Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Expectativa dos empresários da indústria sobre a economia registra piora

“Depois de um avanço de 1,9 %, em janeiro, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) caiu 3,4%, em fevereiro sobre o mês anterior, passando de 85,9 pontos para 83 pontos. É o que indica o levantamento Sondagem da Indústria de Transformação feito com 1.133 empresas entre os dias 2 e 24 de fevereiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV).

A pesquisa mensal avalia a percepção do setor sobre os rumos da economia e leva em consideração o momento presente e no curto prazo. As variações referem-se ao período entre dezembro e fevereiro. No trimestre encerrado este mês, foi constatado maior pessimismo sobre o desempenho do setor para os próximos meses. O Índice de Expectativas (IE) recuou 4,9%, atingindo 81,9 pontos.

Essa marca é igual ao apurado em setembro do ano passado e a menor desde abril de 2009 (80,9%). Já o Índice da Situação Atual (ISA) caiu 2,1%, ficando em 84 pontos, o mesmo verificado em dezembro último.

“A piora expressiva das expectativas em relação aos próximos meses reflete o desânimo de um setor que está há seis trimestres sem crescer e com perspectivas ainda negativas no curto prazo, a despeito da evolução favorável ao setor das taxas de câmbio recentemente”, afirma Aloisio Campelo Júnior, superintendente adjunto para Ciclos Econômicos do Ibre-FGV. Para 8,2% dos entrevistados a situação atual dos negócios é boa, percentual inferior ao de janeiro (12,6%). Os que classificam este período como fraco ficou praticamente estável ao passar de 31,2% para 31,3%.”

(Agência Brasil)

FIEC promove debate sobre economia cearense no contexto da política nacional

11-11-11- NATAL 3 X4  BETO STUDARTFOTO/ADRIANO ABREU/H/SELECIONADAS

A Federação das Indústrias do (FIEC) promoverá, a partir das 18h30min desta sexta-feira, em seu auditório, a palestra “A Economia do Ceará no Contexto da Política Nacional”. O convidado é o economista e presidente da LIDE Economia (Grupo de Líderes Empresariais) e da SR Rating, Paulo Rabello de Castro.

A palestra será a terceira edição do Fórum Industrial Ideias em Debate. O evento, que será aberto pelo presidente da Fiec, Beto Studart, faz parte da estratégia adotada pela atual gestão da federação de reunir periodicamente o empresariado local para discutir aspectos de interesse do setor produtivo.

As denúncias de corrupção e as contradições da imprensa

75 3

Com o título “A disseminação da ignorância”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele aborda as contradições da imprensa em meio a tantas denúncias de corrupção. “O papel fiscalizador da imprensa precisa existir e ser estimulado. Mas independentemente de classe social ou ideologia política, os procedimentos investigativos para confirmação de denúncias deveriam ser inatacáveis”, expõe o articulista. Confira:

O texto jornalístico trabalha com vários tipos de discursos. Ao mesmo tempo, é possível identificar matérias sobre o saber eminentemente científico indo até os coloquialismos do cotidiano. Afinal, a notícia em si não deve ter preconceito em relação à origem da informação. Por seu lado, o leitor muitas vezes não possui elementos e ferramentas para julgar a veracidade dos dados divulgados. Daí, a imensa responsabilidade do jornalista: ele deve checar e rechecar o que lhe cai às mãos, pesquisar à exaustão, ouvir diversas fontes, ater-se à descrição dos fatos o mais próximo de como eles ocorreram. Não é tarefa simples.

Nos últimos anos, porém, o comportamento de vários jornalistas e órgãos de imprensa vêm causando espécie. Costumo dizer que há dois princípios do direito fartamente aviltados pela baixa qualidade das matérias veiculadas no país. O primeiro reza que todo cidadão é inocente até que se prove o contrário. Hoje, qualquer suspeito é tratado como culpado, de forma leviana, a troco de interesses mesquinhos, como a busca de um “furo” ou a defesa de um ponto de vista político.

O segundo diz que o ônus da prova cabe ao acusador. Em outras palavras, significa dizer que se alguém acusa outrem de qualquer tipo de irregularidade, em tese este alguém é que teria de provar o que está levantando. O que se enxerga hoje, no país, é justamente o inverso: pessoas tendo sua honra exposta, muitas vezes injustamente, tendo de se desdobrar para provar que são inocentes. O que é píor: quando conseguem, meses ou anos depois, já têm sua imagem negativamente comprometida.

É contraditoriamente risível observar jornalistas e veículos criticando a violência policial, por exemplo, posto que a imprensa está repetindo a mesmíssima prática de atirar primeiro para perguntar quem é depois. Mecanismos como a delação premiada e o segredo de Justiça tornaram-se expedientes banais e, por isso mesmo, francamente desrespeitados. A voz de qualquer bandido confesso tornou-se um oráculo, ganhando, simultaneamente, com uma velocidade nunca vista, divulgação em peso na mídia.

Paralelamente, as técnicas jornalísticas mais elementares ganharam a lata do lixo. Contribuem para isso, sem dúvida, as redes sociais. Que o cidadão seja um divulgador de inverdades na rede, embora errando, é até compreensível. Mas profissionais da informação caírem na mesma esparrela e transformarem qualquer boato em notícia é inaceitável. Quem defende tal prática em nome da “liberdade de imprensa” não enxerga que, de uma hora para outra, pode vir a ter seu nome irremediavelmente comprometido.

O papel fiscalizador da imprensa precisa existir e ser estimulado. Mas independentemente de classe social ou ideologia política, os procedimentos investigativos para confirmação de denúncias deveriam ser inatacáveis. Mal comparando, da mesma forma que a Igreja Católica era uma contumaz censora à época da Idade Média, não é admissível a descontrolada profusão de denúncias sem qualquer critério. Em ambos os casos a sociedade padece pela ignorância, ou por saber de menos ou por achar que sabe demais.

Mais que isso, é perceptível no senso comum hoje o retorno do abjeto sentimento de que o “o Brasil não tem jeito”, como se todos fôssemos desonestos. Esta anti-pedagogia acaba por justificar os atos mais torpes no dia-a-dia, na base do “vou fazer errado porque todo mundo faz”. Por não cumprir sua tarefa de separar o joio do trigo, a imprensa, achando-se acima do bem e do mal e palmatória do mundo, não enxerga seus próprios erros e acaba por jogar todos na mesma vala comum.

* Demétrio Andrade

Jornalista e sociólogo

demetriofarias@gmail.com

Ivana Barreto comandará Fiocruz do Ceará

A médica Ivana Barreto, ex-presidente da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP), vai coordenar a Unidade da Fundação Osvaldo Cruz no Ceará, já operando e com obras físicas sendo tocadas no município do Eusébio.

A confirmação é do secretário estadual da Saúde, Carlile Lavor, que, antes de assumir o cargo, respondia pela Fiocruz local.

Ivana Barreto além do componente técnico, conta também com o componente político. Ela é mulher do deputado federal e médico Odorico Monteiro (PT).

André Figueiredo rejeita e repudia cota de passagem para mulheres dos parlamentares

foto andre figueiredo

O líder do PDT na Câmara, André Figueiredo, rejeito a cota de passagem aérea recriada pela mesa diretora da Casa com objetivo de atender às mulheres dos parlamentares. “Foi uma medida infeliz, um retrocesso no uso criterioso do dinheiro público”, disse o pedetista.

Segundo André, a medida não se enquadra como apoio ao “bom exercício” da atividade parlamenta, configurando-se mais como “mordomia”, que ele não aceitará. “Minha esposa costuma viajar comigo para Brasília ou para outros compromissos do mandato, mas quem paga sou eu. Continuará assim”, complementou André Figueiredo.

Marco Regulatório da Internet tem vigência adiada

“Lei publicada hoje (27) no Diário Oficial da União adia a entrada em vigor do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, sancionado em julho pela presidenta Dilma Rousseff. A Lei 13.102/2015 altera a data da lei que entraria em vigor no dia 30 de outubro de 2014. Com o novo prazo, as novas regras para parcerias e repasses de dinheiro da União a organizações não governamentais (ONGs) passam a valer no fim de julho de 2015, um ano após a sanção.

De acordo com o governo federal, a prorrogação atende a reivindicações de entidades da sociedade civil, municípios e outros órgãos que se manifestaram pela ampliação do prazo para se adaptarem às regras. Os 90 dias previstos originalmente pela lei não teriam sido suficientes para a transição.

O novo Marco Regulatório das ONGs prevê, entre outras regras, a substituição dos convênios por dois novos instrumentos: os termos de colaboração e fomento. A lei também estabelece que o governo terá que fazer o chamamento público, uma espécie de edital de concorrência, para selecionar organizações parceiras. As ONGs terão que cumprir uma série de requisitos para fazer parcerias com os governos. Entre as exigências para firmar os contratos estão: existir há, no mínimo, três anos e ter capacidade técnica e operacional para desenvolver as atividades propostas.”

(Agência Brasil)

 

Sindifort e Intersindical promovem seminário sobre Reforma Previdenciária do Governo Dilma

83 1

vovovo

O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort) e a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora estão realizando, nesta sexta-feira, o seminário “A Reforma Previdenciária do Governo Dilma e os Prejuízos da Classe Trabalhadora com as MPs 664 e 665 (INSS e IPM)”. O encontro ocorre na sede do sindicato e reúne servidores e empregados públicos municipais de Fortaleza.

De acordo com a direção do Sindifort, os empregados públicos municipais, tais como funcionários da Emlurb, Etufor, CTC e outros, já sofrem os efeitos das Medidas Provisórias 664 e 665, além do conjunto de trabalhadores da iniciativa privada. A MP 664 atinge também servidores públicos, no que diz respeito à pensão por morte.

A presidente Dilma Rousseff editou, no dia 30 de dezembro/14, as MPs que estipularam, entre outros, novas regras para acesso a benefícios previdenciários, tais como Abono Salarial, Seguro Desemprego e Auxílio Doença e Pensões.

IPM

Em Fortaleza, segundo o Sindifort, o IPM vem deste setembro de 2014 estudando mudanças na legislação previdenciária, o que muito preocupa os servidores. Conforme matérias publicadas na imprensa, uma nova reforma da Previdência Municipal deve ser encaminhada ainda neste primeiro semestre à Câmara Municipal pelo prefeito Roberto Cláudio (Pros).

(Foto – Divulgação)

José Pimentel defende aprimoramento do Simples para micro e pequenas empresas

pimentell

O líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT), defendeu o aprimoramento das regras do Simples Nacional para estimular as micro e pequenas empresas e garantir a retomada do crescimento econômico. Pimentel analisou o impacto do programa Bem Mais Simples sobre o setor durante fala no Congresso. As novas medidas de desburocratização foram lançadas nessa quinta-feira pela presidenta Dilma Rousseff, em solenidade no Palácio do Planalto.

Para o senador, as novas regras, como a baixa imediata da empresa e a abertura de um novo negócio em apenas cinco dias, permitirão que as MPEs alcancem resultados ainda melhores e contribuam para a recuperação da economia brasileira. “Nós precisamos continuar melhorando e simplificando essa política tributária, para que nossa economia possa sair dessa crise momentânea. E o caminho está testado: são as regras do Simples Nacional”, disse.

Pimentel apresentou diversos dados para demonstrar o forte crescimento do setor e seu impacto positivo sobre a economia brasileira. Segundo ele, com a adoção da primeira versão da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, o setor passou de 2,8 milhões de empresas, no final de 2007, para 9,5 milhões em 2014. O aumento no número de MPEs foi de 236% no período e de 19% ao ano. E o senador destacou a quantidade de adesões ao Simples, ocorridas após a universalização do acesso ao sistema, devido à Lei Complementar nº 147. Foram 502 mil novas formalizações em janeiro de 2015.

A geração de empregos no setor também foi destacada pelo parlamentar. Pimentel afirmou que as micro e pequenas empresas criaram 3,5 milhões de novos empregos com carteira assinada, no período de 2011 a 2014. Enquanto isso, as médias e grandes empresas registraram redução de 263 mil postos de trabalho. O líder apontou também os resultados positivos da arrecadação de impostos do Simples Nacional.

(Agência Senado)

Anvisa suspende divulgação e comercialização de 25 produtos estéticos

“Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada hoje (27) no Diário Oficial da União suspende, em todo o território nacional, a divulgação e a comercialização de 25 produtos que apresentam alegação de efeitos terapêuticos, embelezamento ou correção estética, fabricados pela empresa Saúde em Equilíbrio Ltda.

De acordo com o texto, foi comprovada a divulgação e a comercialização dos produtos, que não têm cadastro na Anvisa, por meio do site www.colter.com.br. Ainda segundo a agência, o fabricante também não tem autorização de funcionamento.

A resolução entra em vigor hoje.”

Leônidas Cristino é o único cearense na CPI da Petrobras

LEONIDASSS

Leônidas Cristino é o único deputado federal do Ceará a integrar a CPI da Petrobras, instalada nessa quinta-feira na Câmara. Indicado pelo PROS, ele anuncia que pretende conduzir, de maneira firme, sua participação na CPI para que “todos envolvidos nos desvios sejam responsabilizados de acordo com a verdade dos fatos revelados nas investigações.”

Em seu terceiro mandato, Leõnidas, ex-ministro dos Portos, afirma que a nova CPI tem um foco diferente da anterior e traduz a necessidade de se passar a limpo o País. “Pela magnitude das irregularidades apontadas, o Brasil clama por uma investigação séria e profunda de tudo e de todos os envolvidos”, disse ele. A CPI e CPMI anteriores não tiveram o desfecho esperado, já que as investigações do Ministério Público e Polícia Federal avançam com maior consistência.

DETALHE – Moses Rodrigues (PPS) está como suplente dessa CPI.

Câmara aprova projeto que amplia combate ao tráfico de pessoas

odorico 

A Câmara dos Deputados aprovou, em sessão extraordinária, o Projeto de Lei 7370/14, que traz várias mudanças na legislação para prevenir e reprimir o tráfico nacional e internacional de pessoas, a exemplo, do acesso facilitado a dados telefônicos e de internet. O deputado Odorico Monteiro (PT) votou favorável à matéria.

De acordo com o parlamenta, o Brasil carecia de uma lei dessa natureza. “A aprovação dessa lei representa um enorme avanço para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, a promoção da cidadania e da dignidade humana no Brasil”.

Segundo Odorico, a lei detalha medidas para prevenir e reprimir o tráfico de pessoas, além de estabelecer medidas para proteção e atendimento às vítimas, a exemplo, da necessidade de assistência jurídica, social e de saúde, acolhimento e abrigo provisório.

O texto é oriundo da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara sobre o Tráfico de Pessoas no Brasil. O texto segue agora para revisão do Senado. De acordo com a Lei, configura-se tráfico de pessoas, “agenciar, aliciar, recrutar, transportar, transferir, comprar, alojar ou acolher pessoa, mediante grave ameaça, violência, coação, fraude ou abuso, com a finalidade de: remover-lhe órgãos, tecidos ou partes do corpo; submetê-la a trabalho em condições análogas à de escravo; submetê-la a qualquer tipo de servidão; adoção ilegal; ou exploração sexual.

O projeto tipifica como crime o tráfico de pessoas e estabelece penas de reclusão de quatro a oito anos e multa, tendo pena aumentada de um terço até a metade quando praticada por funcionário público no exercício de sua função; contra criança, adolescente, pessoa idosa ou com deficiência; quando a vítima for retirada do território nacional.

(Com Agências)

Globo estica “Império” para esfriar audiência do Gugu

gugugg

Em sua segunda noite, ontem, o programa do Gugu voltou a pontuar bem, mas nem de longe registrou o resultado da véspera (leia aqui ), por que a Globo reagiu estrategicamente. esticou Império até às 23h. Assim, BBB15, acabou às 23h55 e Tá No Ar atrasou 32 minutos para começar.

Aos números:  disputando, portanto, contra três atrações da Globo, Gugu, registrou onze pontos de audiência, de acordo com dados prévios do Ibope para a Grande São Paulo e a Globo alcançou 21 pontos (O SBT ficou com seis pontos).

Mas, mesmo assim, Gugu, venceu marginalmente o programa de Marcelo Adnet (doze pontos contra onze pontos). Com Gugu, pelo menos nesta primeira semana, a Record voltou à vice-liderança com folga.

(Veja Online)

Juristas prevêem ações contra reajuste de benefícios do parlamentares federais

55 4

Ao autorizar o uso de verbas públicas para a compra de passagens aéreas de cônjuges de parlamentares, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, acaba por criar mais um telhado de vidro para o Congresso Nacional. Na avaliação de especialistas consultados pela Agência Brasil, parlamentar que usa dinheiro público com esse propósito está sendo antiético e antirrepublicano, uma vez que, devido à crise, o momento é de corte de gastos. “E comete também uma ilegalidade, porque os benefícios à família não estão previstos na Constituição. Portanto é bastante possível que alguém entre com ação de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) contra essa medida”, disse o professor de Ética Política da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Roberto Romano.

Na avaliação do especialista, quem recebe votos e é eleito para o mandato “é o indivíduo e não sua esposa, papai ou cachorrinho. Isso é inaceitável, além de antiético e antirrepublicano. Como justificar essas prerrogativas familiares em um país com uma crise econômica como a nossa? Os deputados deveriam mostrar solidariedade ao governo e economizar, em vez de fazer esse exibicionismo de privilégios. Trata-se de mais um péssimo exemplo de nosso Legislativo, que desconhece que, na República, todos são iguais”, acrescentou.

Para o diretor do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), José Antonio Moroni, os benefícios concedidos por Eduardo Cunha evidenciam mais uma das contradições do Congresso Nacional. “Quem aprova isso são os mesmos deputados que têm defendido cortes ou reduções nos benefícios destinados às camadas mais baixas da população, como seguro-desemprego es pensões. Não dá para considerar isso ético de maneira nenhuma. Se eles quiserem, podem comprar passagens para as esposas ou maridos com o dinheiro do próprio salário, que é bastante alto”, disse Moroni.

As contradições vão além. “Os deputados representam o povo. É de se esperar, portanto, que eles vivam também as limitações e a rotina da população. Representar passa por isso. Caso contrário, torna-se difícil para eles entender a realidade daqueles que representam. Têm de fazer contas para passar o mês; têm de calcular seus orçamentos; têm de passar o aperto que o brasileiro passa para poder representá-lo. Não pode estar tão descolado da realidade de seu representado. Não pode ter distanciamento. Se as verbas têm por objetivo facilitar a ele entender a rotina do representado, elas [as verbas] têm de dar limites a ele”, argumentou.

Segundo o diretor do Inesc, os parlamentares recebem um “bolo de benefícios” bem maior do que passagens aéreas, muitos deles bastante questionáveis. “Os Correios, por exemplo. Antigamente eram o único meio para o parlamentar prestar contas a seus eleitores. Portanto, até fazia sentido o valor significativo destinado a isso. Mas, com a internet, perdeu sentido usar material impresso para esse propósito. No entanto, a verba foi mantida e, ao longo do tempo, foi aumentada”.

(Agência Brasil)

Governo lança programa com medidas para desburocratizar abertura de pequenas empresas

“O governo lançou hoje (26) o Programa Bem Mais Simples Brasil e o Sistema Nacional de Baixa Integrada de Empresas, com medidas para desburocratizar os processos para abertura e fechamento de pequenas e médias empresas. O Bem Mais Simples prevê medidas como a redução da papelada necessária para a abrir um negócio, a unificação de cadastros, o agrupamento de serviços públicos para os empreendedores em um só lugar e o fim de exigências que se tornaram dispensáveis com o uso das novas tecnologias, como a internet.

Com as mudanças, a expectativa é reduzir de 83 para até cinco dias, o tempo médio para abertura de uma empresa, segundo a Secretaria da Micro e Pequena Empresa.

O Sistema Nacional de Baixa Integrada de Empresas permite aos donos de negócios fecharem as empresas mais rapidamente, sem a exigência de certidões negativas, para concluir a baixa no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ). Pelas novas regras, em vigor desde o ano passado, qualquer débito ligado ao CNPJ é transferido para o Cadastro de Pessoa Física do responsável pela empresa. Alguns estados oferecem o serviço, que terá abrangência nacional.

Com o novo sistema, o fechamento de empresas poderá ser feito pelo Portal Empresa Simples e na Junta Comercial dos estados. O governo espera regularizar a situação de cerca de 1,2 milhão de empresas inativas no Brasil, segundo dados da Secretaria da Micro e Pequena Empresa.”

(Agência Brasil)

Dívida Pública Federal registra queda de 2,09 em janeiro

“A Dívida Pública Federal teve uma redução de 2,09% de dezembro para janeiro, caindo de R$ 2,295 trilhões para R$ 2,247 trilhões. Os dados foram divulgados hoje (26) pelo Tesouro Nacional. A dívida pública mobiliária (em títulos públicos) interna (DPMFi) caiu 2,09% e passou de R$ 2,183 trilhões para R$ 2,137 trilhões. O principal motivo foi o resgate líquido, no valor de R$ 67,48 bilhões, “descontado pela apropriação positiva de juros, no valor de R$ 21,82 bilhões”, informou o Tesouro Nacional.

No caso da Dívida Pública Federal externa (DPFe), houve, em janeiro, redução de 2,10% sobre o estoque de dezembro, fechando o mês passado em R$ 109,93 bilhões (US$ 41,29 bilhões), dos quais R$ 100,24 bilhões (US$ 37,65 bilhões) referentes à dívida mobiliária (títulos) e R$ 9,7 bilhões (US$ 3,64 bilhões), à dívida contratual.

A DPF é a dívida contraída pelo Tesouro Nacional para financiar o déficit orçamentário do governo federal – incluindo o refinanciamento da própria dívida – e para realizar operações. Em relação à forma, o endividamento pode ocorrer por meio da emissão de títulos públicos ou pela assinatura de contratos.”

(Agência Brasil)

Bolsa do MEC atrasa e alunos da Unilab entram em greve

348 5

protestt

Um total de 361 alunos dos bacharelado em Humanidades da Unilab, que tem campus na cidade de Redenção, no Maciço de Baturité, entrou em greve. Os estudantes deixaram de assistir às aulas em protesto contra o atraso no pagamento da Bolsa de Permanência, liberada pelo Ministério da Educação.

Segundo os alunos, desde janeiro que o repasse do benefício não é liberado. Para cada aluno – brasileiro ou estrangeiro, o MEC disponibiliza R$ 400, 00. Com essa verba, eles ajudam a pagar despesas como aluguel de moradia. Há alguns alunos denunciando ameaça de despejo.

Percentual de famílias inadimplentes registra queda em fevereiro

“O percentual de famílias com contas ou dívidas em atraso ficou em 17,5% em fevereiro, taxa inferior aos 17,8% do mês anterior e aos 19,7% de fevereiro de 2014. O dado, da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), foi divulgado hoje (26) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A pesquisa mostra que o tempo médio de demora para o pagamento das dívidas é de 60,5 dias. Já o número de famílias com dívidas (não necessariamente em atraso) ficou em 57,8% em fevereiro, acima dos 57,5% de janeiro mas abaixo dos 62,7% de fevereiro do ano passado. Do total das famílias, 9,7% se disseram muito endividadas, percentual abaixo do observado em fevereiro de 2014 (12,1%).

Entre as dívidas, a maior parte (70,9%) continua sendo com cartão de crédito. Outras fontes de dívidas são carnês (18%), financiamentos de carro (14,5%), créditos pessoais (9,2%) e financiamentos de casas (8%).

Outro dado mostrado pela pesquisa da CNC é que 6,4% das famílias não terão condições de pagar suas dívidas ou contas, o mesmo percentual de janeiro deste ano, mas acima do patamar de fevereiro de 2014 (5,9%).”

(Agência Brasil)

Eduardo Cunha anuncia festival de reajuste de benefícios na Câmara dos Deputados

carreira-do-deputado-eduardo-cunha-e-marcada-por-escandalos

“A Mesa Diretora da Câmara aprovou hoje (25) o reajuste em diversas verbas parlamentares, incluindo a de gabinete, que passa de R$ 78 mil para R$ 92.053,00 mensais. O auxílio-moradia subiu de R$ 3,8 mil para R$ 4,2 mil.

O chamado cotão (verba indenizatória) teve reajuste de 8%, passando de R$ 27.977,26 para R$ 30.215,44 o menor valor recebido por deputados, no caso, os do Distrito Federal. O maior é destinado aos deputados de Roraima e passará de R$ 41.612,80 para R$ 44.941,62.

O pacote de medidas aprovado pela Mesa faz parte das promessas de campanha do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a presidência da Câmara. Além dos reajustes, a Mesa aprovou um dispositivo estabelecendo que cônjuges de deputados terão direito a usar passagens áreas pagas pela Casa entre seus estados de origem e Brasília.

(Agência Brasil)

Camilo Santana pede apoio financeiro em Brasília

camilochuvva

O governador Camilo Santana (PT) terá audiências nesta quinta-feira, em Brasília. No Ministério da Saúde, tendo ao seu lado o secretário da área, Carlile Lavor, ele apelará por aumento da verba da saúde.

Camilo irá também ao Ministério da Integração Nacional, onde  pedirá apoio para seu Plano de Ações de Convivência com a Seca que, inclusive, foi apresentado nessa quarta-eira por ele na Assembleia Legislativa. O plano deve custar um total da ordem de R$ 600 mil.