Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Geraldo Alckmin e o bom humor dos bancos

Mudou da água para o vinho o humor dos bancos em relação à sucessão — e mais precisamente à candidatura do tucano Geraldo Alckmin. É o que avalia o jornalista Lauro Jardim, do O Globo.

O alívio, diz ele, é patente em todas as conversas sobre sucessão. É uma turma que tem a volatilidade no sangue. Para mudar de novo, não custa muito.

(Foto – Pedro Ladeira, da Folhapress)

Fortaleza será sede do IV Congresso Internacional de Controle e Políticas Públicas

Fortaleza vai ser sede do IV Congresso Internacional de Controle e Políticas Públicas, uma iniciativa do Instituto Rui Barbosa (IRB) em parceria com o Tribunal de Contas do Estado. O evento ocorrerá no período de 17 a 19 de outubro, no Centro de Eventos e reunirá palestrantes nacionais e internacionais, pesquisas científicas, oficinas e cursos voltados à produção, difusão de conhecimento e intercâmbio entre gestores e servidores públicos, integrantes de Cortes de Contas, especialistas em governança e políticas públicas, professores e estudantes.

O objetivo do evento é contribuir com a melhoria contínua da gestão pública por meio da apresentação de estudos sobre a qualidade das políticas públicas. Além disso, propicia um networking intenso entre profissionais da área para multiplicação e intercâmbio. Uma oportunidade de capacitação e troca de conhecimento entre experiências nacionais e internacionais.

Em três dias de programação, estão previstos:

* Painéis nas áreas de saúde, educação, contabilidade, segurança, licitações e controle;
* Apresentação de pesquisas científicas;
* Reuniões técnicas dos Comitês e Comissões do IRB; e
* Evento paralelo: IX Educontas (Encontro Técnico de Educação Profissional dos Tribunais de Contas).

Os trabalhos apresentados durante o Congresso seguirão as seguintes linhas de pesquisa: Políticas Públicas de Saúde, de Educação, de Segurança, Serviços Públicos e ODS, Controle das Políticas Públicas, Auditoria Governamental, Contabilidade e Orçamento Público, Governança nas Licitações e Contratos e Governança para o desenvolvimento regional.

SERVIÇO

*As inscrições estão abertas, de formas gratuita e online, por meio do Sistema de Gestão Educacional, no portal da Escola de Contas do TCE Ceará.

Plano de Ciro prega criação de programa de renda mínima para idosos vulneráveis

De olho no eleitorado de Lula, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) vai enfatizar propostas de cunho social.

É o que informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta quinta-feira, adiantando que o plano do pedetista apregoa, por exemplo, a criação de programa que garanta o pagamento de uma renda mínima para idosos em situação vulnerável.

Depois de perder o apoio do centrão para Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro tenta atrair partidos de esquerda, como PC do B e PSB, para sua aliança.

(Foto – Reprodução de TV)

Reunião do Brics – Comércio do Brasil avança, mas agenda mudou em 10 anos

A 10º reunião de Cúpula do Brics, com chefes de Estado do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, em Joanesburgo, na África do Sul, evidencia a mudança de agenda do bloco. A agremiação dos países foi diplomaticamente criada, no esteio da crise financeira internacional de 2008, com o objetivo de aumentar atuação e o poder de voto dos países emergentes em organismos multilaterais como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

“A associação tinha objetivo principal de reformar as instituições de governança financeira globais”, lembra Guilherme Casarões, professor de Relações Internacionais da Fundação Getúlio Vargas. Segundo o especialista, em vez daquela agenda, os países adotaram a defesa do comércio multilateral e avançaram na criação do Novo Banco do Desenvolvimento, chamado “Banco do Brics”, que poderá ter escritório regional em São Paulo após decisão na reunião de cúpula.

Para Casarões, o Brics “não é um bloco a reboque da China”, mas a desigualdade das economias limita o potencial de comercialização entre os parceiros. A pauta de exportação do Brasil, por exemplo, se destaca pelo predomínio de produtos de menor valor agregado como carne, soja e minério de ferro.

Na avaliação de Casarões, o momento político do Brasil, com eleições marcadas para 7 de outubro, retira “margem de manobra” dos atuais negociadores. “A incerteza eleitoral torna muito difícil que o Brasil assuma posições definitivas como a disputa entre a China e os Estados Unidos”, assinala.

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, admite que o destino político do Brasil “causa curiosidade”, mas aos interlocutores que indagam sobre a perenidade das políticas comerciais lembra que “a burocracia é sólida, formada por carreiras públicas como corpo diplomático e de comércio exterior, que continuará trabalhando com a visão de Estado. A orientação é continuar avançado”.

O ministério divulgou dados que registram o incremento do comércio com os parceiros dos Brics. “De janeiro a junho deste ano, o Brasil exportou US$ 33,1 bilhões para Rússia, Índia, China e África do Sul. Houve um crescimento de 5,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a venda para esses países somou US$ 31,4 bilhões. As importações somaram, neste ano, US$ 18,3 bilhões, o que resulta em um superávit comercial de US$ 14,8 bilhões”.

(Agência Brasil)

Magistrados e membros do MP querem reajuste salarial de 16,38%

Mal Cármen Lúcia assumiu a presidência da República, eis que lideranças de entidades representativas de juízes e do Ministério Público bateram, nessa quarta-feira, à porta do Palácio do Planalto, pedindo reajuste salarial. Ela está no exercício da Presidência da República porque o presidente Michel Temer cumpre agenda na África do Sul e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), também viajaram para o exterior.

Presente à reunião, o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, afirmou que as categorias pedem um “remanejamento” na proposta de orçamento de 2019 que contemple um reajuste de 16,38%.

O STF e o Conselho Superior do Ministério Público Federal aprovam as propostas de orçamento a serem enviadas ao Executivo. Os valores deverão ser incluídos no projeto de Orçamento da União e 2019, a ser enviado ao Congresso até 31 de agosto deste ano.

“Estamos pedindo é um remanejamento orçamentário, que abra espaço para que nós tenhamos nosso reajuste, sem qualquer aumento de gasto público, ou seja, dentro do teto [de gastos públicos]”, disse. Segundo Robalinho, o reajuste não resultaria em aumento de despesas, em razão do teto de gastos públicos. Assim, segundo ele, o reajuste seria possível com o remanejamento de valores do orçamento, por meio da redução de despesas de outras áreas.

O presidente da ANPR explicou que o percentual de 16,38% é o mesmo previsto em um projeto enviado ao Congresso em 2015 e que ainda não foi apreciado pelo Senado. Robalinho afirmou que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, já recebeu o mesmo pedido. As entidades vão procurar os demais ministros do STF para discutir o assunto.

No caso do STF, a Corte deve decidir em agosto, em sessão administrativa com data a ser marcada, sobre a proposta de orçamento de 2019.

De acordo com o Palácio do Planalto, participaram da reunião com Cármen Lúcia representantes das seguintes entidades:

Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR)
Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp)
Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe)
Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT)
Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra)
Associação dos Magistrados do Distrito Federal e Territórios (Amagis-DF)
Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT)
Associação Nacional do Ministério Público Militar (ANMPM)

(Também com G1/Foto – CNJ)

Economia: pedagogia democrática

Com o título “Economia: pedagogia democrática”, eis o Editorial do O POVO desta quinta-feira:

As dificuldades para avançar, apresentadas pela economia brasileira, são uma realidade inequívoca, constatada pelos institutos de avaliação econômica, depois da tentativa de superação da estagnação, um ano atrás, que animou os espíritos. A base decisiva desse panorama é a falta de confiança dos investidores, que esperam a definição do quadro político do País, através da escolha do próximo governo, para se orientarem em seus negócios. Assim, até que isso aconteça, é previsível a manutenção do suspense atual – verificado sempre em qualquer país de desenvolvimento não-consolidado, às vésperas de uma mudança de governo. No Brasil, isso ganha acento especial, em vista de estar há dois anos envolvido numa crise de múltiplas faces. Mas, nada que não possa ser resolvido pela urna eleitoral, expressando a vontade da Nação.

Por enquanto, os indicadores apontam o tamanho da encrenca que o País é convocado a resolver: taxa de desocupação crescente, que atingiu 1,3 ponto percentual no primeiro trimestre e cuja última estimativa de totalização – feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – é de 13,7 milhões de desempregados. Com isso, todas as previsões de crescimento da economia já foram revisadas para baixo. O Fundo Monetário Internacional (FMI), por exemplo, que antes previa um crescimento de 3%, no início do ano – baixado em seguida para 2,3% – agora estima que o País fechará o ano com apenas 1,8%. O que é considerado uma queda considerável, por especialistas. E o pior: a inflação, apesar de abaixo da meta, voltou a subir, num quadro em que pouca gente compra ou vende.

Assim, após uma ligeira melhora, que levou o Produto Interno Bruto (PIB) a ficar positivo (1%) – com inflação e juros caindo, empresas produzindo e empregos voltando, naquele átimo -, nem sequer conseguiu ensejar, naquela ocasião, um “voo de galinha”. Tudo começou a patinar. Por isso, a indagação sobre quando o Brasil voltará a crescer está presa na garganta.

A resposta só pode ser dada, realisticamente, quando a questão política for resolvida, com o Brasil dispondo de um governo plenamente legitimado pelo voto inconteste da maioria do eleitorado e investido da representatividade explícita dos cidadãos para traduzir, na prática, o recado dado pelas urnas. Por isso, é tão importante a pedagogia da democracia. Nela o cidadão tem a oportunidade de corrigir os rumos da Nação e, se errar, aprender com a experiência, ficando mais habilitado de fazer a escolha certa, da próxima vez, pois um desafio das proporções verificadas no Brasil só pode ser enfrentado com o apoio majoritário e explícito dos cidadãos detentores da soberania popular.

CUT quer parar o País por causa de Lula

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta quinta-feira:

Dentro da estratégia de chamar a atenção do eleitorado brasileiro para o mote “Eleição sem Lula é golpe!”, a Central Única dos Trabalhadores, aliada a outras entidades sindicais e partidos de esquerda, promove, nesta semana, em São Paulo, uma série de reuniões com o objetivo de puxar uma greve geral. A data prevista: 10 de agosto próximo, ou seja, cinco dias antes do prazo final de registro de candidaturas a presidente da República.

O PT já avisou que vai incluir Lula na lista dos postulantes, enquanto a CUT, o braço sindical petista, informa que quer não só apregoar a defesa da democracia, como também bater duro no governo Temer e suas reformas, como a trabalhista.

Graça Costa, secretária de Relações do Trabalho da CUT, que integra a cúpula da entidade no Ceará, participa dos encontros. Ela está convicta de que virá mobilização pró-Lula, embora alguns membros do PT, por exemplo, reconheçam que esperavam bem mais comoção e protestos quando da prisão de Lula, o que acabou não se registrando.

(Foto – Jardiel Carvalho, da Folhapress)

Eleições 2018 – FGV lança plataforma digital para analisar debates e identificar “fake news”

A Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (DAPP/FGV) lançou hoje (25) a Sala da Democracia Digital – #observa2018, com objetivo de analisar o debate público nas redes sociais e identificar ações de desinformação nas eleições deste ano, as chamadas fake news. A Sala da Democracia Digital vai funcionar na sede da FGV, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro .

O pesquisador da DAPP Amaro Grassi disse que, embora nas eleições passadas a internet e as redes sociais tenham tido um papel importante, nada se compara ao que se vai presenciar no pleito deste ano, tanto na presença e no impacto da internet, como, sobretudo, o fenômeno da desinformação. Para ele, é preciso verificar como ações práticas que podem ser classificadas como nocivas ao debate democrático vão influenciar as discussões no Brasil.

“São os robôs, as fake news, as ações coordenadas de ataques contra adversários. Como isso pode distorcer e afetar o processo de debate sobre a agenda do país, sobre os candidatos e sobre os partidos. Em um contexto de crise, acompanhar isso e dar transparência a este tipo de questão foi o objetivo primeiro dessa iniciativa”, disse Grassi.

Segundo ele, a Sala de Democracia Digital vai aplicar a metodologia que a DAPP desenvolveu nos últimos anos, com o qual faz a coleta de informações e de dados de redes sociais, para analisar o que as pessoas estão comentando sobre políticas públicas, os presidenciáveis e os principais atores políticos.

Divulgação

Todo o material produzido será publicado no site da sala. O acompanhamento e a análise dos pesquisadores serão diários e uma vez por semana haverá o estudo consolidado do período. Conforme o pesquisador, eventualmente, podem ser publicados ainda alguns estudos mais aprofundados.

“A ideia é que a gente consiga responder aos principais eventos da campanha em até 24 horas. Seja um debate, uma polêmica, uma entrevista, que a gente consiga mensurar o impacto e a repercussão que esse evento teve nas principais redes, como Twitter, Facebook, Youtube e disponibilizar a interessados em geral, informações qualificadas e o que está se passando nesse ambiente digital, nessa grande arena de debates que hoje gera tanta polêmica e desinformação como se tem falado ultimamente”, completou.

Grassi acrescentou que quando houver suspeita de notícias falsas elas serão encaminhadas para agências de checagem das mensagens para verificar a veracidade e a partir daí analisar o impacto que tiveram na rede em geral.

Campanhas internacionais

O pesquisador destacou que percebendo as eleições em outros países, entre eles, os Estados Unidos, é possível esperar o que vai ocorrer no caso do Brasil. “Informado por processos eleitorais recentes no mundo, a gente vai acompanhar e buscar mitigar o efeito dessas ações que hoje já se sabe que tiveram impacto, embora não se saiba quanto, em eleições como as dos Estados Unidos, que são as mais faladas, mas também no Reino Unido, na Alemanha e na França. É um projeto para, pelo menos, mitigar o efeito que essas ações possam ter na eleição brasileira”, afirmou.

Apesar de ainda não haver condições de avaliar como será o impacto da iniciativa, na visão de Grassi, as ações de desinformação podem mudar o perfil da eleição brasileira. “Vai mudar porque não dá para desconsiderar os canais de campanha e de disseminação de informação em TV, rádio e nas campanhas de rua. Sem dúvida a internet e as redes sociais vão cumprir um papel importante e a gente não vai subestimar isso”, observou.

Seminário

Para o lançamento da sala, a DAPP organizou um seminário sobre o impacto das redes sociais nas eleições no Brasil e no mundo. No encontro foi apresentado um levantamento inédito da FGV DAPP com 5.415.492 tuítes avaliados entre 22 de junho e 23 de julho. O estudo mostrou a ação de robôs na pré-campanha presidencial.

De acordo com o trabalho, as interações motivadas pela ação de perfis automatizados, nesse período, corresponderam a 22,17% dos tuítes de perfis ligados ao campo da esquerda e que compõem tradicionalmente a base do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; 21,96% relacionados ao campo conservador e alinhados ao deputado Jair Bolsonaro; 16,18% ligados ao campo de centro (não alinhados a nenhum dos “polos” tradicionais); e 3,99% ligados ao grupo de centro-esquerda (sem predomínio de nenhum ator político em particular).

“Com esse cenário, as redes vão ter um papel muito importante de hiperdimensionamento diferente do que vimos historicamente. Vemos nesta análise extremos bastante operantes no que se refere ao uso de robôs”, disse o diretor da FGV DAPP, Marco Aurelio Ruediger.

A iniciativa da FGV DAPP conta com parceria do Digital Forensic Research Lab (DFRL), do Atlantic Council; do Instituto de Tecnologia e Equidade (IT&E); do Moore-Sloan Data Science Environment, da New York University (NYU); e da Escola de Direito de São Paulo da FGV. Conta ainda com um comitê de Observadores de Democracia Digital, formada por uma rede de entidades parceiras da FGV DAPP.

(Agência Brasil)

PGJ firma contrato com empresa de consultoria na área de planejamento

O procurador-geral de Justiça do Ceará, Plácido Rios, assinou, nesta quarta-feira, na sede da PGJ, contrato com a empresa Elo Group para prestação de serviço de consultoria. O objetivo é elaborar o planejamento da força de trabalho do MPCE, alinhado ao planejamento estratégico da instituição. Davi Monteiro, diretor-executivo da empresa, representou a Elo Group na reunião, acompanhado de outros colaboradores da companhia.

O trabalho deve iniciar na próxima semana e vai ser executado pela equipe da Elo Group por meio de reuniões presenciais com os diversos setores e instâncias do MPCE, além da análise de fluxos, procedimentos, e organogramas existentes. Entre as medidas que podem ser adotadas após a consultoria vale destacar a alocação de pessoal através de critério técnico; remuneração variável com eficiência e produtividade, para incentivar a meritocracia; e também a indicação de novos modelos de trabalho, como o home office.

Entre as atribuições da Elo Group nesse projeto estão a revisão da cadeia de valores do MPCE, com a indicação dos rumos e princípios que a instituição deve perseguir pra obter os objetivos estratégicos; o redesenho da estrutura organizacional para atender a cadeia de valores; e o dimensionamento da força de trabalho, de acordo com os serviços prestados à sociedade.

Segundo o procurador-geral de Justiça, desde 2016 notou-se a necessidade de um estudo técnico que avaliasse a relação entre a força de trabalho necessária e o serviço a ser prestado pelo MPCE. “Essa parceria com a Elo Group vem preencher essa lacuna. A gente precisa ser mais eficiente e tratar com zelo as demandas da sociedade, para garantir os direitos de todos os cidadãos e cidadãs cearenses”, disse Plácido Rios.

O diretor executivo da Elo Group informou que a empresa adquiriu muita expertise no trabalho com outras instituições públicas, como TCU, Tribunais de Justiça, Governo do Estado do Ceará, entre outros órgãos. “Atualmente não há um tema mais relevante do que entregar melhor os serviços à sociedade. Nesta consultoria iremos construir soluções conjuntamente, promovendo uma nova cultura organizacional, alinhada aos objetivos traçados pela instituição”, concluiu Davi Monteiro.

Ana Sudário, secretária de Recursos Humanos do MPCE, parabenizou a iniciativa e espera que sejam elaboradas ferramentas efetivas para avaliação de pedido de pessoal, de acordo com indicadores como quantidade de movimentações processuais por promotoria e outros, a serem definidos ao longo das atividades da consultoria. Outra medida esperada é a definição de demandas de servidores para os próximos cinco anos, o que servirá de premissa para os concursos futuros o redesenho de uma estrutura organizacional mais amoldada às exigências sociais impostas ao MPCE. “É mais do que necessário termos instrumentos para tornar o processos, como o de lotação de servidores, transparente, justo e saudável para todos e para a instituição”, disse.

O presidente da Associação Cearense do Ministério Público, promotor de justiça Lucas Azevedo, confirmou que a Administração pode contar com a colaboração a ACMP nessa nova empreitada. Apoio também da parte do Sindicato dos Servidores do MPCE, representado na reunião pelo presidente Tony Távora, que elogiou a iniciativa do PGJ em implementar ações que modernizem o MPCE.

Quem é?

A ELO Group é uma empresa brasileira que busca apoiar seus clientes nas transformações organizacionais necessárias para superar os seus desafios de gestão, através de um time comprometido e competente em combinar diferentes metodologias, da concepção à execução. Atualmente, a companhia conta com 250 consultores e acumula uma carteira de 200 clientes e 1.600 projetos executados, em doze países. Foi fundada em 2007 e hoje tem escritório no Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza e Vitória.

No setor público, desenvolveu projetos em 80 órgãos de várias instâncias, como ministérios da União, governos estaduais, prefeituras, e tribunais do Sistema de Justiça. Ainda acumula experiências em parceria com o BID, BIRD, Unesco e PNUD.

(Com informações do site da Elo Group)

Dias Toffoli autoriza Cristiane Brasil a participar da convenção do PTB

O vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, autorizou hoje (25) a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) a participar da convenção nacional do partido, que será realizada no próximo sábado (28), em Brasília. A autorização foi solicitada pela parlamentar em função das cautelares que foram determinadas contra ela pelo ministro Edson Fachin, relator das investigações sobre suspeitas de irregularidades no Ministério do Trabalho. No mês passado, o ministro proibiu a deputada de manter contato com outros investigados ou servidores da pasta.

Pela decisão do ministro, a parlamentar deve permanecer na convenção somente durante o período da reunião, mas não poderá manter conversas com investigados no mesmo processo, que também participar da reunião. Ela deverá ainda enviar um relatório ao STF para justificar a participação na reunião partidária.

Na semana passada, a deputada também precisou de autorização do Supremo para ir a outra reunião do partido.

No mês passado, por ordem de Fachin, o gabinete da deputada foi alvo de busca a apreensão realizada pela Polícia Federal (PF), que investiga se Cristine Brasil tem participação na organização criminosa que atua na concessão fraudulenta de registros sindicais no Ministério do Trabalho. Também foi feita busca e apreensão no Rio de Janeiro, onde a deputada mora.

Após as buscas, a assessoria de Cristiane Brasil disse que a deputada foi surpreendida pela operação e que espera que os fatos sejam esclarecidos em breve. Segundo o texto, a deputada não tem papel nas decisões tomadas pelo Ministério do Trabalho. “Espero que as questões sejam esclarecidas com brevidade, e meu nome, limpo”, diz Cristiane Brasil.

(Agência Brasil)

TRF-4 nega pedido para declarar Moro suspeito para julgar Lula

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, negou hoje (25) mais um recuso no qual ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por meio de seus advogados, pediu que o juiz federal Sérgio Moro seja considerado suspeito julgá-lo na Operação Lava Jato.

Antes dessa decisão, o tribunal já havia indeferido habeas corpus protocolado pela defesa de Lula que alegava parcialidade de Moro.

Em outros casos julgados, o TRF4 também entendeu que eventuais manifestações do magistrado em textos jurídicos ou palestras de natureza acadêmica sobre corrupção não levariam ao reconhecimento de sua suspeição para julgar os respectivos procedimentos.

O ex-presidente está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Lula foi preso após ter sua condenação a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá (SP) confirmada pela segunda instância da Justiça Federal, conforme autorizado pelo STF.

(Agência Brasil)

Caixa Econômica vai leiloar mais de 30 imóveis nesta sexta-feira em Fortaleza

A Caixa Econômica Federal e o leiloeiro oficial Francisco Freitas realizarão leilão presencial e eletrônico nesta sxta-feira em Fortaleza. O leilão ocorrerá a partir das 9 horas, no Espaço Venue Coworking, 1º andar, situado na rua Tibúrcio Cavalcante, 1.958, no bairro Aldeota.

No evento, serão leiloados mais de 30 imóveis localizados em Fortaleza, Eusébio, Crato, Horizonte, Itaitinga, Itapipoca, Maracanaú, Maranguape, Pacajus, Paracuru, Penaforte, Porteiras, Quixadá, Sobral e Ubajara.

SERVIÇO

*Interessados podem obter informações mais detalhadas pelo site www.leiloesjudiciais.com.br/ce ou então pelo 0800-707-9272.

Preto Zezé – Da Cufa para a disputa eleitoral

800 2

O ex-presidente global da Cufa, Preto Zezé, lançará, oficialmente, nesta quinta-feira, às 18h30min, no Hotel Sonata, em Fortaleza, sua pré-candidatura a deputado estadual pelo PC do B. O ativista social aceitou o desafio de concorrer, nas eleições deste ano, a uma cadeira na Assembleia Legislativa onde já esteve como lavador de carros.

Além de inúmeras lideranças periféricas e das comunidades, artistas, amigos, admiradores e intelectuais como Márcia Tiburi e Luiz Eduardo Soares, Preto Zezé também conta com apoio de vários políticos.

(Foto – Divulgação)

Temer já está na África d Sul para a reunião do Brics

O presidente Michel Temer já está na África do Sul para o 10º encontro do Brics, bloco formado pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul. Pelo Twitter, ele falou de alguns de seus compromissos durante os três dias em que ficará na África. Temer anunciou que falará na abertura da reunião plenária da Cúpula do Brics. Além disso, terá reuniões bilaterais com o presidente da China, Xi Jimping, e da África do Sul, Ciryl Ramaphosa.

Na sexta-feira (27), Temer participará de um encontro dos líderes do Brics com outros líderes do continente africano. “Na sexta, participo de encontro dos chefes de Estado do Brics com outros líderes da África p/ discutir o papel do continente africano. A reunião tem significado especial para o Brasil. Somos um país formado por múltiplas culturas, e a presença africana é uma das mais expressivas”, disse Temer na rede social.

Os país integrantes do Brics representam por volta de 23% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Neste 10º encontro, serão tratados temas de cooperação econômica e desenvolvimento, entre outros. A cúpula também contará com a presença de presidentes de outros países africanos – como Ruanda, Angola e Namíbia – para impulsionar os interesses do continente.

Entre os temas que serão tratados figuram a industrialização e as novas tecnologias, o crescimento inclusivo e a cooperação em temas de manutenção da paz e em assuntos de saúde, como a criação de uma plataforma de vacinação do bloco.

(Agência Brasil com Agência EFE)

Eclipse lunar poderá ser conferido na Seara da Ciência

A Seara da Ciência, organismo da Universidade Federal do Ceará, abrirá suas portas, a partir das 17 horas desta sexta-feira, para observação de eclipse lunar. Segundo o Observatório Nacional, trata-se do mais longo eclipse total da Lua do século XXI. A atividade é gratuita e para quem tiver interesse em ver o fenômeno e sobre ele informar-se. A observação começará a partir das 18 horas e seguirá até as 20 horas.

De acordo com o professor Ednardo Rodrigues, organizador do evento, a expectativa é que 120 pessoas participem da atividade. Um telescópio newtoniano de 300 milímetros de abertura ficará disponível para os visitantes. A depender do número de pessoas, a equipe estuda colocar outros três telescópios para observação.

De acordo com o Observatório Nacional, a fase total do eclipse ocorrerá entre 16h30min e 18h13min. A partir dessa hora, a Lua começará a sair da sombra mais escura, dando início ao eclipse parcial, que seguirá até as 19h19min. A fase penumbral do eclipse (quando a Lua passa pela sombra mais clara) vai até as 20h29min.

Assim, quem for ao local terá a oportunidade de ver o fim do eclipse, observar a Lua e compreender por que ela tenderá a ficar avermelhada. “Em Fortaleza o eclipse poderá ser visto no fim da tarde, por volta das 17h40min, mas, aqui, ele será parcial e causará apenas uma vermelhidão na superfície lunar, que acabará por volta das 19 horas”, explica o organizador.

SERVIÇO

*Seara da Ciência – Rua Abdenago Rocha Lima, s/n, na entrada do Campus do Pici.

(Foto – Arquivo Reuters)

Halleluya 2018 – Batista Lima, ex-Limão com Mel, abre a programação de shows

Tem início nesta noite de quarta-feira o Halleluya 2018, que costumamos denominar de “Fortal dos Católicos”. No Condomínio Espiritual Uirapuru, com palestras, orações, louvores e shows como o de Batista Lima, ex-vocalista a banda de forró Limão com Mel.

Na programação, consta também show do padre Fábio de Melo na sexta-feira.

SERVIÇO

*Confira a programação aqui.

(Foto – Divulgação)

Presidenciáveis disputam visibilidade na mídia

Geraldo Alckmin (PSDB) deu uma rasteira em Ciro Gomes (PDT) e fechou apoio com o Centrão. Jair Bolsonaro (PSL) tomou um bolo de Janaína Pascoal e ainda não definiu seu vice-presidente. Marina Silva (Rede) submerge, como de praxe. E assim é a disputa dos presidenciáveis por citações na imprensa, expõe a Coluna Radar, da Veja Online, nesta quarta-feira.

Entre 23 de maio e 27 de junho, o tucano foi citado em 8688 matérias; Bolsonaro em 7867 produtos; Ciro, 7473; e Marina Silva apareceu em 4159 produtos da imprensa. O levantamento é da Zeeng, plataforma de big data analitycs.

Os políticos mais citados neste período foram Michel Temer, com 29601 aparições, impulsionado pela greve dos caminhoneiros, e Lula, com 18934.

Álvaro Dias, Fernando Haddad e João Amôedo foram citados em 2338, 1832 e 860 matérias.

Queridinhos da esquerda em 2014, Luciana Genro e Eduardo Jorge estão praticamente esquecidos. Foram 20 e 47 ocorrências, respectivamente.

Já em vigor política para empregar detentos e egressos de presídios

O Decreto 9.450, que institui a Política Nacional de Trabalho no Âmbito do Sistema Prisional, está publicado na edição de hoje (25) do Diário Oficial da União. A política tem medidas para dar oportunidades de trabalho a presos e ex-detentos. O texto foi assinado na terça-feira (24) pela presidente da República interina, Cármen Lúcia.

A medida vale para contratação de serviços pela União, inclusive os de engenharia, com valor anual acima de R$ 330 mil. Os presos provisórios, em regime fechado, semiaberto e aberto estão incluídos na política. Além disso, os egressos – aqueles que já cumpriram pena e foram postos em liberdade – também podem ser contratados dentro da cota.

Para ter o direito de participar da iniciativa, os detentos devem ser autorizados pelo juiz de Execução Penal; ter cumprido, no mínimo, um sexto da pena; e comprovar aptidão, disciplina e responsabilidade. Os serviços previstos no decreto não incluem o emprego de presos ou egressos no canteiro de obras, apenas em serviços adjacentes à obra, como limpeza ou vigilância.

Deverão ser reservados aos presos ou egressos 3% das vagas quando o contrato demandar 200 funcionários ou menos; 4% das vagas, no caso de 201 a 500 funcionários; 5% das vagas, no caso de 501 a 1.000 funcionários; e 6% quando o contrato exigir a contratação de mais de 1.000 funcionários.

(Agência Brasil)

A nossa culpa na crise do mercado editorial brasileiro

Com o título ” A nossa culpa na crise do mercado editorial”, eis artigo de Jáder Santana, jornalista e editor no O POVO. Ele aborda a situação complicada da Livraria Cultura, por exemplo. Confira:

A crise que o mercado editorial vem enfrentando no Brasil e no mundo não é novidade. No vermelho desde 2012, a Livraria Cultura realizou uma das mais faladas operações financeiras do ano passado, anunciando a aquisição das operações brasileiras da Fnac, ganhando 12 novas lojas em sete estados e diversificando seus negócios. Poucas semanas antes desse anúncio, o presidente da Cultura, Sérgio Herz, havia declarado em entrevista, assumindo o cenário de instabilidade: “Se a Amazon vier aqui dizendo que quer me comprar, eu vou avaliar. Vai pagar bem?”

Em fevereiro último, a Barnes & Noble, maior rede de livrarias dos EUA, anunciou a demissão de 1.800 funcionários em 781 lojas, o que geraria economia de custos de aproximadamente US$ 40 milhões. Em pouco mais de um ano, as ações da empresa registraram uma baixa histórica: caíram de US$ 8,575 para US$ 4,60 por ação. Um dos maiores e mais antigos investidores da casa, David Abrams, vendeu todas as suas ações – cerca de 13% do valor total.

No campo das queixas e justificativas, quase todos os dedos da culpa apontam para a Amazon e sua política predatória de vendas: promoções diárias, grandes investimentos em marketing direcionado e fretes gratuitos. O crescimento da empresa, com um número cada vez maior de lojas físicas em inauguração, subverteu o discurso de que os livros estão fora de moda e de que já quase não se lê.

Mas a corrente da crise enfrentada pela Barnes & Noble, nos EUA, e pela Livraria Cultura, no Brasil, tem um elo ainda mais fraco. As pequenas livrarias, as lojas de bairro, são as que mais prejuízo sofrem nesse cenário de migração para uma experiência virtual de compras. Algumas se esforçam para a criação e consolidação de um calendário de atividades que movimentem o espaço entre as estantes e prateleira. São sobreviventes.

Fazia tempo que havia me rendido às facilidades da Amazon, mas há cerca de um ano decidi voltar a frequentar lojas físicas. Por opção, decidi acabar com as caixas de livros promocionais que chegavam pelos correios e se acumulavam pela casa. Vou à livraria quando preciso de uma nova leitura, escolho a partir da pilha de livros em mãos. É melhor assim. Essa experiência é impagável.

*Jáder Santana

jader.santana@opovo.com.br

Editor do O POVO.