Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Terror em Milagres – Adolescentes de 13 e 14 anos entre vítimas

275 1

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou o nome das pessoas que morreram e não possuíam envolvimento com o ataque na região do Cariri, que vistava explodir os dois bancos da cidade de Milagres, na madrugada desta sexta-feira, 7.

Vítimas foram identificadas:

Pai e filho:

João Batista Campos Magalhães, 49 anos, natural de Serra Talhada (PE)

Vinícius de Souza Magalhães, 14 anos, natural de São Paulo (SP)

Mãe, pai e filho:

Claudineide Campos de Souza Santos, 41, natural de São José do Belomonte (PE)

Cícero Tenório dos Santos, 60, natural de Maceió (AL) – filho, mãe e pai;

Gustavo Tenório dos Santos, 13 anos, natural Jabaquara (SP)

Outra dos reféns mortos:

Francisca Edneide da Cruz Santos, 49, natural de Brejo Santo (CE)

Entre os suspeitos de integrar a quadrilha que realizou as tentativas de ataque, dois foram identificados pela Perícia Forense em Juazeiro do Norte:

Mackson Junior Serafim da Silva, 26, natural de Capela (SE)

Lucas Torquato Loiola Reis, 18, natural de Delmiro Gouveia (AL)

(O POVO Online)

10 anos depois – COI comunica oficialmente medalha do atletismo do Brasil em Pequim

Os atletas brasileiros Vicente Lenílson, Sandro Viana, Bruno Barros e José Carlos Gomes Moreira (Codó), que disputaram o revezamento masculino 4x100m rasos dos Jogos Olímpicos Pequim 2008, vão receber medalhas de bronze da prova. A equipe da Jamaica, composta por Usain Bolt, Nesta Carter, Michael Frater e Asafa Powell, que tinha conquistado a primeira colocação naquela competição, foi desqualificada.

A mudança foi comunicada oficialmente hoje (7) pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) ao Comitê Olímpico do Brasil (COB). Na prova disputada no Ninho do Pássaro, a equipe do Brasil terminou em quarto lugar. Trinidad e Tobago, que ficou em 2º lugar, vai herdar o ouro; e o Japão, que foi o 3º, receberá a medalha de prata.

O motivo foi a confirmação de doping de Nesta Carter, que disputou as eliminatórias e as finais da competição pelo país da América Central. A desclassificação da Jamaica já havia sido anunciada desde janeiro do ano passado pelo COI.

Um parecer da Comissão Disciplinar do COI e da Corte Arbitral do Esporte (CAS) favorável à desqualificação da equipe jamaicana e, ainda, a reclassificação da Associação Internacional de Federações de Atletismo foram a base para a alteração no pódio em Pequim 2008.

As medalhas ainda estão de posse do Comitê Olímpico Internacional. A data para a entrega do prêmio e a definição de como será a cerimônia ainda serão definidas pelo COB e os atletas brasileiros.

O presidente do COB, Paulo Wanderley, reconheceu que houve demora na decisão, mas considerou que valeu a pena a espera. “Parabéns aos atletas brasileiros que, justamente, receberão suas medalhas. Não é a situação ideal esperar tanto tempo, mas, no final das contas, o treinamento e esforço que fizeram será recompensado”, disse.

Antes disso, a equipe feminina de 4x100m de 2008, formada pelas atletas Lucimar Moura, Rosangela Santos, Rosemar Coelho Neto e Thaissa Presti, havia recebido a medalha de bronze com a desclassificação, também por dopping, da Rússia, que tinha ficado com o ouro.

De acordo com o COB, com as alterações, o Brasil chega a 17 medalhas conquistadas nos Jogos Olímpicos Pequim 2008, sendo 3 de ouro, 4 de prata e 10 de bronze.

(Agência Brasil)

Ciro Santos comanda show de humor em prol do Abrigo dos Idosos Olavo Bilac

Ciro Santos apresentará show de humor neste domingo, a partir das 18 horas, no Shopping RioMar Kennedy. São vários convidados para uma missão de cunho solidário.

Para garantir a pulseira de acesso ao espetáculo, na Praça Especial de Natal, os clientes deverão doar pacotes de leite em pó ou fraldas geriátricas.

Tudo será revertido para o Abrigo de Idosos Olavo Bilac.

(Foto – J. Melo)

Inep divulga provas em Libras do Enem

Vídeos com os enunciados e as opções de respostas da videoprova em Língua brasileira de sinais (Libras) do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, aplicada este ano, estão disponíveis na internet. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com a atualização, surdos e deficientes auditivos poderão estudar pelas videoprovas de 2018 e de 2017 do Enem no mesmo formato acessível em que são aplicadas.

A prova está disponível no portal do Inep, com uma interface parecida com a utilizada na videoprova do Enem. Sendo assim, os participantes surdos poderão se preparar melhor. A funcionalidade, inaugurada em setembro para a prova de 2017, permite assistir ao vídeo das questões e conferir o gabarito, se o participante desejar. Desde o dia 14 de novembro, os vídeos estão disponíveis também no Youtube.

A videoprova em Libras começou a ser ofertada em 2017 e levou o tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” para a redação. Neste ano, o Inep lançou o selo Enem em Libras para todo o conteúdo disponível em Língua Brasileira de Sinais que reforça a Política de Acessibilidade e Inclusão do Instituto.

“O Enem em Libras marca o esforço do Instituto para garantir que seus editais, provas, cartilhas, campanhas e demais materiais, de todos os seus exames e avaliações, sejam acessíveis. Dessa forma, o Inep reafirma o seu compromisso com a comunidade surda e com um futuro melhor por meio da educação”, diz a autarquia.

O Enem foi aplicado este ano nos dias 4 e 11 de novembro. A prova é usada para seleção de vagas no ensino superior pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas no ensino superior privado pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e a vagas no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

(Agência Brasil)

Uece ganha edital da Funcap/Cegás na área de pesquisa com gás natural renovável

A Universidade Estadual do Ceará foi a vencedora do edital da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), em conjunto com a Companhia de Gás Natural do Ceará (Cegás), para pesquisa sobre a eficiência de combustão de várias misturas entre gás natural renovável e gás natural fóssil, bem como seus impactos no meio ambiente. O estudo começa em dezembro deste ano, terá duração de 18 meses e será desenvolvido pelo grupo multidisciplinar de pesquisadores, composto por 15 membros de diferentes instituições (Uece, Unifor, Nutec, RNC e GNR – Fortaleza).

À frente da pesquisa está a professora-doutora Mona Lisa Moura de Oliveira, coordenadora geral do projeto, e os professores doutores Lutero Carmo de Lima, Francisco Sales Ávila Cavalcante e Carlucio Roberto Alves, todos docentes do Centro de Ciências e Tecnologia da Uece.

No desenvolvimento da pesquisa, será montado um sistema de mistura de gases combustíveis, na câmara de combustão, para testar e investigar a qualidade e eficiência do processo térmico, de acordo com os percentuais inseridos em cada mistura. O estudo tem caráter inovador, uma vez que não se sabe o comportamento de cada proporção das misturas, além de poder gerar economia no cenário energético, considerando a sustentabilidade, reduzindo os impactos e aumentando a eficiência energética do processo, o que consequentemente reduz o consumo, até mesmo monetário, já que reduz os custos inclusive para o consumidor final.

628 mil declarações caíram na malha fina do “Leão”

A Receita Federal informou hoje (7) que 628 mil declarações de Imposto sobre a Renda da Pessoa Física estão retidas na malha fina devido a inconsistências nas informações prestadas. O número corresponde a 2% do total – de mais de 31,4 milhões – de declarações apresentadas neste ano. Do total de declarações retidas, 70,35% apresentam imposto a restituir, 25,88% tem imposto a pagar e 3,77% não apresenta imposto a restituir ou a pagar.

As principais razões pelas quais as declarações foram retidas são: omissão de rendimentos do titular ou seus dependentes (379.547); divergências entre o IRRF informado na declaração e o informado em Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (DIRF), feita pelas empresas, com 183.274 casos; informações erradas sobre despesas médicas (163.594 declarações); dedução de previdência oficial ou privada, dependentes, pensão alimentícia e outras (128.536). A Receita informa ainda que uma declaração pode ficar retida por uma ou mais razões.

Para saber se a declaração está na malha fina, os contribuintes podem acessar o Extrato de Processamento da DIRPF na página da Receita Federal na internet. Para acessar o extrato da declaração, é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal ou o certificado digital emitido por autoridade habilitada.

Ao acessar o extrato, é importante prestar atenção na seção Pendências de malha. É nessa seção que o contribuinte pode identificar se a declaração está retida em malha fiscal, ou se há alguma outra pendência que possa ser regularizada por ele mesmo, informa a Receita.

Se a declaração estiver retida em malha fiscal, nessa seção, o contribuinte encontrará links para verificar com detalhes o motivo da retenção e consultar orientações de procedimentos. Constatando erro na declaração apresentada, o contribuinte pode regularizar a situação apresentando declaração retificadora.

Inexistindo erro na declaração apresentada e estando de posse de todos os documentos comprobatórios, o contribuinte pode optar por aguardar intimação ou agendar pela internet uma data e local para apresentar os documentos e antecipar a análise de sua declaração pela Receita Federal. O agendamento para declarações do exercício 2018 começa a partir de janeiro de 2019.

(Agência Brasil)

Estácio recebe presidente da Unimed Fortaleza para palestra sobre liderança

Henrique Javi, Ana Flávia Chaves e Elias Leite.

O Centro Universitário Estácio do Ceará recebeu, nesta semana, em sua Unidade Moreira Campos, o presidente da Unimed Fortaleza, Elias Leite, que ali ministrou uma palestra sobre liderança. A fala fez parte do projeto “Retrofit do Papel da Liderança 2018”, em clima de encerramento neste exercício.

A palestra foi dirigida a gestores de diferentes empresas e setores que tiveram a oportunidade de bater um papo com o presidente da Unimed Fortaleza que focou sua fala sobre a questão do “Líder de Resultado”, tema de seu livro lançado pela Editora Gente e que ficou em primeiro lugar na lista da Veja e Publishnews.

O secretário estadual da Saúde, o físico Henrique Javi também prestigiou a palestra, coordenada pela reitora da Instituição, professora Ana Flávia Chaves.

(Foto – Divulgação)

Ministro define confronto em Milagres como “tragédia”; Camilo não vê ação desastrosa

392 4

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, classificou o confronto registrado na cidade de Milagres (Região do Cariri), nesta sexta-feira, como “uma tragédia”. A fala dele veio durante a inauguração do Centro Integrado de Inteligência e Segurança Pública do Nordeste, no Palácio Iracema.

“De fato tragédias como essas acontecem e, a medida que a gente possa antecipar e evitar, sem sombra de dúvidas, a sociedade agradece e a gente poupa vidas, que é o bem mais importante que a gente tem que proteger”, disse Jungman, tendo ao lado o governador Camilo Santana (PT).

Jungmann destacou a importância da criação do Centro de Inteligência e relembrou a diminuição dos índices de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que caiu por oito meses consecutivos.

Nada desastrosa

O governador Camilo Santana (PT) comentou o ataque a bancos em Milagres durante a inauguração do Centro Integrado de Inteligência. “É a informação que você tem”, disse, ao ser questionado pela reportagem sobre o caso. “É estranho um refém de madrugada no banco”, disse.

Camilo observou que a ação da Polícia não pode ser considerada desastrosa, pois a intenção da quadrilha era assaltar o banco de Milagres e que a ação criminosa não foi concluída.

“Houve uma antecipação nisso. O fato é que estavam preparados para assaltar dois bancos e não assaltaram nenhum. Houve um confronto policial e vamos saber o que ocorreu posteriormente”, comentou.

(Com Thiago Paiva, do POVO Online/Foto – Agência Brasil)

Ministério do Trabalho lança painel com dados do Seguro-Desemprego na internet

O Ministério do Trabalho lançou, nesta sexta-feira, o Painel de Informações do Programa Seguro-Desemprego, uma plataforma na internet que permite o acesso a dados e indicadores de acompanhamento do benefício. A disponibilização dos dados visa a dar mais transparência sobre a prestação dos serviços públicos. A informação é da assessoria de comunicação da pasta.

O painel está aberto para qualquer cidadão, sem necessidade de cadastro ou senha. O sistema possibilita a consulta a diversos indicadores e a informações relacionadas às políticas públicas de emprego.

“O painel representa um avanço sem precedentes para a sociedade. Teremos toda a base de dados ao alcance de todos, com informações fundamentais para se ter a real dimensão da importância do Seguro-Desemprego na vida do trabalhador brasileiro. É mais transparência, mais qualidade de gestão e garantia de políticas públicas para o desenvolvimento do Brasil”, afirma o ministro do Trabalho, Caio Vieira de Mello.

Nesta primeira versão, estão agregados dados atualizados sobre número de beneficiários, quantidade de requerimentos, valores concedidos, tempo médio de atendimento, número de postos, tempo de emprego e classificação por setor de atividade, entre outros.

A consulta pode ser feita por região, estado, município e até por posto de atendimento. Também será possível cruzar dados sobre valores emitidos e efetivamente pagos.

Mão de obra

Outra consulta possível é sobre a política de intermediação de mão de obra. A plataforma informa sobre encaminhamentos e colocações no mercado realizados por meio dos postos de atendimento do Sistema Nacional de Emprego (Sine), bem como a quantidade de segurados colocados, vagas oferecidas e preenchidas, número de colocados por agente do Ministério do Trabalho e outros dados.

As informações estão disponíveis em gráficos e comparativos, números destacados e indicadores sobre aumento e queda nas estatísticas. O modelo também oferece um guia para que o internauta possa conseguir todas as informações de que precisa.

SERVIÇO

*O acesso ao Painel de Informações do Programa Seguro-Desemprego pode ser feito aqui.

 

Sergio Moro anuncia nomes para a PRF e Secretaria de Defesa do Consumidor

O futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, anunciou hoje (7), em Brasília, mais dois nomes para compor sua equipe a partir de 1º de janeiro do ano que vem. O atual superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Paraná, Adriano Marcos Furtado, será o novo diretor da PRF.

Segundo Moro, o policial de carreira tem uma gestão muito elogiada à frente da PRF no Paraná e nas parcerias com a Polícia Federal. “É uma pessoa absolutamente habilitada, técnica, em condições de fazer continuar a integração das atividades da segurança pública”, disse o futuro ministro.

Para a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor, Moro indicou o advogado do Rio Grande do Sul Luciano Beneti Timm.

“É uma pessoa que tem qualidade acadêmica indubitável nessa área, mestrado nessa área, vários cursos no exterior na área jurídica, aprofundamento em Direito e Economia, um advogado bem-sucedido”, disse, sobre o currículo do novo secretário.

Para o futuro ministro, embora os Procons tenham uma atuação muito importante na defesa do consumidor, Timm terá o desafio de atuar preventivamente.

“Diminuindo os conflitos individuais, isso representa um ganho não só para consumidores e fornecedores, mas igualmente os custos de resoluções desses conflitos diminuem”, disse.

Na próxima semana, Sergio Moro deve anunciar os nomes dos últimos secretário e diretores de departamento do novo ministério, incluindo o secretário Nacional de Justiça.

(Agência Brasil)

A injustiça dos justiceiros sociais na universidade

Com o título “A injustiça dos justiceiros sociais na universidade”, eis artigo de Antonio Jorge Pereira, doutor e mestre em Direito – USP, professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito da Unifor. Ele aborda a “ação de justiceiros sociais locais frente ao posicionamento da professora Catarina Rochamonte, da Filosofia-Uece, que publicou textos críticos às ideologias de esquerda.” Confira: 

Prezado leitor, já ouviu falar dos “guerreiros da justiça social” ou “justiceiros sociais”? A expressão vem de “Social Justice Warrior”, “SJW”. Na web encontrará muita informação. Vale deter-se nos embates com Jordan Peterson, alvo deles no Canadá.

Os “SJW” são extremistas que se sentem autorizados a atacar, moral ou fisicamente, oponentes de causas que defendem, mormente vinculadas aos direitos humanos, feminismo, racismo, diversidade sexual etc. Lançam mão de práticas de violência como tática, com intenção de constranger e chamar a atenção. Pense no grupo feminista radical Femen com mulheres seminuas entrando nas igrejas e gritando durante a missa para defender o aborto, e captará o fenômeno.

Aproveitam-se da cultura de respeito, onde atuam, para desrespeitar os “adversários”. Ofendem-nos, quando deveriam enfrentá-los no campo das ideias e da política. Preferem intimidar e impedir a livre ação e expressão por meio de táticas sabotadoras das liberdades civis. Prejudicam inclusive reivindicações legítimas dos movimentos sociais, ao gerar aversão da opinião pública contra o conjunto deles, em razão de seus métodos.

Na internet, perseguem o opoente com argumentos que vilipendiam sua pessoa. Buscam o efeito de linchamento moral. Sentem-se engrandecidos ao agredir e escandalizar, como catarse que lhes consolida na condição de “justiceiros”. Querem “sentir-se guerreiros salvadores” e, por isso, forjam o embate e praticam bullying. Como precisam do conflito para justificar sua existência, alimentam-no. Muitas vezes são manipulados e estimulados por ideólogos poderosos e intelectuais revolucionários, dentre os quais professores universitários.

Estão nas antípodas da proposta de Habermas para viver a tolerância pela coordenação de pretensões concorrentes mediante práticas discursivas intersubjetivas.

Revelam-se imaturos e antidemocráticos, incapazes de viver o pluralismo e de conviver com as diferenças. Como crianças mimadas, querem destruir o que lhes contraria. São tiranos enrustidos e ditadores em potencial. Intolerantes sob o escudo dos direitos humanos.

Para eles, os fins justificam os meios.

Há suspeitas de que algo similar a tal práxis esteja a acontecer na Universidade Estadual do Ceará (Uece).

Há poucos dias, o Ministério Público Federal recebeu denúncia de pessoas que seriam vítimas de agressão e intolerância política e religiosa na Uece, no Departamento de Filosofia. Oficiaram o coordenador do Centro de Humanidades para se manifestar acerca da acusação, procedimento prévio à instauração de ação judicial.

O estopim seria a ação de justiceiros sociais locais frente ao posicionamento da professora Catarina Rochamonte, da Filosofia-Uece, que publicou textos críticos às ideologias de esquerda. Ela e alguns estudantes estariam sofrendo ataques. Registros das ofensas podem ser vistos no Facebook dela.

Oxalá o desfecho dessa história reforce a legítima liberdade de expressão no meio acadêmico, que não se coaduna com ameaças e intimidação, e inspire estratégias educadoras para a autêntica tolerância. Cabe ao reitor e vice-reitor da Uece cumprirem o compromisso feito a 15 de outubro, em nota assinada por ambos, de não “calar frente aos avanços das mais diversas formas de manifestação que afrontam a democracia, inclusive a assustadora disseminação do ódio contra pessoas em razão das suas diferenças sociais, de gênero, étnico-raciais e ideológicas”.

*Antonio Jorge Pereira

Júniorantoniojorge2000@gmail.com

Doutor e mestre em Direito – USP, professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito da Unifor

Fundação Terra fará Ceia de Natal para 600 pessoas da comunidade do Alto Alegre

A Fundação Terra, presidida pelo Padre Airton Freire, promoverá no próximo dia 15, a partir das 17 horas, em sua sede, no bairro Alto Alegre, em Maracanaú (Região Metropolitana de Fortaleza), uma Ceia de Natal para 600 pessoas da comunidade.

A entidade, inclusive pede colaborações para a realização desse momento. É só acessar o site www.fundacaoterra.org.br.

Mais Médicos – Programa vai abrir inscrições para formados no Exterior

O Ministério da Saúde decidiu abrir as inscrições do Programa Mais Médicos aos profissionais brasileiros e estrangeiros formados no exterior (sem registro no Brasil). Os candidatos terão entre os dias 11 e 14 de dezembro para enviar documentação ao ministério e estarem aptos para validação da inscrição.

Hoje (7), às 23h59min, termina a inscrição de médicos com registro no Brasil.

De acordo com o ministério, são necessários 17 documentos para validar a inscrição, entre eles, o reconhecimento da instituição de ensino pela representação do país onde os profissionais obtiveram a formação.

Até ontem (6), o Mais Médicos havia registrado 35.716 inscrições, preenchendo 98,6% das 8.517 vagas disponibilizadas, ou seja, 8.402 profissionais alocados.. Desse total, 3.949 médicos já se apresentaram aos municípios selecionados. Os profissionais têm até o dia 14 deste mês para apresentação nos municípios.

(Agência Brasil)

Produção industrial recua em nove dos 15 locais pesquisados pelo IBGE

A produção industrial recuou em nove dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de setembro para outubro deste ano, apesar da alta de 0,2% na média nacional. A maior queda foi observada em Pernambuco, de 10,1%.

Também houve quedas na produção nos estados de Mato Grosso (-2,7%), Ceará (-2,6%), Pará (-2,5%), Paraná (-2,5%), Rio Grande do Sul (-2,1%), Goiás (-1%) e Rio de Janeiro (-0,8%). A Região Nordeste, que reúne as produções de seus nove estados, também recuou 1,9%.

A produção da indústria de São Paulo manteve-se estável no período. Cinco estados sustentaram a alta nacional de 0,2%: Amazonas (12,4%), Santa Catarina (4,4%), Espírito Santo (1,9%), Bahia e Minas Gerais (com 1,1% cada um).

Comparações

Na comparação com outubro do ano passado, 11 dos 15 locais pesquisados tiveram alta, com destaque para o Rio Grande do Sul (14,8%) e o Pará (12,9%). Quatro locais tiveram queda, sendo a maior delas registrada em Goiás (-6,5%).

No acumulado do ano, 12 locais tiveram alta e três, queda. O maior crescimento foi registrado no Pará (10,1%). A maior queda, em Goiás (-3,5%). No acumulado de 12 meses, também foram 12 locais com alta e três com queda. O destaque positivo foi o Pará (9,9%). O destaque negativo ficou com Espírito Santo (-1,8%).

(Agência Brasil)

Jair Bolsonaro vai ganhar título de Cidadão Cearense

1636 16

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) nem assumiu o cargo, mas, pelo menos no Ceará, já está na ponta da agulha uma homenagem para ele: o título de cidadão cearense. A iniciativa é do deputado estadual Ely Aguiar (DC), que não conseguiu a reeleição. A matéria já está em tramitação na Asembleia Legislativa.

Entre as justificativa para a homenagem, Ely Aguiar lembra: Bolsonaro tem sua mulher, a futura primeira-dama Michelle Bolsonaro, com raízes no Estado. O pai dela é o cearense Vicente de Paulo Reinaldo, a quem o capitão da reserva chama de “Paulo Negão”.

Ely Aguiar conseguiu o apoio de 33 colegas da Casa para garantir a tramitação do projeto. Só a bancada do Partido dos Trabalhadores não endossou a proposição.

Confira quem assinou o projeto

Aderlânia Noronha (SD), Antônio Granja (PDT), Bethrose (PP), Bruno Gonçalves (Patri), Bruno Pedrosa (PP), Capitão Wagner (PROS), Carlos Matos (PSDB), Danniel Oliveira (MDB), David Durand (PRB), Silvana Oliveira (PR), Evandro Leitão (PDT), Fernanda Pessoa (PSDB), Ferreira Aragão (PDT), Gony Arruda (PP) Heitor Férrer (SD), Jeová Mota (PDT), João Jaime (DEM), Joaquim Noronha (PRP), Julinho (PDT), Leonardo Araújo (MDB), Leonardo Pinheiro (PP), Lucilvio Girão (PP), Manoel Duca (PDT), Mário Hélio (Patri), Mirian Sobreira (PDT), Odilon Aguiar (PSD), Robério Monteiro (PDT), Roberto Mesquita (PROS), Sérgio Aguiar (PDT), Tin Gomes (PDT), Tomaz Holanda (PPS), Walter Cavalcante (MDB) e Zezinho Albuquerque (PDT).

Família pernambucana é morta após ter sido feita de refém em ataque a bancos em Milagres

João Batista Magalhães e o filho Vinícius.

Uma família pernambucana foi feita refém e morta durante troca de tiros nos ataques a bancos em Milagres, no Cariri. Eles voltavam para Serra Talhada, interior de Pernambuco, após buscarem parentes no Aeroporto de Juazeiro do Norte, quando foram abordados pelos criminosos na BR-116.

As vítimas são o empresário do ramo de informática João Batista Magalhães, o filho dele, Vinícius Magalhães, de apenas 14 anos, além de uma cunhada e um sobrinho do empreendedor.

As investigações sobre o caso estão andamento. Diligências para prender os criminosos seguem em andamento.

Os assaltantes roubaram um caminhão de uma transportadora e bloquearam a BR-116 no quilômetro 495 entre os muncípios de Milagres e Brejo Santo para atrasar a chegada da Polícia na ocorrência.

(O POVO Online – Via Rede Nordeste)

O que é ser exclusivo?

Com o título “O que é ser exclusivo?”, eis artigo de Demétrio Andrade, jornalista e sociólogo. Ele aborda o tema da exclusividade em moda hoje no mercado. “Quanto mais você tem, maiores são as possibilidades de você fechar-se em seu mundo único: seu próprio carro, avião, gerente de banco, paletó, ilha ou chuteira de futebol”, diz o articulista, lamentando o escantear do coletivo. Confira:

Já há algum tempo, tenho observado que boa parte das mensagens publicitárias tem enfatizado a questão da exclusividade. O movimento de trazer o cliente para perto, tentando convencê-lo que ele não é “mais um” no amplo leque da comunicação massificada, não é uma novidade. O aprimoramento na definição do público-alvo e sua procura mais acertada a partir dos canais disponíveis na mídia contribuíram pra isso. Vende-se hoje a ideia de que é possível customizar o produto e dar um tratamento “diferenciado” a cada consumidor.

Seria ótimo, caso fosse verdade. O que se tem de fato é um bolo recortado em fatias mais finas do que antes, mas bem longe ainda de produtos ou serviços ideais para uma só pessoa. Mas esta não é a motivação deste artigo. O que me incomoda, hoje, é que esta “ideologia da exclusividade” espalhou-se de tal forma que muitas pessoas não só passaram a acreditar nela como viraram porta-vozes de uma individualidade exacerbada nos mais diversos setores da vida social.

Numa sociedade de mercado, a pretensa “exclusividade” dá-se de apenas uma única forma: através do dinheiro. Quanto mais você tem, maiores são as possibilidades de você fechar-se em seu mundo único: seu próprio carro, avião, gerente de banco, paletó, ilha ou chuteira de futebol. Ocorre, no entanto, que ainda existem – ainda bem – milhares de relações sociais de cunho coletivo, que exigem dos seres humanos uma necessária reflexão sobre como conviver de forma harmoniosa.

Neste contexto, a política, que trata basicamente de como negociar interesses coletivos conflitantes, vem sendo tratada como uma coisa menor. Vem sendo vilipendiada, dilapidada e mal compreendida. Lembro de um adesivo pregado num carro à época do afastamento da presidenta Dilma: “Este impeachment é meu”, que ilustra bem o que quero dizer. Questões fundamentais são tratadas da boca pra fora, de forma superficial, muitas vezes exigindo dos governos a resolução imediata de problemas seculares, como se estivéssemos entrando numa loja, reclamando de um produto que precisa ser trocado.

Pra que ficar refém de uma saúde pública que não funciona se posso fazer um plano de saúde? Segurança pública está ruim? Vou contratar uma empresa privada! Educação pública eu não confio, aí boto meus filhos em colégios caros. Estas “saídas” só existem para uma pequena parcela da população, que podem arcar com tais despesas. Ao invés de tentar mudar o estado coletivamente, se dá preferência ao serviço pago.

O reflexo disso é a perda progressiva da nossa capacidade de pensar a sociedade como um ser coletivo. Pensar que a maioria da população não possui alternativas simplesmente porque não tem recursos. E que problemas como educação, saúde, habitação, segurança e emprego – só para citar alguns – não se resolvem da noite pro dia, pois se arrastam há séculos e se espalham em diversas situações diferentes, num país de dimensões continentais com mais de 200 milhões de habitantes. É típico do pensamento imediatista exclusivista de pé de balcão, por exemplo, que só se resolve o prolema da violência armando o povo, com a polícia tendo licença para matar e com a pena de morte funcionando. Vã ilusão.

Volto ao começo do artigo. Qual o antônimo de exclusivo? É justamente a palavra que expressa o sentimento que mais falta a todos nós neste momento: inclusivo. Ser exclusivo, dito bem claramente, é valorizar ou ter como meta a exclusão. É pensar em mim primeiro e deixar o outro à própria sorte – e ainda esbravejando, em alto e bom som, que a maioria, se quiser “entrar no meu clube”, terá de fazê-lo “por mérito”, seguindo a risca as normas ditadas pelo capital. Difícil dizer isso para um trabalhador que mora na favela e pode ser a próxima vítima de uma batida policial.

As últimas eleições, no meu modesto ponto de vista, levaram esta ideologia cega ao poder. Neste Brasil de desigualdade, ser contra a inclusão democrática – mesmo sem querer – é um risco que não é possível mensurar. Um legítimo convite à barbárie.

*Demétrio Andrade

Jornalista e sociólogo

Lewandowski fala na Câmara Municipal sem ecos de protesto

237 1

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, fala, neste momento, no auditório da Câmara Municipal de Fortaleza. Ele não deu entrevistas ainda e expõe o tema “Direitos Fundamentais após a Constituição de 1988”, dentro do seminário do Programa de Capacitação e Formação Continuada dos servidores de Casa legislativa.

Entre os convidados para o evento, o vice-presidente do TRF-5ª Região, desembargador federal Cid Marconi, o prefeito Roberto Cláudio  (PDT) e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Edilberto Pontes.

Lewandowski não chegou a conferir o ato organizado por cerca de 30 jovens do Movimento Endireita Fortaleza. O grupo cobrava liberdade de expressão, depois do episódio que envolveu o ministro e um advogado, dentro de voo no eixo São Paulo-Brasília.

O advogado Cristiano Caiado disse que sentia vergonha do STF, em razão do reajuste salarial de 16,38% para a Corte, no que ouviu de Lewandowski o alerta de que poderia ser preso.

Em Fortaleza, o ministro Ricardo Lwandowski não cumprirá outra agenda, de acordo com seus assessores.

(Fotos – Cláudio Barata)