Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Eleições 2014 – Aécio Neves deve se licenciar para a campanha

aecio

“O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, voltou a dizer que uma política de estímulo ao etanol é uma das prioridades de sua plataforma. Para o candidato, o setor enfrenta “uma competitividade desleal com a Petrobras” e vem sendo penalizado pelos tributos e pela falta de infraestrutura adequada. O tucano participou do 13º Congresso Brasileiro do Agronegócio, promovido pela Associação Brasileira do Agronegócio.

Na avaliação de Aécio Neves, o cenário atual levou os produtores de etanol à uma situação de vulnerabilidade econômica, ao citar que foram fechadas mais de 40 usinas e que dez estão em processo de liquidação judicial. Para tentar resgatar o setor, o candidato disse que pretende fazer “um choque de infraestrutura”, com o intuito de promover uma simplificação do sistema tributário e dar maior previsibilidade aos investidores.

Questionado sobre obstáculos para a ampliação das áreas plantadas por causa da necessidade de aval de órgãos ambientais e demarcação de terras indígenas, Aécio Neves disse que é necessário cumprir a legislação, mas que considera possível aumentar a produtividade. “Desde a década de 90, enquanto a área plantada aumentou 90%, a produção cresceu 220%”, apontou.

O candidato disse que até próxima quarta-feira (6) deve decidir sobre o licenciamento do cargo de senador. E informou que vai devolver o dinheiro recebido pelo Senado relativo aos dias não trabalhados por causa da campanha eleitoral. “Eu caminho para me licenciar”, disse.”

(Agência Brasil)

Dilma: Congresso é quem deve responder sobre antecipação de perguntas em CPI

dillllma

“A presidenta Dilma Rousseff afirmou hoje (4) que o Congresso Nacional é que deve dar explicações sobre a antecipação do gabarito de perguntas que seriam feitas a diretores da Petrobras durante depoimentos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga denúncias de irregularidades na estatal.

Publicada na última edição da revista Veja, a denúncia diz que a presidente da Petrobras, Graça Foster, o ex-presidente da estatal, José Sergio Gabrielli, e o ex-diretor da Área Internacional, Nestor Cerveró, tiveram acesso antecipado às perguntas e foram treinados para responder aos questionamentos. “

Esta é uma questão que deve ser respondida pelo Congresso”, disse a presidenta, que é candidata à reeleição pelo PT. Dilma fez a declaração a visitar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) Jardim Jaci, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo.”

(Agência Brasil)

AFBNB quer um BNB fortalecido na sua identidade como banco regional

Com o título “O BNB é um Banco de Desenvolvimento”, eis título de artigo que a diretoria da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste (AFBNB) manda para o Blog. A entidade ressalta que a Instituição passa por momento de transição com amplas perspectivas de fazer vale seus objetivos, desde que o banco não perca sua identidade. Confira:

Não é de hoje a percepção de que o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) passa por momento singular em que urge a necessidade de seu fortalecimento, em todos os níveis, bem como da sua reafirmação como uma instituição vital para o Desenvolvimento. Para a Associação dos Funcionários do BNB (AFBNB), essa premência exige atitudes firmes e objetivas, especialmente, quanto ao que a sociedade precisa e demanda.

Na esfera conceitual parece não ser difícil identificar que o Banco é uma instituição pública, uma sociedade de economia mista com mais de 98% do capital social pertencente ao Governo Federal, que tem por missão fomentar o desenvolvimento (econômico + social) da Região Nordeste (área de atuação do FNE e da Sudene), por meio de crédito especializado de longo prazo, daí a necessidade de fontes de recursos adequados e estáveis, a exemplo dos fundos, seguindo prerrogativas constitucionais e diretrizes de políticas públicas (áreas prioritárias da Política Nacional de Desenvolvimento Regional – PNDR, etc.).

Também é evidente, em todas as áreas do Banco – Direção Geral, Superintendências e agências – certo clima no ar, talvez em função da eleição presidencial que se aproxima, quanto a um período de transição e possíveis mudanças na gestão, especialmente considerando o contexto atual no BNB: direcionamentos e ações específicas de curto prazo, mudanças na estrutura e medidas para setembro/2014, anunciadas com força nas palavras e no posicionamento de gestão. E no discurso, a indicação de que a área de desenvolvimento do BNB também será fortalecida.

E deve ser mesmo. Mas a julgar pelo tratamento que vêm sendo dada à estratégia de desenvolvimento do Banco e um dos seus componentes, a definição da contribuição dos agentes de desenvolvimento para a consecução de objetivos no contexto de uma política de desenvolvimento territorial, que não tem solução há anos, pode-se inferir que o discurso não combina com a prática. O interessante: essa definição está posta nos direcionamentos e ações de curto prazo estabelecidos pela gestão do Banco. O pior: os ventos continuam trazendo nuvens com relação a essa tomada de decisão.

Na realidade, não há como tergiversar quanto ao fato de que é a atuação diferenciada do BNB enquanto operador de recursos públicos de longo prazo, em especial o FNE (de quem é administrador), que lhe garante a essência de banco de desenvolvimento. E é em função desse posicionamento que são possíveis receitas relevantes de taxa de administração e dedel credere para a Instituição, ou seja a sustentabilidade.

Porém, sabe-se que não é só aplicando os recursos do FNE, ou pela ação creditícia per si, que o BNB se certifica enquanto banco de desenvolvimento. Há a necessidade de outras posições de gestão/organizacionais que façam prevalecer esse viés, um banco que ao promover o crédito de longo prazo o faz enquanto política pública, que fomenta ações complementares ao crédito, antecedentes e subsequentes, fundamentais para o planejamento e a consolidação de um eixo desenvolvimentista quando da execução dos recursos públicos disponíveis.

A questão parece ser simples. Em princípio, não se é contra o crédito para capital de giro/crédito comercial (as empresas nordestinas apoiadas pelo Banco precisam) e a abertura de novas agências (a Afbnb em 2010 já colocava a importância de dobrar o número, pelo menos), e outras medidas que visam a apoiar o BNB na perspectiva do varejo, do dia a dia de uma instituição bancária, mas a compreensão é de que elas só são fortalecedoras se estruturadas a partir da competência essencial da instituição, ser um banco de desenvolvimento.

Não é isso que parece estar acontecendo, especialmente, se se notar que não há preponderância da visão desenvolvimentista (ex.: agentes de desenvolvimento atuando em diversas ações relacionadas à execução aderente do FNE à PNDR, e à desconcentração do crédito versus insegurança quanto à manutenção desse segmento conforme a filosofia originalmente concebida).

É certo, aí, um grande risco da perda de identidade, e até mesmo da sustentabilidade do Banco. A AFBNB vem alertando quanto a essa possibilidade há muito tempo. A alta administração, assim como o conjunto dos trabalhadores do banco sabe disso. O que se preconiza é o compromisso e a prática de que os trilhos sejam ajustados, sem qualquer possibilidade de sequência do desvirtuamento de rumos. É o que a sociedade precisa e espera do Banco do Nordeste do Brasil na perspectiva do cumprimento da sua missão institucional.

Associação dos Funcionários do BNB (AFBNB)
Gestão Autonomia e Luta.

Reitor da UFC instala Campus de Russas

O reitor da Universidade Federal do Ceará, Jesualdo Farias, participará, nesta segunda-feira, da aula inaugural que vai marcar o início das atividades do Campus de Russas (Vale Jaguribano). A primeira graduação ofertada ali é a de Engenharia de Software. Dirigido pelo professor Lindberg Gonçalves, o campus, quando concluído, abrigará outros quatro cursos da área tecnológica: Engenharia Mecânica, Engenharia Civil, Engenharia de Produção e Ciência da Computação. A perspectiva é, ainda, de que o Campus de Russas atenda a 1.650 estudantes, ao fim da instalação das cinco graduações.

Já no próximo dia 18, o reitor da UFC irá a Crateús para a aula magna no Campus da Instituição nesse município. A direção será da professora Maria Soares. O Campus de Crateús iniciou as atividades letivas nesta segunda-feira, com o curso de Ciência da Computação. Em 2015, funcionarão os cursos de Sistemas de Informação, Engenharia Ambiental e Engenharia Civil. Dentro de cinco anos, o Campus de Crateús contará com 1.550 alunos.

Coral da ADUFC retoma atividades neste mês

Professores ativos e aposentados da Universidade Federal do Ceará estão sendo convocados a fazer parte do Coral da ADUFC, entidade que congrega a categoria.

Os ensaios, agora em novo horário – quartas e sextas-feiras, das 17 às 19 horas, são coordenados pela professora Izaíra Silvino. As atividades terão início nesta quarta-feira.

SERVIÇO

Sede da ADUFC – Avenida da Universidade, 2346- Benfica.

Ceará é sede de reunião do Conselho Nacional das Rede de Institutos Federais

virgilioararipe

O Instituto Federal do Ceará (IFCE) será sede, de terça a quinta-feira, da 44ª edição da Reunião Ordinária do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

Segundo o reitor do IFCE, Virgílio Araripe, a pauta constará de temas como Capacitação, Inserção no Mercado de Trabalho e Cultura. Gestores de ensino da rede no País participarão da programação, que está dividida entre Fortaleza e Guaramiranga (Maciço de Baturité).

Conselho de Ética aguarda depoimento de Andre Vargas

“Mesmo depois de anunciar o fim da fase de depoimentos do processo envolvendo o deputado federal André Vargas (sem partido-PR), o relator do processo no Conselho de Ética, deputado Júlio Delgado (PSB-MG) poderá, em uma nova tentativa, ouvir testemunhas e o próprio acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef.

O deputado era esperado para depoimento na semana passada, mas não compareceu e divulgou no Twitter que o relator já havia emitido sua opinião sobre o caso sem lhe dar direito de defesa. De acordo com assessores do Conselho de Ética, o deputado poderia comparecer à reunião marcada para as 11 horas de hoje, mas não apareceu. Procurado pela Agência Brasil, Vargas respondeu, no entanto, que não recebeu qualquer convocação. “Nem estou sabendo”, respondeu por mensagem de texto por telefone.

Os assessores do Conselho de Ética informaram, em resposta, que o parlamentar foi informado sobre a nova possibilidade de depor por e-mails enviados ao próprio deputado e aos seus advogados. De acordo com o colegiado, Vargas ainda terá uma “nova oportunidade” para depor no início da tarde de hoje, na sessão marcada para as 14 horas.

Vargas é investigado por intermediar as negociações de um contrato entre um laboratório e o Ministério da Saúde para fornecimento de remédios. A empresa, chamada Labogen, seria um laboratório de fachada de Youssef, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, de combate à lavagem de dinheiro.”

(Agência Brasil)

Bancários querem 12,5% de reposição salarial

marcossaraiva

Os bancários já sabem quanto vão pedir de reposição salarial aos banqueiros.

Segundo Marcos Saraiva, diretor do sindicato da categoria no Ceará e também membro da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Instituições Financeiras (Contrafi), a pedido é de 12,5%.

A categoria tem data-base no mês setembro. Por enquanto, nada de greve, de acordo com Marcos Saraiva.

(Foto – Paulo MOsKa)

Brasil tem estabilidade econômica, mas ainda está muito aquém como Nação emergente

Com o título “Eleições, 20 anos do Real e uma nova economia”, eis artigo do jornalista Oswaldo Scaliotti. Ele aborda a nova moeda, que trouxe estabilidade, mas lembra que o Brasil ainda está muito aquém do seu potencial como economia emergente. Confira:

As eleições se aproximam e em 2014 o Plano Real completa 20 anos. Dois assuntos extremamente interligados se o Brasil pretende iniciar um novo ciclo econômico. Se ao longo das duas últimas décadas, conquistamos a estabilidade econômica, com o Plano Real, metas de inflação, superávit primário (economia para pagar juros da dívida) e Lei de Responsabilidade Fiscal, ainda falta sem dúvida dar mais pungência à economia brasileira.

Apesar da estabilidade econômica, é notório que o Brasil ainda está bem aquém do seu potencial como economia emergente. Para 2014, por exemplo, o Fundo Monetário Internacional – FMI prevê que o crescimento do Produto Interno Bruto – PIB do Brasil fique em apenas 1,3%. O fato é que o País não fez as lições básicas para garantir uma economia mais forte e com crescimento sustentável. Os mesmos gargalos históricos continuam, como alta carga tributária, baixo nível de investimento e de poupança, elevados custos trabalhistas e muita burocracia, só para citar alguns deles.

O brasileiro deve analisar o tema crescimento econômico no debate eleitoral deste ano com o mesmo cuidado de outros assuntos relevantes, como educação, saúde, segurança e infraestrutura. Afinal, economia é sinônimo de empregabilidade, renda, perspectiva de crescimento profissional, ou seja, uma série de aspectos de elevada importância para qualidade de vida da população.

No entanto, os programas de governo dos principais candidatos à Presidência da República mostram dados superficiais sobre as políticas públicas para economia e poucos comprometimentos, programas e metas. As eleições de 2014 são uma grande oportunidade dos brasileiros cobrarem dos seus candidatos ações efetivas para que o país dê mais um passo no sentido de concretizar seu potencial latente há mais de cinco séculos.

* Oswaldo Scaliotti

osnjornalista@gmail.com 
Jornalista e MBA em Economia e Finanças.

Eleições 2014 – Globo vai divulgar nova pesquisa do Ibope nesta semana

aecionevve

Hora de conferir estragos de aeroporto sobre Aécio.

O Ibope já está nas tuas para mediar a temperatura da sucessão presidencial, numa pesquisa encomendada pela Rede Globo. Servirá, sobretudo, para medir se houve (e o tamanho do) estrago que o caso do aeroporto de Cláudio produziu na candidatura a presidente de Aécio Neves (PSDB).

Tucanos garantem que, por pesquisas internas, nada mudou. Petistas, também se dizendo de posse de “pesquisas internas”, garantem o contrário.

De acordo com o registro da pesquisa no TSE, as 2506 entrevistas serão feitas até quinta-feira, que deve ser a data provável de sua divulgação no Jornal Nacional.

(Com Coluna Radar, da Veja Online)

Sucessão presidencial – A corrida pelo voto de 20 milhões de indecisos

95 2

dilcampoaecio

“A campanha eleitoral brasileira começa a se preparar para a etapa midiática que terá início dentro de 15 dias, quando a propaganda oficial de cada partido vai invadir a televisão brasileira, em horário gratuito e obrigatório.

É nesse momento que 20 milhões de indecisos, dos 142.467.862 de eleitores deste ano, vão começar a flertar com os candidatos a futuro presidente do Brasil. Eles já estão nos estúdios, ensaiando seus discursos na TV.

Mas, enquanto os programas não começam, a batalha eleitoral se concentra na arena das denúncias, com notícias sobre a conduta de cada candidatura chegando como petardos nos comitês das campanhas.

(Carla Jiménez – El País))

Mercado financeiro estima crescimento da economia brasileira em 0,86%

“A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia, este ano, continua em queda. Pela décima vez seguida, a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu. Desta vez, a projeção passou de 0,90% para 0,86%. Para 2015, a projeção sobre o crescimento do PIB se mantém em 1,5%. Essas projeções fazem parte da pesquisa semanal do BC a instituições financeiras, sobre os principais indicadores econômicos.

A estimativa para a retração da produção industrial foi alterada de 1,15% para 1,53%, e há expectativa de recuperação, com crescimento de 1,70%, para 2015. A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) segue em US$ 2 bilhões, este ano, e passou de US$ 9,4 bilhões para US$ 8,5 bilhões, em 2015.”

(Agência Brasil)

Mercado financeiro projeta inflação em 6,2% neste ano

“A projeção de instituições financeiras para a inflação caiu pela terceira semana seguida. É o que mostra a pesquisa semanal, feita pelo Banco Central (BC), sobre os principais indicadores econômicos. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 6,41% para 6,39%, este ano. Em relação a 2015, a projeção subiu de 6,21% para 6,24%. As estimativas para 2014 e o próximo ano estão acima do centro da meta de inflação (4,5%), que deve ser perseguida pelo BC, e próximas do teto (6,5%).

A taxa básica de juros, a Selic – usada pelo BC para influenciar a economia e consequentemente, a inflação – deve fechar 2014 sem novas alterações, de acordo com as expectativas das instituições financeiras. Atualmente a Selic está em 11% ao ano. Mas em 2015, as instituições financeiras esperam por elevação da taxa, que deve encerrar o período em 12% ao ano.”

(Agência Brasil)

Ex-secretário nacional de Gestão e Participação Popular inaugura comitê em Fortaleza

O candidato a deputado federal pelo PT, Odorico Monteiro, vai inaugurar, às 19 horas desta terça-feira, o seu comitê central de campanha em Fortaleza.

Após 25 anos de gestão pública na área da saúde em cidades como Icapui, Quixadá, Sobral e Fortaleza, além de passagem pelo Ministério da Saúde, Odorico agora coloca seu nome para concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

O comitê, localizado na esquina da avenida da Universidade com Domingos Olímpio, será a base de apoio do trabalho de Odorico Monteiro em Fortaleza e Região Metropolitana.

Seca no Nordeste – Reservatórios da região registram 30% da capacidade, segundo ministro

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=WLj_-yZtKi0&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, fez um balanço, nesta segunda-feira, sobre projetos como “Água para Todos” e também sobre a situação das obras de transposição das águas do rio São Francisco. Teixeira reiterou que a obra deve ser concluída no fim de 2015.

Francisco Teixeira também avaliou a situação de abastecimento d’água no Nordeste. Informou que o nível dos reservatórios é da ordem de 30% e que prossegue a ação do apoio às comunidades por meio do carro-pipa.

Ministério da Saúde descarta suspeita de ebola em Goiânia

O Ministério da Saúde descartou a possibilidade de uma paciente do Hospital de Doenças Tropicais (HDT) de Goiânia estar com o vírus ebola. A mulher de 23 anos procurou nessa sexta-feira (1º) atendimento no hospital especializado por ter apresentado febre e tosse depois de uma estadia de dez dias em missão religiosa no Moçambique.

O país africano não é foco de surto da doença, mas, segundo assessoria do HDT, como fica no mesmo continente de países em que está havendo surto da doença, ela foi encaminhada para o serviço especializado. Apesar de a hipótese de ebola ter sido descartada, a paciente continua internada para descobrir o que provocou os sintomas.

De acordo com o hospital, a paciente, que não teve o nome divulgado, está passando por exames e apresenta quadro geral bom e estável, sem risco de morte.

Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou que não há caso suspeito ou confirmado de ebola no país e que o risco de transmissão para o Brasil é considerado baixo. De acordo com os dados oficiais divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), os países acometidos pelo surto do vírus são a Guiné, a Libéria e Serra Leoa, todos situados na África Ocidental.

(Agência Brasil)

Michel Temer grava para inserções de Dilma de olho no fogo das traições

82 1

temer

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), já gravou, sob a direção do marqueteiro João Santana, diversas falas que aparecerão no programa de TV da presidente Dilma Rousseff.

As inserções começam a partir do próximo dia 19.

(Radar, da Veja Online)

DETALHE – Temer quer baixar um pouco o fogo das traições que, no momento, predomina entre muitos peemedebistas.

TSE multa Aloizio Mercadante

“O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu multar hoje (1º) em R$ 7,5 mil o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, por propaganda eleitoral antecipada. A ação, movida pelo PSDB, contestou a ação de Mercadante de ter convocado no dia 15 de junho uma coletiva, no Palácio do Planalto, para rebater críticas do partido ao governo da presidenta Dilma Rousseff e feito comparações com as administrações anteriores dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso.

No dia anterior, ocorreu a convenção nacional do PSDB, quando foi oficializada a candidatura de Aécio Neves à Presidência da República. Na ocasião, os integrantes do partido fizeram críticas ao governo da presidenta. Cabe recurso da decisão.

A decisão foi tomada durante a reabertura dos trabalhos do tribunal, depois do recesso forense, como resposta à uma representação apresentada pelo PSDB. “O representado não se limitou a rebater críticas ao governo federal. Ao meu ver, ele transbordou conteúdos desconectados da convocação da entrevista”, declarou a ministra Maria Tereza.”

(Agência Brasil)

Ariano Suassuna – O Encantado

Com o título “Suassuna: o rapsodo universal do Nordeste”, eis artigo do jornalista Francisco Bezerra (Bezerrinha). Ele reúne uma série de opiniões sobre o saudoso Arianio Suassuna. Confira mais esta homenagem:

“Suassuna e Cervantes, meus picarescos prediletos. A Pedra d´O Reino e D. Quixote são os livros mais doidões do planeta. Você não sabe o que tá perdendo”. Jornalista Xico Sá.

O imortal Guimarães Rosa em sentença inolvidável discorreu sobre a transcendência do ser. Segundo ele, as pessoas não morrem, ficam encantadas. Como o assunto em tela não é a metafísica, paremos por aí sobre questões filosóficas aristotélicas, até porque Voltaire assinalou que “o estudo da metafísica consiste em procurar, num quarto escuro, um gato preto que não está lá”. Além disso, Guimarães Rosa é mineiro e mineiro tem horror ao controverso.

O prelúdio tem por escopo analisar, a luz do encantado, um personagem que marcou de forma contundente sua passagem pelo reino dos vivos e adentrou ao de Plutão com a certeza da imortalidade. Falo do insigne Ariano Vilar Suassuna. Gênio da raça como foram os seus conterrâneos Celso Furtado, José Lins do Rego, Simeão Leal e José Américo de Almeida, para ficar em poucos.

Permitam-me uma digressão. Em conversa com este escriba, quando aqui na taba esteve palestrando, o jornalista Paulo Henrique Amorim foi peremptório: “Apesar de toda a arrogância, de toda a prepotência da Academia paulista, ela nunca produziu um intelectual de trânsito internacional como Celso Furtado, Paulo Freire e Gilberto Freyre.” Redargui assomando a este panteão de sumidades da inteligência nacional o nome de Capistrano de Abreu, um cearense de Columinjuba – sítio localizado em terras maranguapenses -, pai da história brasileira. O arguto homem de mídia assentiu a minha observação.

Não porque tenha “se encantado”, absolutamente. Mas, em minha opinião de nordestino apaixonado por nosso torrão, Suassuna há que ter espaço consagrado neste mesmo panteão de ínclitos pensadores nacionais. As teses econômicas elevaram Celso Furtado ao patamar dos grandes mestres da disciplina que o levou a lecionar na Sorbonne. Paulo Freire e seus postulados da educação ganharam o mundo como instrumento libertador dos oprimidos e transformador das sociedades iníquas. Gilberto Freyre, em sua principal obra “Casa grande & Senzala”, publicada em 1933, revolucionou a intelectualidade da época ao apresentar novos conceitos sobre a formação da sociedade brasileira, considerando a mistura de três étnicas: índios, africanos e portugueses.

Suassuna notabilizasse como o escritor da identidade nacional. Vou abrir aspas para garimpar definições do filho de João Suassuna, um nordestino valente que foi assassinado na revolução de 1930: “Na década de 70, em pleno regime de exceção, parte de nossos intelectuais e artistas vivendo no exílio, Ariano Suassuna significou um legítimo farol não só em termos de manutenção da cultura popular, como na afirmação de uma — até então — pouco delineada identidade nacional.

Mentor do Movimento Armorial, uma dessas iniciativas tão geniais quanto graciosas e que pretendia, segundo ele, “uma arte brasileira erudita a partir das raízes populares de nossa cultura”, Suassuna incendiou o imaginário de pelo menos duas gerações. Lutando contra a vulgarização das manifestações populares, pregava a integração de todas as artes, da literatura à tapeçaria, valorizando a tradição,” teorizou Cintia Moscovic, uma escritora e jornalista gaúcha, mestre em Teoria Literária e ministrante de oficinas literárias.

O que disse Luiz Fernando Verissimo, também gaúcho sobre o rapsodo nordestino: “Ariano era um tesouro nacional. Mais do que escritor: compositor, um ícone da cultura brasileira. Além do trabalho original, seu trabalho fazendo traduções, conhecia muito de história do Nordeste. Não era só um escritor, era muito mais do que isso”.

Lya Luft, escritora: “Era um desbravador, do Brasil inteiro, com uma grandeza, efervescência. Ele mostrou não só alegria, mas o drama do Brasil. Como pessoa, era querido como poucos. Era um dos últimos patriarcas da nossa literatura.” São relatos insuspeitos, posto que os fraseantes não são nordestinos.

Vou citar um intelectual alencarino para realçar a importância de Suassuna para o imaginário nacional. O historiador e escritor Juarez Leitão discorre sobre o menestrel do Nordeste lembrando que ele virou universal sem sair da província: “Quem quiser que viesse beber de sua sabedoria em plagas nordestinas.”

Abusado, Suassuna esnobou nada mais nada menos do que estrelas de uma constelação mundial. Quando esteve em visita ao Brasil, Jean Paul Sartre, o pai do existencialismo, num encontro frugal com Ariano, disse que já houvera lido O Auto da Compadecida em inglês. Em seguida, pediu autorização ao autor para publicá-la em francês. Abusado que só João Grilo, o filho da Paraíba recusou a oferta. A razão: “Eu não sou existencialista”.

Para finalizar, prometendo voltar a falar sobre o inesgotável Suassuna em outra oportunidade, um causo por ele narrado me chamou atenção pela irreverência. O ex-primeiro-ministro de Portugal, Mário Soares, veio a Recife entregar pessoalmente uma comenda para Ariano e o convidou para ir a Portugal. Como resposta o premier português ouviu do homenageado: “ Eu nunca saí do Brasil, mas se tiver que sair certamente é para ir a Portugal, porque lá vocês falam a língua mais linda do mundo. Aliás, nós falamos melhor do que vocês.” Uma personalidade que nem todo o tratado metafísico de Aristóteles explicaria.

* Francisco Bezerra (Bezerrinha),

Jornalista, radialista e professor.

As perdas de Ariano Suassuna, João Ubaldo e Rubem Alves e nossa ignorância

225 1

Com o título “Como é difícil admitir que não sabemos…”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele fala das perdas na área cultural com mortes de João Ubaldo Ribeiro, Ariano Suassuna e Rubem Alves, mas indaga: será que tantos que se manifestaram tristes conhecem obra desses autores? Confira:

Nos últimos dias, o Brasil ficou mais burro com as mortes de Ariano Suassuna, João Ubaldo Ribeiro e Rubem Alves. Fique tranquilo: o objetivo deste artigo não é tecer loas a nenhum deles. Pelo contrário: a intenção é refletir justamente sobre as inúmeras (e justíssimas) “citações” – notadamente na imprensa e nas redes sociais – em homenagem a estes três escritores.

Acho válido e salutar constatar a quantidade de brasileiros tristes com estas perdas. Mas depois fiquei me perguntando: será que este povo todo conhece a obra destes intelectuais? Os trechos reproduzidos foram fruto de leitura de fato? Havia uma admiração por afinidade de saberes ou porque para alguns virou moda o lamento coletivo?

De Suassuna, salvo engano, à parte de suas entrevistas deliciosas, assisti ao filme e li somente o Auto da Compadecida. De Ubaldo, exclusivamente A Casa dos Budas Ditosos. Por sinal, é a única obra dos três constante na minha biblioteca. Nunca sequer folheei um livro de Rubem Alves. A minha sensação de ignorância, porém, foi rapidamente sanada com alguns cliques: hoje, diante do computador ou de um smart phone, em segundos você se sente um catedrático na vida de qualquer um.

A informação constante na nuvem nos dá uma segurança dantes nunca vista. Os lapsos de memória viraram pó. Aquele título obscuro de uma música qualquer da sua infância, o nome daquele diretor do filme que ganhou o Oscar em 1972, o autor dinamarquês do livro de sociologia, todos vem a nós pela graça do Santo Google. Mas é o caso de perguntar: que saber é esse?

Tenho de responder que é uma aparência de conhecimento. Uma boia para salvar vidas num mar de ignorância. Numa perspectiva positiva, benjaminiana, isso deve servir pelo menos para divulgar a obra e quem sabe provocar em alguns o desejo de conhecê-los. Mas só quem realmente leu o Auto da Compadecida e, por exemplo, O Mercador de Veneza, conseguirá entender o trabalho de Suassuna de levar Shakespeare até o sertão. Só quem conhece Henry Miller ou Anais Nin conseguirá ver arte nA Casa dos Budas Ditosos.

No mais, a internet causa um desserviço abominável: dificulta, sobremaneira, uma coisa que o ser humano detesta fazer, qual seja, admitir sua própria ignorância. Fico irritado em entrevistas com celebridades porque falam dos mais variados assuntos de forma irresponsável, na base do “eu acho que…” querendo mostrar à força uma erudição que não possuem.

Levei anos, primeiro como aluno, depois como professor, para dar à expressão “não sei” o seu devido valor. Ao invés de a cobrirmos com o verniz da vergonha, deveríamos lembrar que na verdade este é o ponto de partida para nos lançarmos em busca do conhecimento. “Só sei que nada sei”, dizia Sócrates. Rubem Alves que me perdoe.

Demétrio Andrade,

Jornalista e sociólogo.