Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Balança comercial alcança superávit de US$ 3,1 bi no início de maio

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 3,1 bilhões nas duas primeiras semanas de maio. Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o saldo é resultado da diferença entre exportações totais no valor de US$ 8,8 bilhões e importações de US$ 5,7 bilhões.

No acumulado do ano até agora, as exportações somam US$ 83,4 bilhões e as importações, US$ 59,9 bilhões, com saldo positivo de US$ 23,4 bilhões. Nesse mesmo período de 2017, o saldo era de US$ 24,3 bilhões.

Nas previsões mais recentes, analistas de mercado ouvidos pelo Banco Central estimam que a balança comercial em 2018 deve fechar com saldo positivo entre US$ 50 bilhões e US$ 52 bilhões, menor do que o saldo de US$ 67 bilhões do ano passado, que havia sido o melhor resultado em quase 30 anos.

Exportações

As exportações na primeira quinzena de maio cresceram 23,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Elas foram puxadas principalmente pela comercialização de produtos básicos, como petróleo bruto, carne de frango, minério de cobre, soja em grãos e farelo de soja, que totalizaram US$ 611,1 milhões.

Também contribuiu para o crescimento a venda de produtos semimanufaturados, como óleo de soja, celulose, ferro-ligas, madeira serrada ou fendida, com mais de R$ 136,6 milhões em vendas, e de produtos manufaturados, incluindo motores e turbinas de aviação, chapas, tiras, películas de lâminas de plástico, suco de laranja congelado, polímeros plásticos e veículos de carga, gerando receitas de US$ 337 milhões.

Em relação ao mês passado, houve avanço de 17,4% na venda de produtos brasileiros para o exterior, em termos de média diária apurada pelo governo.

Importações

Nas importações, a média diária até a segunda semana de maio deste ano foi de US$ 720,6 milhões, um valor 30,7% acima da média de maio de 2017. Houve aumento de compra externa de produtos farmacêuticos (+50,6%), equipamentos mecânicos (+45,8%), equipamentos eletroeletrônicos (+33%), combustíveis e lubrificantes (+31,1%), e químicos orgânicos e inorgânicos (+30%). Na comparação com abril, houve crescimento de 9,7% nas importações.

(Agência Brasil)

Anistia Internacional lembra os dois meses da morte de Marielle Franco

No dia em que se completam dois meses do homicídio da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL), a Anistia Internacional organizou hoje (14) uma ação em frente à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg), próximo à Central do Brasil, no centro da cidade. A iniciativa contou com a presença da mãe e do pai da parlamentar, Marinete da Silva e Antônio Francisco Neto. Ativistas levaram cartazes lembrando os 60 dias do episódio e questionando sobre a responsabilidade do crime. Também usaram máscaras com o rosto da vítima.

“A intenção da ação é cobrar novamente que as autoridades do estado se comprometam publicamente com a elucidação do caso. Nós entendemos que as investigações de homicídios são complexas e de forma nenhuma queremos que haja uma aceleração indevida. Mas é justamente por isso que as altas autoridades, o secretário, o Gabinete de Intervenção Federal devem vir a público confirmar o compromisso com uma investigação correta, profunda, adequada”, disse a coordenadora de pesquisa da Anistia Internacional, Renata Neder.

Segundo a ativista, é importante que o estado se comprometa em revelar não apenas quem matou Marielle, mas também quem mandou matar e qual foi a motivação. “Historicamente no Brasil, homicídios de defensores humanos em geral não são devidamente investigados e não há a devida responsabilização. Quando isso acontece, geralmente é porque há pressão da população, que não deixa o caso cair no esquecimento. Muitas vezes as investigações levam apenas a identificação do executor, mas não do mandante”.

(Com Agência Brasil)

Confira os 23 convocados da seleção de Tite

Já conferiu a seleção convocada pelo técnico Tite? Foi nesta segunda-feira à tarde, na sede da CBF, no Rio. Confira 23 jogadores que defenderão o Brasil na Copa do Mundo da Rússia.

*Goleiros

Alisson (Roma-ITA)
Ederson (Manchester City-ING)
Cássio (Corinthians)

*Laterais

Fagner (Corinthians)
Danilo (Manchester City-ING)
Marcelo (Real Madrid-ESP)
Filipe Luís (Atlético de Madrid-ESP)

*Zagueiros

Miranda (Internazionale-ITA)
Thiago Silva (Paris Saint-Germain-FRA)
Marquinhos (Paris Saint-Germain-FRA)
Geromel (Grêmio)

*Volantes

Casemiro (Real Madrid-ESP)
Paulinho (Barcelona-ESP)
Fernandinho (Manchester City-ING)
Fred (Shakhtar Donetsk-UCR)

*Meias

Renato Augusto (Beijing Guoan-CHI)
Willian (Chelsea-ING)
Philippe Coutinho (Barcelona-ESP)

*Atacantes

Neymar (Paris Saint-Germain-FRA)
Gabriel Jesus (Manchester City-ING)
Roberto Firmino (Liverpool-ING)
Douglas Costa (Juventus-ITA)
Taison (Shakhtar Donetsk-UCR)

DETALHE – Após o anúncio dos 23 convocados, a Seleção Brasileira iniciará a sua preparação para a estreia no Mundial com uma semana de treinamentos em Teresópolis, Isso entre os dias 21 e 27 deste mês. De lá, a delegação seguirá para a Inglaterra, onde fará amistoso contra a Croácia no dia 3 de junho. O último teste antes do Mundial será diante da Áustria, em Viena, no dia 10 de junho.

DETALHE 2 – O grupo E é o do Brasil, que pegará pela frente a Suíça, Costa Rica e Sérvia.

Copom deve reduzir taxa básica de juros na quarta-feira

Com a inflação baixa, o mercado financeiro espera pelo último corte na taxa básica de juros (Selic) no atual ciclo de redução, na próxima quarta-feira (16). A terceira reunião do ano do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), começa nesta terça-feira (15) e segue até o dia seguinte, quando será anunciada a taxa Selic.

Em março, o Copom reduziu a Selic pela décima segunda vez seguida, de 6,75% ao ano para 6,5% ao ano, o menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir.

Na última reunião do Copom, o BC sinalizou que faria mais uma redução da Selic em maio e encerraria os cortes na taxa. O economista sênior da Tendências Consultoria, Silvio Campos Neto, acredita que a taxa Selic terá mais um corte de 0,25 ponto percentual, nesta reunião, como indicado pelo BC em março. “Continuamos com a expectativa de mais uma queda de 0,25 ponto percentual, que vai ser a última, nesse nosso cenário. A situação ainda é confortável do ponto de vista da inflação”, disse Campos.

Campos citou que o índice de inflação está em patamar baixo, com recuos disseminados entre os setores e “desaceleração forte” no segmento de serviços. “Além disso, as expectativas continuam bem ancoradas, inclusive abaixo das metas, tanto para este ano, como para 2019. Isso dá condições para que o Banco Central confirme a sinalização que tinha dado na reunião passada de que promoveria mais um corte na reunião de maio”, acrescentou.

Ao definir a taxa Selic, o BC está mirando na meta de inflação, que é de 4,5% neste ano, com limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. De acordo com pesquisa do BC a instituições financeiras, a inflação deve fechar 2018 em 3,49% e 2019 em 4,03%.

(Agência Brasil)

 

Ciro Gomes falará para filiados do ex-partido do Capitão Wagner

O Partido da República no Ceará vai promover encontro com pré-candidatos a cargos proporcionais no dia 26 deste mês, no Marina Park Hotel. A informação é da presidente regional da legenda, a deputada federal Gorete Pereira.

“Será um encontro de formação partidária, quando orientaremos sobe a campanha”, adianta a parlamentar, acrescentando que, durante o evento, haverá também palestras.

Entre convidados, o presidenciável Ciro Gomes (PDT).

DETALHE – O PR era o partido, até bem pouco tempo, comandado pelo ex-governador Lúcio Alcântara, hoje no PSDB, e que tinha como principal estrela eleitoral o deputado estadual Capitão Wagner, agora presidente estadual do PROS, ex-partido dos Ferreira Gomes.

(Foto – Reprodução de TV)

A Transposição do São Francisco e a culpa do Ministério da Integração

257 1

Com o título “Transposição sem compromisso”, eis artigo do deputado federal Leônidas Cristino (PDT). Ele analisa o absurdo de tantos atrasos no projeto da transposição do São Francisco. Culpa o Ministério da Integração Nacional. Confira:

A execução do trecho que falta para concluir as obras do Eixo Norte da transposição do rio São Francisco, necessária para a água chegar ao Ceará, tem sido conduzida pelo governo Temer de modo trôpego, irresponsável e sem compromisso com o Nordeste. É um festival de desprezo o que acontece com essa obra.

Essa é a realidade depois de seis anos de seca e uma estação de chuvas até agora insuficiente para repor os estoques dos reservatórios de grandes cidades. É muito grave.

Não foi por falta de aviso que a situação marchou para o estado de caos em que se encontra. Em artigos publicados no O POVO e na tribuna da Câmara eu tenho alertado, insistentemente, sobre o tratamento negligente e vacilante do Governo Federal em relação a esse assunto estratégico e de alta prioridade.

Uma breve consulta nos anais da Câmara revela essa nossa luta obstinada pela retomada das obras do canal Eixo Norte e a conclusão da transposição do Rio São Francisco.

Apesar de todas as advertências e contribuições, o Ministério da Integração Nacional desprezou as sugestões para agilizar as obras, todas com o respaldo jurídico, e optou pelo caminho menos sensato; e o pior resultado não tardou a se apresentar, atrasando ainda mais a sua conclusão.

Recentemente, no 8º Fórum Mundial da Água e em audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, o então ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, assegurou que a obra do Eixo Norte seria concluída ainda neste semestre.

Agora, em mais um atraso, o Ministério da Integração anunciou a substituição da empresa contratada até o próximo mês e garantiu a entrega das obras do Eixo Norte neste ano. Como acreditar em mais um juramento ante uma sequência vergonhosa de tantas promessas vãs por parte de um governo sem credibilidade?

Esse é o retrato da situação em que o Brasil se encontra, com um governo de costas para o povo. Essa é a imagem de um período de traição aos interesses populares, de ameaças à soberania nacional. A que ponto chegamos, à negação aos direitos fundamentais da pessoa humana, a negação do direito à água.

*Leônidas Cristino

dep.leonidascristino@camara.leg.br

Deputado federal (PDT/CE).

Oi ganha fôlego para dívidas novas

As empresas do grupo Oi, em recuperação judicial, conseguiram mais um refresco. É o que informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

Na 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, homologaram sua proposta de reservar R$ 4 milhões mensais dos seus ativos para quitar os créditos decorrentes de negócios celebrados após a data do pedido de recuperação judicial.

Funceme – Inscrições para concurso prosseguem até 6 de junho

Prosseguem as inscrições do concurso da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). De acordo com assessoria de imprensa do órgão, o período de inscrição vai se estender até as 23h59min do dia 6 de junho e somente pela internet, por meio do site da organizadora do concurso, no caso a Uece.

São ofertadas 40 vagas de nível superior para os cargos de Pesquisador e de Analista de Suporte à Pesquisa, a serem lotados na sede da própria organização, em Fortaleza. A taxa de inscrição é de R$ 130 para ambos os cargos.

As vagas estão divididas nas seguintes especialidades: Recursos Ambientais, Recursos Hídricos, Meteorologia, Monitoramento e Informática, no caso de Pesquisador; e Ciências Contábeis e Administração para o cargo de Analista.

Para quem desejar isenção da taxa de inscrição, também deve solicitar por meio da página do concurso na internet até esta quinta-feira (10). Os documentos necessários também estão listados no edital.  O cetame tem validade de dois anos.

SERVIÇO

*Edital e inscrições aqui.

Fecomércio puxa debate sobre perspectivas dos cruzeiros no Ceará

O Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Federação do Comércio do Ceará (Fecomércio) vai promover, às 9 horas desta terça-feira, um debate sobre o tema “Cruzeiros Marítimos: Perspectivas no Brasil e no Mundo”. O evento ocorrerá no auditório da federação, colocará em discussão a atual conjuntura dos cruzeiros no Brasil e como esse setor pode evoluir, tendo como comparação a realidade em outros países. Para debater o tema, o Cetur convidou o presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos, Marco Ferraz.

Segundo a presidente do Cetur, Circe Jane Teles, os cruzeiros no Brasil apresentam um crescimento ainda tímido que precisa ser revertido. O objetivo, observa, é incrementar o setor, uma importante vertente do Turismo no País. Para isso, explica Circe Jane, é necessário adequar bem o litoral brasileiro e portos das cidades, para que estejam bem preparados para receber transatlânticos do porte dos cruzeiros.

No caso de Fortaleza, a presidente do Cetur afirma que a Capital cearense ainda está se preparando para receber com excelência esses transportes marítimos. Além de infraestrutura portuária, destaca, é necessário também um bom apoio receptivo no terminal de passageiro, com mão de obra qualificada desde os guias de turismo, taxistas e informantes turísticos.

SERVIÇO

*Fecomércio-Ceará – Rua Pereira Filgueiras, 1070.

Ipece lança nova edição do Anuário Estatístico do Ceará

Já está disponibilizado para consultas o Anuário Estatístico do Ceará 2017. Isso, por meio do www.ipece.ce.gov.br, informa o diretor-geral do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), Flávio Ataliba. Ele adianta que a publicação contempla dados estatísticos que permitem a análise dos aspectos socioeconômicos e geográficos do Estado e de seus 184 municípios.

A nova edição está estruturada em seis seções: as três primeiras compreendem o agrupamento de dados referentes a Território; Aspectos Demográficos e Qualidade de vida. As três seções seguintes abordam informações concernentes aos aspectos da Infraestrutura; Econômicos e Finanças Públicas.

A seção Território apresenta uma descrição sinóptica do Estado do Ceará e está subdividida em cinco subseções: Posição e Extensão do Território, Recursos Naturais e Meio Ambiente, Divisão Político-Administrativa e Regional, Características dos Municípios e os Mapas Temáticos. Já seção Demografia apresenta os mais importantes temas para análise populacional no Estado do Ceará, já que trata das questões ligadas à evolução da População, Famílias, Migração, Fecundidade, Natalidade, Mortalidade e Nupcialidade, além de Indicadores Demográficos.

Os indicadores da seção Qualidade de Vida procuram retratar a realidade social do Estado do Ceará a partir da análise de diversos indicadores, resumidos em oito subseções: Educação, Saúde, Trabalho e Rendimento, Previdência e Assistência Social, Eleições e Representações de classes, Justiça e Segurança Pública, Cultura e Índices de Desenvolvimento. Na seção Infraestrutura são destacadas informações relacionadas aos Recursos Hídricos, tais como: presença de Recursos Hídricos, Energia, Rodovias, Habitação e Saneamento no Estado do Ceará, sendo que esses indicadores estão representados espacialmente na seção Mapas.

Já na seção Aspectos Econômicos são abordadas informações dos setores da economia cearense tais como: Contas Regionais, Agropecuária e Extração Vegetal, Indústria, Comércio, Transportes, Comunicações, Turismo, Intermediários Financeiros, Administração Pública, Prestação de Serviços e Índices, Preços e Custos seguido dos mapas com representação espacial dos indicadores. A sexta e última seção, a de Finanças Públicas está subdividida em Finanças da União, do Estado e dos Municípios, com dados provenientes da Secretaria da Receita Federal (SRF), da Secretaria da Fazenda (SEFAZ) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

(Foto – Divulgação)

Governo não desistiu da Reforma da Previdência, diz ministro Eliseu Padilha

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse hoje (14) que “não está extinta” a possibilidade de o governo tentar aprovar ainda este ano a reforma da Previdência. “Não conseguimos levar a cabo a reforma da Previdência. Por enquanto, pelo menos. Porque ainda temos ainda até 31 de dezembro e essa possibilidade não está extinta, em que pese tenhamos tido dificuldade. E essa é a reforma da reformas no que diz respeito ao ajuste fiscal”, disse em entrevista a jornalistas após participar de evento do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

O ministro da Casa Civil lembrou que a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro impede a votação da reforma no Congresso Nacional, mas pode ser pactuada uma suspensão temporária para colocar a medida em votação.

Padilha citou que o déficit da Previdência no ano passado foi de R$ 268 bilhões e este ano deve ficar em torno de R$ 300 bilhões. Segundo ele, esse gasto crescente compromete os investimentos no país. “Na medida em que cresce a despesa com a Previdência, se reduzem os investimentos. Primeiro os investimentos em obras, mas daqui a pouco os investimentos na saúde, na educação. Coisa que é absolutamente inimaginável”, disse.

Questionado por jornalista se Temer pode procurar o candidato eleito para a presidência da República para tentar aprovar ainda este ano a reforma, Padilha respondeu que acha “possível”, mas não sabe se é “provável”. O ministro disse que não vê nos pré-candidatos muita vontade em discutir o tema da previdência.

Em entrevista a veículos da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), no último dia 4, Temer disse que a reforma não saiu da pauta política do país e afirmou que “não é improvável que venhamos a pensar nela ainda no final deste ano”.

(Agência Brasil)

Pesquisa CNT – Bolsonaro lidera e Marina e Ciro estão empatados tecnicamente

Cenário sem Lula – Bolsonaro lidera e Marina vem em segundo.

A mais recente pesquisa eleitoral para presidente, divulgada nesta segunda-feira (14) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostrou que Jair Bolsonaro (PSL) lidera as intenções de voto com 18,3%. Depois, vêm Marina Silva (Rede), com 11,2%, e Ciro Gomes (PDT) com 9%.

O cenário leva em conta que Luiz Inácio Lula da Silva não poderá concorrer às eleições por estar preso. No entanto, a pesquisa também avaliou a intenção de voto do petista, que recebeu 32,4% das intenções, seguido por Bolsonaro.

Veja a lista das intenções de voto no cenário mais provável atualmente, sem Lula, sem Joaquim Barbosa e sem Michel Temer.

Jair Bolsonaro (PSL) – 18,3%
Marina Silva (Rede) – 11,2%
Ciro Gomes (PDT) – 9,0%
Geraldo Alckmin (PSDB) – 5,3%
Álvaro Dias (Podemos) – 3,0%
Fernando Haddad (PT) – 2,3%
Fernando Collor (PTC) – 1,4%
Manuela D´Ávila (PCdoB) – 0,9%
Guilherme Boulos (Psol) – 0,6%
João Amoêdo (Novo) – 0,6%
Henrique Meirelles (MDB) – 0,5%
Flávio Rocha (PRB) – 0,4%
Rodrigo Maia (DEM) – 0,4%
Paulo Rabello de Castro (PSC) – 0,1%
Brancos e nulos – 29,6%
Indecisos – 16,1%

Os parafusos da política

Com o título “Os parafusos da política”, eis artigo do professor universitário e cientista político Valmir Lopes que pode ser conferido no O POVO desta segunda-feira. Ele fala das expectativas em torno do eleitorado e do pleito deste ano. Confira:

Crises fazem esquecer tudo que sabemos sobre a lógica estruturadora das sociedades. Estamos em plena primeira rodada das eleições. A campanha eleitoral oficial começará em 16 de agosto, e para o povo somente em setembro. Na atual rodada, os candidatos procuram se viabilizar num universo restrito de eleitores formado por candidatos, partidos, pessoas que vivem da política, formadores de opinião, cidadãos mais ativos, meios de comunicação e redes sociais.Nesse público,muito restrito, costuma-se dar a impressão que tudo que se faz é decisivo. O momento é de seleção de candidatos, competição entre candidatos. Depois, iniciamos a disputa pelas mentes e corações dos eleitores e a fase decisiva.

A ordem institucional alcançada nas duas últimas décadas entrou em crise depois de 2013. O sistema político foi abalado principalmente pela ação das agências de controle interno do Estado brasileiro com a descoberta dos casos gigantesco de corrupção. A incerteza reflete esse quadro de instabilidade. Desse quadro confuso, fala-se na existência de uma insatisfação difusa no eleitor em relação a classe política. Haveria por parte da sociedade a expectativa de mudança pelas eleições, por isso o desejo de alguém de fora da política. A presidência Temer pode servir de parâmetro para analisar o comportamento do brasileiro: governo sem nenhum apoio popular, acusado de corrupção, paralisado e mesmo assim sem movimentação e contestação pública. O desejo de ordem para tocar a vida parece ser o sentimento dominante. Que haja mudança, mas dentro da ordem, nada contra a ordem.

Na época de estabilidade, o sistema eleitoral brasileiro girou em torno da disputa entre PT e PSDB como forças organizadoras da opinião pública e sempre contou com a presença, nas eleições, de um terceiro, que falava a um público disposto a apostar numa via alternativa. Os polos opostos foram desestruturados parcialmente. A novidade é a organização da terceira via já em tempo de pré-campanha. Fala-se de um centro porque a fração de extrema-direita acomodada antes no PSDB foi isolada com candidato próprio. O lulo-petismo dificilmente perderá sua centralidade como polo aglutinador. Imagina-se que a extrema-direita não resistirá ao combate eleitoral. Os instrumentos clássicos necessários e eficientes usados nas eleições anteriores não podem simplesmente ter pedido sua eficácia em tempo tão curto. Estrutura partidária, recursos financeiros, alianças eleitorais são recursos primários para se ganhar uma eleição nacional.

Não seria surpresa o retorno às alternativas clássicas do sistema institucional brasileiro com a presença de candidatos que efetivamente têm interpretações distintas cristalizadas sobre os problemas nacionais. Esses, apesar dos abalos, ainda continuam sendo as forças dominantes da política brasileira: conservadores moderados, liberais exaltados e a presença de uma terceira via com expressão dos segmentos de classe média dos grandes centros urbanos. Ocorre que essa terceira via nunca estruturou uma interpretação clara, organizada e coerente sobre nossos problemas. Provavelmente não terão tempo nem inteligência para definir essa interpretação. Essa são as forças estruturantes da política brasileira e nada parece indicar que tenham se pulverizado nem surgido alternativas. A eleição tratará de restabelecer a ordem das coisas, mas não significa, nem de longe, o fim da agonia nacional e reconquista imediata da estabilidade política.

*Valmir Lopes,

lopes.valmir@gmail.com

Cientista Político e Professor da UFC.

Henrique Meirelles ainda não desistiu de disputar a Presidência

O ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, vai tentar convencer o MDB de que tem chances na disputa presidencial, mesmo em baixa nas pesquisas pré-campanha. Ele diz, segundo a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta segunda-feira, que levantamentos qualitativos atestam sua viabilidade e apresenta o currículo avesso a aventuras como prova de que não daria um salto no escuro.

Meirelles afirma que seu potencial de crescimento ficará explícito com o início da propaganda eleitoral. “Comecei a olhar esses dados antes de sair do ministério. Eles deixam claro que terei chance de ganhar a eleição a partir do momento em que mostrar a minha história”, afirma.

Apesar do esforço de Meirelles, nem a sigla de Michel Temer nem os partidos da base aliada compartilham, hoje, dessa avaliação.

Caixa Econômica lança novo jogo lotérico: Dia de Sorte

A Caixa Econômica Federal lançará um novo jogo lotérico, o Dia de Sorte. O novo produto foi instituído em portaria publicada hoje (14) pela Secretaria de Acompanhamento Fiscal, Energia e Loteria, do Ministério da Fazenda, no Diário Oficial da União.

O jogador poderá escolher de 7 a 15 números que representarão os dias do mês, podendo ser de 1 a 31; e um número de 1 a 12, que corresponderá aos meses do ano, o chamado mês de sorte.

A aposta mínima, ou seja, com sete números e um mês de sorte, custará R$ 2. O preço aumenta conforte aumentam os números. Uma aposta com 15 números e um mês de sorte custará R$ 12.870.

Serão sorteados sete números e um mês (o mês da sorte). São consideradas vencedoras as apostas que tiverem de quatro a sete acertos, independentemente da ordem de sorteio dos números, ou, ainda, o mês sorteado. O mês conta como um acerto.

Caso o apostador tenha feito apostas de oito a 15 números, a premiação será proporcional à quantidade equivalente de apostas simples, ou mínimas, vencedoras. O sorteio ocorrerá três vezes por semana, às terças-feiras, quintas-feiras e sábados. A data do primeiro sorteio ainda será definida pela Caixa.

(Agência Brasil)

Eunício Oliveira é pressionado a votar projeto das 10 Medidas contra a Corrupção oriundo da Câmara

Uma ala do Senado voltou a trabalhar para convencer o presidente da Casa, Eunício Oliveira (MDB-CE), a pautar a versão aprovada pela Câmara do projeto conhecido como “10 medidas contra a corrupção“.

O texto, segundo informa a Folha de S.Paulo, inicialmente apresentado pelo MPF, foi profundamente modificado pelos deputados.

A versão da Câmara incluiu iniciativas de combate ao abuso de autoridade. O projeto estabelece que magistrados não podem falar fora dos autos e prevê punições para atuação político-partidária. Como há receio da repercussão, um caminho seria votar a proposta após a eleição.

Foro Privilegiado – Restrição tira do STF processos de pelo menos 44 deputados e 7 senadores

Marco Aurélio de Mello foi quem mais enviou processos a instâncias inferiores.

A restrição ao foro privilegiado retirou do Supremo Tribunal Federal (STF) processos de pelo menos 44 deputados federais e 7 senadores. A informação é do Portal G1.

Até este domingo (13), sete ministros do STF tinham enviado para instâncias inferiores da Justiça 66 casos penais que, no entendimento deles, não têm relação com o mandato parlamentar.

Outros processos devem ser remetidos nos próximos dias, uma vez que os ministros continuam analisando os casos que não preenchem mais os requisitos para permanecer no tribunal.

No último dia 3 de maio, o Supremo decidiu que, em relação a deputados e senadores, o foro só vale para crimes cometidos durante o mandato e em razão do cargo.

Entre os 66 processos, há casos de ações penais em andamento (o STF decidiu ficar apenas com aquelas em estágio avançado), inquéritos e pedidos de abertura de inquérito. Caberá a magistrados de primeira e segunda instância, a depender de cada caso, dar andamento às ações penais ou investigações.

Partido de Bolsonaro avisa: não fará coligação com legendas de esquerda no Ceará

2031 1

Heitor Freire e Bolsonaro

O Partido Social Liberal do Ceará não fará coligações com partidos de esquerda no Estado. Anuncia o presidente regional da legenda, Heitor Freire, justificando que o objetivo é “manter a ideologia partidária”. Nesta semana, uma resolução nesse sentido vai ser divulgada pela legenda “que não fará parcerias, alianças, conjugações ou coligações com partidos de esquerda bolivariana, tais como PT, PSOL, PCdoB, PSTU, PCO, PCB, e quaisquer outros que apoiem regimes autoritários instalados em outros países.”. Essa medida segue orientação nacional.

“As políticas adotadas por esses partidos colidem frontalmente com os ideais de liberalismo econômico e conservadorismo praticados pelo PSL de Jair Bolsonaro, sendo as mesmas incompatíveis e inaceitáveis”, afirma Heitor Freire. O PSL adianta que não flexibilizará essa orientação em hipótese alguma e, caso as determinações não sejam acatadas ,os diretórios estaduais serão passíveis de processo de intervenção.

Pré-candidato a deputado federal e coordenador da campanha de Bolsonaro no Ceará, Heitor Freire anuncia que o presidenciável Jair Bolsonaro cumprirá agenda nesta sexta-feira em Natal (RN). Freire vai se juntar à comitiva.

(Foto – Facebook)

Toffoli sinaliza que não pautará prisão em segunda instância

Após consecutivas derrotas no STF, o PT concentra as esperanças de tirar Lula da cadeia na retomada do debate sobre a prisão após condenação em segunda instância. Mas os sinais emitidos pelo próximo presidente do Supremo, o ministro Dias Toffoli, devem desanimar a sigla. A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta segunda-feira.

Interlocutores do magistrado dizem que ele não está disposto a trazer o assunto à tona assim que assumir o comando do tribunal, em setembro —e muito menos antes da conclusão da disputa eleitoral.

As fichas do PT estão depositadas na ação apresentada pelo PC do B ao STF logo após a prisão de Lula, em abril. Os advogados que acompanham a iniciativa ainda acreditam que o ministro Marco Aurélio Mello pode levar o tema à mesa. Dentro do tribunal, colegas do magistrado duvidam.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, entregou a Lula parecer que aponta os passos para registrá-lo, mesmo preso, na corrida eleitoral. O PT discute esta semana detalhes dos atos de lançamento da candidatura. Há até a proposta de projetar um holograma do petista.