Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Presidente do PP/CE reafirma apoio a Camilo, mas troca Dilma por Aécio Neves

camikloo

O Partido Progressista do Ceará mandou nota reafirmando apoio à candidatura de Camilo Santana (PT) para governador. A nota, assinada pelo deputado federal José Linhares, é uma resposta à decisão do vice da legenda, empresário Chagas Macedo, de anunciar apoio a Eunício Oliveira, postulante ao Governo pelo PMDB.

DETALHE – Por falar em deputado federal José Linhares, ele vai votar em Aécio Neves para presidente da República. Foi o que ele revelou em passagem pelo Aeroporto Internacional Pinto Martins, quando de um dos seus giro por Brasília. Isso mesmo depois de ter surfado com correligionários seus em cargos federais no Ceará.

Eunício Oliveira diz que não foi ao debate da TVC porque foi avisado de última hora

Eunicio

Candidato do PMDB ao Governo do Estado , o senador Eunício Oliveira disse que não foi ao debate organizado pela emissora TVC, nessa noite desta quinta-feira, porque teria sido avisado de “última hora” sobre o evento. Em entrevista ao O POVO, o peemedebista afirmou que estava numa agenda intensa no interior, realizando seis eventos no mesmo dia.

“A gente soube ontem a noite (quarta-feira, 15), e já estava em agenda intensa no interior. Já estava chegando em Iguatu, para o sexto do evento do dia, com programação toda feita, organizada. Infelizmente foi de última hora o aviso”, disse.

Apesar disso, Eunício afirma que sua participação em outros três debates já estaria certa. Um deles será o organizado pelo O POVO neste domingo, 19. “Esses seriam os previamente definidos, o da TVC eu soube hoje (quinta-feira, 16), quando já estava em programação”, disse.

Na noite desta quinta, Eunício participou apenas de evento de adesão de membros do PP à sua campanha. Como o peemedebista se ausentou do debate, horário que seria destinado ao evento foi ocupado com entrevista com o candidato Camilo Santana (PT).

* Veja o vídeo da fala de Eunício no POVO Online aqui.

Banco do Brasil terá que pagar multa por cobrar dívida rural já quitada

“A tentativa de se esquivar do cumprimento das decisões judiciais, especialmente de sentença transitada em julgado, viola o inciso V, artigo 14, do Código de Processo Civil, ensejando a imposição de multa por ato atentatório ao exercício da jurisdição. Por isso, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região manteve decisão que multou o Banco do Brasil em R$ 116 mil, por sua insistência em cobrar uma dívida de renegociação agrícola devidamente quitada e com reconhecimento judicial desde abril de 2012.

A relatora do Agravo de Instrumento na 3ª Turma da corte, juíza convocada Salise Monteiro Sanchotene, disse que as ‘‘intercorrências’’ verificadas na ação tornam adequada a multa fixada, ante a conduta desidiosa da instituição financeira estatal. “Inexiste qualquer razão para reduzi-la ao parâmetro do parágrafo único do artigo 14 do Código de Processo Civil, porquanto se trata de valor a ser fixado inicialmente e que não restringe o aumento da pena quando se trata de multa diária”, escreveu em sua decisão. O dispositivo diz que a multa não poderia ultrapassar 20% do valor da causa.

Nos dois graus de jurisdição, ficou patente que o valor da multa chegou a este patamar em decorrência do longo lapso de tempo em que — mesmo ciente da astreinte — o banco manteve-se inerte processualmente falando. Com isso, “reduzir a multa sob argumento de sua excessividade, no caso concreto, implicaria premiar a parte pela infração aos seus deveres processuais”, registrou a decisão, tomada na sessão de julgamento do dia 22 de setembro.

O autor conseguiu na Justiça Federal de Lages (SC) a extinção dos créditos objeto de uma operação bancária realizada no âmbito do Plano Especial de Saneamento de Ativos (Pesa), também conhecido como plano de alongamento das dívidas advindas do crédito rural. A sentença reconheceu que ele já havia quitado o débito.

Como a sentença foi confirmada pelo TRF-4 e já havia transitado em julgado, a Fazenda Nacional e o Banco do Brasil ficaram, a partir de então, proibidos de promover a cobrança de quaisquer valores relacionados àquele Pesa. Também não tinham permissão, em função do débito extinto, de inscrever o autor em cadastros restritivos de crédito, nem de negar-lhe certidão de regularidade fiscal.

Não foi que aconteceu. Ignorando a decisão judicial, o banco e a União continuaram cobrando o referido débito, negativando o autor junto ao Cadastro dos Inadimplentes (Cadin), o que levou a 1ª Vara Federal de Lages (SC) a impor multa diária.

O ponto culminante da fase de cumprimento de sentença ocorreu quando a instituição financeira deixou passar em “branco” o prazo para pagar a multa, o que deu ensejo à penhora de valores por meio do sistema BecenJud (penhora eletrônica). O BB só viria a impugnar o valor executado — sem sucesso — decorridos seis meses da efetivação da penhora.”

(Consultor Jurídico)

Ministro cancela participação em fórum de debates da UFC

foto francisco teixeira ministro

A Universidade Federal do Ceará abrirá segunda-feira, às 9 horas, no auditório do Centro de Tecnologia (Campus do Pici), o Fórum Natureza e Sociedade. O objetivo é discutir temas do interesse regional e que gerem impactos na realidade local.

O ministro Francisco Teixeira (Integração Nacional), que abordaria o tema “Desenvolvimento Regional e Recursos Hídricos”, cancelou participação por motivo de agenda.

Ao vencedor, só a metade do prato oficial

Com o título “Um caldo de muitas incertezas”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira. Mais um ingrediente para reflexões do eleitorado nestes tempos de campanha de segundo turno. Confira:

No cenário do debate televisivo, em vez da mesa de apoio destinada a cada candidato, uma máquina de lavar. A caricatura exprime com grande loquacidade o debate eleitoral brasileiro. Lamentavelmente, a discussão que deveria projetar o que cada candidato pretende para o futuro foi trocada pelos ataques. A lavagem de roupa suja. Isso vem se dando no âmbito estadual e nacional, além de se reproduzir nas redes sociais.

É evidente que a vida e a trajetória dos candidatos devem compor o debate eleitoral. O problema é quando esses temas se sobrepõem a todo o resto. Nos debates, até pertinentes perguntas sobre temas que são de cunho técnico logo descambam para acusações que nem sempre se relacionam com conceitos administrativos.

No Ceará e no Brasil, seja quem for o vencedor, haverá uma forte divisão eleitoral. Aquele que ganhar terá que conviver com praticamente a metade dos eleitores que foram às urnas tendo feito opção pelo outro concorrente. Isso, sem considerar o exército que votou em branco, nulo ou nem sequer se sentiu estimulado a votar. Ou seja, ninguém, mesmo com a legitimidade da maioria absoluta dos votos válidos, terá capital político suficiente para efetivar as grandes e fundamentais mudanças.

Mudanças reivindicadas pelas jornadas de junho de 2013, um fantasma que se mantém à espreita. Na história política do mundo, movimentos como aquele não acontecem à toa. As causas que levaram milhões às manifestações permanecem intocadas. Impressiona como o tema nem sequer entra no discurso dos dois concorrentes que disputam a presidência da República. Também no Ceará, é como se nada tivesse ocorrido. A memória dos políticos se fez perigosamente curta.

Que os nossos políticos não se esqueçam: no primeiro turno, em torno de 15% dos eleitores votaram em branco ou nulo. Outros cerca de 20% preferiam não legitimar o sistema ao deixar de votar. Ou seja, um terço do eleitorado renegou o que lhe foi apresentado como opção. Os ataques mútuos, as jornadas de 2013 e os recados dos eleitores são fatos que se relacionam formando um caldo que, sim, projeta instabilidades.

PT Fortaleza ampliará campanhas pró-Dilma e Camilo na Capital

camildilma

O PT de Fortaleza está realizando uma série de atividades com o objetivo de reforçar as campanhas pró-Dilma Rousseff e Camilo Santana na Capital. A militância está sendo convocada pelos diretórios zonais a sair nas ruas e estampar camisas e bandeiras vermelhas.

Haverá mobilizações por regiões e segmentos, além de panfletagens, porta a porta, bandeiraços, adesivaços e plenárias, informa o presidente do PT Fortaleza e deputado estadual eleito Elmano de Freitas.

SERVIÇO

Para acompanhar a programação, acesse www.ptfortaleza.org.bg e facebook/ptfortalezaoficial.

(Foto – Divulgação)

Carreata pró-Aécio Neves deixa Fortaleza com destino a Juazeiro do Norte

334 3

carrataa

Tomou a rota de Juazeiro do Norte (Região do Cariri), nesta manhã de sexta-feira, a “Carreata Onda Azul” em favor da candidatura de Aécio Neves (PSDB). na organização, o consultor Paulo Angelim.

No trajeto, 12 cidades, por meio da BR-116, difundindo o nome do tucano. Sem direito a paradas. A previsão de chegada: 20 horas.

Quem conferiu a saída, não contou mais de 50 carros, mas, ao longo do percurso, haverá adesão de aecistas.

(Foto – Tadashi Enomoto)

Ex-superintendente do Ibama do Ceará ocupará diretoria no Ministério da Pesca

negreiross

Negreiros (de amarelo) durante discussões sobre lagosta.

Quem disse que acabou nomeação na área federal pode fechar o sinal vermelho. O engenheiro José Augusto Negreiros acaba de ser nomeado diretor de Monitoramento e Controle da Pesca do Ministério da Pesca.

Negreiros, bom lembrar, já foi superintendente estadual do Ibama. Ele estava coordenando ações de combate à pesca da lagosta no momento.

Seca atinge agronegócio paulista

“A estiagem prolongada em São Paulo tem causado perdas ao agronegócio do estado, principalmente no setor de logística. Se ainda não é possível dimensionar todo o dano na safra 2013/2014, na área de logística, a estimativa de prejuízo passa de R$ 30 milhões, só com a suspensão da navegação na Hidrovia Tietê-Paraná. A informação é do presidente do Conselho de Logística e Infraestrutura da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Renato Pavan. Em entrevista à Agência Brasil, Pavan disse que a expectativa de prejuízo potencial poderia alcançar R$ 45 milhões, somente com os problemas enfrentados no transporte da safra pela hidrovia.

“Hoje, para se transportar grão de São Simão pela hidrovia até Pederneiras e, de lá, com ferrovias até Santos, custa R$ 86 a tonelada. Como não foi possível continuar a navegação na hidrovia, então essa carga teve que ir por caminhão custando R$ 101 por tonelada. Essa diferença provoca a diminuição da renda do produtor e congestionamento das estradas até o porto, sem falar na quantidade de caminhões para substituir a ferrovia”, explicou ele.

A Hidrovia Tietê-Paraná tem 2,4 mil quilômetros (km) de extensão, sendo 800 km no estado de São Paulo. Ela conecta os cinco maiores estados produtores de grãos: Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná. Por causa da falta de chuva e devido ao aumento de geração de energia nas hidrelétricas de Ilha Solteira e de Três Irmãos, trechos de navegação na hidrovia tiveram que ser paralisados.”

(Agência Brasil)

Manifesto de professores de Economia sobre a realidade atual do País

565 3

Eis que recebemos um novo manifesto. Agora de professores universitários da área de Economia. Há docentes da UFC assinando o documento. Confira:

MANIFESTO DE PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS DE ECONOMIA

Este texto é um manifesto de um grupo de 164 professores universitários de Economia, ligados a diversas instituições no Brasil e no Exterior. O nosso objetivo é desconstruir um dos inúmeros argumentos falaciosos ventilados na campanha eleitoral.

1) Não há, no momento, uma crise internacional generalizada.
■Alguns de nossos pares na América Latina, uma região bastante sensível a turbulências na economia mundial, estão em franca expansão econômica.
■Projeta-se, por exemplo, que a Colômbia cresça 4,8% em 2014, com inflação de 2,8%. Já a economia peruana deve crescer 3,6%, com inflação de 3,2%. O México deve crescer 2,4%, com inflação de 3,9%.1
■No Brasil, teremos crescimento próximo de zero com a inflação próxima de 6,5%.1
■Entre as 38 economias com estatísticas de crescimento do PIB disponíveis no sítio da OCDE, apenas Brasil, Argentina, Islândia e Itália encontram-se em recessão.2
■Como todos os países fazem parte da mesma economia global, não pode haver crise internacional generalizada apenas para alguns.
■É emblemático que, dentre os países da América do Sul, apenas Argentina e Venezuela devem crescer menos que o Brasil em 2014.1

2) Neste cenário de baixo crescimento e inflação alta, a semente do desemprego está plantada. E os avanços sociais obtidos com muito sacrifício ao longo das últimas décadas estão em risco.

3) O atual governo tenta se eximir de qualquer responsabilidade pelo nosso desempenho econômico pífio e culpa a crise internacional. Entretanto, como a realidade dos fatos mostra que não há crise internacional generalizada, a explicação só pode ser outra.

4) Em grande parte, atribuímos o desempenho medíocre da economia brasileira e a perspectiva de retrocesso nas conquistas sociais às políticas econômicas equivocadas do atual governo.

5) O atual governo ressuscitou os fantasmas da inflação e da instabilidade macroeconômica.

■Uma política monetária inadequada gerou a suspeita de intervenções de cunho político no Banco Central, que foi fatal para sua credibilidade.
■A utilização recorrente de truques contábeis destruiu a confiança na política fiscal.
■Esta combinação de políticas monetária e fiscal opacas e inadequadas gerou um cenário macroeconômico extremamente adverso, com inflação alta e crescimento baixo.

6) O governo Dilma amedrontou os investimentos.

■Houve mudanças constantes e inesperadas de regras, como alterações arbitrárias de alíquotas de impostos.
■Diante desta instabilidade das regras do jogo, a desconfiança aumentou e o horizonte dos empresários encurtou.
■O acesso privilegiado aos órgãos governamentais passou a ser uma atividade mais lucrativa que o planejamento e investimento de longo prazo.

7) A mudança das regras do jogo não afetou apenas a iniciativa privada.

■O excesso de intervencionismo nas empresas estatais, como o represamento artificial dos preços de energia e gasolina, minou a capacidade de investimento dessas empresas.
■Por conta de empreendimentos questionáveis do ponto de vista econômico, a capacidade de investimento da Petrobrás foi comprometida.

8) O atual governo expandiu a oferta de crédito subsidiado de forma discricionária e irresponsável.

■A distribuição arbitrária de crédito subsidiado produz distorções na alocação de recursos do país e contribui para o baixo crescimento econômico.
■Os subsídios envolvidos geram altos custos fiscais que o atual governo tenta esconder com malabarismos e truques contábeis. Estes expedientes destruíram a confiança nas estatísticas fiscais do país.
■Os recursos gastos na forma de subsídios injustificados poderiam ser utilizados para ampliar programas sociais e investimentos públicos em educação, saúde e infra-estrutura.
■O Brasil precisa continuar avançando na direção de uma sociedade mais justa e igualitária, com melhor distribuição de renda.
■Além de deletéria para o desenvolvimento do país, a política de distribuição arbitrária de crédito subsidiado para grandes grupos econômicos é concentradora de renda.

No ambiente econômico do Brasil de hoje, os frutos de um novo empreendimento podem ser facilmente corroídos por mudanças inesperadas nas regras do jogo, pela alta inflação e pelo baixo crescimento econômico. Portanto, não é surpreendente que o investimento tenha colapsado. Sem investimento, o Brasil jamais retomará o seu caminho para o desenvolvimento. E sem desenvolvimento, os avanços sociais obtidos com muito sacrifício ao longo das últimas décadas sofrerão retrocessos.

O Brasil tem sérios desafios pela frente e para enfrentá-los precisamos de um debate transparente e intelectualmente honesto. Ao usar de sua propaganda eleitoral e exposição na mídia para colocar a culpa pelo fraco desempenho econômico recente na conjuntura internacional, se eximindo da sua responsabilidade por escolhas equivocadas de políticas econômicas, o atual governo recorre a argumentos falaciosos.

14 de outubro de 2014

Fontes:
1 Dados retirados do World Economic Outlook, FMI, Outubro de 2014.

2 Dados retirados do sítio da OCDE (http://stats.oecd.org/). Recessão definida como variação negativa do PIB real dessazonalizado nos últimos 2 trimestres com dados disponíveis.

Assinam (em ordem alfabética) os professores abaixo:

Nome Titulação, Instituição Afiliação atual

(1) Ademar Romeiro PhD, EHESS Unicamp
(2) Adriana Bruscato Bortoluzzo Doutor, IME/USP Insper
(3) Afonso Henriques Borges Ferreira PhD, New School Ibmec MG
(4) Alan André Borges da Costa Mestre, UFMG UFOP
(5) Alan Moreira PhD, Chicago Yale University
(6) Alberto Salvo PhD, LSE National University of Singapore
(7) Alesandra de Araújo Benevides Mestre, CAEN/UFC UFC
(8) Ana Beatriz Galvão PhD, Warwick University of Warwick
(9) Anderson Mutter Teixeira Doutor, UnB FACE/UFG
(10) André Carraro Doutor, PPGE/UFRGS PPGOM/UFPel
(11) André da Cunha Bastos Mestre, USP UFG
(12) André Portela Souza PhD, Cornell EESP/FGV
(13) Antonio F. Galvao PhD, Illinois University of Iowa
(14) Antônio Márcio Buainain Doutor, Unicamp Unicamp
(15) Ari Francisco de Araujo Junior Mestre, UFMG Ibmec MG
(16) Arilda Teixeira Doutor, UFRJ Fucape
(17) Arilton Teixeira PhD, Minnesota Fucape
(18) Armando Gomes PhD, Harvard Washington University in St Louis
(19) Aureo de Paula PhD, Princeton University College London e EESP/FGV
(20) Bernardo de Vasconcellos Guimarães PhD, Yale EESP/FGV
(21) Bernardo Soares Blum PhD, UCLA University of Toronto
(22) Braz Ministério de Camargo PhD, UPenn EESP/FGV
(23) Bruno Cara Giovannetti PhD, Columbia FEA/USP
(24) Bruno Cesar Aurichio Ledo Doutor, EPGE/FGV FEA/USP-RP
(25) Bruno Ferman PhD, MIT EESP/FGV
(26) Bruno Funchal Doutor, EPGE/FGV Fucape
(27) Camila F. S. Campos PhD, Yale Insper
(28) Carolina Caetano PhD, Berkeley University of Rochester
(29) Carlos Eduardo Goncalves Doutor, USP FEA/USP
(30) Carlos Eugênio Ellery Lustosa da Costa PhD, Chicago EPGE/FGV
(31) Carlos Viana de Carvalho PhD, Princeton PUC-Rio
(32) Cecilia Machado PhD, Columbia EPGE/FGV
(33) Cézar Augusto Ramos Santos PhD, UPenn EPGE/FGV
(34) Cristian Huse PhD, LSE Stockholm School of Economics
(35) Christiano Arrigoni Coelho Doutor, PUC-Rio Ibmec RJ
(36) Christiano Modesto Penna Doutor, CAEN/UFC CAEN/UFC
(37) Cristina Terra PhD, Princeton Université de Cergy-Pontoise
(38) Claudio Djissey Shikida Doutor, PPGE/UFRGS Ibmec MG
(39) Claudio Ferraz PhD, Berkeley PUC-Rio
(40) Claudio Ribeiro de Lucinda Doutor, EAESP/FGV FEA/USP-RP
(41) Cleyzer Adrian da Cunha Doutor, UFV FACE/UFG
(42) Daniel Barboza Guimarães Doutor, CAEN/UFC UFC
(43) Daniel Bernardo Soares Ferreira PhD, Chicago London School of Economics
(44) Daniel de Abreu Pereira Uhr Doutor, UnB UFPel
(45) Daniel Gottlieb PhD, MIT University of Pennsylvania
(46) Daniel Monte PhD, Yale EESP/FGV
(47) Daniel Oliveira Cajueiro Doutor, ITA UnB
(48) Daniel Ribeiro Carvalho PhD, Harvard University of Southern California
(49) David Turchick Doutor, EPGE/FGV FEA/USP
(50) Eduardo Augusto de Souza-Rodrigues PhD, Yale University of Toronto
(51) Eduardo Correia de Souza Doutor, UFRJ Insper
(52) Eduardo Faingold PhD, UPenn Yale University
(53) Eduardo Fonseca Mendes PhD, Northwestern University of New South Wales
(54) Eduardo Zilberman PhD, NYU PUC-Rio
(55) Elano Ferreira Arruda Doutor, CAEN/UFC CAEN/UFC
(56) Emanuel Ornelas PhD, Wisconsin-Madison London School of Economics e EESP/FGV
(57) Emerson Marinho Doutor, EPGE/FGV CAEN/UFC
(58) Emilson Caputo Delfino Silva PhD, Illinois University of Alberta
(59) Fábio Massaúd Caetano Doutor, PPGE/UFRGS UFPel
(60) Fabio Miessi PhD, LSE FEA/USP
(61) Fabio Orfali Mestre, USP Insper
(62) Felipe Garcia Ribeiro Doutor, EESP/FGV UFPel
(63) Fernando Botelho PhD, Princeton FEA/USP
(64) Fernando Vendramel Ferreira PhD, Berkeley University of Pennsylvania
(65) Flávia Lúcia Chein Feres Doutor, Cedeplar/UFMG PPGEA/UFJF
(66) Francisco Junqueira Moreira da Costa PhD, LSE EPGE/FGV
(67) Gabriel de Abreu Madeira PhD, Chicago FEA/USP
(68) George Henrique de Moura Cunha Doutor, UnB UCB
(69) Geraldo Biasoto Jr Doutor, IE/Unicamp IE/Unicamp
(70) Gil Riella PhD, NYU UnB
(71) Gisele Ferreira Tiryaki PhD, George Mason UFBA
(72) Gregorio Caetano PhD, Berkeley University of Rochester
(73) Guilherme Hamdan Gontijo Mestre, PPGE/UFRGS Ibmec MG
(74) Guilherme Irffi Doutor, CAEN/UFC CAEN/UFC
(75) Gustavo Manso PhD, Stanford University of California, Berkeley
(76) Gustavo Mauricio Gonzaga PhD, Berkeley PUC-Rio
(77) Gustavo Ramos Sampaio PhD, Illinois UFPE
(78) Heitor Almeida PhD, Chicago University of Illinois at Urbana-Champaign
(79) Helder Ferreira de Mendonça Doutor, UFRJ UFF
(80) Jair Andrade Araujo Doutor, CAEN/UFC MAER/UFC
(81) João Manoel Pinho de Mello PhD, Stanford Insper
(82) João Victor Issler PhD, San Diego EPGE/FGV
(83) José A. Rodrigues-Neto PhD, Wisconsin Australian National University
(84) José Coelho Matos Filho Doutor, UnB UFC
(85) José Guilherme de Lara Resende PhD, Chicago UnB
(86) José Maria Ferreira Jardim da Silveira Doutor, Unicamp Unicamp
(87) Juliana Inhasz Doutor, FEA/USP Insper
(88) Juliana Terreiro Salomao PhD, Stanford University of Minessota
(89) Juliano Junqueira Assunção Doutor, PUC-Rio PUC-Rio
(90) Klenio de Souza Barbosa PhD, Toulouse EESP/FGV
(91) Leandro Rocco PhD, Illinois UFC
(92) Leonardo Rezende PhD, Stanford PUC-Rio
(93) Lucas Maestri PhD, Yale EPGE/FGV
(94) Luciana Yeung Luk Tai Doutor, EESP/FGV Insper
(95) Luciano I. de Castro Doutor, IMPA University of Iowa
(96) Luis Henrique Bertolino Braido PhD, Chicago EPGE/FGV
(97) Marcel Scharth PhD, VU University Amsterdam University of New South Wales
(98) Marcelo Arbex PhD, Illinois University of Windsor
(99) Marcelo Cunha Medeiros Doutor, PUC-Rio PUC-Rio
(100) Marcelo de Albuquerque e Mello PhD, Illinois Ibmec RJ
(101) Marcelo de Castro Callado PhD, University of Cologne UFC
(102) Marcelo de Oliveira Passos Doutor, UFPR UFPel
(103) Marcelo Eduardo Alves da Silva PhD, UNC Chapel Hill UFPE
(104) Marcelo Fernandes PhD, Université Libre de Bruxelles EESP/FGV e Queen Mary University of London
(105) Marcelo Rodrigues dos Santos Doutor, EPGE/FGV Insper
(106) Marcelo Savino Portugal PhD, Warwick UFRGS
(107) Marcio Gomes Pinto Garcia PhD, Stanford PUC-Rio
(108) Márcio Veras Corrêa Doutor, Universidade Técnica de Lisboa CAEN/UFC
(109) Marco Bonomo PhD, Princeton Insper
(110) Marcos Costa Holanda PhD, Illinois CAEN/UFC
(111) Marina Mendes Tavares PhD, Minnesota ITAM, Mexico
(112) Mauricio Benegas Doutor, CAEN/UFC CAEN/UFC
(113) Maurício Soares Bugarin PhD, Illinois UnB
(114) Mauro Rodrigues Doutor, UCLA FEA/USP
(115) Marco Aurélio Bittencourt Doutor, UnB UCB
(116) Naercio Aquino Menezes Filho PhD, University of London Insper e FEA/USP
(117) Natalia Piqueira PhD, Princeton University of Houston
(118) Nathalie Gimenes Sanches PhD, Queen Mary University of London FEA/USP
(119) Nelson Camanho da Costa Neto PhD, LSE Catolica Lisbon School of Business & Economics
(120) Nelson Seixas dos Santos Doutor, USP PPGE/UFRGS
(121) Osvaldo Candido da Silva Filho Doutor, UFRGS UCB
(122) Paulo Natenzon PhD, Princeton Washington University in St Louis
(123) Paulo Rogério Faustino Matos Doutor, EPGE/FGV CAEN/UFC
(124) Pedro A. C. Saffi PhD, London Business School University of Cambridge
(125) Pedro Cavalcanti Ferreira PhD, UPenn EPGE/FGV
(126) Pedro H. Albuquerque PhD, Wisconsin-Madison KEDGE Business School
(127) Pedro Hemsley PhD, Toulouse UERJ
(128) Peri Agostinho da Silva Junior PhD, Illinois Kansas State University
(129) Pery Francisco Assis Shikida Doutor, ESALQ/USP Unioeste
(130) Pricila Maziero PhD, Minnesota University of Pennsylvania
(131) Priscila Casari Doutor, ESALQ/USP UFG
(132) Rafael B. Barbosa Doutor, CAEN/UFC Sobral/UFC
(133) Rafael de Vasconcelos Xavier Ferreira Doutor, EPGE/FGV FEA/USP
(134) Rafael Dix Carneiro PhD, Princeton Duke University
(135) Rafael Lopes de Melo PhD, Yale University of Chicago
(136) Regis Augusto Ely Doutor, UnB UFPel
(137) Renata Narita PhD, UCL FEA/USP
(138) Renato Dias de Brito Gomes PhD, Northwestern Université de Toulouse
(139) Renato Fragelli Cardoso Doutor, EPGE/FGV EPGE/FGV
(140) Ricardo A. de Castro Pereira Doutor, EPGE/FGV CAEN/UFC
(141) Ricardo D. O. Brito Doutor, EPGE/FGV Insper
(142) Ricardo de Abreu Madeira PhD, BU FEA/USP
(143) Rinaldo Barcia Fonseca Doutor, Unicamp Unicamp
(144) Roberto Ellery Jr Doutor, UnB UnB
(145) Rodrigo de Losso da Silveira Bueno PhD, Chicago FEA/USP
(146) Rodrigo Lanna Franco da Silveira Doutor, USP IE/Unicamp
(147) Rodrigo Moita PhD, Illinois Insper
(148) Rodrigo Nobre Fernandez Doutor, UFRGS UFPel
(149) Rodrigo R. Soares PhD, Chicago EESP/FGV
(150) Rogério Mazali PhD, Tulane University UCB
(151) Rogério Moreira de Siqueira Mestre, CAEN/UFC UFC
(152) Romero Cavalcanti Barreto da Rocha Doutor, PUC-Rio UFRJ
(153) Ronald Otto Hillbrecht PhD, Illinois PPGE/UFRGS
(154) Rozane Bezerra de Siqueira PhD, UCL UFPE
(155) Ruy Monteiro Ribeiro PhD, Chicago PUC-Rio
(156) Sabino da Silva Porto Júnior Doutor, PPGE/UFRGS UFRGS
(157) Thiago de Oliveira Souza PhD, University of London Southern Denmark University
(158) Tiago V. de V. Cavalcanti PhD, Illinois University of Cambridge
(159) Tiago Couto Berriel PhD, Princeton PUC-Rio
(160) Vander Mendes Lucas PhD, Université Catholique de Louvain UnB
(161) Vinicius Carrasco PhD, Stanford PUC-Rio
(162) Vitor Borges Monteiro Doutor, CAEN/UFC FEAAC/UFC
(163) Vitor Hugo Miro Couto Silva Mestre, CAEN/UFC UFC
(164) Walter Novaes Filho PhD, MIT PUC-Rio

 

Lira Neto, com “Getúlio II”, ganha Prêmio Jabuti

liraneto

O livro “Getúlio – Do governo provisório à ditadura do Estado Novo (1930-1945)”, de autoria do jornalista e escritor cearense Lira Neto, venceu a 56ª edição do Prêmio Jabuti, na categoria biografia. O Jabuti é considerado o mais importante prêmio literário do Brasil.

Em segundo lugar ficou o livro “Wilson Baptista: o samba foi sua glória”, de Rodrigo Alzuguir, e a terceira colocação ficou para Mary Del Priore, com “O castelo de papel”, que conta a história da Princesa Isabel e seu marido, o Conde D’Eu.

Apesar de vencedores de algumas categorias já terem sido anunciados, a cerimônia de entrega acontecerá do Prêmio acontecerá apenas em 18 de novembro, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo.

(O POVO Online)

Quando a política continua sendo uma caixinha de surpresas

146 1

Com o título “A vida política e suas contradições”, eis artigo do sindicalista José Francisco Rodrigues. Ele aborda a presença, juntos no palanque de Aécio e Eunício, de dois políticos que, no passado, eram água e óleo: Sérgio Novais, atual presidente regional do PSB, e o ex-governador e agora senador eleito pelo PSDB, Tasso Jereissati. Confira:

Há aproximadamente 20 anos, o povo cearense assistia, nos meios de comunicação, a uma disputa férrea dos “Tassistas”, que estavam no poder, com as esquerdas que contavam com o grupo de Sérgio Novais entre as lideranças. Sérgio, aliás, por duas vezes ocupou cargos políticos: vereador de Fortaleza e depois deputado federal.

Bem, foi justamente como deputado federal que Sérgio Novais arranjou suas maiores brigas e com o então governador Tasso Jereissati. Era época, inclusive, em que reinava o Horário de Verão, que foi bastante combatido por Novais. O Ceará e o Nordeste – menos a Bahia, saiam do cumprimento desse horário, pois o parlamentar soube provar que não seria necessário por aqui e causaria prejuízos.

Para quem não lembra, a disputa entre o então governador Tasso Jereissati e Sérgio Novais sempre foi bem movimentada. Cada um sempre defendendo seu partido e seus interesses. Troca de farpas não faltaram.

É,  mas o mundo dá muitas voltas e a política é dinâmica (segundo Gonzaga Mota – ex-governador).

Hoje vemos Sérgio Novais, presidente do PSB/CE, do mesmo lado de Tasso Jereissati. Quem diria que tudo isso iria acontecer? Os dois, inclusive, trabalhando por Eunício Oliveira, o candidato a governador pelo PMDB, e por Aécio Neves, do PSDB tantas vezes alvo de críticas de Novais.

Mas, contradizendo Cazuza que compôs um dia que “o tempo não para”, observamos: a política, meus caros, não para. E, como o futebol, tem suas caixinhas de surpresa.

* José Francisco Rodrigues,

Coordenador-Adjunto do Fórum Unificado das Associações de Servidores Públicos do Ceará (FUASPEC) e assessor sindical da Associação dos Servidores de Nível Médio da Secretaria da Saúde do Estado.

Revista de saúde é lançada em Washington com publicações de autores cearenses

odoricomoneiro

A The Lancet, considerada a revista de maior referência mundial em saúde, lançará nova edição com artigos publicados por pesquisadores cearenses como o médico e deputado federal eleito Odorico Monteiro (PT). O lançamento ocorre nesta quinta-feira em Washington (EUAS), na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), informa a assessor do parlamentar.

Odorico lidera um grupo de 11 pessoas, incluindo conterrâneos como as professoras Kelen Ribeiro e Ivana Barreto da UFC e pesquisadores internacionais, tendo o professor Rifat Atun de Harvard como referência. O professor e agora parlamentar, Odorico Monteiro, participa de duas publicações científicas, uma delas como autor líder e outra como autor convidado.

No artigo principal, Odorico aborda as determinantes sociais da saúde, a cobertura universal e o desenvolvimento sustentável, observando os estudos de caso dos países da América Latina. A discussão do estudo envolve países como o Brasil, Cuba, Colômbia e Chile, apresentando políticas públicas intersetoriais relevantes nestes lugares, que vêm gerando impactos positivos na saúde. Para o caso do Brasil, o programa apresentado é o Bolsa Família. Junto a outros outros pesquisadores, Odorico participou como convidado do artigo que trata dos sistemas de saúde e cobertura universal em saúde da América Latina.

Sites de referência

Link da Pan American Health Organization – http://www.paho.org/hq/

Link da revista Lancet – http://www.thelancet.com/home

Professores-pesquisadores envolvidos

· Rifat Atun – Universidade de Harvard
· Alberto Pellegrini – CEPI-DSS FIOCRUZ
· Ivana Barreto – UFC
· Juliana de Paula – Consultora Opas
· Orielle Solar – sanitarista chilena
· Lígia de Salazar – sanitarista colombiana, diretora da FUNDESALUD
· Félix Rígoli – Gerente OPAS-Brasil
· Pastor Castell Florit Serrate – sanitarista cubano, Escola de Saúde Pública de Cuba
· Kelen Gomes Ribeiro – Universidade Federal do Ceará
· Fernanda Natasha Bravo Cruz – doutoranda em Desenvolvimento e Cooperação Internacional (UnB)
· Theadora Koler – técnica em Determinantes Sociais da Saúde da OMS

A turma do jaleco tucano

120 2

jsoemariapomte

O presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, José Maria Pontes, avisa: a grande maioria de sua categoria votará em Aécio Neves, o candidato do PSDB à Presidência da República.

Seria uma espécie de represália ao Programa Mais Médicos, lançado pelo Governo Dilma Rousseff, que importou médicos do Exterior – especialmente cubanos, para trabalharem nos rincões do País.

José Maria endossa o que a Associação Médica Brasileira sempre tem dito a respeito dessa iniciativa: é “eleitoreira”. Não mexe no fundamental, que é assegurar condições de trabalho e remédio.

 

Grupo de docentes do Ceará divulga manifesto pró-reeleição de Dilma Rousseff

495 3

dilmamarcha

Um grupo de professores cearenses está divulgando, nesta quinta-feira, um manifesto de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).  O grupo reconhece dificuldades no plano econômico, mas destaca que os avanços sociais foram significativos. Confira:

MANIFESTO DE PROFESSORES EM APOIO À DILMA

Apesar da crise econômica que assola as mais diversas economias do mundo, é de amplo conhecimento que o Brasil vem atravessando, nos últimos doze anos, um ritmo de desenvolvimento próprio, que competentemente vem conciliando crescimento econômico, distribuição de riquezas e protagonismo nacional na geopolítica externa, por sua vez resultando na estabilização de um cenário geral interno de pleno emprego, equilíbrio fiscal e controle inflacionário.

A favorável situação nacional é reconhecida mundo afora, não por acaso culminando, recentemente, com a exclusão do país do mapa mundial da fome da FAO, por haver reduzido, em cerca de 75%, sua pobreza extrema no período, limitando-a aos níveis mínimos admitidos pela sociedade internacional. Tudo isso vem acontecendo desde a ascensão de Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República, em 2003, que empreendeu uma política doravante aprofundada e consolidada no atual governo da presidenta Dilma, que acarretou em profundas e positivas mudanças para o Brasil e seu povo.

Conscientes do quanto isso representa para os brasileiros, em especial as camadas menos favorecidas da população, nós, professores abaixo assinados, votamos em Dilma, pela renovação de um novo quadriênio de mandato à frente da presidência do país, manifestando, desde já, nossa aprovação às políticas empreendidas nos derradeiros anos, por consequência dizendo sim à continuidade de programas importantes como BOLSA FAMÍLIA, MAIS MÉDICOS, FIES, PROUNI, PRONATEC, BRASIL CARINHOSO, CIÊNCIAS SEM FRONTEIRAS, LUZ PARA TODOS, entre tantos outros.

Assinam: 

Marcelo Ribeiro Uchôa – Direito/Unifor
Judicael Sudário de Pinho – Direito/Unifor
Martônio Mont`Alverne Barreto Lima – Direito/Unifor
Elisberg Bessa – Direito/Unifor
Pedro Telmo Vascooncelos – Direito/Unifor
Izabel Barreira – Direito/Unifor
Armando Costa Júnior – Direito/Unifor
Rosendo Amorim – Direito/Unifor
Antônio Carlos Fernandes – Direito/Unifor
Rômulo Guilherme Leitão – Direito/Unifor
George Paulino – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Danyelle Nilin Gonçalves – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Alba Maria Pinho de Carvalho – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Eduardo Girão – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Irapuan Peixoto Lima Filho – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Cesar Barreira – Depto. de Ciências Sociais/UFC e Coordenador do Laboratório de Estudos sobre a Violência
Irlys Barreira – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Paulo Linhares – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Domingos Abreu – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Kleber Saraiva – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Sulamita Vieira – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Luiz Fábio Silva – Depto. De Ciências Sociais/UFC
Renê Barreira – Ex-reitor da Universidade Federal do Ceará.
Jania Perla Aquino – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Gustavo Cesar Machado Cabral – Direito/UFC
Osmar de Sá Pontes – UFC
Zilsa Pinto Santiago – Arquitetura/UFC
Joaquim Alves Neto – Educação Física/UEVA Sobral
Gleison Maia Lopes – Sociologia/UEVA Sobral
Luis Fernando V. Coelho – Tecnologia de Construção/UEVA Sobral
Emanuel Linhares – Professor de Direito Constitucional
Sebastião André Alves Lima – UNILAB
Daniel Dantas Lemos – Comunicação/UFC
Marcelo Tavares Natividade – Sociologia/USP
Vanda Magalhães Leitão – Faculdade de Educação/UFC
Régis Wendel Gomes Miranda – Professor e mestrando em Sociologia/UFC
Sandra Helena de Sousa – Direito e Jornalismo/Unifor
Angela Julita Leitão – Psicologia/Unifor
Francisco Pinheiro – História/UFC
Marcus Giovani Moreira – Direito/Fanor
Augustin Sigal – Professor da Universidade de Cordoba/Arg
Janio Pereira da Cunha – Direito/Unicrhistus
Marcos Paulo Campos – Professor e Doutorando em Sociologia/UERJ
Ricardo George Araújo – Professor de Filosofia da UEVA/Sobral
Ligia Casimiro – Professora de Direito Administrativo
Eudes Baima – Educação/UECE
Erasmo Ruiz – UECE
Maria Lenúnica Moura – UECE
Maria Helena de Paula Frota – Sociologia/UECE
Maria Andrea Luz da Silva – Sociologia/UECE
Francisco Horácio da Silva Frota – Sociologia/UECE e Coordenador do Mestrado em Políticas Públicas
Ulisses Lima Parente – Matemática/UECE
Maria Cristina de Queiróz Nobre – Serviço Social/UECE
Ricelly Jader – Depto. De Letras/UECE
Emanuel Meireles – Psicologia/UFPA
Roger Cid Gomes Miranda – Professor de Filosofia
Lia Matos – Professora aposentada da UECE
Marcelo Sousa Pinheiro – Fanor
Ivan Oliveira – Sistema de Computação/IFCE
Nemias Figueiredo – Administração/FLATED
Rafael Lobato Pinheiro – Faculdade Leão Sampaio
Abrahão Sampaio – IFCE
Juliana Coelho Andrade – Professora de Ciências Contábeis
Edilson Aragão – Direito/UEVA
André Nascimento – Filosofia/UFAM
Isis Albuquerque – Serviço Social/Faculdade Ateneu
Clara Silveira – Serviço Social/UFC
Elis Teixeira – Depto. De Letras/UFC
Hebe Macedo de Carvalho – Depto. De Letras/UFC
Sandra Maia – depto. De Letras/UFC
Antônio Duarte Fernandes Távora – Chefe do Depto. De Letras/UFC
Eulália Leurquin – Depto. De Letras/UFC
Cícero Miranda – Depto. De Letras/UFC
Vicente Lima – Depto. De Letras/UFC
Miguel Franklin – Computação/UFC
Ozirene Vidal Maia – IFCE Jaguaribe
Iraci Barbara Andrade – Serviço Social/Fac. Vale do Jaguaribe
José Aldo – Educação/UECE
Antonia Dulcia Carvalho Correia – Professora de História
Luis Arthur da Costa Silva – Professor e mestrando em História da Universidade de Porto/Portugal
Walter Kohan – Filosofia/UFC
Thiago Sabino Alves Pinto – Fotografia e Comunicação/IESB
Jeferson Veras Nunes – Ciências da Informação/UFC
André Sabino – Professor de História
Mirtes Amorim – Filosofia/UFC
Robson Torres Bandeira – Professor da Faculdade de Ciências Humanas de Fortaleza
Elza Braga – UFC
Victor Marques – Doutor em Filosofia/PUCRS
André de Menezes Gonçalves – IFCE Iguatu
Cynthia Studart Albuquerque – IFCE Iguatu
Luana Paula Moreira Santos – IFCE Iguatu
Antônio Roberto Ferreira – IFCE
Monalisa Soares – Fametro
Jovanil Oliveira – Professor de História
Ivo Moreira – IFCE

SERVIÇO

* O grupo informa que quem tiver interesse em assinar, é só enviar os dados para o e-mail: professorescomdilmace@gmail.com

Diário Oficial da União traz regulamentação do auxílio-moradia dos membros do MPU

“O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) publicou hoje (16), no Diário Oficial da União, a resolução que regulamenta o pagamento de auxílio-moradia a procuradores do Ministério Público da União (MPU). A concessão do benefício mensal de até R$ 4.377 foi autorizada por meio de liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux e também vale para juízes federais de todo o país.

A regulamentação determina que todos os membros do Ministério Público em atividade fazem jus ao benefício desde que não haja imóvel funcional disponível na localidade de sua lotação ou efetiva residência, em caso de autorização para residência fora da sede da unidade. O auxílio pode ser pago inclusive aos integrantes que tenham residência própria.

Só não terão direito ao auxílio-moradia os procuradores aposentados e licenciados sem receber subsídio e os que tiverem cônjuge ou companheiro que já ocupe imóvel funcional ou receba auxílio-moradia na mesma localidade. As regras têm efeitos financeiros retroativos a 15 de setembro deste ano. O pagamento de auxílio-moradia a juízes e procuradores está sendo questionado pela Advocacia-Geral da União (AGU), que já entrou no STF com um pedido de derrubada da liminar de Fux, mas foi vencida.”

(Agência Brasil)

Casa da Esperança ganha reconhecimento nacional

fatimadourado

A presidente da Casa da Esperança, Fátima Dourado, ganhou o Prêmio Cláudia 2014 – Editora Abril, na categoria “Trabalho Social”.

O anuncio foi feito em São Paulo, terça-feira. Ela disputou com várias candidatas de todo o Pais, que têm trabalho social ou ações voltadas para a valorização da cidadania.

Como prêmio, a Casa da Esperança, que cuida de crianças e adolescentes com autismo, terá sua história contada na edição de “Cláudia” do mês de novembro.

TSE manda instituto de pesquisa dar explicações à equipe de campanha de Dilma

“O ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, do Tribunal Superior Eleitoral, determinou que a empresa Sensus Data World Pesquisa e Consultoria S/C Ltda forneça à candidata Dilma Rousseff e à Coligação Com a Força do Povo acesso ao sistema interno de controle, verificação e fiscalização da coleta de dados de recente pesquisa de intenção de voto para presidente da República. Os documentos solicitados deverão ser encaminhados à área jurídica da campanha por e-mail ou por intermédio de mídia, devendo ser preservada a identidade dos entrevistados.

Em petição apresentada ao TSE, Dilma e sua coligação requereram acesso aos dados e fundamentaram o pedido na necessidade de investigação de supostas irregularidades na pesquisa, como a ausência de identificação da fonte dos dados estatísticos e dos fatores de ponderação, o superdimensionamento do percentual de eleitores com nível superior e a indicação de custeio exclusivo pelo instituto de pesquisa.

Segundo a pesquisa, divulgada no último sábado (11/10) pela revista Istoé, deu 52,4 por cento das intenções de voto para o candidato Aécio Neves, da coligação Muda Brasil, enquanto Dilma foi preferida por 36,7 por cento dos entrevistados.”

(Site do TSE)

Anvisa suspende venda e uso de lotes da vacina contra a meningite

“A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou hoje (16) a suspensão, em todo o país, da distribuição, comercialização e do uso de 12 lotes da vacina Meningitec® (vacina meningocócica C conjugada), apresentação de 10 microgramas (mcg), suspensão injetável, cartucho com uma seringa preenchida de vidro incolor de 0,5 mililitros (ml). De acordo com a agência, a vacina é indicada na imunização ativa de crianças com mais de 3 meses, adolescentes e adultos para a prevenção de doença invasiva causada por Neisseria meningitidis do grupo C.

Segundo a Anvisa, a Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda, empresa fabricante dos produtos, comunicou o recolhimento voluntário dos lotes após a constatação de unidades com partículas visíveis laranja-marrom avermelhadas móveis e imóveis de óxido de ferro no interior das seringas. “De acordo com as investigações, o desvio é resultado de desgaste no equipamento de envase, que liberou óxido no ferro no interior das unidades. A empresa também realizou uma avaliação de risco à saúde que indicou que o potencial risco para os pacientes é considerado baixo”, informou a fabricante.

A Anvisa acrescentou que, por se tratar de um grande número de lotes, haverá desabastecimento do produto no país, mas que há alternativas disponíveis no mercado brasileiro.

* Confira o número dos lotes e as datas de fabricação e validade na matéria aqui.