Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

BC mantém taxa básica de juros em 6,5%

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, na primeira reunião depois das eleições, nesta quarta-feira, 31, manter a taxa básica de juros da economia, a Selic, em 6,5% ao ano. Foi a quinta manutenção consecutiva. A taxa está no seu menor patamar da história desde março deste ano. A decisão já era esperada pelos economistas. Ainda que a inflação tenha subido nos últimos meses – a previsão é de que feche o ano em 4,4%, próxima da meta de 4,5% –, a economia ainda está cambaleando.

Para 2019, porém, é esperado um aumento dos juros, motivado pela recuperação da economia. Na média, os analistas do mercado financeiro esperam que a Selic feche o próximo ano em 8%.

Quando a taxa básica de juros estava em dois dígitos, era possível ter alta rentabilidade nos investimentos de renda fixa facilmente. Agora, os investidores precisam se empenhar mais para encontrar bons retornos. A diversificação nunca foi tão importante, especialmente em um momento de expectativa de valorização das ações na Bolsa após a eleição de Jair Bolsonaro.

Com a Selic em 6,50% ao ano, investimentos de renda fixa como poupança, CDBs com taxas pós-fixadas, fundos DI e títulos do Tesouro Selic pagam menos, já que seu rendimento é atrelado à taxa Selic ou à taxa DI, muito próxima da taxa básica de juros.

A seguir, veja uma simulação de quanto 5 mil reais rendem na poupança, em um CDB, em um fundo DI ou no Tesouro Selic, em diferentes prazos. Os cálculos foram feitos por Michael Viriato, coordenador do Laboratório de Finanças do Insper.

Na simulação, a taxa básica de juros se mantém em 6,5% ao ano por todo o período do investimento. Os valores da simulação já descontam o Imposto de Renda, cobrado em todas as aplicações, exceto na poupança, que é isenta.

(Revista Exame)

Padilha recebe os primeiros nomes da equipe de transição

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) entregou hoje (31) os primeiros 22 nomes da equipe de transição, por parte do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), para o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, durante reunião no Palácio do Planalto. São nomes, em sua maioria, das áreas econômica e de infraestrutura. Porém, os nomes são mantidos sob sigilo.

“Tivemos a possibilidade de conversar com as áreas técnicas da Casa Civil, que nos permitiu uma visão dos avanços obtidos e vai permitir que o presidente Jair Bolsonaro tenha condições de decidir o que será implementado no curto, médio e longo prazo”, disse Onyx.

O parlamentar foi confirmado pelo presidente eleito para assumir a Casa Civil e também tem sido o interlocutor da equipe de Bolsonaro com o governo do presidente Michel Temer. Ao lado de Padilha, Onyx conduzirá os trabalhos de transição.

A reunião de Padilha e Onyx começou por volta das 16h30min, no gabinete da Casa Civil, no quarto andar do Planalto. É a primeira vez que representantes dos governos atual e eleito se encontram.

Nomes

Os nomes serão submetidos à análise da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), como é praxe em caso de contratações pela União. Em seguida, as nomeações serão publicadas no Diário Oficial. Os trabalhos entre técnicos dos dois governos ocorrerá no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Brasília. No local, há 22 salas.

Ainda não há definição se o presidente eleito vai indicar nomes paras todas as 50 vagas a que tem direito.

De acordo com Onyx, Bolsonaro virá a Brasília na próxima semana para conversar com o presidente Michel Temer e dar continuidade à definição da estrutura ministerial. “Ele já vai na próxima semana dar as primeiras sinalizações em relação tanto à estrutura ministerial quanto aos principais programas, projetos ou áreas que ele vai determinar que a equipe de transição se foque prioritariamente.”

Processo

Padilha afirmou que o processo de transição começou oficialmente hoje ao receber os primeiros nomes da equipe de Bolsonaro. “Iniciamos hoje oficialmente o processo de transição. Queremos fazer uma transição com tranquilidade e dando condições as maiores possíveis para o novo governo.”

O presidente Michel Temer e seus ministros já haviam manifestado a intenção de realizar uma transição “tranquila” e “transparente”, informando todos os atos que o governo já realizou e que ainda estão em andamento, as receitas e despesas do Estado e as propostas para reduzir o déficit nas contas públicas.

A reforma da Previdência é uma dessas propostas, que poderá ser encampada ainda este ano, caso o atual governo concorde com o texto atual, em trâmite no Congresso. Bolsonaro indicou que quer dar continuidade ao tema no Congresso.

(Agência Brasil)

Centro Integrado de Inteligência vai operar na primeira semana de dezembro, garante ministro

Camilo, Jungmann e André Costa.

O Centro Integrado de Inteligência do Nordeste vai entrar em operações até a primeira semana de dezembro. Foi o que garantiu, nesta quarta-feira, o ministro da Secretaria da Segurança Pública, Raul Jungmann, ao governador Camilo Santana.

Foi durante audiência em Brasília, na qual participou também o secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, André Costa.

O Centro de Inteligência no Nordeste deverá reunir organismos de todas as polícias do Nordeste juntamente com a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e a Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública). Foi uma promessa feita pelo ministro em março deste ano, quando do auge de ataques de facções criminosas.

O investimento da União é de R$ 2 milhões em equipamentos. O governador Camilo Santana já disponibilizou um prédio para a sede.

(Foto – Divulgação)

Wesley Safadão agora é o garoto-propaganda da cachaça Pitú

372 5

O cantor Wesley Safadão é o novo garoto-propaganda da Cachaçaria Pitú. Ele assinou o contrato nessa terça-feira e em breve serão divulgados detalhes sobre a nova campanha com a marca. O valor do acordo não foi divulgado.

Artista que representa grandes marcas no País, Wesley Safadão vai divulgara campanha dos 80 anos da Cachaçaria Pitú, empresa com sede em Pernambuco e que, além de forte atuação nacional, é também a cachaça mais exportada do Brasil.

“Fico muito feliz de ter como parceira uma empresa com tanta história”, afirma Wesley.

(Foto – Divulgação)

Sergio Moro e Bolsonaro vão se reunir nesta quinta-feira para discutir indicação

242 2

O juiz federal Sergio Moro terá encontro, nesta quinta-feira (1º), no Rio, com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Hora de discutir a indicação dele para o Ministério da Justiça ou para ocupar umas das vagas do Supremo Tribunal Federal, como propôs Bolsonaro. O encontro foi confirmado pelo Portal UOL.

No primeiro dia após ser eleito, Bolsonaro, em uma série de entrevistas a emissoras de televisão confirmou que
pretende convidar Moro para assumir a pasta da Justiça ou indicá-lo para ocupar umas das vagas do STF assim que houver disponibilidade. Com a projeção de aposentadoria dos atuais ministros, cadeiras devem ficar vagas em 2020 e 2022.

Ao jornal “O Estado de S. Paulo”, Moro – responsável pelos processos da Operação Lava Jato na Justiça Federal no Paraná -, admitiu que poderá assumir o Ministério da Justiça, caso o convite seja feito pelo presidente eleito. “Tudo depende de conversar para ver se há convergências importantes e divergências irrelevantes”, declarou o magistrado ao jornal.

(Foto – Reprodução de TV)

SRT do Ceará difunde a Escola do Trabalho, projeto que oferta cursos online para capacitação

A Superintendência Regional do Trabalho está divulgando o projeto Escola do Trabalho (escola.trabalho.gov.br).

Nessa iniciativa, oferece, com apoio da parceria entre o Ministério do Trabalho e Emprego e a UnB, o total de 25 cursos online para formação profissional envolvendo áreas que vão do turismo e gestão ao cuidador de pessoas idosos.

O titular da superintendência estadual, Fábio Zech, adianta que a agência do órgão a ser inaugurada, até o dia 15 próximo, em Juazeiro do Norte (Região do Cariri), contará com uma sala com computadores que ficarão à disposição dos desempregados interessados em se capacitar em algum dos cursos em oferta.

(Foto – Balada In)

TRT do Ceará tem 10 varas entre as 25% com melhor desempenho no Brasil

A 1ª Vara do Trabalho do Cariri é destaque.

A Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho divulgou o mais recente resultado do Índice Nacional de Gestão de Desempenho – iGest. Dentre as 1.571 varas trabalhistas avaliadas, dez unidades do Ceará estão entre as 25% com melhor desempenho no Brasil. A 1ª Vara do Trabalho do Cariri, em Juazeiro do Norte, ocupa a 12ª colocação do ranking e é a 2ª colocada no Nordeste. Os dados referem-se ao período de outubro de 2017 a setembro de 2018 e foram divulgados no último dia 25, informa a assessoria de comunicação do TRT do Estado.

Além da unidade do Cariri, completam a lista das dez varas do trabalho do Ceará entre as 25% com melhor desempenho no Brasil a 2ª VT de Maracanaú (42ª), a VT de Tianguá (66ª), a 2ª VT de Sobral (159ª), a 18ª VT de Fortaleza (221ª), a 2ª VT de Caucaia (244ª), a VT do Eusébio (280ª), a 1ª VT de Maracanaú (304ª), a 16ª VT de Fortaleza (382ª) e a VT de Aracati (383ª).

Para a titular da 1ª VT do Cariri, juíza do trabalho Fernanda Monteiro Lima Verde, o destaque da Vara no iGest é fruto de um trabalho coletivo. “Esse resultado vem reconhecer a incessante busca pelo aprimoramento da prestação jurisdicional que norteia o funcionamento harmônico desta unidade na realização de todos os expedientes forenses, bem como atestar o compromisso de uma equipe que, na pessoa do diretor de secretaria, João Emanuel Bezerra Bastos, parabenizo pelo primoroso trabalho e incansável dedicação”, declarou a magistrada.

Fórmula

O iGest classifica todas as unidades judiciárias de primeiro grau da Justiça do Trabalho do Brasil. “O índice é resultado de uma fórmula que considera indicadores de acervo, celeridade, produtividade, taxa de congestionamento e força de trabalho de cada unidade. Esses índices são chamados de mesoindicadores”, explica Patricia Machado, secretária de Gestão Estratégica do TRT/CE.

Conforme a servidora, os mesoindicadores são compostos por microindicadores, como mostra o detalhamento abaixo:

Acervo: idade média do acervo “pendentes de julgamento”, acervo pendente, taxa de conclusos com o prazo vencido;

Celeridade: prazo médio na fase de conhecimento, prazo médio na fase de liquidação, prazo médio na fase de execução;

Produtividade: taxa de conciliação, taxa de solução, taxa de Execução;

Congestionamento: taxa de congestionamento na fase de conhecimento, taxa de congestionamento na fase de execução;

Força de Trabalho: produtividade por servidor e pendentes por servidor.

Pesquisa CNI/Ibope – Confiança do consumidor é a maior desde 2014

Apesar de mais otimistas com relação à inflação, o desemprego e a renda pessoal, e de perceber melhora da situação financeira, o brasileiro continua cauteloso na hora de fazer compras, segundo levantamento divulgado hoje (31) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com a entidade, o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) apresentou uma alta de 4,4% em outubro, na comparação com o mês anterior, e atingiu 110,6 pontos, o maior valor registrado desde outubro de 2014, acima também ao da média histórica, de 107,7 pontos.

Por meio de nota, a CNI avalia que, entre as principais razões para o aumento da confiança, está a melhora da situação financeira registrada nos últimos meses. Esse índice (indicador da situação financeira) registrou uma alta de 8,9% em outubro, na comparação com setembro. Quanto maior for esse índice, maior é o número de pessoas que percebem melhora da situação financeira nos últimos meses.

Ainda segundo o levantamento da CNI, as expectativas relativas à renda pessoal, desemprego e inflação também ficaram mais otimistas. O índice de expectativa sobre a renda pessoal aumentou 5%, o de desemprego subiu 8% e o otimismo com relação à inflação cresceu 5,4%. A CNI informa que quanto maior o índice, maior é o número de pessoas que esperam a queda da inflação e do desemprego e o aumento da renda pessoal.

A entidade, no entanto, avalia que os brasileiros continuam cautelosos com relação às compras, uma vez que o indicador de expectativa de compras de maior valor, como móveis e eletrodomésticos, caiu 0,3% em relação a setembro, mantendo-se 0,8% abaixo do registrado em outubro do ano passado. Na avaliação da CNI, apesar da melhora da confiança, o consumidor ainda está cauteloso para comprar bens de maior valor, de forma a evitar um comprometimento maior da renda ao longo do tempo.

Para fazer a pesquisa, a CNI, em parceria com o Ibope Inteligência, ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios, entre os dias 18 e 22 de outubro.

(Agência Brasil)

Fortaleza receberá o Festival Sesi Bonecos do Mundo

Fortaleza vai ser sede, a partir da próxima segunda-feira, 5, do Festival Sesi Bonecos do Mundo. O evento colocará em cena mais de 150 artistas de diversas nacionalidades que farão um total de mais de 100 apresentações, tanto em teatros como em grandes espaços ao ar livre.

Na capital cearense, o público assistirá aos espetáculos no Theatro José de Alencar e no Centro Dragão do Mar. Em cena, estarão companhias dos Estados Unidos, Rússia, República Tcheca, Espanha, Argentina, Itália, Chile, Peru e Brasil, que está representado por companhias de oito estados.

Várias técnicas serão exibidas ao público, numa viagem que vai do tradicional mamulengo nordestino, passando pela manipulação com fios e varas, até apresentações nas quais os personagens são partes do próprio corpo dos artistas. O projeto tem o patrocínio do Sesi, dentro da proposta da instituição em promover ações culturais de qualidade para o trabalhador da indústria. Tudo de graça, com áudio descrição e tradução para libras.

SERVIÇO

*Gratuito

*Mais Informações – (85) 3273 2936.

Funarte oferta cursos de capacitação técnica em Fortaleza

O Programa Funarte de Capacitação Técnica chega à Fortaleza com oficinas de aprimoramento nas mais diversas linguagens, que ocorrerão no período de 6 a 9 de novembro. Com cerca de 300 vagas, os cursos são todos gratuitos e tem como objetivo valorizar o processo criativo, gerando oportunidades de aperfeiçoamento técnico e artístico para os participantes, além de contribuir para a geração de emprego e renda. O programa de capacitação, segundo a assessoria de imprensa do órgão, contará com apoio da Secretaria de Cultura do Estado, através do Theatro José de Alencar.

A extensa programação acontece de forma simultânea durante os quatro dias, em diversos espaços do Theatro José de Alencar, equipamento da Secult, e contará ainda com 11 oficinas e dois seminários. Os cursos têm duração de 20 horas, cada, e são ministradas por profissionais reconhecidos em suas áreas de atuação. As inscrições também poderão ser feitas no dia das oficinas.

Monitores

Entre os nomes que vão ministrar cursos está a bailarina, coreógrafa e diretora de teatro Regina Sauer. Fundadora da Cia Nós de Teatro, ela ministra a oficina ‘Composição Coreográfica’. São dela as coreografias e a direção de dezenas de trabalhos no teatro e na televisão. Criou apresentações em programas como “Fantástico”, “Criança esperança”, e “O sítio do pica-pau amarelo”, além de trabalhos em diversas novelas e em comissões de frente e alas das escolas de samba Salgueiro, Grande Rio, Porto da Pedra, Imperatriz e Mangueira.

Outro nome que também figura entre os palestrantes é o do cearense Uirá dos Reis, que ministra a oficina ‘A palavra como performance, o som como paisagem-Performance Poética e Audioinstalação’. O artista circula por diversos caminhos da arte como Performance, literatura, cinema e música. Tem cinco livros publicados, dez discos, é diretor de um selo virtual de música e literatura, o SuburbanaCo., e acaba de receber o prêmio de melhor ator coadjuvante no Festival do Cinema Brasileiro por sua participação no filme “Plano Controle”, da diretora mineira Juliana Antunes. Ela está prestes a lançar seu novo livro de poemas, “Magma Obtuso”.

Para os amantes da fotografia, a doutora em Conservação e restauradora Juliana Buse é quem ministra a oficina ‘Conservação preventiva de acervos fotográficos’. Com formações em conservação e restauro de fotografias e outras espécies de documentos históricos, seus interesses de ensino e pesquisa incluem a conservação e restauro de manuscritos históricos, acervos fotográficos e a gestão dos riscos inerentes a acervos em papel.

Outro nome à frente das oficinas é o da historiadora, pesquisadora e dançarina Maria Eugênia, que, durante os quatro dias de curso, fala sobre a ‘História da Música Brasileira’.

SERVIÇO

*Inscrições: https://goo.gl/kPE6a6

*Programação gratuita

*Mais Informações – (85) 9 8652-3336.

“É preciso arrumar a bagunça que está no Brasil, isso leva tempo”

Com o título “Renovação nas urnas”, eis artigo de Renata Karla, diretor do Grupo de Estudos Veritas. “É preciso arrumar a bagunça que está o Brasil, isso leva tempo”, diz a articulista. Confira:

Nessas eleições o maior protagonista, foi sem sombra de dúvidas, o povo brasileiro que diante de uma crise de representatividade e insatisfação com o processo político eleitoral, deu o seu recado nas urnas promovendo a maior renovação política da história do Congresso. 85% do Senado foi renovado seguido de 59% da Câmara, além da eleição do primeiro presidente verdadeiramente de direita conservador da Nova República: Jair Bolsonaro.

Essa mudança decorre da esperança brasileira em restabelecer a essência de quem somos como um só povo, no combate à criminalidade, desemprego, e ao aparelhamento criminoso de nossas instituições, ao esforço no resgate de nossos valores e cultura, assumindo o nosso compromisso e protagonismo nas decisões da vida em sociedade, fazendo assim, aflorar um novo grito de independência em defesa da verdadeira democracia tão desconfigurada pelo PT e seus aliados por tantos anos.

É preciso arrumar a bagunça que está o Brasil, isso leva tempo. Para tanto, não seria possível dar o primeiro passo sem as bandeiras e valores defendidos por Bolsonaro nessa eleição como a independência política, a transparência, a verdade e o liderar pelo exemplo, fundamentais para criar uma aproximação do povo com seu maior representante político que é o presidente.

Às vezes os problemas mais complexos podem vir através de soluções simples. Ao invés de revolucionar ou mentir para o povo de maneira desonesta como fez o PT, por que não conservarmos os aspectos bons, fazermos ajustes no que precisa e só depois de maneira consciente caminharmos em direção a um crescimento sólido e real para toda a nação, pense nisso! Desta forma, não resta dúvidas que de mãos dadas, nós o povo brasileiro, ao darmos uma chance a um modelo de governo diferente do que há tantos anos vem destruindo nossas esperanças, teremos ao longo dos próximos anos um Brasil verdadeiramente grande com melhora expressiva da economia, geração de emprego e a volta da identidade brasileira. Como cita Olavo de Carvalho em latim e faço aqui a tradução livre, “Vamos garantir que a malícia jamais vença a sabedoria”.

*Renata Karla

renata.kas@hotmail.com

Diretora do Grupo de Estudos Veritas.

Horário de Verão começa mesmo no próximo domingo

O horário de verão será mantido no dia 4 de novembro, cancelando um novo adiamento. Confirma o Palácio do Planalto.

Geralmente, o horário começa em outubro, mas foi adiado para novembro em virtude do segundo turno das eleições. No começo do mês, o governo federal chegou a anunciar que adiou o início do horário de verão para o dia 18 de novembro por causa de um pedido feito pelo Ministério da Educação para não prejudicar os candidatos do Enem. O exame será aplicado em dois domingos. O primeiro deles será o dia 4 de novembro.

No horário de verão, os relógios devem ser adiantados em uma hora. O horário é adotado nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Capitão Wagner trabalha para ser líder da bancada na Câmara

O deputado federal eleito Capitão Wagner já articula para ser o líder da bancada do Pros na Câmara. Ele diz que no Ceará o partido fez dois federais – ele e Vaidon Oliveira, mesmo número feito pela sigla no Paraná.

“Mas nós fizemos também um senador. Isso nos dá peso para reivindicar”, afirma Capitão Wagner, que circula por Brasília tratando também de sua equipe e do gabinete que ocupará, a partir de fevereiro.

Capitão Wagner afirma que não deve haver problema sobre definição de liderança, o que deve ocorrer com sistema de rodízio.

(Foto – Divulgação)

Supremo julga nesta quarta-feira ação que suspendeu busca e apreensão em universidades

O Supremo Tribunal Federal (STF) faz sessão plenária hoje (31) à tarde para julgar a medida cautelar deferida pela ministra Cármen Lúcia. Pela medida, ficam suspensas as decisões de juízes eleitorais sobre a busca e apreensão de panfletos e materiais de campanha eleitoral em universidades e nas dependências das sedes de associações de docentes.

No último dia 27, Cármen Lúcia concedeu medida cautelar em favor da livre manifestação de pensamento. A decisão ocorreu no momento em que várias universidades públicas foram alvo de ações policiais e de fiscais eleitorais.

Segundo as ações judiciais expedidas, os atos policiais e administrativos baseavam-se na fiscalização de supostas propagandas eleitorais irregulares. Estudantes, professores e entidades educacionais, no entanto, viram as ações como censura.

Urgência

De acordo com a ministra, a decisão tem caráter de urgência para evitar que as ações deflagradas nos últimos dias se multipliquem. A medida foi enviada ao presidente do Ssupremo, Dias Toffoli, que decidiu submeter a decisão ao plenário.

A ministra Cármen Lúcia condena ações totalitárias, afirmando que “toda forma de autoritarismo é iníqua”. “Pior quando parte do Estado. Por isso, os atos que não se compatibilizem com os princípios democráticos e não garantam, antes restrinjam o direito de livremente expressar pensamentos e divulgar ideias, são insubsistentes juridicamente por conterem vício de inconstitucionalidade.”

PGR

Há cinco dias, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, anunciou o pedido de liminar ao STF para “restabelecer a liberdade de expressão e de reunião de estudantes e de professores no ambiente das universidades públicas brasileiras”.

Raquel Dodge, que também é procuradora-geral eleitoral, apresentou ao Supremo uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF). Segundo a procuradora, esse tipo de ação busca reparar lesão a princípio fundamental da Constituição que tenha sido provocada por ato do Poder Público.

(Agência Brasil)

Consumo de energia elétrica registra aumento de 0,3% em setembro

O consumo de eletricidade do Sistema Interligado Nacional (SIN) registrou crescimento de 0,3% em setembro deste ano na relação com setembro de 2017, totalizando 39.080 gigawatts/hora (Gwh). Os dados integram a Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrico divulgada hoje (31), no Rio de Janeiro, pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Eles indicam que a alta foi puxada pelo setor industrial, onde o consumo avançou 1,2% em setembro, uma vez que a demanda das classes comercial e residencial fechou em queda de -1,2% e -0,8%.

Regionalmente, o maior uso de energia foi puxado em setembro pelo Nordeste, com expansão de 2,9% e pelo Sudeste: 1,5%. Nas demais regiões houve retração. A maior queda na demanda por energia ocorreu na Região Norte (10%), seguida do Centro-Oeste (2%) e Região Sul (0,3%).

Os dados da EPE, responsável pelo planejamento energético do país, indicam, ainda, que o mercado cativo das distribuidoras teve retração de 2,1% em setembro e de -1,6% no acumulado dos últimos 12 meses. Já o consumo livre aumentou 5,2% no mês e 8,6% em 12 meses.

Consumo Industrial

O avanço de 1,2% no consumo industrial em setembro, comparativamente a setembro de 2017, o equivalente a uma demanda de 14.419 Gwh, reflete o aumento no consumo em 6 dos 10 ramos da indústria que mais usaram eletricidade: extrativo de minerais metálicos, com crescimento de 12,1%; químico (9,5%); e automotivo (3,8%).

Entre as regiões, destaque para o Sudeste com expansão de 4,2%. Já a classe comercial anotou queda de 1,2%, reflexo das temperaturas mais amenas em quatro regiões do país. Segundo a EPE, as condições climáticas beneficiaram apenas o Nordeste, onde o crescimento do consumo foi de 3%.

Já na classe residencial, o consumo mais baixo no mês, -0,8%, foi impactado pelo clima ameno, com o crescimento de 2% no Nordeste e de 1,5% no Sul compensando em parte a queda no consumo no restante do país. O consumo mensal das residências atingiu 11.007 GWh. O crescimento do consumo residencial no Nordeste e no Sul, no entanto, não foi bastante para contrabalançar o recuo nas outras regiões, cujas quedas mais acentuadas foram nas regiões Norte (-7,0%) e Centro-Oeste (-5,7%) por influência do clima.

A avaliação da EPE é que, “do ponto de vista econômico, apesar dos bons resultados da contratação formal nos últimos meses, a perspectiva de que a lenta recuperação que se observa no mercado de trabalho, caracterizada pela estagnação da massa de rendimentos, persista nos próximos meses parece e justifica a cautela das famílias ao consumir”.

Segundo o órgão, “esse aspecto tem tido um peso importante, não obstante o crédito e o orçamento doméstico estarem em condições melhores do que no ano passado, o que também influência a decisão de consumo.”

(Agência Brasil)

Da verdade proibida à mentira liberada

213 2

Com o título “Da verdade proibida à mentira liberada”, eis artigo de Marcelo Lettieri, professor doutor em Economia e servidor público federal. “Quem concluir que a crise da Era Temerária chega ao fim ponha as barbas de molho. O governo apologista da verdade proibida da ditadura tomará posse no rastro das mentiras liberadas”, diz o articulista. Confira:

Oscar Wilde fraseava que a experiência era apenas uma somatória dos erros. Edward Gibbon, outro mestre do fraseado, prevenia que o tempo ou acidentes removiam as bases artificiais fazendo desabar as estruturas à conta do próprio peso.

Há um grande embuste por detrás da tese conclusiva de que a eleição de 2018 foi vencida por quem soube operar as redes sociais por cima dos meios de comunicação tradicionais. Ignoram as reais condições da política, economia, sociedade e instituições em pandarecos. Pasmam com o desfecho da situação e esquecem o conjunto dos responsáveis pela obra, que apostaram numa aliança acrítica com a velha política oligárquica brasileira.

A ditadura dispunha de bases artificiais e caiu sobre o seu próprio peso. Sarney e Collor também. Dilma e Temer sucumbiram juntos, abraçados numa aliança esdrúxula que cometeu um estelionato eleitoral na economia.

Cada um interprete como quiser ou puder. O fato social é que nenhum grupo político, enraizado ou não na sociedade, tem como se sustentar por muito tempo no poder, principalmente se não rompe com as estruturas seculares que dão as cartas do jogo e operam a máxima de Lampedusa: “Algo deve mudar para que tudo continue como está”.

O fato de Lula estar preso hoje pode não ser uma boa notícia para quem está com a mão no trono presidencial. O que fará o PT com o Lula fora da prisão? Implacável na oposição ao antípoda? Que papel será reservado a Haddad? Como se comportará Ciro e seu PDT?

Quem concluir que a crise da Era Temerária chega ao fim ponha as barbas de molho. O governo apologista da verdade proibida da ditadura tomará posse no rastro das mentiras liberadas.

O epicentro da crise com maior profundeza será o Planalto com a escalação da vertente mais radicalizada da política. Ou alguém acredita que o presidencialismo de coalizão acabou e não haverá loteamento de cargos para saciar a fome dos apoiadores de ocasião?

A tempestade de junho de 2013 não terminou e a crise continuará viva.

*Marcelo Lettieri

marlettieri@gmail.com

Professor doutor em Economia e servidor público federal.

Astronauta Marcos Pontes é confirmado para o Ministério da Ciência e Tecnologia

Em seu Twitter, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, nesta quarta-feira (31) que o astronauta Marcos Pontes será seu ministro da Ciência e Tecnologia.

“Comunico que o Tenente-Coronel e Astronauta Marcos Pontes, engenheiro formado no ITA, será indicado para o Ministério da Ciência e Tecnologia. É o quarto Ministro confirmado!”, escreveu.

Além de Marcos Pontes, já estão como futuros ministérios o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) para a Casa Civil; Paulo Guedes, para o futuro Ministério da Economia; e o general Augusto Heleno, para o Ministério da Defesa.

(Foto – Twitter)

Poupança tem espaço para crescer no Brasil, diz especialista

A poupança da Caixa Econômica Federal fechou o ano passado com captação líquida de R$ 8 bilhões e um total de 74 milhões de poupadores. Para o educador financeiro Rogério Braga, membro da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), com uma população de mais de 207 milhões de pessoas, há um amplo caminho para que a poupança cresça ainda mais no país.

Para o especialista, os brasileiros ainda não têm o hábito de poupar. Ele aponta que um dos principais problemas da população brasileira atualmente é o consumo exagerado, o acúmulo de créditos, que levam ao descontrole financeiro.

O Dia Mundial da Poupança, celebrado hoje (31), foi criado para conscientizar a população global sobre a importância de preservar recursos para o futuro.

Como poupar

O primeiro passo para quem quer fazer uma poupança é estabelecer um sonho ou um objetivo de vida. “O maior segredo é estabelecer esse objetivo e começar a fazer um diagnóstico financeiro de vida. Começar a pegar aquele recurso, separar a parte dele para poupar no início, porque se deixar para o final do mês, vai faltar recurso”, indicou.

Conversar com a família em relação ao sonho coletivo é um segundo passo também importante. Braga aconselha que as pessoas coloquem todos os objetivos no papel. “Tem que ser disciplinado. A disciplina de seguir todo esse processo leva ao sucesso”, apostou.

Para o educador financeiro, o brasileiro tem o mau costume de ser imediatista, o que termina colocando alguma meta de futuro adiante da sua realidade.

Ele recomenda que as pessoas estabeleçam prazos e aprendam a gastar e a economizar. Esse é um processo diário, destacou. “Tem que usar os recursos em algo efetivamente necessário, e não supérfluo. “Poupar primeiro é sempre muito importante. O hábito de poupar deve ser feito antes de receber o salário e gastar no consumo”.

Braga acredita que com essas etapas, já pode haver uma mudança geral, uma nova visão sobre o hábito de poupar. “E, aí, a poupança se beneficia disso, porque ela é muito fácil, muito acessível a toda a população brasileira”.

Faz parte ainda do diagnóstico financeiro que as pessoas comecem a observar onde há excesso, como podem gastar melhor e onde podem economizar. Braga afirmou que muitas pessoas cometem o erro de gastar além do seu padrão de vida e, por isso, a conta nunca fecha e elas terminam sempre endividadas. O ideal é identificar onde gastar. “Gastar sem excessos, dentro da sua realidade, é fundamental”.

(Agência Brasil)

Propor um superministério da Economia é uma contradição, diz Mauro Filho

Mauro Filho, economista, professor universitário e deputado federal eleito pelo PDT, criticou os primeiros anúncios dos representantes da área econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Sobre o anúncio da criação de um superministério juntando as pastas de Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Mauro Filho considera um equívoco. Ele diz que o Ministério da Fazenda tem o papel de controlar as despesas e “puxa ações para dentro do governo” com o Ministério da Indústria, que se propõe a estimular a economia e desenvolver políticas para aumentar a competitividade das empresas.

“É uma contradição propor um superministério da Economia”, disse, em entrevista, nesta quarta-feira, ao jornalista Luiz Viana, âncora do programa O POVO no Rádio, na Rádio O POVO/CBN.

Quanto à proposta de priorizar a reforma da Previdência, Mauro Filho cobrou uma maior clareza sobre qual caminho o governo deve seguir nessa área. Para o deputado, o “super-ministeriável, economista Paulo Guedes, o vice General Mourão e o próprio Bolsonaro ainda estão “batendo cabeça” e não se entendem sobre o que realmente pretende fazer.

Mauro Filho era coordenador de economia do então candidato a presidente Ciro Gomes e defendeu uma reforma da Previdência que mudaria gradativamente o regime atual de repartição. Nessa mudança, os trabalhadores da ativa bancariam as aposentadorias para o regime de capitalização em que as aposentadorias são garantidas pela contribuição dos próprios trabalhadores que se aposentam, com aporte do governo e das empresas.

(Foto – Fco Fontenele)