Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Presidente nacional do PT quer renunciar para se submeter a tratamento de saúde

“O presidente do PT, José Eduardo Dutra, 54, avisou a alguns aliados que pretende renunciar ao comando do partido para se dedicar a tratamento de saúde. Licenciado desde 22 de março, ele se comprometeu a dar uma resposta sobre sua situação após a Páscoa.

A decisão final, contudo, só será confirmada depois de conversa com a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. Dizendo-se preocupado com o estado de saúde do amigo, Lula o visitará na segunda-feira para discutir seu futuro. Dutra tem dito que não pode bater o martelo sem consultar os dois.

Emissários do dirigente, porém, informaram integrantes do governo que, diante do estado clínico, a tendência é que ele deixe o cargo definitivamente. Dutra se afastou temporariamente da presidência do PT depois de uma crise de hipertensão.

Durante o tratamento, foi diagnosticado quadro de depressão e problemas de origem neurológica. Desde então, ele passa por uma série de exames no cérebro. A avaliação é que é muito difícil compatibilizar o tratamento com a pesada agenda de trabalho no PT.”

(Folha.com)

Governo vai ampliar controle das Agências

“As agências reguladoras vão começar a ganhar um perfil mais alinhado com a presidente Dilma Rousseff ainda neste ano. As indicações para os cargos em aberto já foram iniciadas pelo Palácio do Planalto. Até o fim do ano, o comando de órgãos reguladores importantes, como a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) estarão sob nova gestão.

As indicações políticas não estão completamente vetadas pelo novo governo, mas os partidos alinhados terão de encontrar, entre seus apadrinhados, pessoas com conhecimento técnico efetivo para entrarem na disputa pelos cargos. A orientação foi repassada por Dilma a todos os ministros nos primeiros dias do seu governo.”

(Agência Estado)

E por falar em classe média…

Com o título “Vai faltar classe média para todos”, eis artigo do jornalista Ricardo Kotscho, que questiona tanta festa oficial em torno desse segmento. Confira:

Quantos somos, afinal, os brasileiros desta classe média tão badalada nas últimas semanas, cortejada por todos os partidos políticos?

Segundo estudo do professor Marcelo Nery, da Fundação Getúlio Vargas, divulgado no final do ano passado, 29 milhões de brasileiros foram incorporados à classe C, a chamada “nova classe média”, entre 2003 e 2009, ou seja, no governo Lula. No mesmo período, a classe E, que abriga o “povão” tão falado, encolheu 11,3%.

Para o IBGE é considerado de classe média todo cidadão com renda entre R$ 1.126 e R$ 4.854, o que constitui um contigente de 94,9 milhões de pessoas e corresponde a 50,5% da população.

Pela primeira vez em nossa história, somos um país predominantemente de classe média, o que pode demonstrar o apetite demonstrado pelos partidos de todas as latitudes pela conquista desta gorda fatia do eleitorado.

Só faltava o PT. Antes, o moribundo DEM e o recém-nascido PSD, ambos herdeiros do velho PFL, já haviam adotado a classe média como público alvo.

Em seguida, foi a vez do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso apresentar seu manifesto “O papel da oposição”, em que recomenda ao PSDB esquecer o “povão”, já cooptado pelo PT, e investir também na nova classe média.

Só faltava o PT. Pois nesta terça-feira [anteontem], reunido com 32 prefeitos do partido em Osasco, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sugeriu que o PT também dispute o voto mais conservador da classe C, incluindo os orfãos do malufismo e do quercismo.

Mirando-se no bem sucedido exemplo de José Alencar, o seu vice nos dois mandatos, com quem compôs uma chapa capital-trabalho para atrair setores mais conservadores da sociedade, em 2002 e 2006, Lula quer que o PT também amplie seu leque de alianças mais à direita em São Paulo, onde a classe média tradicional se mostra refratária ao PT.

Do jeito que as coisas estão caminhado, com esta geléia geral partidária sem limites nem hora para acabar, será difícil o eleitor descobrir quem é quem nas eleições municipais no ano que vem.

Vai faltar classe média para todos. E quem vai cuidar dos ricos e dos pobres, as duas pontas esquecidas do losângo que substituiu a nossa pirâmide social? Com tanto partido, não sobrou nenhum pra dizer que é de direita?

Até outro dia, por exemplo, os eleitores tucanos e petistas devem se lembrar que malufistas e quercistas eram, afinal, seus principais adversários.

Enquanto o conservador PSD de Gilberto Kassab e Guilherme Afif incha, sonhando em se juntar ao progressista PSB no ano que vem, o DEM e o PSDB começam a debater a fusão entre os dois partidos antes que eles acabem. O PMDB, impávido, só assiste a tudo de camarote.

A perda de seis vereadores tucanos esta semana, em São Paulo, levou o PSDB a convocar uma reunião de emergência na sua sede em Brasília. Para Sergio Guerra, o presidente tucano, em dois meses a fusão com o DEM deverá estar concluída. Dos dois lados, porém, há resistências.

Com os ex-presidentes FHC e Lula de volta à ribalta, e o veterano José Agripino Maia à frente do DEM, escoltado por Ronaldo Caiado, as imagens desta salada de siglas revela um outro problema dramático da politica brasileira: a falta de renovação das lideranças, e do interesse dos jovens em participar da vida partidária.

(Blog Balaio do Kotscho)

PMDB recomenda candidaturas próprias em 2012

88 1

“Na direção contrária do que prega o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o PT, o PMDB, liderado pelo vice-presidente Michel Temer, lançou uma ofensiva nesta semana recomendando a todos os diretórios municipais que patrocinem candidatura própria do partido na eleição de 2012. Em carta redigida pelo PMDB nacional, o partido orienta os dirigentes a privilegiarem nomes próprios para a disputa em vez de procurar “alianças amplas” com outros partidos, como defende o ex-presidente. A decisão sobre o conteúdo da carta foi tomada em reunião da Executiva do partido há 15 dias.

“A recomendação é essa: candidaturas em todas as cidades. Sempre que possível, (os diretórios devem) lançar candidaturas próprias, mas claro que há cenários onde esta vontade não será possível e não teremos como fugir de alianças”, disse ao iG o presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO).

De olho na “demarcação de territórios”, como define outro líder do partido, o PMDB já quer se organizar para as eleições com base em diagnósticos nas 100 principais cidades do País. “Vamos discutir os nomes, candidatos, e cenários locais no próximo dia 5, durante seminário”, disse Raupp.

O deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) afirmou ser um entusiasta da orientação e defendeu alianças com partidos da base aliada apenas em um segundo momento. “Vamos mostrar a nossa cara nas capitais e priorizar as alianças apenas no segundo turno”, disse.

São Paulo

No Estado de São Paulo, a orientação nacional será respeitada com rigor, de acordo com o presidente do PMDB-SP, deputado Baleia Rossi. “A comissão executiva do diretório estadual aprovou por unanimidade uma resolução que determina que os diretórios municipais tenham candidatos próprios ou, no mínimo, vices, dependendo do contexto”, disse.

Os diretórios municipais em São Paulo que desrespeitarem a determinação estarão sujeitos a uma punição. “Os diretórios que não cumprirem passarão para a responsabilidade do estadual”, adiantou. Para Baleia Rossi, a “medida radical” é necessária para o fortalecimento do partido no Estado. A decisão ainda não foi comunicada oficialmente aos diretórios municipais.

Estratégias

O PMDB está organizando uma palestra para 200 pessoas no dia 5 de maio, em Brasília. A pauta do evento é a estratégia do partido para 2012. O PMDB convidou três palestrantes internacionais para comandar o evento. Um espanhol e dois americanos, que prestaram consultoria à campanha do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Ontem, o PT se reuniu em São Paulo sob comando de Lula para definir a estratégia de 2012. No encontro, foram discutidos temas como o surgimento de setores emergentes na periferia da capital paulista e a necessidade de uma estratégia para abordar este eleitorado. Ainda segundo o dirigente, Lula enfatizou a importância da política de alianças e citou como exemplo sua parceria nas urnas com o ex-vice-presidente José Alencar, morto no final de março.”

(iG)

No Dia de Tiradentes, Dilma promete enviar para o Congresso marco regulatório da mineração

182 1

“Em discurso hoje (21) na cidade de Ouro Preto (MG), importante centro de extração de ouro no século 17, a presidenta Dilma Rousseff se comprometeu a enviar ao Congresso Nacional o marco regulatório do setor de mineração. “Não é justo e não contribui para o desenvolvimento do Brasil que os recursos minerais do país sejam daqui tirados e não haja a devida compensação. Essa compensação é condição para que nossas reservas naturais tenham um sentido, que não se concentrem na mão de poucos”, disse.

Em Ouro Preto, Dilma participou da cerimônia de comemoração do 21 de abril, Dia de Tiradentes. Ao falar sobre o ideal dos inconfidentes de lutar pela liberdade, a presidenta lembrou a própria trajetória de vida. “Os brasileiros e as brasileiras que, como eu, sofreram na pele os efeitos da privação da liberdade sabem como a democracia faz falta. Queremos uma democracia feita de eleitores e cidadãos plenos”.

Dilma e o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, acompanharam o sepultamento dos restos mortais de três inconfidentes, no Museu da Inconfidência. Mortos há mais de 200 anos no degredo na África, as ossadas de Domingos Vidal Barbosa, João Dias da Mota e José de Resende Costa foram identificadas pela Universidade de Campinas (Unicamp) após 10 anos de estudo e agora se juntaram aos 13 inconfidentes já sepultados no monumento.

No museu, os dois também visitaram o túmulo de duas mulheres que viveram na Vila Rica de 1789 e testemunharam a Inconfidência Mineira: Maria Dorotéia Joaquina de Seixas, conhecida como Marília de Dirceu (musa do poeta português e ouvidor-geral da comarca Tomás Antônio Gonzaga), e Bárbara Heliodora Guilhermina da Silveira. No discurso, Dilma fez uma homenagem a elas e também a Hipólita Jacinta. “As três abrem no Brasil o caminho da presença das mulheres nas lutas libertárias do nosso povo” .

Ainda como parte das comemorações pelo 21 de Abril, a presidenta Dilma Rousseff foi homenageada com o Grande Colar, grau máximo da Medalha da Inconfidência. Mais 238 personalidades e instituições receberam a comenda.

A Inconfidência Mineira foi um movimento de independência do domínio português ocorrido em 1789, em Vila Rica, atual município de Ouro Preto. Desse movimento participaram intelectuais, religiosos, militares e fazendeiros, eentre eles o dentista Joaquim José da Silva Xavier, que foi enforcado e esquartejado por ordem da Coroa Portuguesa.”

(Agência Brasil)

Ministro dos Portos é agraciado com Medalha Itamaraty

116 2

Dilma cumprimenta Leônidas Cristino.

O secretário nacional dos Portos, ministro Leônidas Cristino, foi agraciado nesta semana com a Medalha Itamaraty,na categoria grã-cruz, pelo Conselho da Ordem de Rio Branco. O ato ocorreu no Palácio do Itamaraty, em Brasília, e contou com a presença da presidente Dilma Rousseff e do vice-presidente Michel Temer.

Leônidas Cristino, que não tem nem dois meses no cargo, recebeu a homenagem das mãos do vice-presidente.

A medalha Grã-Cruz da Ordem, instituída pelo Decreto nº 51.697, de 5 de fevereiro de 1963, concedida a personalidades, tem como objetivo o reconhecimento de serviços meritórios e virtudes cívicas, além de estimular a prática de ações e feitos dignos de honrosa menção. Participaram da solenidade vários ministros, diplomatas e lideranças políticas.

Revista Time inclui Dilma entre as 100 pessoas mais influentes do ano

166 1

“A presidenta Dilma Rousseff foi eleita uma das 100 pessoas mais influentes do ano pela revista norte-americana Time ao lado de personalidades como artistas, políticos, pesquisadores e ativistas. O texto de apresentação sobre a presidenta Dilma foi escrito pela ex-presidenta do Chile e hoje diretora-executiva das Nações Unidas da Mulher, Michele Bachelet.

“Não é fácil ser a primeira mulher a governar o seu país. Além da honra que ela significa, ainda existem preconceitos e estereótipos de enfrentar”, destaca Bachelet em seu texto. A diretora-executiva das Nações Unidas disse que esse desafio de governar aumenta a partir do momento em que Dilma Rousseff tem a responsabilidade pela condução política e econômica de um país emergente.

Segundo Michele Bachelet, quando as sociedades começam “a ver a luz do desenvolvimento no final do túnel”, cria-se uma onda de otimismo e entusiasmo nos cidadãos. “Mas os desafios se tornam mais complexos e os cidadãos mais exigentes. É ainda mais difícil governar um país tão grande e globalmente relevante como o Brasil”, acrescentou a ex-presidenta do Chile.

Entre as 100 personalidades da lista estão a chanceler da Alemanha, Angela Merkel; o fundador do site Wikileaks, Julian Assange; o presidente e a primeira-dama dos Estados Unidos, Barack e Michelle Obama, e até o cantor adolescente Justin Bieber.”

(Agência Brasil)

The Economist – Valorização do Real frente ao dólar é grande desafio para o Brasil

“Em um artigo publicado em sua última edição, a revista britânica The Economist diz que a valorização do real frente ao dólar representa um grande desafio para o Brasil no controle da inflação e compara os dois problemas, a alta da moeda brasileira e a inflação, a “cavalos selvagens”.

De acordo com a revista, a dificuldade para o Banco Central é que cada alta dos juros – “já maiores que os de qualquer grande economia” – torna o Brasil mais atraente para o capital estrangeiro “sem limites”, o que derruba a cotação do dólar, prejudicando as exportações. Segundo a Economist, o real está “muito mais forte do que tanto o governo quando a indústria gostariam”, com o dólar em sua cotação mais baixa em três anos.

A revista cita as “medidas macroprudenciais” tomadas pelo governo para tentar conter a inflação sem valorizar excessivamente o real, como o aumento do compulsório dos bancos. “O perigo de tentar controlar a taxa de câmbio e a inflação simultaneamente é o risco de perder o controle de ambas”, diz a Economist. “A política monetária no Brasil está tentando domar dois cavalos selvagens ao mesmo tempo.”

A Economist diz que o governo brasileiro tem medo de “liberar o fluxo de capital externo, deixar o real se valorizar à vontade e cortar gastos para eliminar o crescente deficit fiscal”, algo que tem sido aconselhado por economistas na atual conjuntura, devido ao medo de que isso gere uma “fuga desestabilizadora” de capital caso países ricos adotem políticas monetárias mais restritivas, como, por exemplo, se aumentarem os juros.

A revista afirma ainda que outro grande desafio para a presidente Dilma Rousseff será o reajuste previsto do salário mínimo de 7,5% acima da inflação em 2012, o que aumentaria ainda mais os gastos públicos e pode gerar mais inflação.”

Fusão PSDB e DEM pode vir. Mas só depois de 2012

124 2

“Uma possível fusão entre PSDB e DEM, caso ocorra, somente será definida depois das eleições municipais de 2012. A avaliação de tucanos e demistas é de que a união das duas legendas agora seria tragada pela popularidade de início de governo da presidente Dilma Rousseff. A fuga de parlamentares do DEM para o PSD reacendeu a discussão sobre a criação de um terceiro partido a partir da junção dos dois maiores oposicionistas. A disposição inicial do governador catarinense, Raimundo Colombo, de permanecer no DEM pelo menos até 2012 deixou as articulações em banho-maria.

O futuro de Colombo é tido como um divisor de águas dentro dos planos do DEM para os próximos quatro anos. Com a iminente saída do governador, a legenda ficaria com cerca de 30 deputados e apenas o governo do Rio Grande do Norte, musculatura considerada insuficiente para influir no jogo eleitoral. Sem o governador, caciques do partido como o presidente, senador José Agripino Maia (DEM-RN), e o líder na Câmara dos Deputados, ACM Neto (DEM-BA), estariam abertos a possíveis articulações para antecipar os planos de fusão com o PSDB.

“A avaliação dos líderes era de que, com a saída de Colombo, o partido teria como único destino a fusão, caso contrário viraria um partido sem força. O destino seria inexorável”, avalia um ex-dirigente demista, de malas prontas para o PSD.

Para os tucanos, no entanto, o mais interessante seria formalizar um acordo apenas em 2013 para tentar capitalizar a fusão nas eleições nacionais e estaduais do ano seguinte. Por isso, a legenda entrou nas conversas entre Colombo e o PSD para tentar esvaziar o acordo sobre uma mudança de partido do governador. Pelo acordo que está sendo costurado, o catarinense só mudaria de legenda depois das eleições municipais.

Caso isso ocorra, o prazo servirá para que os tucanos consigam convencer a parcela mais relutante do DEM a unir as duas legendas. Embora aliados nacionais, os dois partidos não conversam em pelo menos cinco estados: Paraná, Rio Grande do Sul, Sergipe, Goiás e Rio de Janeiro.

Nesses locais, a palavra fusão é evitada a qualquer custo. “Não podemos ficar batendo cabeça. Independentemente de articulação de quem quer que seja, não vamos nos fundir”, defende o senador Demostenes Torres (DEM-GO). Para vários demistas, a desidratação do partido tem como principais articuladores o presidente de honra da legenda, Jorge Bornhausen, e o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci.

“Bornhausen faz trabalho subterrâneo, desleal, antiético. Assinou acordo de consenso em favor de Agripino e fez um jogo sujo, de descumprir palavras e riscar a sua biografia para aderir ao governo. O próprio Palocci ligou para as pessoas, e o governador de Amazonas (Omar Aziz) só assinou a filiação ao PSD depois que a presidente Dilma autorizou”, dispara o deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO).”

(Correio Braziliense Online)

Série Depoimentos – Fagner é o próximo convidado a falar com os fãs sobre sua carreira

O cantor Raimundo Fagner é o convidado do projeto “Série Depoimentos”, do Centro Dragão do Mar. No próximo dia 27, às 20 horas, no anfiteatro do Dragão, ele falará sobre seus quase 40 anos de carreira. Dando direito a canja musical.

Fagner vive um momento dos mais felizes não somente no campo musical, mas também social. É que a fundação que leva seu nome firmou convênio com o Ministério da Ciência e Tecnologia e obteve R$ 750 mil para desenvolver, em escolas do País, o projeto “Canteiros Musicais”.

A iniciativa usa ferramentos da internet como instrumento de educação musical para crianças e adolescentes.

Lula diz que PT governará o Brasil por 20 anos

144 5

“Lula antevê um futuro idílico para o PT. Estima que seu partido realizará um velho sonho do PSDB: o poder longevo. O ex-soberano declarou à TVT, emissora gerida pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, que o petismo governará o Brasil por 20 anos, até 2022. Significa dizer que, para ele, além de seus dois reinados e do mandato de Dilma Rousseff, o PT prevalecerá nas sucessões de 2014 e a de 2018.

Na entrevista, disponível no vídeo lá do alto, Lula começa discorrendo sobre reforma política e termina analisando o que chamou de “crise de identidade” do PSDB. A certa altura, ele declara: “Quando o Fernando Henrique ganhou as eleições em 1994, eles projetaram 20 anos de governança do PSDB…”

“…E o que vai acontecer é que teremos 20 anos de governança do PT. Eles não se conformam é que o PT vai ter o tempo necessário para mudar […] a cara do Brasil”.

De volta à arena política, seu habitat natural, Lula afirmou que o PSDB tornou-se um partido sem “perfil ideológico definido”. Acha que a “crise” vivida pelo principal antagonista do PT é tonificada por querelas estaduais e pela “disputa interna” entre José Serra, Aécio Neves e Geraldo Alckmin.

A certa altura, Lula disse que se aproxima o momento em que o PT vai voltar a vencer a disputa pela prefeitura de São Paulo. O êxito depende, segundo ele, da montagem de uma “chapa perfeita”, com um vice à direita do PT -uma espécie de versão paulistana de José Alencar.

Considerando-se os desacertos da oposição, os vaticínios de Lula devem soar aos ouvidos de tucanos e ‘demos’ como pesadelos esperando para acontecer.”

(Blog do Josias de Souza)

Ações no TSE ameaçam mandato de 38% dos governadores. Cid Gomes está na lista

188 3

 

“Aproximadamente 38% dos governadores eleitos em outubro passado correm o risco de perder os mandatos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Eles terão que se defender de acusações feitas por adversários políticos e pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de, entre outros crimes, compra de votos, abuso de poder político e econômico e uso ilegal dos meios de comunicação. Por enquanto, dos dez processos que chegaram à corte, somente três têm o trâmite mais adiantado. Mesmo assim, a expectativa para que cheguem ao plenário fica para o fim do segundo semestre.

Em 3 de março, o Congresso em Foco mostrou que seis governadores já enfrentavam recursos contra expedição de diploma (RCED) no TSE. Eram eles: Tião Viana (PT), do Acre; Omar Aziz (PMN), do Amazonas; Antonio Anastasia (PSDB), de Minas Gerais; Wilson Martins (PSB), do Piauí; Rosalba Ciarlini (DEM), do Rio Grande do Norte, e Siqueira Campos (PSDB), do Tocantins. Além deles, o governador de Roraima, José de Anchieta Junior (PSDB), já tinha perdido o mandato por decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) local, mas o TSE julgará também recurso.

CID GOMES

Além dos que foram noticiados primeiramente pelo Congresso em Foco em março, somaram-se recursos apresentados contra a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), e os governadores de Alagoas, Teotônio Vilela (PSDB), e do Ceará, Cid Gomes (PSB). Também chegou à corte superior um RCED contra o governador de Roraima. Com estes casos, a eleição passada supera os processos apresentados no pleito anterior. Na ocasião, seis chefes de Executivo estadual foram julgados. Três perderam o mandato – Jackson Lago (PDT) no Maranhão; Cássio Cunha Lima (PSDB) na Paraíba, e Marcelo Miranda (PMDB) em Tocantins.”

(Congresso em Foco)

DETALHE – Cid Gomes (PSB) está sendo acusado de auso do poder econômico, em ação inerposta pela coligação do então candidato a governador pelo PR, Lúcio Alcântara.

Governo federal vai implantar Centro Nacional de Prevenção a Desastres

105 2

“A partir de novembro deste ano, o governo federal espera poder antecipar em até seis horas a previsão do acontecimento de fenômenos naturais como chuvas e deslizamentos e, assim, tomar medidas para evitar tragédias em todo Brasil. Isso será possível quando estiver em operação o Centro Nacional de Prevenção a Desastres, que funcionará em Brasília.

As obras físicas ainda não começaram e o Centro está em fase de projeto. “A gente vai integrar todas as informações hidrológicas, de radares, de meteorologia, do Sivam (Sistema de Vigilância da Amazônia), de quantidade de chuvas e deslizamentos.

Com essas informações vamos ter a capacidade de antecipar de duas a seis horas qualquer evento de grande potência. De duas a seis horas é tempo suficiente para que a gente possa dizer que as pessoas precisam ser retiradas”, explicou o secretário nacional de Defesa Civil, coronel Humberto Viana.”

(Com Agências)

Presidente do PV/CE quer conversarr com Marina

118 4

O presidente regional do Partido Verde, Marcelo Silva, quer conversar com a ex-candidata a presidente da República pela sigla, Marina Silva. Mas isso em Brasília, longe da turma do Movimento de Transição Democrática, que questiona a cúpula estadual.

Ele diz que aguarda espaço na agenda de Marina, porque quer explicar para ela o quadro político dentro do PV cearense.

Marcelo não esconde que muitos integrantes do chamado MOvimento de Transição Democrática são recém-chegados ou não possuem raízes com os “vedes”. Evita nomes, mas ressalta que a legenda tem cumprido sempre determinações da direção nacional e procurado agir democraticamente.

Mensalão do DEM – Todos os envolvidos estão soltos

“Um ano e dois meses após o chamado mensalão do DEM no Distrito Federal vir à tona, nenhum dos protagonistas do escândalo está preso. Pelo contrário: muitos mostraram a cara na campanha eleitoral de 2010. Cinco deputados distritais mencionados no inquérito da Polícia Federal se reelegeram. Outros sete foram derrotados nas urnas. Todos alegam inocência.

Leonardo Prudente (sem partido), que apareceu em vídeo escondendo dinheiro na meia, renunciou ao mandato de deputado distrital e sumiu da vida pública. Eurides Brito (PMDB), filmada enfiando maços de dinheiro na bolsa, teve o mandato de deputada distrital cassado e também sumiu.

Também está recluso o ex-governador José Roberto Arruda, filmado recebendo maços de dinheiro. Ele passou dois meses preso na Superintendência da PF. Entre uma temporada e outra numa casa de praia em Guarajuba, na Bahia, tem se ocupado de depoimentos ao Ministério Público para detalhar o esquema.

O autor dos vídeos, Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais de Arruda, fez acordo de delação premiada com o Ministério Público e está solto. Jaqueline Roriz, deputada federal pelo PMN e filha do ex-governador Joaquim Roriz, foi flagrada recebendo dinheiro do esquema, em 2006. Agora, luta contra a cassação do mandato de deputado federal.”

(Globo)

Cantor Fagner falará para fãs sobre sua carreira

O cantor Raimundo Fagner é om convidasdo da próxima edição do projeto “Série Depoimentos”, do Centro Dragão do Mar. Ele será entrevista sobre seus quase 40 anos de carreira pelos fãs, em clima dos mais descontraídos, no anfiteatro do Dragão.

Isso, dia 27 próximo, a partir das 20 horas. O artista promete na ocasião relembrar sucessos como “Borbulhas de Amor”, “Deslizes” e “Espumas ao Vento”.

Dilma fará homenagem a Tiradentes

“A presidente Dilma Rousseff, mineira de nascimento, prepara um gesto político de forte peso simbólico para este feriado nacional de 21 de abril. A petista desembarcará em Minas Gerais, Estado governado por adversários do PSDB, para render homenagem a Tiradentes e aos heróis da Inconfidência Mineira.

Em Ouro Preto, Dilma será a oradora oficial na cerimônia de transferência das ossadas de três inconfidentes, Domingos Vidal Barbosa Lage, José de Rezende Costa e João Dias da Mota, que serão integradas ao Panteão, no Museu Nacional da Inconfidência., na antiga Vila Rica.

O local passará a guardar os restos mortais de 14 integrantes do movimento que, liderado por poetas, intelectuais, padres, coronéis, em 1789, reagiu contra a cobrança de impostos sobre o ouro, a chamada “derrama”, por parte da Coroa portuguesa.

O discurso da presidente, o primeiro a ser proferido em Minas Gerais depois da posse de Dilma, reverenciará os heróis mineiros como os primeiros a reagirem contra a dominação e a arbitrariedade.

São políticos de Minas dois dos principais líderes da oposição, cuja tribuna hoje é o senado: Aécio Neves (PSDB), potencial adversário de Dilma em 2014, e Itamar Franco, ex-presidente da República e ex-governador do Estado.

Quase 70 anos após a inauguração do Panteão no Museu da Inconfidência, os restos mortais dos três inconfidentes mineiros serão finalmente depositados no salão do edifício histórico. Desde 1942, o recinto guarda as ossadas de Alvarenga Peixoto, Tomás Antônio Gonzaga e outros 11 revoltosos. Os restos mortais dos inconfidentes foram transferidos para Ouro Preto depois que o então presidente Getúlio Vargas determinou que fossem exumados na África e repatriados, na década de 1930.”

(Com Agências)