Blog do Eliomar

Categorias para Artes

Fortaleza será sede da Tatoo Expo, a maior convenção de arte corporal do Norte e Nordeste

Fortaleza receberá a maior convenção de arte corporal do Norte e Nordeste. Trata-se da Tattoo Expo, que ocupará, de sexta a domingo, espaços do Centro de Negócios do Sebrae. A feira, que contará com a participação de mais de 150 expositores de diversos nichos dessa cadeia produtiva, tanto artistas tatuadores quanto produtores e revendedores de materiais e insumos utilizados nos procedimentos, de todas as regiões do Brasil e até do exterior, promete interagir com diversas outras linguagens artísticas através de uma extensa programação cultural em seus palcos

A expectativa dos organizadores é que cerca de cinco mil pessoas circulem no evento durante os três dias.

O evento renasce com este nome, mas tem seu cerne e “DNA” nos anos 2003,2004 e 2005, nos conhecidos “Fortattoos”, convenções de arte corporal que eram realizadas pela Associação dos tatuadores e Píercers do Ceará.

Entre os destaques da programação, está a apresentação de um dos principais e mais criativos rappers do Brasil, o MC do Planet Hemp, Bnegão. Ele, que tem a banda autoral Seletores de Frequência, discoteca na Fortaleza Tattoo Expo o seu projeto Bnegão Bota Som, que contempla a sua alquimia musical, que passa pelo funk, rap, surf rock, samba-jazz, e até gafieira e ciranda. Outras atrações musicais são o DJ Doido, DJ Assum, DJ Nego Célio e o Projeto Born To Chill, de Nayra Costa e Márcio Motor.

Outra atração inédita é a produção, durante os três dias do evento, de uma escultura ao vivo em tamanho real, por um dos maiores artistas do Brasil, o escultor Alex Oliver. Reconhecido mundialmente, Alex já desenvolveu trabalhos para diversas empresas, como National Geographic, Discovery Channel, e a famosa Blizzard, onde trabalhou em títulos como Diablo 3 e World of Warcraft, bem como já ministrou palestras em diversos países, como na Gnomo Shcool, uma das maiores escolas do mundo de efeitos especiais. O artista também é o responsável pela concepção do troféu do Concurso de Tatuagem, competição tradicional que sempre acontece em convenções de Arte Corporal.

Além de boa música e do Reality de Alex Oliver, a Fortaleza Tattoo Expo conta ainda com apresentações de Malabaris de Fogo, Acroyoga, Capoeira, Dança Tribal, Live Painting, além dos concursos Miss Fortaleza Tattoo Expo, Desafio de Barbeiros, Desfile Mini Catrina e Concurso de Piercing.

SERVIÇO

*Mais informações sobre o evento pelo site: www.fortalezatattooexpo.com.br

*Centro de Negócios do Sebrae Ceará – Avenida Monsenhor Tabosa, 777, Praia de Iracema, Fortaleza -Das 12 às 22 horas.

*Ingressos: R$ 40,00 (Inteira) / R$ 20,00 (Meia-Entrada) (Por dia) – R$ 100,00 (Inteira/ R$ 50,00 (Meia-Entrada) (Pacote para os 03 dias)

*Meia-entrada Solidária: Doando 1 kg de Alimento (1 dia) / 3 kg de alimento (03dias), qualquer pessoa paga a meia-entrada.

** Crianças até 1o anos não pagam.

Pontos de Venda: Kaleidoscope Studio Tattoo – Rua Franklin Távora, 604, Centro.

Freedom Of Tattoo – Rua Carolina Sucupira, 07, Aldeota.

Navalha Brasil – Rua Costa Barros, 2000, Loja 19, Aldeota.

Mano Alencar doa tela para biblioteca da Câmara Municipal de Fortaleza

O artista plástico cearense Mano Alencar, 59, dono de um estilo próprio e com exposição em vários países, doou a tela “NósNordeste” para a Biblioteca José de Alencar, da Câmara Municipal de Fortaleza, que será reinaugurada na manhã desta segunda-feira (23), a partir das 8 horas, pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal. Durante a inauguração, o ministro lançará na capital cearense os livros “Um outro país” e “A judicialização da vida”.

Segundo o diretor-geral da Câmara Municipal de Fortaleza, Robson Loureiro, a biblioteca conta com um acervo de mais de 4,7 mil títulos, além de periódicos e documentos que contam parte da história da cidade. De acordo ainda com Loureiro, o leitor poderá optar pela versão digital do acervo, desde que utilize um dos quatro computadores disponíveis no local. Todos os gabinetes dos 43 vereadores já contam com o acervo digital.

O ministro Luís Roberto Barroso também dará a palestra “Os 30 anos da Promulgação da Constituição de 1988”, dentro do Programa de Capacitação Continuada da Câmara Municipal de Fortaleza.

(Foto: Divulgação)

Salão de Abril 2018 – Sai lista dos artistas selecionados

Paulo Klein é o curador do Salão de Abril 2018.

A Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) divulgou, nesta sexta-feira (13), os nomes dos 45 artistas selecionados para expor na 69ª edição do Salão de Abril, principal evento de Artes Plásticas do Estado. O anúncio ocorreu durante evento que marcou o início da programação do Salão, na Casa do Barão de Camocim. No ato, houve a palestra “A Arte Além da Borda – Repensando os Salões”, do curador Paulo Klein, a primeira de uma série de atividades que compõem a programação que ainda inclui oficinas, workshops, entre outros. As obras selecionadas ficarão expostas ao público, a partir de 26 de abril deste ano, data da abertura da mostra.

O 69º Salão de Abril, que tem início neste dia do aniversário de Fortaleza, celebra os 75 anos de história da mostra e homenageia os 100 anos de nascimento do multiartista Zenon Barreto, autor da escultura Iracema Guardiã, um símbolo da cidade de Fortaleza. As informações são da assessoria de imprensa da Secultfor.

Selecionados

Foram submetidas, no total, 482 obras de 304 artistas à curadoria do crítico de arte e curador membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) e da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA), Paulo Klein. Os 45 artistas selecionados terão as obras expostas na Casa do Barão de Camocim, de 26 de abril até 26 de julho.

Foram selecionadas para exposição as obras dos seguintes artistas: Ana Aline, Antônio Elionardo da Silva Saraiva, Antônio Gerson Ipirajá Barreto, Antônio Jefferson Oliveira dos Santos, Artur Cabral Bombonato, Célio Celestino Almeida Cavalcante, Coletivo Aparecidos Políticos – Aspásia Mariana Santos Melo, Cristina Vasconcelos Lima, Darwin Marinho de Assis, Diego Santana de Farias, Diogo Araújo Braga, Fernando Jorge da Cunha Silva, Flávio Márcio Batista de Oliveira, Francisco Cardoso de Oliveira Júnior, Francisco Carlos Campos Costa, Frederico Lua Branca Alencar da Mota, Jamille Jacinto Queiroz, Járed José Barbosa Domício, João Bosco Lisboa de Morais, Jorge Edinay Rodrigues de Oliveira, José Alves Pimenta Júnior, Júlio César Fernandes Lira, Lindemberg Jardim de Freitas, Louise Cavalcante Félix, Maíra Ortins, Mariana Amorim Smith, Marina Aires Barreira de Sousa e Castro, José Mário Castro Sanders, Maria do Socorro Barros Silveira, Naiana Magalhães Soares de Sousa, Narcélio Moreira Dantas, Natália Lopes Coelho, Nelson Nobre de Oliveira, Nivardo Victoriano Conrado Júnior, Raquel do Amaral Campos, Régis Luiz Câmara Amora, Rogeane de Oliveira Moreira, Ruy Cezar Campos, Sálvia Braga Pinheiro, Samuel Tomé Menezes, Sheryda Lopes Borges, Sílvio Santo Rabelo, Simone Barreto de Andrade, Waléria Américo, e Weaver Ferreira Lima.

Premiação

*Dos 45 artistas selecionados, 30 serão premiados. A premiação totaliza R$ 190 mil, equivalente a R$ 15 mil para os quatro primeiros colocados e R$ 5 mil para os demais. O anúncio dos premiados do 69º Salão de Abril será realizado no dia 17 de maio, em evento na Casa do Barão de Camocim.

Homenageado

Zenon Barreto nasceu em Sobral em 1918 e viveu a maior parte de seus 84 anos em Fortaleza. Dedicou a vida às Artes Plásticas, como pintor, gravador, escultor, ilustrador e cenógrafo, lidando com materiais diversos numa produção diversificada. Foi membro da Sociedade Cearense de Artes Plásticas (SCAP), instituição na qual ingressou como aluno do Curso Livre de Desenho e Pintura, para posteriormente atuar como professor até chegar à presidência da entidade. Recebeu prêmios importantes no Salão de Abril, Panorama da Arte Atual Brasileira e Bienal Internacional de São Paulo.

Programação

Salão Mostra
Divulgação dos selecionados e palestra “A Arte Além da Borda – Repensando os Salões”, com o curador Paulo Klein
Data: Sexta-feira (13/04)
Horário: 11h
Local: Casa do Barão de Camocim

Exposição dos selecionados do 69º Salão de Abril
Data: 26 de Abril
Horário: 19h
Permanência: 26/04 a 26/06
Local: Casa do Barão de Camocim

Salão Premia
Anúncio dos premiados do 69º Salão de Abril
Data: 17/05
Local: Casa do Barão de Camocim

Salão Fala!
Palestra com o artista multímidia, crítico e curador Ricardo Basbaum
Data: 28/04
Local: Casa do Barão de Camocim

Conversa de Salão – Zenon Barreto, 100 anos
Seminário de Artes “Salas Nômades”, por Herbert Rolim
Data: 08 e 09/05
Horário: 19h
Local: Casa do Barão de Camocim
Palestra “A obra de Zenon Barreto”, com Jacqueline Medeiros
Horário: 19h
Local: Casa do Barão de Camocim

Workshop “Curadoria e Autocuradoria”, com o curador Paulo Klein – Destinado aos artistas selecionados no 69 Salão de Abril, com leitura de portfólio dos interessados
Data: 18 de maio
Horário: de 10h a 17h
Local: Casa do Barão de Camocim

Workshop “Leitura de Portifólio”, com o curador Paulo Klein – Destinado a artistas em geral (30 vagas; necessário inscrição por meio de carta de intenção e minicurrículo por meio de e-mail para salaodeabril2018@gmail.com)
Data: 19 de maio
Horário: de 10h a 15h
Local: Casa do Barão de Camocim

Oficina “Vivência em Arte Contemporânea – Criando no Salão” para alunos de escola pública, com o curador Paulo Amoreira
Data: 29 de maio
Horário: 10h
Local: Casa do Barão de Camocim

Workshop “Curadoria e Processos”, com Jacqueline Medeiros
Data: 07 de junho
Horário: 19h
Local: Casa do Barão de Camocim

A programação do 69º Salão de Abril ainda conta com oficinas de artes visuais para crianças de Escolas Públicas Municipais, apresentações de dança e de vídeos de alunos de cursos da Vila das Artes e a comercialização de posters e xilogravuras alusivas ao Salão de Abril e inspiradas na obra de Zenon Barreto.

Casa Cor 2018 apresentará ambiente sobre Zenon Barreto

Se vivo fosse, Zenon Barreto faria 100 anos em dezembro próximo.

Mas a data não passará sem registro. A Casa Cor 2018, que acontecerá em setembro, na área antes ocupada pela holding do Grupo J. Macedo, no bairro Aldeota, fará um resgate de obras do artista, incluindo algumas surpresas.

Foi o que informou para o Blog a organizadora do evento, a arquiteta Neuma Figueiredo.

Artista cearense é semifinalista do Prêmio Hiiibrand, o mais importante da ilustração no mundo

O artista cearense Juca Máximo acaba de se tornar semifinalista de um dos mais importantes prêmios de ilustradores do mundo. É o Hiiibrand Ilustrations Ásia, um concurso que recebeu 1.329 obras de mais de 50 países e regiões ao redor do mundo. Porém, só 623 trabalhos passaram para essa fases. Este é um dos mais importantes prêmios do mundo neste ramo, e Juca se consagra como o único da América Latina.

Além desse feito alcançado pelo artista cearense, duas edições seguidas da mais importante revista de criatividade do mundo, a Archive, publicou obras de Juca Máximo. O periódico austríaco listou o cearense entre os cinco melhores ilustradores de 2018 nas edições de janeiro e fevereiro.

As obras premiadas são resultado de um misto criativo que envolve arte e publicidade. Peças que nascem de pincéis e tintas, resultado de uma sequência de desenhos riscados a mão.

DETALHE – Juca também é finalista do Prêmio Azucar brings (Berlim), organizado pela Ello, o maior portal de criativos da Inglaterra.

(Foto – Divulgação)

Dia Internacional da Mulher terá “Mostra Multiplicidades – Mulher em Arte e Vida”

As artistas visuais cearenses Cida Fonseca, Fátima Gomes e Milena Fernandes vão abrir, às 17 horas da próxima quinta-feira – Dia Internacional da Mulher, no Centro Cultural Belchior, a exposição “Multiplicidades -= Mulher em Ate e Vida”.

Multiplicidades vem discutir acerca da atuação da mulher na arte, dentro de um contexto contemporâneo, onde a mulher surge como protagonista, com uma postura progressista, irreverente, libertadora, capaz de expressar suas próprias ideias e fazer sua história.

“O que nos surpreende é saber que ao mesmo tempo em que a imagem da mulher é excessivamente utilizada na interpretação e imaginação de artistas homens, ela se torna invisível, submissa, passiva, pois atua apenas como
figurante da idealização do homem, e deixa de ser agente de sua própria história”, dizem as artistas.

SERVIÇO

*Centro Cultural Belchior – Galeria Divina Comédia Humana – Rua dos Tabajaras, 123 – Praia de Iracema.

*Visitação: De segunda à sexta-feira, das 10 às 21 horas e sábados e domingos das 15 às 21 horas.

Carlus Campos abre exposição “Impressões Digitais”

Carlus Campos, artista visual, aqui do O POVO, abre exposição de gravuras nesta quinta-feira, às 19 horas, na Galeria Kalidoscope.

Celebrando as possibilidades criativas da gravura, o artista plástico, com 30 anos de carreira, inaugura a mostra “Impressões Digitais”, tratando sobre as experimentações com a linguagem e o fascínio de se fazer a gravura.

SERVIÇO

*Quando: de 1º de março a 5 de maio, das 10 às 19 horas de segunda a sexta e aos sábados das 10 às 17 horas.

*Kaleidoscope Galeria (rua Franklin Távora, 604 – Centro).

*Gratuito.

(Foto – Divulgação)

 

Adjafre e Gero – Cearenses se destacam na teledramaturgia e no cinema

Da Coluna Vertical, no O POVO desta terça-feira (9), pelo jornalista Demitri Túlio:

Dois cearenses, Daniel Adjafre e Gero Camilo, começam em alta a temporada de 2018 na teledramaturgia e no cinema.

Gero, único selecionado do Ceará no edital do Prodecine, rodará o filme Aldeota. Roteiro baseado na peça de teatro que leva o nome do bairro de Fortaleza e escrita e encenada pelo próprio Gero. Ele que passou pelo curso de princípios básicos de teatro do TJA, na década de 90.

Já Adjafre assina a novela Deus Salve o Rei, folhetim que estreia hoje, no horário das 19 horas, na Globo. O autor é cria do curso de formação em dramaturgia pelo Instituto Dragão do Mar (2000). Será seu primeiro solo em novela na plim-plim, ele foi coautor de Sete Vidas.

Daniel Adjafre escreveu dois livros pela Fundação Demócrito Rocha: As Garrafinhas de Areia Colorida e A Batalha de Jericoacoara. Antes de ser novelista, Adjafre se formou em Ciências da Computação pela Uece.

Arte na Praça promove a democratização da cultura, arte e lazer

Os municípios de Pedra Branca, Barro e Palmácia receberam nesse fim de semana o projeto Arte na Praça, que conta com brincadeiras populares, show de mágica, apresentações artísticas, pintura facial e em tela, além de outras atrações. A programação é gratuita, diante da democratização da cultura, arte e lazer.

A iniciativa, que ocorre sempre no primeiro sábado do mês, é uma das ações do Programa Mais Infância Ceará, voltado para o desenvolvimento infantil e idealizado pela primeira-dama do Ceará, Onélia Santana. O Arte na Praça, realizado pelo Governo do Ceará e pelo Serviço Social do Comércio Ceará (Sesc/CE), com apoio dos municípios cearenses, já atendeu, até o mês de novembro, 71 cidades.

”Estamos fechando o ano com aproximadamente 80 edições do Arte na Praça. Isso nos deixa felizes porque são crianças brincando com a família e com a comunidade. Através do brincar, elas se divertem, têm lazer e cultura, associado a uma vasta programação, realizada junto ao Sesc-CE, grande parceiro do Mais Infância Ceará, que está realizando com o Governo do Ceará o Arte na Praça nos municípios cearenses”, destaca Onélia Santana.

O Arte na Praça também será realizado em Fortaleza e Ubajara, na Serra da Ibiapaba, no sábado (9).

(Governo do Ceará / Foto: Divulgação)

Artista plástico cearense expõe “Quatro Estações – Rio São Francisco” na Câmara dos Deputados

O contraste entre a exuberância da natureza e a degradação ambiental resultante da ação humana é a inspiração da nova exposição do Centro Cultural Câmara dos Deputados, assinada pelo artista plástico e geólogo cearense Francisco Ivo. “Quatro estações – Rio São Francisco” traz, em 20 telas, um estudo de caso sobre uma das mais importantes bacias hidrográficas do País, cuja transposição das águas pode chegar ao Ceará em 2018. O trabalho integra a 11ª edição da Mostra de Arte Cidadã da Câmara, aberta à visitação gratuita até 13 de dezembro.

A exposição, em breve, poderá ser trazida ao Ceará, pois está inscrita em editais de cultura locais. Antes de Brasília, parte da obra do cearense foi destaque em exposição individual no Memorial à República de Maceió, em Alagoas, entre novembro e dezembro do ano passado.

Em “Quatro estações – Rio São Francisco”, a técnica da pintura em óleo sobre tela ajuda o visitante a compreender as transformações no Velho Chico ao longo dos 2.700km de sua extensão, desde a nascente, em Minas Gerais, até a foz, entre Alagoas e Sergipe. As telas retratam não só a beleza dos cânions, da fauna e da flora, mas também os ciclos de desenvolvimento socioeconômico que acabaram cobrando um alto preço ao rio.
Obras como “Máquina imperial”, “Pontes do Velho Chico”, “Luz para todos” e “Transposição”, para citar apenas alguns exemplos, chamam a atenção para os efeitos positivos e negativos do progresso sobre a região.

A formação em Geologia do artista confere um tom especializado às pinceladas. Nas telas “Lajeados e Bromélias”, “Corrupião” e “Guaramiranga”, por exemplo, Francisco Ivo explica que a diversidade observada na bacia hidrográfica só foi possível graça à complexidade dos relevos e aos múltiplos habitats gerados durante uma longa história geológica, climática e biológica.

Quatro Estações

O estudo de caso sobre o São Francisco integra projeto anterior do pintor cearense, batizado de “Quatro estações”. Inspirado na obra “As Quatro Estações”, do compositor italiano Antônio Vivaldi, Francisco Ivo pintou as primeiras telas da série, pensando nas condições ambientais em que o planeta se encontrava no século XVIII.

Cada estação é associada a um fenômeno ou processo humano com impacto no meio ambiente, como a ocupação urbana, o consumo desenfreado, a industrialização e o desmatamento. Foi com base nessa concepção que Ivo decidiu expandir a série de pinturas e realizar o estudo de caso sobre a bacia hidrográfica, ampliando o olhar sobre a dicotomia natureza-degradação e trazendo a realidade do Velho Chico para sua coleção.

O Artista

Membro da Academia Cearense de Ciências, Letras e Artes do Rio de Janeiro, Francisco Ivo estudou desenho de arquitetura e produziu suas primeiras pinturas nos anos 1980, tendo a arte NAIF como inspiração. Em 1987, concluiu o curso de Geologia e, em seguida, mudou-se para o Rio de Janeiro, fixando residência em Niterói. Cursou aulas de pintura na Sociedade Brasileira de Belas Artes, no Rio. Em 2016, deu início a exposições individuais por seleção.

A trajetória do artista Francisco Ivo traz curiosidades. É trineto de uma importante personagem da história política cearense, Fideralina Augusto Lima, conhecida como “a matriarca de Lavras da Mangabeira”. Personagem forte, em uma época na qual a política era totalmente comandada por homens, Dona Fideralina teve sua história contada em livro de Dimas Macêdo, lançado em outubro (bit.ly/2A2wBwF). Antes, inspirou romance da escritora Rachel de Queiroz, no livro “Memorial de Maria Moura”. Dona Fideralina era avó de Sinhá D´Amora, figura importante das artes plásticas no Ceará e do Brasil, que acabou por também influenciar a veia artística de Francisco Ivo, seu sobrinho-neto.

Governo inscreve para concurso de presépios

A Central Cearense de Artesanato (Ceart) está com inscrições abertas, até a próxima segunda-feira (20), para o XXI Concurso de Presépio Artesanal 2017. O objetivo do certame é valorizar o artesanato cearense e divulgar as diversas tipologias artesanais do Estado. Podem participar artesãos cadastrados no Programa Estadual para o Desenvolvimento do Artesanato, com a confecção de peças seguindo a tipologia da qual ele é fornecedor.

“Este concurso é mais uma ação do Governo do Ceará em benefício dos artesãos cearenses. Um incentivo à produção do legítimo artesanato do nosso estado. Os presépios produzidos são belíssimos e a população pode adquirir o produto, que estará disponível após a premiação do dia 30 de novembro, para enfeitar o seu Natal”, explica a primeira-dama do Ceará, Onélia Santana.

Os três primeiros lugares receberão prêmios nos valores: R$ 2.400,00; 1.200,00 e 800,00, respectivamente. Os trabalhos serão avaliados por uma comissão, formada por personalidades das artes e da cultura no Estado, nos dias 23 e 24 de novembro, e ficarão expostos na loja da Praça Luiza Távora, entre os dias 21 de novembro e 6 de janeiro de 2018.

SERVIÇO

*Inscrições na Coordenadoria do Desenvolvimento do Artesanato, localizado na avenida Santos Dumont, nº 1589 (Praça Luíza Távora). Fazer a inscrição mediante apresentação da carteira de identidade artesanal, no horário das 8h30min às 16h30min.

*Mais Informações – 3101.1637.

Vem aí o 16ª Festival de Audiovisual Universitário

A Caixa Cultural Fortaleza vai apresentar, de terça a domingo próximos, o 16º NOIA – Festival do Audiovisual Universitário, que reunirá a produção universitária brasileira nas linguagens artísticas cinema, fotografia e música. Durante seis dias, o evento promoverá a exposição dessas obras, o diálogo com os realizadores e a realização de atividades formativas. Os curtas-metragens serão divididos em dois programas. A Mostra Brasileira de Cinema Universitário exibirá 21 produções de nove estados e o Distrito Federal. Já a Mostra Cearense de Cinema Universitário apresentará, em competição especial, sete curtas-metragens locais.

Os filmes selecionados concorrerão ao Troféu Noia nas seguintes categorias: melhor curta-metragem (júri oficial, júri popular e júri da crítica), direção, roteiro, montagem, edição de som, trilha sonora, fotografia, direção de arte, figurino, maquiagem, atriz, ator e intérprete coadjuvante. A Mostra Cearense também premiará o melhor filme de acordo com o voto popular.

Compõem o júri oficial da Mostra Brasileira de Cinema Universitário: Marcelo Dídimo, professor do curso de Graduação em Cinema e Audiovisual e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (UFC), Salomão Santana, cineasta e programador, e Verônica Guedes, cineasta e produtora. O júri da crítica será organizado, mais uma vez, pela Associação Cearense de Críticos de Cinema, e contará com a jornalista Adriana Martins, o crítico Ailton Monteiro e o crítico e programador Pedro Azevedo.

SERVIÇO

*Os interessados devem realizar inscrição prévia no site oficial do Festival Noia (festivalnoia.com.br).

*Cultural Fortaleza Fortaleza – Avenida. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema.

O artesanato que transforma vidas

Com o título “Artesanato: tradição e modernidade”, eis artigo do superintendente estadual do Sebrae, Joaquim Cartaxo. Ele aborda o valor e o peso econômico do artesanato no campo não só cultural, mas da geração de empregos. Confira:

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), acontecida em 2004, classifica as atividades da economia criativa em quatro grandes grupos de atividades da indústria criativa: tradição, arte, mídia e criações funcionais. Do latim traditio, tradição é o conjunto de bens culturais como os valores, os costumes e as manifestações que são transitados de geração a geração e passam a fazer parte da identidade social de um povo. Justamente neste grupo, encontra-se uma das atividades produtivas que mais conseguem materializar o patrimônio histórico e cultural de um povo, comunidade ou grupo: o artesanato.

O artesanato é uma das atividades primordiais do homem que passaram a criar utensílios para seu uso e também para decorar o ambiente onde vive. Também vem sendo sustento de milhões de pessoas em todo o mundo, que encontram no artesanato a sua principal atividade produtiva. Ao longo dos tempos, este fazer artesanal conseguiu resistir à era industrial e, hoje, em um mundo cada vez mais digital, e graças à internet, está conseguindo ampliar o seu alcance, atingindo consumidores em locais bem distantes de seus centros de produção.

Assim sendo, a modernidade passou a ser aliada importante desta produção artesanal, seja na divulgação, seja no acesso dos produtores a novos mercados consumidores. Mais do que uma atividade que resiste ao tempo, o artesanato vem encontrando cada vez mais espaço e, também, servindo de inspiração para os trabalhos criativos de diversos outros setores econômicos como a moda, a arquitetura e a indústria de mobiliários, por exemplo.

Em alguns locais, a produção artesanal também vem incorporando o design em seus produtos, trazendo para a criação desses utensílios aspectos funcionais, estéticos e que entrega conceitos. Com isso, o artesanato ganha um novo valor, estabelece novos padrões de qualidade e ajuda a transformar a vida de pessoas.

*Joaquim Cartaxo

cartaxojoaquim@bol.com.br

Arquiteto urbanista e superintendente do Sebrae/Ceará.