Blog do Eliomar

Categorias para Bancos

BNDES diz que está faltando projetos de investidores, enquanto banco está com dinheiro sobrando

“Onde estão vocês que não vão pegar as linhas (de crédito) do BNDES? Por favor, se apresentem”. A provocação é do presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, na noite desta quinta-feira (22), na Federação das Indústrias do Estado (Fiec), ao reclamar da falta de projetos de micros, pequenos e médios empresários, além dos pequenos municípios.

“Nós, inclusive, estamos devolvendo dinheiro para o Ministério da Fazenda, porque o dinheiro está no caixa, mas não há demandante em volume suficiente para que consuma uma parte importante desse caixa”, reclamou o dirigente do BNDES.

Paulo Rabello elogiou a situação fiscal e orçamentária do Ceará e se mostrou favorável à privatização da Cagece.

Acordo para compensar perdas na poupança não abrange confisco do Plano Collor 1

Responsável pelo confisco de depósitos bancários e da caderneta de poupança de milhões de brasileiros, o Plano Collor 1 está fora do acordo entre bancos e poupadores, homologado na última quinta-feira (15) pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo a Advocacia-Geral da União (AGU), há um entendimento firmado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) de que o valor confiscado foi devidamente corrigido pelo indexador da época, não cabendo compensação.

Firmado depois de duas décadas de ações judiciais, o acordo para compensar perdas na caderneta de poupança tem como objetivo pôr fim aos processos que questionam a mudança nos indexadores promovida pelos planos econômicos Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 2 (1991). Coordenado pela AGU, o acordo foi assinado entre o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a Frente Brasileira pelos Poupadores (Febrapo) e a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), com supervisão técnica do Banco Central.

Atualmente, a poupança é corrigida pela Taxa Referencial (TR) mais 0,5% ao mês ou 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), dependendo da Selic em vigor ou da data dos depósitos. Em 1990, época do Plano Collor 1, o indexador era o Bônus do Tesouro Nacional Fiscal (BTNF).

Na época do confisco, os saques de depósitos na conta-corrente e na poupança foram limitados a 50 mil cruzados novos. O excedente ficou retido por 18 meses com correção de 6% ao ano. Para fundos de curto prazo e overnight (aplicação em títulos públicos com prazo de 24 horas), a retirada foi limitada a 25 mil cruzados novos, com a tributação de 8% sobre o valor resgatado.

(Agência Brasil)

Acordo para compensar perdas da poupança depende de decisão do plenário do STF

Assinado há quase dois meses, o acordo que compensará as perdas da caderneta de poupança com planos econômicos dependerá do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) para entrar em vigor. Responsável por validar a principal ação que encerrará os processos na Justiça, o ministro Ricardo Lewandowski informou que submeterá a decisão aos demais ministros da corte.

A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 165 é o processo mais importante sobre o tema, por questionar a validade de planos econômicos. De acordo com o STF, o encaminhamento da ADPF ao plenário do Supremo está entre as prioridades do ministro para o início do ano Judiciário 2018, que começou no dia 1º de fevereiro.

Diferentemente de outros ministros do STF, que homologaram monocraticamente (sozinhos) as ações sobre o acordo, Lewandowski decidiu levar o caso para os colegas. Na última semana, o ministro Gilmar Mendes validou dois acordos em ações referentes a perdas com valores bloqueados das contas no Plano Collor 1 e por perdas com inflação geradas no Plano Collor 2, na década de 1990 <http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2018-02/gilmar-mendes-homologa-acoes-sobre-acordo-entre-bancos-e-poupadores>.

Com a decisão de Gilmar Mendes, falta apenas a homologação mais abrangente, que está sob a relatoria de Lewandowski. Ao encaminhar despacho para a Procuradoria-Geral da República (PGR), em dezembro, o ministro tinha informado que pretendia submeter o acordo ao plenário do Supremo. A PGR já deu parecer favorável à validação da ADPF.

No fim de dezembro, o ministro Dias Toffoli tinha homologado acordos fechados entre poupadores e dois bancos – Banco do Brasil e Itaú – relativos a perdas com valores não bloqueados do Plano Collor 1 e com perdas inflacionárias dos Planos Bresser e Verão.

(Agência Brasil)

Fiesp diz que é preciso atacar taxa de juros ao tomador final, e não só Selic

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) cobrou nessa quarta-feira (7) do Banco Central medidas para redução dos juros ao tomador final, e não apenas da taxa básica de juros da economia (Selic).

Em nota divulgada após o anúncio da queda da Selic para 6,75%, a Fiesp afirma que taxa Selic no menor valor já registrado “adianta muito pouco, porque os juros para o tomador final no Brasil ainda estão entre os maiores do mundo”.

“As altas taxas para o tomador final retiram poder de compra das famílias, inibem o investimento e a geração de emprego por parte das empresas e dificultam a retomada do crescimento. O Banco Central precisa deixar de só fazer ameaças ao sistema bancário. Tem que tomar ações incisivas para reduzir a taxa de juros ao tomador final”, diz a Fiesp em nota assinada por seu presidente, Paulo Skaf.

Pela 11ª vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu hoje a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, de 7% ao ano para 6,75% ao ano. Com a redução dessa quarta-feira, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986.

(Agência Brasil)

Grupo explode agência bancária em Solonópole e foge sem levar o dinheiro

Uma explosão na madrugada deste domingo (28) rompeu o centro de Solonópole, a 285 quilômetros de Fortaleza, após um grupo de assaltantes tentar levar o dinheiro da agência do Bradesco, na rua Dr. Queiroz Lima.

Uma rápida ação de policiais dos municípios de Milhã, Irapuan Pinheiro, Senador Pompeu, Jaguaretama e Campos Sales teria impedido que o grupo levasse o dinheiro do banco.

Os assaltantes teriam fugido pela estrada de Banabuiú, onde a Polícia encontrou um veículo Saveiro, de placas de Quixelô, até o momento sem queixa de roubo ou furto. Cerca de 10 assaltantes participaram da ação.

(Foto: Leitor do Blog)

Cid Gomes é absolvido em denúncia de empréstimo junto ao BNB

O ex-governador do Ceará e ex-ministro Cid Gomes (PDT) foi absolvido pela Justiça Federal da denúncia de irregularidade no empréstimo de R$ 1,3 milhão, junto ao BNB, para a construção de galpões em Sobral, na Região Norte do Estado, a 220 quilômetros de Fortaleza.

A denúncia do Ministério Público apresentava crime financeiro na operação de crédito em favor da empresa Corte Oito Gestão Empreendimentos Ltda, a qual o ex-governador é sócio.

O juiz federal Sérgio de Norões Milfont Junior entendeu que a operação não apresentou qualquer risco de prejuízo ao BNB, diante da garantia de hipoteca do imóvel, com valor de mercado de R$ 3 milhões.

*Confira mais detalhes no O POVO aqui.

(Foto – Fco Fontenele)

Deu a louca no site da Caixa e Quina apresenta mais de 8,8 mil ganhadores

172 1

Apostadores das loterias da Caixa Econômica Federal, que costumam conferir seus jogos pelo site da da Caixa, correm o risco de jogar fora fortunas ou o dinheiro de prêmios em faixas inferiores.

É que há meses o site não consegue igualar as datas dos testes com o número dos sorteios. É comum o apostador conferir o número do sorteio com outra data.

Neste domingo (21), a trapalhada chegou ao cúmulo de apontar mais de 8,8 mil ganhadores no concurso 4.586 da Quina, quando na realidade o prêmio ficou acumulado em R$ 3,8 milhões para esta segunda-feira (22), apesar da Caixa apontar que o teste 4.587 correrá neste domingo.

Os números sorteados na noite desse sábado foram: 07132930 e 56. Se a informação da Caixa estivesse correta, sobre a grande quantidade de ganhadores, cada “sortudo” levaria a quantia de R$ 345,44.

Já o concurso 2.006 da Mega-Sena, realizado na noite desse sábado – e não na sexta-feira (19), conforme informa o site da Caixa -, acumulou em R$ 20 milhões. Os números sorteados foram: 0109142025 e 54. De acordo com a Caixa, o próximo sorteio seria na terça-feira (23), mas deverá ocorrer na quarta-feira (24).

O efeito Cristiane Brasil na bancada federal cearense

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado (20):

A polêmica em torno da nomeação da deputada federal Cristiane Brasil (PTB/RJ) para o Ministério do Trabalho e Emprego rendeu, principalmente depois que se soube que o nome da parlamentar consta no Banco Nacional de Devedores Trabalhistas (BNDT). Esse registro, inclusive, motivou ações judiciais contra a sua posse na pasta, constituindo-se como mais uma trapalhada do governo Temer.

Mas isso nos aguçou uma curiosidade: e se Temer resolvesse convocar alguém da bancada federal cearense para o Ministério? Será que algum dos 22 parlamentares também consta no BNDT, no que acabaria também barrado?

A resposta é simples: a deputada federal Gorete Pereira (PR) consta com 6 registros, depois vem Adail Carneiro (PP), com um registro, e, por fim, Paulo Henrique Lustosa (PP), suplente, que chegou a esquentar poltrona na Câmara em 2017, com um registro.

O BNDT registra inadimplentes, mas, com certeza, os senhores parlamentares deverão honrar suas obrigações do gênero para ir à caça aos votos. Sem penduricalhos.

Com novas linhas de crédito, Banco do Nordeste quer atrair projetos de energia

Com as mudanças nas taxas do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), o Banco do Nordeste quer atrair a atenção de empresas de energia, sobretudo as que foram contempladas nos últimos leilões, realizados em dezembro e que contrataram empreendimentos para gerar energia em 4 anos (leilão A-4) e 6 anos (leilão A-6).

O novo presidente do banco, Romildo Rolim, reuniu 120 empresários do ramo em São Paulo para apresentar os novos benefícios ao setor. A limitação para financiamento de empreendimentos do tipo passou de 60% para 80% do valor total do projeto.

“Já existem no banco várias propostas de geração e transmissão de energia. Com as novas taxas e benefícios em vigor a partir desse ano, chamamos esses novos clientes e os vencedores dos leilões de energia para mostrar que empreendimentos instalados no Nordeste podem contar com o banco”, disse o superintendente de Negócios de Atacado e Governo, Helton Chagas.

As taxas de financiamento a partir de recursos do FNE deixaram de ser fixas para ter um componente variável: o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Antes da mudança, os juros cobrados de grandes empresas, por exemplo, era de 10,14% ao ano, com um bônus de 15% para empresas adimplentes. Com a inclusão da variação da inflação medida pelo IPCA no novo cálculo, esses juros podem ficar em 5,86% ao ano, considerando um contrato firmado agora em janeiro.

Segundo Chagas, o volume de projetos de geração e transmissão de energia em análise no Banco do Nordeste soma mais de R$ 9 bilhões. Desse total, R$ 2 bilhões já estão aprovados, mas serão contratados a partir deste ano, já de acordo com as novas taxas.

Para 2018, os recursos do FNE deverão superar os R$ 27 bilhões. Desse total, conforme disse o superintendente, metade será destinada a investimentos em infraestrutura. A perspectiva do Banco do Nordeste é utilizar 100% do valor disponível, especialmente em benefício das micro e pequenas empresas. Em 2017, a aplicação do fundo ficou em torno de 60%.

(Agência Brasil)

Governo muda regras para empréstimo a agricultores familiares

O governo federal editou, nesta semana, decreto mudando as regras do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). As alterações ampliaram os limites de renda e patrimônio exigidos para acesso às linhas de financiamento.

Para agricultores inscritos no Cadastro Único dos programas sociais, a exigência de renda máxima saiu de R$ 9 mil para R$ 20 mil, enquanto a de patrimônio foi de R$ 30 mil para R$ 40 mil.

Na faixa intermediária, os ganhos máximos permitidos passaram de R$ 30 mil para R$ 40 mil. Para esses produtores, o patrimônio deixou de ser R$ 60 mil e passou para R$ 80 mil. Foi criada uma nova linha para famílias com renda de até R$ 216 mil e patrimônio de até R$ 500 mil. Para todos os casos, o valor máximo a ser financiado é R$ 140 mil. O produtor deve comprovar experiência de pelo menos cinco anos no campo para ter acesso ao financiamento.

Segundo a subsecretária de Reordenamento Agrário da Secretaria Especial de Agricultura e Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), Raquel Santori, a atualização foi motivada pela defasagem dos tetos, uma vez que estes haviam sido reajustados pela última vez há cinco anos.

Como não houve recomposição, os financiamentos do programa se tornaram insuficientes para a aquisição de imóveis. Em razão disso, o PNCF beneficiou apenas 985 famílias em 2016, segundo dados da Sead. No ano passado, o número foi mais reduzido: 289. Essa baixa deveu-se ao encerramento dos acordos com bancos que oferecem os empréstimos. Com as novas regras, a secretaria espera chegar em 2018 a 2 mil famílias.

O Programa Nacional de Crédito Fundiário envolve a gestão de empréstimos com recursos do Fundo de Terras e da Reforma Agrária. As verbas podem ser utilizadas para a compra de imóveis rurais ou de infraestrutura voltada à produção agrícola. As taxas de juros variam de 0,5% a 2% ao ano.

Ao longo da existência do PNCF, foram beneficiadas agricultores de 2.300 municípios de 21 estados. Já foram disponibilizados R$ 3,4 bilhões para aquisição de terras e R$ 600 milhões para investimentos. O saldo disponível do Fundo está em R$ 730 milhões.

Para a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), as novas regras representam um avanço por ampliar o escopo do financiamento, mas ainda há problemas. Um deles é o fato de o valor máximo do empréstimo ainda ser baixo para algumas regiões, como Sul e Sudeste.

(Agência Brasil)

Processos lentos – Agência norte-americana rebaixa posição de 29 instituições financeiras brasileiras

A agência de classificação de risco S&P Global rebaixou o rating de diversas instituições financeiras brasileiras, incluindo Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander Brasil.

Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, a S&P comentou que o corte na nota soberana do Brasil de BB para BB- e a revisão da perspectiva de negativa para estável foi motivada devido aos progressos mais lentos que o esperado feitos pelo País em relação à estrutura fiscal e ao aumento dos níveis da dívida.

“Como resultado, realizamos várias ações de rating em 29 instituições financeiras brasileiras e companhias de seguros que têm relação com o nível soberano, refletindo a mesma ação de rating do Brasil”, afirmou.

A S&P rebaixou o rating de longo prazo e em escala global de 15 instituições de BB para BB- e adotou perspectiva estável. Já a classificação de longo prazo em escala nacional foi reafirmada em brAA-:

Banco do Brasil
Banco Bradesco
Banco Citibank
Itaú Unibanco Holding
Itaú Unibanco
Banco ABC Brasil
Banco do Nordeste do Brasil
Banco Santander (Brasil)
China Construction Bank (Brasil) Banco Multiplo
Banco Votorantim
Banco Safra
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)
Caixa Econômica Federal
B3 – Brasil, Bolsa, Balcão
GP Investimentos

Além disso, a agência de classificação de risco revisou a perspectiva em escala nacional de 14 instituições financeiras de negativa para estável e reafirmou o rating de longo prazo e em escala nacional em brAA-:

Ativos S.A. Securitizadora de Creditos Financeiros;
Banco de Tokyo-Mitsubishi UFJ Brasil
Banco Morgan Stanley;
Banco J.P. Morgan
Banco Toyota do Brasil
Banco BNP Paribas Brasil
Banco Volkswagen
Banco Ole Bonsucesso Consignado
BNDESPar – BNDES Participações
BV Leasing Arrendamento Mercantil
Bradesco Capitalização
Bradesco Seguros
Austral Seguradora
Austral Resseguradora

(Agência Estado)

Primeiro ataque em 2018 – Quadrilha cerca Ibaretama e explode banco

Em mais uma ação ousada dos chamados “cangaceiros modernos”, uma quadrilha de assaltantes cercou o município de Ibaretama, no Sertão do Ceará, na madrugada desta quinta-feira (11), e explodiu uma agência bancária, no primeiro assalto este ano no Estado, nesse tipo de crime.

Segundo a Polícia, o bando seguiu em direção a Quixadá e um grande cerco policial se encontra na região, mas, até o momento, nenhum suspeito foi preso ou identificado.

Correção – O grupo não conseguiu levar o dinheiro, de acordo com a polícia, descartando a primeira versão.

(Foto: Facebook de morador de Ibaretama)

Presidente do BC nega atraso no ritmo de corte de juros

O Banco Central (BC) não atrasou os cortes de juros mesmo com a queda da inflação, disse hoje (10) o presidente do órgão, Ilan Goldfajn. Segundo ele, foi justamente a cautela no ritmo de redução da taxa Selic (juros básicos da economia) que ajudou a segurar a inflação em 2017 ao influenciar as expectativas dos agentes econômicos e derrubar os preços dos serviços, que resistiam em cair em anos anteriores.

“Há uma crítica de que, se a inflação ficou baixa, [o BC] poderia reduzir o juro mais cedo. Nossa visão é outra. Nossa atuação no começo [do ciclo de corte de juros] é que propiciou a inflação mais baixa. Estou falando de expectativas, isso reduziu preços de serviços. Nossa visão não é que houve atraso, mas aquilo é que permitiu a inflação ficar baixa”, disse Goldfajn em entrevista coletiva para explicar por que a inflação oficial em 2017 ficou abaixo do piso da meta.

No ano passado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 2,95%, inferior ao valor mínimo de 3% estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Em 2015, o CMN tinha fixado a meta de inflação para 2017 em 4,5%, com 1,5 ponto percentual de tolerância, o que permitiria o índice ficar entre 3% e 6%.

Goldfajn reiterou que a inflação voltará a subir um pouco em 2018, devendo encerrar o ano próxima do centro da meta, de 4,5%. A última edição do Relatório de Inflação, divulgada pelo órgão em dezembro, projeta IPCA de 4,2% para 2018 e 2019. Para Goldfajn, a alta da inflação não representa uma ameaça ao poder de compra porque está relacionada à retomada da economia e ao crescimento do emprego.

(Agência Brasil)

Lei Eunício Oliveira é prorrogada até dezembro de 2018

Agricultores do Ceará e dos demais estados do Nordeste tiveram os benefícios da Lei Eunício Oliveira prorrogados até 27 de dezembro desta ano. Com isso, os agricultores terão mais tempo para renegociar suas dívidas junto ao Banco Nordeste.

Só no Ceará já foram regularizadas 41.738 operações, num valor de R$ 905,7 milhões. Cerca de 200 mil cearenses perderam suas economias por causa da seca nesses últimos anos.

A lei foi publicada no DOU desta quarta-feira (10).

(Foto: Arquivo)

Servidores do Ceará reclamam do descaso do Bradesco na antecipação do 13º salário

Servidores do Ceará já estão antecipando parte do 13º salário, conforme a prática dos bancos para uma menor taxa de juros. À exceção são os clientes do Bradesco, que ainda aguardam por uma autorização da sede em Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo.

A reclamação do descaso do banco parte dos próprios servidores do Estado, que ressaltam que o Ceará é um dos poucos governos no Brasil que pagam o funcionalismo em dia, o que deveria servir de garantia para a liberação do crédito.

(Foto: Arquivo)

Governo não segue recomendação do MPF e mantém vice-presidentes da Caixa

O governo federal não seguirá a recomendação do Ministério Público Federal (MPF) de exonerar todos os 12 vice-presidentes da Caixa Econômica Federal. A Casa Civil da Presidência da República enviou resposta à recomendação do MPF na última quinta-feira (4), argumentando que trocar executivos do banco, bem como outras medidas indicadas, “não estão inseridas nas atribuições institucionais deste ministério”.

Em nota, a Caixa diz que os atuais vice-presidentes foram aprovados pelo Conselho de Administração do banco, pelo Ministério da Fazenda e pelo presidente da República, e que “inexiste fato concreto” que motive a troca.

A Caixa também informou que as próximas indicações serão disciplinadas pelo novo estatuto da empresa. “Por inexistir regra na Lei das Estatais, a Caixa entende que o novo estatuto do banco disciplinará as futuras indicações e nomeações de vice-presidentes, não cabendo sua aplicação aos atuais ocupantes de modo a impor suas substituições”.

No dia 15 de dezembro, o MPF encaminhou à Casa Civil uma recomendação para trocar todos os 12 vice-presidentes da Caixa. A justificativa está no fato de, entre os vice-presidentes existirem investigados em operações da Polícia Federal. Além disso, o MPF cita a relação de alguns desses executivos com o ex-deputado Eduardo Cunha e o ex-ministro Geddel Vieira Lima, ambos presos por denúncias de corrupção.

“A existência de diversas figuras proeminentes na administração da CEF em casos investigados e/ou alvos de investigações, bem como a perene influência política sobre funções que deveriam ser essencialmente técnicas, além do aparente comprometimento em defender atos irregulares passados, comprometem a isenção dos agentes, a acessibilidade de informações necessárias à apuração interna e externa pelos órgãos de controle e a confiabilidade nas operações firmadas e em estágio de contratação”, diz o MPF no documento.

(Agência Brasil)

Pagamento do PIS/Pasep para trabalhadores com mais de 60 anos começa dia 24

Começa no dia 24 de janeiro o pagamento das cotas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) para pessoas com mais de 60 anos que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988. A informação foi divulgada hoje (8) pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

O crédito em conta automático para os beneficiários com conta corrente ou poupança individual na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil será feito na noite do dia 22 de janeiro. Segundo o ministério, essa nova etapa de saques beneficia mais de 4,5 milhões de cotistas do PIS e do Pasep, que poderão efetuar o saque de R$ 7,8 bilhões disponíveis nas instituições financeiras.

O pagamento das cotas do PIS/Pasep para homens com mais de 65 anos e mulheres com mais de 62 anos, assim como para os demais cotistas com mais de 70 anos, aposentados e herdeiros, será retomado a partir desta segunda-feira (8/1), nas agências e canais da Caixa e do Banco do Brasil.

Em dezembro do ano passado, o presidente Michel Temer assinou a medida provisória (MP) 813/17 que reduz para 60 anos a idade mínima para o saque das cotas do PIS/Pasep. Em agosto, o governo já tinha editado outra MP (797/17) liberando o saque para homens a partir de 65 anos e para mulheres a partir de 62 anos. Até o fim de 2017, R$ 2,2 bilhões foram retirados de 1,6 milhão de contas.

Desde a criação do PIS/Pasep, em 1971, o saque total só podia ser feito quando o trabalhador completava 70 anos, se aposentasse ou tivesse doença grave ou invalidez. As medidas provisórias flexibilizaram as restrições.

Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição daquele ano passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

É possível, por meio dos sites www.caixa.gov.br/cotaspis e www.bb.com.br/pasep, consultar se há saldo disponível para saque. Nas páginas, o trabalhador pode visualizar a data de início do pagamento e os canais disponíveis, além da melhor opção de pagamento, antes de se dirigir a um dos canais oferecidos.

(Agência Brasil)

Centro-Sul e Cariri – Prorrogado prazo para pagamento do boleto do Garantia Safra

Agricultores das regiões do Cariri e Centro-Sul do Ceará tiveram a data final de pagamento dos boletos do Programa Garantia Safra 2017/2018 prorrogada para o dia 19 deste mês. O prazo inicial venceu na terça-feira, 2. A informação é da Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Estado (SDA).

O prefeito de Cedro, Nilson Diniz, enfatiza que a participação dos agricultores é essencial para garantir renda extra e um auxílio seguro ao homem do campo. “Fizemos adesão ao programa e também oferecemos contrapartidas. Lembramos que nossos agricultores não podem deixar de receber este benefício”.

O valor do benefício é de R$ 850, em cinco parcelas de R$ 170. O pagamento é feito por meio de cartões eletrônicos disponibilizados pela Caixa Econômica Federal.

O Garantia Safra, ação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), é uma forma de contribuir para a segurança alimentar da família do agricultor, dando oportunidade para que ele escolha como aplicar o dinheiro.

De acordo com o gerente da Ematerce local, José André, os boletos que estão com as datas de pagamentos para 2 de janeiro, poderão ser pagos com esta mesma data, lembrando que os interessados devem portar o Cadastro Pessoa Física (CPF) “Fomos até a casa lotérica local e os agricultores poderão efetuar pagamento sem transtornos”.

Entrada líquida de recursos na poupança tem melhor resultado em três anos

De acordo com relatório divulgado nesta sexta-feira (5) pelo Banco Central, em 2017 os depósitos na caderneta de poupança superaram as retiradas em R$ 17,12 bilhões. O resultado aponta uma mudança de tendência em relação aos dois anos anteriores, que tiveram saques superiores aos depósitos.

Em 2015, R$ 53,5 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões. Em 2017, a poupança voltou a atrair recursos mesmo com a queda de juros. Isso porque o investimento voltou a garantir rendimentos acima da inflação, que teve queda.

Até 2014, os brasileiros depositavam mais do que retiravam da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrirem dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego.

No ano passado, os depósitos totalizaram R$ 2,085 trilhões e os saques R$ 2,068 trilhões. Com a entrada líquida de recursos na poupança, ou seja, com os depósitos superando os saques, no final de 2017 o estoque dos valores depositados teve aumento. O volume total aplicado passou de R$ 664,99 trilhões, em 2016, para 724,60 trilhões, em 2017.

(Agência Brasil)

Temer sanciona lei que permite uso de até R$ 15 bilhões do FGTS pela Caixa

O presidente Michel Temer sancionou hoje (4), sem vetos, a lei que permite a capitalização da Caixa Econômica Federal em até R$ 15 bilhões com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

O projeto, agora convertido em lei, foi aprovado no Congresso Nacional em dezembro e autoriza o Conselho Curador do FGTS a realizar contratos com a Caixa na forma de instrumentos híbridos de capital e dívida. Os contratos serão feitos por meio de resolução do conselho.

Sem o recurso, o banco poderia ter que reduzir a concessão de crédito. O objetivo é atender às normas do Conselho Monetário Nacional (CMN) para que a Caixa continue liberando crédito para operações imobiliárias ao público de baixa renda, sobretudo para o Programa Minha Casa, Minha Vida.

De acordo com o projeto aprovado no Congresso, a aplicação de recursos do FGTS fica autorizada até o dia 31 de dezembro de 2018.

A sanção ocorreu no gabinete do presidente Temer com a presença do presidente da Caixa, Gilberto Occhi, e dos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco.

(Agência Brasil)