Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Temer diz ter certeza de que Dilma terminará o mandato

temer

“O vice-presidente Michel Temer disse hoje (14) ter certeza de que a presidenta Dilma Rousseff terminará o mandato em 2018. “A presidenta está se recuperando cada vez mais e tenho certeza que terminará o mandato”, disse Temer, após visita ao Pavilhão Brasileiro no World Food Moscow.

Segundo Temer, os cortes de gastos discutidos pelo governo ainda não estão definidos. “Foi pregado intensamente no sentido que se façam os cortes. Mas os cortes não estão definidos ainda. Se houver cortes, acho que é um bom passo e um atendimento a vários setores que pleiteiam exatamente cortes”, disse o vice-presidente.

Temer não quis comentar sobre um possível aumento de impostos para reequilibrar o Orçamento para 2016.”

(Agência Brasil)

Portaria regulamenta pagamento de INSS para empregados e empregadores domésticos

“O Diário Oficial da União publica hoje (14) portaria que regulamenta as condições para que empregados e empregadores domésticos obtenham o cancelamento de multas e redução de juros de mora de débitos de INSS, previstas no Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos (Redom). O Redom foi instituído pela Lei Complementar 150 de junho de 2015.

Os interessados em receber os benefícios, que se estendem inclusive às pessoas que tenham débitos em dívida ativa, devem aderir ao Redom, por meio dos sites da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e da Secretaria da Receita Federal, a partir do dia 21 de setembro de 2015.

A portaria determina que os débitos poderão ser pagos à vista, com redução de 100% das multas. Os débitos poderão também ser pagos, de forma parcelada, com desconto de 60% dos juros de mora e de 100% do valor dos encargos legais e custo com advogados. O valor da dívida poderá ser parcelado em até 120 prestações. As condições abrangem também os devedores que tenham débito em fase de execução fiscal, ou que tenham sido objeto de parcelamento anterior não integralmente quitado.

Pela portaria, o pagamento à vista ou a inclusão no parcelamento de débitos objeto de discussão administrativa implicam desistência de pedido de impugnação ou de recurso interposto e, ainda, renúncia às alegações de direito sobre as solicitações encaminhadas ou recursos administrativos.”

(Agência Brasil)

Projeção do crescimento de queda da economia neste ano chega a 2,55%

“A projeção de instituições financeiras para o encolhimento da economia este ano passou pelo novo ajuste seguido. Desta vez, a estimativa para a queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 2,44% para 2,55%. A expectativa de retração em 2016 também foi alterada: de 0,5% para 0,6%, na sexta piora consecutiva. Essas estimativas são do boletim Focus, uma publicação semanal elaborada pelo Banco Central (BC), com base em projeções de instituições financeiras para os principais indicadores da economia.

Na avaliação do mercado financeiro, a produção industrial deve apresentar retração de 6,2%, este ano. Na semana passada, a projeção de queda era 6%. Em 2016, o setor deve se recuperar, mas a projeção de crescimento está cada vez menor: passou de 0,72% para 0,5%, no terceiro ajuste seguido.

Na previsão das instituições financeiras, a recessão da economia vem acompanhada de inflação acima da meta, este ano. A meta é 4,5%, com limite superior de 6,5%. A estimativa das instituições financeiras para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), este ano, foi ajustada de 9,29% para 9,28%. Para o próximo ano, a expectativa é que a inflação fique abaixo do limite superior, mas ainda distante do centro da meta, em 5,64%. Na semana passada, essa projeção estava em 5,58%. Esse foi o sexto aumento seguido na projeção para inflação em 2016.

Para tentar trazer a inflação para a meta, o BC elevou a taxa básica de juros, a Selic, por sete vezes seguidas. Depois desse ciclo de alta, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), no ínicio do mês, a Selic foi mantida em 14,25% ao ano. Para as instituições financeiras, a Selic deve permanecer em 14,25% ao ano até o fim de 2015 e ser reduzida em 2016. A projeção mediana (desconsidera os extremos da estimativa) para o fim de 2016 segue em 12% ao ano.”

(Agência Brasil)

Michel Temer inicia visita oficial à Rússia e à Polônia

“O vice-presidente da República, Michel Temer, inicia hoje (14) viagem oficial a Moscou e a Varsóvia, na Polônia, que vai até o dia 17. Ele lidera uma comitiva de ministros e empresários com o objetivo de aprofundar as relações de cooperação e comércio com os dois países. O vice-presidente também vai cumprir agenda política com autoridades russas e polonesas.

Nesta segunda-feira, em Moscou, Temer se reúne com o presidente da Duma (Câmara Baixa do Parlamento russo), Serguei Naryshkin. Depois, a comitiva visita o Pavilhão do Brasil na World Food Moscow 2015, a principal feira de alimentos, bebidas e agronegócios da Rússia.

Segundo a assessoria da Vice-Presidência, integram a comitiva oficial os ministros da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu; da Defesa, Jaques Wagner; de Minas e Energia, Eduardo Braga; do Turismo, Henrique Eduardo Alves; da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, da Secretaria dos Portos, Edinho Araújo, e da Aviação Civil, Eliseu Padilha. Kátia Abreu e Jaques Wagner chegam amanhã (15). O vice-presidente, os ministros e empresários participaram de reunião fechada agora de manhã para acertar os últimos detalhes da 7ª Reunião da Comissão de Alto Nível (CAN) Brasil-Rússia.

Amanhã, Temer se reúne com a presidenta do Conselho da Federação da Rússia (Câmara Alta do Parlamento russo), Valentina Matvienko. Após o encontro, está prevista declaração à imprensa. No fim da tarde, o vice-presidente participa do encerramento do Fórum Empresarial Brasil-Rússia.

Temer encerra a visita a Moscou na quarta-feira (16) quando vai presidir a 7ª Reunião da Comissão de Alto Nível Brasil-Rússia, ao lado do primeiro-ministro Dmitri Medvedev. O encontro termina com assinatura de ato, seguida de declaração à imprensa. Criada em 1997, a CAN é a mais alta instância de negociação entre os dois países. Nessa reunião, deverão ser tratados temas de cooperação econômico-comercial, energia, defesa, agropecuária, ciência e tecnologia e espacial.

Em Varsóvia, na quinta-feira (17), último dia da viagem, Temer se reúne com o presidente polonês, Andrzej Duda, com a primeira-ministra, Ewa Kopacz, e com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Polônia, Grzegorz Schetyna. Também participa do Foro Empresarial Brasil-Polônia, apoiado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).”

(Agência Brasil)

Parlamentar cearense está em missão nos EUA

odoricomoneiro

O deputado federal Odorico Monteiro (PT) está engajado numa missão parlamentar oficial, que visita Washington (EUA) até a próxima quinta-feira.

A visita foi organizada pela Câmara Americana de Comércio e tem o objetivo de promover o diálogo e a troca de experiências sobre inovação em saúde entre os Congressos brasileiro e norte-americano.

Odorico Monteiro atua na Frente Parlamentar em defesa da Saúde e na comissão técnica do gênero.

Governadores querem a volta da CPMF

87 1
Os governadores de todos os partidos apoiam a volta da CPMF ou o aumento de outro tributo existente. Consultados, mandaram recado ao Planalto dizendo que ajudam a aprová-lo no Congresso. Para isso, cobram que a receita seja compartilhada em percentuais maiores que os números que estão sendo especulados.
Os estados não têm recursos para bancar os gastos com a Saúde e liberar receitas para fazer investimentos. Os de oposição avisaram ao Planalto que vão trabalhar na surdina por razões político-eleitorais. Não querem defender publicamente a volta da CPMF. Em 2018 tem eleição presidencial.
(Colunista Ilimar Franco – O Globo)

Ratings inflados e suspeitos

140 3

Em artigo enviado ao Blog, o economista José Nilton Mariano Saraiva avalia como suspeito o rebaixamento do Brasil pela agência americana Standard & Poor’s. Confira:

Sem que haja ainda um necessário e desejado modelo alternativo, que de forma honesta e imparcial privilegie o “contraditório” e faça uso de equações mais adequadas e consistentes (a China começa a esboçar um), o mundo hoje se fia cegamente, para o bem ou para o mal, no que é produzido e incessantemente divulgado pelos norte-americanos, mesmo que às vezes falte a devida comprovação (só para ilustrar, lembremo-nos da presumida “morte” do saudita Osama Bin Laden, sem que absolutamente ninguém haja visto o corpo?).

Por isso mesmo, o escarcéu provocado por pusilânimes e desonestos segmentos da mídia econômica brasileira, em razão do tal “rebaixamento” do rating do Brasil por parte da agência de classificação de risco americana Standard & Poor’s, é por demais questionável. E por uma razão simplória: comprovadamente, foi uma decisão de cunho “político”, porquanto levou em conta o momento difícil que atravessa a economia brasileira (perfeitamente suplantável), mas deixou de considerar, como deveria e honesto seria, as imensas potencialidades que temos a médio e longo prazo, bem como o robusto e confortável “colchão” de 400 bilhões de dólares das nossas reservas, além do “imedível” mar de petróleo que possuímos (um “ativo” acima de qualquer suspeita e que os próprios americanos estão de olho já há bastante tempo).

Há que se considerar, ainda, que não só a Standard & Poor’s, mas igualmente suas congêneres, as também americanas Moody’s e Fitch, faz tempo que “pisam na bola”, ou “escorregam na maionese”, ao produzirem relatórios inconsistentes e mesmo desonestos (como o atual sobre o Brasil), porquanto estruturados num modelo questionado por economistas do mundo todo, mas que têm o poder (dada a inexistência de uma outra versão), de momentaneamente espalhar o “terrorismo” e destruir reputações mundo afora.

Tanto é que, 10 anos atrás, quando as três agências encimadas avaliaram o “rating” ou nota de crédito dos títulos hipotecários norte-americanos como AAA (grau máximo de confiabilidade), investidores de todo o mundo “aceitaram o pepino” como crível e quebraram a cara ao adquirir tais papéis, porquanto baseados em empréstimos garantidos por propriedades sobrevalorizadas.

Naquela oportunidade, como a “avaliação” das tais agências mostrou-se sem a menor consistência, porquanto assentada em “títulos podres” emitidos irresponsavelmente, não demorou muito (2008) para que a tal bolha do mercado imobiliário americano “estourasse”, levando o mercado de capitais a uma crise financeira mundial sem precedentes, resultando na quebra do (teoricamente) inabalável e sólido banco de investimentos americano Lehman Brothers, possuidor de uma robusta e alentada carteira de títulos hipotecários (que viraram pó, de uma hora pra outra).

Assim, face a repercussão mundial da “quebra generalizada” das bolsas de valores mundo afora e do pandemônio causado internamente, o Governo americano literalmente se viu obrigado a injetar na economia astronômicos 850 BILHÕES DE DÓLARES para “amansar o mercado”, ao tempo em que oficialmente considerou a agência de classificação Standard & Poor’s como inidônea e responsável pela crise da economia mundial. Processou-a na Justiça americana, assim como impingiu-lhe pesada multa face o ocorrido. De sua parte, o austero diário Wall Street Journal acusou-a de má-fé e má conduta.

Como resultado, a Standard & Poor’s virou “RÉ” em um processo movido pelo Departamento de Justiça dos EUA, que acusou-a de ter “mascarado” o grau de risco de investimentos nos chamados papéis subprime (vilões da crise financeira desencadeada em 2008). Segundo a acusação, a empresa teria sido desonesta ao, propositadamente, ter ocultado chances reais de prejuízos a quem embarcasse naquela canoa furada (como de fato aconteceu).

Sem saída ou argumentos, a Standard Poor’s houve por bem reconhecer tal acusação (que errou, sim, e grosseiramente), ao firmar um compromisso extrajudicial concordando em pagar ao Tesouro americano uma multa equivalente a quase US$ 1,4 bilhão (R$ 5,4 bilhões na cotação atual). O episódio reacendeu o debate sobre a credibilidade das agências de classificação de risco e os possíveis conflitos de interesse envolvendo suas atividades (já que contratadas por “agentes do mercado”).

No mais, há que se atentar que o governo norte-americano não é o primeiro a processar a Standard & Poor’s pelas equivocadas e grosseiras avaliações; também um tribunal lá do outro lado do mundo (da Austrália) condenou a agência ao pagamento de uma indenização milionária por ter confundido e induzido os investidores locais com suas “falsas avaliações”. Em Nova York, outro tanto de enganados investidores moveram ação similar.

No momento, como economistas de escol (inclusive lá fora) já se manifestaram sobre o equívoco grotesco da avaliação da Standard & Poor’s sobre a nossa economia, não seria o caso do governo brasileiro partir para a ofensiva, contestando publicamente o método adotado e mostrando ao mundo as “mancadas-homéricas” por ela patrocinadas, via “ratings” inflados e sob suspeita, que objetivam prioritariamente elevar suas receitas e obter maior participação no mercado?

União vai vender seus apartamentos de luxo

Da Coluna Esplanda, do jornalista Leandro Mazzini, no OP POVO Online:

A União vai oferecer a partir de segunda-feira o melhor de sua carteira de imóveis ao mercado. A portaria 351 do Ministério do Planejamento, do fim de agosto, colocou à venda 20 imóveis em sete Estados. São apartamentos e casas desocupados, e chamam a atenção os de luxo no Rio de Janeiro e Recife. No Rio, são sete imóveis entre a Barra e Zona Sul, avaliados em R$ 49,3 milhões. Destacam-se dois em Ipanema (R$ 3,5 milhões, cada), um prédio inteiro no Cosme Velho (R$ 32 milhões) e o maior mistério de todos: uma cobertura duplex na Barra, avaliada em R$ 7 milhões.

Beira mar
No Recife, são dois apartamentos na praia de Boa Viagem, um avaliado em R$ 1 milhão, e outro em R$ 600 mil.

Acabou a festa
Há um hotel (R$ 4 milhões) à beira de rodovia na cidade de Paulo de Frontin, no interior do Rio. Trata-se na verdade do clube da associação de servidores da União.

Pechincha
Este primeiro lote de imóveis à venda está cotado em R$ 94,8 milhões. Mas com essa crise, revela fonte do Planalto, se o Governo conseguir 80% desse valor já é lucro.

Sem detalhes
A assessoria do Planejamento não informou quem ocupa os imóveis e quando foram comprados e para quê.

ANTT obriga empresas de ônibus a justificar por escrito negativa a gratuidade de idosos

“As empresas de ônibus interestadual terão que justificar, por escrito, a razão da não concessão de gratuidade para idosos. Uma resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), publicada no Diário Oficial da União na última quinta-feira (10), determina que as empresas emitam um documento explicando o motivo da recusa da gratuidade.

“As empresas prestadoras do serviço deverão, em qualquer caso, emitir documento ao solicitante quando da negativa de concessão do benefício”, diz um trecho da resolução. Além disso, o documento precisa conter data, hora e local. A resolução entrará em vigor no dia 9 de dezembro. Atualmente, as empresas não precisam se justificar formalmente aos idosos quando negam a gratuidade.

A obtenção do documento é importante, uma vez que o idoso pode formalizar uma reclamação à ANTT na própria estação rodoviária – aos fiscais ou nos postos da agência – caso constate, no dia do embarque, que a empresa ainda tem vagas de gratuidade disponíveis. Caso o passageiro se sinta lesado pela empresa, também pode contatar a ANTT por telefone, no número 166.

A legislação prevê que as empresas reservem dois lugares para idosos com idade igual ou superior a 60 anos e renda igual ou inferior a dois salários mínimos. A gratuidade vale para os chamados ônibus convencionais, excluindo, assim, os ônibus “leito” e “semileito”.

Ao solicitar uma passagem gratuita, o passageiro deve mencionar que quer um “bilhete de viagem do idoso” nos pontos de venda da transportadora, com antecedência mínima de três horas em relação ao horário de partida. Caso as vagas de gratuidade já estejam preenchidas, é direito do idoso comprar a passagem com 50% de desconto.”

(Agência Brasil)

Buffet que serviu Dilma em Teresina será investigado

107 1

“Após solicitação da Secretaria-Geral da Presidência, a Polícia Federal investigará a empresa contratada para realizar o bufê durante os eventos da presidente Dilma Rousseff em Teresina, que ocorreram nesta sexta-feira, 11, por suspeita de “colocar em risco a segurança” da presidente.

No dia da visita presidencial, a funcionária Priscila Di Schiavi publicou em seu perfil no Facebook uma mensagem avisando que faria o bufê para a presidente e sua equipe e perguntando se alguém teria “algum pedido especial”.

“Hoje a nossa presidente Dilma está em Teresina, e vou ter o ‘prazer’ de fazer o evento para ela e toda equipe. Queria saber dos meus colegas se alguém tem algum pedido especial, afinal é uma oportunidade única”, dizia a publicação, que horas depois foi apagada. O perfil da funcionária também foi desativado.

De acordo com imagens salvas por internautas, a publicação recebeu comentários como “coloca veneno pra ela comer por favor”, “olha a oportunidade de você virar um herói nacional”, “mata essa mulher” e “cavem um buraco bem fundo e vupt!!! Deem um chá de sumiço nessa maldita e em todos da corja dela”.

A publicação gerou reação imediata da Presidência, que também solicitou à Advocacia-Geral da União que avalie possível responsabilização penal e civil dos envolvidos. “A Secretaria-Geral da Presidência da República solicitou à Polícia Federal que investigue e à Advocacia-Geral da União que avalie as medidas cabíveis, para eventual responsabilização penal e civil, decorrente de publicação de informações, em rede social, que poderiam colocar em risco a segurança da Presidenta da República, com possível caracterização de incitação a crime contra a sua pessoa”, diz trecho de nota divulgada pela Secretaria-Geral no Twitter.

“O fato é agravado pelo envolvimento de empresa que prestaria serviços em evento da Presidência em Teresina – PI. Repudiamos qualquer forma de incitação a crime ou a atentado contra qualquer pessoa”, conclui o texto.

O outro lado

A reportagem entrou em contato com a empresa La Trufel, em Teresina. Uma atendente que se identificou como Camila confirmou a publicação no Facebook, mas disse que ela foi apagada e o perfil da funcionária foi desativado, a pedido da Presidência. Ela afirmou, contudo, que o serviço de bufê foi prestado normalmente e que não tem conhecimento de investigações sobre a empresa ou a funcionária.

A atendente não informou quem seriam os responsáveis pela empresa e não respondeu qual era a intenção da funcionária ao fazer a publicação.”

(Com Agências)

Governo publica decreto que regulamenta o Cadastro Nacional de Médicos Especialistas

“Depois de polêmica entre governo e entidades médicas, foi publicada hoje (11) no Diário Oficial da União (DOU) o novo texto do decreto que regulamenta o Cadastro Nacional de Especialistas, preparado pelo governo e entidades médicas. Segundo o Ministério da Saúde, o cadastro será uma forma de dispor, em um só documento, o número de médicos especialistas no país, como pediatras, oftalmologistas, cardiologistas, e também o local onde eles clinicam.

O objetivo é ter uma ferramenta que auxilie na construção de políticas públicas de saúde, mostrando quais especialidades precisam de mais profissionais, e como eles estão distribuídos geograficamente, para possibilitar o planejamento da formação e distribuição de novos médicos especialistas.

As entidades médicas repudiaram o decreto original, publicado no começo de agosto. Segundo a categoria, o texto abria brechas para que o governo facilitasse a concessão de títulos de especialista. Porém, o Ministério da Saúde negou que esta fosse a intenção. Foi criado, então, um grupo de trabalho, onde médicos e governo entraram em consenso.

Previsto na Lei do Mais Médicos, o cadastro vai integrar a base de dados dos sistemas de informação em saúde do Sistema Ùnico de Saúde (SUS), da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Associação Médica Brasileira (AMB) e das sociedades de especialidades a ela vinculadas.

Segundo o Ministério da Saúde, o banco de dados incluirá informações sobre as formações e pós-graduações dos profissionais. Em relação às regras sobre o aproveitamento acadêmico das especialidades, parte criticada pelos médicos em documento anterior, ficou definido que o cadastro não vai tratar desse tema.”

(Agência Brasil)

UFCA abre concurso para cinco cargos de servidor técnico-administrativo

“A Universidade Federal do Cariri abriu inscrições para cinco cargos de servidor técnico-administrativo em Educação nas áreas de técnico em calçado, técnico em joia (ourivesaria), técnico em audiovisual e técnico na área de laboratório de práticas em jornalismo. Os interessados podem se inscrever a partir da próxima segunda-feira, 14, por meio da Plataforma FORMS.

Os candidatos serão submetidos a duas provas de múltipla escolha: uma de língua portuguesa e outra de conhecimentos específicos. Para os cargos de técnico em audiovisual e técnico na área de laboratório de práticas em jornalismo, haverá prova prática.O valor da taxa de inscrição é de R$ 63,00 para todos os cargos.

O salário oferecido é de R$ 2.175,17, acrescido de auxílio alimentação no valor de R$ 373,00, totalizando R$ 2.548,17. O regime de trabalho será de 40 horas/semanais. As inscrições seguem até 30 de setembro.

SERVIÇO

*Para mais informações acesse o edital nº 36/2015 aqui.

Cid Gomes é alvo de festa literária

foto cid ferreira gomes

A Academia Cearense dos Escritores e a Editora Premius vão entregar a comenda Cultura. O ato ocorrerá, a partir das 19 horas, no Clube Náutico.

Serão agraciados o ex-governador Cid Gomes, o ex-deputado federal Mauro Benevides, o escritor Juarez Leitão, o livreiro Sérgio Braga e o cantor Raimundo Fagner.

Ainda no ato, haverá o lançamento do livro “O Contador de Histórias”, de César Barreto e Saulo Barreto Lima.

Muita crítica ao Governo Dilma e pouco de jornalismo

100 2

Com o título “O bom jornalista não propaga “ondas” gratuitamente”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele aborda a cobertura da mídia no atual momento do Governo de Dilma Rousseff e indaga: será que não há nada de positivo ou nada de positivo que foi feito? Confira:

Nada a ver com Física. As “ondas” de que falo têm outra raiz e magnitude. Como em qualquer outro segmento social, jornalistas são convidados a concordar ou discordar de fatos e eventos. Mais que isso: trabalham num lugar, chamado “redação”, para onde confluem interesses políticos, econômicos, culturais, religiosos e esportivos, dentre outros. Mais que isso: ajudam a sociedade a escolher quais assuntos a serem colocados em pauta.

Notícias veiculadas em jornal, rádio, TV e internet viram nossos assuntos do dia-a-dia: em casa, no bar, no trabalho, na escola, na igreja. Teoricamente, são fatos recentes, de relevância social, apurados com todo rigor das técnicas jornalísticas, escritos e editados de forma clara e objetiva. Evidente que jornalistas trabalham com o aqui e o agora e são sujeitos ao erro pela imposição de pouco espaço e tempo reduzido. Porém, os erros vêm se sucedendo de maneira cada vez mais usual.

O mundo cada vez menor e mais rápido das redes sociais encurtou de vez o processo de produção jornalística. Na ânsia inócua de concorrer com “jornalistas de ocasião” das redes sociais, alguns veículos estão apelando. São erros grotescos de apuração e divulgação irresponsável de denúncias que acabam comprometendo a credibilidade e, consequentemente, até mesmo a sobrevivência destes meios no mercado.

O pior de tudo, porém, são as “ondas”. Modismos que chegam à redação na forma de opiniões prontas, visões de mundo pré-definidas, ângulos de enfoque viciados. O repórter não vai a campo “investigar”, mas “confirmar” uma “verdade” já aceita no ambiente de trabalho. Isso é péssimo. Denunciados são tratados como culpados. Opiniões baseadas em especulações são tratadas como se fossem notícias refletindo fatos.

Como se diz no popular, depois que o boi está morto, toda e qualquer pessoa se acha no direito de chutar a carcaça. É fácil e não exige o menor esforço. Pegue-se o exemplo da cobertura sobre o governo Dilma. Com ações reconhecidamente ruins do ponto de vista administrativo, inúmeras denúncias de corrupção e uma popularidade que não para de cair, naturalmente o tom tenderá a ser negativo.

Mas aí, eu pergunto: não há nada de positivo para se cobrir deste governo? Nada está sendo feito? Todas as políticas anteriores bem sucedidas deixaram de existir? Quem sempre fez crítica está aproveitando o momento para aparecer. Quem nunca fez, engrossa o coro para se sentir aceito pela maioria. Quem ainda acredita, ou se está constrangido ou apela para a defesa inconseqüente. Há ódio dos dois lados. Há pouca racionalidade. Há pouca objetividade. Há pouco jornalismo.

* Demétrio Andrade
Jornalista e sociólogo.

Operação Lava Jato – Sérgio Moro revoga prisão preventiva de ex-gerente da Petrobras

“O juiz federal Sergio Moro revogou hoje (11) a prisão preventiva do ex-gerente da Petrobras Celso Araripe, investigado na Operação Lava Jato. Atendendo a um pedido da defesa, Moro decidiu substituir a prisão por medidas cautelares, como a proibição de deixar o país e o comprometimento de comparecer a todos os atos processuais.

De acordo com as investigações, o ex-gerente recebeu R$ 3 milhões em propinas para facilitar a aprovação de aditivos de contratos para a construção da sede da Petrobras em Vitória (ES). Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o repasses teriam sido feitos pelo Consórcio OCCH, formado pelas empreiteiras Odebrecht, Camargo Côrrea e Hochtief do Brasil, por meio da subcontratação da empresa Freitas Filho/Sul Brasil Construções.

Na decisão, Moro entendeu que, apesar das acusações, não houve mudanças nas provas e, portanto, Araripe pode responder ao processo em liberdade. “Apesar disso, entendo que, apesar das inconsistências e pontos obscuros referidos, diante da apresentação de uma possível causa lícita para as transferências entre a Freitas Filho/SulBrasil e Celso Araripe, a prudência recomenda nessa fase a substituição da prisão preventiva por medidas cautelares alternativas”, afirmou Moro.”

(Agência Brasil)

Planalto nega saída de Mercadante

mercadante

“O Palácio do Planalto divulgou hoje (11) nota oficial em que desmente reportagem sobre a possível saída do ministro Aloizio Mercadante da chefia da Casa Civil da Presidência da República. Por meio do comunicado, a Secretaria de Comunicação Social diz que Mercadante “detém toda confiança” da presidenta Dilma Rousseff e que mantém trabalho “fundamental para a gestão”.

De acordo com a nota, o ministro tem colaborado na construção da estabilidade política, “fator importante para a criação do ambiente necessário para a retomada do crescimento econômico, geração de empregos e distribuição de renda”.

Reportagem publicada na edição desta sexta-feira pelo jornal Folha de S.Paulo diz que a presidenta que Dilma Rousseff estuda a substituição de Aloizio Mercadante por um quadro fora do PT, com receptividade na base aliada e na oposição, com o objetivo de melhorar a governabilidade e diminuir o número de derrotas do governo no Congresso.

Segundo o Planalto, o texto publicado pelo jornal não condiz com a realidade e serve para “fomentar especulações desnecessárias”. Após a publicação da nota no Blog do Planalto, no entanto, o jornal manteve a informação e disse que ela foi apurada com três interlocutores diferentes da presidenta.”

(Agência Brasil)

PF pede ao STF para ouvir Lula

122 2

alx_luis-inacio-lula-da-silva-20150330-0002-ale_original

“A Polícia Federal encaminhou ao Supremo Tribunal Federal um relatório pedindo que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja ouvido nas investigações da Operação Lava Jato. O documento, assinado pelo delegado Josélio Azevedo de Sousa, ressalta que o cenário faz com seja necessário que Lula apresente sua versão sobre os fatos investigados “que atingem o núcleo político partidário do seu governo”.

“Atenta ao aspecto político dos acontecimentos, a presente investigação não pode se furtar de trazer à luz de apuração dos fatos a pessoa do então presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva que, na condição de mandatário máximo do País, pode ter sido beneficiado pelo esquema em curso na Petrobras, obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para o seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidário sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”, diz trecho do relatório.

No documento, são mencionados depoimentos de dois delatores da Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. O delegado diz que ambos fazem menções ao ex-presidente Lula. “Os delatores presumem que o ex-presidente tivesse conhecimento do esquema, mas não dispõem de elementos concretos para a participação dele”, diz o texto.”

ESTADÃO conteúdo