Blog do Eliomar

Categorias para Astronomia

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica tem inscrições abertas

Já estão abertas as inscrições para a 21ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). A competição é aplicada em 13 mil escolas para alunos dos ensinos fundamental e médio. Os participantes da olimpíada recebem certificado e concorrem a 40 mil medalhas.

As escolas interessadas em participar da competição podem se inscrever até 18 de março no site oficial da olimpíada. As instituições de ensino que já participaram da edição passada da competição não precisam realizar um novo cadastro.

A competição será marcada para o dia 18 de maio e selecionará os representantes do Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA) e na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA). No mesmo dia do torneio, ocorrerá a Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG).

As provas estão divididas em quatro níveis: três para os alunos do ensino fundamental e um para os do ensino médio. A avaliação tem dez perguntas em cada etapa: três de astronáutica e sete de astronomia. A maioria delas, porém, exige apenas raciocínio lógico. As medalhas são distribuídas de acordo com a classificação em cada um dos níveis.

Cerca de 60 alunos serão selecionados para participar da Jornada Espacial. Serão pré-selecionados somente alunos do ensino médio, de qualquer ano/série, com as melhores notas de Astronáutica e que ainda não tenham participado da jornada. Não há taxa de inscrição para escolas ou alunos participarem da OBA.

Também está com inscrições abertas a Mostra Brasileira de Foguetes, uma olimpíada experimental, que consiste em construir e lançar, obliquamente, foguetes, a partir de uma base, o mais distante possível. Para participar da mostra, foguetes e bases de lançamentos devem ser construídos por alunos individualmente ou em equipes de até três componentes. Em 2017, o evento contou com a participação de 94 mil alunos.

Os eventos são coordenados por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB).

(Agência Brasil)

Aluna cearense ganha prêmio nacional de Astronomia

A estudante do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros (CMCB), Alice Santos, 12, é uma das três vencedoras do Concurso de Astronomia para Estudantes, promovido este ano pelo Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA). A aluna propôs que o Observatório Nacional de Astronomia Óptica (SOAR, sigla em inglês), utilizasse o telescópio de 4,1 metros de abertura, localizado no Chile, para fotografar a Nebulosa de Ampulheta.

A aluna do 7° ano participou do concurso na categoria do fundamental II, pela qual foi campeã; sendo a primeira cearense a ser selecionada no concurso e a única proposta do Norte-Nordeste escolhida. A estudante, que começou a estudar astronomia este ano, elogia o trabalho realizado pelo professor e deseja que mais pessoas conheçam o universo desta ciência. “Ter disciplinas como essa faz com que a gente aprenda mais e descubra coisas novas”, diz Alice sobre a experiência de estudar astronomia.

O primeiro-tenente Romário Fernandes, professor da disciplina de astronomia do CMCB, e orientador do texto escolhido, afirma ser produtivo que os alunos conheçam a astronomia antes do ensino médio. “A ideia é apresentar aos alunos os princípios de física e química de forma mais atrativa antes de ver as matérias propriamente ditas”, justifica ele.

A astronomia é uma ciência nova no CMCB, segundo o Coronel Nildson Oliveira, comandante-diretor da escola. De acordo com ele, a chegada do professor tenente Romário tem disseminado o conteúdo na escola e estimulado a participação dos alunos. “O aluno em si gosta de ver a eficácia das ações. Na astronomia, nós vemos os resultados. Quer seja visualizar um astro, quer seja efetivar algum experimento”, destaca o comandante. (Italo Cosme – italocosme@opovo.com.br, especial para O POVO)

(O POVO – Por Ítalo Cosme/Foto – Fábio Lima)

Planeta com temperatura similar à da Terra é achado próximo ao sistema solar

Uma equipe internacional de cientistas descobriu um planeta com tamanho e temperatura similares ao da Terra, situado a apenas 11 anos-luz do sistema solar, segundo informou nesta quarta-feira (15) o Observatório Europeu do Sul (ESO).

O planeta, que foi chamado de Ross 128 b, é o mais próximo já descoberto que orbita em torno de uma estrela anã vermelha inativa, o que pode aumentar a probabilidade de reunir as condições necessárias para abrigar vida, de acordo com estudo publicado pela revista Astronomy & Astrophysics.

A equipe responsável pela descoberta utilizou o caçador de planetas Harps (motor de busca de alta precisão por velocidade radial) da ESO, instalado no Observatório La Silla, do Chile.

O novo planeta é agora o segundo com temperatura similar à Terra mais próximo – após Proxima b – e será, de acordo com o observatório, um alvo perfeito para o telescópio ELT (Extremely Large Telescope) do ESO, capaz de buscar biomarcadores na sua atmosfera.

Segundo as observações feitas até agora, o exoplaneta de baixa massa orbita em torno da estrela anã vermelha Ross 128 a cada 9,9 dias, e espera-se que tenha temperatura superficial que pode ser similar à da Terra.

Apesar de estarem entre as mais comuns, as anãs vermelhas são boas para a busca de exoplanetas, por serem um dos tipos de estrela mais frias e frágeis do universo, embora muitas emitam labaredas que, ocasionalmente, banham de radiação ultravioleta letal e raios-X os planetas que as orbitam.

No entanto, parece que a Ross 128 b é uma estrela muito mais tranquila, de maneira que seus planetas possam ser os locais habitáveis mais próximos, ressaltou o ESO.

Embora esteja atualmente a 11 anos-luz da Terra, o astro se move em nossa direção e espera-se que se transforme no “vizinho estelar mais próximo em apenas 79 mil anos, um piscar de olhos em termos cósmicos”, passando a ser o exoplaneta mais próximo, destacam os cientistas.

Com os dados de Harps, a equipe descobriu que o Ross 128 b orbita 20 vezes mais perto de sua estrela que a distância entre a Terra e o Sol.

Apesar dessa proximidade, recebe apenas 1,38 vez mais radiação que a Terra e calcula-se que a sua temperatura de equilíbrio se encontre entre -60 e 20 graus Celsius, graças à natureza fria de sua pequena estrela anã vermelha, que tem pouco mais que a metade da temperatura superficial do Sol.

(Agência Brasil)

UFC participará da World Space Week

Demerval Carneiro difunde estudos sobre astronomia.

A Universidade Federal do Ceará se integra, pela primeira vez, através da Seara da Ciência, à programação da World Space Week (Semana Mundial do Espaço). Trata-se de iniciativa estabelecida em 1999 pela Organização das Nações Unidas (ONU), que só no ano passado registrou mais de 2.700 eventos em 86 países para divulgar os avanços da ciência na área da astronomia, da astrofísica e da tecnologia espacial para o melhoramento da condição humana. Na UFC, o evento ganhou a denominação de Seara World Space, com curso, palestras e observações do céu.

Nesta quarta-feira (18), a programação terá duas palestras no auditório da Seara (Rua Abdênago Rocha Lima, s/n), na entrada do Campus do Pici. Às 14h30min, o professor Demerval Carneiro, diretor do Planetário Rubens Azevedo do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e coordenador de Astronomia da Seara da Ciência, falará sobre o tema “A vida e a morte das estrelas”. Às 16h20min, é a vez da palestra intitulada “O legado da sonda Cassini-Huygens”, a ser feita pelo professor Daniel Brito, astrofísico e docente do Departamento de Física da UFC. As palestras são abertas ao público e gratuitas.

Demerval Carneiro informa que para esta semana também estão programadas observações do céu no Observatório Astronômico da Seara. Como essa atividade depende das condições do tempo (o céu não pode estar nublado), ele recomenda que o público interessado entre em contato antes com a Seara pelo telefone (85) 3366 9245.

Ainda como parte da programação, no último dia 12, a Seara da Ciência fez a entrega de certificados de conclusão do Curso Básico de Astronomia a 45 alunos do ensino médio da rede pública. “Eles tiveram aulas teóricas e práticas no Observatório Astronômico da Seara e no Planetário do Dragão do Mar em setembro e no início deste mês e vão participar das observações durante a Seara Space Week”, diz.

A data oficial da World Space Week decretada pela ONU é de 4 a 10, mas ao longo do mês de outubro ocorrem programações em todo o mundo inspiradas no tema “Explorando novos mundos no espaço”. Na UFC, a Seara World Space é organizada pelo professor Ednardo Rodrigues e tem a coordenação dos professores Demerval Carneiro e Marcus Vale, diretor da Seara da Ciência.

(Foto – Divulgação)

Alô, alô, marciano! Grupo se reúne em Fortaleza para discutir vida extraterrestre

Imagens de objetos voadores não identificados (Ovnis). Figuras geométricas desenhadas em áreas rurais. Seres de cabeça alongada com olhos grandes e puxados. Pessoas que, após desaparecerem, voltam com marcas no corpo e sem lembranças do vivido nos últimos momentos. As histórias podem lembrar enredos de filmes de ficção, mas algumas têm Fortaleza e cidades do interior do Ceará com cenário.

A existência de vida fora da Terra e a visita desses seres são temas que fazem um grupo se reunir, mensalmente, no Teatro Antonieta Noronha, no Centro. Na manhã de ontem, foi realizado o 19º encontro. Apresentação de pesquisas locais e vídeos sobre o assunto, debate sobre pesquisa ufológica e palestras são parte da programação. Um dos palestrantes, o professor Agobar Peixoto, realiza estudo com pessoas que relatam experiências de abdução no Ceará. Muitas, segundo ele, voltam com cortes e marcas no corpo.

Pela primeira vez no encontro, a estudante de ciências ambientais Kelly Farias, 24, diz que existem indícios suficientes para se acreditar na existência de ETs. Um dos maiores exemplos, para ela, é a construção das pirâmides egípcias. “Eu nunca tive contato, mas gostaria”, diz.

(O POVO/Foto – Evilázio Bezerra)

Planetário de Sobral oferece curso de Introdução à Astronomia

O Planetário de Sobral (Zona Note) escreve para curso gratuito de Introdução à Astronomia. São ofertadas 100 vagas e as inscrições poderão ser realizadas até o dia 20 de agosto próximo, no Blog da Secretaria da Educação de Sobral (http://seducsobral.blogspot.com.br).

O curso é voltado para professores e estudantes da rede pública de ensino, assim como para público em geral, com carga horária total de 120 horas/aula. O objetivo é contribuir para a popularização das ciências e oferecer aos participantes uma visão geral sobre a Astronomia nos seus aspectos teóricos e práticos.

O primeiro encontro será realizado no dia 2 de setembro, no Planetário de Sobral. As aulas presenciais serão ministradas por professores mestres e doutores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e da Universidade Federal do Ceará (UFC). Parte do curso será realizado por meio de um ambiente virtual de aprendizagem on-line disponibilizado na internet.

SERVIÇO

*Confira o edital do curso aqui.

*Planetário de Sobral – Rua Coronel José Inácio, s/n – Praça do Patrocínio.

Vai conferir o eclipse da lua?

lua eclipse penumbral

A chegada da lua cheia, nesta sexta-feira (10), será marcada por um fenômeno conhecido como eclipse penumbral. Ele poderá ser visto em todo o Brasil e em países da Ásia, Europa, África, do Oriente Médio e das Américas do Sul e do Norte. O eclipse penumbral é um fenômeno astronômico que ocorre quando a lua entra na região da penumbra da Terra e resulta em uma variação do brilho da lua que dificilmente é notada.

A sombra projetada pela Terra tem duas partes denominadas umbra e penumbra. A umbra é uma região em que não há iluminação direta do Sol e a penumbra é uma região em que apenas parte da iluminação é bloqueada.

Em Brasília e nas demais cidades em que está em vigor o horário de verão, o fenômeno tem início previsto para as 20h34. A fase máxima do eclipse está prevista paras as 22h44 de hoje.

Amanhã (11), será a vez de o cometa 45P/Honda-Mrkos-Pajdušáková passar relativamente próximo à Terra. Segundo o Observatório Astronômico de Lisboa, em Portugal, o cometa percorre uma órbita elítica de período curto, cruzando a órbita da Terra a cada 5,25 anos.

Desta vez, ele passará a uma distância de 12.431.583 quilômetros da Terra, ou seja, 32 vezes a distância da Terra à Lua. A passagem do cometa, no entanto, só poderá ser vista por meio de um telescópio.

De acordo com o observatório português, o cometa 45P/Honda-Mrkos-Pajdušáková foi descoberto em 5 de dezembro de 1948 por Minoru Honda. Posteriormente, foi detectado por Antonín Mrkos e Ludmila Pajdušáková em placas fotográficas, do Observatório Skalnate Pleso, na Eslováquia.

(Agência Brasil)

Escolas já podem se inscrever na olimpíada de astronomia deste ano

Estão abertas as inscrições para escolas que desejem participar da 20ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). As inscrições se estenderão até 19 de março. Na avaliação do coordenador nacional da OBA, o físico João Batista Garcia Canalle, 2017 é um ano especial. “Não é todo dia que uma olimpíada científica faz 20 anos de existência no Brasil, sem interrupções”.

Canalle admitiu, porém, que, com a situação de dificuldades econômicas por que passa o país, com redução de verbas destinadas a instituições científicas, as perspectivas não são muito animadoras no objetivo de ultrapassar um milhão de alunos inscritos este ano, pela falta de recursos para divulgação. “Por outro lado, a gente está mantendo a animação, fazendo divulgação pela mídia, para tentar envolver mais escolas e manter, pelo menos, 800 mil alunos por ano, que é a nossa média há quase dez anos”, disse.

O coordenador sublinhou a importância da astronomia e astronáutica para os estudantes dos ensinos fundamental e médio. A primeira questão, segundo Canalle, é a consciência global. “As pessoas acham que planeta é uma coisa que está no céu. No entanto, esquecem que moram em um planeta, a Terra, que está também no céu. Mas as pessoas não têm essa percepção. Ao desconhecerem isso, não percebem que esse é o nosso lar. Não tem como nós morarmos em outro planeta do sistema solar, exceto talvez Marte, com muito recurso e em um futuro muito distante, e com muita tecnologia”.

O coordenador nacional disse que a olimpíada visa despertar as crianças e jovens para a importância de bem conservar o planeta Terra. “Aqui é o nosso lar, dependemos dessa estrela [o sol], a lua tem a sua importância na estabilidade da orientação do eixo de rotação da Terra, favorece o movimento das massas oceânicas com as marés. Ou seja, nós somos seres planetários e, no entanto, por ignorância, pensamos que ainda vivemos em um mundo de terra plana”.

A olimpíada ocorrerá, em uma única fase, no dia 19 de maio. Escolas públicas e particulares de todo o país podem se cadastrar pelo site www.oba.org.br. Nesses 20 anos de existência, a olimpíada superou a marca de 8 milhões de participantes.

(Agência Brasil)

Asteroide de grande dimensão passará perto da Terra neste domingo

size_960_16_9_857843671

O Observatório Nacional informou que um asteroide de grandes dimensões passa perto da Terra neste domingo (5), mas que não há risco de colisão. O objeto, identificado como 2013FK, tem 94 metros de diâmetro e passará a uma distância, segura, de 2,7 milhões de quilômetros do planeta.

De acordo com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações  e Comunicações, o monitoramento espacial é feito pelo Observatório Nacional por meio do projeto Impacton (Iniciativa de Mapeamento e Pesquisa de Asteroides nas Cercanias da Terra). No Brasil, ele é feito por um telescópio, com espelho de 1,5 metro, instalado no interior do estado de Pernambuco.

No Observatório do Sertão de Itaparica, em Itacuruba (PE), são estudadas as propriedades físicas desses objetos. Além do 2013FK, o monitoramento identificou que, em outubro, outro asteroide, de 19 metros, passará a 38.400 quilômetros da Terra, o que representa um décimo da distância entre a Terra e a Lua. Também não existe chance de colisão.

Com o equipamento, os pesquisadores conseguem estudar as propriedades físicas dos asteroides. “A depender do seu brilho, tamanho e distância, um objeto pode ser visto da Terra até mesmo com o uso de binóculos”, diz nota do ministério.

Em 23 de setembro, o objeto 2006SR131, com 11 metros, se deslocará perto da Terra, a uma distância aproximada de 153 mil quilômetros. Até o momento, são os dois únicos identificados que estarão numa distância inferior entre a Terra e a Lua, que é de aproximadamente 384 mil quilômetros.

(Agência Brasil)

Astrônomos descobrem uma super-Terra a 33 anos-luz de distância

naom_582cad9d80ead

Cientistas do Instituto de Astrofísica das Ilhas Canárias (IAC) da Espanha descobriram um planeta do tipo super-Terra a pouco menos de 33 anos-luz da Terra. A informação foi dada nesta terça-feira (15), informa o UOL. O planeta descoberto orbita em torno de uma estrela e é um forte candidato para ter sua atmosfera estudada.

Um estudante de doutorado do IAC e da Universidade de La Laguna, Alejandro Suárez Mascareño, e seus orientadores, os pesquisadores Rafael Rebolo e Jonay Isaí González Hernández, foram os responsáveis pela descoberta e o estudo foi aceito pela revista especializada “Astronomy & Astrophysics”.

A super-Terra tem cerca de de 5,4 massas terrestres e orbita em torno de uma estrela próxima muito brilhante, a GJ 536.

Segundo o comunicado do IAC, o curto período orbital do planeta extrassolar – 8,7 dias – e o brilho de sua estrela – uma anã vermelha relativamente fria e próxima de nosso Sol – o transformam em um candidato atrativo para que a composição de sua atmosfera seja investigada. Foi descoberta também a presença de um ciclo de atividade magnética na estrela similar ao do Sol, mas com um período inferior a 3 anos.

O cientista explicou que, até agora, só foi detectada a super-Terra GJ 536 b. Já existem planos, no entanto, de continuar com o monitoramento da estrela para identificar outros possíveis astros extrassolares. Suárez acrescentou que os planetas rochosos costumam aparecer em grupos, especialmente em estrelas deste tipo.

Os pesquisadores do IAC acreditam que vão encontrar outros planetas de baixa massa (outras super-Terras) a órbitas mais distantes, com períodos de aproximadamente 100 dias a até alguns anos

Por sua vez, Jonay Isaí González afirmou que este exoplaneta rochoso orbita uma estrela muito menor e mais fria que o Sol, mas suficientemente próxima e brilhante.

Além disso, é observável de ambos os hemisférios do nosso planeta. Por esta razão se apresenta como um candidato compatível para os presentes e futuros espectrógrafos de alta estabilidade, em particular para a possível detecção de outro planeta rochoso na zona habitável da estrela, acrescentou González.

A detecção deste planeta ocorreu por um esforço conjunto entre o IAC e o Observatório de Genebra, usando os espectrógrafos HARPS (sigla em inglês para Buscador de Planetas por Velocidade Radial de Alta Precisão) do Telescópio ESO, no Observatório de La Silla (Chile), e HARPS Norte, situado no Telescópio Nacional Galileu (TNG), do Observatório del Roque de los Muchachos, em Garafía (La Palma), nas Ilhas Canárias.

Chuva de meteoros poderá ser vista nesta sexta-feira no Brasil

mteoro

Uma chuva de meteoros deve acontecer na madrugada desta sexta-feira (21) e será possível vê-la do Brasil. O fenômeno, que deve começar por volta das 2 horas da manhã, é chamado de Orinídeos – nome dado porque a “atração” parece vir da constelação de Orion.

De acordo com o UOL, o Orinídeos é uma das melhores chuvas de meteoros do hemisfério Sul. Sua visualização requer boas condições climáticas, com céu aberto. Os meteoros da próxima madrugada são originários do cometa Halley e entram na atmosfera da Terra com muita velocidade, acelerando a deterioração.

A chuva de meteoros será melhor vista, com mais intensidade, segundo o UOL, uma hora antes do amanhecer.

“Deve-se olhar para um pouco abaixo da constelação de Orion, onde estão as Três Marias. Essa constelação aparece no horizonte leste e vai ficando mais alta com o passar do tempo. O melhor horário para observar a chuva de meteoros é cerca de 1 hora antes do amanhecer”, informou Gustavo Rojas, da Universidade Federal de São Carlos.

Cientistas descobrem a “Segunda Terra”

“Cientistas do Observatório Europeu do Sul (ESO) anunciaram, nesta quarta-feira (24), a descoberta de um exoplaneta com características muito semelhante ao planeta Terra, informa o jornal alemão Der Spiegel. De acordo com a publicação, a “Segunda Terra” está localizada em órbita na estrela Proxima Centauri, pertencente ao sistema da estrela Alpha Centauri, a aproximadamente 4 anos-luz do nosso planeta, uma distância relativamente pequena no espaço.

A existência da “Segunda Terra” abre inúmeras possibilidades de novas descobertas como, por exemplo, a existência ou não de vida extraterrestre.

De acordo com o estudo sobre a descoberta, publicado na revista “Nature”, os seus autores explicam que o planeta recém-descoberto, batizado de Proxima b, tem massa apenas cerca de 30% maior que a da Terra e que as condições de temperatura lá, teoricamente, permitem a existência de água em estado líquido na sua superfície.

Os pesquisadores explicam que a descoberta identificou a presença de um planeta quente e de massa parecida com a da Terra, que orbita a estrela Proxima Centauri a cada 11,2 dias, a uma distância de 7,5 milhões de quilômetros, o que representa apenas 5% da distância entre a Terra e o Sol.

O Proxima B, nome dado ao planeta descoberto, está próximo do nosso Sistema Solar, a uma distância de quatro anos-luz. Isso indica, segundo cientistas, que futuramente poderemos viajar para visitar a “Segunda Terrra”.

(Com Agências)