Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

O conto dos três mestres

Com o título “O conto dos três mestres”, eis artigo da escritora Socorro Acioli em clima de homenagem e gratidão ao professor falecido Agostinho Gosson (UFC). Confira: 

“Eu vou destruir o seu texto” , disse o professor Eduardo Luz. E assim fez. Rabiscou tudo de vermelho, limpou as belezas, as metáforas, os perfumes de literatura que não cabiam em uma redação de vestibular. Destruiu e desmanchou meus textos várias e várias vezes até que eu consegui produzir uma página objetiva, clara e limpa e ganhei uma nota sensacional na redação. Foi assim que aprendi que escrever é comunicar. Ele me ensinou que é preciso prestar atenção no público receptor para que a palavra cumpra seu destino de ser palavra. E eu agradeço.

O professor Eduardo pediu que eu esquecesse aquilo tudo depois de aprovada e voltasse a escrever como antes, com liberdade e toda literatura possível. Talvez para aliviar tamanha destruição, ele me deu um livro de presente sem fazer a menor ideia de que me entregava a chave de um portal.

O livro era Cheiro de Goiaba, uma longa e detalhada entrevista com Gabriel García Márquez ao amigo Plínio Apuleyo Mendoza sobre toda sua vida, com atenção especial para a decisão de tornar-se escritor. A família queria que ele fosse advogado, mas ele queria escrever. A última tentativa de sua mãe para convencê-lo a retomar a faculdade de Direito acabou por ter força contrária. Ela inventou a desculpa de levá-lo a Aracataca para ajudar na venda da velha casa de seus avós. Foi nessa viagem que ele teve a iluminação inicial para escrever Cem Anos de Solidão, o livro que o consagrou como um dos escritores mais amados do mundo. E muito amado por mim.

“Seu texto vai para a lata do lixo”, disse o professor Agostinho Gósson. Eu era estudante de jornalismo e errara feio na construção do lead. “Se quiser aprender como se faz um lead que preste, vá ler Crônica de uma morte anunciada do Gabriel García Márquez, faça outro texto e traga pra mim. Porque esse aqui vai pra lata do lixo”. Saí da sala de aula, sentei em um banco da praça da Gentilândia e chorei por uma hora. Depois li o livro, fiz outro texto e ganhei um dez. Aprendi que para conseguir efeitos de maestria na escrita, eu devo procurar aprender com o melhor. E eu agradeço.

Quase dez anos depois, quando ganhei o Prêmio Jabuti de Literatura, o professor Agostinho me chamou para dar entrevista no seu programa na Rádio Universitária. Relembrei o texto na lata do lixo, do qual ele não se arrependia nem pouco. E por isso, meu Jabuti também era dele. Não vou esquecer nunca da sua risada solta e gostosa quando eu disse, ao vivo, que ele foi o único homem que me fez chorar em um banco de praça. Ganhei um abraço e a lembrança doce que guardarei com saudades.

“Prometa que nunca vai desistir. Prometa que vai até o fim”, disse o professor Gabriel García Márquez. Era dezembro de 2006 e eu estava sentada em uma sala de aula na Escola de Cinema em Cuba, na condição de sua aluna. Aluna de um Prêmio Nobel. Aquele autor colombiano que aprendi a amar por causa do professor Eduardo, que reforcei a paixão com a dica do professor Agostinho, agora era meu mestre de carne e osso e me ensinou que vencer é persistir. E eu agradeço.

Sorte de quem sabe identificar um mestre e ouvir seus conselhos, mesmo se doer. Sorte de quem encontra alguém que aponta uma luz e mostra uma vereda, nessa aventura sem mapa que é a vida.

*Socorro Acioli,

Escritora.

Transnordestina alcança 50% de obra civil executada

Obras da Transnordestina em Missão VelhaFoto: Talita Rocha, em 02/11/2010

A Ferrovia Transnordestina alcançou 50% da obra executada, segundo José Roberto Correa. Ele acaba de assumir como diretor da nova empresa criada pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN),  a Nordeste Logística.

O objetivo dela é tratar de toda a infraestrutura do projeto.

No mercado, há quem diga, no entanto, que a Nordeste logística deverá gerir futuramente essa ferrovia.

Teori dá 10 dias para Cunha se manifestar sobre pedido de afastamento

“O ministro do STF Teori Zavascki abriu um prazo de dez dias para que Eduardo Cunha se manifeste sobre a petição em que o Ministério Público requer seu afastamento do comando da Câmara. Como Cunha não foi notificado da decisão, o prazo só começará a contar quando isso acontecer.

Desta forma, mesmo em fevereiro, quando o STF voltar do recesso, oficiais de Justiça ainda terão de entregar a decisão de Teori e o STF só poderá começar a analisar o pedido de afastamento após a manifestação de Cunha.

Se Cunha for notificado logo no dia primeiro de fevereiro, o STF só teria como julgar o pedido de afastamento a partir da sessão do dia 17.
Já se a notificação demorar, o caso pode ficar para a última semana do mês que vem ou até mesmo para março.”

(Coluna Radar, da Veja Online)

Na Bolsa, Brasil fechou 2015 valendo menos do que o Google

“Tomadas, as empresas brasileiras listadas na Bovespa encerraram 2015 valendo menos do que o Google. 

Segundo levantamento da consultoria Economática, ao fim do ano passado, o valor de mercado do gigante de buscas era de 528 bilhões de dólares, contra 463 bilhões de dólares da bolsa brasileira.

A queda na capitalização da bolsa foi de expressivos 41,9%. Entre os pares latino-americanos, ficou atrás apenas da Colômbia, cujo valor das empresas listadas recuou 42,5%.

Com o desempenho, o mercado brasileiro vem perdendo relevância na América Latina. Em 2014, a capitalização das empresas brasileiras representava 42,6%, fatia que caiu a 36,2% em 2015, praticamente empatando o México, que hoje representa 34,16% do valor de mercado das companhais listadas na região.

(Coluna Radar, da Veja Online)

Vice-governadora lançará mutirão contra o Aedes aegypti em Sobral

izoldacela

A cidade de Sobral (Zona Norte) receberá mutirão contra o mosquito Aedes aegypti na próxima quinta-feira. Quem estará à frente é a vice-governadora Izolda Cela, por sinal, mulher do prefeito desse município, Clodoveu Arruda.

A ação foi iniciada em Fortaleza, antes do fim de 2015, pelo governador Camilo Santana. Ao lado do prefeito Roberto Cláudio, ele conclamou moradores do Conjunto José Walter a entrar nessa luta.

Além da dengue, o Aedes aegypti transmite ainda a chicungunya e Zika, esta causando microcefalia.

Fernando Hugo: STF trabalha contra o impeachment de Dilma

143 1

fernandohugoo

Com o título “O STF trabalha contra o impeachment”, eis comentário que o deputado estadual Fernando Hugo deixou para o Blog. Ele avalia que a tese do impeachment da presidente Dilma Rousseff está sendo minada no Supremo. Confira:

Caro jornalista Eliomar de Lima,

Muitos juristas têm externado, de forma livre e desimpedida, insatisfações pelo que o Supremo Tribunal Federal decidiu e criou, ingerenciando, de modo claro, no rito da tramitação intestina da Câmara Federal no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Na realidade, alguns tópicos neo-legislados pela Corte Maior da Justiça foram motivos de grandes polêmicas entre os ministros, que mostram claramente a falta completa de “unissonidade”, denotando que o STF pode estar “bolivariando-se” como tão bem inquiriu o juiz federal Agapito Machado em texto luminoso no Diário do Nordeste de 3 de janeiro de 2016.

Fernando Hugo,

Deputado estadual do Solidariedade.

Historiador lança livro sobre os Papas que enalteceram a Humanidade

[youtube]https://youtu.be/OKH96Yd5c6Q[/youtube]

O historiador cearense Jeovah Mendes lançou nacionalmente o seu oitavo livro. Foi durante entrevista ao Programa do Jô, na Rede Globo. O título é “Os Papas que enalteceram a Humanidade: de Pedro a Francisco”.

Jeovah destaca as principais qualidades de Papas como Leão XIII, João XXII, Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II e o Papa Francisco e mostra, principalmente, o testemunho de fé e compromisso desses líderes da Igreja Católica com os pobres.

Jeovah Mendes conversou com o Blog sobre essa sua nova publicação que pode ser adquirida na Casa da Bíblica (Galeria Pedro Jorge – Centro de Fortaleza).

Lei Maria da Penha é aplicável em caso de agressão do pai contra a filha

“A Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) é aplicável no caso em que o pai agride sua filha. O entendimento é da 15ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo ao condenar um homem por agressão à filha, com base na legislação sobre violência doméstica. A pena foi fixada em três meses de detenção, no regime aberto.

De acordo com o processo, a vítima foi agredida com murros depois de brigar com a irmã mais nova. O réu também foi acusado de pisar em seu rosto e suas costelas, além de tentar enforcá-la. A jovem conseguiu se desvencilhar e se trancou no banheiro, de onde ligou para a polícia.

O pai foi condenado em primeira instância, mas a defesa recorreu ao TJ-SP alegando que a aplicação da Lei 11.340/2006 deveria ser afastada, uma vez que o réu é pai da vítima e apenas empregou meio corretivo para educá-la. A tese, no entanto, não convenceu a turma julgadora.

“Incabível a alegação do réu de que teria agido sob o manto do exercício regular do direito, uma vez que não se limitou a corrigir sua filha, pelo contrário, agrediu-a violentamente, extrapolando o denominado direito de correção, usado na educação dos filhos”, afirmou o relator, desembargador Willian Campos.

Para o desembargador, foi correta a aplicação da Lei Maria da Penha ao caso, uma vez que as agressões foram cometidas pelo réu, contra vítima do sexo feminino, que residia no mesmo local que o agressor e com ele mantinha laços familiares. O relator também ressaltou que no laudo pericial constou que a vítima sofreu lesões no rosto e no braço, compatíveis com suas declarações. A votação foi unânime, e o acórdão não foi divulgado.”

(Site do TJ-SP)

Serra lidera pesquisa para governador de São Paulo

serraj

“Mais de dois anos antes da eleição para o governo de São Paulo, o senador tucano José Serra e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf (PMDB), aparecem na frente em dois cenários pesquisados pelo Instituto Paraná.

Na lista em que aparece, Serra tem 42,6% das intenções de votos, seguido por Skaf, com 30,2%. Pontuam ainda Eduardo Jorge (PV), com 3,3%, Luiz Marinho (PT), com 3,2%, e o vice-governador Márcio França (PSB), com 2,2%.

No cenário sem Serra, Skaf lidera, com 41,5%, seguido de Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), com 16,9%, Marinho (6,1%), Eduardo Jorge (5,7%) e França (3,4%).

* A pesquisa foi realizada com 1 644 pessoas, entre os dias 16 e 20 de dezembro.”

(Coluna Radar, da Veja Online)

INSS já inscreve para concurso público

Começou nesta segunda-feira o periodo de inscrição do concurso público do INSS, que oferece 950 oportunidades, com salário de até R$ 7,4 mil. As provas estão marcadas para maio próximo.

Mais de 80% das vagas são para o cargo de técnico do seguro social, que exige nível médio completo e tem salário inicial de R$ 4.886,87. O cargo de analista do INSS, voltado a candidatos com nível superior em serviço social e registro no conselho de classe, traz 150 postos de trabalho, com salário de R$ 7.496,09.

A taxa de inscrição custa R$ 65,00 para nível médio e R$ 80,00 para nível superior. A prova está prevista para 15 de maio próxmo. O programa do edital inclui direito administrativo, direito constitucional, informática e raciocínio lógico. A prova para analistas terá ainda legislação previdenciária, legislação da assistência social do trabalhador e da pessoa com deficiência e serviço social. A prova para técnicos terá ainda ética no serviço público e regime jurídico único.

SERVIÇO

*As inscrições devem ser feitas até 22 de fevereiro pelo site www.cespe.unb.br.

PAC só executou 9% das metas de 2015

download (7)

“O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foi um dos mais afetados pelo ajuste fiscal promovido pelo governo federal. O corte se refletiu no número de ações concluídas por meio da rubrica. Apenas 9% das obras previstas neste ano estão concluídas ou em operação. Os dados foram levantados no 1º Balanço do PAC em 2015 e se referem ao período de janeiro a junho deste exercício. Ao todo, 37.627 empreendimentos estavam previstos para este ano, mas somente 3.358 ficaram prontos.

No balanço, o governo federal destaca que a economia brasileira passa por diversos ajustes que promoverão a retomada do crescimento em bases sustentadas. “Mesmo com o Orçamento Geral da União (OGU) adequado às condições atuais, o volume de recursos destinados a esses investimentos continua expressivo e hoje a prioridade se volta para a execução de obras que já estão em andamento”, explica.

A maior parcela das iniciativas, 62,1% ou 23.357, estão “em execução”. Destes 22.301 são considerados “em obras”, isto é, empreendimentos com ordem de início autorizada ou obra já iniciada. Os outros 1.056 estão “em execução”: o empreendimento já foi iniciado e a meta é a realização de estudo, projeto, plano, assistência técnica ou desenvolvimento institucional. O “PAC 3”, uma das promessas de campanha da presidente Dilma Rousseff e que se daria a partir de 2015, não foi anunciado pelo governo. Apesar disso, o balanço chama as obras deste ano de “nova etapa”.

“Nesta nova etapa, o PAC se consolida como um programa estruturante que incentiva o crescimento da economia, “direta e indiretamente, em diversos setores e promove a retomada do planejamento em infraestrutura”, aponta a publicação. O Programa de Aceleração do Crescimento foi criado em 2007, considerado pelo governo federal um dos maiores projetos de infraestrutura logística, energética, social e urbana do país. A segunda etapa do PAC, iniciada em 2011, visava ampliar os investimentos público e privado em obras estruturantes, aprimorando as parcerias com estados e municípios.”

(Site Contas Abertas)

O segredo do sucesso é planejamento

Com o título “Hora de planejar e alcançar metas neste 2016”, eis artigo de Luciana Farias, médica e master coach, que dá dicas para quem quer alcançar metas e objetivos através do planejamento. Para este começo de ano, nada como pensar nos novos planos. Confira: 

Chegou 2016! O momento carrega um poder simbólico forte: o de fechar e abrir ciclos. Vivemos agora a temporada de balanços e promessas. É tempo de planejamento. Mudar de emprego, abrir uma poupança, iniciar um ritmo de vida saudável, perder peso ou até mesmo começar um novo curso… Não importa qual a meta. Todo mundo sempre tem uma ou várias pela frente.

A principal questão é: será que, para dar início a novos planos, conseguimos alcançar os objetivos passados? No decorrer dos meses, a listinha de desejos vai ficando esquecida no meio do caminho… Metas nem sempre são alcançadas com facilidade. O sonho de ontem pode levar três dias para se realizar, mas, também, pode levar três anos. Tudo depende só de uma pessoa: de nós mesmos.

O novo ano nos traz a chance de reorganizar a vida, consertar erros, fazer coisas diferentes. A promessa do ‘novo’ é essencial para a saúde mental.

Com o pensamento condicionado, tudo faremos sempre focados no resultado que tanto desejamos. A época que vivenciamos atualmente é de planejar e traçar metas. Hora de organização, de separação em dois sentidos: o profissional e o pessoal.

Devemos criar em cada um desse sentidos, subtemas. No pessoal, por exemplo, os tópicos saúde e relacionamento; no profissional, desenvolvimento técnico e melhor renda.

É essencial passarmos todos os objetivos para o papel. Se nossas metas ficarem apenas na mente, uma hora serão esquecidas e, até mesmo, nos levar à  desistência. Materializar as metas e estipular prazos são fundamentais. Isso reorganiza planos e nos dá tranquilidade na hora da execução. É importante olharmos para nossas metas e entender que elas são preciosas.

Mas um lembrete: o autoconhecimento é fundamental. O sucesso nunca vem antes do esforço. Isso, respeitando os limites e ponderando sempre nossos pensamentos e não caindo em exageros.

Feliz Ano Novo! Que todos os nossos sonhos se tornem metas realizadas.

*Luciana Farias,

Formada em Medicina, é Master Coach Golden Belt – titulação concedida pela Febracis – Federação Brasileira de Coaching Integral Sistêmico (Febracis).

Dilma Rousseff inicia agenda de trabalho com desafios nas áreas política e econômica

“A pós passar o réveillon com a família em Porto Alegre (RS), a presidenta Dilma Rousseff inicia hoje (4) a agenda de trabalho de 2016 no Palácio do Planalto com desafios nas áreas política e econômica. A previsão é que, pela manhã, a presidenta reúna-se com o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, e tenha reuniões com assessores.

A presidenta Dilma manifestou otimismo com 2016 na mensagem de Ano-Novo aos brasileiros, que postou nas redes sociais. Em artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo no dia 1° de janeiro, a presidenta também disse esperar um ano melhor e falou sobre temas da economia e política, como o controle da inflação, a manutenção dos ajustes necessários para o equilíbrio fiscal e o pedido de impeachment em análise na Câmara dos Deputados.

Sobre a inflação, Dilma disse que o controle da taxa é uma prioridade do governo. “Ela [inflação] cairá em 2016, como demonstram as expectativas dos próprios agentes econômicos”.

Em relação ao momento político que o governo atravessa, registrou no artigo: “Mesmo injustamente questionada pela tentativa de impeachment, não alimento mágoas nem rancores. O governo fará de 2016 um ano de diálogo com todos os que desejam construir uma realidade melhor”. Nos últimos dias de trabalho de 2015, a presidenta Dilma fez uma reunião com a equipe econômica do governo e assinou o decreto que reajustou o salário mínimo para R$ 880 a partir de 1° de janeiro.

A presidenta também sancionou com vetos a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016. O texto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União, com data de 31 de dezembro, e traz, entre os vetos, dispositivo que previa reajuste para os beneficiários do Bolsa Família. A presidenta justificou que o reajuste não está previsto no projeto de Lei Orçamentária de 2016. “Assim, se sancionado, o reajuste proposto, por não ser compatível com o espaço orçamentário, implicaria necessariamente no desligamento de beneficiários do Programa Bolsa Família”, explicou na justificativa ao veto.”

(Agência Brasil)

De 13 gestores alvos de ações de impugnação, apenas três foram julgadas pelos TREs

eunicio-camilo

A tramitação dos processos que pedem a cassação de governadores eleitos em 2014 tem sido protelada por manobras judiciais e questionamentos das defesas. Dos 13 gestores que são alvo de ações, apenas três foram julgados pelos tribunais regionais eleitorais.

Outros dez nem sequer foram julgados em primeira instância. A lista inclui Fernando Pimentel (PT-MG), Beto Richa (PSDB-PR) e Marconi Perillo (PSDB-GO).

Ainda respondem a ações eleitorais os gestores de Ceará, Piauí, Paraíba, Amazonas, Pará, Amapá e Mato Grosso do Sul.

(Folha Online)

DETALHE – No Ceará, o PMDB do senador Eunício Oliveira, derrotado para o Governo, move ação contra o petista Camilo Santana.

IPC-S acumulou alta de 10,53% em 2015

“O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) teve variação de 0,88% na última medição de dezembro, acumulando alta de 10,53% no período entre janeiro e dezembro de 2015. De acordo com o levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), a tarifa de energia elétrica foi o item que mais influenciou a inflação ao longo do ano, com reajuste de 49,43%.

Na última apuração de 2015, quatro dos oito grupos pesquisados apresentaram queda, com destaque para transportes (0,8% ante uma alta de 1,09%). Entre os itens que mais contribuíram para esse resultado está a gasolina, que passou de 2,23% para 1,35%.

Também diminuiu a intensidade de aumento nos grupos habitação (de 0,48% para 0,37%), com a tarifa de energia passando de 1,25% para 0,6%; educação, leitura e recreação (de 1,04% para 0,80%) influenciada pelos ingressos em salas de espetáculo (de 1,81% para 1,5%) e comunicação (de 0,13% para 0,10%), sob o efeito da mensalidade de TV a cabo que passou de 0,76% para 0,42%.

Em sentido oposto, ocorreram avanços, em índices superiores aos registrados na terceira prévia de dezembro, nos seguintes grupos: alimentação (de 1,67% para 1,75%), puxado pela alimentação fora de casa (de 06,% para 0,77%); vestuário (0,61% para 1,01%), com elevação das roupas em 1,2% ante 0,6%; despesas diversas (0,32% para 0,42%), com destaque para a tarifa postal (de 3,08% para 5,96%) e saúde e cuidados pessoais (0,66% para 0,67%). Neste último, o que mais pesou foi o salão de beleza (de 0,64% para 0,88%).

Os cinco itens com reflexo de alta sobre o IPC-S no fechamento do ano foram: refeições em bares e restaurantes (0,6%); gasolina (1,35%); tomate (13,3%) tarifa de táxi (8,72%) e plano e seguro de saúde (1,03%. Já os itens que mais ajudaram a conter a inflação foram: manga (-4,86%); computador e periféricos (-0,45%); alface (-1,59%); automóvel usado (-0,16%) e geladeira e freezer (-0,43%).”

(Agência Brasil)

Mercado financeiro diz que economia deve encolher 2,95% neste ano

economia

“A economia brasileira deve encolher 2,95%, este ano, de acordo com projeções de instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC). Esse foi o 13º ajuste consecutivo na projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB). No boletim Focus divulgado na semana passada, a estimativa estava em 2,81%. A queda estimada para a produção industrial é 3,5%, este ano.

Para as instituições financeiras, o encolhimento da economia vem acompanhado de inflação acima do teto da meta (6,5%), em 6,87%. Na semana passada, a estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) estava em 6,86%. O centro da meta de inflação é 4,5%.

O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic. O Comitê de Política Monetária (Copom), responsável por definir a Selic, elevou a taxa por sete vezes consecutivas. Nas reuniões do comitê em setembro, outubro e novembro de 2015, o Copom optou por manter a Selic em 14,25% ao ano. Na reunião do Copom deste mês, as instituições financeiras esperam que a Selic suba para 14,75% ao ano. Ao fim de 2016, a projeção para a Selic é 15,25%.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.”

(Agência Brasil)

 

Congresso tentará definir responsabilidade fiscal para estatais

tassoosokje

“A reabertura dos trabalhos legislativos, em fevereiro, já apresenta um tema consensual para ser colocado em pauta: o projeto da Lei de Responsabilidade das Estatais. O texto a ser discutido pelo plenário foi examinado por uma comissão mista presidida pelo senador cearense Tasso Jereissati, do PSDB, e estabelece normas de governança corporativa e regras para compras e licitações que atendam especificidades de empresas públicas e sociedades de economia mista.

Tasso Jereissati, que além de presidente da comissão mista foi designado relator do projeto em Plenário, avalia que o texto contribuirá para o aperfeiçoamento das atividades estatais, com a adoção adequada de normas gestão e de governança corporativa que impedirão a ocorrências de escândalos como o da Petrobras. O senador Lindbergh Farias (PT-RJ), por sua vez, adota postura mais cautelosa e já adiantou que a votação do projeto na retomada dos trabalhos dependerá de acordo entre as lideranças partidárias.

As normas previstas no projeto serão aplicadas a toda e qualquer empresa pública e sociedade de economia mista da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, inclusive as que exploram atividade econômica em sentido estrito, as que prestam serviços públicos e as que exploram atividade econômica sujeita ao regime de monopólio da União. Em dezembro, o projeto da Lei da Responsabilidade das Estatais chegou a ser colocado em votação, mas a discussão foi interrompida pela falta de consenso entre as lideranças partidárias

Participação

No período de 16 de junho a 15 de julho de 2015, a sociedade pôde manifestar-se sobre o projeto nas redes sociais por meio de enquetes promovidas pelo Senado, das quais participaram 2.390 internautas. Desses, 56% consideram péssimo o nível de transparência no uso de recursos públicos de empresas estatais; 97% são a favor da criação de projeto de lei que obrigue empresas públicas e sociedades de economia mista a adotarem práticas mais transparentes; 80% são a favor da obrigatoriedade de realização de licitação em todas as compras das empresas estatais; 63% acreditam que apenas profissionais de carreira deveriam ocupar cargos de direção em empresas estatais; e 49% têm a opinião de que o prazo de mandato de dirigentes de empresas estatais deveria ser de quatro anos.

Em setembro, durante audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), dirigentes sindicalistas defenderam a retirada da urgência para votação do projeto de Lei da Responsabilidade das Estatais. No entender dos sindicalistas, a proposta, apresentada como forma de aprimorar a gestão das empresas estatais seria, na verdade, uma ameaça ao patrimônio dos brasileiros porque promoveria, na prática, uma “privatização generalizada”.

(O POVO)