Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

História das Eleições no Ceará – Azarão surfa na onda vermelha, mas morre na praia

291 1

Com o título “História das Eleições no Ceará – 4 – Azarão surfa na onda vermelha, mas morre na praia em cenário de Hitchcock”, eis artigo do jornalista e radialista Francisco Bezerra, que vem contando um pouco da história das eleições no Estado. Confira:

“Aquele que já não consegue sentir espanto nem surpresa está, por assim dizer, morto; os seus olhos estão apagados.” Albert Einstein, físico alemão.

A eleição de 2002 no Ceará foi um filme de suspense, onde o roteirista usou requintes de crueldade para chegar ao desenlace. Nem o mestre dos filmes do gênero, o cineasta americano Alfred Hitchcock, teria imaginação fértil o suficiente para construir película tão heteróclita. Para contextualizar o cenário de um filme baseado em fatos reais, em plagas cearenses, é imperioso assinalar que o empresário Tasso Jereissati era uma espécie de reizinho que chegara ao poder na eleição de 1986.

Ao tomar posse em 15 de março de 1987, a primeira ação administrativa do governador das mudanças que derrotou os coronéis e prometia acabar com a miséria no Ceará foi transferir a sede do poder estadual do Palácio Abolição, localizado no miolo da Aldeota, em plena avenida Barão de Studart, para o Centro Administrativo Virgílio Távora (quanta ironia), no afastado bairro Cambeba. Outra cantilena de Tasso era o de por fim ao clientelismo e ao apadrinhamento político, vícios dos tempos de César, Adauto e Virgílio. Discurso que perpassou os três mandatos do Acioly redivivo em pleno fim de século XX.

Entre 1986 e 2002, Jereissati pintou e bordou na política do Ceará. Elegeu quem quis, quando quis, como quis. A nomenclatura para seu ciclo de poder tinha haver com a novo endereço de seu consulado : a geração Cambeba.

Naquele 2002 em que o ex-metalúrgico Luís Inácio Lula da Silva conseguiu finalmente chegar ao Palácio do Planalto após três tentativas frustradas, registrou-se fenômeno eleitoral denominado de onda vermelha. E o que era essa tal de onda vermelha? É o seguinte, Lula ganhou a disputa nas urnas, derrotando o tucano José Serra em segundo turno. Como o petista desembarcou no segundo round da peleja eleitoral como franco favorito, isso impulsionou candidaturas petistas em vários estados. O Ceará foi um exemplo.

O Cambeba escolheu como candidato de “fim de feira”( ou de ciclo), o então senador Lúcio Alcântara. Não que Lúcio fosse uma cabeça coroada no círculo íntimo do poder ou o candidato in pectore do Galego. Mas, nas pesquisas internas do PSDB, o político de tantos ferros era o único tucano capaz de não encerrar a era cambebista com derrota.

O PSDB havia sofrido duas defecções. Sérgio Machado, premier no primeiro mandato de Tasso, migrou para a oposição se instalando no PMDB, que deu suporte à sua candidatura governamental. O depurado estadual Wellington Landim, à época presidente da Assembleia, rompeu com o status quo local e saiu atirando nos antigos companheiros de sigla, escolhendo o PSB para entrar no jogo eleitoral. O PT que era o principal foco de oposição ao tassismo, entrou na disputa com o hoje deputado federal José Airton porque nenhum outro quadro petista ou mesmo da esquerda se dispôs a entrar numa guerra considera perdida. Declinaram da disputa nomes como Artur Bruno, Luizianne Lins e Inácio Arruda. José Airton, o patinho feio do PT, que não tinha nada a perder foi para arena como um cristão ia ao Coliseu.

Os arautos do Cambeba consideravam a vitória de Lúcio como favas constadas já no primeiro turno, posto que em sua chapa havia Tasso como um dos candidatos ao senado. O que os tucanos daqui não esperavam é que a onda vermelha comandada por Lula chegasse em terras de Alencar. Pois é, amigos, por menos de um por cento dos votos, a disputada foi para o segundo turno. Lúcio versus José Aírton.

Se em nível nacional, Lula venceria com tranquilidade o candidato do desgastado governo FHC, por aqui, o caldo engrossou como diz o jargão do vulgo. De tão acirrada, a pugna PT X PSDB foi decidida como numa corrida de cavalos. Os candidatos pisaram na linha de chegada, não cabeça a cabeça, mas focinho a focinho. José Aírton perdeu a eleição por, acreditem, 0,08% dos votos, significando 3047 sufrágios a menos que Lúcio Alcântara.

Aí, até no mundo mineral, a conversa dizia que houve maracutaia, malas pretas cruzaram os céus do Siará Grande com objetivos nada republicanos. Uma chuva de dinheiro, alegam os perdedores, contrariou a pesquisa de boca de urna do Ibope que registrou José Aírton com 52% dos votos contra 48% de Lúcio Alcântara. De real neste enredo é que o Ibope ou qualquer outro instituto dificilmente comete erro em pesquisa de boca de urna. Entre choros e risos, depois de proclamado o resultado oficial, coube a sentença do Bruxo do Cosme Velho em seu romance Quincas Borba: “Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas.

* Francisco Bezerra,

Jornalista, radialista e professor.

IBGE – Rendimento do trabalhador brasileiro cresceu 1,7% em agosto

“O rendimento médio real habitual do trabalhador brasileiro ficou em R$ 2.055,50 em agosto deste ano. Segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada hoje (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o rendimento é 1,7% superior ao verificado em julho (R$ 2.022,04). Se comparado com agosto de 2013, o índice é 2,5% maior, quando o rendimento médio real foi R$ 2.005,72.

Nos empregados com Carteira de Trabalho assinada, o rendimento ficou em R$ 1.876,60, 1,2% maior do que julho deste ano e 1,1% superior a agosto do ano passado. Já nos empregados sem carteira assinada, o rendimento foi R$ 1.499,30, ou seja, maior do que julho deste ano (0,9%) e do que em agosto do ano passado (1%).

Entre os grupamentos de atividade, na comparação com julho deste ano, seis dos sete segmentos tiveram crescimento, com destaque para a educação, saúde e administração pública (3,2%). Apenas a indústria teve rendimento estável. Na comparação com agosto do ano passado, cinco das sete atividades tiveram crescimento no rendimento. O destaque ficou com a construção (6,5%). Duas atividades tiveram queda: serviços prestados à empresa (-1,6%) e outros serviços (-0,7%).”

(Agência Brasil)

Ministro afirma: “O São Francisco é obra irreversível e só um presidente louco não daria continuidade”

foto francisco teixeira ministro

O ministro Francisco Teixeira (Integração Nacional) afirma que o projeto São Francisco “é uma obra irreversível e só um presidente louco não daria continuidade”. A declaração foi dada por ele durante nova visita ao Ceará, nesta semana.

Teixeira adianta que já foi executado 65% do empreendimento. Ele reitera que a previsão da entrega do projeto é setembro de 2015.

Em sua passagem por Fortaleza, o ministro cumpriu agenda movimentada que inclui a abertura dca Frutal 2014, no Centro de Eventos, e uma inspeção às obras do Eixão das Águas.

Leonardo Boff apoia Dilma e Camilo

49 2
O teólogo Leonardo Boff falará nesta quinta-feira, às 19h30min, no auditório do Sindicato dos Bancários do Estado (Centro). Ele abordará o tema “Reflexões sobre o Brasil”. 

Boff já avisou que apoia a reeleição da presidente Dilma Rousseff e no Ceará gostaria de ver a vitória de Camilo Santana para o Governo. Essa informação é divulgada pela assessoria de imprensa do postulante petista.

“Considero Camilo Santana um candidato extraordinariamente adequado à realidade do Ceará, porque conhece muito bem a situação do Estado e é uma pessoa extremamente transparente e ética. É importante que ele vença para consolidar o projeto do PT, que a Dilma leva adiante com grande sucesso”, acentua Leonardo Boff.

Ministro da Aviação Civil inspecionará obras do Aeroporto de Juazeiro do Norte

moreiraa

O ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, fará uma visita técnica, às 11h30min desta quinta-feira, às obras de reforma do Aeroporto Regional Orlando Bezerra de Menezes, de Juazeiro do Norte (Região do Cariri).

O terminal, o maior do interior cearense, receberá módulos operacionais que deverão dobrar sua capacidade, hoje de 150 mil passageiros/ano.

Movimento Fortaleza de Marina vai ocupar a Praça do Ferreira

marina silva

“A Esperança vencerá o medo” é o mote que o suprapartidário “Movimento Fortaleza de Marina” difundirá nesta quinta-feira, a partir das 15 horas, quando ocupará a Praça do Ferreira. O objetivo é adesivar veículos e distribuir panfletos de apoio à candidatura de Marina Silva à presidência da República.

Uma barraca com autofalantes para divulgar as propostas da candidata vai funcionar no local, enquanto um grupo de aproximadamente 60 pessoas percorrerá o Centro distribuindo material de campanha da candidata e conversando com a população.

O mote é o mesmo que foi adotado por Lula na sua campanha de 2002, quando seus adversários espalharam mentiras a respeito do candidato com o objetivo de gerar uma clima de pânico na população caso fosse ele vitorioso.

Maitê Proença ve um encontro com o historiador Airton Fontenele

272 1
ironn
O historiador cearense Airton Fontenele recebeu em sua casa, no fim de semana, uma visita bem especial: a atriz Maitê Proença, que levou ao palco do teatro Celina Queiroz, da Unifor, a peças “À beira do abismo me cresceram asas”. Airton Fontenele, inclusive, foi o convidado especial da atriz e conferiu a peça.
Maitê Proença, que é escritora, fez questão de conhecer, na casa de Airton Fontenele, o verdadeiro museu do futebol e a “Sala João Saldanha”, onde o historiador conserva acervo particular e suas oito obras relacionadas à Seleção Brasileira.
(Foto – Álbum de Família)

Termina nesta 5ª feira prazo para eleitor pedir segunda via do título

“O prazo para o eleitor pedir à Justiça a segunda via do título termina nesta quinta-feira. De acordo com a legislação eleitoral, o documento pode ser emitido até dez dias antes do primeiro turno, no dia 5 de outubro. No entanto, no dia da votação, o eleitor poderá votar com outro documento oficial com foto.

Para fazer a emissão da segunda via, o eleitor deve procurar o cartório eleitoral mais próximo e apresentar documento com foto. A segunda via é feita na hora. Somente quem tinha o título ou solicitou o novo documento até o dia 7 de maio pode pedir a nova via. A data marcou o fechamento do cadastro de eleitores.”

(Agência Brasil)

Número de doadores de órgãos no Brasil aumentou quase 90% em seis anos

O número de doadores de órgãos no Brasil aumentou 89,7% nos últimos seis anos. Passou de 1.350, em 2008, para 2.562, em 2013. No mesmo período, o indicador nacional de doadores por milhão de habitantes subiu de 5,8 para 13,4, enquanto a fila de espera para transplante caiu de 64.774 mil para 37.736 mil (41,7%).

Dados divulgados nesta quarta-feira (24) pelo Ministério da Saúde apontam que, nos primeiros seis meses deste ano, o país realizou 11,4 mil transplantes. Desses, 6,6 mil foram cirurgias de córnea, 3,7 mil de órgãos sólidos (coração, fígado, rim, pâncreas e pulmão) e 965 de medula óssea. Em 2013, foram realizados 23.457 transplantes.

O coordenador geral do Sistema Nacional de Transplantes, Heder Murari, sinalizou que o governo deve atingir a meta de 14 doadores por milhão de habitante até o fim do ano. Lembrou que o Brasil é o país latino-americano com maior percentual de aceitação familiar para doação de órgãos. Das famílias brasileiras com situações de morte encefálica, 56% autorizaram a retirada. Na Argentina, no Uruguai e no Chile, os índices são, respectivamente, 52,8%, 52,6% e 51,1%.

Apesar dos avanços, o ministério lançou campanha na tentativa de aumentar a adesão das famílias à doação de órgãos. O objetivo é mostrar a importância da autorização para retirada de órgãos, após a confirmação do óbito. É a família que autoriza o procedimento, quando a situação do paciente é irreversível.

(Agência Brasil)

Fortaleza será sede de Jornada Regional de Nutrição Oncológica

Nesta sexta-feira, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) e o Instituto do Câncer do Ceará (ICC) realizarão em Fortaleza, pela primeira vez, a Jornada Regional de Nutrição Oncológica.

O evento ocorrerá no auditório do ICC, a partir das 8 horas, e deverá reunir 120 nutricionistas, estudantes e profissionais da saúde que discutirão temas da área oncológica e alimentação saudável.

Várias conferências e discussão de casos clínicos constam da programação que se estenderá até as 17 horas. Sob a coordenação de 12 nutricionistas do Inca e do ICC.

SERVIÇO

Inscrições no site: www.iepbp.com.br

Taxa – R$ 120,00 (profissional) e R$ 80,00 (estudante).

Mais informações – (85) 3288 4400.

Operação Lava a Jato – Juiz homologa primeira delação premiada

“O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, homologou hoje (24) o primeiro acordo de delação premiada da investigação da Operação Lava a Jato, da Polícia Federal. O acordo foi feito entre a defesa de Luccas Pace Júnior, acusado de crimes financeiros e lavagem de dinheiro, e o Ministério Público Federal (MPF). O conteúdo da delação está em segredo de Justiça.

De acordo com a investigação, Luccas era subordinado a Nelma Kodama, considerada pelo Ministério Público líder do grupo criminoso que operava no mercado negro de câmbio por meio de empresas fantasmas.

O próximo acordo de delação a ser homologado deve ser o depoimento em que Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, cita nomes de políticos favorecidos com propinas no esquema de corrupção investigado na Operação Lava a Jato. Por envolver pessoas com foro privilegiado, a homologação terá de ser avaliada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).”

(Agência Brasil)

 

Brasileiro gastou muita bufunfa, em agosto, no Exterior

“As despesas de brasileiros no exterior chegaram a US$ 2,354 bilhões, em agosto, o maior resultado para o mês registrado pelo Banco Central (BC), na série histórica mensal, iniciada em 1995. Nos oito meses do ano, os gastos no exterior alcançaram US$ 17,254 bilhões, contra US$ 16,610 bilhões em igual período de 2013. Em agosto do ano passado, as despesas totalizaram US$ 2,207 bilhões.

Para o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, a renda dos brasileiros é um fator determinante para o aumetno dos gastos no exterior. “A massa de salários continua crescendo em termos reais. Isso é um elemento importante nessa avaliação de despesas de viagens internacionais”, disse. Sobre o efeito da alta do dólar, Maciel avalia que demora para aparecer porque os pacotes de viagens internacionais são comprados antecipadamente.

As receitas de estrangeiros no Brasil chegaram a US$ 499 milhões em agosto, contra US$ 517 milhões em igual mês do ano passado. De janeiro a agosto, as receitas chegaram a US$ 4,935 bilhões, contra US$ 4,537 bilhões nos oito primeiros meses de 2013.

Com esses resultados de despesas e receitas, a conta das viagens internacionais foi negativa em US$ 1,855 bilhão, no mês passado, contra US$ 1,690 bilhão em agosto de 2013. De janeiro a agosto, o déficit chegou a US$ 12,319 bilhões, ante US$ 12,073 bilhões em igual período do ano passado. Hoje (24), o BC revisou a projeção para o déficit na conta de viagens internacionais de US$ 18 bilhões para US$ 18,5 bilhões, este ano.”

(Agência Brasil)

F

Balança comercial cearense registra saldo negativo em agosto

A balança comercial cearense registrou em agosto saldo negativo de US$ 79,1 milhões, decorrente de US$ 228,3 milhões importados ante US$ 149,3 milhões exportados no período. Os dados são da edição de agosto do “Ceará em Comex”, estudo de inteligência comercial elaborado pelo Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), tendo como fonte a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério de Desenvolvimento e Comércio Exterior (MDIC).

De acordo com o levantamento, em comparação com o mesmo período do ano passado, as vendas externas aumentaram 41,4%, enquanto que as compras do exterior tiveram um incremento de 31,3%. No acumulado do ano, apesar da elevação em 37,6% das exportações (em valores, de US$ 745,8 milhões para mais de US$ 1 bilhão), o saldo comercial do estado está deficitário em quase US$ 1,2 bilhão, em virtude dos US$ 2,2 bilhões importados no período.

O estudo indica que as compras do Ceará do exterior estão basicamente relacionadas com os projetos estruturantes (Complexo Industrial e Portuário do Pecém e parques eólicos), bem como pela compra de insumos para a indústria. Tanto no mês atual, quanto no período de janeiro a agosto, a participação cearense na balança comercial brasileira aumentou, passando a representar, respectivamente, 0,73% e 0,67% do total exportado pelo país, e 1,18% e 1,42% em relação às importações. O Ceará foi o décimo quarto maior exportador brasileiro em 2014, sendo o terceiro no Nordeste (atrás da Bahia e do Maranhão). É importante mencionar que o estado apresentou o quarto maior incremento nas exportações dentre todas as unidades da federação. Um ponto de destaque é o aumento na participação do Ceará em relação ao Nordeste, passando de 6,9% para 9,8%.

(Com Fiec)

Hospitais querem redução da carga tributária

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=8TRYlozmHLQ&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

A Federação Brasileira de Hospitais, presidida pelo cearense Aramicyr Pinto, promete reforçar luta pela redução da carga tributária do setor a partir de 2015, quando assumirá um novo gestor no País.

Aramicyr Pinto, em conversa com o Blog, diz que o segmento sofre pressão de uma carga tributária hoje na ordem de 30% e que a desoneração da folha de pagamento poderia ser uma das alternativas para aliviar esse quadro, um dos temas de congresso que ocorre no Paraná.

Hora de apostar em lideranças para as próximas décadas

72 1

Com o título “Líderes para um mundo novo”, eis artigo do ex-senador e presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que pode ser lido no O POVO desta quarta-feira. Ele faz uma reflexão sobre as manifestações populares deste ano e aposta no surgimento de novas lideranças que pensem para as próximas décadas. Confira:

As manifestações que levaram milhões de brasileiros às ruas no ano passado mostraram a desilusão causada pelas deficiências do nosso modelo político. Muito além dessa perspectiva, no entanto, esses movimentos podem ser encarados como parte de um momento de transição que perpassa dezenas de países, caracterizado pela busca de novas ideias e estratégias políticas.

Alguns fatores passaram a ditar e a medir a qualidade e a eficácia das lideranças políticas. Entre eles: tendências demográficas, com a população crescendo mais acentuadamente nos países em desenvolvimento; o deslocamento do eixo do poder mundial, contemplando economias emergentes; e as novas demandas que surgem a partir dessas mudanças – potencializadas pela capacidade de organização e mobilização via redes sociais.

Mudou a geopolítica mundial. Mudou a economia global. O planejamento no uso de recursos energéticos, a revolução tecnológica e midiática e um dramático aumento do consumo de energia, alimentos e insumos nos países emergentes são alguns dos direcionadores a exigir gestão adequada, visão estratégica, que se adapte aos novos desafios. Há ainda a se considerar as transformações que a tecnologia, especialmente a robótica e os softwares, vai provocar no mercado de trabalho, ao substituir a mão de obra tradicional.

Os estudos apontam numa direção. Faliu o modelo de planejar em curto prazo. Projetar ganhos rápidos na economia ou – quando o clamor popular aumenta – usar medidas paliativas para mascarar problemas profundos são práticas rejeitadas pela sociedade. Há uma defasagem entre o tamanho dos desafios e as soluções tradicionais de governança, mesmo nas democracias estáveis. A consequência é o clima de ceticismo, não só em relação aos políticos, mas quanto à eficácia das instituições.

Mas esse quadro pode ser analisado sob ótica diferente. O momento desafiador representa oportunidade para o surgimento de lideranças com visão de futuro, preparadas para lidar com um mundo em acelerada transformação. No Brasil, este é um desafio atraente. Com reservas energéticas de todos os tipos, 15% da água doce do mundo e a caminho de ser um dos maiores produtores de petróleo, estaremos aptos a atender a boa parte da demanda de energia e comida do mundo redesenhado.

Já conquistamos vitórias importantes em áreas nas quais nossos competidores ficaram para trás. Temos recursos naturais estratégicos, democracia plena, programas sociais inclusivos e estabilidade econômica, o que nos confere credibilidade para honrar contratos. É preciso, agora, antecipar o futuro e liderar a mudança, não para os próximos meses, mas para as próximas décadas. O momento não é oportuno para líderes de ocasião, mas para os capazes de pensar à frente do tempo e formular abordagens inovadoras para concretizar as transformações que a sociedade anseia.

Sergio Machado

opiniao@opovo.com.br
Presidente da Transpetro.

Campanha Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil será lançada no Ceará

59 1

O Instituto da Infância (Ifan) vai lançar no Ceará no próximo dia 13, durante ato no auditório do IFCE de Acaraú (Litoral Oeste), a campanha nacional de erradicação do trabalho infantil intitulada “É da Nossa Conta!”. Com foco no semiárido, o objetivo é contribuir com o enfrentamento do trabalho infantil e a promoção do trabalho adolescente protegido no Brasil.

A campanha, em sua terceira edição, terá ações focadas no município do Vale do Acaraú, onde o projeto “Compromisso Vido: Direito da Criança e do Adolescente’, do Ifan, em parceria com a Fundação Telefônica Vivo, Unicef e OIT, promove atividades direcionadas à prevenção ao trabalho infantil, por meio de ações em defesa de direitos de crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos.

Neste ano, a ordem é dar atenção especial para Região Nordeste, sobretudo o semiárido, mostrando os cenários de trabalho infantil e o trabalho adolescente desprotegido nesse contexto.

PSB reforça pregação de Marina Silva sobre a necessidade do Bolsa Família

100 1

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=MCcNjSq6-iE&feature=youtu.be[/youtube]

O PSB vem reforçando, em seu horário gratuito, a pregação da candidata a presidente da República pelo PSB, Marina Silva, em favor do Bolsa Família.

O testemunho de Marina sobre a fome que conheceu de perto no Acre, ganhou maior divulgação. A ordem é sensibilizar para evitar novas quedas de popularidade.

Contratação de empresas foi 3,7% maior em 2012

“As empresas brasileiras empregaram 33,9 milhões de pessoas assalariadas em 2012. O número é 3,7% superior ao observado em 2011, quando os estabelecimentos empregaram 32,7 milhões de empresas. O dado é da pesquisa Demografia das Empresas – 2012, divulgada hoje (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa é, no entanto, a menor taxa de crescimento registrada pela pesquisa desde 2009, ano do segundo levantamento feito pelo IBGE. A Demografia das Empresas começou em 2008 e, portanto, só foi possível fazer comparações no ano seguinte. Os crescimentos anteriores tinham sido 6,1% em 2011, 9,1% em 2010 e 4,7% em 2009.

O crescimento dos postos de trabalho assalariados em 2012 foi conseguido pelos 3,7 milhões de empresas chamadas de sobreviventes, ou seja, que já existiam em 2011. Nesses empreendimentos, os postos de trabalho passaram de 31,7 milhões em 2011 para 33 milhões em 2012.

As 799,4 mil empresas que deixaram de existir levaram consigo 453,1 mil postos de trabalho, mais do que em 2011 (quando 864 mil empresas acabaram, junto com 410,4 mil postos assalariados).

As empresas novas empregaram menos pessoal assalariado do que em 2011. As 860 mil novas empresas de 2012 criaram 950,5 mil postos de trabalho, enquanto em 2011, os 871,8 mil novos empreendimentos trouxeram consigo 980,1 mil pessoas ocupadas assalariadas.”

(Agência Brasil)