Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Eduardo Campos diz que Governo Dilma vai no ritmo do frevo, mas uns dançam samba e pagode

eduardocampos

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), possível candidato à Presidência em 2014, disse ontem, a empresários, durante reunião fechada em São Paulo, que a presidente Dilma Rousseff não é a líder que aponta caminhos para o País. De acordo com pessoas que participaram do encontro, Eduardo fez críticas mais incisivas a Dilma do que nas últimas palestras com o empresariado. O encontro foi organizado pela ONG Rede de Ação Política pela Sustentabilidade, fundada pelo empresário Guilherme Leal, ex-candidato a vice-presidente na chapa de Marina Silva em 2010.

“Ele foi um pouco mais duro hoje (ontem) com relação à presidente”, admitiu Márcio França, dirigente do PSB paulista, que participou do evento. Eduardo teria feito as críticas quando falava sobre a onda de protestos de junho. Segundo França, o governador disse que Dilma perdido a oportunidade de responder melhor às ruas. Empresários que participaram da reunião fechada à imprensa confirmaram as críticas de Eduardo dirigidas à presidente.

Eduardo também fez críticas ao relacionamento do Planalto com os partidos aliados e afirmou que falta sintonia entre as legendas no Congresso. Ainda segundo participantes, o socialista disse que o governo enfrenta dificuldades “por ter uma base ampla em que o ritmo é frevo, mas uns dançam samba e outros, pagode”.

DETALHE – Na tarde desta terça-feira, Eduardo Campos grava para o Programa do Ratinho (SBT).

Inácio diz que cúpula do PCdoB quer aliados apoiando sua reeleição para o Senado

47 5

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=uFerYWxOSM0[/youtube]

O senador Inácio Arruda (PCdob) está prevendo a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para esta semana. Ele considera absurdo não aprovar a LDO e o Congresso votar antes o Orçamento 2014.

Sobre eleições 2014, Inácio reitera que a direção nacional do PCdoB tem o desejo de ver sua reeleição apoiada pelos aliados no Estado.

Comércio estima crescimento deste ano em 3,8%

“A Confederação Nacional do Comércio (CNC) estima crescimento de 3,8% para o setor em 2013, que deverá ser o pior dos últimos dez anos, disse o economista da instituição Fábio Bentes. Para ele, as datas comemorativas têm sido um bom termômetro das vendas do setor nas comparações com o ano passado. “Os resultados têm sido sempre menores. No Natal do ano passado, o crescimento ficou em 8,1% e este ano vai ficar entre 4% e 5%. Não há como fugir muito disso não”, analisou.

Bentes acrescentou que se o real continuar se desvalorizando, a tendência é que o patamar de previsão de crescimento seja revisto para baixo. Na avaliação do economista, o comércio sofre impacto com a alta do dólar, especialmente na área de bens de consumo duráveis, porque a elevação da moeda americana prejudica a venda desses produtos. “Vamos jogar um pouco de água na fogueira do crescimento, que já não é dos maiores. Então, vai prejudicar sim”, disse.

Por causa do impacto do dólar, o economista estimou que os preços dos bens de consumo duráveis, independentemente de alta ou de queda da moeda nos próximos meses, deverão terminar o ano em aceleração. “No acumulado do ano, os preços de bens duráveis estão crescendo 3%, bem abaixo da inflação do varejo, que é 8%. A expectativa é que fechem o ano em 3,6%”, acrescentou.”

(Agência Brasil)

Deputado afirma que Programa Mais Médicos é uma "irresponsabilidade" do governo federal

157 7

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=PMU0_kLyUj4&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB) classificou, nesta terça-feira, de “irresponsabilidade” a vinda de médicos do Exterior, especialmente de Cuba, para trabalhar  no Interior do País sem a revalidação do diploma. Ele chegou a indagar se o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, teria coragem de se consultar com esse tipo de profissional.

Ao mesmo tempo, Raimundo Gomes qualificou o programa Mais Médicos de absurdo por não remunerar a categoria  de forma digna.

Fortaleza é sede do encontro final do Programa Integra Brasil

Após percorrer todos os Estados do Nordeste conquistando apoio e adesões e promover workshops com discussões técnicas, chegou o momento do Seminário do Integra Brasil – Fórum do Nordeste no Brasil e no Mundo, finalizar documento no Ceará. Nesta terça-feira, o evento ocorrerá no Centro de Eventos até quinta-feira, reunindo acadêmicos, empresários, políticos e entidades da sociedade civil em sete painéis em que os expositores deverão responder as questões levantadas por cada tema, apontando soluções e encaminhamentos.

A “Reorientação da economia nordestina”; “Infraestrutura para o desenvolvimento” (dois painéis), “Transformação social, urbana e ambiental”; “Educação, ciência, tecnologia & inovação e cultura”; “Aspectos político-institucionais”; e “Estratégia de desenvolvimento” serão os temas que irão compor os painéis. Na fase seguinte, a seleção e síntese das soluções e propostas que resultarem do Seminário formarão um Plano Estratégico de Ação Política. Este terá os objetivos, as metas, os instrumentos, os mecanismos de intervenção, os atores, as arenas de decisão, as estratégias de negociação econômica e a mobilização política, a fim de orientar as ações para a sua concretização.

Segundo a presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), Nicole Barbosa, que está à frente da comissão executiva do Integra Brasil, após essa última etapa o movimento partirá para as negociações junto às áreas pertinentes com o objetivo de concretizar as conclusões e os encaminhamentos. “Os apoios políticos conquistados durante o percurso até a chegada desse grande Seminário, serão cruciais para a efetiva realização das estratégias de redução das disparidades regionais, o que garantirá um Brasil mais forte e federativamente equilibrado”, diz.

Adísia fala da hospitalidade do cearense em meio a denúncia sobre gastos com buffet

123 5

adisiasaza

Com o título “Eis a questão do Heitor: cardápio”, a jornalista e professora Adísia Sá assina artigo no O POVO desta terça-feira defendendo o governador Cid Gomes no que diz respeito às denúncias sobre gastos com buffet de pratos exóticos. Adísia avalia o caso pelo lado do espírito hospitaleiro do cearense em saber receber. Confira:

Que me desculpe o deputado, mas há pratos que são “exóticos” só porque têm nome em inglês, francês? No cardápio do Palácio só deve ficar o que for em português? Francamente, é “pobreza demais” para ocupar a atenção do Chefe do Governo. E tudo para satisfazer o deputado Heitor Férrer que achou altos demais os itens do cardápio oficial (para convidados, diga-se). Cid Gomes zangou-se e anunciou que vai mandar retirar todo e qualquer item com “nome exótico” das recepções, inclusive almoços e jantares.

Noutras palavras: na mesa oficial só entrará comida brasileira, mais precisamente cearense. Nada de lagosta, escargot, caviar, strogonoff e outras iguarias “especiais”.

Mesa oficial, diga-se, a montada para convidados “de fora”. Francamente, isto é demais. Pois eu digo: sou de famílias onde a hospitalidade inclui : o melhor prato da casa geralmente só era montado para visitantes. A última “penosa” do galinheiro ia para a panela: era do convidado.

Acredito que, com o deputado Heitor, de origem sertaneja e arigó (como eu) assim aconteceu: algumas iguarias talvez tenha conhecido apenas quando da visita de algum convidado ou parente especial, pois o “pão nosso de cada dia” era (e é) o mesmo : arroz, feijão, carne (e olhe lá), “malassada” ( será que alguns dos leitores sabem o que é este prato? Pois se trata de ovo batido com farinha e passado na frigideira.) Uma delícia… Mesa bem nordestina é feliz tendo, como sobremesa, rapadura ou doce feito em casa, terminando com uma xícara de café passado (no pano) na hora.

O cearense, por mais humilde que seja, recebe com honra, alegria e mesa gostosa, o seu convidado ou “chegante” de última hora.

O governador não pode negar as suas raízes: tenha a comida sempre preparada para visitantes, mas coma aquilo com que foi criado e, pelo que sei, sua mulher, descendente de libaneses, honra as tradições culinárias de seus antepassados, mesclando com o bom cozido nordestino, a paçoca pisada no pilão, a carneirada macia, a carne soltando do osso… Uma delícia.

Mas, quando chega o visitante, volto a dizer, mata-se a última “penosa”, o hóspede sai satisfeito (e com ele, a família da casa), prometendo (Deus nos acuda) voltar …

Que o governador Cid mande abrir os cofres do Palácio e receba bem os seus convidados – oficiais ou não: honrar as tradições é marca registrada dos Ferreira Gomes. Da minha família, também e de todo “cabeça chata” que se preza.

PS: Qualquer dia vou chegar de surpresa na residência oficial e testemunhar: comida cearense está posta e só sentar e … comer.

* Adísia Sá

adisiasa@gmail.com
Jornalista

Eudes lamenta protesto contra médicos cubanos e pede chance à solidariedade internacional

58 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=gFm8UvPMLXU&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O deputado federal Eudes Xavier (PT) lamentou a onda de protestos contra o Programa Mais Médicos. Ele considera que a ação é salutar para a população principalmente de baixa renda. “Pobre não tem acesso a plaos de saúde!”, acentua o parlamentar

Eudes aproveita para informar: dia 3 de setembro, será votado o projeto que trata do piso salarial nacional dos agentes de saúde e endemias que reforçarão as ações do Programa Mais Médicos no Interior.

Censo Judiciário – Servidores terão 45 dias para responder questionário

“A partir de hoje (26), 272 mil servidores de todos os órgãos do Judiciário terão 45 dias para responder as questões do 1º Censo Nacional do Poder Judiciário. A pesquisa foi lançada nesta segunda-feira para definir o perfil dos magistrados e de servidores. Está é a primeira vez que o censo é feito no Judiciário. O questionário que está disponível no site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os servidores deverão fornecer dados pessoais e funcionais. De acordo com o conselho, as informações serão mantidas em sigilo, e os participantes não poderão ser identificados. O tempo estimado para responder às 26 perguntas é cinco minutos.

Estão aptos a responder as questões os servidores dos tribunais superiores e da Justiça Estadual, Federal, Trabalhista, Eleitoral e Militar. Segundo o CNJ, não podem participar da pesquisa servidores cedidos a órgãos de outros poderes, estagiários e funcionários terceirizados. O levantamento também não envolve magistrados, que serão indagadoss em uma segunda etapa do censo.

De acordo com o conselheiro Emmanoel Campelo, do CNJ, o censo é um retrato inédito do Judiciário e vai permitir que o conselho possa melhorar os serviços prestados à população.”

(Agência Brasil)

Entidades vão ao STF contra o Programa Mais Médicos. Simec explica vaias aos cubanos

94 6

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=T3Vl4gUnzLA&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, José Maria Pontes, afirmou, nesta terça-feira, que a categoria não vaiou os médicos cubanos. O fato registrou-se nessa noite de segunda-feira, quando o grupo de cubanos deixava a Escola de Saúde Pública do Estado, onde passa por treinamento.

José Maria Pontes disse que a vaia é contra um programa eleitoreiro e que contratou profissionais que não terão o diploma revalidado. Ele viajou para Brasília onde, ao lado de outros dirigentes de entidades médicas, dará entrada em ação direta de inconstitucionalidade contra o Programa Mais Médicos.

Aécio – Prévias não dependem do presidente do PSDB

“O presidente nacional do PSDB e possível candidato da legenda à Presidência da República em 2014, o senador Aécio Neves procurou ontem isentar-se de responsabilidade sobre a convocação de prévias para definição do nome tucano ao Planalto. “Sempre defendi (prévias). Basta solicitação à Executiva, não ao presidente do partido. É a Executiva que vai definir como isso vai acontecer, os instrumentos para que isso possa acontecer”, disse.

Questionado sobre sua disposição de afastar-se da presidência do PSDB em caso de prévias –Serra cobrou “igualdade de condições” na disputa–, Aécio disse não ter escutado a proposta de ninguém do partido.

Embora descarte as prévias em conversas privadas, o senador reconhece em público a possibilidade da disputa para não contrariar Serra, que mantém negociações com o PPS como plano B para a eleição presidencial do próximo ano. Enquanto isso, Aécio continua em ritmo de campanha. Ontem, na posse da presidência mineira do Instituto Teotônio Vilela, entidade acadêmica do PSDB, voltou a criticar o governo federal. O ato em Belo Horizonte empossou o ex-ministro Pimenta da Veiga na presidência do instituto tucano em Minas Gerais.”

(Folhapress)

 

Cristovam Buarque e a presidência 2014

cristovam-buarque8a
“Boa parte do PDT já perdeu a vergonha de fazer oposição aberta ao governo Dilma Rousseff, embora continue integrando a base aliada (Leia mais em: PDT quer cabeça de Mantega). Na reunião da Executiva Nacional do partido, na sexta-feira, os mais radicais voltaram à carga. Figuras como Reguffe, Miro Teixeira, Vieira da Cunha e até Carlos Lupi reiteraram a defesa pela candidatura própria ao Palácio do Planalto em 2014, com a maioria defendo Cristovam Buarque na cabeça de chapa.

Lupi, por exemplo, saiu-se com essa para reforçar as palavras dos colegas:

– Time que não joga não tem torcida.

Até aí, beleza. Mas nove entre dez pedetistas acreditam que Lupi não vai largar o osso tão cedo e, na prática, barganhará até o último minuto o apoio do PDT aos candidatos à presidência. Nesse cenário, pelo menos por ora, a tendência é que o PDT continue fechado com Dilma.”

(Coluna Radar –  Veja Online)

TCU vai analisar acordo que viabiliza a importação de médicos

“O Tribunal de Contas da União (TCU) vai analisar a documentação que embasou o acordo entre o Brasil e Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) que vai trazer 4 mil médicos cubanos para atuar nas regiões carentes do país. “É uma questão singular, inusual esse formato de contratação”, avaliou o presidente do TCU, Augusto Nardes, logo depois de reunião com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, sobre o tema. Em diligência, o TCU pediu que o Ministério da Saúde entregue até sexta-feira (30) a documentação para análise da legalidade, da efetividade e das questões econômicas do acordo. Nardes assemelhou a contratação dos médicos cubanos a uma terceirização.

“Nós temos uma preocupação com a questão trabalhista”, disse Nardes, acrescentando que o tribunal ainda vai analisar a documentação, que deve ser entregue pelo Ministério da Saúde, pois a conversa com Padilha ainda deixou dúvidas sobre o acordo. “Ainda não temos as informações adequadas”, disse. Dependendo do resultado das análises, o TCU pode abrir um processo de investigação da contratação dos médicos cubanos.

Diferentemente do acordo com os médicos que se inscreveram individualmente no Mais Médicos, que receberão a bolsa de R$ 10 mil diretamente do governo brasileiro, o acordo com Cuba é feito com a intermediação da Opas. No caso, o governo brasileiro repassa R$ 10 mil por médico para a entidade internacional, esta faz o repasse para o governo cubano, que faz o pagamento ao profissional.”

(Agência Brasil)

Patriota é demitido da pasta das Relações Exteriores

66 1

Antonio Patriota não é mais o ministro das Relações Exteriores. A saída dele do cargo foi confirmada nesta segunda-feira, 26, pelo porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann. Quem assumirá o comando do Itamaraty será o embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado, que até agora era o representante permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas (ONU), informa o Palácio do Planalto. Patriota, por sua vez, irá para a representação junto à ONU. Segundo Traumann, a presidente Dilma Rousseff agradeceu o empenho do ministro Patriota e o indicou para o cargo na ONU.

Patriota deixa o cargo após o episódio envolvendo a chegada ao Brasil do senador boliviano Roger Pinto Molina, que estava na missão diplomática do Brasil em La Paz desde maio de 2012. Pinto Molina chegou ao Brasil no último sábado, 24, após uma viagem de 22 horas em veículo diplomático brasileiro. O caso gerou impasse entre Brasil e Bolívia. Pinto Molina é opositor do presidente Evo Morales.

(Com Agência Estado)

Atriz Karla Karenina encenará a peça "O Morto e a Donzela" no Teatro Via Sul

nonato e karla

Karla ao lado do radialista e jornalista Nonato Albuquerque.

A atriz Karla Karenina – a conhecida Meirinha, subirá ao palco do Teatro Via Sul quinta-feira próxima, às 20 horas. Com o espetáculo “O Morto e a Donzela”. Ela, por sinal, está muito feliz com a boa receptividade do filme “Cine Holliúdy”, onde interpreta uma torcedora meio invocada do time do Fortaleza.

A Peça

Esta comédia, situada no sertão do Nordeste na década de 40, narra a aventura de uma jovem donzela, que deseja desenterrar o falecido noivo, depois que passa a vê-lo, vivinho da silva, a pedir socorro. Para realizar seu sonho, ela terá que enfrentar a resistência do coveiro Nocenço e da sua mulher Margarida, interpretada por Karla Karenina.

(Foto – Paulo MOsKa)

Lira Neto recebe comenda da Câmara Municipal

93 1

lira

O jornalista e escritor Lira Neto vai receber a Medalha Boticário Ferreira. A entrega da comenda ocorrerá às 19 horas do próximo dia 26, no plenário da Câmara Municipal, por iniciativa do vereador Didi Mangueira (PDT).

Nesta terça-feira, também a partir das 19 horas, só que na Livraria Cultura, Lira Neto fará o lançamento do segundo volume do livro “Getúlio – 1930-1945: Do governo provisório à ditadura do Estado Novo.”

ZPE do Ceará vai ser inaugurada na 6ª feira

73 1

O governador Cid Gomes (PSB) vai inaugurar, às 9h30min da próxima sexta-feira, a primeira Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Brasil em operação. A ZPE do Ceará está localizada no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), entre São Gonçalo do Amarante e Caucaia. O evento de inauguração da ZPE terá a presença de autoridades da Secretaria da Receita Federal e de lideranças do setor produtivo e empresarial do Estado.

A ZPE do Ceará foi criada em 16 de junho de 2010, pelo decreto federal Nº 14.794. “A aprovação da ZPE Ceará sem ressalvas destaca o trabalho que fizemos para garantir que seja instalado aqui um equipamento sustentável que mundialmente é sinônimo de desenvolvimento. A ZPE garantirá a criação de milhares de empregos para os cearenses e colocará o Estado na principal rota de investimentos de todo o mundo”, disse o governador Cid Gomes, quando da aprovação do projeto pelo Conselho Nacional de ZPEs (CZPE).

Segundo César Ribeiro, presidente da Companhia Administradora da Zona de Processamento de Exportação do Ceará. (ZPE CEARÁ), apesar de ser a segunda alfandegada pela Receita Federal no País, a ZPE do Ceará é a primeira com empresas já instaladas e em processo de instalação. “Já estamos em operação des

FHC diz que imensa maioria do PSDB quer Aécio

82 2

SAO PAULO/SP 05/09/2006 - 16:00 H - FHC / ENTREVISTA - VARIEDADES JT - Entrevista com ex Presidente da Republica, Fernando Henrique Cardoso em seu escritorio no Instituto.

Um dos principais entusiastas da candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência da República, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso põe água na fervura do ex-governador José Serra, que passou a travar uma queda de braço para ser mais uma vez o candidato do partido no ano que vem, depois de derrotado em 2002 e 2010. Para FHC, em entrevista ao jornal Valor Econômico, Serra não vai sair do PSDB, como ameaça, e provavelmente não será necessária a realização de prévia entre ele e Aécio. Confira a entrevista:

Valor: Qual tem sido o seu papel na disputa entre Aécio e Serra?

Fernando Henrique Cardoso: Não precisa chegar ao ponto de ser um bombeiro. Acho que temos que dar um pouco de tempo ao tempo. Há dois passos decisivos do Serra. Um é agora: resolver se ele fica no PSDB ou não. Meu palpite: ele fica.

Valor: Por que um palpite?

FHC: Não, somente porque ele não me disse. Eu sou prudente. Mas o Serra é um ser racional. Não tem muito sentido você sair de um partido onde sempre esteve, onde construiu sua história e contribuiu para a história do partido, e ir para uma coisa que você não sabe como é, com um ponto de partida frágil.

Valor: Seria uma candidatura frágil, se for para outro partido?

FHC: É frágil. Qual é a dificuldade? A dificuldade [para Serra] é que o PSDB em sua imensa maioria está com Aécio. Quer o Aécio. Então, acho que a pessoa tem que ser realista, até que ponto tem sentido se apresentar como candidato ou não. Mas isso só o tempo vai mostrar, se é possível ou não.

Valor: Ele pode atrapalhar?

FHC: Ahn… agora não. Porque está muito longe, o povo não está nem aí para esta questão de eleição. Agora, tem um momento, o PSDB vai ter que… Qual foi o nosso problema nas outras candidaturas? É você ter indecisão por muito tempo. Não dá para repetir isso. A vantagem que temos agora é que houve uma tendência consolidada no PSDB pela candidatura Aécio.

Valor: O sr. vê uma diferença grande no processo de escolha desta vez em relação às outras eleições?

FHC: Ah, sem dúvida. Nos outros anos, houve muito mais indecisão. O partido estava mais dividido. Agora não. O que tem é uma aspiração legítima do Serra, mas não é que o partido se dividiu entre um e outro. Neste momento, nos diretórios, que eu saiba, não existe nenhuma cisão dentro do PSDB. O PSDB está ao redor da candidatura do Aécio.

Valor: Há clima para prévias?

FHC: Eu acho difícil. Mas, claro, se o Serra insistir em ser candidato ele tem o direito. Agora o partido também tem a obrigação de dizer: “Vamos resolver isso logo, não pode esperar”. Para não cair nos erros do passado.

Valor: Até quando o sr. acha que o partido pode esperar?

FHC: Primeiro temos que deixar passar o que vai acontecer agora no fim do mês. Não adianta especular antes da hora. Meu palpite é que Serra fica. Se não ficar, muda tudo. Por que é ele e outros. Mas não há tendência nenhuma de as pessoas saírem. Não há. Ninguém. Nenhuma força importante. Até porque as dificuldades do governo [federal] são enormes. Nunca houve conjuntura tão favorável a uma alternativa. Nosso dever é construir essa alternativa, com seriedade, o quanto antes e juntando gente.

Valor: O Aécio, em terceiro lugar nas pesquisas, ainda não decolou. Isso não preocupa?

FHC: Não é hora de decolar. O povo só vai se abrir para isso no segundo semestre do ano que vem. É hora de se organizar, de organizar o discurso, ter presença articulada com outros setores.

Valor: Mas a classe política já se prepara e se articula com os demais nomes do cenário, como Marina Silva e Eduardo Campos.

FHC: A Marina, indiscutivelmente, se beneficia, neste momento, dessa onda dos protestos. Agora, no ponto de partida, o Aécio tem [o apoio de] Minas, uma estrutura grande do PSDB e candidatos organizados em praticamente todos os Estados. E o Eduardo tem menos. De fato, vamos ver como é que a porca torce o rabo, quando estivermos na campanha. Quem tem mais organização na oposição é o Aécio. A Marina não tem nem partido. E o Eduardo tem, mas é um partido mais fraco que o PSDB. No ponto de partida, Aécio tem vantagem, independentemente das variações de [pesquisa de] opinião. A opinião está muito longe da eleição. O Serra saiu sempre muito na frente, e não ganhou. Isso é muito relativo.

Valor: Mas o Serra não se espelha na trajetória do ex-presidente Lula, que concorreu quatro vezes até finalmente vencer?

FHC: Sim, mas o partido queria que o Lula fosse. Não é a mesma situação. E o PT não tinha alternativa. São situações diferentes. A candidatura não depende de você. Depende de os outros quererem.

Valor: O Serra pode atrapalhar e jogar contra o Aécio em São Paulo, durante a campanha, numa revanche ao que teria acontecido em Minas, em 2010?

FHC: Primeiro, o Aécio nega isso. Serra ganhou em BH. Segundo, o Serra não pode fazer isso porque seria trair o partido. Acho que isso ele não faz.

Valor: O sr. se sente o patrono da candidatura Aécio?

FHC: Não, a candidatura foi lançada não foi nem por mim, foi pelo [deputado federal] Sérgio Guerra, pelo [ex-presidente do PSDB] Tasso [Jereissati] e eu apoiei Porque o partido está nesta direção e porque eu acho que o momento é de você renovar.

Valor: O sr. é a favor do programa de importação de médicos?

FHC: Não tenho muita clareza. O estranho é o Brasil pagar e o governo de Cuba escolher quem vem. Agora, que obviamente sejam médicos, que haja alguma aferição destes diplomas. Há diplomas e diplomas. Mas não acho que seja errado. Não sou contrário desde que haja uma coisa com clareza, que tenha diploma que realmente tenha valor. Agora, o resto, se for necessário… Sempre fui muito favorável a que houvesse migração, liberdade de movimento de pessoas, o Brasil precisa de gente com competência. Agora, tem que ter algum critério para saber se tem competência mesmo.

Valor: O que o sr. achou do relato de que a presidente Dilma teria saído de motocicleta por Brasília para escapar da rotina, sem ser notada?

FHC: Eu não vi isso. E nem acredito. A quem se atribui ter feito isso foi o [ex-presidente e general João Batista] Figueiredo (1918-1999). Não acho que ela faça isso, não.

Valor: E o sr. já fez ou teve vontade de fazer algo semelhante quando era presidente?

FHC: Esse não é o meu estilo.

Orquestra Sinfônica da Uece faz concerto nesta 3ª feira no TJA

A Orquestra Sinfônica da UECE (OSUECE), em sua “Série Jovens Solistas”, sob a regência do maestro Alfredo Barros, realizará concerto nesta terça-feira, às 19h30, no Theatro José de Alencar. O concerto traz para o público Robson Lima solando o Concerto n. 1 para trompa de Mozart e Luis Gustavo Lima que, junto com o contrabaixista Francisco Daniel Vasconcelos, solará o Grand Duo para Violino e Contrabaixo de Bottesini.

A entra é gratuita.

Veja o programa:

L. Beethoven (1770-1827)
Fidelio, Abertura Op. 72

Vicenzo Bellini (1801-1835)
Sinfonia Breve

Gabriel Fauré (1845-1924)
Da Suite “Masques e Bergamasques”
Overture
Heitor Villa-Lobos (1887-1959)
Bachianas Brasileiras N. 4
Prelúdio
Bachianas Brasileiras N. 5
Aria e Cantilena

Wolfgang A. Mozart (1756-1791)
Concerto N. 1 para Trompa e Orquestra em Ré Maior K. 412
Trompa: Robson Lima

Giovanni Bottesini (1921-1889)
Grand Duo Concertante, para Violino, Contrabaixo e Orquestra
Violino: Gustavo Lima
Contrabaixo: Francisco Daniel Vasconcelos.

Confiança da Indústria volta a cair

“O Índice de Confiança da Indústria (ICI), medido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas, recuou 0,6% em agosto sobre julho, ao atingir 99 pontos ante 99,6. Foi o menor nível desde julho de 2009 (95,7 pontos). Sobre o levantamento anterior, o recuo foi menos intenso. Entre junho e julho, o índice havia caído 4%. Essa queda entre julho e agosto foi influenciada, principalmente, pelo Índice da Situação Atual (ISA) que ficou 1,1% abaixo da última medição com 99,5 pontos, o mais baixo desde julho de 2009 (96,7). O Índice de Expectativas (IE) teve pequena variação negativa de 0,1% e 98,5 pontos, resultado avaliado pelos economistas da FGV como estável, após cinco quedas consecutivas.

Na avaliação deles, o resultado da pesquisa Sondagem da Indústria de Transformação mostra que o ritmo de atividade no setor está lento e com expectativas entre neutras e de moderado pessimismo. Uma das sinalizações é o nível de estoques, que diminuiu 3,8%, alcançando 93,1 pontos, marca abaixo da média de 95,9.

Para 9,4% dos empresários consultados, o nível de estoques está excessivo, taxa maior do que a apurada em julho, quando 7,7% fizeram a mesma avaliação. A parcela dos que consideraram o nível de estoques insuficiente passou de 4,5 para 2,5%.”

(Agência Brasil)

Fiec e Sesi lançam projeto Mundo do Trabalho

Roberto-Macedo-FIEC1

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Roberto Macedo, e o SESI vão lançar, nesta terça-feira, das 9 às 13 horas, o Projeto Educação para o Mundo do Trabalho, uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O projeto, a ser lançado no auditório da Fiec, pretende, segundo a assessoria de imprensa da entidade, construir, em conjunto com a sociedade civil e com os poderes públicos, uma agenda específica de trabalho com foco em ações que gerem resultados em curto prazo de melhoria do perfil educacional dos jovens

“A ideia é que esses jovens se integrem mais adequadamente ao mundo do trabalho e, assim, a indústria conte com profissionais com melhor nível de escolarização básica, especialmente no domínio da língua portuguesa e dos conhecimentos matemáticos”, dia a assessoria da Fiec. Dentro desse objetivo, estão sendo convidadas diversas entidades que possam contribuir com a construção dessa agenda nacional.

No Brasil, serão realizados encontros estaduais, nos quais, por meio de palestras de sensibilização, se buscará obter a adesão formal dos parceiros locais ao programa e discutidas as ações a ser desenvolvidas. Em outubro, haverá o lançamento nacional do programa.