista, trabalhamos em uma lei que fala da importância de ser diagnosticado antes dos 18 meses”, acrescenta Viviane.

Segundo Viviane, após a confirmação do autismo, é importante fazer avaliação com psicólogo, neuropsicólogo, para verificar o ponto que precisa ser mais trabalhado naquela criança. Ela aconselha as mães também procurarem informação.
“Não acredite em tudo que você ouve, nem em qualquer tratamento. Procure o que tem comprovação científica, estude porque você é o principal apoio que seu filho vai ter durante toda a vida.”

(Agência Brasil)

UFC, Museu da Fotografia e Instituto dos Cegos realizam curso de fotografia para deficientes visuais

Um projeto de extensão da Universidade Federal do Ceará, em parceria com o Instituto dos Cegos e com o Museu da Fotografia, está permitindo que pessoas com deficiência visual possam ter a experiência de contemplar fotografias, compreender suas técnicas de produção e ainda criar as próprias fotos. A primeira turma que passou por esse processo concluiu o curso na quinta-feira (19), em cerimônia na qual foi inaugurado um novo sistema de rastreamento de toque em fotografia tátil, também concebido na UFC. A próxima turma já tem início em agosto.

O projeto “Fotografia tátil como meio de expressão artística e inclusão”, que já existe desde 2014 no Curso de Design da UFC, iniciou este ano a parceria com as duas instituições. Oito pessoas cegas, atendidas pelo Instituto dos Cegos, concluíram o curso no qual aprenderam as regras de composição fotográfica e produzirem retratos de pessoas e fotografias de objetos. “Eles conheceram obras de fotógrafos e começaram a entender o que é uma boa foto. Então, fizeram formação e começaram a fotografar”, explica o professor Roberto Vieira, coordenador do projeto.

Segundo o professor, ao final das atividades da turma de agosto serão selecionadas fotografias para lançar, no fim do ano, uma exposição no Museu da Fotografia com as produções dos alunos. As fotos poderão ser apreciadas não somente por eles como por outras pessoas cegas por meio da técnica da fotografia tátil, na qual as fotos são reproduzidas em uma espécie de maquete de madeira com tecnologia de fabricação digital, tendo como base os padrões gerados na programação das imagens.

Fotografias táteis

Na cerimônia de conclusão do curso, realizada no Museu da Fotografia, os presentes puderam conhecer o primeiro protótipo do sistema de rastreamento de toque para fotografias táteis, produzido pelo Curso de Design. Por meio dele, a pessoa usa um adesivo reflexivo no dedo e vai percorrendo com a mão a superfície da peça. Uma câmera, então, vai rastreando o movimento e o sistema vai apresentando descrições em áudio das áreas mapeadas pelas quais o dedo passa. “Essa é a primeira versão apresentável, que ainda vai passar por ajustes e aprimoramentos. A ideia é que a exposição conte com dispositivos do tipo espalhados e o cego venha, sente-se sozinho numa cadeira e tenha a experiência de forma mais autônoma”, explica Vieira.

Leila Soares, que é cega, foi a primeira a ter essa experiência. “Eu achei incrível. É mais uma ferramenta que, se der certo, vai ser muito útil para nós, nos permitindo uma maior inclusão”, comenta ela, que também participou do curso e se surpreendeu ao perceber que poderia produzir suas próprias fotos. “Os nossos limites somos nós que definimos e ninguém pode nos dizer o que não podemos fazer”, analisa.

A coordenadora do Núcleo Educativo do Museu da Fotografia, Keli Pereira, conta que o museu já atendia pessoas cegas por meio de visitas guiadas às galerias, mas que este projeto amplia a forma de atuação daquele espaço. “A gente considera que esse projeto do Profº Roberto Vieira tinha tudo a ver com o museu. Então, as três instituições se uniram para realizar esse projeto conjuntamente”, destaca.

O reitor Henry Campos, que esteve presente da cerimônia de conclusão do curso, comemorou a iniciativa. “É um processo muito interessante e muito bem concebido e traz uma oportunidade a mais à vida dessas pessoas, para que elas possam apreciar a arte, neste caso, a fotografia. Isso reforça a importância que a Universidade tem na sua atuação com compromisso social, produzindo coisas aplicáveis e úteis para a sociedade. É um momento muito feliz e muito marcante, porque é o começo de um processo que vai certamente enriquecer muito a vida dessas pessoas”, celebra.

(UFC)

Governo anuncia reinclusão de deficientes auditivos no Bolsa Atleta

Esporte e inclusão social mobilizam surdoatletas de vários estados do Brasil, até este domingo (23), no município de Pará de Minas (MG). As Surdolimpíadas 2019 foram abertas nessa sexta-feira (21) pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Na ocasião, foi anunciada a reinclusão de deficientes auditivos no Bolsa Atleta e parceria para viabilizar sede da Confederação Brasileira de Desportos de Surdos (CBDS).

Os anúncios foram feitos pela primeira-dama, que se dirigiu aos 315 surdoatletas, de 14 estados, em Libras, a linguagem de sinais, e pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra. A competição, em 11 modalidades, ocorre no município mineiro de pouco menos de 100 mil habitantes e que fica a 80 quilômetros de Belo Horizonte. Michelle Bolsonaro definiu o esporte como um caminho para integrar saúde, amizade, respeito, disciplina, solidariedade e paz.

“Para a comunidade surda, tenho certeza de que valores fundamentais têm sido agregados, como união, interação social e a superação. Olhando para vocês, prontos para uma série de competições, fico imaginando o que passaram, as dificuldades e barreiras. Eu me coloco em seus lugares e me emociono”, afirmou a primeira-dama.

Nova sede

“É com alegria que quero anunciar que conseguimos um lugar, uma sede para a CBDS. Conseguimos, por meio do apoio do presidente da Caixa, o compromisso com as obras do espaço. A sede será na Escola Bilíngue, na 912 Sul, em Brasília. Acreditamos que essa sede auxiliará no desenvolvimento do esporte entre os surdos”, destacou Michelle Bolsonaro.

O ministro Osmar Terra ressaltou que o objetivo é investir ainda mais no setor para os próximos anos, valorizando e incluindo o atleta surdo. “Queremos que essa Surdolimpíada tenha milhares de participantes num futuro próximo. Vamos trabalhar para ter cada vez mais gente participando e cada vez valorizar mais o surdoatleta, inclusive com a Bolsa Atleta. Vamos fazer uma linha especial. E aí vai depender de vocês terem o ranking para receber”, afirmou Osmar Terra.

(Agência Brasil)

Número de eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida aumenta 89% no Ceará

A Coordenadoria de Eleições (COELE), visando o cumprimento do Plano de Ação de Acessibilidade nas Eleições, divulgou dados sobre a evolução do quantitativo de eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida identificados no cadastro eleitoral (ASE 396). Desde a data das Eleições 2016, o TRE-CE registrou um acréscimo de 89,01 % no número desses eleitores identificados, que hoje já somam 49.340 eleitores. A informação é do site desse tribunal.

Até 2010, apenas 1.895 eleitores com algum tipo de deficiência estavam inscritos no Cadastro da Justiça Eleitoral no nosso Estado, ano em que o TRE criou o Programa de Acessibilidade da Justiça Eleitoral do Ceará.

Com a divulgação da campanha, 9.743 eleitores foram identificados para as Eleições de 2012. Já em 2014, eram 15.622 eleitores cadastrados em todo o Ceará. Até fevereiro de 2018, o cadastro já contava com 46.055 eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida.

Em razão do recadastramento biométrico muitos municípios alcançaram um aumento expressivo na quantidade de eleitores com ASE 396 identificados, apenas no período posterior às Eleições 2016. Dos municípios onde a identificação biometria não será obrigatória nestas eleições, Baixio evoluiu 628,5% desde o último pleito até a presente data. Em seguida, vem Ipaumirim com 500%. No caso dos municípios 100% biometrizados, Palmácia e Carnaubal evoluíram, respectivamente, 1.367% e 1.779%.

Deve-se levar em consideração que, também em razão do recadastramento, muitos títulos de eleitores que não compareceram à revisão foram cancelados, o que impactou no quantitativo final de eleitores com ASE 396.

Transferência temporária

A COELE também informa que, de acordo com a Resolução TSE nº 23.554/2017, os eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida poderão, no período de 17 de julho a 23 de agosto deste ano, requerer transferência temporária de seção eleitoral, em qualquer cartório eleitoral do Município em que estiver regularmente inscrito, devendo, para tanto, portar documento oficial com foto.

(Foto – Ilustrativa)

 

Shopping Benfica realiza atividades sobre autismo hoje e amanhã

O Shopping Benfica e a Associação Pintando o SeTEAzul promovem neste sábado (7), a partir das 17 horas, um encontro sobre Transtorno do Espectro Autista (TEA), que terá à frente o médico nutrólogo André Guanabara e a psicopedagoga Patricia Trigo.

Neste domingo (8), ocorrerá o fórum “Eu tenho autismo, eu tenho direito”, a partir das 8 horas, nos Cinemas Benfica, com o neurologista André Pessoa. À tarde, haverá a III Caminhada da Conscientização Sobre Autismo.

No caminho da acessibilidade, uma vaga de veículo

514 2

Cadeirantes ou pessoas com deficiência temporária de locomoção têm que combinar com proprietário de vaga de veículo os horários para acesso a um bloco de apartamentos, na Messejana, diante do projeto da construtora que colocou a vaga em frente à rampa da acessibilidade.

O descaso para com a acessibilidade ocorre no condomínio Portal da Lagoa, no entorno do terminal da Messejana.

A construtora ainda alegou que a acessibilidade poderia ser feita pelo caminho das tampas de esgotos. Mesmo assim, o cadeirante teria que contar com a vaga desocupada para o início da rampa, sem contar com o risco de uma das tampas ser rompida.

DETALHE – Se o erro fosse em uma repartição pública ou em obra do Minha Casa Minha Vida, as cobranças já teriam explodido nas redes sociais.

(Foto: Leitor do Blog)

Roberto Cláudio testa acessibilidade da Aguanambi neste sábado

O prefeito Roberto Cláudio estará neste sábado (16), a partir das 10 horas, visitando as obras de requalificação da Avenida Aguanambi, juntamente com a secretária de infraestrutura, Manuela Nogueira, e o coordenador da Copedef (Coordenadoria de Pessoas com Deficiência), Emerson Damasceno.

A visita será acompanhada por cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida, convidadas especialmente para testar as condições de acessibilidade dos novos equipamentos instalados na avenida, como a passarela com elevadores, calçadas e rampas de acesso.

Quando concluída, a nova Avenida Aguanambi será 100% acessível, com travessias especiais e amplas calçadas com piso podotátil e rampas para cadeirantes.

(Foto – Divulgação)

Acessibilidade – Aracati implanta sinalização nas principais vias da cidade

589 1

foto-aracati-170204-acessibilidade

Aracati (Litoral Leste) passou a contar com várias sinalizações, a partir desse fim de semana, para garantir a acessibilidade de portadores de necessidades especiais. O município rebaixou calçadas e garantiu vagas exclusivas aos deficientes.

Segundo o secretário municipal de Segurança Pública e Cidadania (SSPC), César Wagner, é determinação do prefeito Bismarck Maia (PTB) a promoção da cidadania e a inclusão social.

Que esse tipo de medida seja estendida a outras gestões do interior e chegue para a Capital cearense em forma de campanha para conscientizar muitos que, mesmo sob a ameaça de multa, teimam em não cumprir a lei.

(Foto – Leitor do Blog em Aracati)

Imprensa Universitária comemora 60 anos

“Criada em abril de 1956, quando a Universidade Federal do Ceará ainda dava seus primeiros passos, a Imprensa Universitária (IU) completa seis décadas de atividade e se prepara para a transição do impresso para o digital. “O desafio é manter a Imprensa Universitária viva, garantindo à UFC uma gama de publicações para que possa realizar a promoção crescente na área de ensino e pesquisa”, diz o diretor da IU, Joaquim Melo.

A história da Imprensa começa com uma simples oferta de venda: o Reitor Antônio Martins Filho soube que estava sendo posta à venda a pequena Tipografia Lusitana, de Clóvis Carvalho Pereira. A compra de um equipamento que pudesse dar suporte às necessidades gráficas da Universidade já estava nos planos do Reitor, que havia sido tipógrafo na adolescência e percebia a importância de uma estrutura do tipo para uma instituição que ainda procurava se firmar.

Autorizado pelo Conselho Universitário, Martins Filho adquiriu a Lusitana. Logo, a recém-criada Imprensa Universitária assumia um duplo papel: transformou-se na principal ferramenta de comunicação interna, com seus cartazes, avisos e folderes, ao mesmo tempo em que atuava estrategicamente na difusão do conhecimento produzido pela recente UFC.”

(Site da UFC)

Convênio do Governo do Ceará com TRE prevê acessibilidade e estágio para estudantes

camilo com abelardo

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (27):

O governador Camilo Santana (PT) se comprometeu em realizar adaptações nos prédios das escolas públicas que abrigarão seções eleitorais. Isso para melhorar a acessibilidade dos eleitores. Esse item consta de convênio que será firmado entre o Governo e o Tribunal Regional Eleitoral.

O convênio prevê ainda o encaminhamento de jovens do 3º ano do ensino médio de escolas públicas para realizar estágio nos postos de atendimento do TRE em 78 municípios, inclusive em Fortaleza, para auxiliar nos trabalhos do recadastramento de eleitores através da biometria. Esse trabalho será realizado em 86 municípios.

Na quinta-feira (25), Camilo acertou esses detalhes com o presidente do TRE, desembargador Abelardo Benevides, durante encontro no Palácio da Abolição.

Pois é, 2016 não está próximo somente nos acordos partidários.

Primeira-dama apresenta proposta à Setur para acessibilidade nas praias

foto setur 150220 primeira-dama projeto

Com intuito de promover acessibilidade de idosos, pessoas com deficiência e/ou com mobilidade reduzida às praias do Ceará, a primeira-dama do Estado, Onélia Leite Santana, apresentou na sexta-feira (20) proposta de projeto ao secretário do Turismo do Estado (Setur), Arialdo Pinho, para a adaptação e adequação de espaços da orla marítima, na perspectiva de uma “praia acessível”.

“Com esse projeto vamos garantir acessibilidade a mais espaços públicos de convivência”, destacou Onélia. A proposta é oferecer espaço com uma estrutura de cadeiras especiais, esteiras e banheiro adaptado para pessoas com deficiência, entre outros itens.

Além de garantir direitos de um expressivo contingente populacional, o projeto traz ainda maior visibilidade nacional e internacional ao turismo local fomentando o potencial turístico do Estado. O secretário Arialdo recebeu o projeto das mãos da primeira-dama, reconheceu a importância da proposta e se comprometeu em viabilizá-la após realizar pesquisas e estudos.

Artesanato

Onélia considera muito importante também a parceria com a Secretaria do Turismo na área do artesanato. “Quero fazer um trabalho diferenciado com o turismo para valorizar ainda mais o nosso artesanato. O sustento de muitas famílias depende desse setor, temos que fortalecer”, pontuou a primeira-dama. Onélia e Arialdo visitaram ainda a loja da Central de Artesanato do Ceará (Ceart), na Praça Luiza Távora.

(Governo do Estado)

Câmara Municipal homenageia os 15 anos do Conade

foto cmfor pessoas especiais

Terceiro estado brasileiro com maior número de pessoas com algum tipo de deficiência, o Ceará possui mais de 2,3 milhões de habitantes nessa situação. Para chamar a atenção ao incentivo de políticas públicas para essas pessoas, a Câmara Municipal de Fortaleza promover nessa sexta-feira (21) uma sessão solene em homenagem aos 15 anos do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade), que integra a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. O requerimento da homenagem foi do vereador Acrísio Sena (PT).

Durante a sessão solene, as apresentações do Instituto Moreira de Sousa, com a Dança do Cowboy, e da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), com a música Asa Branca, emocionaram o público.

“É uma honra para esta Casa a realização dessa sessão solene. Quantas vezes pudermos defender uma causa nobre como esta, quantas vezes a faremos”, ressaltou o vereador Acrísio Sena.

Em discursos, pessoas com deficiência reivindicaram do governador eleito Camilo Santana a gratuidade em passagens nos transportes intermunicipais, além do atendimento na Saúde para órteses e próteses.

Para a representante da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas dos Direitos Humanos do Estado (COPDH/CE), Evangelina Cavalcante, o Ceará tem proporcionado nos últimos anos grandes avançados em políticas públicas para pessoas com deficiência, assim como na questão da acessibilidade.

Ideli Salvatti inaugura Central de Intérpretes de Libras em Fortaleza

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Ideli Salvatti, participa de entrevista coletiva nesta segunda-feira (28), às 16h, no Casarão da Criança (Rua Pedro I, 461), no Centro. Salvatti falará sobre as políticas públicas desenvolvidas pelo Governo Federal para as pessoas com necessidades especiais. No mesmo local, às 17h, a ministra inaugura a Central de Intérpretes de Libras em Fortaleza.

A presença da ministra, acompanhada do secretário Municipal de Cidadania e Direitos Humanos, Karlo Kardozo, e demais autoridades, marca o início das atividades da Central com o objetivo de promover acessibilidade às pessoas com deficiência auditiva.

A Central é uma parceria do Governo Federal, por meio do Programa Viver sem Limites, Governo do Ceará e Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria de Pessoas com Deficiência (Copedef) da Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos.

No local, serão oferecidos serviços de tradução e interpretação da linguagem de sinais, guia-intérprete e esclarecimentos. Os intérpretes estarão disponíveis para agendamento para acompanhar pessoas com deficiência auditiva em atendimentos nos serviços públicos. O atendimento será realizado de segunda-feira a sexta-feira, das 8 horas às 17 horas.

(Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos)

Monsenhor Tabosa possui dois tipos de piso tátil

foto mtabosa piso tátil

Muitos dos que andam pelas novas calçadas da avenida Monsenhor Tabosa não perceberam os pisos táteis para pessoas com deficiência visual. Os que notaram as faixas, raros os que viram que há dois tipos de pisos táteis: o formado por barras e o formado por bolinhas.

Segundo a arquiteta Mariana Gomes, os pisos táteis da avenida Monsenhor Tabosa foram colocados com base na arquitetura moderna, além do estudo do comportamento dos cegos. De acordo com a arquiteta, algumas pessoas estranharam que o piso tátil leva a obstáculos ou mesmo para paredes.

“O piso tátil que acaba em obstáculos é o piso formado por bolinhas, que indica alerta ao deficiente visual. Esse tipo de piso não é direcional, que é formado por barras”, explicou a arquiteta.

De acordo ainda com Mariana Gomes, em lugares na Europa alguns pisos direcionais acabam em paredes. “É que um estudo revelou que a maioria dos cegos prefere a parede como referencial. Projetos mais ousados, quase não utilizam pisos táteis. É uma forma de fazer com que o deficiente visual não relaxe em seus outros sentidos”, comentou.