Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Taxa de desemprego com ligeiro recuo em julho

“A taxa de desemprego no Brasil foi de 6% em julho, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira. O resultado é o menor para o mês desde o início da série histórica, em 2002.

O desemprego registrou ligeiro recuo em relação a junho, quando a taxa ficou em 6,2%. Em relação a julho de 2010 (6,9%), a queda foi de 0,9 ponto percentual.

Segundo o IBGE, a população desocupada nas seis regiões metropolitanas pesquisadas ficou estável em relação a junho, com 1,4 milhão de pessoas. Na comparação com julho de 2010, houve queda de 12,1% – o que indica “menos 200 mil pessoas a procura de trabalho”.

O nível da ocupação – que indica a proporção de pessoas empregadas em relação às em idade ativa – ficou estável frente a junho, em 22,5 milhões. Frente a julho de 2010, observa-se aumento de 2,1%, ou 456 mil pessoas.

No setor privado, o número de trabalhadores com carteira assinada subiu 1,2% frente a junho, para 10,9 milhões de pessoas. Na comparação anual, a alta foi de 7,1%.”

(Com Agências)

Grupo Pague Menos abre sua 451ª filial no País

O Grupo Pague Menos abriu, nesta semana, em Ipatinga (MG), sua 451º filial. A informação é do diretor de Relações com o Mercado, Geraldo Gadelha, acrescentando que a expansão continua sendo uma das principais metas do grupo.

Gadelha lembra que o Grupo Pague Menos é o único no País com filiais em todos os Estados e adianta mais: “Com um dado: temos o controle de 6% do mercado de medicamentos do País.”

Dnit – Nomeados cinco diretores

143 1

“O Diário Oficial da União publica na edição de hoje (25) os decretos de nomeação de cinco novos diretores para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Os decretos assinados pela presidenta Dilma Rousseff e pelo ministro Sérgio Passos nomeiam Mário Dirani para o cargo de diretor de Infraestrutura de Transportes; Paulo de Tarso Cancela Campolina de Oliveira para o cargo de diretor de Administração e Finanças; Tarcísio Gomes de Freitas para o de diretor-executivo; Adão Magnus Marcondes Proença para o de diretor de Infraestrutura Aquaviária; e Jorge Fraxe para ser o diretor-geral.

Todos eles substituem funcionários exonerados em função das denúncias de corrupção no órgão.”

(Agência Brasil)

Lugar de golpista é na lata do lixo, diz articulista

173 7

Com o título “Golpistas devem ir pro lixo da história”, eis artigo do jornalista Messias Pontes. Ele aborda a manutenção de prédios e outras homenagens a ditadores. Ele cita como exemplo do ex-presidente Castello Branco. Confira:

Com a passagem da Caravana Direitos Humanos pelo Brasil, por Fortaleza, na última quinta-feira (18.08), comandada pela ministra Maria do Rosário, todas as entidades que lidam com os direitos humanos foram mobilizadas e participaram dos eventos realizados no Palácio da Abolição e na Assembleia Legislativa, onde foi lançado o Comitê pró Comissão da Memória, da Verdade e da Justiça.

O Ceará foi o primeiro estado a receber a Caravana, fato destacado tanto pela ministra como pelo governador Cid Gomes, que emprestou total apoio, comprometendo-se a enfrentar as mais diversas violações aos direitos humanos e fortalecer políticas nessa área. Várias entidades e personalidades foram homenageadas. Pra variar, a prefeita Luizianne Lins não compareceu ao Palácio da Abolição e nem à Assembléia Legislativa onde presidiu a Comissão de Direitos Humanos.

A passagem da Caravana por Fortaleza motivou diversas entidades a questionarem a permanência de homenagens oficiais a golpistas e torturadores, destacando-se a Associação 64/68 Anistia-Ceará e o Instituto Frei Tito de Alencar. Para essas entidades é inconcebível que golpistas e torturadores sejam nomes de ruas, avenidas, colégios e de equipamentos públicos.
É inconcebível que o Palácio da Abolição, que abriga a sede do governo estadual, tenha um memorial em homenagem ao Marechal Castelo Branco, primeiro ditador pós-golpe de Estado de 1º de abril de 1964. Castelo Branco também é nome de Avenida (Leste-Oeste), de colégio estadual e até de auditório da Universidade Federal do Ceará, cujo campus do Benfica foi uma trincheira de lutas contra a ditadura militar e que teve vários professores, funcionários e alunos punidos, alguns até com a morte, como é o caso de Bérgson Gurjão Farias.

Castelo Branco traiu a confiança do presidente João Goulart, que o indicou para o comando do IV Exército, sediado em Recife, hoje Comando Militar do Nordeste. Além de trair o Presidente da República constitucionalmente eleito, Castelo Branco rasgou a Constituição Federal de 1946 que jurou defender e aceitou ser o primeiro ditador. Ao assumir a Presidência da República, ele garantiu que somente cumpriria o restante do mandato do presidente João Goulart e em seguida entregaria o poder aos civis. No entanto não cumpriu a apropria palavra.

O general Garrastazu Médici, talvez o mais sanguinários dos ditadores, também é nome de colégio e Centro Social Urbano. Até o torturador Laudelino Coelho, ex-diretor da Polícia Federal, é nome de rua no bairro de Fátima onde se situa o prédio do Departamento de Polícia Federal.
O período da ditadura militar – 1º de abril de 1964 a 15 de março de 1985 – representou a terceira grande tragédia vivida pelos brasileiros (as anteriores foram  os quase quatro séculos de escravidão e a ditadura do Estado Novo). A serviço das oligarquias, do latifúndio e do imperialismo norte-americano, os setores mais reacionários das Forças Armadas, com o apoio da velha mídia conservadora, venal e golpista depuseram o presidente constitucionalmente eleito sob a alegação de corrupção e do perigo da implantação de uma república sindicalista. O comando de toda a trama antidemocrática e antipatriótica foi do embaixador ianque  em Brasília,  Lincoln Gordon.

O golpe militar deveria ter sido dado exatamente há 57 anos, mas foi abortado porque o presidente Getúlio Vargas, no dia 24 de agosto de 1954 deu um tiro no peito em resposta aos brigadeiros golpistas que, dois dias antes, no Clube da Aeronáutica, exigiram a sua renúncia. “Só saiu daqui morto”, enfatizou o presidente da República.

Os militares golpistas tentaram ainda impedir a posse de João Goulart após a renúncia do presidente Jânio Quadros, em 25 de agosto de 1961. Portanto, toda a alegativa para o golpe de 1º de abril de 1964 é pura hipocrisia. E o golpe atingiu não só os civis, mas milhares de militares das três Armas e de todas as patentes. Muitos, como o capitão Carlos Lamarca, partiram para a resistência armada à ditadura impopular e impatriótica.

No último sábado, à noite, ao som do Tenorinho, músico popular brasileiro seqüestrado e morto em Buenos Aires, em 1976, como parte do Plano Condor, cinco dezenas de pessoas, com o apoio da Associação 64/68 Anistia-Ceará e do Instituto Frei Tito de Alencar, protestaram em frente ao Palácio da Abolição pela persistência de monumentos da época da ditadura em espaços públicos, como o mausoléu do ditador Castelo Branco.

O lugar de todos os golpistas e torturadores é na lata do lixo da história.

* Messias Pontes,

Jornalista, radialista e membro do PCdoB/Ceará. 

Dilma está "na mão" de PT e PMDB, diz Cid Gomes

101 2
“A presidente Dilma Rousseff “fica na mão” de decisões tomadas por PT e PMDB no Congresso, afirmou o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), nesta quarta-feira (24). “Ela está absolutamente condicionada a decisões que PT e PMDB tomem”, disse.
Para o governador, Dilma resolverá o problema se estabelecer “contrapontos” e colocar o PMDB “no seu devido lugar”. Gomes sugere que a petista fortaleça o PSB, o PDT e o PC do B. Ele chama essas siglas de “terceira força”.
O político falou sobre o governo Dilma no programa “Poder e Política – Entrevista”, conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília. O projeto é uma parceria do UOL e da Folha.
Na entrevista, Cid Gomes ainda defendeu o presidente do Senado, José Sarney (PMDB), que usou helicóptero da Polícia Militar do Maranhão em viagem particular. Ele também revelou pretensão de lançar o irmão mais velho, Ciro Gomes (PSB-CE), como candidato ao Senado em 2014.”
(Folha)
*Confira a matéria e o vídeo da entrevista aqui.

Ubiratan Aguiar garante estar em situação legal

268 1

O professor Irapuan Aguiar, leitor do Blog e irmão do ministro do TCU, Ubiratan Aguiar, nos manda nota esclarecendo o caso do seu irmão que aparece com remuneração de aposentado da Assembleia Legislativa.  Diz ele:

Sobre esses casos, é preciso separar o joio do trigo:

– São situações absolutamente distintas da apreciada pelo TCE;

– A pensão parlamentar percebida, no caso, na proporção de 12/20 avos da parte fixa do subsídio do deputado estadual, tem base legal porquanto paga por uma Carteira Parlamentar fechada, de natureza privada, ainda que gerenciada pelo SUPSEC;

– Quando de sua extinção, as situações consolidadas foram resguardadas (v. leis 10.122/77 e 10.809/83).

Já o ministto Uiratan Aguiar (TCU), em contato telefônico com o Blog, diz estar em situação legal e amparado por pareceres do Conselho Nacional de Justiça, Conselho Nacional do Ministério Público e Tribunal de Justiça do Estado.

Confira a nota aqui veiculada:

“O Tribunal de Contas do Estado (TCE) derrubou, na última terça-feira, o acúmulo de vencimentos pelo conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Francisco Aguiar. Mas há outros casos que merecem atenção. Sete ex-deputados estaduais cearenses integrantes de tribunais de contas, na ativa ou aposentados, estão na folha de pensionistas parlamentares da Assembleia Legislativa. A relação foi divulgada no Diário Oficial de 31 de janeiro de 2011. Estão lá os nomes dos conselheiros aposentados do TCM Airton Maia Nogueira e Antônio Leite Tavares, além de José Marcelo Feitosa, ainda na ativa na Corte. Do TCE, estão os aposentados Epitácio Batista de Lucena, Júlio Gonçalves Rego e Stênio Dantas de Araújo. Completa a relação Ubiratan Diniz Aguiar, ministro recém-aposentado do Tribunal de Contas da União (TCU). Na medida em que recebem pela Assembleia, nenhum deles pode receber remuneração dos respectivos tribunais de contas.

Todos os casos são da competência do TCE e, considerando-se a jurisprudência criada a partir do julgamento de terça-feira, quaisquer acúmulos de rendimentos deverão ser suspensos. O próprio Tribunal chegou a autorizar aposentadorias pelo menos nos casos de Epitácio Lucena, Stênio Dantas, Airton Maia e Antônio Tavares. Caso os pagamentos permaneçam até hoje, devem ser interrompidos pelo TCE. Da mesma forma, Marcelo Feitosa não pode receber salário do TCM. Tampouco Aguiar pode acumular remuneração do TCU com o ganho pela Assembleia – com o detalhe de que, por estar na esfera federal, o salário do TCU supera o piso estadual e, portanto, o salário de conselheiro do TCE e do TCM.”

Justiça manda Extra ressarcir cliente que comprou produto com defeito

“A Companhia Brasileira de Distribuição (Extra Hipermercados) foi condenada a ressarcir um cliente que adquiriu aparelho de DVD defeituoso. A decisão é da 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). Conforme os autos, em novembro de 2003, o professor F.C.R. foi a uma das lojas do Extra, em Fortaleza, e adquiriu um aparelho de DVD pelo preço de R$ 695,00. Algum tempo depois, no entanto, o produto apresentou defeito.

O consumidor levou o aparelho à autorizada, mas o problema não foi resolvido. Sentindo-se prejudicado, e alegando ter sofrido “diversos dissabores”, ingressou com ação na Justiça contra o Extra e a SVA do Brasil, fabricante do DVD. O professor requereu indenização por danos materiais e morais.

Em contestação, o Extra sustentou que a garantia do produto é concedida pelo fabricante, não pelo revendedor. Afirmou ainda que o cliente só procurou a assistência técnica dois meses depois da compra, ou seja, fora do prazo para a troca do DVD. A SVA do Brasil, por sua vez, não apresentou nenhuma contestação.

Em agosto de 2008, o Juízo da 10ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza condenou as empresas a pagar, solidariamente, R$ 3 mil a título de dano moral, além de restituir o valor gasto com o aparelho. Objetivando a reforma da sentença, o Extra ingressou com apelação (nº 799387387-05.2000.8.06.0001/1) no TJCE.

Ao analisar o caso, na última quarta-feira, a 5ª Câmara Cível deu parcial provimento ao recurso, extinguindo a indenização por danos morais, mas mantendo a reparação material. Segundo o relator do processo, desembargador Francisco Suenon Bastos Mota, o consumidor não comprovou o abalo sofrido. “Comprovado o defeito no aparelho, outra não podia ser a medida adotada pelo Juízo a não ser determinar a restituição da quantia que o autor despendeu com o aparelho. Esse, no entanto, foi o único dano comprovado nos autos”, afirmou.”

(Site do TJ-CE)

Ministério da Saúde libera R$ 9 milhões para tratamento de cânceres de mama e de útero

“O Ministério da Saúde determinou hoje (25) a liberação de R$ 9.331.000,00 para a prevenção, o diagnóstico e o tratamento de cânceres de mama e colo de útero. A portaria está publicada no Diário Oficial da União. Segundo especialistas, no Brasil o câncer de mama é a maior causa de mortes pela doença entre as mulheres, principalmente as que têm de 40 a 69 anos. Um dos fatores que dificultam o tratamento é o estágio avançado em que geralmente a doença é descoberta.

A utilização dos recursos será coordenada pelo Programa Nacional de Controle do Câncer de Colo de Útero e de Mama e os departamentos de Atenção Especializada (DAE) e Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas (Drac)

O total de R$ 9.331.000,00 está dividido em R$ 7.381.000,00 para custeio dos exames citopatológico, cérvico, vaginal e microflora, além de R$ 1.950.000,00 destinados aos estados que fazem o monitoramento externo desse mesmo teste.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) será responsável pelo controle, monitoramento e pela avaliação do procedimento para o controle de qualidade do exame específico que leva ao diagnóstico dos tumores.

De acordo com especialistas, o câncer de colo de útero, entre todos os tipos da doença, é o que apresenta um dos mais altos potenciais de prevenção e cura, se diagnosticado precocemente. Em geral, a incidência é mais elevada em mulheres com idade de 40 a 60 anos.

Na tentativa de impedir  o avanço da doença, mulheres com idade entre 25 e 59 anos devem fazer exames de diagnóstico precoce (como o Papanicolaou e exames de confirmação diagnóstica), além do tratamento necessário de acordo com cada caso.

A prevenção pode ser feita por meio do uso de preservativos durante a relação sexual, para evitar o contágio por HPV (vírus do papiloma humano), pois esse vírus é um dos agravantes no desenvolvimento do câncer de colo de útero e das lesões que o precedem.

O câncer de mama é apontado como a maior causa de óbitos por câncer na população feminina, principalmente na faixa etária de 40 a 69 anos. A demora no tratamento é uma das principais causas desses dados, assim como a lentidão no diagnóstico. Mulheres com mais de 40 anos devem fazer o exame pelo menos uma vez por ano. Aquelas que têm de 50 a 69 devem fazer os exames a cada dois anos, assum como a mamografia.”

(Agência Brasil)

Brasileiro merece respeito!!

Está na hora da boa relação de Obama com o Brasil se traduzir em respeito a quem vai, por exemplo, renovar o visto em Recife (PE).

Ali, a triagem da clientela ocorre ainda na calçada e quem está na fila pega chuva ou sol. Tudo bem que há uma questão de segurança, mas tratar com dignidade o ser humano é um dos princípios apregoados pelos americanos.

Até quando tal situação?

PMDB terá candidato em Fortaleza, diz líder

“O líder do PMDB na Câmara, Henrique Alves (RN), garantiu para Vertical que o partido terá candidato nas Capitais e em cidades onde há segundo turno. “É uma resolução da executiva nacional. O PMDB quer em 2012 reforçar presenças nas Câmaras. Partido que não disputa, se fragiliza”, diz.

Ele considera fundamental candidaturas em Fortaleza, por exemplo, lembrando que em Natal, onde faz política, por não disputar, a sigla perdeu consistência. A reação veio após ter lido nesta Coluna sobre possível candidatura de Danilo Forte a prefeito.

Soou como recado para o presidente local do PMDB, senador Eunício Oliveira, que evitaria o assunto.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Licitação da Embratur é cancelada por suspeita de fraude

126 1

“As suspeitas de fraudes com verbas do Turismo, que já resultaram na prisão de 36 pessoas há duas semanas, não se limitam ao jogo de cartas marcadas entre integrantes da cúpula do ministério e organizações não governamentais fajutas.

Diante do risco de um novo escândalo, o presidente da Embratur, Flávio Dino, decidiu na última terça-feira cancelar, por suspeita de irregularidades, a licitação de R$ 10 milhões para escolher a empresa que se encarregaria da administração dos Escritórios Brasileiros de Turismo (EBTs) no exterior.

A disputa teria sido direcionada para favorecer a Interamerican Viagens e Turismo e a Promo Brasil Representação, as duas primeiras colocadas na concorrência. A Interamerican tem entre os sócios a mulher e o sogro de José Zuquim, ideólogo petista para assuntos de turismo.

A Promo pertence a Gisele Antunes Lima, também próxima de Eduardo Sanovikz, presidente do Anhembi Parque na administração da ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy. A gestão dos EBTs no exterior é um dos contratos mais cobiçados da Embratur. Os dirigentes dos escritórios se tornam uma espécie de “diplomatas do turismo” brasileiro em vários países.

Flávio Dino cancelou a concorrência por recomendação da Comissão de Licitação. Oficialmente, a Embratur alega que decidiu refazer o processo porque a vencedora da disputa, a Interamerican, abriu mão de um dos dois contratos. Isso prejudicaria o resultado final do programa.

Mas dirigentes da própria instituição confidenciaram ao GLOBO que o certame foi cancelado por suspeita de irregularidades. Ao abrir mão de um dos contratos, a Intermarican favoreceria a Promo. A concorrência teve início no fim do ano passado, ainda durante a gestão do ex-secretário-executivo do ministério Mário Moysés, um dos investigados na Operação Voucher.

(Globo)

Jânio Quadros – 50 anos de mistério

“Era madrugada de 25 de agosto de 1961, exatos 50 anos atrás. Deputado federal pelo Ceará, Esmerino Arruda tomava uísque na casa do então ministro da Justiça, Pedroso Horta. Saiu de lá às 4 horas e seguiu para descansar no Palace Hotel. Nem imaginava as surpresas que o dia lhe reservava. Chegou às 11 horas à Câmara Federal, quando o deputado Abelardo Jurema lia um texto para a Casa lotada. “Um alvoroço doido”. Para seu espanto e dos colegas, era a carta de renúncia do presidente Jânio Quadros.

“Foi uma decepção muito grande. Como é que o sujeito renuncia sem dar satisfação a ninguém?”, questiona. Para Esmerino, ninguém na festa, que teve início na noite do dia 24 e varou a madrugada, podia prever a atitude que Jânio Quadros estava prestes a tomar. Se estivesse na Casa no momento em que a carta chegou, ele acredita que teria mudado a história. “Se eu estivesse lá, tinha rasgado essa renúncia”, admite.

Hoje, com 89 anos, ainda ativo na política e prefeito licenciado de Granja, Esmerino tem suas teorias para explicar a atitude de Jânio. Para ele, tratou-se de uma tentativa fracassada de “golpe”.

Por dentro

Esmerino Arruda trabalhou na campanha do “Vassourinha” e sabia dos bastidores. Presidente e vice-presidente eram eleitos em votos diferentes. Oficialmente, Jânio declarava apoio a Milton Campos para ser seu vice. “Mas ele mandava a gente botar (apoio a João Goulart) por trás. Era Jan Jan, Jânio e Jango”, conta Esmerino, mostrando a foto do veículo usado na campanha com os nomes de Jânio Quadros e João Goulart como se formassem uma chapa única.

No entender de Esmerino, quando Jânio decidiu apoiar Jango como vice, já estava “maquinando” a renúncia. “Jango não tinha a simpatia dos militares e Jânio sabia que as forças armadas não o aceitavam. Ele fantasiou a renúncia achando que ninguém ia aceitar. Já fez isso de malandro”, interpreta Esmerino. João Goulart havia viajado para China. Seria o momento perfeito. Jânio imaginava que o povo e os militares não aceitariam sua renúncia e clamariam por sua volta. “Se voltasse, Jânio ia pedir plenos poderes”, especula Esmerino. Não foi o que aconteceu.

O presidente da Câmara dos Deputados, Ranieri Mazzili, assumiu a presidência. O povo também não reagiu. Segundo Esmerino, os militares dificultaram a entrada de João Goulart ao país, retardando sua posse.

Na sua lembrança, Jânio era um homem de grande autoridade, muito inteligente, falava corretamente o português, tinha o prestígio dos militares, mesmo que tivesse desagradado a classe quando condecorou Che Guevara e recebeu a visita de Fidel Castro. Tinha oscilações de humor. “Ele era uma pessoa estranha. Mudava da água pro vinho, coisa de doido”, ri.

Jânio foi vereador, deputado estadual, prefeito da maior cidade da nação, São Paulo, governador, deputado federal e chegou a presidente da República, num curto intervalo de tempo. Governou o país por apenas sete meses. No reencontro com Jânio, Esmerino não se satisfez com as explicações. “Falei com ele depois, mas ele não se justificava, sabe? Dizia que foi por forças ocultas. Mas isso não existia”, garante.”

(O POVO)

Furto ao BC – Polícia prende suspeito

“A Polícia Militar prendeu na noite desta quarta-feira, em São Paulo, um dos suspeitos pelo assalto ao Banco Central de Fortaleza, em 2005, de onde foram roubados quase R$ 165 milhões. Antônio Reginaldo de Araújo, 34 anos, era procurado pelo crime e foi detido por policiais da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar), de acordo com a Globonews.

Por meio de uma denúncia anônima, o assaltante, que não reagiu, foi preso em uma oficina mecânica na Zona Sul da cidade. Ele afirmou que gastou toda a parte que lhe coube no furto, cerca de R$ 5 milhões, segundo a polícia.

No início de junho, a Polícia Civil de São Paulo apresentou o mentor do furto ao BC. De acordo com o diretor do Departamento Estadual de Investigações Sobre Narcóticos (Denarc), Wagner Giúdice, Edésio Batista das Neves Sobrinho, 33 anos, já estava reorganizando uma quadrilha para atuar no tráfico de São Paulo.

O mentor do furto foi preso no início de junho 

O criminoso havia sido preso em 2008 pela Polícia Federal, quando se envolveu em um acidente de carro. Ele foi transferido para um presídio de Itaitinga, a 26 km de Fortaleza, de onde conseguiu fugir, em 5 de fevereiro deste ano. Na data, dez homens aramados com fuzis invadiram o presídio, renderam os policiais e soltarem dez presos, entre eles, Edésio.

O criminoso foi preso em decorrência de uma investigação do Denarc. Giúdice ressalta que Edésio tem perfil de líder. “É um cara articulado, fala bem português, conhece a legislação e tem boas noções geográficas”, afirmou.

No roubo de Fortaleza, a quadrilha levou quase R$ 165 milhões em notas de R$ 50 da agência durante um final de semana. Eles conseguiram acessar o cofre por meio de um túnel escavado a partir de uma casa próxima. O furto, que registrou a maior quantidade de dinheiro já levada de um banco por ladrões, chegou a ser inserido no Guinness Book.”

(JB Online)

Ex-presidente da CNI dá palestra em Fortaleza

O ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), senador Armando Monteiro (PTB), estará em Fortaleza nesta quinta-feira. Aqui, ele dará palestra a partir das 19h30min, no Hotel Gran Marquise, sobre o tema “Risco da Desindustrialização no Brasil”, atendendo a um convite da Plena Consultoria e Estudos e a Faculdade Oboé. Monteiro é autor de requerimento que discutiu a temática recentemente na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

O ex-governador e economista Gonzaga Mota atuará como moderador na ocasião.

Armando Monteiro aponta como fator principal da desindustrialização do País as questões ligadas ao câmbio e aos juros. Para ele, é fundamental uma atuação unificada dos representantes do setor privado e do público para a construção de uma agenda que estabeleça os rumos do país.

Mário Negromonte está com dias contados à frente do Ministério das Cidades

O tempo de Mário Negromonte à frente do Ministério das Cidades está contado. Segundo fontes do Planalto, a presidente Dilma Rousseff e seus assessores mais próximos avaliam nomes para substitui-lo.

Em sua última edição, VEJA revelou que, na semana passada, o ministro instalou um grupo de quatro deputados de sua inteira confiança – João Pizzolatti, Neuson Meurer, Luis Fernando Faria e José Otávio Germano – numa sala anexa ao seu gabinete. Objetivo: convencer os colegas do PP a apoiar uma ofensiva para retomar o comando da legenda no Congresso.

Três deputados que participaram da reunião revelaram a colegas que um dos argumentos utilizados para tentar cooptá-los foi a promessa de uma mesada de 30 000 reais.

Diante da gravidade da denúncia, o caso foi levado por representantes do próprio PP ao conhecimento do Palácio do Planalto. Instado a se explicar, no último sábado Negromonte divulgou uma nota negando não só a oferta de dinheiro mas também a existência da “reunião partidária dentro das dependências do Ministério das Cidades”.

Ocorre que, em entrevista a VEJA na última sexta-feira, antes da publicação da reportagem, João Pizzolatti confirmou a reunião com os deputados, disse que ela aconteceu na antessala do ministro, que participaram das discussões ele e mais três colegas e que Negromonte entrava e saía da sala a todo instante.

Ele negou apenas a existência da oferta financeira. Leia abaixo a entrevista em que o ministro é desmentido por um de seus aliados mais próximos:

O senhor foi ao ministério terça-feira, dia 16?

Sim, fui.

Quais foram as reuniões que o senhor teve lá?

Estavam lá alguns deputados. Eu, o deputado Nelson Meurer, o deputado Luis Fernando Faria e o deputado José Otávio Germano. Basicamente isso. Nós ficamos na antessala. O ministro aparecia, conversava conosco e voltava para atender outras pessoas.

Vocês ficaram na antessala do ministro?

O ministro tem várias salas. Nós ficamos numa antessala e o ministro vinha, conversava com a gente. Sei que ele atendeu nesse período o deputado Aguinaldo Ribeiro com o pai dele e o deputado Raul Lima. Eu conversei com o deputado Raul Lima.

Qual foi o teor da conversa com o Raul Lima?

Foi a manutenção dele no PP. Eu disse: “Raul, se depender de mim você não sai do partido. Vamos buscar um entendimento com o Neudo Campos para que a gente construa uma possibilidade de você ficar e se manter num bom relacionamento do PP em Roraima”. Foi basicamente isso.

Em algum momento o senhor falou com ele sobre liderança?

Ah, conversei, é claro. Ele tinha assinado a lista que tirou o Nelson Meurer da liderança. É claro que eu pedi para ele vir para o nosso lado. Ele disse que estava pensando, porque já tinha assinado, tinha dado a palavra, se sentia constrangido em mudar uma posição já tomada. Alguma coisa nesse sentido.

O senhor pediu para ele mudar de lado?

É claro que eu pedi. Mas não com o ministro, o ministro não estava presente.

O senhor lhe ofereceu alguma coisa?

Não, absolutamente nada. Não foi oferecido absolutamente nada a ninguém.

Foram vocês que convidaram o Raul Lima para ir lá ou ele apareceu de repente?

Eu não sei como ele foi lá. Provavelmente ele marcou uma audiência com o ministro e nós nos encontramos. Eu fiquei atrás do Raul, telefonei várias vezes para falar com ele. Ele não me atendia. Acabei por encontrá-lo no ministério.”

(Veja Online)

Antes de vir para Fortaleza, presidente da OAB nacional lança Observatório da Corrupção

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, disse hoje (24), em Brasília, no lançamento do Observatório da Corrupção, que a sociedade brasileira precisa se conscientizar de que é a protagonista no combate a corrupção. “A sociedade pode transformar, sim, por meio da legitima pressão que ela exerce nos poderes públicos . E ela [sociedade] deve mobilizar-se no sentido de combater essa pandemia que é a corrupção”, disse.

O Observatório da Corrupção pretende ser o canal entre a sociedade e a OAB para o envio de denúncias de casos de corrupção pela população. O objetivo, segundo Cavalcante, é fazer pressão para que o Poder Judiciário dê prioridade aos processos envolvendo malversação de recursos públicos, tráfico de infuência e outros desvios que caracterizam a corrupção, julgando e punindo com maior celeridade os envolvidos.

Na página do Observatório da Corrupção na internet , além de denunciar, o cidadão também vai poder acompanhar o andamento dos casos de corrupção noticiados pela mídia. Na próxima semana, a OAB vai divulgar no portal uma relação dos principais processos que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

As denúncias recebidas pela Ordem dos Advogados do Brasil serão monitoradas pela Comissão Nacional de Combate à Corrupção e os denunciantes têm a garantia do anonimato.

No lançamento do Observatório, Cavalcante informou que a OAB vai ajuizar no Supremo uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra os mecanismos da Lei Eleitoral que permitem o financiamento de campanha por empresas. “O embrião da corrupção reside no financiamento de campanhas eleitorais por empresas privadas,” disse Cavalcante.

DETALHE – Ophir Cavalcante vai amanhecer nesta quinta-feira em Fortaleza. Ele é conferencisita do III Congresso Estadual dos Advogados, que ocorrerá até sexta-feira no Gran Marquise Hotel. Nessa ocasião, Ophir falará, sem dúvida, sobre o Observatório da Corrupção.