Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Dilma diz na ONU que Brasil não tem problemas estruturais na economia

93 1

“A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (28) que o Brasil não tem problemas estruturais na economia e está em um momento de transição para um novo ciclo de expansão mais sólido e profundo. Ao discursar na Assembleia Geral das Nações Unidas, Dilma disse que o país passa por dificuldades conjunturais na economia, que estão sendo enfrentadas com ações de reequilíbrio fiscal e financeiro.

A presidenta destacou que o governo propôs “cortes drásticos de despesas” e redefiniu receitas para garantir a retomada do crescimento com distribuição de renda.

Segundo ela, nos últimos anos o governo brasileiro evitou que a crise mundial, iniciada em 2008, atingisse a economia local com a adoção de medidas de redução de imposto, ampliação de crédito e reforço de investimento.

“Nesse período, aumentamos emprego e renda. Esse esforço chegou agora no limite, tanto por razões fiscais internas como por aquelas relacionadas ao quadro externo. A lenta recuperação da economia mundial e o fim do superciclo de commodities incidiram negativamente sobre nosso crescimento”, disse a presidenta.

Dima citou ainda a desvalorização cambial e as pressões recessivas, que produziram inflação e forte queda da arrecadação, levando a recessões nas contas públicas. “O Brasil, no entanto, não tem problemas estruturais graves. Nossos problemas são conjunturais e diante dessa situação estamos reequilibrando nosso orçamento e assumindo uma forte redução das nossas despesas, do gasto de custeio e até de parte do investimento”, disse.

A presidenta disse que as medidas de ajuste fiscal do governo visam reduzir a inflação, consolidar a estabilidade macroeconômcia, aumentar a confiança e garantir a retomada do crescimento com distribuição de renda.

Segundo ela, a economia brasileira está hoje mais forte e sólida do que há alguns anos. “Estamos num momento de transição para um novo ciclo de expansão mais profundo, mais sólido e mais duradouro”.

(Agência Brasil)

Educação não é assunto de mercado

Com o título “Em defesa da educação pública”, eis artigo da professora Juraci Maia, da UFC. Ela crítica agências de informação que tentam “tirar a legitimidade do nosso movimento grevista, justamente quando são anunciados cortes milionários de recursos para o setor público do Brasil”. Confira:

O ataque ao movimento grevista que paralisa há vários meses um número considerável de universidades federais é feito de modo a descaracterizar a importância de suas bandeiras de luta, justificadas por uma realidade cotidiana de dificuldades, que pressionam professores, corpo funcional e estudantil a gritar por melhorias efetivas.

É lamentável o coro de alguns setores e agências de informação com o intuito de tirar a legitimidade do nosso movimento grevista, justamente quando são anunciados cortes milionários de recursos para o setor público no Brasil, os quais atingem em cheio as nossas universidades, prova de que não há propósito do governo atual em investir neste setor ou responder às nossas demandas.

Referimo-nos a um tipo de ação que intenta desinformar e induzir ideias e conceitos nocivos ao setor público nacional, recomendando a sua substituição pelo setor privado, como se educação fosse assunto do mercado e devesse ser regulada por forças e interesses de investimento privado.

A imagem forjada se faz no sentido de uma demonização do nosso movimento, certamente, com o intuito de colocar a sociedade contra as nossas reivindicações e bandeiras de luta. Sobre essa ação danosa ao nosso futuro, como instituição responsável pela construção da ciência e educação nacional, devemos nos colocar, 

claramente, esclarecendo melhor acerca daquilo que nos move e anima nesta luta.

A demanda por ensino superior tem crescido nas últimas décadas, em face do alargamento quantitativo do acesso ao ensino fundamental e médio. A oferta de unidades, vagas e de cursos, no âmbito da rede de universidades públicas tem sido maior, o que requer, por exemplo, a abertura de novas vagas para docentes, em face do número cada vez maior de alunos e de uma demanda em alta por ensino superior de qualidade no País.

Este fenômeno tem criado a necessidade de um maior investimento federal no setor educacional público e explica a eclosão de greves nas universidades federais brasileiras, que agora estão sendo alvo de ataques por parte de um segmento da imprensa, articulada com interesses internacionais, que defende, claramente, a privatização do nosso ensino superior. O modelo a ser copiado está sendo importado da Inglaterra e dos Estados Unidos da América, onde há um predomínio de universidades privadas. Será isto o que quer a sociedade brasileira, a elitização do acesso ao ensino superior?

Juraci Maia

juracimaiacavalcante@gmail.com
Professora da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Agências do INSS devem reabrir só na quarta-feira

“Apesar do anúncio do fim da greve dos servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a assinatura de acordo entre governo e entidades sindicais foi agendada para as 17 horas desta terça-feira. Com isso, as agências só devem reabrir no dia seguinte, quarta-feira. A informação foi divulgada pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) e confirmada pelo Ministério do Planejamento.

Pela proposta do governo, os servidores vão receber aumento salarial de 5,5% em 2016 e de 5% em 2017, bem abaixo do pleiteado, que era 27%. Eles pediam ainda a incorporação de gratificações, 30 horas de trabalho semanal, realização de concurso público e melhoria das condições de trabalho.

Já o atendimento na área de perícias médicas deve continuar restrito. A categoria, em greve há mais de 20 dias, garante que a paralisação tem 85% de adesão em todo o país. O diretor da Associação Nacional dos Médicos Peritos, Luiz Argolo, informou que a expectativa é que as negociações possam começar nos próximos dias.

Em nota divulgada na última sexta-feira (25), o INSS informou que, com a apresentação das propostas do governo às reivindicações dos servidores e com a previsão da assinatura de acordo entre as entidades sindicais e o Executivo, o órgão espera que o atendimento à população seja normalizado nos próximos dias. Para evitar mais transtornos e deslocamentos desnecessários aos segurados, o instituto orienta que, antes de procurar uma agência, o cidadão entre em contato com a Central 135 para obter informações referentes à situação do atendimento e aos serviços disponíveis.”

(Agência Brasil)

Ciro não é contra possível ida de André Figueiredo para o ministério de Dilma Rousseff

96 2

unnamed

“É mais fácil o boi voar!”, disse o ex-ministro Ciro Gomes, ao ser indagado se poderia ser candidato a  vice do ex-presidente Lula nas eleições de 2018.

“O Lula não é semideus nem o bandido que querem transformar”, observou Ciro, em entrevista ao programa “O POVo no Rádio”, da Rádio O POVO CBN, nesta segunda-feira, ao ser indagado sobre possível dobradinha dele com o PT.

Indagado se uma possível indicação do líder do PDT na Câmara, André Figueiredo, atrapalharia suas pretensões políticas, disse que o partido ficará à v ontade para resolver. Ciro observou que a presidente Dilma Rousseff apelou para que o PDT continue dando apoio, no que ele defendeu: apoiar o que for bom para o País e não respaldar o que for de encontro à população e ao ideário pedetista.

(Foto – Paulo MOska)

Ciro admite até não disputar em 2018 por causa de tanto “desmantelo”

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=WGKAzZqDWgc[/youtube]

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), em entrevista ao programa “O POVO no Rádio”, nesta manhã de segunda-feira, voltou a bater duro no presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ). Ele disse que fala sobre Cunha porque alguém precisa falar desse “bandido”. Citou uma série de escândalos envolvendo o presidente da Câmara.

Ciro chegou a lamentar que figuras da política como Tarso Genro, ex-governador do Rio Grande do Sul, e o senador Eunício Oliveira (PMDB) não falem nada sobre Eduardo Cunha.

Indagado sobre eleições presidenciais 2018, Ciro Gomes admitiu que, neste momento, não teria mais vontade de disputar, em razão de um cenário onde o governo concedeu muito espaço para “essa gente”.

O desmantelo está tão grande e tão grave que vai ser difícil para o sucessor de Dilma Roussef governar, prevê o ex-ministro.

Ciro também se posicionou contra impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas entendeu que isso é consequência desse cenário de maus políticos detento espaços.

Ciro dá entrevista à Rádio O POVO/CBN e diz estar no PDT para garantir coerência política

59 1

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=x4JVFxt1XhE[/youtube]

O ex-ministro Ciro Gomes (PT) está dando entrevista ao jornalista Luiz Viana, que estreia, nesta manhã de segunda-feira, à frente do programa “O POVO no Rádio”, da Rádio O POVO/CBN.

Ciro, que se filiou ao PDT, disse que vai comparecer, nesta noite de segunda-feira, no Hotel Praia Centro, à festa de filiação do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros), e outros prefeitos.

Ele informou estar no sexto partido para garantir sua coerência política.

Eliminatórias 2018 – Técnico Dunga vem inspecionar o Castelão

dunga

Dunga, técnico da Seleção Brasileira, cumprirá agenda em Fortaleza, nesta terça-feira. Ele vem visitar e inspecionar o Estádio Castelão, onde a Seleção Brasileira fará sua estreia nas Eliminatórias da Copa 2018 jogando contra a Venezuela, no dia 13 de outubro.

Ciceroneado pelo governador Camilo Santana (PT), Dunga também aproveitará para conhecer o Centro de Eventos, de acordo com informações da assessoria de imprensa do Palácio da Abolição.

Não se sabe se ele ficará para assistir ao jogo do Ceará contra o Luverdense, válido pelo Campeonato Brasileiro – Série B.

E aí, que tal a superlua?

luauauaa

‘Observar a lua mais de perto e, na mesma noite, vê-la sumir momentaneamente. Este é o fenômeno que os brasileiros puderam presenciar hoje (27) à noite, durante a eclipse lunar total não apenas da lua, mas de uma superlua. O satélite natural do planeta em que habitamos estará mais próximo de nós durante toda a noite, fazendo com que tenha um tamanho maior.

Durante  boa parte desse período, foi possível perceber a sombra da Terra impedindo a iluminação da lua.

Coincidência que só ocorre uma vez a cada 30 anos, a superlua e o eclipse lunar total foram vistos no céu de alguns países nesta noite. O eclipse pôde ser apreciado no Brasil porque a lua entrou na sombra da Terra quando já era noite no país.’

(Agência Brasil)

Mês de agosto tem perdas de 86,5 mil postos de trabalho

“Números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgados hoje (25) no Rio de Janeiro, mostram que pelo quinto mês consecutivo, houve queda no nível de emprego formal celetista no país. No mês de agosto, observou-se redução de 86.543 postos de trabalho, ou o correspondente a uma variação negativa de 0,21%, em comparação ao estoque anterior.

A coordenadora geral substituta de Estatística do ministério, Maria das Graças Parente, destacou, porém, que o indicativo foi de desaceleração do ritmo de queda do emprego ante julho, quando foram perdidas 157 mil vagas. No acumulado do ano, foram desativados 572.792 postos de trabalho, o que equivale a -1,39%, enquanto nos últimos 12 meses, foram perdidos 985.669 postos, ou -2,37%. Considerando a série histórica iniciada em 1992, esse foi o pior resultado para o mês desde 1995, indicou a coordenadora.

A análise setorial registra que apenas dois dos oito setores da atividade econômica acompanhados pelo Caged elevaram o nível de emprego: serviços e administração pública, após quatro meses consecutivos de queda, o que evidencia uma reação em relação aos meses anteriores, apontou Maria das Graças. O setor de serviços criou 4.965 postos (+0,03%) e administração pública gerou 730 vagas (+0,08%). No setor de serviços, o destaque foi o incremento do emprego no ensino (+ 17.165 vagas) e em serviços médicos e odontológicos (+ 5.162 postos).

A maior perda de postos de trabalho foi identificada na indústria de transformação (-47.944 postos ou -0,60%). Dos 12 ramos de atividade que compõem o setor, 11 reduziram o nível de emprego. A exceção foi a indústria de produtos alimentícios (+7.649 postos). Já a agricultura teve queda de 4.448 postos (-0,27%) em relação ao estoque, embora essa seja a menor queda desde 2005 para o setor, no mês de agosto.”

(Agência Brasil)

Enem 2015 com mudança no horário de provas

“Os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que terá provas em 24 e 25 de outubro próximo, devem ficar atentos às mudanças na edição deste ano. Entre elas, a do novo horário de início das provas. Os portões de acesso às salas serão abertos ao meio-dia e fechados às 13 horas, sempre no horário de Brasília. As provas serão entregues aos candidatos às 13h30min.

Os candidatos devem verificar as diferenças resultantes do horário de verão, que então estará em vigor. Ou seja, dos horários locais em relação ao da capital federal.

De acordo com o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Chico Soares, as alterações são uma questão de segurança.

“Com todos os alunos na sala, os detectores de metal podem ser passados de acordo com a conveniência dos fiscais”, disse. “E, principalmente, os malotes com as provas serão abertos apenas com os estudantes dentro das salas, com o testemunho de alunos e de fiscais; é uma mudança pequena, mas importante.”

Isenção de inscrição

Outra decisão importante refere-se aos participantes isentos da taxa de inscrição. Aqueles que não comparecerem nos dois dias de provas deste ano não terão como usufruir o direito à isenção no exame de 2016. O objetivo da mudança no critério é diminuir o índice de abstenções e evitar desperdício de recursos públicos.

Além disso, este ano, o cartão de confirmação do Enem terá formato digital. Com isso, os participantes devem buscar o acesso ao sistema de inscrição do exame pela internet — nas edições anteriores, o comprovante era enviado pelos Correios.

Provas

Os participantes farão quatro provas objetivas, cada uma com 45 questões de múltipla escolha e uma prova de redação. No sábado, 24 de outubro, serão realizadas as provas de ciências humanas e suas tecnologias e de ciências da natureza e suas tecnologias, com duração de 4 horas e 30 minutos, contadas a partir da autorização do aplicador. No domingo (25), será a vez de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e matemática e suas tecnologias, com duração de 5 horas e 30 minutos.

O Enem é um mecanismo de democratização do acesso às políticas públicas de educação. Com a nota obtida no Enem, o estudante pode tentar uma vaga na educação superior por meio do Programa Universidade para Todos (ProUni), que permite a estudantes de baixa renda obter bolsas de estudos integrais e parciais (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior.

O resultado também é requisito para a obtenção do benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), participação no programa Ciência sem Fronteiras e ingresso em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Estudantes maiores de 18 anos podem também obter a certificação do ensino médio por meio do Enem.”

(Site do MEC)

FGTS dos trabalhadores domésticos passa a ser obrigatório a partir de outubro

“O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) passa a ser obrigatório a partir de 1º de outubro a todos os trabalhadores domésticos. O direito aos domésticos foi regulamentado pela LC 150, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff em 02 de junho desse ano, e deu prazo até 120 para que todos os órgãos façam a regulamentação. O Conselho Curador do FGTS publicou nesta sexta-feira (25) a resolução Nº 780, que define a obrigatoriedade do recolhimento do FGTS e determina que a Caixa defina os procedimentos operacionais.

“Cabe ao empregador fazer o pedido de inclusão do empregado doméstico, sob sua responsabilidade. A solicitação deve ser feita mediante um requerimento com informações dos eventos que envolvem a atividade profissional. A LC Nº 150/2015 regulamentou o direito dos trabalhadores domésticos e o Conselho Curador definiu a data em que o recolhimento passa a ser obrigatório. Isso significa que, a partir de novembro, devem ser depositados os valores referentes a outubro”, explica o coordenador-geral do FGTS, Quenio Cerqueira de França.

França explica também que a definição dos procedimentos operacionais será feita pela Caixa Econômica Federal (CEF), agente operador do Fundo. “A Caixa Econômica Federal, de acordo com a resolução nº 780, vai estabelecer como serão realizados os depósitos, os saques, a devolução de valores, extratos e etc. Cabe ao Agente Operador do FGTS definir como viabilizar essas questões”, explica.

A contribuição dos patrões para a Previdência caiu de 12% para 8%. Para o FGTS, a alíquota será de 8%, com o recolhimento de um percentual mensal de 3,2%, como antecipação da multa dos 40% devida nas demissões sem justa causa.

A Lei veda o trabalho doméstico a menores de 18 anos e define o empregado doméstico como aquele que presta serviços de forma contínua, subordinada, onerosa e pessoal e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial destas, por mais de dois dias por semana. Determina ainda que a duração normal do trabalho doméstico não excederá oito horas diárias, 44 semanais e a remuneração da hora extra será, no mínimo, 50% superior ao valor da hora normal.”

(Site do MTE)

Greve do INSS chega ao fim no Ceará

“Após 81 dias de greve, os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Ceará decidiram encerrar a paralisaçãoapós assembleia realizada na tarde desta sexta-feira, 25. A categoria acatou a proposta de aumento do Governo Federal: reajuste de 5,5% em agosto de 2016 e 5% em janeiro de 2017. O Ceará acompanhou a decisão de outros estados, que também encerraram a greve nesta sexta-feira.

atendimento ao público será retomado na próxima terça-feira, 29. Os servidores realizarão, na segunda-feira, 28, serviços internos, para atualização da senha dos servidores e organização de atendimento, conforme a diretora do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social no Ceará (Sinprece), Carmem Marques.
Apesar de aceitos pelos servidores, a diretora criticou os percentuais propostos pelo governo. “A gente tinha 27% de perda de 2012 pra cá e foram dados 10,8% em dois anos. Não foi ganho financeiro. Houve uma pequena correção da inflação”, avaliou Carmem.

“Acabamos aceitando porque foram 81 dias de greve com incertezas, ameaças, e a gente precisou avaliar e ter responsabilidade”, disse a diretora.

Reivindicação
A categoria cobrava, inicialmente, reajuste salarial de 27,5% imediato, enquanto o Governo Federal oferecia acréscimo de 21% parcelado em quatro anos.
“E, decrescente, o reajuste começava com 5,5% em 2016 e terminava com 4% em 2019. A gente ia ficar quatro anos preso, sem questionar salário. Então o Governo aceitou reduzir para dois anos”, informou a diretora.

Além disso, os servidores exigiam que as gratificações integrassem o salário. “Hoje, 70% do salário dos servidores são de gratificações vinculadas à metas e produtividade. Com a greve, ficou acertado que será criado um comitê gestor para estudar o plano de carreira, a longo prazo, pelos próximos anos”, acrescentou.

No Brasil, 16 estados brasileiros aderiram à greve, entre eles São Paulo, Maranhão e Bahia. Na época em foi deflagrada a greve, o INSS informou que estava oferecendo remarcação de atendimento aos prejudicados.”

(O POVO Online)

Hemoce renova parceria com Evangelizar é Preciso

manzottti

O Hemoce renovou parceria com a organização do “Evangelizar é Preciso”, evento da Igreja Católica que ocorrerá no próximo dia 17, no aterro da Praia de Iracema. O órgão estadual vai instalar no local uma unidade móvel para coletar sangue e cadastrar quem quer doar órgãos e tecidos.

A principal atração desse evento é o padre Reginaldo Manzotti, que vestiu literalmente esse projeto que une o orar ao agir.

(Foito – Divulgação)

CRC do Ceará pede ao Superintendente da Receita Federal adiamento de prazo para envio do ECF

O Conselho Regional de Contabilidade solicitou, nesta quarta feira, à Superintendência da Receita Federal – 3ª Região Fiscal, o adiamento do prazo para o envio do SPED ECF – documento do ente jurídico de declaração de renda, por 60 dias. O ofício, assinado pela presidente do CRCCE, Clara Germana Rocha, e pelo coordenador da Comissão do SPED, Fellipe Guerra, foi dirigido ao superintendente regional da Receita, João Batista da Silva Filho.

O pedido foi protocolado uma semana antes da data limite, dia 30 próximo, com a justificativa de que “profissionais e empresas de contabilidade terão mais tempo para proceder às adaptações que as circunstância estão a exigir, evitando prejuízos de toda ordem ao Estado, ao mercado e à sociedade”.

O CRCCE, no pleito, apresenta quatro argumentos baseados nas reclamações dos contadores, recebidas pelo CRCCE. São elas: 1. Inúmeras versões disponibilizadas pela Receita Federal do Brasil (mais de 15) e as diversas dúvidas que cada nova versão suscita entre os profissionais da contabilidade; 2. Mudanças de última hora têm dificultado o planejamento e a adaptação das empresas de contabilidade, incluindo o treinamento de seu pessoal e adaptação de equipamentos de TI; 3. Complexidade das mudanças e os desencontros nas informações têm dificultado a adequação das soluções por parte das empresas desenvolvedoras de softwares, somados à incompatibilidade com versões do JAVA; e 4. Insegurança jurídica para os contribuintes é enorme, dada possibilidade de geração de passivos tributários ocultos.

Na última sexta-feira, o presidente do SESCON do Rio de Janeiro, Lúcio Fernandes, defendeu a ampliação do prazo. “O primeiro prazo era 30 de junho, mas não tinha sistema estável. Passou para 30 de setembro, mas a instabilidade prossegue”, alerta Fernandes, para que “as chances de erros são enormes”. Para a presidente do CRCCE, “este é um problema que é de todos nós, e que não fomos nós, contadores, que criamos. Não é justo que venhamos a pagar por isso”.

Domingos Neto propõe implantação de cassinos em áreas desertificadas

deputado-federal-domingos-neto-01-20111209-size-598

O líder do Pros na Câmara dos Deputados, Domingos Neto, apresentou um projeto de lei propondo a implantação e exploração de jogos de azar em cassinos em municípios que integrarem Núcleo de Desertificação, definidos por critérios da Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca. Para ele, seria uma alternativa de desenvolvimento socioeconômico por meio de apelo turístico diferenciado. De acordo com o Projeto 3006/2015, a autorização será de cinco anos, renovável por mais cinco, dentro de critérios estabelecidos na lei.

Em defesa do projeto, Domingos Neto argumenta que municípios localizados em Núcleo de Desertificação merecem atenção especial e tratamento jurídico diferenciado. “Os cassinos podem ser um nicho de turismo diferenciado, atraindo pessoas de outros países bem como brasileiros que viajam com frequência para lugares onde há exploração de jogos”, argumenta o parlamentar.

Neto afirma não desconhecer a polêmica que a iniciativa irá provocar, sobretudo por motivação religiosa, travestida de ética ou moralidade. “Os jogos já existem no Brasil, desde o secular jogo do bicho, contravenção desde 1941, que muitos praticam, às apostas oficias das loterias exploradas pelo Governo”, afirma Domingos Neto.

Dentre os critérios estabelecidos no projeto para a exploração da atividade está a integração do empreendimento às condições ambientais da área escolhida para sua implantação; habilitação jurídica do interessado na atividade exigindo-se sua constituição sob as leis brasileiras, com sede e administração no País; capacidade econômica e financeira da solicitante; compromisso formal da solicitante para utilização de mão de obra local, em percentual mínimo de 60% de seu quadro de pessoal, bem como para a criação e manutenção de programas de formação e treinamento para aproveitamento dos profissionais locais nos serviços objeto da autorização e promoção de cursos e treinamentos para sua mão de obra sobre sustentabilidade ambiental e combate à desertificação.

Além dos critérios de habilitação para exploração da atividade, o projeto de Lei prevê também vedações aos dirigentes e aos funcionários dos cassinos tais como: ter a remuneração, ou qualquer parcela dela, calculada sobre o movimento das apostas; fazer empréstimos ou financiamentos aos frequentadores dos locais onde se explore a atividade, sob qualquer forma, seja em moeda nacional ou estrangeira, ou valores convencionais que as representem. A infração a estas regras acarreta penalidades que alcançam até o cancelamento da autorização e/ou declaração de inidoneidade para a exploração da atividade.

Vem aí Feirão Limpa Nome Online para empresas

Começa na próxima segunda-feira o Feirão Limpa Nome Online do Sistema Serasa Experian e que é voltado para as empresas. A renegociação de débitos vai até o dia 5 de outubro. Os empresários que estão em situação de inadimplência – cerca de 50% das empresas operacionais, segundo estudo da Serasa Experian, terão a chance de renegociar dívidas em atraso pela internet.

O serviço gratuito conta com a participação de credores de vários segmentos, dispostos a oferecer condições especiais, como prazos e descontos, para que as empresas negativadas regularizem as finanças.

“Trata-se de uma boa oportunidade de reabilitação do crédito, com o objetivo de os empresários retomarem o fôlego para atravessar a crise sem tantos sobressaltos, evitando, por exemplo, a cobrança de juros por atraso nos pagamentos”, destaca o gerente-executivo de produtos para empresas da Serasa Experian, Rodrigo Sanchez.

Prefeito de Pacajus afirma: Apesar da crise, fábrica da Ypê está garantida

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=b2rdZeApz9M[/youtube]

O prefeito de Pacajus, Marcos Paixão (PT), já retornou de Brasília, após peregrinar em buscar de recursos ministeriais e, também, emendas parlamentares para uma série de projeto. Ele reclama da queda do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Marcos Paixão aproveitou para informar que, apesar da crise econômica, grandes investimentos programados para Pacajus, como uma fábrica da Ypê, estão mantidos.

Ele observa, no entanto, que, por causa das oscilações do mercado, o ritmo de implantação de empreendimentos também sofre impactos do momento.

O mala político que até constrange quem não comunga com suas teses

82 7

Com o título “O mala político”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele analisa as várias figuras de “mala” da política brasileira, que agora invadem as redes sociais e procuram causar constrangimentos em quem não comunga com suas teses. Confira:

Trata-se de uma categoria recente, nascida aqui mesmo no Brasil. O mala político está, infelizmente, graças às redes sociais, ocupando espaços públicos – reais e virtuais – generosos ultimamente. A rigor, ele não mereceria o gasto dos meus dedos com o teclado, não fosse a cena absurda vivida pelo líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST), João Pedro Stédile, e pela professora de História da Universidade Federal do Ceará (UFC), Adelaide Gonçalves, na noite de 22 de setembro, agredidos no aeroporto de Fortaleza aos gritos de “MST vai pra Cuba com o PT” por uma turba de poucas pessoas, devidamente organizada.

Como cidadão de Fortaleza, envergonha-me tal episódio. Stédile veio participar de debate no 11º Congresso do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (SINTSEF/CE), em Beberibe. Ele merece desculpas públicas, assim como os cubanos do programa Mais Médicos, igualmente retaliados por outra turma de bem-nascidos. Nós, cearenses, em sua maioria, somos acolhedores e afetuosos. Até com quem detesta nordestinos, diga-se de passagem.

Os organizadores do ato de malismo explícito estavam convictos de que este tipo de atitude estaria resguardando o povo brasileiro do comunismo. Eis aí a primeira característica do mala político: a ignorância. Acreditar que o governo Dilma é comunista nesta altura do campeonato é o mesmo que achar que o Ferroviário disputará a Champions League. Aliás, será que eles leram algo sobre a visita do Papa Francisco a Fidel Castro?

O mala político tem outra marca evidente: é um chato. Pura e simplesmente. Não à toa o tal ato foi no aeroporto. Mais adequado só se fosse perto das esteiras de bagagem. O mala autêntico não fez “curso de noção”. Acha que qualquer hora e local são perfeitos para disparar impropérios. Age como um fundamentalista sem fundamento e um radical sem raiz. Reproduz jargões que não são seus, preservando inclusive erros de português, pois não possui a menor segurança acerca do que diz.

O mala político é um fascista. Não consegue conviver com a diferença ideológica. Como é analfabeto político, não consegue dissociar visões de mundo neste âmbito de outras esferas, como a cultural, a familiar, a religiosa e laboral. Ou seja, não respeita quem não pensa como ele. O combustível de suas ações é o ódio. Seu principal argumento é a violência. O mala não compreende o que é estado de direito coletivo porque seu universo não vai além da propriedade privada. O mala político é, em essência, um egoísta que jamais se reconhecerá no outro. Um ser despreparado para convivência pública, armado até os dentes com mesquinharia e má educação.

*Demétrio Andrade
Jornalista e sociólogo.

Frei Tito será lembrado durante evento em Fortaleza

unnamed (3)

 

Por iniciativa da deputada federal Luizianne Lins (PT), a Comissão de Direitos Humanos da Câmara promoverá segunda-feira, às 19 horas, no Theatro José de Alencar, sessão solene para lembrar Frei Tito. Se vivo fosse, ele, que foi vítima da ditadura militar, completaria 70 anos.

Na ocasião, haverá a apresentação da peça “Frei Tito – Vida, paixão e morte”, com o Grupo Formosura. O texto é do ator e diretor Ricardo Guilherme. O apoio é da Coordenadoria Estadual de Direitos Humanos do Governo do Estado e Instituto Frei Tito de Alencar.

Petrobras reajustará em 11% o preço do gás para consumo industrial

“A Petrobras vai aumentar em 11% o preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) para consumo industrial, comercial e granel nas refinarias em todo o Brasil, a partir desta sexta-feira. “A companhia estima que o impacto desse reajuste no preço de venda ao consumidor final, que varia de acordo com a sua destinação, seja da ordem de 5%”, acrescentou a estatal em nota.

Segundo a empresa, o reajuste não abrange o GLP destinado ao uso residencial, conhecido como gás de cozinha, que já havia sido reajustado em 15% em 1º de setembro. A estatal não subia o preço do chamado botijão desde 2002.

O último aumento do gás para uso industrial aconteceu em dezembro do ano passado, quando a Petrobras subiu os preços em 15%, segundo o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás). Como o reajuste de preços é nas refinarias, a alta aos consumidores pode ser diferenciada, dependendo de fatores de mercado, custos, logística e distribuição, explicou o sindicato.

O Brasil consome, atualmente, cerca de 7,4 milhões de toneladas de GLP por ano. Desse montante, aproximadamente 25% são importados e o restante é produzido no Brasil. O consumo industrial é responsável por 29% da demanda.

(Veja Online)