Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Editorial do O POVO – “Novo Governo precisa do BNB”

172 2

Com o título “Novo Governo precisa do BNB”, eis o Editorial do O POVO desta quarta-feira:

o atingimento da meta de empréstimos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) pela atual diretoria do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) possui significado extra. Vai além do reconhecido mérito da atual gestão em aplicar acima dos R$ 30 bilhões estipulados para este exercício.

Conforme antecipou seu presidente Romildo Rolim, o BNB alcançou a marca de R$ 30.245.325.966,64 e já mira os R$ 32 bilhões até o fim desta semana e do ano. Foi uma meta ousada ante os R$ 17 bilhões de 2017. E um adendo: somando com o Crediamigo, o programa de microcrédito criativo do Banco, um segmento no qual o BNB é o principal especialista no País, chegou-se a R$ 40 bilhões.

Fosse uma instituição financeira como outra qualquer, seria um resultado a ser lido sob angulação apenas monetária e de medição de desempenho. Contudo, em se tratando do Banco do Nordeste, há variáveis outras no plano do intangível. Implica respeito pela principal instituição da União Federal na região.

Em plena transição de comando no Palácio do Planalto, como uma nova configuração de política econômica no Governo a ser iniciado dentro de seis dias, a demonstração de vigor do Banco reforça o quão fundamental ele é no papel de executar uma política de desenvolvimento regional. Nada de favor, mas aquilo que preconiza a Constituição vigente, nascida há 30 anos sob a égide da Cidadania.

Por mais sobejas que sejam as provas de importância para a economia de nove estados do Nordeste e partes de Minas Gerais e Espírito Santo, o BNB de modo recorrente padece das ameaças de fusão ou incorporação. A discussão deve se abrenhar no volume, no cumprimento das regras de compliance e também no perfil dos tomadores. Qual o modelo hoje, qual o porte do clientes atendidos pelas operações e como estabelecer a blindagem da atuação da Diretoria frente a natural pressão política na máquina estatal. Tudo isto diz muito da capacidade de irrigação dos recursos na economia.

A questão carrega daltonismo político em seu âmago. As cores partidárias historicamente mostraram-se indiferentes no tratamento dedicado por Brasília à pauta regional. Os interesses dos estados do Centro-Sul emergem na semântica. Os incentivos concedidos por estados manietados por limitações econômicas advindas de um crescimento pouco equânime recebem a alcunha de guerra fiscal.

O novo Governo terá conseguido sair do lugar comum caso atente para o Nordeste, seu Banco e suas políticas não como um paliativo, mas como uma estratégia importante para a economia nacional.

(Editorial do O POVO)

Prazo para justificar ausência no 2º turno termina nesta quinta-feira

O prazo para justificar a ausência no segundo turno das eleições gerais de 2018, dia 28 de outubro, termina nesta quinta-feira (27). Os eleitores que não votaram no segundo turno precisam regularizar a situação, sob pena de impedimento de fazer matrícula em universidades, tirar o passaporte, tomar posse em cargo público e receber o salário, no caso dos servidores.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o não comparecimento injustificado no dia da eleição é irregularidade punível com multa. Pela Constituição, os brasileiros com idade entre 18 anos e 70 anos são obrigados a votar. Após três ausências consecutivas não justificadas, o título de eleitor é cancelado.

Não precisam justificar a ausência os eleitores cujo voto é facultativo (analfabetos, os com 16 anos a 18 anos e os maiores de 70 anos), além dos portadores de deficiência física ou mental que torne impossível ou demasiadamente oneroso o cumprimento das obrigações eleitorais. A justificativa pode ser feita diretamente nos cartórios eleitorais ou pela internet.

Formulário
No primeiro caso, é necessário preencher o formulário disponível no cartórios eleitorais, nos postos de atendimento ao eleitor e nas páginas da Justiça Eleitoral na internet. O documento deverá ser entregue no cartório eleitoral ou enviado por via postal ao juiz da zona eleitoral na qual o eleitor é inscrito. É preciso anexar comprovante do motivo da ausência.

Pela internet, a justificativa é feita no Sistema Justifica. O eleitor deverá preencher o formulário online, informando seus dados pessoais e o motivo da ausência, bem como anexar o comprovante do impedimento para votar. Se a justificativa for aceita, o eleitor será avisado da decisão.

O brasileiro residente no exterior que não votou também precisa justificar o não comparecimento às urnas. Ao requerimento de justificativa eleitoral devem ser juntadas cópias do documento oficial brasileiro de identidade e do comprovante dos motivos alegados para justificar a ausência. A documentação deve ser enviada ao juiz da Zona Eleitoral do Exterior ou entregue nas missões diplomáticas ou encaminhada pelo Sistema Justifica.

(Agência Brasil)

Brasileiros passam bem após acidente com teleférico na Colômbia

A Embaixada do Brasil em Bogotá, na Colômbia, informa que os três brasileiros envolvidos em acidente com teleférico (bondinho) no morro de Monserrate passam bem. Segundo informação do Ministério das Relações Exteriores, a representação fez contato com o hospital onde os brasileiros foram encaminhados.

Conforme a imprensa local, ao todo 28 pessoas foram envolvidas em acidente ocorrido nessa segunda-feira, 24, a maioria estrangeira. De acordo com nota nas redes sociais do Corpo de Bombeiros de Bogotá, apenas cinco pessoas precisaram de atendimento emergencial antes da ida ao hospital.

O morro de Monserrate é ponto turístico e de peregrinação religiosa na região metropolitana de Bogotá.

As autoridades informaram que houve falha nos freios de uma das cabines, o que causou a perda de controle. Não há relatos de mortes.

Em funcionamento desde 1929, o bondinho de Monserrate é um dos pontos turísticos mais importantes da capital colombiana. Porém, havia críticas sobre a necessidade de atualizar o sistema técnico e de fiação do teleférico.

(Agência Brasil)

Paulo Guedes e CNI não vão comer o mesmo peru de Natal

Quem acompanha de perto as conversas entre o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e sua equipe garante que a vontade da turma de “passar a faca no Sistema S” só se equipara ao desejo de ficar a léguas de distância do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade.

É o que informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

A CNI, com suas federações, está possessa com a decisão de Guedes de cortar 30% da verba do Sistema S, o que pode chegar a 50%, caso não haja acordo.

(Foto – Agência CNI Brasil)

Temer fala à Nação nesta véspera de Natal

O presidente Michel Temer fará hoje (24), às 20h30, um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão de aproximadamente três minutos.

A manifestação ocorre a menos de uma semana da transmissão da faixa presidencial para o presidente eleito, Jair Bolsonaro, que assume o Palácio do Planalto no próximo dia 1º. Tradicionalmente, os presidentes da República falam à nação na véspera do dia de Natal. A expectativa é que Temer apresente um breve balanço dos dois anos e meio à frente do governo.

No Natal passado, o presidente destacou que estava conduzindo uma série de mudanças positivas para o país, citou a recuperação da Petrobras e o esforço para colocar o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a serviço da sociedade. Também mencionou a redução dos juros e os avanços dos programas sociais.

Em 2016, Temer destacou que seu esforço se concentrava em desburocratizar e atrair investimentos para o Brasil.

(Agência Brasil)

PT fará plantão durante o recesso parlamentar para analisar medidas do novo governo

Gleisi Hoffmann preside o PT nacional.

O Partido dos Trabalhadores convocou integrantes de sua assessoria técnica na Câmara dos Deputados e no Senado para que fiquem de plantão durante o recesso parlamentar. A missão será examinar com lupa as primeiras medidas que forem encaminhadas pelo governo Jair Bolsonaro ao Congresso. É o que informa a Folha de S.Paulo.

Os petistas pensam em recorrer a manobras regimentais para travar o avanço de propostas que devem ser enviadas nos primeiros dias de janeiro, como a reorganização dos ministérios de acordo com o desenho definido pelo presidente eleito.

A direção do PT acha que Bolsonaro usará os primeiros dias de seu governo para criar fatos políticos de impacto em algumas áreas. Uma das apostas dos petistas é que haverá rompimento nas relações com Cuba e Venezuela, países vetados na posse do novo presidente.

(Foto -Veja)

Ciro passa o Natal em Fortaleza, mas de olho no País

356 12

Ciro Gomes já regressou dos EUA e passará o Natal com a família aqui em Fortaleza.

Ele ainda avalia, no entanto, se passará também por aqui o Réveillon e se vai ficar para a solenidade de posse do governador Camilo Santana (PT), a partir da 14 horas do dia 1º, na Assembleia Legislativa.

Ciro definiu quem em 2019 vai continuar sua peregrinação de palestras pelo Brasil. Quer reforçar a tese de que será a oposição de verdade ao futuro governo de Bolsonaro.

(Foto – Facebook)

José Macêdo, a saudade que muitos vão gostar de ter

187 2

Com o título “Meu pai, José Macêdo”, eis artigo do empresário Roberto Macêdo, filho do ex-senador José Macêdo, que nos deixou recentemente, aos 99 anos. Confira:

Meu pai, José Dias de Macêdo, cumpriu de forma digna, verdadeira, simples e muito produtiva sua missão na terra por 99 anos e 4 meses, fazendo por merecer, certamente, um julgamento justo de Deus.

Orgulha-nos, a toda a nossa família, o seu comportamento como esposo e pai amoroso, amigo, delicado e presente em todos os momentos; como cidadão exemplar, respeitador do próximo, trabalhador incansável e ético; como empresário visionário, empreendedor, ousado, inovador e pioneiro em quase tudo que realizou.

O pioneirismo do meu pai, José Macêdo, manifesta-se em vários empreendimentos que foram fundamentais para o desenvolvimento do Ceará e do Nordeste: importou o Jeep – que havia sido desenvolvido para a guerra – para servir de transporte e cumprir função de implemento agrícola; fundou a primeira autoescola para ensinar o cliente a dirigir; instalou o primeiro moinho de trigo, o primeiro frigorífico industrial, a primeira fábrica de transformadores elétricos, a primeira cervejaria, a primeira fábrica de pneus, e pagou 13º salário bem antes de ser lei.

A atenção às pessoas era o mais forte motor da sua ação em todos os aspectos. Com simplicidade e respeito ao outro, mesmo tendo alcançado o patamar de grande industrial, ele se considerava um vendedor e costumava dizer que todos na empresa eram também vendedores e melhores do que ele no que cada um fazia. A não ostentação era uma marca do meu pai, que nos orientava a sempre nos comportar como uma família de classe média com recursos.

Meu pai, José Macêdo, era um homem que amava a natureza e os animais. Tinha um atavismo sertanejo com o qual equilibrava o intenso ritmo de vida do homem de negócios. Das suas virtudes, uma demonstra bem a singularidade da sua grandeza: ele nunca fingia saber do que não sabia, e, assim, não receava em fazer perguntas; e por ter isso como um valor, também não escondia nada do que descobria. E agora, José? Olhai por nós!

*Roberto Macêdo

roberto@pmacedo.com.br

Empresário.

Lojistas tentam derrubar taxa dobrada que shoppings sobre as vendas de dezembro

Sempre em dezembro, donos de shoppings cobram aluguel dobrado dos lojistas, o que está no contrato. Já os lojistas reclamam dessa compulsoriedade, considerando que, neste mês, não vendem dobrado.

Há, inclusive, uma lei no Congresso querendo extinguir essa norma.

Alguns querem saber: o senador Tasso Jereissati vai apoia essa luta?

(Foto – Arquivo)

BNB renova por cinco anos parceria para compartilhamento da rede de lotéricas da Caixa

A parceria entre o Banco do Nordeste e a Caixa para compartilhamento da rede de atendimento, por meio das casas lotéricas, foi prorrogada por cinco anos. O acordo foi assinado pelos presidentes do BNB, Romildo Rolim, e o da Caixa, Nelson de Souza, na última semana, em Brasília, na sede da Caixa Econômica. A informação é da assessoria de imprensa do Banco do Nordeste.

Desde maio de 2018, os clientes do Banco do Nordeste, principalmente os atendidos pelos programas de microcrédito urbano e rural, Crediamigo e Agroamigo, podem realizar nas lotéricas os serviços de saque até R$ 1,5 mil, consulta de saldo e pagamento de boletos bancários.

Já foram realizadas mais de 680 mil operações na rede compartilhada. São mais de R$ 314 milhões em saques. Com a parceria, a capilaridade do BNB foi ampliada em 13 mil pontos de atendimento no país. Só no Nordeste são mais de 5 mil.

(Foto – Ilustrativa)

Posse de Bolsonaro será transmitida por pool de emissoras

Um pool de emissoras, como é o hábito desde a posse da primeira eleição direta para presidente, em 1990, vai transmitir a posse de Jair Bolsonaro. A informação é do site Diário do Poder.

A TV Record vai ceder o helicóptero para as imagens aéreas do dia 1º de janeiro, enquanto a Globo acompanhará o percurso de carro, apesar de não se saber se vai o veículo será o clássico Rolls Royce aberto ou um carro fechado. A Band e o SBT também estarão responsáveis por parte da transmissão da posse de Jair Bolsonaro.

O plano é que o “pool” tenha acesso ao conjunto de imagens, já que um só canal não teria condições (nem acesso) para fazê-lo sozinho.

A TV Brasil, da estatal EBC, é responsável pela cobertura a partir do momento que Bolsonaro chega ao Palácio do Planalto.

Então é Natal – A Luís Inácio Lula da Silva

175 1

Com o título “A Luís Inácio Lula da Silva”, eis crônica do professor universitário e arquiteto Romeu Duarte. “Entre uma garfada e outra no peru, o pensamento viaja a Curitiba, onde alguém se encontra preso e sofrendo injustamente os cruéis efeitos do maior lawfare de que já se teve notícia”, diz o articulista. Confira:

Tal como a rabanada, figurinha fácil nas ceias de Natal e Ano Novo, dois itens são inescapáveis em todas as quadras natalinas: o Natal de Luz na Loura Mamãe Noel do Sol e o show de Roberto Carlos na noite do nascimento do Santo Filho do Homem. Estes eventos têm atravessado gerações a fio, já se constituindo em acontecimentos que são esperados ao longo do ano por legiões e legiões de ardorosos fãs. “Ah, meu senhor, Natal sem as festas nas praças Portugal e do Ferreira e sem a música do Rei é o mesmo que carnaval sem cachaça e São João sem bolo de milho”, diz a vendedora ambulante de moda íntima no Centro, “sutiã e calcinha da moça da novela a dez real”. Pois é, com patrimônio cultural não se brinca, que a voz do povo é a voz de Deus, ora.

Com os festejos natalinos chegando cada vez mais cedo, traduzidos na tênue neve de algodão que emoldura as vitrines das lojas (já que a neve de verdade jamais cairá nestas latitudes, para desespero de muita gente), as árvores de Natal high-tech se armam nos dois logradouros públicos, sob os olhares cúmplices dos transeuntes. À noite, as duas praças se esquecem de que são redutos de tribos políticas adversárias e se deixam invadir pelos cânticos e as lembranças. Os moradores de rua da zona central sabem que aquele Natal não é deles e se mudam de latas e colchonetes para a Praça José de Alencar.

Do outro lado da cidade, a praça do Meireles, tão iluminada quanto a sua colega do Centro, amplia a sua forma de pátio de shopping, sacolas para lá e para cá.

Rente como panetone quente, o Brasa é pule de dez nas consoadas, tanto faz se nas ricas, nas remediadas ou nas pobres. Mas qual Rei se fará ouvir? O que começou meio tatibitate na bossa-nova e no samba-canção? O que conquistou milhões de fãs com o iê-iê-iê? O rapaz de olhos fundos e da alegria triste? O que se transformou no imperador dos motéis? O defensor das baleias, das mulheres gordinhas, pequenas e de 40? Ou o devoto fervoroso de Nossa Senhora? Claro, os bordões não podem faltar: “É uma brasa, mora!”, “E aí, bicho?”, “Meu amigo de fé, meu irmão camarada, Erasmo Carlos”. Sim, e quanto aos infalíveis convidados? Certamente mais uma vez estará vestido em branco e azul, com seu tom nasal, encantando e cantando “Esse cara sou eu”.

Entre uma garfada e outra no peru, o pensamento viaja a Curitiba, onde alguém se encontra preso e sofrendo injustamente os cruéis efeitos do maior lawfare de que já se teve notícia. A não ser, discordante leitor(a), que você queira também receber o mesmo tratamento jurídico a ele dispensado.

Pimenta na rosca de Natal dos outros é refresco, pois não? Fico imaginando como ele, solto, poderia curtir este momento tão aguardado pelas famílias brasileiras. Nos últimos dias, mais uma vez se rasgou a Constituição para mantê-lo atrás das grades, não importando se o sistema jurídico nacional fosse se enlamear ainda mais. Nas ruas, em vez de “Feliz 2019”, deseja-se “Que você escape em 1964”. Tempos difíceis, duros, retrógrados. Sigamos.

Feliz Natal, Lula, abraços.

Senador eleito pelo cearense dispensará apartamento funcional, carro oficial e metade dos assessores

1100 11

O senador eleito Eduardo Girão (Pros) decidiu: dos 51 assessores que tem direito, vai contar com apenas 24. Também decidiu que não  usará o carro oficial. E mais: dispensará apartamento funcional. Tudo isso já está oficializado pelo parlamentar, em requerimentos encaminhados à Casa.

Bem, para quem investiu R$ 6 milhões quando presidiu o time do Fortaleza, isso tudo não fará falta. Mas não deixa de ser bom sinal e coerência com o que Girão apregoou em sua campanha. Ele é contra mordomias bancadas com o dinheiro público.

(Foto – Mateus Dantas)

PSDB está dividido no quesito expulsão de Aécio Neves

Os tucanos se dividiram diante do pedido do deputado federal Wherles Rocha (AC) para que o PSDB expulse o senador e deputado federal eleito Aécio Neves (MG). O tucano foi alvo de ação policial novamente na última semana. A ala favorável à punição argumenta que o partido deve resposta rápida aos eleitores.

Segundo informa a Folha de S.paulo, aliados do presidente da sigla, Geraldo Alckmin (SP), dizem que não há motivo para afobação.

Lembram que Aécio ainda está se defendendo na Justiça e preveem que as pressões diminuirão com as festas de fim de ano e o recesso parlamentar.

Sergio Cabral decide fazer delação premiada e advogado deixa o caso

O advogado Rodrigo Roca não faz mais parte da defesa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. Roca confirmou o afastamento neste domingo (23/12), após decisão de Cabral de fazer acordo de colaboração premiada. O anúncio do acordo com a força-tarefa da operação “lava jato” foi feito pelo jornal O Globo.

Roca fazia a defesa de Cabral desde novembro de 2017, quando o ex-governador foi preso acusado de chefiar um esquema de corrupção que desviou mais de R$ 210 milhões dos cofres públicos. Em entrevista à ConJur, em setembro, ele já havia dito que se o ex-governador fizesse o acordo, ele sairia do caso.

Na época, Roca contou que Cabral não considerava fazer o acordo de delação premiada. O advogado ainda criticou a banalização do instrumento na “lava jato” e atacou o papel da imprensa no caso.

O último depoimento de Cabral ao juiz federal Marcelo Bretas, responsável pelos julgamentos em primeira instância da “lava jato” no Rio, no dia 14 de dezembro, já indicavam uma mudança na defesa. Ao contrário do que vinha fazendo, Cabral optou por permanecer em silêncio.

Nova procuração

Segundo o jornal O Globo, a defesa de Cabral agora é feita pelo advogado João Bernardo Kappen, que teria recebido uma procuração para organizar a colaboração premiada com o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro e com a Procuradoria-Geral da República. As conversas com os responsáveis pela operação “lava jato” no Rio já teriam iniciado.

Procurada, a assessoria de imprensa do MPF no Rio não confirmou se uma negociação de delação premiada estaria em curso.

Condenado no total a 198 anos e seis meses de prisão, Cabral nega o recebimento de propina e o favorecimento de empreiteiras para a realização de obras públicas. Ele tem admitido contudo, o recebimento de caixa dois.

(Com Consultor Jurídico/Foto – Reprodução de Youtube)

Bolsonaro usa redes sociais para transmitir mensagem de Natal aos brasileiros

O presidente eleito Jair Bolsonaro transmitiu hoje (24), logo cedo, sua mensagem de Natal. Em sua conta no Twitter, ele ressaltou que conduzido pela humildade, vai trabalhar para “restaurar o sentimento familiar há muito tempo desgastado” na sociedade. Segundo Bolsonaro, no Natal todos têm o mesm sentimento: da simplicidade e humildade.

“Com humildade, aceitando quem tem no coração a vontade de construir um Brasil melhor, buscaremos nos próximos anos restaurar o sentimento familiar há muito desgastado em nossa sociedade, bem como a paz dentro de nossos lares. Tenhamos todos um Feliz Natal”, afirmou.

Para o presidente eleito, o sentimento que deve guiar a todos no Natal é único. “É chegado mais um Natal, momento especial onde relembramos com nossas sagradas famílias o nascimento de Cristo. É com este sentimento, inspirado na família simples que recebeu em um humilde presépio a encarnação do próprio Deus, que contemplamos a chegada de um novo Brasil.”

Desde sábado (22), Bolsonaro está na Ilha de Marambaia, no litoral sul fluminense. Bolsonaro passará o Natal com sua família na Base da Marinha.

A ilha, que abriga um centro de treinamento da Marinha, fica no extremo oeste da Restinga de Marambaia, uma imensa faixa de terra na Baía de Sepetiba, que se estende pelos municípios do Rio de Janeiro, Itaguaí e Mangaratiba.

O local é refúgio de presidentes da República. No carnaval deste ano, recebeu o presidente Michel Temer e família.

Bolsonaro deve ficar na ilha até o próximo dia 27. Depois, volta para sua casa na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, onde fica até o dia 29, quando segue para Brasília.

(Agência Brasil)

João de Deus – Investigações sobre o médium não param no feriado

A força-tarefa do Ministério Público (MP) de Goiás, que investiga as denúncias de crimes sexuais envolvendo o médium João Teixeira de Farias, o João de Deus, de 76 anos, não vai parar neste feriado de Natal nem de Ano Novo. O grupo recebeu 596 relatos de mulheres que se dizem vítimas, das quais 75 já foram ouvidas em Goiás e em outros estados.

Das 255 pessoas identificadas, 23 tinham entre 9 e 14 anos na ocasião dos fatos, 28 entre 15 e 18 anos, e 70 com idade de 19 a 67 anos, segundo os promotores que atuam na força tarefa. Eles citam pelo menos três casos, cujos crimes envolvem estupro, violência sexual mediante fraude e estupro de vulnerável.

Para os promotores, o médium se valia da fé dos freqüentadores, do respeito que tinham por ele e da fragilidade das pessoas, muitas vezes, com graves doenças, para tirar proveito da situação.

João de Deus está preso preventivamente desde o dia 16, no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia, a 18 quilômetros da capital. A defesa já recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF), na tentativa de reverter a detenção para prisão domiciliar com tornozeleira.

Interdição

A Superintendência de Saúde em Vigilância de Goiás (Suvisa) fechou o laboratório que funcionava na farmácia da Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia. Segundo os técnicos, no local eram fabricados medicamentos em escala industrial, sem autorização.

De acordo com informações da força-tarefa, a interdição também menciona questões de manipulação contrárias às normas sanitárias e más condições de acondicionamento de instrumento cirúrgico. Houve autuação administrativa, cujo teor será analisado pelos promotores para as devidas responsabilizações.

A imprensa de Goiás informa sobre a existência de nove inquéritos já instaurados contra João de Deus, dos 16 casos denunciados à Polícia Civil até momento. Em um deles, já concluído, o médium foi indiciado por violação sexual mediante fraude.

O delegado-geral que acompanha o caso, André Fernandes, destacou que um grupo trabalha especificamente para analisar as armas localizadas em uma das residências do médium. Também há avaliação das pedras preciosas e do dinheiro encontrado, inclusive em moeda estrangeira.

(Agência Brasil)

Pesquisa aponta que 65% dos brasileiros acham que a economia vai melhorar em 2019

Uma pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada nesse domingo (23), apontou que 65% dos brasileiros acham que a economia do país irá melhorar em 2019. Em agosto deste ano, a porcentagem de otimistas era de apenas 23%.

De acordo com o levantamento, o início do governo Jair Bolsonaro (PSL) é o principal motivante da confiança dos entrevistados. Este é o mais alto indíce de uma série histórica que começa em 1997, no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Já 67% dos entrevistados acreditam que estarão em melhor situação econômica pessoal à frente. No levantamento anterior eram 38%.

O Datafolha ouviu 2.077 pessoas em 130 municípios brasileiros. As entrevistas foram realizadas entre os dias 18 e 19 deste mês.

(Foto – Agência Brasil)