Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Lula revela receio de estar careca no Carnaval

118 2

“Passado o choque do diagnóstico, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva viveu neste domingo um dia de ansiedade, à espera da internação e do início do tratamento contra o câncer de laringe que começa nesta segunda-feira pela manhã. Evitou os amigos, mesmo os mais íntimos, e cercou-se da mulher, Marisa Letícia, dos filhos e dos netos.

Não perdeu o bom-humor e as tiradas que marcam sua trajetória. No sábado, ao ter a confirmação de que o tratamento contra o câncer pode fazê-lo perder o cabelo e a barba, reclamou, lembrando que terá em fevereiro, no carnaval, um compromisso inadiável: o desfile da escola de samba Gaviões da Fiel, do Corinthians, seu time do coração.”

(Globo)

Colégio não é responsável pelo pré-teste, diz advogado

183 2
“O Colégio Christus não teve responsabilidade pela aplicação do pré-teste do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). É o que afirma o advogado Cândido Albuquerque, assessor jurídico da escola onde alunos tiveram acesso a 14 questões iguais às do Enem dias antes das provas. “Responsabilidade por aplicar e manter o sigilo da prova era de empresa contratada pelo MEC (Ministério da Educação)”, pontua.

O advogado, porém, não soube dizer como as questões chegaram ao banco de questões do Christus, de onde, segundo o colégio, saíram os itens usados no material distribuído entre os alunos. “Como vazou? É preciso saber quem era o responsável pelo sigilo. A direção não tomou conhecimento. O colégio só cedeu os alunos. Gostaria de saber se a empresa responsável vai dar informação sobre qual equipe que veio aplicar. Não foi paga empresa pra isso?”, questiona.

Cândido Albuquerque diz que qualquer medida judicial só será tomada pela escola após decisão de ação movida pela Procuradoria da República no Ceará na Justiça Federal. Na manhã de hoje, a presidente do Inep, Malvina Tuttman, entrega a defesa do instituto ao juiz da 1ª Vara Federal, onde tramita ação que pede anulação das provas dos candidatos de todo o Brasil ou das 14 questões com problemas.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, o ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que reaplicar provas de todos os candidatos é uma “tese estapafúrdia”.

Pré-teste

De acordo com o MEC, a Fundação Cesgranrio foi a responsável pelo pré-teste do Enem, realizado em outubro do ano passado. Os fiscais de prova foram contratados pela fundação. A assessoria de comunicação do MEC, porém, reforçou ontem ao O POVO que o colégio não era responsável por aplicação de pré-teste, mas teve responsabilidade sobre o vazamento das questões.

Caso a investigação da Polícia Federal mostre envolvimento da escola, informa o MEC, ela será responsabilizada criminalmente e terá de pagar as despesas para reaplicação do Enem, nos dias 28 e 29 de novembro. Se for descoberto ainda que questões circularam também entre alunos de extensivo, todos os candidatos do Christus terão de refazer exame, garante a assessoria do ministério.”

(O POVO)

Dilma suspende por 30 dias convênios com ONGs

“Repasses de dinheiro público da União a entidades privadas sem fins lucrativos, como ONGs, estão suspensos a partir de hoje, até que seja atestada a regularidade da parceria, por meio de parecer técnico “devidamente fundamentado”. Só neste ano, mais de R$ 2 bilhões foram repassados a esse tipo de entidade – sem licitação, na grande maioria.

A devassa nos convênios foi determinada por decreto da presidente Dilma Rousseff publicado na edição de hoje do Diário Oficial. O decreto tenta conter desvios de verbas nesse tipo de contrato, como os que levaram à demissão do ministro do Esporte, Orlando Silva, na semana passada. A medida não atinge, porém, convênios que já tiveram o dinheiro liberado e encontram-se com as prestação de contas atrasadas ou não analisadas. Para substituir Orlando, foi escolhido o deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB -SP), que assume o cargo hoje.

Na edição do último domingo, O POVO mostrou que a falta de transparência por parte parte do governo, aliado a um processo muito simplificado de contratações, acaba facilitando o mau uso de recursos destinados a ONGs e outros tipo de associações.

Desde 2005, as entidades privadas sem fins lucrativos receberam um total de R$ 19, 2 bilhões da União para executar atividades que cabem ao Estado, de acordo com dados registrados pelo Tesouro Nacional e pesquisados pela ONG Contas Abertas. Desse pacote, fazem parte programas de atendimento de saúde à população indígena às polêmicas emendas parlamentares que destinam parcela do dinheiro público a obras de interesse dos políticos, como quadras esportivas ou obras de infraestrutura turística.

Relatório recente do Tribunal de Contas da União (TCU) mostra que, só no Ministério do Trabalho, há 500 convênios feitos com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) com as prestações de contas pendentes de análise.

No ano passado, em todo o governo, 2.780 entidades deixaram de apresentar a prestação de contas do dinheiro recebido da União. Outros 42.963 convênios ainda não tinham as prestações analisadas. O atraso nessa análise atingia, em média, seis anos e dez meses, segundo o TCU.

A ordem da presidente é que contratos com as entidades sejam revistos no prazo de até 30 dias. O dinheiro só voltará a ser liberado depois de um parecer técnico que ateste a regularidade da parceria com as ONGs e demais entidades sem fins lucrativos. Além do parecer técnico, a validação do contrato terá de contar com o aval do ministro de Estado da pasta que contratou a organização não-governamental.

Medidas duras

Se a regularidade não for comprovada em até 90 dias, o dinheiro já liberado terá de ser devolvido aos cofres públicos, por meio de um processo chamado tomada de contas especial. Além de ter de devolver os recursos, a entidade ficará impedida de celebrar novos convênios.

Exceções abertas pelo decreto beneficiam entidades que mantêm convênios regulares com a União por pelo menos cinco anos, com as prestações de contas devidamente analisadas e aprovadas. Também ficam liberados os repasses para programas de proteção a pessoas ameaçadas e do Sistema Único de Saúde (SUS). As exceções terão de ser justificadas por parecer técnico prévio.

Outro decreto, baixado em 16 de setembro, havia transferido aos ministros de Estado a responsabilidade de contratar entidades privadas sem fins lucrativos. (das agências)”

Diretor-geral do DNIT está em Fortaleza

144 1
O diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), general Jorge Pinto Fraxe, está em Fortaleza. Desembarcou nocomeço da tarde deste domingo. Ele resolveu antecipar sua vinda que estava prevista para quinta-feira.
Nesta manhã de segunda-feira, o general Fraxe comandará reuniões na sede do Dnit, em Fortaleza. Em seguida, ao meio-dia, ele terá encontro com o governador Cid Gomes (PSB), no Palácio da Abolição, quando será tratado do projeto de ampliação do Anel Viário até a ponte da Sabiaguaba. Essa proposta é do deputado federal Danilo Forte (PMDB), que copnsidera importante tal intervenção para desafogar o tráfego da Capital.
Às 15 horas, o diretor-geral do Dnit irá à Secretaria da Infraestrutura do Estado, onde tratará de apoio a obra de recuperação de rodovias e possibilidade de o Estado assumir alguns dos trechos.

Tribunais de Contas são comandados por suspeitos em ações

“Reduto de ex-políticos semiaposentados, Tribunais de Contas dos Estados são presididos por suspeitos envolvidos em operações da Polícia Federal e réus em processos que tramitam na Justiça. Três presidentes desses órgãos de fiscalização tiveram que deixar seus cargos nos últimos meses por suspeitas de irregularidades. Em ao menos sete Estados, o atual comando do órgão também é alvo de questionamentos.

A Procuradoria-Geral da República assinou há duas semanas o pedido de afastamento do presidente do TCE do Rio de Janeiro, Jonas Lopes de Carvalho, ao denunciá-lo por suspeita de envolvimento em irregularidades apuradas na Operação Pasárgada, da Polícia Federal. Dezesseis prefeitos foram presos na ação, de 2008, que apurava facilitação de benefícios a municípios.

A cúpula do TCE de Minas também foi alvo de suspeitas na mesma operação. Uma autorização do Superior Tribunal de Justiça permitiu à polícia ouvir o presidente Antônio Carlos de Andrada e outros membros. A investigação ainda não está concluída. A mesma corte mandou afastar há um mês o então presidente do TCE de Roraima, Marcus Hollanda, que virou réu em uma ação penal ligada à Operação Gafanhoto, da PF. Quem assumiu o cargo dele foi Essen Pinheiro, que também é réu em outro processo no STJ.

No Acre, o chefe do TCE responde a processo por peculato. No Amapá, a PF fez ação de busca e apreensão na casa do presidente em maio. Os presidentes no Ceará e no Espírito Santo acabaram deixando seus cargos. Criados para fiscalizar e julgar ações dos governantes nos Estados, os TCEs se tornaram atrativos para nomeações políticas. A maior parte dos integrantes é escolhida pelo Legislativo, o que garante presença de ex-deputados.

O cargo tem status vitalício e salário de desembargador. O cientista político Bruno Speck, que fez estudo sobre os TCEs na Unicamp, diz que “alguém indicado pelo governador vai ter dificuldade de julgar de forma isenta as contas do governo.”

Outro lado

A direção dos TCEs alvos de processos na Justiça negaram irregularidades.

Em Minas, a defesa do chefe do órgão disse que não há vínculo da instituição com suspeitas levantadas contra dirigentes do TCE-RJ. A defesa do presidente do tribunal do Rio afirmou que não há provas contra ele. No Amapá, o advogado Paulo Martins disse que o presidente Regildo Salomão nunca foi considerado suspeito. Em Mato Grosso, a defesa do presidente do TCE conseguiu inocentá-lo em primeira instância, mas há recurso. Os demais não responderam ou não foram localizados.

(Folha.com)
DETALHE – No Cear[a, o TCE teve seu presidente, Teodorico Menezes, afastado por problemas ligado ao “Escândalo dos banheiros”.

Cassado por ela, Cássio Cunha Lima agora defende Lei da Ficha Limpa

240 1

“Após mais de um ano de batalhas judiciais para assumir cadeira no Senado, o ex-governador da Paraíba Cássio Cunha Lima (PSDB) obteve determinação favorável do Supremo Tribunal Federal e será empossado senador no próximo dia 7 de novembro.

Cunha Lima foi barrado pela Lei da Ficha Limpa devido à condenação – que cassou seu mandato como governador — por abuso de poder econômico nas eleições de 2006.

Em entrevista ao Poder Online, o ex-governador defendeu a Lei da Ficha Limpa que, segundo ele, é “um avanço na legislação brasileira”, mas que teria uma “série de inconstitucionalidades”.

– O espírito da lei é bom, o problema é que foi feita de forma açodada. O Congresso quis dar uma resposta rápida à pressão da opinião pública, mas a pressa é inimiga da perfeição — disse.

Amigo do ex-presidente Lula, Cunha Lima defendeu ainda uma “oposição de resultados”, que dialoga com o governo em troca de aprovar matérias de seu interesse. E afirmou que fará um mandato voltado para a transparência e dará enfoque ao tema da sustentabilidade.

Poder Online – O senhor é amigo do ex-presidente Lula. No Senado, atuará como governo ou oposição?

Cássio Cunha Lima – Sou oposição. Mas defendo uma oposição de resultados, que tenha diálogo com o governo para que nossas propostas e bandeiras não fiquem apenas no campo das ideias, mas se tornem reais. Por exemplo, na votação do salário mínimo, já que não tínhamos número para aprovar uma proposta diferente, deveríamos ter negociado com o governo. Em contrapartida, votaríamos matérias que são prioridade e bandeiras da oposição. Não adianta querer fazer oposição igual o PT fazia. O PT era franco-atirador, foi crescendo, mas não tinha responsabilidades de governos de estado. Esse não é nosso caso. Nem o nosso perfil.

Poder Online – E sua relação com o ex-presidente Lula?

Cássio Cunha Lima – É preciso separar fraternidade de questões políticas. Tenho apreço por Lula. Mas, amigos, amigos, política à parte.

Poder Online – O senhor é a favor da Lei da Ficha Limpa?

Cássio Cunha Lima – Sim, a Lei da Ficha Limpa é um avanço na legislação brasileira. O espírito da lei é bom, o problema é que foi feita de forma açodada. O Congresso quis dar uma resposta rápida à pressão da opinião pública, mas a pressa é inimiga da perfeição. A lei tem uma série de inconstitucionalidades. A retroatividade, por exemplo, é algo que a Justiça tem de avaliar. E o Congresso precisa assumir suas responsabilidades, porque tem deixado espaços abertos na legislação para o Supremo decidir porque não tem coragem de enfrentar certos temas.

Poder Online – Qual sua avaliação sobre o mandato de Wilson Santiago, que assumiu em seu lugar no Senado?

Cássio Cunha Lima – Não enxergo nada de concreto ou de positivo que ele tenha feito no período em que assumiu o meu mandato.

Poder Online – Agora que vai tomar posse, qual será sua primeira ação na Casa?

Cássio Cunha Lima – Eu quero ter a prudência de verificar primeiro o que está tramitando. Mas sei que o Orçamento da União vai monopolizar esse debate agora no final do ano. Então, vou ouvir nessa semana o governador da Paraíba, para fixarmos as prioridades do estado. Sintonizando ao que a sociedade deseja, pretendo também investir na transparência.

Poder Online – Na transparência como?

Cássio Cunha Lima – Não só em relação aos projetos e propostas, mas também quanto ao cotidiano do gabinete. Vou divulgar todas as despesas de gabinete e referentes ao meu mandato por meio do twitter, do facebook. Quero que essas informações circulem nas redes sociais, com as quais pretendo intensificar as relações. No twitter, hoje, tenho 50 mil seguidores.

Poder Online – E quais serão as prioridades de seu mandato?

Cássio Cunha Lima – Uma ação mais duradoura vai ser voltada para a sustentabilidade. Sou amigo do Marcos Palmeira, então quero estudar a produção de alimentos orgânicos e a sustentabilidade para incorporar esse pensamento na legislação. Acho que nós perdemos uma grande oportunidade, por exemplo, de realizarmos projetos sustentáveis para a Copa do Mundo de 2014.

Poder Online – Qual sua avaliação sobre o governo Dilma Rousseff?

Cássio Cunha Lima – A Dilma tem um grande desafio que é dar um basta no loteamento do governo. Cinco ministros caíram por graves denúncias de corrupção nos últimos dez meses, isso não é normal. O governo Lula teve seus méritos, assim como Fernando Henrique Cardoso. Mas a sociedade não vai aceitar mais este antro de malfeitos. Até agora, a Dilma tem agido e tirado os ministros, mas precisa mudar esse esquema de barganha política. Os partidos continuam indicando os sucessores nos ministérios. Parece que o governo passou a escritura dos ministérios para determinados partidos, e ali ninguém entra.”

(Site Poder Online)

Denúncias e queda de ministros não afetam a governabilidade, diz ministro da Justiça

195 1

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, avalia que as sucessivas denúncias de corrupção e quedas de ministros não afetam “em absolutamente nada” a governabilidade do País nem desgastam a presidenta Dilma Rousseff.

“O governo tem linha definida, conduzida com bastante firmeza. Não vejo a situação como crítica para a governabilidade”, disse após participar, em Londres, de debate sobre a democracia brasileira. Para ele, as substituições são “naturais”. Ao deixar o Ministério do Esporte nesta semana, Orlando Silva foi o quinto ministro afastado do cargo por denúncias de irregularidades em onze meses de governo. Nelson Jobim, um dos seis ministros que caíram ao todo, foi o único que não esteve envolvido com denúncias de corrupção.

Segundo Cardozo, a saída não significa que o governo tenha deixado de acreditar em Orlando. Ele insistiu que não deve haver prejulgamento nem do ex-ministro nem do PC do B. “Uma das piores coisas que podem acontecer no Estado de Direito é o prejulgamento.” Cardozo acredita que a situação deve ser analisada com cautela.”

(iG)

Cid diz estar triste, mas esperançoso sobre doença de Lula

147 1

O governador Cid Gomes (PSB) afirmou, neste domingo, ter recebido com surpresa o anúncio de que o ex-presidente Lula está com tumor na laringe e que deverá se submeter a quimioterapia.

“Fiquei triste, mas esperançoso”, disse Cid, adiantando ter se informado a respeito do caso e se inteirado de que 90% dos casos registram cura. Como Lula será submetido a tratamento de qualidade no Hospital Sirio-Libanês, ele disse esperar a recuperação do ex-presidente.

Cid deu essas declarações após comandar o congresso estadual do PSB, no Hotel Vila Galé. O evento serviu para definir os 46 delegados da legenda que participarão do congresso nacional socialista marcado para os dias 2 e 3 de dezembro, em Brasília.

Doenças reumáticas atingem 12 milhões de brasileiros

“Doenças reumáticas são a segunda causa de gastos com auxílio-saúde no país. Ao todo, 12 milhões de brasileiros sofrem com o problema, que não afeta apenas a população idosa. O alerta é do Ministério da Saúde, em razão do Dia Nacional de Luta contra o Reumatismo, lembrado hoje (30).

Entre as doenças reumáticas, a artrite reumatoide é o tipo mais comum. Entre 2010 e setembro de 2011, 33.852 pacientes foram internados em decorrência da enfermidade. A maior prevalência é entre mulheres de 30 a 40 anos. Idade avançada, obesidade, tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas em excesso e ingestão de medicamentos podem contribuir para o surgimento da doença.

O Ministério da Saúde ressaltou a importância de se procurar um serviço de saúde logo que forem identificados os primeiros sintomas, como dor nas articulações por mais de seis semanas, acompanhada de vermelhidão, inchaço, calor ou dificuldade para movimentar as articulações (sobretudo pela manhã).

De acordo com o ministério, o problema pode ser identificado pelo próprio paciente – se a pessoa sentir dores ao esticar os braços ou ao elevar os ombros até encostar no pescoço, é preciso atenção. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado podem diminuir os riscos de incapacidade física.”

(Agência Brasil)

Petrobras anuncia reajuste de gasolina e diesel

151 2
A Petrobras informa: o reajuste nos preços de venda nas refinarias dos derivados abaixo, a vigorar a partir do dia 1º de novembro de 2011:
* Gasolina A 10%

* Diesel 2%.

Os preços da gasolina e do diesel sobre os quais incide o reajuste anunciado não incluem os tributos federais CIDE e PIS/Cofins e o tributo estadual ICMS.

Esse reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da Companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional, em uma perspectiva de médio e longo prazo, que vem apontando um novo patamar para os preços praticados.”

(Com Agências)

Poeta Ariano Suassuna visita Icó

O poeta e escritor Ariano Suassuna encontra-se em Icó (Vale do Salgado). Simpático e muito solícito, visitou o Largo do Theberge, conversou com moradores, ouviu histórias da cidade e caminhou no meio do povo.

Neste domingo, ao meio-dia, vai conversar com o povo no Teatro da Ribeira dos Icós.

(Com Blog do Fabrício Moreira/Foto – Icó é Noticia)

Metalúrgicos prestam solidariedade a Lula

“O Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes divulgou nota, nesta tarde, manifestando solidariedade ao ex-presidente após o diagnóstico divulgado pelo Hospital sírio-libanês.

“Acompanhamos suas lutas no passado, em defesa do bem-estar de milhões de trabalhadores desse País e estamos, mais uma vez, ao lado deste grande líder e companheiro, formando, junto com o povo brasileiro, uma corrente de fé, torcendo pela sua plena recuperação”, afirma nota, assinada pelo presidente do Sindicato, Miguel Torres.

Em reconhecimento ao seu trabalho, a entidade conferiu a Lula o título de sócio benemérito. “Nós, que sempre buscamos a unidade nas lutas, continuaremos juntos nesta caminhada. Conte com os metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e a diretoria deste Sindicato para vencer mais este desafio” conclui nota.”

(Veja Online)

Dilma precisa iniciar um novo ciclo, defende articulista

395 2

Em seu Blog, Ricardo Kotscho apregoa que a presidente Dilma precisa dar um rumo ao seu governo, que já teve seis ministros caindo, dos quais cinco sob acusação de corrupção. Confira:

A já esperada troca de Orlando Silva por Aldo Rebelo, ambos do PCdoB, no Ministério do Esporte pode ser o último capítulo de um ciclo político, o do presidencialismo de coalização, inaugurado após a redemocratização do país pelo governo acidental de José Sarney, em 1985, e que está com o prazo de validade vencido.

A sociedade brasileira clama por uma nova forma de fazer política e montar governos, que não seja baseada apenas em verbas e cargos, com o loteamento da Esplanada dos Ministérios em cotas partidárias no sistema de “porteira fechada”.

Com certeza, nem Dilma Rousseff aguenta mais este troca-troca de seis por meia dúzia. Em menos de dez meses de governo, a presidente já se viu obrigada a dar a conta a seis ministros de diferentes partidos, sem conseguir montar uma equipe minimamente coesa e competente para administrar o país.

Tudo bem que Dilma se elegeu a bordo de uma monumental coligação partidária e governa praticamente sem oposição, mas nem assim ela consegue ter uma semana de paz para se dedicar às grandes questões nacionais.

A maior parte do tempo da presidente neste seu primeiro ano foi dedicada à administração de crises provocadas por denúncias de corrupção em diferentes ministérios _ ou melhor, de “malfeitos’, como ela prefere.

O fato é que a pauta política foi dominada pelo cai-cai e a substituição de ministros, o que não resolveu nenhum dos problemas anteriores e criou outros. Nos últimos cinco meses, isto aconteceu uma vez a cada 50 dias.

Ninguém consegue governar o país desse jeito. Como nenhum partido reúne condições de governar o Brasil sozinho, é evidente que qualquer governo precisa montar alianças para se eleger e ter maioria no Congresso.

O problema é que não dá mais para utilizar os mesmos métodos do toma-lá-dá-cá que está na raiz de todos os escândalos passados, presentes _ e, se nada for feito, futuros.

Cabe a Dilma Rousseff, agora, com a força do apoio popular que as pesquisas demonstram, dar um basta a essa situação, enterrar esse ciclo.

Para isso, precisa estabelecer novos critérios na construção de uma nova maioria _ de preferência, com gente decente _  e estabelecer os requisitos mínimos de competência, probidade e compromissos com o país, tanto de partidos como dos nomes indicados para os ministérios.

Se o fizer logo, passa para a história. Se adiar por muito tempo, por mais concessões que faça, não terá assegurada a tão falada governabilidade _ ao contrário, poderá ver esvaziado o seu poder e inviabilizar a reeleição.

Em vez de ficar a reboque dos fatos e remontar seu governo no varejo partidário cada vez que um ministro inviabiliza sua própria permanência, a presidente Dilma poderia aproveitar a anunciada reforma ministerial prevista para janeiro e, desta vez, agir no atacado.

Por que os mesmos partidos têm que ficar para sempre com os mesmos ministérios, perenizando as mesmas práticas, apenas trocando Orlando por Aldo ou Pedro por Gastão? Onde está escrito isso?

Gostaria de ver a presidente Dilma fazer a primeira reunião ministerial de 2012, após a reforma, com caras e propostas novas capazes de dar novas esperanças aos brasileiros que votaram e confiam nela para devolver dignidade e honradez à atividade política.

Fazer um governo de continuidade como este para o qual ela foi eleita em 2010, graças ao apoio decisivo do então presidente Lula e dos seus 80% de aprovação popular, não significa que nada possa ser mudado.

Ao contrário, para preservar as conquistas sociais e econômicas da última década, é preciso criar novas bases para a relação entre o governo, os partidos e a sociedade, aprimorar os controles na administração e avançar na direção de um enfrentamento permanente aos maus hábitos de privatização pessoal e partidária dos recursos públicos.

É enorme, eu sei, o desafio colocado para a presidente que nunca sonhou em ser presidente, mas os últimos dias, semanas e meses demonstraram à exaustão que não é possível eternizar esse sistema político viciado, emendando uma crise na outra.

Não há escolha: é mudar ou mudar e dar início a um novo ciclo político. Quem pode dar o sinal e o exemplo é a presidente da República, Dilma Rousseff.

E POR ALAR EM NOVO CICLO

A turma do humor não perdeu tempo e, aproveitando o rompimento da dupla Zezé di Camargo e Luciano, prevê o fim da dupla Lula e Dilma e até expõe um novo visual para a presidente aqui

ACM Neto pode ir para o PMDB

180 2

De Lauro Jardim, na Radar Online:

ACM Neto está negociando com Geddel Vieira Lima o seu ingresso no PMDB. As conversas andam céleres, mas Neto só dará bye-bye ao DEM depois de deixar a liderança do partido, no início de 2012.

Não quer perder a visibilidade que o cargo lhe confere.

Brasil e Paraguai vão combater crime organizado

“O Brasil e o Paraguai, com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), estão trabalhando na elaboração de um programa que visa a combater o crime organizado, a lavagem de dinheiro e a corrupção.

Em entrevista à Agência Brasil, o embaixador brasileiro no Paraguai, Eduardo dos Santos, disse que uma missão da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), formada por representantes de vários órgãos brasileiros, como o Ministério Público, a Polícia Federal, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e a  Controladoria-Geral da União (CGU), esteve com autoridades paraguaias para montar um esboço do Programa Nacional Integrado.

O embaixador brasileiro também falou sobre as ações conjuntas de segurança que o Brasil e o Paraguai desenvolvem na fronteira.

A íntegra da entrevista é a seguinte:

Agência Brasil: Que ações estão sendo adotadas pelo Brasil e o Paraguai no combate ao crime organizado?
Eduardo dos Santos: Uma atuação policial mais intensa, com uso de tecnologia, como o laboratório de criminalística que estamos oferecendo para que o Paraguai compartilhe dessa experiência. Na semana que passou esteve aqui uma missão da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), integrada por representantes de vários órgãos brasileiros, como o Ministério Público, a Polícia Federal, o Coaf e a  Controladoria-Geral da União, para fazer com o Paraguai um esboço de um programa, chamado Programa Nacional Integrado, destinado a fortalecer as instituições no Paraguai. O programa será importante no combate ao crime organizado, à lavagem de dinheiro e ao fortalecimento da Justiça. O programa é feito com apoio das Nações Unidas. Portanto, é um órgão trilateral, Brasil, Paraguai e Nações Unidas, focado nessa questão do fortalecimento da Justiça, do combate à corrupção e à lavagem de dinheiro e contra o tráfico de drogas. O governo do Paraguai está dando muita importância a isso.

ABr: Haverá transferência de tecnologia, de pessoal?
Eduardo dos Santos: [O programa] envolve, sobretudo, treinamento, capacitação, cursos de treinamento. Isso tudo está previsto no programa. É uma iniciativa concreta que estamos trabalhando e mostra um pouco essa agenda extremamente rica com o Paraguai, que envolve, não só temas políticos, mas também temas sociais, culturais, de cooperação técnica e em termos de infraestrutura, que é muito importante. Já temos com o Paraguai a obra de Itaipu, a ponte sobre o Rio Paraná, a Ponte da Amizade. Existe o projeto da segunda ponte sobre o Rio Paraná. Existe também o projeto do corredor ferroviário bioceânico [Atlântico-Pacífico], que vai passar pelo Paraguai,  que ainda está sendo estudado. Isso mostra que a nossa relação é extremamente intensa e prioritária.

ABr: Quanto à questão da segurança na fronteira, assunto que envolve o interesse do Brasil e do Paraguai, o que poderá ser feito entre os dois países?
Eduardo dos Santos: O combate ao crime organizado é uma prioridade tanto para o governo brasileiro quanto para o paraguaio. A presidenta Dilma [Rousseff] anunciou, há pouco tempo, uma política de proteção das fronteiras. Um programa que envolve coordenação e ação conjugada de vários órgãos tanto federais como estaduais – Polícia Federal, Forças Armadas, polícias Militar e Civil. Há pouco tempo foi realizada uma importante operação aqui na fronteira, não só com o Paraguai, mas com a Argentina e o Uruguai. Essa cooperação já existe, pode ser aperfeiçoada e ampliada, como é o nosso desejo. Dou um exemplo: a Polícia Federal coopera com a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai, vinculada à Presidência da República, diretamente, em um programa de erradicação de cultivo de maconha. O Paraguai é uma área de grande produção de maconha. E, para esse programa, a Polícia Federal presta apoio logístico e de inteligência.

ABr: Há algum efetivo da Polícia Federal atualmente no Paraguai?
Eduardo dos Santos:  A Embaixada do Brasil tem um adido da Polícia Federal que trabalha com autoridades do Ministério do Interior do Paraguai, da Polícia Nacional e da Secretaria Nacional Antidrogas, apoiando programas de cooperação com esses órgãos, sempre em contato com a Polícia Federal brasileira. A cooperação é muito fluida e intensa, muito estreita, sobretudo na região de fronteira. Veja o exemplo recente do Polegar [traficante Alexander Mendes da Silva, chefe do tráfico de drogas no Morro da Mangueira, no Rio], que foi preso pelas autoridades do Paraguai, em Pedro Juan Caballero. Feitas as investigações, ele foi extraditado, e hoje está preso no Brasil. Esse foi um resultado muito positivo dessa política.

ABr: O senhor acha que esse tipo de ação vai se intensificar? Isso pode mudar a atual imagem de insegurança na fronteira?
Eduardo dos Santos: Sem dúvida, esse resultado já é uma mostra de que estamos obtendo resultados importantes, relevantes, como foi essa prisão. Nossa cooperação tem procurado se voltar para a troca de informações, o uso de tecnologia. Uma das ideias é o Brasil compartilhar com o Paraguai a tecnologia dos aviões não tripulados, que podem ajudar no combate ao crime organizado.  Nós podemos fornecer ao Paraguai os dados que o avião detecta.

(Agência Brasil)

Trânsito mata mais de 40 mil e bate recorde

Os acidentes de trânsito deixaram 40.610 mortos no país em 2010, média de 111 por dia e uma alta de 8% sobre o ano anterior. É o maior número em 15 anos, segundo o Ministério da Saúde. As internações cresceram 15%, beirando 146 mil.

Para o ministro Alexandre Padilha, a elevação se deve principalmente ao aumento da frota de motos. Pelo 2º ano, morreram mais motociclistas que pedestres.

Técnicos incluem também um provável relaxamento da lei seca. O ministro da Saúde admite que a embriaguez é uma das principais causas de acidentes, mas argumenta que fiscalizar é atribuição dos Estados.

Especialistas listam ainda ações do governo federal, como a lei, sancionada por Lula, que regulamentou a profissão de mototaxista e os incentivos a motos e carros, em detrimento do transporte coletivo.

(Folha)

Em terra de tucanos, Dilma e Lula serão destaques no sambódromo

O Carnaval 2012 promete colocar em lados opostos o ex-presidente Lula e sua sucessora Dilma Rousseff. Há meses, a Gaviões da Fiel anunciou que o ex-presidente é inspiração para o enredo que levará ao Anhembi no ano que vem: “Verás que o filho fiel não foge à luta – Lula, o retrato de uma nação”

Dilma, por sua vez, será homenageada pela atual campeã do Carnaval de São Paulo, a Vai Vai, que tem o enredo “Mulheres que Brilham – A força feminina no progresso social e cultural do país”.

É certo que a deferência à presidente é menos direta do que a feita a Lula pela escola corintiana. Mas a letra da Vai Vai não deixa dúvidas de que Dilma também conquistou os corações sambistas.

“Senhora da vida/guerreiras na lida/hoje és presidente e me rendo a teus pés/pra sempre te amarei mulher”, diz o samba da escola do bairro do Bixiga.

Integrantes da Vai Vai esperam que a presidente deixe de lado o estilo reservado e participe do desfile, marcado para o dia 17 de fevereiro.

Esta seria uma chance de Dilma participar da festa paulistana. No ano passado, já em campanha, a presidente assistiu ao desfile das escolas de samba do Rio e fez aparições nos carnavais de Recife e Salvador. Neste ano, preferiu descansar no litoral do Rio Grande do Norte.

Já Lula será a estrela do Anhembi na noite seguinte. A Gaviões só escolheu o samba no dia 8 deste mês.

Foi a última escola a definir a canção, que faz referências à vida do ex-presidente, lembrando a origem nordestina, a luta operária e o enfrentamento ao governo militar. E chama de “nova era” o combate à desigualdade.

O peculiar é que a festa ocorre num Estado governado há 16 anos por tucanos.

(Folha)

Enem 2011 – O Colégio que perdeu a chance de fazer a propaganda

254 6
Eis artigo do jornalista Luis Henrique Campos, editor adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO. Ele analisa o caso do vazamento de questões do Enem pelo aspecto da ética dos colégios, que adoram fazer propaganda de primeiro lugar de seus alunos em certames.
O episódio envolvendo o Christus e o Enem com relação ao suposto vazamento de questões da prova realizada na semana passada mostrou a fragilidade do controle do MEC, mas isso não deve servir como desculpa para isentar o colégio pelo fato. É impossível aceitar calado a justificativa apresentada pela direção da instituição de que os quesitos compunham um banco de dados de questões.
Tanto não é que a justificativa apresentada como coincidência caiu por terra a partir do instante em que o MEC confirmou que as questões fizeram parte do pré-teste, e que esses cadernos não ficaram em poder do colégio. Mas o caso revela aspecto que deve servir de reflexão para as demais instituições de ensino que se vangloriam de sempre estarem entre as primeiras na aprovação de concursos pelo País. Duvido, por exemplo, que se o Christus tivesse obtido bons resultados não iria divulgá-lo com estardalhaço.
O fato indica, portanto, o nível de competição a que estão submetidos os colégios na busca de obter resultados em termos de imagem, algumas vezes até mais do que mesmo pedagógicos. O grave é que se em uma prova como essa, extremamente visada quanto à fiscalização, acontecem coisas do gênero, imagine em outros concursos não tão rigorosos. Há alguns anos o jornalista Demitri Túlio e eu publicamos em reportagem algo parecido envolvendo o Colégio Militar de Fortaleza, que em um de seus testes de admissão teve várias questões publicadas exatamente iguais em apostila de uma instituição de ensino.
A justificativa foi a mesma do Christus, e a investigação conduzida pela 10ª Região Militar não apontou culpados.
No Brasil, é fácil criticar o poder público pedindo ética, quando não diz respeito ao nosso latifúndio. Na época, porém, em que muitos colégios adotam a tática da propaganda para divulgar seus avanços tecnológicos, seria bom também que passassem a incutir na cabeça de seus alunos que ética não é prerrogativa apenas de políticos ou gestores públicos.
* Luiz Henrique Campos – lhcampos@opovo.com.br
Editor adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO