Blog do Eliomar

Categorias para Aviação

Avianca cancela quase 2 mil voos até o dia 28

A Avianca já contabiliza quase 2 mil voos cancelados até o próximo dia 28, segundo tabela disponibilizada pela companhia aérea em seu site. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) cancelou 18 matrículas de aeronaves da Avianca, dando cumprimento a uma decisão judicial que determinou a reintegração de posse desses aviões às empresas de leasing, donas das aeronaves.

A fim de minimizar os efeitos negativos dessas medidas, a Anac vem recomendando aos passageiros, que fiquem atentos aos comunicados da Avianca sobre a situação dos voos e, em caso de dúvida, busquem informações no site da companhia aérea ou pelos canais de atendimento telefônico, eletrônico ou presencial.

A Avianca afirma que manterá o compromisso, assumido com a Anac, de informar com antecedência mínima de 72 horas os voos que serão cancelados.

Por meio de nota, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) informou já ter enviado notificação à Avianca, pedindo informações sobre o número de assentos vendidos pela empresa; sobre como está sendo feita a distribuição de assentos; e sobre se há riscos de mais voos serem cancelados.

Segundo a secretaria, os consumidores lesados poderão apresentar suas reclamações na plataforma consumidor.gov.br, que pode ser acessada por navegador ou por aplicativo próprio disponível para os sistemas Apple e Android.

Recuperação judicial

No último dia 5, a assembleia de credores aprovou o plano de recuperação judicial em uma reunião que durou mais de sete horas. O plano prevê a divisão da empresa por meio da criação de sete unidades produtivas isoladas (UPIs), que serão levadas a leilão.

Seis UPIs conterão partes dos direitos de pousos e decolagens (“slots”) da Avianca nos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Santos Dumont e uma vai englobar o programa de fidelidade da empresa.

O plano de recuperação da empresa aérea foi homologado no último dia 12 pelo juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. De acordo com a decisão, a empresa permanecerá em recuperação judicial até que se cumpram as obrigações previstas no plano.

(Agência Brasil)

Avianca devolverá aeronaves a partir de segunda-feira

A Avianca Brasil devolverá mais oito aviões às empresas de leasing proprietárias das aeronaves. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a entrega será feita a partir de segunda-feira (22), após o feriado de Páscoa, de forma a mitigar os efeitos para os passageiros.

Outras dez aeronaves já foram devolvidas às empresas proprietárias no dia 12 de abril. Há ainda três em negociação, sem prazo para a devolução.

A medida da Anac deu cumprimento a uma decisão judicial que determinou a reintegração de posse das aeronaves às empresas de leasing, donas das aeronaves. Atualmente 26 aeronaves continuam operando pela Avianca.

Por determinação da Anac, a Avianca terá de adequar sua malha aérea, seu sistema de venda de passagens e dar “ampla divulgação dos voos cancelados de forma a minimizar o impacto pela retirada das aeronaves”.

Recuperação judicial

No último dia 5, a assembleia de credores aprovou o plano de recuperação judicial em uma reunião que durou mais de sete horas. O plano prevê a divisão da empresa por meio da criação de sete unidades produtivas isoladas (UPIs), que serão levadas a leilão.

Seis UPIs conterão partes dos direitos de pousos e decolagens (“slots”) da Avianca nos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Santos Dumont e uma vai englobar o programa de fidelidade da empresa.

O plano de recuperação da empresa aérea foi homologado no último dia 12 pelo juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. De acordo com a decisão, a empresa permanecerá em recuperação judicial até que se cumpram as obrigações previstas no plano.

A Avianca afirma que manterá o compromisso, assumido com a Anac, de informar com antecedência mínima de 72 horas os voos que serão cancelados.

Por meio de nota, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) informou já ter enviado notificação à Avianca, pedindo informações sobre o número de assentos vendidos pela empresa; sobre como está sendo feita a distribuição de assentos; e sobre se há riscos de mais voos serem cancelados.

Segundo a secretaria, os consumidores lesados poderão apresentar suas reclamações na plataforma consumidor.gov.br, que pode ser acessada por navegador ou por aplicativo próprio disponível para os sistemas Apple e Android.

(Agência Brasil)

Avianca pode perder mais 11 aviões; 51 voos da Páscoa estão cancelados

A Avianca Brasil cancelou nesta terça-feira, 16, mais 51 voos que deveriam decolar no domingo de Páscoa. A empresa, em recuperação judicial, também deve perder mais 11 aeronaves de sua frota. As informações são da Veja Online.

A empresa aérea está com problemas com as arrendadoras que fazem o aluguel de aeronaves, por causa de dificuldade em honrar os pagamentos.

Pela redução da malha, a empresa aérea cancelou 381 voos entre sábado, 13, e domingo, 21, e pode continuar fazendo cancelamentos nos próximos dias, caso fique sem os seus aviões. Só durante o feriado, são 201 voos cancelados até agora.

Está disponível, no site da Avianca, um link para conferir os voos que não acontecerão. A Avianca informa que o consumidor que teve seu voos cancelado deve entrar com o pedido de reembolso no site, ou falar com a agência de viagens que o vendeu a passagem.

De acordo com decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, a Avianca tem um período de 10 dias para devolver oito aviões para a Celestial Aviation Trading. Outra decisão do mesmo tribunal obriga a empresa a entregar para a PK Airfinance mais três aeronaves, que, de acordo com a decisão judicial, devem ser devolvidos imediatamente à arrendadora.

Os mandatos de reintegração de posse foram expedidos na segunda-feira, 15. Procurada, a Avianca não quis comentar sobre esses processos.

 

Avianca quita dívida com Fraport e opera normalmente no Pinto Martins

A empresa aérea Avianca Brasil opera com voos normalmente nesta quinta-feira, 11, no Aeroporto de Fortaleza. De acordo com a Fraport, concessionária do terminal, a empresa repassou o valor de R$ 9 milhões que estava em atraso, referente às tarifas aeroportuárias, desde setembro de 2018. Caso o pagamento não tivesse sido efetuado, as operações seriam suspensas hoje.

“Desta forma, os voos de amanhã (hoje) estão confirmados. Caso haja qualquer modificação, voltaremos a comunicar. De toda forma, recomendamos que os passageiros verifiquem sempre a situação de seu voo com a Avianca Brasil antes de se dirigirem ao terminal de passageiros” disse a Fraport em nota.

A Avianca Brasil encontra-se em processo de recuperação judicial desde o último mês de dezembro e vem enfrentando graves problemas financeiros, cancelamentos e atrasos em aeroportos de todo o Brasil. A Avianca também quitou na última terça-feira, 9, a dívida que tinha com o Salvador Bahia Airport por conta dos mesmos motivos, assim mantendo todos os voos de ontem confirmados.

Avianca só opera no aeroporto de Fortaleza se pagar tarifas com antecedência

A Fraport Brasil – Fortaleza divulgou nota informando que, a partir desta quinta-feira (11), a Avianca Brasil somente será autorizada a operar no Aeroporto Internacional Pinto Martins caso faça o repasse das tarifas dos voos com antecedência.

A empresa recomenda aos passageiros que verifiquem junto à Avianca a situação de seu voo antes de se dirigirem ao terminal de passageiros.

A Avianca encontra-se em processo de recuperação judicial, pois vem enfrentando graves problemas financeiros, cancelamentos e atrasos por todo o Brasil. Somente com o aeroporto de Fortaleza sua dívida já chega aos R$ 9 milhões e a média de receita diária que vem deixando de ser repassada à Fraport é de aproximadamente R$ 50 mil reais.

Essa decisão da Fraport já foi comunicada à Agência Nacional da Aviação Civil (Anac).

(Foto – Arquivo)

Ministro do Turismo quer baixar preço das passagens aéreas

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, declarou que uma das ações do governo para o incremento do setor turístico no Brasil é a redução do valor das passagens áreas. Ele participou hoje (2) da sétima edição da World Travel Market, feira internacional do setor de viagens realizado na capital paulista, por onde devem passar 8 mil visitantes.

A queda dos valores pode ocorrer com a aprovação no Congresso Nacional da medida provisória que autoriza as empresas de aviação nacionais a terem participação ilimitada de capital estrangeiro. A lei determina limite máximo de 20% de investimento vindo de fora. No último dia 20, o texto foi aprovado pela Câmara dos Deputados.

“Vai aumentar a competitividade, sem dúvida nenhuma, gerando, sobretudo, a redução da tarifa. A modernização da lei geral do Turismo foi aprovada na Câmara dos Deputados juntamente com as aéreas. Uma série de fatores que vão impactar positivamente o turismo”.

No último domingo (31), o ministro participou do primeiro voo de uma empresa low cost, ou seja, de baixo custo, a atuar no Brasil. A norueguesa Norwegian pousou no Aeroporto Internacional Galeão-Tom Jobim, no Rio de Janeiro, onde passará a operar com quatro voos semanais com destino a Londres. O preço da passagem é cerca de R$ 1 mil.

Isenção de visto

Outra ação do governo, que começará a valer em 17 de junho, será a isenção da necessidade de vistos para entrada de estrangeiros procedentes dos Estados Unidos, do Canadá, da Austrália e do Japão.

Segundo o ministro, o pleito vinha sendo requerido há mais de 15 anos pelo setor. A expectativa é que a medida atraia US$ 1 bilhões por ano com a circulação desses estrangeiros, de acordo com os estudos iniciais.

“Um momento como esse é muito importante para o desenvolvimento do turismo, sobretudo nos municípios. O Brasil apresenta uma economia liberal, abrindo ao mundo os investimentos na nossa terra”, declarou. “O turismo tem tudo para deslanchar e movimentar essa cadeia enorme, gerando milhões de empregos”.

(Agência Brasil)

Governo economizará R$ 15 mi com compra direta de passagens aéreas

Desde o último dia 2, os órgãos e as entidades do Poder Executivo federal voltaram a comprar passagens aéreas diretamente das companhias que operam voos domésticos. A expectativa é retomar o modelo que economizava R$ 15 milhões por ano nas viagens a serviço de servidores, militares e colaboradores do governo federal.

A compra direta de passagens aéreas voltou a ser feita depois da publicação da Medida Provisória (MP) 877, na última terça-feira (26). A MP dispensa a retenção na fonte dos tributos sobre passagens aéreas compradas por meio de cartões corporativos, reduzindo o custo dos bilhetes.

A dispensa do recolhimento de tributos vigorou de 2014 a dezembro de 2017, por meio de uma lei. Em março de 2018, a MP 822 prorrogou o não recolhimento dos tributos, mas a medida provisória caducou, perdendo a validade no fim de junho do ano passado.

A volta da retenção na fonte dos tributos sobre as passagens aéreas obrigou o governo a retomar o modelo antigo de compra de bilhetes por meio de agências de viagem. De acordo com a Secretaria de Gestão do Ministério da Economia, a aquisição por agências custa, em média, 22% a mais que a compra direta nas companhias aéreas.

Atualmente, existem cinco empresas aéreas credenciadas para fornecer passagens diretamente ao serviço público federal: Avianca, Azul, Gol, Latam e MAP Linhas Aéreas. O próprio órgão ou entidade federal pesquisa cada compra de passagem, com a escolha do menor preço e a aplicação automática dos descontos estabelecidos pelas empresas aéreas.

De acordo com a Secretaria de Gestão, o modelo funciona na prática como uma licitação a cada compra de passagem. Os gestores podem verificar e auditar as operações por meio do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens, que armazena as pesquisas e as escolhas de viagens.

O cidadão também pode acompanhar os gastos federais com passagens aéreas por meio da ferramenta Painel de Viagens. No site, é possível acessar informações sobre viagens a serviço e o gasto com diárias de empregados públicos, servidores, militares e colaboradores do governo federal.

(Agência Brasil)

Air France-KLM anuncia novas frequências para Fortaleza

A companhia aérea Air France-KLM, entusiasmada com a ocupação dos voos entre as cidades de Paris e Amsterdã e Fortaleza, no Ceará, vai aumentar frequências para o Brasil, informa a publicação francesa Le Quotidien du Tourisme.

De acordo com a publicação, a partir de 31 de março deste ano, a Air France-KLM aumentará a oferta em relação ao mesmo período do ano anterior. No total, o grupo irá operar 58 novas rotas até outubro de 2019. São 302 destinos em 114 países.

Para o Brasil, está garantido mais voos adicionais para Fortaleza. Sendo assim, três voos semanais conectarão Paris a Fortaleza e quatro de Amsterdã a capital cearense.

Outros voos internacionais da companhia também existem no Brasil. No início de dezembro do ano passado, foram lançados os diretos Miami-Fortaleza e Orlando-Fortaleza, ambas cidades norte-americanas. Atualmente, a companhia europeia opera, além de Fortaleza, para Rio de Janeiro e São Paulo.

(Foto – Arquivo)

Aprovado texto-base de projeto que libera capital externo nas aéreas

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (19), por 329 votos a 44, o texto-base do projeto de lei que altera dispositivos da Política Nacional do Turismo. O texto, que amplia a participação do capital estrangeiro nas companhias aéreas, gerou discussão entre os parlamentares no plenário. Neste momento, os deputados analisam as propostas de alteração à proposta.

O controle de empresas aéreas com sede no país pelo capital estrangeiro já foi autorizado por meio da Medida Provisória (MP) 863/18, que ainda depende de votação no Congresso Nacional. A MP perde a vigência na próxima semana e ainda não foi analisada por deputados e senadores em comissão mista.

O texto altera aspectos da política de turismo e, entre os principais pontos, diminui o mínimo de quartos adaptados para pessoas com deficiência em hotéis e outros meios de hospedagem. Na lei atual, são exigidos 10% dos quartos para os meios de hospedagem já existentes. O texto define esse número em 3%, e 4,5% devem contar com ajudas técnicas e recursos de acessibilidade a serem definidos em regulamento.

Pelo texto do relator, deputado Paulo Azi (DEM-BA), os estabelecimentos impossibilitados de obedecer a regra por motivos técnicos devido a riscos estruturais de edificação deverão comprovar a restrição por meio de laudo técnico estrutural.

Tripulantes

A proposta estabelece ainda um percentual de até 30% de tripulantes estrangeiros nas empresas que poderão atuar no espaço aéreo brasileiro. Um destaque do PSOL tenta alterar esse percentual para garantir que 80% de profissionais brasileiros atuem nas empresas aéreas estrangeiras. Parlamentares já rejeitaram uma proposta do partido Novo que permitia que todos os tripulantes das companhias aéreas fossem estrangeiros.

(Agência Brasil)

MP entra com ação contra a Azul que proíbe reembolso integral de passagens

O Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com uma ação civil pública contra a Azul. Quer obrigar a empresa aérea a ser mais transparente com seus clientes, informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

O promotor Julio Costa acusa a empresa de omitir dos passageiros que eles têm direito de reaver o valor integral das passagens quando canceladas em até 24 horas após a compra, conforme garantido por lei.

De acordo com o MP, a companhia não dá ao comprador o direito de reembolso integral, como deveria. Diz Costa:

— A Azul, por outro lado, arvora uma prerrogativa em matéria de reembolso/cancelamento que a lei não lhe confere: de proibir peremptoriamente a sua possibilidade ou de estabelecer necessariamente uma retenção parcial do valor pago.

Costa pede que a Justiça determine a imediata adequação da aérea à legislação vigente e pleiteia uma multa de R$ 1 milhão para reparar prejuízos já causados.

(Foto – Reprodução)

Agência de aviação da Europa suspende voos com Boeing 737 MAX 8

Após o acidente com uma aeronave da Ethiopian Airlines, no qual morreram 157 pessoas, a Agência Europeia para a Segurança da Aviação Civil proibiu os voos do Boeing 737 MAX 8 no espaço aéreo. A decisão veio depois que Alemanha, França e Grã-Bretanha anunciaram a suspensão dos vôos.

A Alemanha já havia proibido vôos pelo Boeing 737 MAX 8 no seu espaço aéreo nacional. “A segurança vem em primeiro lugar”, disse o ministro alemão dos Transportes, Andreas Scheuer.

A nova aeronave da SilkAir, o Boeing 737 Max 8, fica na pista do aeroporto de Changi em Cingapura, REUTERS/Edgar Su/diritos reservados
Avião modelo Boeing 737 Max 8 REUTERS/Edgar Su/Direitos reservados
A agência de aviação da França também proibiu esses voos em seu espaço aéreo e a Autoridade de Aviação Civil da Grã-Bretanha fez o mesmo.

A Agência Europeia para a Segurança da Aviação Civil advertiu que as “causas exatas” de um acidente com uma aeronave 737 MAX, operada pela companhia aérea Indonesian Lion Air em outubro, no qual morreram 189 pessoas, ainda são investigadas.

No Brasil, a Gol Linhas Aéreas suspendeu temporariamente, desde as 20h de segunda-feira (11), todas as operações comerciais com aeronaves do mesmo modelo. Segundo a empresa, os clientes serão comunicados e reacomodados em outros voos da Gol ou de companhias parceiras.

(Agência Brasil)

Tudo é Carnaval – Aeroporto de Fortaleza terá 33 voos extras

354 1

As empresas aéreas que operam no Aeroporto Internacional Pinto Martins, informam: as rotas mais procuradas, em matéria de Carnaval, são Rio, Salvador, Recife e São Paulo.

Quem está vindo para estas bandas, procura Jericoacoara, Canoa Quebrada e Fortaleza, esta com esticada para o Litoral da Região Metropolitana, com Cumbuco no roteiro.

Nesse fluxo aéreo, 33 voos extras. Jericoacoara terá quatro extras.

(Foto – Paulo MOska)

Canoa Quebrada conta agora com voo da Azul

O voo inaugural da Azul ligando Canoa Quebrada à Capital pernambucana foi recebido festivamente, por volta das 13 horas desta terça-feira, por autoridades e moradores de Aracati (Litoral Leste). É o  103º destino doméstica da empresa no País.

O governador Camilo Santana, o secretário do Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, o prefeito Bismarck Maia, e executivos da companhia participaram do voo inaugural, esperado com muita expectativa pela população dessa banda do Estado.

Operações

As operações para o novo destino da empresa serão cumpridas três vezes por semana, a bordo das aeronaves modelo ATR 72-600, que tem capacidade para transportar até 70 Clientes. Às terças, quintas e domingos, clientes da Azul poderão decolar da capital pernambucana às 12h45min e realizar uma escala em Mossoró, no Rio Grande do Norte, antes de chegar à cidade de Aracati, próxima à Canoa Quebrada, um dos destinos turísticos mais famosos do Nordeste do país.

O vice-presidente de Receitas da Azul, Abhi Shah, se disse otimista e ressaltou que as operações irão fomentar o turismo e a economia da região.

Com a nova frequência, Clientes da Azul que partirem de São Paulo (Guarulhos e Campinas), BH, São Luís, Maceió, Fernando de Noronha e Natal terão uma oferta de conexões imediatas para Aracati por meio de uma rápida conexão no Recife. De Aracati para o Recife, a conexão será mais curta para quem seguir para São Paulo, Belo Horizonte, Fortaleza, Rio, Aracaju, Juazeiro do Norte e Salvador.

O POVO lança nesta segunda-feira o projeto transmídia Aviação Ceará

O debate sobre sobre o impacto dos novos voos internacionais no Estado, com transmissão ao vivo pelo Youtube da TV O POVO, marca o lançamento do projeto transmídia Aviação Ceará, na noite desta segunda-feira (25), a partir das 19 horas, no Espaço O POVO de Cultura & Arte.

O secretário do Turismo do Estado, Arialdo Pinho, participa de bate-papo que terá à frente o jornalista Emerson Maranhão, coordenador do projeto transmídia e diretor do webdoc. Na ocasião, também será lançado o site, que apresentará entrevistas gravadas pelo editor-chefe de Economia e Negócios, Jocélio Leal, pela editora-adjunta de Economia, Beatriz Cavalcante, e pelo repórter Lucas Braga. Os entrevistados foram o diretor geral da Air France-KLM na América do Sul, Jean-Marc Pouchol; o diretor geral da TAP no Brasil, Mário Carvalho; e o diretor de Marketing da TAP no Brasil, Francisco Guarisa.

O caderno estará disponível para o leitor na terça-feira (26), também live no Facebook do O POVO sobre o tema.

Ainda na terça-feira, na rádio O POVO CBN, a partir das 14 horas, a jornalista Neila Fontenele estará à frente de debate econômico sobre o tema, no programa O POVO Economia.

Anac autoriza empresa aérea argentina de baixo custo a operar no Brasil

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou o funcionamento no Brasil da empresa aérea argentina de baixo custo Flybondi. A autorização foi publicada pela agência nesta sexta-feira (15) no Diário Oficial da União. Com a autorização, a Flybondi passa a ser uma das quatro empresas de baixo custo, conhecidas como low cost, que pediram para operar no Brasil.

Segundo a Anac, a autorização é para que a empresa se constitua no país e “possa oferecer serviço de transporte aéreo internacional regular de passageiro, carga e mala postal”. Para dar início às operações, no entanto, a empresa precisa ainda da autorização operacional.

Além da Flybondi, as outras empresas que operam na modalidade low cost que operam no país são a chilena Sky Airline, que já está operando; a também argentina Avian, subsidiaria da Avianca, que já tem autorização operacional, e a Norwegian, cujo processo de autorização operacional para voos regulares da europeia está em trâmites finais.

(Agência Brasil)

Aeroporto de Aracati receberá voos semanais a partir de 26 e fevereiro

A partir de 26 de fevereiro, o Aeroporto de Aracati (Litoral Leste) receberá três voos semanais oriundos do Aeroporto dos Guararapes, que fica no Recife (PE), operados pela Azul. A informação foi confirmada pela Secretaria do Turismo do Ceará.

Já no Aeroporto de Cruz, que atende a paradisíaca Jericoacoara (Litoral Oeste), a Azul e a Gol vêm operando 11 voos regulares por semana, procedentes de São Paulo, Campinas e Recife.

Mesmo com o fim das férias, o movimento de passageiros em Jeri ainda não apresentou redução.

(Foto – Divulgação)

Avianca – Funcionários aprovam plano de demissão voluntária

Trabalhadores da Avianca aprovaram nesta quinta-feira (24), em assembleia, a proposta de um programa de demissão voluntária (PDV) e de um de licença não remunerada (LNR) para comissários de bordo, pilotos e comandantes de aeronaves. A empresa, que passa por um processo de recuperação judicial, apresentou as duas propostas na quarta-feira (23).

O acordo aprovado prevê a implantação inicialmente do programa de licenças não remuneradas. No total, a previsão é que sejam concedidas 167 licenças para comandantes e copilotos, indistintamente, e 433 licenças para comissários de voo.

De acordo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), em contrapartida ao acordo, a empresa se comprometeu a “não efetuar demissões de aeronautas, desde que não guardem relação com o cometimento de faltas graves, durante o mês de fevereiro de 2019, exceto aos optantes do PDV”.

Os empregados que aderirem ao programa poderão escolher entre tirar a licença por um período de um ano, prorrogável, por acordo mútuo, por igual período; ou por três anos, sem prorrogação. O prazo máximo para a concessão das licenças termina em abril, podendo ser concedidas antecipadamente, a critério da empresa.

“Caso as adesões não atinjam o número necessário, em seguida, será colocado em prática o Programa de Demissão Voluntária”, informou o sindicato.

Em nota, a Avianca disse que “permanece focada em garantir a continuidade de suas operações e a sustentabilidade do negócio e por isso segue trabalhado no plano de reestruturação da empresa.”

A companhia disse ainda que continua operando normalmente, com seus pousos e decolagens mantidos dentro do cronograma previsto. “Do início do ano até agora, transportou mais de 700 mil passageiros em mais de 5 mil voos”, diz a nota.

Voos suspensos

Na semana passada, a empresa anunciou a suspensão dos voos internacionais para Santiago, no Chile, Miami e Nova York, nos EUA, com saída de Guarulhos, São Paulo, a partir do dia 31 de março. A medida deve afetar cerca de 40 mil passageiros.

Na ocasião, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que acompanha a situação operacional da Avianca. “A Anac continua acompanhando com atenção a situação operacional da empresa, sempre em constante vigilância quanto ao cumprimento dos requisitos de segurança exigidos nos Regulamentos Brasileiros de Aviação Aeronáutica (RBAC) e os deveres de prestação de serviço aos passageiros”, disse a agência reguladora.

Em nota, a Avianca afirmou que entrará em contato com os clientes que comparam voos posteriores à data mencionada para resolver cada caso individualmente. Com o anúncio do cancelamento das operações, apenas Bogotá, na Colômbia, e Buenos Aires, na Argentina permanecem como destinos internacionais atendidos pela Avianca, porque são feitos em parceria com a Avianca Argentina e a Avianca Holdings, respectivamente.

Quarta maior companhia aérea do país, a Avianca têm dívidas que somam quase R$ 500 milhões e chegou a devolver, em dezembro do ano passado, duas aeronaves Airbus A330 para as empresas de arrendamento.

(Agência Brasil)

Aeroporto de Jericoacoara se tornará internacional até o fim deste ano

790 2

O Aeroporto de Jericoacoara, que fica em Cruz (Litoral Oeste do Ceará), menos de dois anos após a sua inauguração, já se prepara para ganhar o status de terminal internacional. A Secretaria de Turismo do Ceará iniciou os preparativos nesse sentido  e espera que ele esteja apto para receber voos de fora do Brasil até o fim de 2019. A informação é do site MercadoeEventos.

“Jeri vai passar a ser internacional. Até o final do ano a gente espera estar com tudo homologado para receber voos internacionais. Já estamos com uma reforma interna e incluindo mudanças de fiscalização com o apoio da Receita e da Polícia Federal”, afirma Arialdo Pinho, secretário de Turismo. Arialdo destaca que o estado só pretende iniciar a captação de voos somente após as autorizações e licenças homologadas.

Expansão de conectividade

A transformação de Jericoacoara em terminal internacional é somente mais um entre os muitos avanços do estado na melhoria de sua conectividade aérea. Entre eles está a ampliação do Aeroporto de Fortaleza que deve ser concluída até setembro deste ano. Com um saguão maior e mais fingers, o terminal passará a ter capacidade para 14 milhões de passageiros.

A reforma vai ao encontro do planejamento de ampliar as frequências internacionais para capital cearense. A Air France/KLM é um exemplo disso com o início, em abril, do sétimo voo regular, tornando diária a ligação da capital cearense com a Europa. Até dezembro a expectativa é de que este número chegue a dez frequências semanais.

Outro destaque do estado é o novo voo para Aracati, operado pela Azul, que terá início em fevereiro. Longe do Litoral, o Aeroporto de Juazeiro do Norte também está em evidência. Além de estar na próxima rodada de leilões de aeroportos, o que deve garantir investimentos em sua infraestrutura, o terminal batel recorde de passageiros em 2018.

(Foto – Divulgação)

Empresas aéreas transportaram 103 milhões de passageiros ano passado

As empresas aéreas brasileiras transportaram 103 milhões de passageiros em voos domésticos e internacionais no ano passado. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), esse número representa aumento de 4,1% em relação ao ano anterior. Os dados fazem parte do relatório Demanda e Oferta do Transporte Aéreo, divulgado nessa quarta-feira (23).

Segundo a agência reguladora, a elevação no mercado doméstico em 2018 foi de 3,3% ante o ano anterior. Nesse mercado, as empresas brasileiras, juntas, transportaram 93,6 milhões de passageiros, contra 90,6 milhões no ano anterior. Este foi o maior resultado do indicador nos últimos três anos.

O relatório mostra também que as aéreas brasileiras transportaram um número maior de passageiros no mercado internacional em 2018, aumentando esse índice em 11,9% em relação ao ano anterior, registrando um total de 9,4 milhões de passageiros.

Demanda

A demanda e a oferta de voos no mercado doméstico registraram expansão no acumulado de 2018 em relação aos anos anteriores. No ano passado, a demanda (em passageiros-quilômetros pagos transportados, RPK) registrou aumento de 4,4%, comparada com janeiro a dezembro de 2017. A oferta cresceu 4,6% em igual período, maior variação dos últimos sete anos.

Em dezembro do ano passado, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a demanda e a oferta cresceram 4,1% e 2,7%, respectivamente. No mês, foram transportados 8,6 milhões de passageiros pagos. O número foi 3,2% maior do que o índice apresentado em 2017.

O transporte de carga e o correio também apresentaram números positivos no acumulado de 2018 em comparação com os últimos anos. No ano passado, as empresas transportaram 470,9 mil toneladas, crescimento de 10,5% em relação a igual período do ano anterior. A variação apresentada foi a maior dos últimos sete anos.

Mercado internacional

No acumulado de janeiro a dezembro, a demanda internacional das empresas brasileiras cresceu 16,6% em termos de RPK. Em dezembro de 2018, a demanda teve aumento de 21,6%, enquanto a oferta cresceu 21,1%. No mês, foram transportados 875 mil passageiros pagos em voos internacionais, maior nível registrado da série histórica.

Assim como no mercado interno, o transporte de carga e correio foi também apresentou crescimento no acumulado do ano em comparação com períodos anteriores. A carga total transportada em voos internacionais pelas empresas brasileiras foi de 281,7 mil toneladas, o maior nível para o indicador desde o início da série histórica iniciada em 2000. Na comparação com 2017, o índice teve variação positiva de 24,4%.

Em dezembro do ano passado, foram transportadas 23 mil toneladas, volume 0,9% menor do que o transportado no mesmo período do ano anterior.

(Agência Brasil)

Gol deve pagar indenização por causar transtornos a mãe que viajava com bebê de cinco meses

O juiz Maurício Fernandes Gomes, titular da 35ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza, condenou a Gol Linhas Aéreas Inteligentes a pagar indenização por danos morais de R$ 5 mil por atrasar voo em mais de dez horas e causar transtornos a mãe que viajava com bebê de apenas cinco meses. A informação é da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Ceará.

“É dever da ré [Gol] garantir que suas aeronaves estejam em perfeitas condições para realizar as viagens agendadas. O problema técnico na aeronave que provoca o atraso da chegada ao destino faz com que o serviço de transporte aéreo se torne defeituoso, gerando direito à indenização aos consumidores lesados”, disse o magistrado na sentença.

Consta nos autos (nº 0186132-72.2013.8.06.0001), que a família da criança adquiriu passagens aéreas para voo no dia 22 de julho de 2013, com saída de Salvador e destino a cidade de Fortaleza, com horários marcados para 1h50 e chegada às 3h.

Já com todos embarcados e acomodados, os passageiros foram surpreendidos por um comunicado do comandante avisando que o avião teria de ser desligado para que fosse realizado um teste. Foi aí que a aeronave passou a ser ligada e desligada por diversas vezes, durante quase duas horas, período em que os clientes ficaram no escuro e sem ar condicionado. Após ser confirmada a decolagem, o avião sofreu nova pane, apagando novamente as luzes e os motores.

Os passageiros começaram a se manifestar no sentido de não prosseguirem a viagem por conta dos problemas apresentados. Percebendo a movimentação, um membro da tripulação, em tom de ameaça, avisou que se eles prosseguissem com o desembarque a companhia aérea não se responsabilizaria pela remarcação do voo, ficando assim os clientes responsáveis pelos prejuízos decorrentes das novas passagens, hospedagens e alimentação.

Após alguns minutos de discussão, os passageiros (cerca de 70) desceram da aeronave e foram transportados em uma van pequena até o saguão do aeroporto. A mala da bebê não foi devolvida pela empresa, sendo enviada direto ao destino final, fazendo com que ela ficasse sem roupas e objetos de higiene pessoal.

De volta ao saguão, os atendentes da Gol mantiveram a postura de dentro do avião, reafirmando a negativa da companhia em remarcar as respectivas passagens, o que gerou revolta por parte dos passageiros. Diante da reação dos clientes, o funcionário responsável se viu obrigado a proceder à remarcação. Direcionada ao balcão da companhia, a família da criança recebeu novas passagens, mas com horário de partida previsto somente para quase dez horas depois.

Os consumidores passaram a reivindicar os direitos à alimentação, transporte e hospedagem, tendo recebido do gerente como resposta que os insatisfeitos deveria procurar o reembolso na justiça, pois a Gol não iria pagar. Eles então se dirigiram ao posto da Polícia Civil, onde registraram a ocorrência.

A mãe alega que a bebê, o irmão e avô foram obrigados a dormir no chão do aeroporto, sem alimentação, sem roupas extras e sem objetos de higiene pessoal, inclusive a criança passou horas com a fralda suja. Por isso, a mãe, representando a filha, ingressou com ação requerendo indenização por danos morais.

Na contestação, a Gol argumentou que o atraso ocorreu em razão da necessidade de manutenção não programada na aeronave por motivos de segurança. Disse ainda que, em momento algum os passageiros ficaram desamparados pela companhia, além de ter sido comunicado o motivo do atraso e realizado o embarque imediato dos passageiros.

Ao analisar o caso, no entanto, o juiz ressaltou que “o dano moral é manifesto, diante da necessidade do usuário ser forçado a aguardar a manutenção não programada e o atraso do voo, o que desencadeou no desembarque dos passageiros e remarcação de voo. Ademais, o contratempo ocorreu por sucessivas vezes, conforme o relatado na inicial, gerando possivelmente pânico aos passageiros”. A decisão foi publicada no Diário da Justiça do último dia 17.

(Foto – Divulgação)