Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Partido da Mulher ainda não sabe se ficará do lado da mulher do Palácio do Planalto

domingosneto

O líder do Partido da Mulher Brasileira na Câmara, Domingos Neto, anuncia: o partido ainda não definiu o rumo que adotará com relação ao processo de impeachment acatado pelo presidente da Casas, Eduardo Cunha (PMDB/RJ).

O PMB indicará o seu representante, mas ainda fará reunião para avaliar o cenário político do País.

Sobre o partido, Domingos Neto informou que no Ceará a legenda já conta com  dois deputados federais – ele e Macedão, e mais cinco parlamentares estaduais. Também anunciou que virá uma campanha de filiações, dentro do objetivo de reforçar a sigla para 2016.

Garantido na Série B, Ceará precisa agora pensar grande

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=xx7f7YR9Jys[/youtube]

Evaristo Nogueira, comentarista e narrador esportivo da Rádio O POVO/CBN e do programa “Trem Bala”, da TV OM POVO, avisa: o time do Ceará, que se manteve na Série B, do Brasileirão, precisa agora pensar grande e investir  num bom elenco.

Nada de querer formar time ao longo dos certame, até porque o Ceará, com a queda do Vasco, do Goiás e do Avaí para a Série B, não terá vida fácil.

Comissão do Impeachement deve ser definida só nesta terça-feira

“Com partidos de oposição formando uma chapa alternativa para a comissão do impeachment, a votação que oficializará os nomes do colegiado não deve ser encerrada nesta segunda-feira.

Além de questões regimentais, discussões sobre voto aberto ou fechado, caso o governo consiga eleger a chapa oficial o mais provável é que vagas destinadas à oposição não sejam preenchidas, o que levará à necessidade de uma eleição suplementar, arrastando o caso para terça-feira.”

(Coluna Radar, da Veja Online)

Eduardo Cunha fora! Para o bem do Brasil

Com o título “Pelo bem do Brasil”, eis artigo do deputado federal Leônidas Cristino (Pros). Ele defende o imediato afastamento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), para o bem do Pais. Confira:

A Câmara dos Deputados passa por um processo de desgaste da imagem por conta da permanência do presidente Eduardo Cunha na direção da Instituição. Denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por suspeita de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, está sendo investigada a sua implicação nos desvios de conduta apurados na Operação Lava Jato.

Assinei a representação no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara contra este parlamentar, em consequência das graves denúncias do Ministério Público Federal. O deputado perdeu, há muito tempo, o benefício da dúvida.

Por essas razões, defendo que ele deve afastar-se da Presidência, para o bem do Parlamento e da Nação, até que tudo seja esclarecido, evitando a suspeição de uso do cargo em sua defesa. A presidência da Câmara Federal representa a instituição, um colegiado de 513 deputados. O seu titular, por ser o terceiro na linha sucessória da República, deve ter conduta ilibada.

É inadmissível que pese suspeita de que o cargo de presidente da Câmara foi instrumentalizado para a defesa de interesses questionáveis do ponto de vista moral. 

Esperamos que Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados não falte com o Brasil.

Com a cobrança da opinião pública e o surgimento de novos fatos e denúncias, quase metade da Câmara já quer o afastamento. Pesquisa Datafolha com 324 deputados (63% da Casa), realizada entre 19 e 28 de outubro, revelou que 45% pediram a renúncia do deputado Eduardo Cunha e 35% apoiam a sua cassação. Estou no primeiro grupo. 

Enquanto ele não sair, segue a triste cena que o País acompanha pelo noticiário. A ele cabe todo o direto de defesa no processo democrático. Mas até agora não vimos argumento convincente capaz de legitimar a sua continuidade no cargo.

Leônidas Cristino

dep.leonidascristino@camara.leg.br

Deputado federal (Pros)

Dilma diz que não desconfia um milímetro de Temer

DILMA PARTICIPA DE COMEMORAÇÃO DO DIA DO EXÉRCITO

“A presidenta Dilma Rousseff disse não ver motivos para desconfiar “um milímetro” do vice-presidente Michel Temer. Ela disse que não percebe movimentos dúbios por parte de Temer, que não só confia como sempre confiou nele e que o vice-presidente sempre teve um comportamento “bastante correto”.

Dilma Rousseff afirmou, durante entrevista a jornalistas, que tem conversado “bastante” com Temer nos últimos dias e os diálogos têm sido muito bons. “O silêncio depende de quem está escutando. Eu não tenho escutado silêncio nenhum”, disse. Desde a última quarta-feira (2), quando foi aceito o pedido de abertura de impeachment, o vice-presidente ainda não se manifestou publicamente sobre o assunto. Após se encontrar rapidamente com Dilma na quinta-feira (3), ele viajou para São Paulo por causa de compromissos pessoais, e não participou da reunião de coordenação política promovida por Dilma Rousseff com 23 ministros.

A presidenta disse que pretende se encontrar ainda hoje com o vice, que retorna a Brasília no final da tarde após participar de um evento em São Paulo.Perguntada se esperava algum comportamento do vice sobre o tema, Dilma disse que não espera “nada de diferente” do que ele tem feito até hoje. “Ele tem sempre tido um comportamento bastante correto. Ele sempre foi extremamente correto comigo, e tem sido assim. Não tem porque eu desconfiar dele um milímetro”, afirmou.”

(Agência Brasil)

Lula afirma: Motivações de impeachment são ódio e preconceito

alx_luis-inacio-lula-da-silva-20150330-0002-ale_original

“O ex-presidente Luiz Inácio da Silva disse, nesta segunda-feira, 7, que a motivação por trás do pedido de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff é ódio. “O impeachment faz parte um processo democrático, mas o impeachment tem que ter uma razão, uma motivação. No caso da Dilma, não tem nenhuma motivação, nem razão a não ser ódio, a não ser preconceito”, ressaltou em discurso, ao participar de um encontro de articulação de movimentos sociais e centrais sindicais contra o impedimento.

As lideranças sindicais e da sociedade civil devem passar o dia reunidas e anunciar à noite uma agenda de manifestações contra a destituição da presidenta. O processo começou a tramitar na semana passada, quando o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB) acolheu o pedido elaborado pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal. Os nomes dos deputados que vão compor a Comissão Especial que vai analisar o pedido devem ser anunciados no início da noite de hoje.

Lula disse que a continuidade de Dilma no poder é fundamental para evitar retrocessos sociais no Brasil. “Para a gente reconstruir o direito de brigar outra vez, a gente não pode permitir que haja um golpe de Estado, via impeachment no Congresso Nacional. Porque não tem base jurídica, como não tem base política”, enfatizou.

O ex-presidente acusou os partidos de oposição, derrotados naeleição de 2014, de boicotarem o governo federal no Congresso, impedindo a adoção de medidas necessárias para a recuperação econômica. “A oposição é que não desmontou o palanque, não desmontou o carro de som. Faz todo o esforço para evitar que a companheira Dilma governe este país. Faz todo o esforço para evitar que as coisas aconteçam nesse país”, disse.

Para Lula, o movimento pelo impeachment é, na verdade, uma luta contra o projeto político implementado pelo PT nos últimos anos: “Eles querem tirar a Dilma, porque sabem que enquanto ela estiver lá, os pobres vão continuar tendo direito a universidade, as cotas vão ser defendidas e o Minha Casa, Minha Vida vai continuar”.

Na opinião do ex-presidente, o governo deve monitorar de perto as movimentações dos parlamentares. “É importante que a gente não abra mão de fiscalizar e saber construir a maioria absoluta que nós precisamos ter dentro do Congresso Nacional, para evitarmos ser pegos de surpresa em uma votação qualquer”, disse.

Os meios de comunicação também precisam, na opinião de Lula, serem monitorados pela sociedade civil. “Porque a imprensa pode ter um papel extraordinário de ajudar a informar corretamente a sociedade brasileira. O que seria muito bom. Ou ela pode fazer uma opção de ter uma pendência para esse ou aquele lado. Se ela tiver que fazer essa opção, que ela faça para o lado decente da política brasileira, o lado justo e do respeito à democracia e ao Estado de Direito”.

União

Lula também defendeu a união entre os diversos movimentos e partidos, deixando as diferenças temporariamente de lado. “É como se nós estivéssemos andando em um trem que tivesse descarrilado. Nós agora não temos que ficar brigando qual é o vagão que a gente vai. A gente tem que colocar o trem outra vez nos trilhos. Quando ele estiver no trilho, a gente vai brigar”, recomendou.

Nesse sentido, o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, João Paulo Rodrigues, disse que há unidade em torno da defesa do mandato, apesar das divergências com o governo. “Ela tem que terminar o seu mandato. Então, os movimentos tem que continuar pressionando, pedindo mudanças no governo, para que possa atender ao conjunto das pautas. Mas o que deu unidade aqui é a manutenção e garantia do mandato. Nesse sentido, nós vamos fazer uma grande jornada de lutas”, ressaltou ao defender avanços na reforma agrária e mudanças na política econômica.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores, Vagner Freitas, destacou que os sindicatos também esperam mudanças nos rumos da economia. No entanto, a central sindical não acredita que a destituição de Dilma seja o caminho para isso. “Nós sabemos que tem que ter transformação. Mas a transformação não se dá pelo impeachment. O impeachment é apenas um subterfúgio do Cunha e aqueles que perderam a eleição para tomar o poder. Não é para melhorar o povo brasileiro”, enfatizou.”

(Agência Brasil)

Cid Gomes ganhará homenagem nesta segunda-feira

NACIONAL

O ex-governador Cid Gomes (PDT) ganhará homenagem no Jantar do Boi, festa tradicional do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Carnes de Fortaleza. Será nesta segunda-feira, a partir das 19 horas, no Ilmar Gourmet.

Cid, bom lembrar, até bem pouco tempo, era o ministro da Educação no segundo Governo Dilma. Acabou demitido por ter chamado o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), hoje alvo de processo de cassação, de “achacador”.

O evento do SindCarnes ainda prestará homenagem a outras personalidades. Da área da imprensa, José Rangel.

Sudene pode ter inclusão de cidades do Vale do Rio Doce

178 1

“A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou projetos que estendem da área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Entre as propostas está a inclusão dos municípios situados no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais. A região foi afetada pelo rompimento da barragem de contenção de rejeitos de mineração da empresa Samarco, ligada à mineradora Vale, no município de Mariana (MG), ocorrido no início de novembro.

Há também propostas para a inclusão de 47 municípios mineiros e todos os municípios do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. A principal delas é o Projeto de Lei Complementar (PLP) 76/07, que tem outros seis projetos apensados.

Pela Lei Complementar 125/07, compete à Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) promover o desenvolvimento includente e sustentável de sua área de atuação, que abrange todo o Nordeste e municípios do norte mineiro e capixaba. Atualmente, a área da Sudene compreende 88 dos 853 municípios de Minas Gerais e 26 dos 78 municípios do Espírito Santo. O Rio de Janeiro ainda não conta com integrantes na região.

O relator, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), explica que a proposta visa estender a medida para municípios com as mesmas condições sociais dos que já estão na área de atuação da superintendência. Pacheco foi designado relator substituto e acatou integralmente o parecer do deputado Evandro Gussi (PV-SP). Como a CCJ analisou os projetos de acordo com sua adequação à Constituição e à legislação brasileira, todos foram considerados aptos, e a decisão final sobre as mudanças deve ser dada pelo Plenário.

O texto original do PLP 76/07, do ex-deputado José Fernando Aparecido de Oliveira, menciona apenas 43 municípios mineiros e mais um capixaba. Apesar de ter sido aprovado em 2007 pela Comissão da Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional, e em 2013 pela Comissão de Finanças e Tributação, somente esse ano outras três propostas foram apensadas, totalizando sete propostas sobre a área da Sudene.”

(Agência Câmara)

Senac vai inaugurar a Escola Técnica Ivens Dias Branco

127 1

foto 130818 ivens dias branco

O controlador do Grupo M. Dias Branco, Ivens Dias Branco, dará nome à Escola Técnica que o Senac está implantando na cidade do Cedro (Centro-Sul). A inauguração do equipamento ocorrerá na próxima sexta-feira.

Ivens Dias Branco confirmou presença no ato e, claro, matará saudades de sua terra natal.

A Escola Técnica Senac Ivens Dias Branco vai formar técnicas para diferentes áreas da atividade comercial na região.

O POVO lançará nesta segunda-feira o especial “Iracema – 150 Anos”

0512CD0201

O POVO lançará segunda-feira, às 19h30min, no Espaço O POVO de Cultura & Arte, o especial Iracema – 150 Anos, com veiculação na terça-feira. O caderno terá oito páginas, um webdoc e hotsite do portal O POVO Online. 

No lançamento, a escritora Ângela Gutierrez e a professora de literatura Cícera Holanda vão expor o projeto. A mediação será do jornalista Henrique Araújo.

Haverá ainda apresentação da cantora Mona Gadelha.

Danilo Forte é confirmado pelo PSB para compor comissão especial do impeachment

daniloforte

O PSB confirmou no início da tarde desta segunda-feira (7) o nome do deputado cearense Danilo Forte como um dos quatro integrantes do partido na comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Ao todo, a comissão contará com 65 deputados. Confira as vagas: PT e PMDB (oito integrantes, cada), PSDB (seis integrantes), PP, PR e PSD (quatro integrantes, cada), PTB (três integrantes), DEM, PRB, SD, PSC, PDT e PROS (dois integrantes, cada), PHS, PTN, PMN, PEN, PCdoB, PPS, PV, SOL, PTC, PTdoB, Rede e PMD (um integrante, cada).

Processo do impeachment sem direito a recesso parlamentar

187 2

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=1InP_-NfVtQ[/youtube]

O jornalista Plínio Bortolotti defende, ao comentar o processo de impeachment acatado pelo presidente da Câmara dos Deputados,  Eduardo Cunha (PMDB/RJ), que sua apreciação seja breve.

Para Plínio, deveria, para isso, que o recesso parlamentar não ocorresse. Ele sustenta que o País não pode parar e ficar sem perspectivas por conta desse processo que, na sua avaliação, veio mais por sentimento de vingança da parte de Cunha, ameaçado de cassação.

Terminal de Passageiros do Mucuripe – Arrendamento vai ficar para 2016

10314002_483452535133292_8980579998206969151_n

No próximo dia 9, a União fará o primeiro leilão de áreas portuárias para arrendamento. O Terminal de Passageiros do Porto do Mucuripe que, no momento, opera como salão de festas, fica para 2016.

A informação é de que o processo de leilão do terminal continua na Agência de Transportes Aquaviários (Antaq) sem definição.

O titular desse órgão é o cearense Pedro Brito.

Mobilidade é conceito fundado no cidadão, não no veículo

Com o título “Sustentabilidade, mobilidade e sensatez”, eis artigo do presidente do Sindiônibus Fortaleza, Dimas Barreira. Ele aborda a questão da mobilidade como prioritária. Confira:

É consenso: sustentabilidade é tema prioritário! O homo sapiens surgiu há mais de 100 mil anos e, nos últimos 50 anos, está conseguindo esgotar o planeta em busca de hábitos levianos de consumo e ocupação da terra. A maioria dos países busca padrões de vida americanos sem se preocupar com o fato de que, se este objetivo de consumo for atingido, o planeta sucumbe.

A concentração nas áreas urbanas possibilita grandes avanços pela organização social e sinergia produtiva dos cidadãos, ao mesmo tempo que desafia urbanistas a encontrar propostas de cidades viáveis a longo prazo com nossa escassa capacidade de investimento.

Precisamos rever costumes, realizar a cada dia mais de nossas atividades com menos recursos e menos poluição. O compartilhamento é uma das chaves dessa eficiência.

A mobilidade é essencial às cidades. Circular é a garantia de que tudo aconteça. Trabalho, estudo, lazer, comércio, etc, e o transporte coletivo é uma maneira compartilhada e sustentável de se locomover. Além de substituir muitos automóveis, 35 ônibus com tecnologia atual poluem o mesmo que 1 único ônibus do início dos anos 90.

Imagine duas quadras entupidas com 100 automóveis quase parados e emitindo poluição. Agora substitua por 2 ônibus: pista livre e fluida, muito menos poluição, espaço para circularem outros veículos automotores indispensáveis e para ciclofaixas e pedestres circularem com segurança. Imagem de uma cidade mais moderna, justa e sustentável.

Mobilidade é um conceito fundado no cidadão, não no veículo. Segundo a Lei Federal da Mobilidade (12.587, 3/1/12), a prioridade é do não motorizado e do coletivo em relação ao individual. Pela sustentabilidade e justiça cidadã, minha visão particular é que toda ação coletiva é prioritária.

Passaremos por ajustes duros, com mudança de hábitos e revisão de conceitos. Muitas das realidades inevitáveis contrariam nossos velhos hábitos e muitos choques ocorrerão. Enquanto a gente se adapta, bom senso é imprescindível.

Precisaremos ceder em alguns desejos e hábitos incompatíveis com essa nova era e alguns precisarão se engajar na defesa das mudanças, mas sempre com razoabilidade e tolerância. Guerrear ou dividir a população em dois polos adversários não ajuda, pois todos precisamos das mesmas soluções e só com harmonia chegaremos a elas.

* Dimas Barreira

Presidente do Sindiônibus de Fortaleza.

Reestruturação do DNOCS é tema de debate na Assembleia Legislativa

O projeto de reestruturação do DNOCS será tema de audiência pública nesta segunda-feira, às 14h30, na Assembleia Legislativa. A audiência foi solicitada pelo deputado estadual Carlos Matos (PSDB) e será realizada no Complexo de Comissões Técnicas da Casa. Segundo Carlos Matos, o DNOCS precisa passar por uma remodelagem para se adequar aos desafios futuros no combate à estiagem.

“O Ceará não teria se desenvolvido sem o DNOCS. Fez-se tudo para matar o órgão. Agora, é preciso traçar um plano novo para a instituição, e não extinguir o DNOCS. Cabe ao Departamento gerir as obras do São Francisco, que envolve mais de um estado, e não às secretarias estaduais”, explica o parlamentar.

Para essa audiência pública foram convidados o diretor-geral do DNOCS, Walter Gomes, o presidente da Associação dos Servidores do DNOCS, Roberto Mouse, o secretário de Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, o secretário de Agricultura, Aquicultura e Pesca, Osmar Baquit, um representante dos Perímetros Irrigados e o representante da Câmara Setorial de Frutas, João Teixeira.

Mercado projeta inflação de 10,44% neste ano

“A projeção de instituições financeiras para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), este ano, subiu pela 12ª semana seguida, ao passar de 10,38% para 10,44%. Para 2016, a estimativa para o IPCA também subiu: de 6,64% para 6,70%. Essas projeções fazem parte do Boletim Focus do Banco Central (BC), publicação semanal, feita com base em projeções de instituições financeiras.

Devido às dificuldades na política fiscal do governo, o BC espera que a inflação fique na meta somente em 2017. Anteriormente a expectativa era 2016. Na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada quinta-feira (3), o BC disse que adotará as medidas necessárias para trazer a inflação o mais próximo possível de 4,5%, sem estourar o teto da meta (6,5%), em 2016. Para 2017, o comitê esperar fazer a inflação convergir para o centro da meta (4,5%).

Antes de adiar o objetivo de levar a inflação ao centro da meta, o Copom elevou a taxa básica de juros, a Selic, por sete vezes consecutivas. Nas reuniões do comitê em setembro, outubro e novembro, o Copom optou por manter a Selic em 14,25% ao ano.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

A pesquisa do BC também traz a projeção para a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que passou de 10,91% para 11,04%, este ano. Para o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), a estimativa subiu de 10,77% para 10,80%, em 2015. A estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) foi ajustada de 10,32% para 10,77%, este ano. Já a projeção para a alta dos preços administrados passou de 17,50% para 17,65%, em 2015, e de 7,08% para 7,35%, em 2016.”

(Agência Brasil)

 

Governo do Espírito Santo decreta estado de emergência contra a Zika vírus

“O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, decidiu decretar estado de emergência contra o mosquito Aedes aegypti.

Hartung reuniu prefeitos, a equipe de governo, professores da universidade federal, o Exército e médicos especialistas para discutir medidas para evitar uma epidemia de zika vírus.”

(Coluna Radar, da Veja Online)

PT e PMDB podem abrir mão do comando da comissão especial do impeachment

O PT e PMDB avaliam abrir mão de indicar o comando da comissão especial que vai analisar a admissibilidade do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. O objetivo é trabalhar para emplacar nomes de partidos aliados na coordenação dos trabalhos. Um dos cotados pelo PT para presidir o colegiado é o deputado Paulo Magalhães (PSD-BA), próximo ao ministro da Casa Civil, Jaques Wagner.

Tradicionalmente, as duas maiores siglas ou blocos partidários indicam o presidente e o relator das comissões especiais. Mas, dessa vez, a eleição será aberta a todas as siglas e haverá disputa. PT e PMDB estudam não participar com o argumento de que têm interesses diretos no processo em análise, uma vez que Dilma é filiada ao PT e o vice-presidente Michel Temer, ao PMDB.

“É praxe na Casa as duas maiores bancadas indicarem o comando das comissões especiais. No entanto, existe no PMDB e no PT quem defenda que como os dois partidos têm interesses direto no debate, que não fosse nenhum dos dois a ocupar a função. Nós do PMDB não vamos chegar com um pacote fechado. Vamos ter que encontrar um nome que tenha credibilidade, com trânsito”, disse o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ).

Os petistas afirmam que é “natural” que o comando da comissão fique entre os aliados e não com um representante do partido. O argumento é que o deputado Paulo Magalhães tem se mostrado fiel a Jaques Wagner e ao governador da Bahia, o petista Rui Costa. Ao jornal O Estado de S. Paulo, Magalhães sinalizou estar disposto a disputar um cargo no comando do colegiado caso seja convidado. “Essas coisas a gente não pede, a gente recebe como missão. E missão é para ser cumprida”, afirmou.

Num discurso afinado com o Palácio do Planalto, o deputado do PSD defendeu que o Congresso funcione em janeiro para dar andamento ao processo. “Temos de ter disposição para trabalhar em janeiro e essa tem de ser uma decisão imediata. É o futuro do País”, justificou.

As negociações em torno de nomes para o comando da comissão especial, contudo, irão depender das indicações dos 65 deputados que irão participar dela. A base aliada teria, pelo menos, a metade das vagas. Contudo, não é possível garantir que todos os nomes serão fiéis ao governo.

Prazo

Devido à grande demanda de parlamentares e os cálculos que as bancadas ainda fazem, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu prorrogar o prazo final para a apresentação dos nomes, de 14h para até as 18h desta segunda-feira, 7.

Aliado do Planalto, o líder do PMDB deve indicar deputados com perfis “moderados” e contra o afastamento da presidente. Parlamentares próximos de Cunha não devem ter espaço na lista de indicados de Picciani – que deve ser um dos oito membros da comissão.

“A chave de toda a coisa é o PMDB. É o PMDB que terá peso na evolução do processo do impeachment”, comentou o líder do DEM, Mendonça Filho (PE). A sigla, que tem duas vagas (mais duas suplências), deve indicar Rodrigo Maia (RJ) e ainda discute o segundo nome. Mendonça disse que não vai se auto indicar. “É muita demanda. No meio de uma disputa dessa, líder tem de ser generoso”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.”

(ESTADÃO conteúdo)

Uma homenagem à pesquisadora da renda dos bilros que ganharam o mundo

Com o título “Renda de bilros e Valdelice Carneiro Girão”, eis artigo do poeta e empresário João Soares Neto. Ele presta uma homenagem a uma pesquisadora, que trouxe à tona a história da renda de bilros. Confira:

“A história universal é a de uma só pessoa”. Jorge Luís Borges 

Quando conheci Valdelice Carneiro Girão ela já era professora formada em geografia e história. Morava com mãe e irmãos na Rua D. Sebastião Leme. Eu era adolescente e sempre gostei de conversar com pessoas cultas e mais velhas. Valdelice foi uma das escolhidas. Em decorrência desses encontros, surgiu a ideia de se criar um grupo para congregar jovens e adultos.

Surgiu, então, o GIRAFA- Grupo de Instrução e Recreação Atlética de Fátima. Pelo nome, notam-se as palavras instrução (informação e conhecimento), recreação (brincadeiras em épocas de Carnaval, Semana Santa, São João, Natal e férias), atlética (equipes de voleibol). Todos moravam perto, no Bairro de Fátima. Lembro que até editei alguns números do jornal “GIRAFA”, em mimeógrafo, equipamento hoje em desuso em face da tecnologia voraz.

Fui escolhido para ser o primeiro presidente do Girafa e levei a missão a sério. Até júri simulado aconteceu. Era uma Semana Santa. Resolvemos fazer julgar Judas Escaríotes. Fui escalado para defendê-lo. Vali-me da Bíblia e invoquei estar escrito que um dos discípulos traria a Jesus. Ora, se Judas era apenas instrumento da vontade divina, como poderia ele se esquivar de tal predestinação (Marcos 14:18)? Depois de muitos debates, com a presença do futuro Juiz de Direito, José Carneiro Girão, Judas foi absolvido. Mesmo assim, foi malhado e queimado, como de praxe.

Esta introdução foi o aplique que encontrei para a tessitura pela minha agulha imagética em homenagem à acatada amiga e Mestra Valdelice. Ela era antropóloga e historiadora que dedicou grande parte de sua vida ao Instituto do Ceará, não só como sócia efetiva, mas como secretária geral.

Valdelice lançou em 2013 o seu último livro, “Renda de Bilros”, bem cuidado, capa dura, parte da Coleção do Museu Arthur Ramos, editado pelo Instituto do Ceará. Na Introdução, ela diz: “As rendas de bilro do Museu Arthur Ramos, da Universidade Federal do Ceará, estão divididas em duas partes: Coleção de Luísa Ramos e Coleção Rendas do Ceará”…“Nossa experiência se limita, pois ao Ceará”. Na verdade, ela cobriu tudo o que o Brasil produziu.

Depreende-se do lido e do transcrito, o zelo da professora Valdelice se faz notar nas 267 páginas do livro, enriquecido por fotos monocromáticas e coloridas de Delfina Rocha e do acervo do Museu Arthur Ramos. A pesquisa dela abrange não apenas o Ceará, mas Alagoas, Bahia, Maranhão, Paraíba, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Rio Grande do Sul.

No Ceará, os maiores centros de produção e comércio de rendas ainda resistem em Aquiraz, Fortaleza, Caucaia, Aracati, Beberibe, Guanacés, Quixadá, Limoeiro do Norte, Maranguape, Morada Nova, Mundaú, Pacajus, Redenção, Russas e Várzea Alegre. Em Fortaleza, podem ser encontradas no Mercado Central, no antigo presídio/ Emcetur e no Centro de Artesanato Luiza Távora.

Como se sabe, as rendas de bilros surgiram na Europa, na Idade Média. Para o Brasil foram trazidas e ensinadas por mulheres de portugueses aqui aportados no século XVIII. Esse delicado artesanato é festa para os olhos e realça as roupas e adornos femininos. As tramas são copiadas ou inventadas no fantástico mundo criativo de mulheres assentadas em bancos, debruçadas sobre almofadas recheadas de alfinetes, linhas e bilros.

Por fim, relembro com saudade aquele tempo no ainda emergente Bairro de Fátima. Reverencio, por justiça, o nome honrado e culto de Valdelice Carneiro Girão.

* João Soares Neto,

Membro da Academia Cearense de Letras.