Blog do Eliomar

Categorias para Aviação

Gol deve pagar indenização por causar transtornos a mãe que viajava com bebê de cinco meses

O juiz Maurício Fernandes Gomes, titular da 35ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza, condenou a Gol Linhas Aéreas Inteligentes a pagar indenização por danos morais de R$ 5 mil por atrasar voo em mais de dez horas e causar transtornos a mãe que viajava com bebê de apenas cinco meses. A informação é da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Ceará.

“É dever da ré [Gol] garantir que suas aeronaves estejam em perfeitas condições para realizar as viagens agendadas. O problema técnico na aeronave que provoca o atraso da chegada ao destino faz com que o serviço de transporte aéreo se torne defeituoso, gerando direito à indenização aos consumidores lesados”, disse o magistrado na sentença.

Consta nos autos (nº 0186132-72.2013.8.06.0001), que a família da criança adquiriu passagens aéreas para voo no dia 22 de julho de 2013, com saída de Salvador e destino a cidade de Fortaleza, com horários marcados para 1h50 e chegada às 3h.

Já com todos embarcados e acomodados, os passageiros foram surpreendidos por um comunicado do comandante avisando que o avião teria de ser desligado para que fosse realizado um teste. Foi aí que a aeronave passou a ser ligada e desligada por diversas vezes, durante quase duas horas, período em que os clientes ficaram no escuro e sem ar condicionado. Após ser confirmada a decolagem, o avião sofreu nova pane, apagando novamente as luzes e os motores.

Os passageiros começaram a se manifestar no sentido de não prosseguirem a viagem por conta dos problemas apresentados. Percebendo a movimentação, um membro da tripulação, em tom de ameaça, avisou que se eles prosseguissem com o desembarque a companhia aérea não se responsabilizaria pela remarcação do voo, ficando assim os clientes responsáveis pelos prejuízos decorrentes das novas passagens, hospedagens e alimentação.

Após alguns minutos de discussão, os passageiros (cerca de 70) desceram da aeronave e foram transportados em uma van pequena até o saguão do aeroporto. A mala da bebê não foi devolvida pela empresa, sendo enviada direto ao destino final, fazendo com que ela ficasse sem roupas e objetos de higiene pessoal.

De volta ao saguão, os atendentes da Gol mantiveram a postura de dentro do avião, reafirmando a negativa da companhia em remarcar as respectivas passagens, o que gerou revolta por parte dos passageiros. Diante da reação dos clientes, o funcionário responsável se viu obrigado a proceder à remarcação. Direcionada ao balcão da companhia, a família da criança recebeu novas passagens, mas com horário de partida previsto somente para quase dez horas depois.

Os consumidores passaram a reivindicar os direitos à alimentação, transporte e hospedagem, tendo recebido do gerente como resposta que os insatisfeitos deveria procurar o reembolso na justiça, pois a Gol não iria pagar. Eles então se dirigiram ao posto da Polícia Civil, onde registraram a ocorrência.

A mãe alega que a bebê, o irmão e avô foram obrigados a dormir no chão do aeroporto, sem alimentação, sem roupas extras e sem objetos de higiene pessoal, inclusive a criança passou horas com a fralda suja. Por isso, a mãe, representando a filha, ingressou com ação requerendo indenização por danos morais.

Na contestação, a Gol argumentou que o atraso ocorreu em razão da necessidade de manutenção não programada na aeronave por motivos de segurança. Disse ainda que, em momento algum os passageiros ficaram desamparados pela companhia, além de ter sido comunicado o motivo do atraso e realizado o embarque imediato dos passageiros.

Ao analisar o caso, no entanto, o juiz ressaltou que “o dano moral é manifesto, diante da necessidade do usuário ser forçado a aguardar a manutenção não programada e o atraso do voo, o que desencadeou no desembarque dos passageiros e remarcação de voo. Ademais, o contratempo ocorreu por sucessivas vezes, conforme o relatado na inicial, gerando possivelmente pânico aos passageiros”. A decisão foi publicada no Diário da Justiça do último dia 17.

(Foto – Divulgação)

Setor de fretamento de aeronaves no Ceará fechou num céu de brigadeiro em 2018

Os irmãos Ariston e Joaquim Pessoa comandam a empresa.

O setor de fretamento de aeronaves do Ceará fechou 2018 em alta.

Entre o fim do ano e até ontem, só a TAF Aviação, segundo seu controlador Ariston Filho, havia fretado 25 voos entre Fortaleza e Jericoacoara.

“Um público diferenciado. Fretamento não é barato”, observa Ariston.

(Foto – Arquivo)

Empresas aéreas acumulam prejuízo de R$ 2 bi em 2018

A Avianca, Azul, Gol e Latam as quatro maiores empresas aéreas do País, acumularam prejuízo de R$ 2 bilhões nos três primeiros trimestres de 2018. O resultado isolado do 3º trimestre do ano mostra que as aéreas também pioraram o seu desempenho em relação ao mesmo período do ano anterior. Nessa comparação, o setor registrou prejuízo de R$ 556 milhões em 2018 contra lucro de R$ 787 milhões em 2017. Os dados são das demonstrações contábeis divulgadas pela Anac.

Entre julho e setembro, Azul e Latam forma as únicas aéreas que apesentaram lucro líquido positivo de R$ 35 milhões e R$ 1,1 milhão, respectivamente. A Gol obteve um prejuízo de R$ 405 milhões e a Avianca Brasil de R$ 188 milhões.

A receita operacional líquida agregada das quatro empresas, no acumulado dos três trimestres, cresceu 15,9% em relação ao mesmo período do ano passado, alcançando R$ 29,5 bilhões. Os custos dos serviços prestados apresentaram aumento de 23,6%, atingindo R$ 26 bilhões. Desta forma, com o incremento dos custos dos serviços prestados em percentual maior do que o crescimento da receita operacional líquida, o lucro bruto das quatro empresas, em conjunto, caiu 21%, passando de R$ 4,4 bilhões nos três primeiros trimestres de 2017 para R$ 3,4 bilhões em 2018. O item de maior impacto entre os custos e despesas foram os combustíveis, representando 31,7% do total.

A receita do setor do 3º trimestre aumentou em 17,2%, de R$ 9,2 bilhões para R$ 10,8 bilhões. Entretanto, os custos dos serviços prestados tiveram um incremento de 32,8%, com um total de R$ 9,4 bilhões, causando, assim, uma queda no lucro bruto de -33,9%.

(Com Agências)

Justiça derruba liminar que suspendeu acordo entre Boeing e Embraer

Em resposta a um pedido da Advocacia-Geral da União (AGU), a presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), desembargadora Therezinha Cazerta, derrubou na madrugada deste sábado (22) a liminar que suspendia a negociação entre a Embraer e a Boeing.

As negociações estavam paralisadas desde o último dia 19 devido a uma ação movida pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, onde a Embraer tem fábricas. Os sindicalistas argumentam que o negócio fere regras de mercado, uma vez que na transação haveria uma incorporação da Embraer pela Boeing e não apenas uma associação entre as duas empresas para um projeto específico.

A AGU argumentou que a manutenção da liminar poderia gerar lesão à ordem pública administrativa e à economia pública. Também afirmou que a suspensão das negociações agride o princípio constitucional da livre iniciativa, pois se trata de negociação entre duas empresas privadas.

No entendimento da AGU, a suspensão das negociações viola o princípio da separação dos Poderes. “[A decisão] afeta a capacidade da União de analisar a operação e decidir se exercerá ou não o poder de veto que tem em razão de ser detentora da ‘ação de ouro’ [golden share] da companhia brasileira –, opção que, lembra a Advocacia-Geral, é eminentemente político-administrativa, e não judicial”.

O acordo em andamento entre as duas companhias prevê a criação de uma nova companhia, uma joint venture, no termo do mercado, na qual a Boeing teria 80% e a Embraer, 20%.

Caberia à Boeing a atividade comercial, não absorvendo as atividades relacionadas a aeronaves para segurança nacional e jatos executivos, que continuariam somente com a Embraer.

Hoje o governo brasileiro tem uma participação qualificada na empresa, por meio de golden share, uma ação especial que dá mais controle ao seu proprietário.

(Agência Brasil)

Um setor aéreo menos turbulento

Com o título “Um setor aéreo menos turbulento”, eis artigo de Sergio Aquino Souza, professor associado do DTE-Caen/UFC. Ele aborda o céu de brigadeiro que o setor da aviação nacional, com abertura pró-parcerias, poderá experimentar no futuro. Confira:

Na semana em que Avianca pediu recuperação judicial e em que foi assinada medida provisória que elimina limites de capitais estrangeiros em empresas aéreas brasileiras, é inevitável voltar a comentar sobre o setor aéreo.

Apesar dos avanços promovidos pela desregulamentação iniciada na década de 1990, que gerou mais competição, maior oferta de voos e redução de preços, ainda restaram muitos gargalos no setor: vários aeroportos com capacidade limitada, reação injustificada da população, de políticos e de órgãos de defasa do consumidor a medidas liberalizantes como a cobrança de bagagens, concentração de slots valiosos em aeroportos importantes, empresas vulneráveis financeiramente etc.

Tais problemas têm sido pouco a pouco endereçados por medidas importantes tomadas nos últimos anos: flexibilização da cobrança de serviços acessórios, privatização de aeroportos e, agora (finalmente), a abertura ao capital estrangeiro.

Empresas brasileiras, já estabelecidas, passarão a ter acesso a capital estrangeiro, tornando-se mais sólidas financeiramente e aumentando capacidade de realizar investimentos, o que tende gerar melhorias na frota, ampliação de rotas e maior frequência de voos.

Além disso, a abertura econômica e a flexibilização da cobrança de serviços (bagagens, especialmente) estimulam a criação (ou entrada) de empresas no mercado nacional, promovendo ambiente de negócios favorável à maior concorrência e, consequentemente, à oferta de um serviço com melhor combinação de preço e qualidade para o consumidor.

Por exemplo, este cenário abre espaço para entrada para um tipo de empresa que faz muito sucesso nos Estados Unidos e na Europa com modelo de baixo custo-baixo preço, algo improvável de ocorrer no ambiente regulatório anterior, no qual imperava limitação sobre origem do capital e menor flexibilidade na cobrança dos serviços.

Enfim, que venham mais medidas pró-concorrência!

*Sergio Aquino Souza

srgdesouz@gmail.com

Professor associado do DTE-Caen/UFC.

Aeroportos da Infraero devem receber 5 milhões de pessoas até janeiro

A Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) espera receber 5 milhões de passageiros, entre embarques e desembarques, em seus aeroportos neste fim de ano. Ela acredita que o movimento de aeronaves deve ser de aproximadamente 42 mil pousos e decolagens no período entre esta segunda-feira (17) até o dia 6 de janeiro.

De acordo com a empresa, a preparação para receber o fluxo intenso de passageiros começou em novembro e passou pela manutenção preventiva de esteiras de despacho e restituição de bagagens, sinalização de pista, pontes de embarque, escadas rolantes, raios-x e detectores de metal, entre outros.

Dentre os aeroportos administrados pela Infraero estão os de Congonhas, Santos Dumont, Curitiba, Recife e Manaus.

(Agência Brasil)

Temer assina MP que libera 100% de capital das empresas aéreas

O presidente Michel Temer assinou hoje (13) medida provisória (MP) que autoriza as empresas de aviação nacionais a terem participação ilimitada de capital estrangeiro. Com isso, deixa de existir o limite de 20% de capital estrangeiro nas aéreas nacionais. A partir de agora, uma empresa brasileira do setor poderá ter 100% de capital estrangeiro. A MP será publicada ainda hoje, em edição extra do Diário Oficial da União.

“Isto resolve um dos principais problemas da aviação brasileira, que é a fonte de financiamento para as companhias de aviação. Com isso, temos a oportunidade de ter a participação do capital estrangeiro no financiamento, independentemente de sua origem”, disse o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, ao anunciar a medida.

Segurança nacional

O governo negou que a liberação do controle estrangeiro no capital das aéreas ameace a segurança nacional. No anúncio, o ministro utilizou o exemplo das companhias telefônicas, que já adotam a prática. “Não há tema mais estratégico para a segurança nacional e o conhecimento do que a telefonia. E na telefonia, temos possibilidade de 100% de capital estrangeiro. Temos que caminhar nessa direção para as empresas aéreas também”.

Padilha afirmou ainda que o setor ficará mais competitivo e o consumidor ganhará com isso. Segundo ele, a nova política estimulará o surgimento de novas companhias, novos destinos, com estímulo ao turismo e geração de emprego no setor. Na avaliação do governo, a medida também estimulará a redução de preços das passagens, que viria com o aumento da concorrência.

Caso Avianca

Nesta semana, a Avianca entrou com pedido de recuperação judicial no Tribunal de Justiça de São Paulo. A empresa tem uma dívida milionária com fornecedores e aeroportos. Padilha disse que a medida não foi feita especificamente para socorrer a Avianca, mas que a empresa poderá se beneficiar.

“A Avianca, circunstancialmente, poderá ser beneficiada nesse processo. Com esta MP, alguma empresa internacional poderá se interessar em recompor as condições financeiras da Avianca”. Padilha explicou ainda que houve uma conversa com ministro da Economia do futuro governo, Paulo Guedes, que concordou com a ideia. “Ele disse que estava rigorosamente conforme aquilo que entende que deva ser feito. Estamos fazendo em consonância com o novo governo”.

Tripulação nacional

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a exploração dos serviços aéreos pode ser feita por empresa constituída segundo as leis brasileiras com sede de administração no Brasil. As profissões de piloto de aeronave, comissário de voo e mecânico de voo continuam destinadas exclusivamente a brasileiros natos ou naturalizados.

De acordo com a agência reguladora, a medida vai estimular a desconcentração de empresas no mercado doméstico e o aumento da quantidade de rotas ofertadas e integração com rotas internacionais.

” O ingresso de capital estrangeiro no país tende a aumentar a competição no setor ao ampliar as fontes de recursos para as companhias já existentes e potencializar o surgimento de novos entrantes”, disse a assessoria da Anac.

Tendência mundial

A Anac disse ainda que a queda na barreira de participação do capital estrangeiro “segue uma tendência de abertura já verificada em outros países e equipara o mercado de aviação ao que já é adotado em praticamente todos os setores da economia.”

O Código Brasileiro de Aeronáutica (CBA) vigente é de 1986, anterior à lei que criou a Anac, de 2005, e estabelece como limite máximo ao capital estrangeiro o percentual de 20%.

Em pane financeira, Avianca Brasil entra com pedido de recuperação judicial

A Avianca Brasil entrou com pedido de recuperação judicial, nesta tarde de terça-feira, para evitar a paralisação de suas atividades. A companhia aérea enfrenta dificuldades para manter aviões arrendados por falta de pagamento aos fornecedores. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

O pedido de recuperação judicial, de R$ 50 milhões, corre em segredo de Justiça.

Na semana passada, dois processos movidos por empresas de arrendamento de aeronaves pedem a devolução de 13 aeronaves da Avianca por falta de pagamento receberam liminares da Justiça. As medidas concediam reintegração de posse aos donos dos avições.

As companhias BOC Aviation e Constitution Aircraft Leasing, ambas com sede na Irlanda, pediram a devolução das aeronaves por inadimplência. Elas pedem, além das aeronaves, restituições que somam 7 milhões de reais. Os juízes César Augusto Vieira Macedo, da 31ª Vara Cível, e Fernando José Cúnico, da 12ª Vara Cível, decidiram que a Avianca deve entregar os aviões.

(Foto – Divulgação)

Empresa do Grupo Coco Bambu antecipa Black Friday

O Grupo Coco Bambu volta a investir em turismo com o buscador de passagens aéreas yzzer.com. Criação do filho de Afrânio Barreira, Felipe Barreira, a startup entrou no mercado, baixou ao mínimo seus ganhos e repassou o desconto aos clientes. “Somos mais baratos que comprando na própria companhia aérea, e, neste final de semana, vamos lançar algo que ninguém oferece: bagagem grátis”, adianta Felipe.

“Desde que as companhias aéreas decidiram cobrar pelo despacho de bagagens, os preços das passagens não caíram como previsto”, diz Felipe, observando a sua agência online “pode deixar as coisas bem melhores para a clientela”.

Antecipando o Black Friday, quem acessar o site da yzzer.com entre esta sexta-feira, 16, e o próximo domingo, 18, nas compras de todos os destinos nacionais deve inserir o código promocional viajeyzzer e assim ganhar 1ª franquia de despacho de bagagem. Isso vale para as 100 primeira viagens.

Startup

Essa startup cearense oferece, além do menor preço, um atendimento pessoal e descomplicado do seu call center, garante o contorlador Felipe Barreira. Através de um número de telefone o cliente fala com um atendente, e assim consegue efetuar a compra ou tirar alguma dúvida em relação à sua solicitação.

Além das passagens aéreas, o yzzer.com também comercializa via call center, hotéis, transfers, seguros viagem, pacotes turísticos, possui atendimento especializado para clientes corporativos.

(Foto – Divulgação)

Camilo anuncia dois voos semanais entre Madrid e Fortaleza pela Air Europa

A Air Europa lançou oficialmente nesta quinta-feira (15), em Madrid, na Espanha, dois novos voos semanais de Fortaleza para a capital espanhola. Em solenidade realizada na sede do grupo empresarial Globalia, o governador Camilo Santana assinou o acordo com representantes do grupo espanhol. As duas frequências devem começar a operar no segundo semestre de 2019. Além disso, o empresário Javier Hidalgo, proprietário do grupo, um dos principais do mundo em hotelaria, informou que pretende investir em novos hoteis e resorts no Ceará para fortalecer ainda mais o destino entre as duas cidades.

“Esses investimentos serão muito importantes para fortalecer o destino entre as duas cidades (Madrid e Fortaleza). A intenção do grupo é fazer de Fortaleza e do Ceará um grande centro de inovação em Turismo. Nosso aeroporto já se consolida como importante HUB aéreo para vários países. E a Air Europa, em parceria com a Air France/KLM, quer conectar a Europa a várias países da América do Sul. Isso quer dizer que vamos fortalecer ainda mais o HUB Aéreo da capital cearense”, disse o governador Camilo Santana, que estava acompanhado dos secretários Arialdo Pinho (Turismo) e Élcio Batista (Chefia de Gabinete).

O governador citou que o Governo do Estado tem trabalhado para atrair novas empresas aéreas para o Aeroporto Pinto Martins e, com isso, ampliar a frequência de voos e destinos. “Quanto maior a frequência de voos para nosso estado, conseguimos movimentar a economia e aumentar a geração de empregos para os cearenses”, afirmou Camilo Santana.

(Governo do Ceará / Foto: Divulgação)

Camilo se reúne em Paris com a Air France/KLM

O governador Camilo Santana se reuniu nesta segunda-feira (12), em Paris, na França, com a presidente mundial do Conselho Administrativo da Air France/KLM, Anne-Marie Courdec. Durante o encontro, a empresa comemorou os resultados do HUB aéreo em Fortaleza – está com 95% de ocupação da classe econômica – e já avalia lançar novas frequências de voos diretos de Fortaleza para Paris e Amsterdã, além das cinco em operação e outras duas já anunciadas para este mês e abril/19.

“Fizemos um balanço do projeto e eles estão muito satisfeitos e otimistas. A ocupação da classe econômica chega a 95% em média. A partir desse mês teremos mais um voo semanal da Air France e, em abril, outro da KLM, passando a ser frequências diárias; isso com apenas seis meses de projeto. E já avaliam ampliar as frequências. Coloquei o Governo do Estado à disposição para fazermos desse projeto um case de sucesso e conectar o Ceará com o mundo”, afirmou o governador.

A reunião contou ainda com a participação dos vice-presidentes da Air France/KLM, Patrick Alexandre, Henri Hourcade e Patrick Roux. “A consolidação do HUB aéreo significa mais turistas, mais frequência em hotéis, novos postos de trabalho e empregos qualificados, o que movimenta a economia do estado, com a atração de novas empresas. Por isso, estamos investindo na capacitação e qualificação de mão-de-obra, com as escolas de Gastronomia e Hotelaria, o Centro Cearense de Idiomas e as escolas profissionalizantes”, citou Camilo Santana, que ressaltou a importância da trinca de Hubs para o estado – Aéreo, Portuário e Tecnológico.

O governador também reforçou o crescimento das exportações no estado com a consolidação do HUB aéreo e a importância da parceria com o Porto de Roterdã, que será fundamental para a ampliação do HUB aéreo e a captação de novos negócios para o Ceará.

Também nesta segunda-feira, na França, o governador Camilo Santana participou de agenda em um dos maiores centros de startups do mundo, o Station F – projeto inovador de desenvolvimento tecnológico que reúne quase mil startups em um único ambiente.

“Aqui temos o que há de mais moderno e eficiente num novo ecossistema de negócios. Nossa ideia é incentivar, cada vez mais, projetos que estimulem a inovação e a tecnologia no Ceará, em parceria com a iniciativa privada”, citou o governador, que estava acompanhado do presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Beto Studart, e dos secretários César Ribeiro (Desenvolvimento Econômico) e Élcio Batista (Chefia de Gabinete).

A comitiva cearense foi recebida pelo chefe de inovação da Station F, Axel Gunaltun, que apresentou as instalações do centro de negócios francês. Com 34 mil metros quadrados, o Station F oferece espaço para cerca de 3 mil empreendedores trabalharem em seus projetos e 26 programas de aceleração liderados por grandes corporações, além de locais para a realização de eventos, entre outros recursos disponíveis aos empreendedores.

Em sua terceira agenda do dia na França, o governador Camilo Santana se reuniu com o embaixador do Brasil no país, Paulo César de Oliveira Campos. “Conversamos, entre outros assuntos, sobre a instalação de uma unidade do Instituto Pasteur no Polo de Saúde do Eusébio. Nossa ideia é ampliar cada vez mais as oportunidades e, com isso, garantir mais desenvolvimento para o Ceará”, disse Camilo Santana.

Na última sexta-feira (9), em Roterdã, na Holanda, o governador do Ceará realizou uma apresentação sobre as potencialidades do Ceará e as oportunidades de novos negócios no estado a um grupo de empresários europeus. Em seguida, participou de encontro com o CFO do Porto de Roterdã, Paul Smits; com o representante do Governo Municipal de Roterdã, Adriaan Visser; e com a embaixadora do Brasil nos Países Baixos, Regina Maria Cordeiro Dunlop, em evento que marcou a celebração da parceria com Porto do Pecém.

(Governo do Ceará / Foto: Divulgação)

Fortaleza terá voos direto para Jericoacoara na Alta Estação

A Gol Linhas Aéreas vai realizar, entre os meses de dezembro e fevereiro, considerados Alta Estação, voos diretos entre Fortaleza e Jericoacoara. A informação é da assessoria de imprensa da empresa, adiantando que isso possibilitará também a ligação da Capital cearense com outros nove aeroportos. Ao todo, serão 284 viagens extras disponíveis.

Durante a alta estação, os destinos ligados a Fortaleza com voos diretos serão Rosário e Córdoba, na Argentina, além de Campinas, Cuiabá, Goiânia, Curitiba, Foz do Iguaçu e aeroportos de Minas Gerais. A empresa ainda informou que aumentará a oferta de operações entre o Aeroporto Internacional Pinto Martins e Miami, nos Estados Unidos.

Segundo o diretor de Planejamento da Gol, Rafael Araujo, essa medida da companhia visa atender à demanda dos clientes pelos destinos mais procurados no período, que além das férias, também compreende as festas de fim de ano.

Bilhetes

Os bilhetes para os novos destinos já estão disponíveis para venda antecipada nos canais de venda da companhia aérea pela internet, nas lojas e nas agências de viagem.

A Gol informou ainda que encerrou o terceiro trimestre do ano (julho-setembro) com aumento de 4,2% na demanda por voos domésticos e 13,5% por viagens internacionais. Em igual período, a oferta cresceu 5,1% nacionalmente, enquanto houve queda de 13,5% internacionalmente.

Setur trabalha a atração de mais quatro empresas aéreas

O secretário do Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, informa estar prospectando a vinda de mais quatro empresas aéreas “de vários continentes” para operações no Ceará até 2019. Ele diz que isso é possível com as novas regras baixadas pelo Governo para o incentivo econômico no mercado da aviação.

Os nomes e os países sede dessas companhias não foram revelados pelo secretário. Segundo Arialdo, há grande concorrência entre aeroportos, principalmente do Nordeste, e as negociações devem ficar em sigilo, até que acordos sejam firmados.

Conforme O POVO publicou, em março deste ano, voo Fortaleza-Marrocos pela companhia marroquina Royal Air Maroc (RAM) está sendo negociado. Além disso, em outubro, Arialdo havia confirmado que a companhia aérea Air Europa vai operar voos que ligam a Capital a Madri, a partir de maio de 2019. O lançamento oficial deverá ocorrer em novembro, com duas frequências previstas.

Em segundo plano, o grupo espanhol ainda estuda ingressar no ramo de hotelaria do Ceará. Globalia, grupo que gerencia a Air Europa e alinha empresas turísticas no país europeu, deverá aproveitar a nova conexão aérea com a Capital cearense para expandir suas atividades.

(Com O POVO)

Anac interdita avião que seria usado pela cantora Anitta

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) interditou um avião que seria usado pela cantora Anitta nessa sexta-feira (28), no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. As informações são do Lauro Jardim, do jornal “O Globo”.

A empresa Intensive Air Táxi Aéreo está suspensa desde novembro de 2014 e não pode realizar voos remunerados, apenas particulares. As habilitações dos pilotos responsáveis foram suspensas.

Essa é a segunda vez que a cantora é flagrada pela fiscalização contra o transporte aéreo clandestino. Em 21 de julho, no aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, a Anac também interditou a aeronave que a transportava de forma irregular e suspendeu o piloto.

(Foto – Instagram da artista)

Número de passageiros em aviões cresce 4,36%, diz associação

O número de passageiros de aviões no Brasil em agosto foi de 7,8 milhões, alta de 4,36% em relação a agosto de 2017. A demanda por viagens aéreas, que leva em conta passageiros pagantes e distância percorrida, teve elevação de 4,40% no mesmo período. A oferta cresceu 4,75%. Os dados foram divulgados hoje (27), em São Paulo, pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

No acumulado do ano até agosto, houve alta de 4,75% na demanda e de 4,80% na oferta. O equilíbrio entre oferta e demanda resultou em estabilidade do aproveitamento dos assentos, que ficou em 80,78%, retração de 0,04 ponto percentual em relação ao acumulado de 2017.

A taxa de participação de mercado de cada membro da associação, em agosto, foi de 34,19% da Gol, 32,79% da Latam, 19,25% da Azul e 13,77% da Avianca. Além desses associados, foi anunciada hoje a inclusão dos novos: Passaredo, voltada à aviação regional brasileira, e Map, que voa pela Amazônia.

As viagens internacionais – feitas pelas associadas da Abear – tiveram alta de 15,72% em agosto, na comparação com o mesmo mês em 2017 e a oferta cresceu 19,54% no mesmo período.

O fator de aproveitamento fechou em 81,61%, com baixa de 2,70 pontos percentuais. No acumulado do ano, a demanda internacional teve alta de 15,64% sobre o mesmo intervalo de 2017 e a oferta apresentou aumento de 19,08%.

Alta nos custos

O presidente da associação, Eduardo Sanovicz, informou que o setor enfrentou, desde agosto do ano passado, o problema da elevação nos custos, com a alta de 25% no câmbio e de 60% no querosene. O combustível para aviação, inclusive, atingiu, no mês passado, o nível mais alto desde 2002, de acordo com a associação.

Com o aumento de custos, Sanovicz admite a possibilidade de aumento nas tarifas aos passageiros futuramente. “É racional esperar que, de alguma forma, o aumento do querosene e do câmbio tenha um reflexo. Não será tão impactante, porque hoje é possível ter política tarifária com produtos acessórios”, disse.

Precificação do combustível

A Abear defende a revisão da precificação do combustível de aviação, demanda que vem sendo enviada aos candidatos à Presidência da República. Segundo Sanovicz, o modelo atual de precificação é usado desde os anos 80.

A entidade é contrária à cobrança do combustível em dólar, já que, hoje, 90% desse combustível são produzidos no Brasil, diferente dos anos 80, quando 90% eram importados.

Assento conforto

Sanovicz é contrário a regulamentações sobre a venda de assento conforto pelas companhias aéreas. Na última terça-feira (25), o Ministério Público Federal emitiu nota sobre a cobrança ilegítima, quando a companhia não oferece vantagens ao passageiro.

“A nossa história de desregulamentação mostrou que, desta forma, a gente oferece bilhetes mais acessíveis e voa para mais destinos”, finalizou o dirigente.

(Agência Brasil)

TAM Linhas Aéreas é condenada a indenizar professor que teve mala extraviada

A TAM Linhas Aéreas foi condenada a pagar indenização por danos morais de R$ 5 mil para professor que teve a mala extraviada. A decisão, publicada no Diário da Justiça de quarta-feira (19/09), é do juiz Antônio Francisco Paiva, titular da 17ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza. A informação é da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Estado.

Consta nos autos (nº 0856346-05.2014.8.06.0001) que, no ano de 2013, o cliente foi convidado para participar de um congresso na Bahia, no período de 13 a 18 de outubro, tendo embarcado em voo Fortaleza-Salvador da referida companhia aérea.

Porém, ao desembarcar na cidade, foi informado de que a bagagem havia sido extraviada. O passageiro afirmou que dentro da mala haviam medicamentos de uso contínuo que, sem receita médica, tornou-se inviável a reposição.

Além disso, ele iria cumprir jornada de quase 1000 km até o local do evento, a partir de Salvador. Após o ocorrido, entrou em contato com a TAM, que se dispôs a fornecer um valor a título de reparação, o qual, segundo o passageiro, não cobriria nem mesmo os itens dentro da mala.

Sentindo-se prejudicado, entrou com ação na Justiça requerendo indenização por danos morais e materiais. Na contestação, a companhia aérea afirmou que, apesar de o professor ter discriminado os itens contidos na bagagem, não fez prova da veracidade de suas alegações, pois não foram registrados os bens no momento do embarque. Em função disso, não que se falar em condenação por danos materiais.

Ao analisar o caso, o magistrado destacou que “a transportadora requerida não exigiu do consumidor a declaração do valor da bagagem e tampouco a descrição do seu conteúdo no momento do despacho, de tal modo entendo que não pode agora a empresa demandada exigir do promovente prova minuciosa de todos os bens que estavam dentro de sua mala”.

Conforme o juiz, “verifica-se que a parte autora não trouxe aos autos cálculos dos prejuízos materiais sofridos, motivo pelo qual dificulta a correta ou aproximada liquidação do dano, não restando outra opção senão a apuração do valor em fase posterior. Contudo mantém-se guarnecido seu direito”.

Acrescentou ainda que, “o direito do autor encontra amparo no artigo 6º, inciso VI, do Código de Defesa do Consumidor. E nem se diga que os fatos alegados na inicial configuram mero dissabor. A responsabilidade da ré, pelo extravio de bagagem, é objetiva, ou seja, independe de culpa, em conformidade com o art. 14, do citado diploma legal, portanto verificado em in re ipsa e prescinde de comprovação, além disso, foram explicitadas e se mostram devidamente justificadas”.

(Foto – Arquivo)

Latam lança promoção para Fortaleza de voos nacionais e internacionais; confira preços

A companhia aérea Latam lançou promoção de voos nacionais e internacionais com origem em diversas capitais. Em Fortaleza, voos para Natal são vendidos a partir de R$ 99 o trecho com taxas inclusas. A informação é do site Mercado e Eventos.

Já da Capital para Miami e Orlando, nos Estados Unidos, os preços ficam em R$ 1.534 e R$ 2.028. Neste caso, o valor corresponde a ida e a volta e as taxas estão inclusas.

Preços de outros voos com saída de Fortaleza podem ser consultados no site da Latam.

(O POVO Online)

LATAM projeta crescimento de vendas para rotas Fortaleza e Foz do Iguaçu

463 1

A LATAM Travel lançou o projeto “Destinos LATAM Travel”, que destaca Fortaleza e Foz do Iguaçu (PR) como duas das rotas nacionais estratégicas da operadora e com grande potencial de vendas para os próximos anos. Para este lançamento, segundo a assessoria de imprensa da empresa, foram feitas negociações com parceiros locais, treinamentos da rede de franqueados e ações promocionais pontuais que oferecem diferenciais e descontos de até 30%* nos roteiros. O objetivo é que cada um dos destinos tenha aumento de cerca de 25% das vendas no primeiro ano do projeto.

“Foz do Iguaçu e Fortaleza são cidades que sempre agradam nossos clientes e são opções para viajar durante todo o ano, por isso são destinos sustentáveis e com grande potencial turístico”, explica Karen Vilefort, gerente de Produtos LATAM Travel. “Nossa aposta será trabalhada a longo prazo, desenvolvendo parcerias locais, ações consolidadas e investimento em comunicação para fomentar ainda mais o turismo nessas regiões, diversificando os roteiros e ampliando a estadia média das viagens de nossos clientes”, completa a executiva.

SERVIÇO

*A primeira ação promocional está disponível neste mês de setembro, com ofertas de até 30%* de desconto nos pacotes de viagem com embarque até dezembro deste ano. Os clientes interessados podem consultar as lojas LATAM Travel, seu agente de viagem, entrar em contato com a Central de Vendas (11 3274-1313 São Paulo / 0300 777 2000 demais localidades) ou ainda acessar o site www.latamtravel.com.br.

Decreto quer servidor estadual viajando para o exterior partindo apenas de Fortaleza

Da Coluna de Jocélio Leal, no O POVO desta sexta-feira, o tópico “Pousos e decolagens por aqui mesmo”. Confira:

O governador Camilo Santana (PT) está para assinar decreto que determina aos servidores do Estado embarque e desembarque em voos internacionais apenas pelo Pinto Martins.

Noutros termos, reforça com a demanda do Governo as frequências para o Ceará. Camilo ouviu a sugestão do secretário do Turismo, Arialdo Pinho. O pessoal que fazia questão de voar Emirates a partir de São Paulo terá de deixar o desfrute para as férias.

Na Era Tasso havia bem menos voos, mas existia esta exigência.

(Foto – Jarbas Oliveira)