Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Barrabás novamente aclamado

362 1

Com o título “Barrabás novamente aclamado”, eis artigo de Pedro Henrique Antero, professor de Ciências Políticas. Ele compara Lula a Barrabás, aquele prisioneiro que ganhou liberdade, no que acabou indo para a crucificação o filho do homem, Jesus Cristo. Confira:

O Brasil vive momentos de difícil compreensão dos valores que até então foram cultuados em nossa sociedade. A operação Lava Jato tem tentado, ao longo dos últimos anos, aplicar a lei brasileira para os casos de corrupção dos políticos e dos empresários poderosos.

Esses têm sido, infelizmente, a razão maior da miséria do povo e do mal-estar geral da população.

Em relação ao ex-presidente Lula, líder da corrupção sistematizada no País, expressiva parte de brasileiros entende que ele não deveria ter sido investigado e nem muito menos condenado à prisão. Para esses, o Ministério Público e o Juiz Sérgio Moro foram simplesmente algozes de um inocente. E, ainda, preferem tê-lo novamente como presidente.

Na data em que Lula foi preso, houve um culto chamado ecumênico à frente do sindicato dos metalúrgicos. Ali estavam alguns “sumos sacerdotes católicos”, cercados por uma turba que brandia contra Sérgio Moro e exigia a libertação de Barrabás. Moro que tem cumprido exclusivamente o seu dever profissional de julgar e tentar livrar o país dos desonestos era considerado um criminoso. Lula, ao contrário, revestido da figura de Barrabás, foi aclamado inocente.

Na ocasião do culto, Lula, parcialmente ébrio, discursou aos líderes dos principais movimentos sociais para afirmar que sua prisão é devida, exclusivamente, ao fato de sempre ter defendido os pobres.

Será que poderíamos dizer o mesmo acerca de Sérgio Cabral, Paulo Maluf, Eduardo Cunha, Antonio Palocci, Leo Pinheiro e Marcelo Odebrecht? Esses, investigados ou condenados por motivos semelhantes aos de Lula, reivindicam também suas inocências.

A organização para roubar grande volume de dinheiro público foi além das fronteiras brasileiras. Dirigentes de países sul-americanos estão também envolvidos na corrupção que teve origem no dinheiro emprestado pelo BNDES e na presença da Odebrecht. E tudo isso coordenado pelos governos de Lula e Dilma, que, segundo eles mesmos, lutaram sempre em favor dos mais pobres.

*Pedro Henrique Antero

phantero@gmail.com

Professor de Ciências Políticas.

Grupo de pescadores fecha via para protestar contra atrasos no pagamento do Seguro Defeso

Um grupo de pescadores fechou nesta manhã de segunda-feira, as duas vias da Avenida Expedicionários em frente ao Ministério da Agricultura. Eles denunciam que o Seguro Defeso não é concedido para a categoria desde dezembro.

Desde a extinção do Ministério da Pesca em 2016, até abril de 2018, o caso passou para a responsabilidade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2016 ), do Ministério da Industria, Comércio Exterior e Serviços (2017) e, recentemente, foi alocado dentro da Secretaria-Geral da Presidência da República (2018).

Por causa dessa situação, a estimativa é que seis mil pescadores estejam sem carteira e sem condições de acessar benefícios previdenciários que têm direito.

(Foto – Divulgação)

Caixa reduz para 9% ao ano taxa de juros do crédito imobiliário

A Caixa Econômica Federal anunciou hoje (16) redução das taxas de juros do crédito imobiliário e aumento do percentual do valor do imóvel financiado. As taxas mínimas passaram de 10,25% ao ano para 9% ao ano, no caso de imóveis do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 11,25% ao ano para 10% ao ano para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). As taxas máximas caíram de 11% para 10,25%, no caso do SFH, e de 12,25% 11,25%, no SFI.

Segundo o presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza, a redução das taxas de juros facilita o acesso à casa própria e estimula o mercado imobiliário. “O objetivo da redução é oferecer melhores condições para os nossos clientes, além de contribuir para o aquecimento do mercado imobiliário e suas cadeias produtivas”, destacou, em nota.

A última redução de juros feita pela Caixa ocorreu em novembro de 2016, quando as taxas mínimas passaram de 11,22% para 9,75% ao ano para imóveis financiados pelo SFH, e de 12,5% para 10,75% ao ano para imóveis do SFI.

Cota de financiamento

O banco aumentou novamente o limite de cota de financiamento do imóvel usado, de 50% para 70%. Em setembro do ano passado, a Caixa tinha reduzido para 50% do valor do imóvel o limite máximo de financiamento.

A Caixa também retomou o financiamento de operações de interveniente quitante (imóveis com produção financiada por outros bancos) com cota de até 70%.

Os prazos para permanecem entre 156 para 420 meses no caso do SFH e 120 a 420 meses, no SFI. A Caixa, que lidera o mercado com cerca de 70% das operações, possui R$ 82,1 bilhões para o crédito habitacional em 2018.

Sistemas de financiamento

Estão enquadrados no SFH imóveis residenciais de até R$ 800 mil para todo país, exceto para Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, onde o limite é de R$ 950 mil. Os imóveis residenciais acima dos limites do SFH são enquadrados no SFI. Essas alterações passam a valer a partir de hoje.

(Agência Brasil)

Mercado financeiro reduz projeção de crescimento da economia para 2,76%

O mercado financeiro reduziu a projeção para o crescimento da economia este ano. De acordo com a pesquisa do Banco Central (BC) junto a instituições financeiras, a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu pela terceira semana consecutiva.

Desta vez, a projeção passou de 2,80% para 2,76%. Há quatro semanas, a estimativa estava em 2,83%. Para 2019, a expectativa permanece em 3% há 11 semanas seguidas. Os dados constam do Boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central às segundas-feiras.

O mercado financeiro também tem alterado a projeção para a inflação este ano. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) passou de 3,53% para 3,48% na décima primeira redução consecutiva.

Estimativa da inflação é ajustada para 4,07%

A projeção segue abaixo do centro da meta de 4,5%, mas acima do limite inferior de 3%. Para 2019, a estimativa para a inflação foi ajustada de 4,09% para 4,07%, abaixo do centro da meta (4,25%).

Para alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano. Quando o Copom aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação. De acordo com a previsão do mercado financeiro, a Selic encerrará 2018 em 6,25% ao ano e subirá ao longo de 2019, encerrando o período em 8% ao ano.

(Agência Brasil)

Atividade econômica cresceu 0,09% em fevereiro, diz BC

A atividade econômica voltou a apresentar crescimento em fevereiro. É o que mostra o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), divulgado hoje (16), em Brasília.

No segundo mês do ano, a atividade econômica teve expansão de 0,09%, depois de uma queda de 0,65% em janeiro, de acordo com dados dessazonalizados (ajustados para o período) atualizados.

Na comparação entre fevereiro deste ano e o mesmo mês de 2017, houve crescimento de 0,66% nos dados sem ajustes. No ano, a atividade econômica aumentou 1,80% e, em 12 meses, 1,32%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

Mas o indicador oficial sobre o desempenho da economia é o Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

(Agência Brasil)

Cadê o leilão do Terminal de Passageiros do Mucuripe?

O tempo passa, o tempo voa e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) nada definiu ainda sobre o leilão para concessão do terminal de passageiros do Porto do Mucuripe.

No momento, entre um cruzeiro e outro que chega, o local serve como salão de festas para casamentos e outros eventos sociais.

Bem que a Companhia Docas do Ceará, gestora, podia informar como está essa situação.

(Foto – Divulgação)

MTST ocupa tríplex atribuído a Lula

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e o Povo Sem Medo ocuparam, nesta manhã de segunda-feira, o triplex do Guarujá (SP), atribuído ao ex-presidente Lula.

“É uma denúncia da farsa judicial que levou Lula a prisão. Se o triplex é dele, então o povo está autorizado a ficar lá. Se não é, precisam explicar porque ele está preso”, informou Guilherme Boulos, coordenador do MTST e pré-candidato a Presidente pelo PSOL.

(Foto – MTST)

Sarkozy pode não testemunhar a favor de Lula

O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy não será testemunha de defesa do ex-presidente Lula no caso da compra dos caças da FAB. A defesa do preso mais famoso de Curitiba pediu que Sarkozy, aliás, detido pela polícia no mês passado, fosse ouvido, informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

O juiz Vallisney de Oliveira pediu que o governo francês encaminhasse a requisição. E a resposta foi não, pelo menos por enquanto.

Os franceses quiseram saber mais detalhes.

PT avisa: Lula será candidato, mesmo na prisão

O PT divulgou nota criticando o resultado da pesquisa Datafolha e assegurando que o ex-presidente Lula será candidato “aconteça o que acontecer”. Em comunicado, o partido diz que houve “manobra” entre os cenários expostos e reitera candidatura.

“Para o PT, a definição de candidatura para as eleições está clara: Lula será o nosso candidato aconteça o que acontecer”, enfatiza a sigla, ao justificar a manutenção das vigílias que pedem a liberdade do petista.

“Dos nove cenários, o instituto realizou seis deles sem o ex-presidente.

A manobra para tentar criar um imaginário em que Lula não esteja no pleito esbarra numa questão fundamental: a preferência popular”, avalia o partido.

(Com Agências)

Congresso terá pauta com LDO, regulamentaão do lobby e cadastro positivo

A semana começa com temas que devem gerar discussão tanto na Câmara quanto no Senado. No plenário, os deputados devem votar o Projeto de Lei 1202, de 2007, que regulamenta a atividade de lobby – quando um grupo ou pessoa tenta influenciar o Executivo ou Legislativo para a adoção de medidas.

Também estão previstos o debate e a votação do projeto de lei sobre o cadastro positivo, que torna obrigatória a participação dos cidadãos no banco de dados que vai reunir informações sobre quem já terminou de pagar empréstimos e financiamentos e pagou em dia.

Haverá, no plenário da Câmara, uma comissão geral – espécie de audiência pública – para debater os níveis muito elevados das taxas de juros cobradas das famílias e das empresas. Apesar da queda da taxa Selic, referência de juros no país, o montante que fica com os bancos (spread bancário) aumentou.

Ainda na Câmara, na Comissão de Constituição e Justiça, propostas de emenda à  Constituição (PECs) que autorizam o debate da prisão de réus após a condenação em segunda instância podem ser debatidas. Na mesma sessão, devem ser discutidas questões relacionadas à intervenção federal no Rio de Janeiro.

LDO

Para os próximos dias, são aguardadas a instalação e indicação dos integrantes da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO), que analisará a proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019.

A LDO para 2019 propõe salário mínimo de R$ 1.002, prevê déficit primário de R$ 139 bilhões para o governo federal e projeta um crescimento de 3% do Produto Interno Bruto (PIB), conforme divulgado pelo governo na última semana.

O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, é esperado no Senado nesta semana para apresentar a proposta ao presidente em exercício da Casa, senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).

No plenário, deve ser votado o projeto que cria o Sistema Único de Segurança, que disciplina a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, cria a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS) e  institui o Sistema Único de Segurança Pública (Susp). O texto foi aprovado pela Câmara no último dia 11.

(Agência Brasil)

Ciro considera natural pesquisa em que Lula lidera mesmo preso. Ele não espera o apoio do PT

1016 1

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) considerou “natural”, nesta segunda-feira, que o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva continue, mesmo preso em Curitiba (PR), liderando pesquisas eleitorais como a do Datafolha, divulgada no fim de semana. O petista lidera com 31% das intenções de voto, mas num patamar menor que o registrado em janeiro último (37%). Lula aparece na frente de Jair Bolsonaro (PSL/RJ), com 15%, e de Marina Silva (Rede), com 10%. Ciro varia de 5% a 9% de acordo com os cenários.

“Pesquisa é sempre um retrato do momento”, disse Ciro, considerando “natural” esse quadro, observando ser necessário trabalhar para tirar o País da crise, hoje com mais de 13 milhões de desempregados, com 64.700 homicídios nos últimos 12 meses e uma economia não respondendo, o que exige um novo projeto para o Brasil.

Ciro observou que a liderança de Lula nas pesquisas é resultado de um presidente que deixou o governo com 83% de aprovação e que fez “muito bem a muita gente e é odiado por outros tantos”.

Sobre possível apoio de Lula na campanha, caso o petista não tenha condições de disputa, Ciro disse não ter essa expectativa. “A natureza do PT é lançar candidato próprio.”

Na condição de presidenciável, Ciro embarcou, nesta madrugada de segunda-feira, para Minas, onde fará paletras como pré-candidato em Belo Horizonte e Ouro Preto. O roteiro dele inclui ainda, nesta semana, Rio de Janeiro, Brasília e Mato Grosso.

Encceja 2018 – Inscrições para o exame começam nesta segunda-feira

528 3

As inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja Nacional) deste ano serão abertas às 10h de hoje (16). O prazo para fazer a inscrição termina no dia 27 de abril. As provas serão realizadas no dia 5 de agosto. O sistema de inscrição pode ser acessado na página do Encceja na internet.

O exame é direcionado aos jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada para cada nível de ensino. Os participantes devem ter, no mínimo, 15 anos completos na data de realização do exame, para quem busca a certificação do ensino fundamental. Quem busca a certificação do ensino médio tem que ter, no mínimo, 18 anos completos na data de realização do exame. A participação é voluntária e gratuita.

Durante a inscrição, o participante deve ficar atento à seleção das áreas de conhecimento. Quem quer o certificado de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio precisa ter proficiência nas quatro áreas do conhecimento e na redação. Mas o participante que já tem alguma declaração parcial de proficiência, obtida em edições passadas do Enem ou do próprio Encceja, fica liberado de fazer a prova da área na qual já tem proficiência comprovada. Na inscrição, o participante também precisa escolher a instituição na qual pretende solicitar a certificação ou a declaração parcial de proficiência.

Os resultados individuais do Encceja permitem a emissão de dois documentos: a certificação de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio, para o participante que conseguir a nota mínima exigida nas quatro provas objetivas e na redação, e a declaração parcial de proficiência, para o participante que conseguir a nota mínima exigida em uma das quatro provas, ou em mais de uma, mas não em todas.

Também  serão realizados neste ano o Encceja para quem mora no exterior, para adultos submetidos a penas privativas de liberdade e para adolescentes sob medidas socioeducativas que incluam privação de liberdade.

(Agência Brasil)

Confira lista de concursos desta segunda-feira

Confira alguns concursos abertos no Ceará. Hora de reforçar estudos e pensar no futuro.

IFCE

NÍVEL SUPERIOR

Professor substituto de Biologia – inscrições até 20/4

Edital: https://goo.gl/LMLiMc

UFC

NÍVEL SUPERIOR

Professores substitutos e adjuntos para os Centros de Ciências Agrárias e de Tecnologia e as Faculdades de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade; e de Medicina.

Remuneração até R$ 9.585,67

Inscrições até 30/4

Edital: https://goo.gl/TXx3w4

PREFEITURA DE CAMPOS SALES

NÍVEIS FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR

249 vagas em vários cargos

Remuneração até R$ 7.500

Inscrições até 29/4

Edital: https://goo.gl/UJANLL

PREFEITURA DE ITAREMA

FUNDAMENTAL / MÉDIO / SUPERIOR

202 vagas em vários cargos

Remuneração até R$ 7.700

Inscrições até 13/5

Edital: https://goo.gl/RbVYnE

Ator Carlos Vereza: “Marielle é um cadáver fabricado!”

2330 1

Afirmando-se médium, o ator Carlos Vereza interrompeu a entrevista a seguir algumas vezes para bradar ao repórter: “Você tem aura petista”. A conversa aconteceu no Cineteatro São Luiz, onde o artista carioca apresenta o espetáculo Iscariotes: A Outra Face neste domingo, às 18 horas. No monólogo, o ator conta outra versão sobre o apóstolo Judas, associado historicamente à traição. Ex-membro do Partido Comunista, Vereza se posiciona à direita e é ferrenho apoiador do presidente Michel Temer (PMDB).

O POVO – Traçando uma analogia com o contexto político do País, o senhor identifica algum Judas?

Carlos Vereza – Não, sabe por quê? Porque o Judas não foi um traidor. Ele errou estrategicamente, ele era um guerrilheiro, quando viu aquela multidão seguindo Jesus, ele imaginou que, se ele entregasse o mestre, o povo se levantaria com aquela lealdade e tiraria o mestre da prisão. Mas não foi isso, porque um povo, em geral, é uma massa amorfa. Sem liderança, sem perspectiva, ele pode ser levado para qualquer lugar. Ele não era traidor e, nesse contexto atual do Brasil, são muitos os traidores. Traidores do destino do povo, a partir de um discurso demagógico, populista. Não tem nada a ver com meu Judas.

OP – O Governo Temer chegou a extinguir o Ministério da cultura (Minc), depois voltando atrás. Como o senhor avalia atual situação do Minc? Ele é importante para os artistas como o senhor?

Vereza – Ele é importante. Esse rapaz que é ministro da Cultura (Sérgio Sá Leitão) é um técnico. Ele não é ligado a nenhum tipo de corrente ideológica. Eu conheço ele pessoalmente, ele é muito honesto. Com todo o respeito, mas é um fato histórico: o Ministério da Cultura esteva ideologicamente aparelhado. Certas correntes alinhadas com essa ideologia mandavam projetos para lá e nem precisava de análise, era aprovado imediatamente. Ao contrário de outros, que não estavam alinhados. Com Sérgio, não. Ele é técnico. Agora há um excesso de ministérios, sempre houve um excesso, nessa política de coalizão que a gente é obrigado a coexistir. Você é obrigado a fazer concessão para aprovar os projetos, com essa infinidade de partidos, eles estão mais interessados no fundo partidário do que fazer uma aliança que seja a favor da história. Infelizmente as instituições do Brasil nos últimos anos foram ficando aparelhadas. Foram ficando desgastadas. “Dando que se recebe” passou a ser a palavra de ordem. Enquanto a gente não mudar esse tipo de forma de governar, você vai ter que cortejar apoio para poder governar. Eu particularmente sou favorável ao parlamentarismo, que o cara errou, você tira o primeiro ministro e troca por outro. Agora você não pode, no meio de uma administração, você a cada quatro anos fazer o impedimento de um presidente. A história do País está sempre começando. Eu, particularmente, sou favorável a um plebiscito para votar o parlamentarismo. Você não ficaria dependendo tanto dessa aliança, que nem sempre são as mais honestas.

OP: O senhor costuma criticar publicamente a permanência dos gritos de “Fora, Temer”, por quê?

Vereza – “Fora, Temer” é de uma pobreza ideológica. Eu não votei nele, por isso eu estou muito tranquilo de falar. O “Fora, Temer” é ausência de um discurso que seja uma alternativa. Eu estudo filosofia e trabalho muito com fatos… Isso é fato como essa cadeira é uma cadeira, você é um homem, ela é uma moça e está tirando fotos de mim. O Temer tirou o Brasil do abismo, ele está recuperando a economia do País, a inflação está lá embaixo, batendo recordes históricos. Isso é o cara que fez. Não é o Vereza que está dizendo. São organismos nacionais e internacionais que comprovam isso. A Petrobrás está se recuperando: de 14 milhões, ele conseguiu recuperar 1 milhão de vagas, isso é o IBGE, a Fundação Getúlio Vargas, o Valor Econômico que diz. “Fora, Temer” é criança zangada que tiraram a chupeta. Qualquer coisa é “Fora, Temer”, vai colocar quem: Rodrigo Maia? O Eunício Oliveira, que está aí com o maior escândalo em cima dele? Ao invés de “Fora, Temer”, diga assim: eu proponho que a reforma agrária seja feita definitivamente, que o Movimento Sem Terra deixe de ser um grupo terrorista e passe a ser um movimento que lute realmente por terra. Eu não sou esquerda nem de direita, mas isso são fatos. Eles não tiveram terra esse tempo todo e não reclamaram com o PT, por quê? Porque é uma organização paramilitar, terrorista… estão aí fechando estrada, queimando pneu. Estão lá em Curitiba fazendo necessidade na calçada das casas dos moradores, que não têm nada a ver. São fatos. Estão radicalizando a tal ponto como se quisessem fabricar mais um cadáver, além da Marielle… Marielle é um cadáver fabricado por eles…

OP: Eles quem?

Vereza – A ideologia radical sectária de esquerda. Eu tenho certeza, não tenho a menor dúvida, porque está havendo no Rio de Janeiro uma investigação (sobre a morte de Marielle) que já chegou a um ponto que, se eles mudarem a narrativa, vai ser uma decepção para muita gente. Por que a Marielle teve quarenta fotos na Maré se ela era uma líder comunitária? (A vereadora recebeu 1.688 votos, na verdade). Acho que a investigação tinha que começar pela Maré, ela teve votos no Leblon, no Jardim Botânico e na Gávea, só a classe média de Iphone 10. Essa menina ou foi assassinada pela milícia ou foi assassinada por pessoas que aparentemente compactuam com a ideologia dela. Eles não acreditam em Deus, eles acham que as pessoas todas não passam de massas de manobras adaptáveis ou não aos seus objetivos. O cara que acredita que a vida continua após a morte, se ele fizer uma besteira, ele sabe que tem a lei de causa e efeito, que, aliás, nem é nem religioso, é matemática. A lei de causa e efeito reordena o universo, se não a gente não estaria conversando aqui, o planeta não estaria dando voltas sob si mesmo. Deus é um matemático emocionado. A grande ciência é a matemática. Eles não acreditam nisso, eles acham que a gente é obra do acaso, que foi uma amebazinha que nasceu da lama e depois ela deu um pulinho pra terra. Aí virou mineral, animal, vegetal até virar ser humano. A gente sabe que há um plano construindo a nossa história, um plano divino. Eles não acreditam nisso. Então ele está do meu lado agora e depois não está mais.

OP – Mas falando de extrema direita, como o senhor avalia a postura do Bolsonaro?

Vereza – Eu avalio matematicamente. É uma lei física, a cada ação, uma reação. Como a esquerda radicalizou demais, surge uma reação que é o Bolsonaro, que eu não considero nem de extrema direita, considero de direita. Extrema direita mesmo é o que está acontecendo na Alemanha, que voltou a ter um antissemitismo, alegando, com alguma razão, que os imigrantes estão deturpando os valores nacionais e culturais. Bolsonaro é um cara da direita, não tem saída, é dialética, se você radicaliza de um lado, do outro ele vai desaparecer. É na política, na vida.

OP – Mas ele fala de pena de morte, ele tem um discurso de ódio…

Vereza – Essa ideologia é dele, é a plataforma dele. Eu não sou a favor. Agora ao mesmo tempo a esquerda também prega matar as pessoas, a esquerda está lá. No primeiro dia que o Lula foi preso, eles quebraram os portões da Polícia Federal. A Polícia Federal teve que reagir com bala de borracha e gás, eles inventaram que foram agredidos primeiro. Você é a favor do que eles fizeram em Curitiba? É a favor que as pessoas não podem sair de casa? Eles chegam com celular e obrigam os moradores a carregar o celular, estão fazendo necessidade na calçada. Isso é uma observação neutra, imparcial. E os moradores que pagam impostos naquela rua de Curitiba?

OP – Na ditadura militar, o senhor integrava o Partido Comunista e chegou a ser preso. Não teme que, caso um nome como Jair Bolsonaro seja eleito, isso volte a acontecer no País?

Vereza – Aí você está radicalizando, comparando o Bolsonaro a um nazista… Você está pressupondo que ele vá sequestrar as pessoas…

OP – Mas ele prega a censura à arte, a pena de morte…

Vereza – Sim, mas a Gleisi Hoffmann e o Lindbergh Farias estão incitando a massa a invadir a Polícia Federal e, obviamente se invadir a Polícia Federal, vai ter gente morta. Qualquer extremo não dá certo.

OP: Recentemente o senhor se envolveu em polêmica ao publicar no Facebook que uma escola supostamente estaria obrigando os alunos homens a usarem batom…

Vereza- Supostamente não. Foi o colégio Pinheiro Guimarães (no Rio). Eu afirmei: o colégio disse que se o aluno vier de saia e de batom, ele vai ter a nota aumentada. Eu reafirmei e estou esperando o processo até agora. Cadê o processo? Eu que não votei no Temer, fui ao Temer pedir para ele tirar a ideologia de gênero do Plano Nacional de Educação e ele tirou. É um absurdo você dizer que sexo é uma construção cultural. Então você começa a atacar biologia, começa a atacar os códigos genéticos, que é XX e XY, agora estão inventando T, W,Z, A, E, I, O, U. Ou você é homem é ou é mulher. As pessoas têm suas opções sexuais respeitáveis, daí a você dizer que nasceu homem porque isso é uma construção cultural, isso é de um ridículo. Isso é um plano cara, um plano sofisticadíssimo, porque quando você traumatiza uma criança, você vai ter lá frente um adulto manipulado politicamente. Até sete anos a criança é mais espírito do que matéria, ela não pode ser traumatizada.

OP – Mas e se uma pessoa adulta não se identifica com o gênero que nasceu?

Vereza – Sabe qual é a estatística de trans? Um em 100 mil. Agora todo mundo é trans, só que eles não estão divulgando as pessoas que estão arrependidas, que estão querendo recuperar e não conseguem, porque não tem mais jeito. Não tem como recuperar. Todo mundo é trans, isso é uma novidade. Na minha época, você tinha um trans a cada 15 anos, agora a cada dia da semana todo mundo virou trans e vai para o Paraguai operar, aí depois se arrepende porque o DNA não muda, o DNA do trans é do gênero que ele nasceu. (Vira-se agressivo para o repórter) Eu sei que eu não estou te agradando, você é petista, porque eu sou médium e eu estou vendo no teu perispírito que você é petista.

OP – Eu não sou petista.

Vereza – Você é de esquerda eu estou vendo na sua aura. Cada coisa que eu falo sua aura fica assim piscando.
(Silêncio).

Vereza – Um em 100 mil é uma coisa, agora de segunda a sexta, todo mundo é trans e outras coisas. O que é isso? Eu era amigo do Clodovil e ele não tinha essa palhaçada. Há, inclusive, uma suspeita de que ele tenha sido assassinado, a cama dele era baixa, como ele fraturou a cabeça caindo da cama, cara? Eu conheci a Rogéria, ela cantava em cinco idiomas, era uma puta de uma cantora, uma puta de uma atriz, mas não faziam essa palhaçada, esse lobby. Eu amo o homossexual e odeio o lobby gay. Eu amo o pecador e odeio o pecado.

OP – O senhor disse em entrevista ao Bial, que toda vez que uma comunidade se acha em crise, ela necessita de um bode expiatório, para muitos brasileiros, o Lula…

Vereza – Você está dizendo que o petismo seria o bode expiatório? Ele ficou 14 anos no poder, meu filho, o Temer está há só dois. Bode expiatório sou eu, que há 12 anos eu avisei o que seria o PT e as portas de trabalho se fecharam para mim. Eu fui ao Jô Soares e disse e cantei tudo o que ia acontecer com o PT…

OP – Inclusive a Rede Globo fechou as portas para o senhor?

Vereza – Sim, 90% dos autores e diretores da Gloso são petistas. Agora eles não me mandam embora, porque provavelmente deve ter algum tipo de respeito por mim. Exatamente porque eu vou ao contrário dos meus colegas e boto minha cara a tapa. Eu sou formado em filosofia. Isso aqui para mim é uma cadeira e não um helicóptero. Eles falam que é um helicóptero. (silêncio). Você deu uma bandeira da sua pergunta agora, porque bode expiatório é o povo. Eu jogo com dados, eu não adjetivo nada, porque eu estudo.

OP – Ok. Obrigado, Carlos.

Vereza – Me desculpa se eu estou dizendo o que o você não quer ouvir…

OP – Desculpo.
(Entrevistado se levanta).

Vereza – Vá se fuder, porra.
(Entrevistado se retira).

(O POVO – Repórter Renato Abê)

Caso Alckmin – Promotor foi assessor de ex-secretário do governo tucano

O inquérito que investiga o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) por suspeita de caixa 2 nas campanhas de 2010 e 2014 será remetido ao promotor da 1ª zona eleitoral de São Paulo, Luiz Henrique Dal Poz, conhecido por ter atuado na prisão e condenação do ex-médico Roger Abdelmassih por 52 estupros. Designado promotor eleitoral até 2019, Dal Poz é titular da Promotoria de Repressão à Sonegação Fiscal e já foi chefe de gabinete do secretário de Justiça do governo Alckmin, Márcio Elias Rosa, quando este era procurador-geral de Justiça, chefe do Ministério Público Estadual (MPE), entre 2012 e 2016.

Dal Poz herdará o inquérito aberto em novembro do ano passado contra Alckmin no Superior Tribunal de Justiça (STJ) por decisão da ministra Nancy Andrighi, que acolheu na quarta-feira, 11, um pedido do vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, e tirou a investigação das mãos da força-tarefa da Lava Jato.

Segundo ele, as delações feitas por três executivos da Odebrecht de pagamentos de R$ 10,7 milhões a Alckmin por meio de um cunhado do ex-governador e do tesoureiro da campanha “indicavam suposta prática de crime eleitoral”. A medida foi tomada depois que Alckmin perdeu o foro privilegiado por ter renunciado ao mandato de governador do Estado para disputar a Presidência.

Procuradores da Lava Jato em São Paulo haviam pedido a Maia que remetesse “o mais rápido possível” o inquérito sobre Alckmin para a primeira instância com o argumento de que o processo poderia auxiliar outras apurações. Agora, a investigação passa a ter caráter de crime eleitoral e não mais de crime comum.

Dal Poz disse que vai analisar o inquérito para saber se a competência é mesmo da Justiça eleitoral e afirmou não ver problema em ter trabalhado com o secretário de Alckmin. “Não vejo nenhuma relação que poderia me colocar numa condição de impedimento ou suspeição”.

Se os procuradores da força-tarefa Lava Jato de São Paulo tiverem informações que possam levar adiante investigação sobre atos de corrupção ou outro crime praticados, “nada os impede de iniciar uma apuração criminal sobre os fatos”, informou a Secretaria de Comunicação da Procuradoria-Geral da República. “Os procuradores também podem solicitar o compartilhamento de informações junto à Justiça Eleitoral, para onde o inquérito foi encaminhado por decisão do STJ”, diz nota da PGR.

Segundo Dal Poz, o inquérito pode ser remetido à segunda instância eleitoral porque entre os investigados está o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcos Monteiro, tesoureiro da campanha de 2014 e que foi mantido no governo por França.

Na esfera cível, a Promotoria do Patrimônio Público da capital também instaurou uma apuração preliminar para investigar possível improbidade administrativa cometida por Alckmin com base nas mesmas denúncias da Odebrecht. O promotor do caso, Otávio Garcia, já solicitou ao procurador-geral Gianpaolo Smanio informações sobre apurações em andamento contra Alckmin, que até renunciar ao cargo, no dia 6, só poderia ser investigado pelo chefe do MPE.

Em nota, Alckmin disse que “desconhece o procedimento” e que “está à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

(Agência Estado/Foto – Reprodução de TV)

Salão de Abril 2018 – Sai lista dos artistas selecionados

Paulo Klein é o curador do Salão de Abril 2018.

A Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) divulgou, nesta sexta-feira (13), os nomes dos 45 artistas selecionados para expor na 69ª edição do Salão de Abril, principal evento de Artes Plásticas do Estado. O anúncio ocorreu durante evento que marcou o início da programação do Salão, na Casa do Barão de Camocim. No ato, houve a palestra “A Arte Além da Borda – Repensando os Salões”, do curador Paulo Klein, a primeira de uma série de atividades que compõem a programação que ainda inclui oficinas, workshops, entre outros. As obras selecionadas ficarão expostas ao público, a partir de 26 de abril deste ano, data da abertura da mostra.

O 69º Salão de Abril, que tem início neste dia do aniversário de Fortaleza, celebra os 75 anos de história da mostra e homenageia os 100 anos de nascimento do multiartista Zenon Barreto, autor da escultura Iracema Guardiã, um símbolo da cidade de Fortaleza. As informações são da assessoria de imprensa da Secultfor.

Selecionados

Foram submetidas, no total, 482 obras de 304 artistas à curadoria do crítico de arte e curador membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) e da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA), Paulo Klein. Os 45 artistas selecionados terão as obras expostas na Casa do Barão de Camocim, de 26 de abril até 26 de julho.

Foram selecionadas para exposição as obras dos seguintes artistas: Ana Aline, Antônio Elionardo da Silva Saraiva, Antônio Gerson Ipirajá Barreto, Antônio Jefferson Oliveira dos Santos, Artur Cabral Bombonato, Célio Celestino Almeida Cavalcante, Coletivo Aparecidos Políticos – Aspásia Mariana Santos Melo, Cristina Vasconcelos Lima, Darwin Marinho de Assis, Diego Santana de Farias, Diogo Araújo Braga, Fernando Jorge da Cunha Silva, Flávio Márcio Batista de Oliveira, Francisco Cardoso de Oliveira Júnior, Francisco Carlos Campos Costa, Frederico Lua Branca Alencar da Mota, Jamille Jacinto Queiroz, Járed José Barbosa Domício, João Bosco Lisboa de Morais, Jorge Edinay Rodrigues de Oliveira, José Alves Pimenta Júnior, Júlio César Fernandes Lira, Lindemberg Jardim de Freitas, Louise Cavalcante Félix, Maíra Ortins, Mariana Amorim Smith, Marina Aires Barreira de Sousa e Castro, José Mário Castro Sanders, Maria do Socorro Barros Silveira, Naiana Magalhães Soares de Sousa, Narcélio Moreira Dantas, Natália Lopes Coelho, Nelson Nobre de Oliveira, Nivardo Victoriano Conrado Júnior, Raquel do Amaral Campos, Régis Luiz Câmara Amora, Rogeane de Oliveira Moreira, Ruy Cezar Campos, Sálvia Braga Pinheiro, Samuel Tomé Menezes, Sheryda Lopes Borges, Sílvio Santo Rabelo, Simone Barreto de Andrade, Waléria Américo, e Weaver Ferreira Lima.

Premiação

*Dos 45 artistas selecionados, 30 serão premiados. A premiação totaliza R$ 190 mil, equivalente a R$ 15 mil para os quatro primeiros colocados e R$ 5 mil para os demais. O anúncio dos premiados do 69º Salão de Abril será realizado no dia 17 de maio, em evento na Casa do Barão de Camocim.

Homenageado

Zenon Barreto nasceu em Sobral em 1918 e viveu a maior parte de seus 84 anos em Fortaleza. Dedicou a vida às Artes Plásticas, como pintor, gravador, escultor, ilustrador e cenógrafo, lidando com materiais diversos numa produção diversificada. Foi membro da Sociedade Cearense de Artes Plásticas (SCAP), instituição na qual ingressou como aluno do Curso Livre de Desenho e Pintura, para posteriormente atuar como professor até chegar à presidência da entidade. Recebeu prêmios importantes no Salão de Abril, Panorama da Arte Atual Brasileira e Bienal Internacional de São Paulo.

Programação

Salão Mostra
Divulgação dos selecionados e palestra “A Arte Além da Borda – Repensando os Salões”, com o curador Paulo Klein
Data: Sexta-feira (13/04)
Horário: 11h
Local: Casa do Barão de Camocim

Exposição dos selecionados do 69º Salão de Abril
Data: 26 de Abril
Horário: 19h
Permanência: 26/04 a 26/06
Local: Casa do Barão de Camocim

Salão Premia
Anúncio dos premiados do 69º Salão de Abril
Data: 17/05
Local: Casa do Barão de Camocim

Salão Fala!
Palestra com o artista multímidia, crítico e curador Ricardo Basbaum
Data: 28/04
Local: Casa do Barão de Camocim

Conversa de Salão – Zenon Barreto, 100 anos
Seminário de Artes “Salas Nômades”, por Herbert Rolim
Data: 08 e 09/05
Horário: 19h
Local: Casa do Barão de Camocim
Palestra “A obra de Zenon Barreto”, com Jacqueline Medeiros
Horário: 19h
Local: Casa do Barão de Camocim

Workshop “Curadoria e Autocuradoria”, com o curador Paulo Klein – Destinado aos artistas selecionados no 69 Salão de Abril, com leitura de portfólio dos interessados
Data: 18 de maio
Horário: de 10h a 17h
Local: Casa do Barão de Camocim

Workshop “Leitura de Portifólio”, com o curador Paulo Klein – Destinado a artistas em geral (30 vagas; necessário inscrição por meio de carta de intenção e minicurrículo por meio de e-mail para salaodeabril2018@gmail.com)
Data: 19 de maio
Horário: de 10h a 15h
Local: Casa do Barão de Camocim

Oficina “Vivência em Arte Contemporânea – Criando no Salão” para alunos de escola pública, com o curador Paulo Amoreira
Data: 29 de maio
Horário: 10h
Local: Casa do Barão de Camocim

Workshop “Curadoria e Processos”, com Jacqueline Medeiros
Data: 07 de junho
Horário: 19h
Local: Casa do Barão de Camocim

A programação do 69º Salão de Abril ainda conta com oficinas de artes visuais para crianças de Escolas Públicas Municipais, apresentações de dança e de vídeos de alunos de cursos da Vila das Artes e a comercialização de posters e xilogravuras alusivas ao Salão de Abril e inspiradas na obra de Zenon Barreto.

Transposição do São Francisco será tema de debates na Assembleia Legislativa

A Comissão Externa da Câmara Federal que acompanha as obras de transposição das Águas do Rio São Francisco vai se reunir, a partir das 9 horas de segunda-feira (16), na Assembleia Legislativa. O encontro terá também o respaldo da Comissão Especial da Transposição do Rio São Francisco, da Assembleia, presidida pelo deputado Carlos Matos (PSDB).

Na pauta, segundo o presidente dessa comissão, o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB), o projeto de revitalização do rio São Francisco e, principalmente, as obras de saneamento ao longo do canal.

Também deverão ser abordadas as polêmicas em torno da futura gestão e do custo da água do empreendimento e o prazo para a conclusão do Eixo Norte, que deve abastecer os municípios cearenses.

BNB celebra em Massapê primeiro contrato do P-Fies da Zona Norte

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Carneiro, fechou, nesta manhã de sexta-feira, em Massapê, o primeiro contrato da Zona Norte referente à nova modalidade de financiamento estudantil P-Fies. O estudante Rhuan Brener Florêncio Damasceno, do Centro Universitário Uninta, foi o contemplado numa cerimônia prestigiada pelo reitor do Uninta, Oscar Rodrigues Junior.

Na ocasião, o presidente do BNB ainda apresentou para os agricultores da região a Lei 13.606/2018, que autoriza a liquidação e a renegociação de dívidas de crédito rural contratadas até dezembro 2011. O prefeito de Massapê, Jacques Albuquerque (MDB), assessores e diretores do BNB como Perpetuo Cajazeiras, participaram do ato.

(Foto – Divulgação)