Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Emenda quer acabar com impostos que incidem sobre medicamentos

O senador Reguffe (sem partido-DF) é autor de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 2/2015 que quer proibir a tributação de remédios de uso humano no Brasil. O texto, já aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) na legislatura passada, ainda precisa ser votado no plenário. Se aprovada pelos senadores, deverá ser analisada na Câmara dos Deputados.

— É uma matéria muito importante para a população e vai aliviar o bolso de muitos que usam principalmente remédios de uso continuado e que não merecem pagar o que pagam hoje de impostos na hora. A tributação tem que ser sobre o consumo supérfluo, não sobre o que mexe com a saúde das pessoas, não sobre o que mexe com a vida das pessoas — explica Reguffe, que pediu à presidência do Senado que coloque a PEC em pauta.

Reguffe salientou que, enquanto países como Inglaterra, Canadá e Colômbia não cobram impostos sobre medicamentos, no Brasil os impostos representam 35,7% dos preços dos remédios.

(Agência Senado)

Juiz cearense vai integrar o Comitê Nacional de Precatórios

O juiz Francisco Eduardo Fontenele Batista, auxiliar da área da Fazenda Pública da Comarca de Fortaleza, foi designado para compor o Comitê do Fórum Nacional de Precatórios. O ato consta na Portaria nº 38/2019, assinada pelo presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, e publicada na última quarta-feira (27). O magistrado foi responsável pela Assessoria de Precatórios do Judiciário estadual em três gestões do Tribunal de Justiça do Ceará, informa a assessoria de imprensa da Instituição.

O mandatos nesse comitê é de dois anos, com seus integrantes tendo a função de elaborar estudos e propor medidas concretas de aperfeiçoamento de gestão, relacionada à área dos preatórios em todo o país.

Além do magistrado cearense, fazem parte da equipe: Sérgio Luiz Kukina (ministro do STJ), Cláudio Mascarenhas Brandão (ministro do TST), Carlos Vieira Von Adamek (secretário-geral do CNJ), Marcio Evangelista Ferreira da Silva (juiz auxiliar da Presidência e secretário-geral adjunto do CNJ), Miguel Ângelo de Alvarenga Lopes (juiz auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça), Luis Paulo Aliende (desembargador do TJSP), Lizandro Garcia Gomes Filho (juiz do TJDFT), Mario Massanori Fujita (juiz do TJSP), José Márcio da Silveira e Silva (juiz do Tribunal Regional Federal – 1ª Região), Gláucia Maria Gadelha Monteiro (juíza do TRT-7ª Região) Rosane Cima Campiotto (procuradora regional da República – 3ª Região) e Marcio Antônio Innocenti (pela Ordem dos Advogados do Brasil).

(Foto – Divulgação)

DPU pode passar a defender também policiais em processos administrativos

O Projeto de Lei Complementar º 34/19 está incluindo entre os objetivos da Defensoria Pública da União (DPU) a defesa de policiais federais e estaduais, civis e militares, incluindo bombeiros militares, em processos administrativos. Pelo texto, em análise na Câmara dos Deputados, caberá à Defensoria atuar em todas as instâncias do processo administrativo a partir do recebimento dos autos.

Autor do projeto, o deputado Julian Lemos (PSL-PB) argumenta que tanto em procedimentos conduzidos pelas ouvidorias quanto em investigações das corregedorias nem policiais nem bombeiros têm defesa técnica assegurada, o que impacta nos orçamentos individuais dos policiais.

Ao defender a alteração na Lei Orgânica da Defensoria Pública da União (Lei Complementar 80/94), Lemos explica que atualmente já é função dos defensores públicos garantir a ampla defesa e o contraditório a pessoas naturais em processos administrativos perante órgãos da administração pública.

“Estamos assegurando a policiais e bombeiros o direito à ampla defesa e ao contraditório em procedimentos administrativos conduzidos por ouvidorias e corregedorias, sem que isso cause impacto nas estruturas das polícias ou das defensorias públicas”, conclui Lemos.

O projeto será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Depois, seguirá para o Plenário.

(Agência Câmara)

TRF-5 cancela decisão que suspendia concurso da Polícia Rodoviária Federal

O desembargador federal Vladimir Souza Carvalho, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, deferiu o pedido liminar da União, para cancelar a decisão que suspendeu, no dia 26 de janeiro, o concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Para o magistrado, não há ilegalidade que justifique a suspensão do concurso, pois o edital está fundado em motivação razoável, uma vez que foi elaborado com base na análise do histórico dos concursos da Polícia Rodoviária Federal.

“A despeito de tornar a escolha do local de realização da prova menos cômoda para os candidatos, a regra observa os critérios de conveniência e oportunidade da Administração, eis que fundada em motivação razoável, uma vez que se buscou – com base na análise do histórico dos concursos da Polícia Rodoviária Federal, onde, após a nomeação, as tentativas de transferência/remoção são inúmeras -, assegurar que o candidato realize a prova no local onde informa que deseja ser lotado, evitando que vagas deixem de ser preenchidas por pessoas que não tenham o interesse efetivo em trabalhar naquela localidade”, escreveu o desembargador.

Entenda o caso

A decisão que cancelou o concurso foi proferida pelo Juízo da 2ª Vara Federal no Ceará, ao deferir pedido de tutela de urgência no processo 0819751-78.2018.4.05.8100, determinando a reabertura de prazo para que os candidatos pudessem optar por quaisquer das cidades em que haveria aplicação da prova, independentemente do local para o qual escolhessem concorrer à vaga.

De acordo com a decisão, o edital estaria afrontando a isonomia, a razoabilidade e o livre acesso ao cargo público, ao estabelecer que os candidatos realizassem as provas no mesmo local em que estivessem concorrendo às vagas.

(Com TRF-5)

Por conta do Carnaval, deputados e senadores ganham 12 dias de recesso

Após a maratona do Carnaval, se para a maioria dos brasileiros hoje é dia de voltar ao trabalho, para deputados e senadores, retorno às atividades, só na semana que vem. Na manhã desta quarta-feira de cinzas (6) movimento no prédio do Congresso, só do pessoal que cuida da troca do carpete do Salão Verde da Câmara e da lavagem do capete azul do Senado. Até a próxima terça-feira (12), quando estão marcadas as próximas sessões deliberativas nas duas Casas, serão 12 dias ¨de recesso”, sem votações. A última foi na quarta-feira passada, dia 27 de fevereiro.

Nem a pressa para início da tramitação da Reforma da Previdência, eleita prioridade no Executivo e Legislativo, fez com que sessões deliberativas fossem marcadas esta semana. Amanhã (7) e sexta-feira (8) sessões nas duas Casas só de discurso, sem deliberações, isso quer dizer que os parlamentares que esticarem a folia, não terão qualquer prejuízo no salário. O presidente do Senado, Davi Alcolubre (DEM-AP), cumpre essa semana agenda no Amapá e só volta à Brasília na semana que vem. Já Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara , também passa a quarta-feira fora de Brasília, mas a assessoria não informou se será assim o restante da semana.

Servidores

Para os servidores da Câmara o expediente hoje está sendo normal desde o meio-dia. Já no Senado, em conformidade com a Portaria 13/18, da primeira-secretaria da Casa, é ponto facultativo. Os servidores só voltam ao trabalho amanhã.

(Agência Brasil)

Arcebispo de Fortaleza abre, com missa, a Campanha da Fraternidade 2019

Nesta quarta-feira, às 18h30min, na Catedral, será aberta com missa a ser presidida pelo arcebispo de Fortaleza, dom José Antonio Aparecido Tosi, a Campanha da Fraternidade 2019. O tema deste ano é “Fraternidade e Políticas Públicas” e, de acordo com a CNBB, o tema foi inspirado em uma citação bíblica do profeta Isaías: “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.

A campanha tem o objetivo de estimular a participação da população brasileira em políticas públicas e, com isso, fortalecer a cidadania e o bem comum.

Já na quinta-feira, às 9 horas, no Centro Pastoral “Maria, Mãe da Igreja”, o arcebispo de Fortaleza fará, com entrevista coletiva, o lançamento da campanha na presença de autoridades da igreja católica e da sociedade cearense.

Bolsa abre em baixa nesta quarta-feira de cinzas: dólar e euro registram alta

O Ibovespa, principal índice da B3, abriu o dia hoje (6) em baixa. Às 10h25 a bolsa operava em queda de -1,03%, marcando 94.603 pontos. As ações mais negociadas eram as da Vale (- 0,76%), as da Petrobras em ( – 0,36%) e as do Bradesco (- 1,66%).

O dólar registra alta de 0,85%, valendo R$ 3,78. O euro também tem valorização de 0,74%, sendo cotado a R$ 4,30.

(Agência Brasil)

Há algo que une Bolsonaro a Marielle

Faz hoje seis meses que Jair Bolsonaro foi esfaqueado em Juiz de Fora (MG). Quem lembra é o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo, adiantando que, até agora, nada de conclusão no que diz respeito às investigações do atentado.

Na semana que vem, completará um ano do assassinarto da vereadora Marielle Franco, que ganhou várias homenagens durante o Carnaval do Rio. Há muitas suspeitas, mas nada de se apontar os culpados.

“Bolsonaro e Marielle, tudo os separa politicamente. Mas investigações indefinidas os unem”, conclui o colunista.

Controladoria Geral do Estado inscreve para concurso público até 14 de março

A Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado (CGE) inscreve até as 18 horas do dia 14 de março para concurso público. Ao todo, são oferecidas 25 (vinte e cinco) vagas para Auditor de Controle Interno, com remuneração inicial podendo chegar a R$ 11.742,96. As inscrições custam R$150 e deverão ser feitas no site do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (CESPE). O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado até o dia 10 de abril de 2019.

Os interessados em participar do concurso deverão possuir curso de graduação de nível superior em qualquer área de formação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). As vagas oferecidas são nas áreas de Auditoria Governamental (09), Auditoria em Obras Públicas (04), Tecnologia da Informação (04), Correição (04) e Fomento ao Controle Social (04).

Provas

A data de realização das provas objetivas do concurso foi marcada para o dia 28 de abril de 2019. Os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas serão divulgados na internet, a partir das 19 horas do dia 30 de abril.

O concurso será realizado em duas fases sucessivas e distintas. A 1ª fase é composta de provas objetivas de caráter eliminatório e classificatório, envolvendo questões referentes a conhecimentos básicos e específicos, comum às cinco áreas de conhecimento, e conhecimentos especializados, referentes a cada uma das áreas. Lembrando que as provas da 1ª fase serão aplicadas no dia 28 de abril, em um único turno, com duração de 5 horas, já incluído o tempo de preenchimento do cartão-resposta.

A 2ª fase do concurso é composta por três etapas. A 1ª etapa é um Curso de Formação e Treinamento Profissional, de caráter eliminatório e classificatório, com duração de 160 (cento e sessenta) horas. A 2ª etapa é uma avaliação psicológica, de caráter eliminatório, para verificação da personalidade e da aptidão do candidato para o desempenho das atribuições e atividades inerentes ao cargo de Auditor de Controle Interno; e a 3ª será uma avaliação de títulos, de caráter classificatório.

SERVIÇO

*Será admitida a inscrição somente via internet, neste endereço eletrônico, solicitada no período entre 10 horas do dia 28 de fevereiro de 2018 e 18 horas do dia 14 de março de 2019, observado o horário oficial de Brasília/DF.[

*Mais detalhes no Edital aqui.

PT vai ao Supremo questionar criação de fundo anticorrupção da Lava Jato

A fundação de combate à corrupção criada pela Lava Jato em Curitiba (PR) deve ser alvo de contestações no Supremo Tribunal Federal. Segundo informação da Folha de S.Paulo, a área jurídica do Partido dos Trabalhadores estuda ingressar com ação na Corte para questionar a constitucionalidade da medida da força-tarefa. O fundo é de direito privado.

A avaliação preliminar da direção petista é a de que os procuradores não têm competência para definir o destino de recursos públicos e estariam interferindo nas atribuições do Executivo e do Legislativo. “O Ministério Público pode muito, mas não pode tudo”, diz o deputado Rui Falcão (PT-SP).

O fundo no valor de R$ 1,25 bilhão foi estabelecido em acordo entre a Petrobras, o Ministério Público Federal e o Departamento de Justiça americano, adianta o jornal paulista.

Aracati comemora saldo do Carnaval

O prefeito Bismarck Maia comemora o sucesso do Carnaval de Aracati.

Não apenas pelas atrações, como Anitta, mas porque a cidade entupiu de foliões de vários pontos do País. Depois que o voo da Azul aterrissou por ali, o cenário da cidade mudou, pois acaba pegando boa cota dos que visitam a paradisíaca Canoa Quebrada.

O comércio também comemora.

(Foto – Divulgação)

Reforma da Previdência – Bolsonaro marca reunião ministerial para o dia 14 de março

O presidente Jair Bolsonaro vai reunir todos os ministros no próximo dia 14. O objetivo é definir projetos para este semestre e fechar estratégias pró-aprovação do pacote da Reforma da Previdência.

Nessa terça-feira, Bolsonaro recebeu o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, no Palácio da Alvorada. Os dois acertaram ações para tentar quebrar as dificuldades no Congresso Nacional em torno da matéria.

Na agenda, hora de começar a preencher cargos federais e acertar a liberação de emendas parlamentares. Bolsonaro insiste na tese de que não tem mais toma lá dá cá, ou seja, não troca cargos por votos.

(Com Agências)

Carlos Ghosn já está em liberdade no Japão

Após 108 dias preso em Tóquio (Japão), o executivo franco-brasileiro Carlos Ghosn, de 64 anos, foi libertado hoje (6) sob fiança de U$S 9 milhões (cerca de R$ 34 milhões) e uma série de exigências. O ex-presidente da Nissan Motor deixou a prisão usando uniforme, gorro azul e máscara.

Ghosn foi indiciado por suspeita de fraudes e violação de instrumentos legais da empresa. A pena foi agravada pela quebra de confiança por transferir inadequadamente os fundos da Nissan.

Em janeiro, o segundo pedido de liberdade, feito pela defesa de Ghosn, foi negado por um tribunal de Tóquio. Na ocasiã,o os advogados prometeram apelar.

Ontem (5), o Tribunal Distrital de Tóquio rejeitou os recursos da Promotoria contra a libertação de Ghosn e o pagamento de fiança. Foi seu terceiro pedido, mas primeiro com uma nova equipe jurídica que ele contratou no mês passado.

Pelos termos de fiança, Ghosn fica proibido de deixar o país e deve aderir às condições destinadas a impedi-lo de fugir ou destruir provas. Também precisa de aprovação do tribunal para participar de reuniões de diretoria na Nissan ou na Renault. Ele supervisionou a aliança entre as montadoras e a Mitsubishi Motors.

A Nissan e Mitsubishi retiraram Ghosn da presidência. A Renault o manteve na direção. Mas ele finalmente renunciou em janeiro.

(Agência Brasil com informações da NHK, emissora pública de televisão do Japão/Foto – Reuters).

Movimentos sociais e centrais sindicais preparam ofensiva de greves contra a reforma da Previdência

Movimentos sociais de esquerda e centrais sindicais marcaram a primeira mobilização contra a reforma da Previdência para o próximo dia 22. A informação é da Painel, do jornal Folha de S.Paulo desta quarta-feira.

De acordo com a coluna, haverá manifestações nas principais Capitais do país. Em São Paulo, o ato será no vão livre do Masp, na avenida Paulista.

A ideia dos sindicalistas é criar condições para a realização de greves entre abril e maio, quando o texto da reforma poderá estar pronto para ser analisado pela comissão especial da Câmara. Os organizadores dizem que os atos serão intensificados conforme a proposta avançar no Congresso.

Polícia do Paraguai mata um dos líderes do PCC

A polícia do Paraguai matou Reinaldo de Araújo, considerado um dos líderes do grupo criminoso Primeiro Comando da Capital (PCC), durante troca de tiros em Villa Ygatymi, departamento de Canindeyu. A região fica na fronteira do Paraguai com o Brasil.

Araújo estava foragido desde que escapou no ano passado da prisão, em Assunção, capital paraguaia, e estava sob supervisão do Grupo Especializado. Ele fugiu ao lado de Thiago Ximenes, conhecido como Matrix, também procurado no Paraguai.

Em comunicado à imprensa, o ministro do Interior do Paraguai, Juan Ernesto Villamayor, parabenizou o trabalho da polícia.

“A polícia fez um trabalho estupendo de acompanhamento e procura”, disse. “Houve um confronto armado em que um deles foi morto e o outro está foragido e é procurado.”

Para o ministro, a captura de Thiago Ximenes é “questão de horas”.

(Agência Brsil)

Câmara ignora Cunha na sua galeria de ex-presidentes

A Câmara dos Deputados ignora na sua galeria de ex-presidentes as gestões de Henrique Eduardo Alves e Eduardo Cunha. Segundo informa a Coluna Radar, da Veja Online, os dois não aparecem na foto.

Alves esteve preso numa operação que identificou desvio de recursos na construção do estádio Arena das Dunas. Cunha, por sua vez, pegou mais de 24 anos de prisão acusado de desvios na Caixa.

Tempos atrás, a direção da Câmara alegou que a imagem dos dois não entrou por um problema operacional: a máquina que reproduz a imagem estava enguiçada. E foi para o conserto.

Justiça Federal manda quebrar sigilo de Cid e Camilo, informa O Globo; Camilo e Cid desconhecem o fato

581 2

O governador Camilo Santana (PT) e o senador Cid Gomes (PDT) tiveram quebrados os sigilos bancário e fiscal, por decisão da Justiça Federal. Os dois são investigados em inquérito sobre a concessão de benefícios tributários ao grupo JBS, em troca de doações de campanha. A informação é do O Globo. O POVO buscou fontes da Justiça Federal do Ceará e do Ministério Público Federal, mas, até as 22 horas de sexta-feira, 1º, não havia conseguido confirmar a decisão.

Cid era governador e Camilo concorria ao cargo no período ao qual as investigações se referem.  O período sobre o qual será levantado o sigilo vai de janeiro de 2011 a dezembro de 2017. Ou seja, começa a partir do início do segundo e último mandato de Cid Gomes como governador.

Segundo depoimento de um dos donos da JBS, Wesley Batista, Cid e seus emissários teriam pedido doações à campanha de Camilo Santana em 2014, em troca de liberação de créditos à empresa Cascavel Couros, que pertence ao grupo JBS e recebe incentivos fiscais do Estado.

Compensação

O Ceará tem um modelo específico de incentivo fiscal. No lugar de isenção, as empresas pagam o imposto e recebem uma compensação. Conforme a denúncia, contudo, a liberação desse crédito ocorria mediante a liberação de doações eleitorais.

Entre junho e outubro de 2014 – entre a homologação das candidaturas e a eleição, o governo Cid pagou R$ 111,6 milhões em créditos para a JBS. Conforme O POVO revelou em 2017, a primeira doação de campanha da JBS ocorreu quatro dias após o primeiro pagamento de crédito do Estado à empresa.

Camilo

O governador Camilo Santana afirmou, por meio da assessoria, que não tem conhecimento da quebra de sigilo bancário e fiscal de que teria sido alvo em inquérito relacionado à JBS. O senador Cid Gomes (PDT) e Camilo são alvos de investigação sobre doações eleitorais feitas pela JBS. O empresário Wesley Batista disse que a liberação de créditos de ICMS do Estado para a empresa eram condicionados a doações eleitorais.

Camilo disse que “jamais foi sequer notificado para esclarecer qualquer fato a respeito do referido caso no âmbito da Polícia, do Ministério Público ou da Justiça Federal”.

Cid Gomes

Já a assessoria de imprensa do senador Cid Gomes (PDT) informa que ainda não houve notificação sobre a decisão da Justiça Federal do Ceará. O senador defende que quem esteja em função pública não tenha sigilo nem fiscal nem bancário.

(Foto – Arquivo)

Brasil é o 4º país que mais produz lixo no mundo, diz WWF

O estudo “Solucionar a Poluição Plástica: Transparência e Responsabilização”, feito pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF), mostra que o Brasil é o quarto país no mundo que mais produz lixo. São 11.355.220 toneladas e apenas 1,28% de reciclagem. Só está atrás dos Estados Unidos (1º lugar), da China (2º) e da Índia (3º).

No Brasil, segundo dados do Banco Mundial, mais de 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas de forma irregular, sem tratamento e, em muitos casos, em lixões a céu aberto. Aproximadamente 7,7 milhões de toneladas de lixo são destinados a aterros sanitários.

A poluição por plástico gera mais de US$ 8 bilhões de prejuízo à economia global. Levantamento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) indica que os diretamente afetados são os setores pesqueiro, de comércio marítimo e turismo.

O diretor executivo do WWF no Brasil, Mauricio Voivodic, alertou sobre a necessidade de adotar medidas urgentes para reverter a situação. “O próximo passo para que haja soluções concretas é trabalharmos juntos, por meio de marcos legais, que convoquem à ação os responsáveis pelo lixo gerado. Só assim haverá mudanças urgentes na cadeia de produção de tudo o que consumimos.”

Alerta

Segundo o estudo lançado pelo WWF, o volume de plástico que vaza para os oceanos anualmente é de cerca de 10 milhões de toneladas. Nesse ritmo, mostra a pesquisa, até 2030 serão lançados ao mar o equivalente a 26 mil garrafas de plástico para cada quilômetro quadrado (km2). Aproximadamente metade dos produtos plásticos que poluem o mundo hoje foi criada nos anos 2000.

O diretor-geral do WWF Internacional, Marco Lambertini, afirmou que o sistema atual de produção, uso e descarte de lixo está “falido” e que é necessário mudar o comportamento. “É um sistema sem responsabilidade, e atualmente opera de uma maneira que praticamente garante que volumes cada vez maiores de plástico vazem para a natureza.”

Poluição

A poluição do plástico afeta a qualidade do ar, do solo e sistemas de fornecimento de água. Os impactos diretos estão relacionados a não regulamentação global do tratamento de resíduos de plástico, à ingestão de micro e nanoplásticos (invisíveis aos olhos) e à contaminação do solo com resíduos.

A queima ou incineração do plástico pode liberar na atmosfera gases tóxicos, alógenos e dióxido de nitrogênio e dióxido de enxofre, extremamente prejudiciais à saúde humana. O descarte ao ar livre também polui aquíferos, corpos d’água e reservatórios, provocando aumento de problemas respiratórios, doenças cardíacas e danos ao sistema nervoso de pessoas expostas.

Na poluição do solo, um dos vilões é o microplástico oriundo das lavagens de roupa doméstica e o nanoplástico da indústria de cosméticos, que acabam sendo filtrados no sistema de tratamento de água das cidades e acidentalmente usados como fertilizante, em meio ao lodo de esgoto residual. Quando não são filtradas, essas partículas acabam sendo lançadas no ambiente, ampliando a contaminação.

Soluções

O estudo do WWF faz recomendações sobre possíveis soluções para a situação envolvendo os sistemas de produção, consumo, descarte, tratamento e reúso do plástico. Os cuidados propostos incluem orientação para os setores público e privado, a indústria de reciclagem e o consumidor final.

As propostas incluem que cada produtor seja responsável pela sua produção de plástico, o fim de vazamento do produto nos oceanos – e reúso e reciclagem como base para uso do material. Paralelamente a substituição do plástico por materiais reciclados.

Danos

Entre os principais danos do plástico à natureza estão estrangulamento, ingestão e danos ao habitat. A gerente do Programa Mata Atlântica e Marinho do WWF no Brasil, Anna Carolina Lobo, disse que a maior parte do lixo marinho encontrado no litoral é plástico. Nas últimas décadas, o aumento de consumo de pescados aumentou em quase 200%.

“As pesquisas realizadas no país comprovaram que os frutos do mar têm alto índice de toxinas pesadas, geradas a partir do plástico em seu organismo, portanto, há impacto direto dos plásticos na saúde humana. Até as colônias de corais – que são as ‘florestas submarinas’ – estão morrendo. É preciso lembrar que os oceanos são responsáveis por 54,7% de todo o oxigênio da Terra”, disse.

O estrangulamento de animais por pedaços de plástico já foi registrado em mais de 270 espécies animais, incluindo mamíferos, répteis, pássaros e peixes, causando desde lesões agudas e crônicas, até mesmo a morte. Esse estrangulamento é hoje uma das maiores ameaças à vida selvagem e conservação da biodiversidade.

A ingestão de plástico já foi registrada em mais de 240 espécies. A maior parte dos animais desenvolve úlceras e bloqueios digestivos que resultam em morte, uma vez que o plástico muitas vezes não consegue passar por seu sistema digestivo.

(Agência Brasil)

Pequeno Arthur será lembrado como um mártir do Brasil dos Bolsonaros

335 5

Com o título “Pequeno Arthur será lembrado como um mártir do Brasil dos Bolsonaros”, eis artigo do jornalista Ricardo Kotscho, que pode ser conferido em seu site Balaio de Kotscho:

Lula em velório é larápio posando de coitado”, blasfemou a abominável figura de Eduardo Bolsonaro, um dos filhos do capitão, eleito deputado federal pelo PSL em São Paulo, com votação recorde.

De larápios, o filho Zero Três deve entender bastante, pois vive cercado deles nos laranjais dos gabinetes bolsonarianos, frequentados também por milicianos cariocas homenageados pela família.

Como se fosse um desses milicianos perigosos, Lula chegou ao velório do neto Arthur, de sete anos, escoltado por policiais federais com armas de grosso calibre.

O cemitério do Jardim da Colina, em São Bernardo do Campo, estava cercado por dezenas de policiais e viaturas da Polícia Militar, como se ali tivesse acontecido um terrível crime, não o velório de uma criança.

O pequeno Arthur, filho dos meus bons amigos Sandro e Marlene, que nunca fizeram mal a ninguém, será lembrado como um mártir da tragédia bolsonariana que se abateu sobre o Brasil neste ano de 2019, em que todos os monstros parecem ter saído do armário.

Conheci Sandro, o segundo filho de Lula e Marisa, quando ele era mais novo do que o Arthur, carregado no colo da mãe orgulhosa, com os mesmos cabelos cacheados.

Era uma família de gente muito simples que vivia numa casa de esquina no bairro da Vila Paulicéia, de onde Lula um dia saiu para ganhar o mundo.

Agora, antes de completar um ano como prisioneiro político em Curitiba, condenado sem provas por “ato indeterminado”, Lula já perdeu a esposa Marisa, o irmão Vavá e agora Arthur, o neto que não largava o avô quando se encontravam.

Tem dias que não dá vontade de escrever nada.

As palavras perdem o sentido diante das barbaridades da nova ordem cívico-militar a que assistimos todos os dias.

E, no entanto, é preciso continuar escrevendo todos os dias para, pelo menos, mostrar aos nossos algozes que continuamos vivos.

Estranho governo esse que está mais preocupado com o que acontece na Venezuela e declarou guerra aos brasileiros mais humildes que tinham melhorado de vida nos governos de Lula.

Até dentro da capela do cemitério onde o corpo foi cremado havia policiais fortemente armados em torno do caixão, cercando parentes e amigos, prontos para o combate.

Este é o Brasil que saiu das urnas em nome da “nova política” para combater a corrupção e já vive atormentado por graves denúncias, ao completar apenas dois meses no poder.

A cena kafkiana do velório militarizado ficará certamente para sempre na memória daqueles que, como eu, acompanharam a trajetória do líder metalúrgico do ABC até o Palácio do Planalto.

Nem nos piores pesadelos poderíamos imaginar que o país se degradasse tanto em tão pouco tempo, com o medo vencendo a esperança e a morte derrotando a vida que brotava.

Fico pensando de onde vem tanto ódio, como vimos desde ontem nas redes sociais, a sede de vingança de bestas humanas que não respeitam a dor do próximo.

Juntaram-se nesse bombardeio altos executivos de empresas, políticos corruptos com analfabetos e boçais de toda ordem, que perderam a modéstia e agora se acham empoderados no processo de degradação do país.

Esta noite de sábado, Lula estará mais uma vez na sua cela solitária de Curitiba, em que foi confinado para não disputar a eleição presidencial, e abrir caminho para a vitória do capitão Bolsonaro e seus generais, acolitados pelo ex-juiz Sergio Moro, agora promovido a ministro da Justiça pelos bons serviços prestados.

Do lado de fora do presídio, o Brasil pandeiro pula mais um Carnaval, mas não tenho ânimo nem para sair de casa ou ver os desfiles na televisão.

Escrevo apenas porque não sei fazer outra coisa, na esperança de que um dia estes dias trágicos tenham fim.

Não era essa a velhice com que eu sonhava quando o povo se levantou para reconquistar a democracia, nem faz tanto tempo.

Vai em paz, pequeno Arthur. Tenham mais uma vez forças sertanejas, vovô Lula, Sandro, Marlene e todos os Silva, que nos devolveram o orgulho de ser brasileiros.

Eles, os vingadores de araque, um dia passarão, e nós ficaremos velando nossos mortos, enquanto houver vida para ser vivida.

Uma sociedade em que as pessoas comemoram a morte de uma criança é doente, não tem vergonha na cara, não tem caráter.

Isso nada tem a ver com política, mas com caráter.

Para quem fica, vida que segue.

*Ricardo Kotscho,

Jornalista.

(Foto – Ricardo Stuckert)