Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Ministério do Turismo define critérios de investimento em aeroportos regionais

“A adoção de novos critérios para a realização de investimentos públicos na construção, reforma ou ampliação de aeroportos regionais entrou na pauta da reunião do ministro de Turismo, Pedro Novais, com o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Aviação Regional (Abetar), Lázaro Chryssafidis.

Os critérios defendidos pela Abetar são resultado de um estudo realizado pela entidade em 174 cidades brasileiras de todas as regiões do país. O levantamento, feito em parceria com Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília (UnB), tem o objetivo de orientar o investimento público.

“Queremos definir prioridades baseadas nos planos de investimentos das empresas, no atrativo turístico ou na existência de infraestrutura hoteleira”, explicou o dirigente da Abetar. O estudo confere notas e faz projeções sobre o crescimento do tráfego aéreo nos municípios a partir da entrada em operação de cada um dos 174 aeroportos.

Em muitas cidades existem pistas de pouso, mas faltam outros requisitos para a obtenção da licença de operações concedida pela Agencia Nacional de Aviação Civil. Para obter essa licença, os aeroportos regionais devem ter um terminal de passageiros, tamanho da pista adequado, pátio para o estacionamento de aeronaves, equipe de corpo de bombeiros, estacionamento para veículos, iluminação, cerca patrimonial e equipamentos de segurança (raios X).

O tamanho da pista, do pátio de estacionamento de aviões e dos demais equipamentos é definido com base no tipo de operação que ele vai realizar. O ministro do Turismo, Pedro Novais, firmou compromisso avaliar a proposta e, se necessário, encaminhá-la para a área técnica. 

(MinTUR)

Dom Sérgio da Rocha, o arcebispo de Brasília

Dom Sérgio, ex-bispo-auxiliar de Fortaleza.

O arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio de Aparecido Tose, comandará grupo de cearenses que assistirão, no próximo sábado, ao ato de posse de dom Sérgio da Rocha como arcebispo de Brasília.

Dom Sérgio foi bispo-auxiliar de Fortaleza e, antes de ser nomeado arcebispo de Brasília, foi também arcebispo de Teresina (PI). A nomeação dele foi divulgada no dia 15 de junho último pelo Papa Bento XVI.

“Quero que a Igreja de Brasília possa testemunhar a comunhão que se fundamenta na fé e que está enraizada no amor que se expressa, depois, nas diversas iniciativas pastorais”, destacou Dom Sérgio em entrevista à Canção Nova.

Empresa de consultoria cearense expande mercado

131 2

O diretor da empresa cearense de consultoria Instituto Empresariar, Cícero Rocha, estará em São Luis (MA) nesta quinta e sexta-feira. Ele dará palestra sobre o tema  “Empresas Familiares” para associados da Aliança Brasileira da Advocacia Empresarial (Albrae).

Cícero foi convidado pelo know-how de quem atua no mercado há mais de doze anos, com a experiência de mais de 180 projetos de sucesso no Brasil e mais de 16 internacionais. O Instituto Empresariar vem sendo requisitado em vários Estados.

Paulo Bernardo é convidado a ir à Câmara falar sobre irregularidades

“A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle aprovou, nesta quarta-feira (3), requerimento para que o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) dê explicações na Câmara sobre seu envolvimento em negociações de contratos para obras rodoviárias e ferrovias, principalmente no Paraná.

O documento foi aprovado após acordo entre base e oposição para transformar a convocação em convite. Ou seja, Paulo Bernardo comparece à Casa apenas se quiser. O líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), no entanto, afirmou que todos os ministros estão dispostos a comparecer.

Autor do requerimento, o deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), cita entrevista dada à Folha pelo ex-diretor do Dnit (Departamento Nacional de Insfraestrutura de Transportes) Luiz Antonio Pagot que fala que o órgão não “inventa orçamento”.

“O Pagot disse que ele [Paulo Bernardo] era responsável por todas as obras, principalmente no Paraná, quando era ministro do Planejamento. Então, queremos ouvi-lo sobre isso”, explicou Macris.

Além de Paulo Bernardo, a Comissão de Fiscalização aprovou, nesta quarta-feira, requerimento de convite para o ministro Paulo Passos (Transportes), também por causa das suspeitas de irregularidades na pasta.

O acordo entre base e oposição é para que Mário Negromonte (Cidades), Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário) e Izabella Teixeira (Meio Ambiente) também compareçam à Câmara para explicar possíveis focos de corrupção em seus ministérios.

O governo não aceitou o convite ao ministro Edison Lobão (Minas e Energia). Eles querem que o presidente da ANP (Agência Nacional de Petróleo), Haroldo Lima, explique as acusações no órgão. O PMDB alega que Lobão não tem competência para decidir sobre assuntos da ANP.

Uma audiência pública com Jorge Hage, da Controladoria-Geral da República, para explicar “as causas e consequências do aumentos dos casos de corrupção em órgãos do governo federal” também não tem o apoio do governo. Esse é outro requerimento de autoria do tucano.

 (Folha.com)

Corrupção – Resultado da relação promíscua do público com o privado

141 1

Com o título “Todo Poder Emana do Povo”, eis artigo do advogado Edson Guimarães, nome dos mais conceituados no campo do Direito Eleitoral. Ele estreia neste Blog tratando abordando a onda de corrupção, a relação promíscua do público com o privado e a impunidade. Confira:

Nós brasileiros temos assistido perplexos a abusiva corrupção que se instalou nos diversos setores da vida publica. A cada semana as edições das revistas de circulação nacional trazem episódios cada vez mais alarmantes diante do tamanho do assalto que se comete aos cofres públicos.

Não vamos aqui nominar, posto que preencheríamos todo espaço somente relacionando nomes de maus gestores,  que se utilizam das funções para tirar proveito próprio e ainda beneficiar padrinhos políticos, na maioria das vezes detentores de mandatos eletivos que são obtidos através de compra deslavada de votos e outros expedientes deploráveis que maculam a vontade popular e aviltam o processo eleitoral.

O relacionamento entre o publico e o privado, extrapolou as raias da promisquidade, posto que a desfaçatez dos envolvidos torna cada vez maiores os escândalos que nos deparamos no cotidiano, sem que os vândalos da democracia sejam alcançados e punidos exemplarmente.

Ao contrário, a impunidade estimula que tais práticas se tornem mais freqüentes e aperfeiçoadas, e que o povo, verdadeiro patrão, responsável pela arrecadação de tributos exorbitantes, que garantem uma arrecadação que a cada dia se torna record, mas que não nos faz recordistas em execelencia nos serviços de saúde publica, educação, saneamento básico, segurança publica, transportes, rodovias  e tantos outros, seja colocado à margem, padecendo de uma carência absoluta.

A sociedade civil de certa forma reage passivamente, sendo poucos e pequenos os focos de reação a tais assaltos de que somos vitimas, o que faz com que mantenham-se esquecidos os golpes lançados contra essa mesma sociedade. É preciso que o povo tenha consciência de sua importância enquanto cidadão e que estes cidadãos tenham consciência de que organizados podem mudar os rumos a que se viu submetido esse pais, uma vez que está em suas mãos a decisão sobre os destinos da nação.

Necessário se faz que o eleitor, assuma seu papel de guardião da sociedade e zele pelo patrimônio que é seu, não se deixando algumas vezes seduzir por propostas enganosas e promessas nem sempre cumpridas, para fazer resgatar a dignidade das instituições, para fazer valer  o que exalta a constituição “todo poder emana do povo”.

* Edson Guimarães,

Advogado especializado em Dieito Eleitoral.

Ministro da Agricultura comparece à Câmara

“O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, está depondo na Câmara dos Deputados, em Brasília. Ali, pretende rebater as declarações de Oscar Jucá Neto, irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), que afirmou à revista “Veja” que no Ministério da Agricultura “só tem bandidos”.

“Tô me pondo aqui à disposição, embora as acusações não sejam da minha época, mas se voltem contra a empresa [Conab], contras as pessoas e contra mim. Há uma série de xingamentos e denúncias vazias”, afirmou Rossi, antes do início do depoimento. Em entrevista à revista “Veja”, Oscar Jucá Neto disse que no Ministério da Agricultura “só tem bandidos” e acusou Rossi de lhe sugerir o oferecimento de propina.

A publicação informou ainda que o irmão de Jucá, exonerado após determinar o pagamento de R$ 8 milhões a um armazém em nome de laranjas, acusou o Ministério da Agricultura, comandado por Wagner Rossi (PMDB), de retardar um pagamento determinado pela Justiça ao armazém Caramuru.

Em entrevista para rebater as acusações, o ministro disse que o irmão de Jucá é um “despreparado, que tenta colocar todo mundo no mesmo saco”. Sobre a auditoria do TCU, afirmou ter determinado aos subordinados o cumprimento das recomendações do tribunal.”

(Folha.com)

Medicina de Sobral abre concurso para professor

“Estão abertas, até 1º de setembro de 2011, as inscrições de concurso público para professor auxiliar do Curso de Medicina do Campus de Sobral da Universidade Federal do Ceará. A vaga ofertada é para o setor de estudo “Semiologia / Clínica Médica / Anatomofisiopatologia”.

O regime de trabalho é de 20 horas semanais e, para se inscrever, o candidato deve efetuar o pagamento de taxa no valor de R$ 38,00. ”

SERVIÇO

Todas as informações sobre o processo seletivo estão no edital nº 194/2011, que pode ser acessado no site da Superintendência de Recursos Humanos da UFC (www.srh.ufc.br/editais.htm). 

(Site da UFC)

Financial Times – Desafio do Brasil é gerir o sucesso

“O Brasil se encontra nos últimos meses na “invejável posição de observador das loucuras do mundo desenvolvido”, mas ainda enfrenta o desafio de “como administrar seu próprio sucesso”, segundo afirma artigo publicado nesta quarta-feira pelo jornal econômico britânico “Financial Times”.

“Um esforçado mercado emergente há uma década, o Brasil é hoje uma imagem de estabilidade macroeconômica e política comparada com seu antes subjugador parceiro do Norte e as antigas potências coloniais da Europa”, observa o jornal.

O texto observa que o pais é hoje credor dos Estados Unidos, tem mais de US$ 327 bilhões em reservas em moedas estrangeiras, uma economia em crescimento e o desemprego em seu nível mais baixo.

“Ainda assim, com o mundo desenvolvido mostrando tendências antes associadas com os mercados emergentes, o desafio para o Brasil é como administrar seu sucesso”, diz o artigo, assinado pelo correspondente do jornal em São Paulo.

Medidas
O texto comenta que o governo brasileiro já tomou várias medidas para tentar conter o fluxo excessivo de divisas, que fortalece o real e reduz a competitividade da indústria brasileira, reduziu o Orçamento para conter o excesso de gastos públicos e também elevou por cinco vezes neste ano as taxas básicas de juros para evitar a inflação fora de controle.

Além disso, o governo também adotou medidas para conter o crédito e o crescente endividamento da classe média. O jornal observa ainda que a presidente Dilma Rousseff vem promovendo demissões no Ministério dos Transportes em resposta a denúncias de corrupção.

Apesar de isso tudo, o artigo afirma que ainda restam muitos desafios ao Brasil – “um mercado de trabalho reduzido, um sistema de educação fraco e a falta de trabalhadores capacitados estão elevando os salários enquanto a infraestrutura precária eleva os custos”, relata o jornal.

“(O Brasil) precisará manter a vigilância para garantir que não semeie as sementes da próxima crise durante o presente período de prosperidade”

O artigo diz ainda que os níveis de endividamento das famílias parecem insustentáveis e que o Brasil precisa “tomar cuidado para não enterrar sua nova classe média sob tanta dívida que quando o próximo período de retração chegar, ela volte à pobreza”.

O jornal complementa a lista de problemas ao afirmar que “o custo dos negócios é proibitivo, em parte por causa dos altos impostos e custos trabalhistas” e observa que “embora os preços das commodities tenham aumentado, os volumes de exportação não aumentaram” e que o Brasil vem usando principalmente essa fonte de recursos do boom das commodities para aumentar a quantidade de importações.

“O Brasil pode se sentir orgulhoso de si mesmo com justiça. Mas precisará manter a vigilância para garantir que não semeie as sementes da próxima crise durante o presente período de prosperidade”, conclui o artigo.”

(BBC Brasil)

Por vingança do Mensalão, PT fala em vetar Gurgel

“Senadores do PT ameaçam, nos bastidores, votar contra a indicação de Roberto Gurgel para um novo mandato à frente da Procuradoria-Geral da República. A ação seria uma retaliação à manifestação entregue por ele em julho, pedindo a condenação de 36 réus no processo do mensalão. Parte dos réus é filiada ao PT.

A articulação petista foi revelada pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), em uma conversa na vice-presidência da República, da qual participaram Michel Temer e outros caciques peemedebistas. O líder do PT, Humberto Costa (PE), reconhece que há desconforto no partido, mas acha que, na hora da votação, os petistas darão respaldo à decisão da presidente Dilma Rousseff de reconduzir Gurgel.

A sabatina do procurador-geral da República ocorrerá nesta quarta-feira, 3, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Se a indicação for aprovada pela comissão, seguirá para o plenário. Nos dois casos, a votação é secreta.

Gurgel foi indicado por Dilma após ter sido o mais votado em eleição da Associação Nacional dos Procuradores da República.”

(Agência Estado)

Lei Maria da Penha completa 5 anos com bons resultados, apesar do preconceito

Cearense Maria da Penha inspirou a lei.

“No mês em que a sanção da Lei Maria da Penha completa cinco anos, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, avaliou que a legislação tem alcançado “bons resultados”, mas que é preciso combater o preconceito – inclusive entre autoridades.

“Acredito que é necessário que as pessoas percam o preconceito que ainda existe em relação a atos dessa natureza. Às vezes, vemos autoridades e pessoas em geral que tratam a violência contra a mulher como um ato banal e não é um ato banal. É um ato que merece reprovação e, inclusive, uma reação social muito forte sempre que se consuma”, disse.

Em entrevista à Agência Brasil, Cardozo classificou a violência doméstica como um tema “delicado e grave”e cobrou mais debates sobre a aplicação do texto. Hoje (3) e amanhã (4), a pasta promove o seminário Lei Maria da Penha – 5 Anos. Representantes do Judiciário devem discutir pontos a serem aperfeiçoados com o objetivo de garantir proteção às vítimas e punição ao agressor.

“Ainda há muito preconceito na aplicação da Lei Maria da Penha e, por essa razão, é muito importante debatê-la nos seus termos e resultados, para que ela possa ser ainda mais eficaz na perspectiva do combate a esse ato odioso que é a violência contra a mulher”, disse o ministro.”

(Agência Brasil)

NOME DE LEI

A biofarmacêutica Maria da Penha Maia lutou durante 20 anos para ver seu agressor condenado. Ela virou símbolo contra a violência doméstica. Em 1983, o marido de Maria da Penha Maia, o professor universitário Marco Antonio Herredia, tentou matá-la duas vezes. Na primeira vez, deu um tiro e ela ficou paraplégica. Na segunda, tentou eletrocutá-la. Na ocasião, ela tinha 38 anos e três filhas, entre 6 e 2 anos de idade. A investigação começou em junho do mesmo ano, mas a denúncia só foi apresentada ao Ministério Público Estadual em setembro de 1984. Oito anos depois, Herredia foi condenado a oito anos de prisão, mas usou de recursos jurídicos para protelar o cumprimento da pena.
O caso chegou à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), que acatou, pela primeira vez, a denúncia de um crime de violência doméstica. Herredia foi preso em 28 de outubro de 2002 e cumpriu dois anos de prisão. Hoje, está em liberdade.

Estudantes negros são menos de 10% nas universidades federais brasileiras

109 1

“Apesar de políticas afirmativas direcionadas para a população negra, esse público ainda é minoria nas universidades federais. Estudo que será lançado hoje (3) pela  Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) sobre o perfil dos estudantes de graduação mostra que 8,72% deles são negros. Os brancos são 53,9% , os pardos 32% e os indígenas menos de 1%.

Ainda que a participação dos negros nas federais seja pequena, houve um crescimento em relação à pesquisa anterior produzida pela Andifes em 2003, quando menos de 6% dos alunos eram negros. Isso significa um aumento de 47,7% na participação dessa população em universidades federais.

Para o presidente da associação, João Luiz Martins, a evolução é “tímida”. Ele defende a necessidade de políticas afirmativas mais agressivas para garantir a inclusão. “A universidade tem uma dívida enorme em relação a isso [inclusão de negros]. Há necessidade de ampliar essas ações porque o atendimento ainda é muito baixo”, avalia.

A entidade é contra uma legislação ou regra nacional que determine uma política comum para todas as instituições, como o projeto de lei que tramita no Senado e determina reserva de 50% das vagas para egressos de escolas públicas. “Cada um de nós tem uma política afirmativa mais adequada à nossa realidade. No Norte, por exemplo, a universidade precisa de uma política que tenha atenção aos indígenas. No Sul, o perfil já é outro e na Bahia outro”, explica Martins.

O estudo mostra que os alunos egressos de escolas públicas são 44,8% dos estudantes das universidades federais. Mais de 40% cursaram todo o ensino médio em escola privada. O reitor da Universidade Federal do Pará (Ufpa), Carlos Maneschy, explica que na instituição metade das vagas do vestibular é reservada para egressos da rede pública. Desse total, 40% são para estudantes negros. Ele acredita que nos próximos anos a universidade terá 20% de alunos da raça negra. “Antes, nem 5% eram de escola pública”, diz.

(Agência Brasil)

Dilma manda ministro acusado ir ao Congresso

“Por orientação da presidente Dilma Rousseff, o vice-líder do governo na Câmara, Odair Cunha (PT-MG), levou aos partidos oposicionistas a proposta de que todos os ministros envolvidos em denúncias irão à Casa prestar esclarecimentos sem precisarem de requerimentos de convocação.

O acordo, anunciado na reunião de líderes partidários, teve a chancela do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS).

Na segunda-feira, 1º, Dilma avisara os aliados que as denúncias de corrupção nos ministérios comandados pela base terão de ser tratadas no Congresso. É a nova estratégia para tirar do colo da presidente a necessidade responder cotidianamente por irregularidades no governo e reservar a Dilma uma agenda positiva.

Na nova estratégia palaciana, o PMDB, partido do vice-presidente Michel Temer, tomou a dianteira. O ministro Wagner Rossi comparecerá nesta quarta-feira, 3, à Comissão de Agricultura da Câmara para prestar esclarecimentos sobre a denúncia feita por Oscar Jucá Neto, irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que há um esquema de corrupção na pasta.

Outra audiência nos mesmos moldes deve ocorrer nas próximas semanas no Senado.

A tática peemedebista foi acertada em reunião entre Temer e caciques do partido.

O PMDB quer mostrar união em defesa da legenda e rebater logo as suspeitas de corrupção, para evitar uma “faxina” nos moldes da ação em curso no Ministério dos Transportes.”

(Estadão)

CPI do Dnit – Dois senadores retiram assinatura e comprometem a possível investigação

135 1

“No segundo dia de funcionamento do Congresso e exatamente um mês após o início da crise nos Transportes, que já resultou na demissão de quase 30 pessoas no Ministério e no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a oposição conseguiu [ontem] as 27 assinaturas necessárias para a criação de uma CPI no Senado.

Mas a instalação da CPI ainda é uma incógnita. Ainda [ontem]  à noite, o Palácio do Planalto usou a força do poder e conseguiu retirar a assinatura do senador João Durval (PDT-BA) e deveria convencer também o senador Reditario Cassol (PP-RO) a fazer o mesmo. Do outro lado, a oposição buscava apoio de outros descontentes da base aliada.

O senador João Durval (PDT-BA) integra a base governista e foi um dos quatro senadores que assinaram o pedido [ontem], permitindo que a oposição alcançasse as 27 assinaturas necessárias para a instalação de uma CPI.

Sem Durval, sobram 26 assinaturas, número insuficiente, mas a oposição ainda se movimenta para garantir a CPI. O governo também está em campo para convencer mais senadores a retirar seu apoio.

Mais cedo, a oposição havia conseguido a última assinatura que faltava para criar a CPI do Dnit, que vai investigar denúncias de corrupção na área de transportes. O 27º senador a assinar o requerimento de criação da CPI foi Reditario Cassol (PP-RO), suplente de Ivo Cassol (PP-RO).

Para criar uma CPI é necessário o apoio de um terço dos senadores, que são 81 no total. ”

(Globo)

Morre o ator Ítalo Rossi

“Morreu nesta terça-feira (2) o ator Ítalo Rossi, aos 80 anos, informou seu sobrinho, Humberto Rossi. Ítalo Balbo Di Fratti Coppola Rossi nasceu em Botucatu, interior de São Paulo, em 19 de janeiro de 1931. Ele tinha 55 anos de carreira.

Segundo Humberto, o ator estava internado há dois dias no Hospital Copa D’Or, no Rio de Janeiro, e morreu por volta das 16h, de complicações respiratórias.

De acordo com o sobrinho, o corpo de Ítalo Rossi será velado nesta quarta-feira (3) e sepultado a partir das 16h no Cemitério Municipal São Francisco Xavier (Caju), na zona portuária do Rio.”

(Portal G1)

PT exclui Palocci da disputa pela Prefeitura de Ribeirão Preto

146 1

“A comissão executiva municipal do PT de Ribeirão Preto aprovou na última segunda-feira a filiação ao partido do juiz aposentado João Gandini. O ex-juiz é o nome preferido do PT para disputar a prefeitura da cidade no ano que vem. A filiação é mais um golpe duro contra o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci. Como juiz, Gandini foi o responsável durante três anos pelo processo no qual Palocci foi acusado de improbidade administrativa em uma licitação para compra de molho de tomate para as escolas municipais, quando o ex-ministro era prefeito de Ribeirão.

“Não me lembro do processo mas não é isso que está em discussão. Se o dr. Gandini tomou alguma atitude que possa ter prejudicado Palocci é porque estava cumprindo o dever dele como juiz”, disse o presidente do diretório municipal do PT de Ribeirão, Pedro Sampaio.

A assinatura da ficha de filiação aconteceu no sábado mas a entrada do juiz no PT foi homologada apenas na segunda-feira. Antes de fechar com o PT o juiz flertou com outros partidos como DEM e PSDB. Ao longo de 27 anos de magistratura, Gandini construiu uma reputação de homem ativo e incorruptível. Uma vez chegou a abandonar o gabinete para viver em uma favela da cidade.

Mas o processo que trouxe mais holofotes para o juiz foi aquele em que Palocci foi acusado de improbidade administrativa por exigir em um edital de licitação que o molho de tomate da merenda escolar tivesse ervilhas. Apenas uma empresa participante da licitação oferecia o produto. O Ministério Público interpretou a exigência como uma forma de driblar a concorrência. Palocci acabou absolvido pelo Supremo Tribunal Federal.”

* Leia mais aqui.

Evaldo Gouveia e um projeto que comemora seus 80 anos

286 2

O cantor e compositor Evaldo Gouveia, conhecido por sucessos como “Bloco da solidão”, “Sentimental demais” e “Brigas”, vai comemorar seus 80 anos com um projeto dedicado aos fãs e amantes da música nacional: “Evaldo Gouveia 80 anos”.’ Esse projeto trará ao palco o mestre que embalou carnavais e baladas românticas.

O primeiro show ocorrerá neste sábado, a partri das 22 horas, no BNB Clube e contará com a apresentação do grande homenageado acompanhado de um time de feras da música instrumental cearense. O projeto promove a realização de atividades e produtos artísticos culturais que possam marcar e deixar definitivamente o nome do grande compositor brasileiro – nascido no Ceará – fora do inconveniente perigo do esquecimento.

“Evaldo Gouveia 80 anos” irá realizar até o ano que vem quatro shows musicais em Fortaleza, Juazeiro do Norte, Sobral e Mossoró (RN) e resultará na gravação de um CD e DVD ao vivo.

SERVIÇO

BNB Clube – Avenida Santos Fumont, 3646 – Aldeota

Ingresso – R$ 30,00 e R$ 15,00

Fone – 4006 7200

CNPq divulga na 2ª feira primeiros editais para "Ciência sem Fronteiras"

“O programa “Ciência sem Fronteiras” começa a sair do papel na próxima segunda-feira (1º) quando o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) divulgará as regras e os primeiros editais para concessão de bolsas no site do programa.

A informação é do ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, que participou hoje (28) do programa de rádio Bom Dia, Ministro, feito pela EBC Serviços em parceria com a Secretaria de Comunicação da Presidência da República. Segundo o ministro, o governo quer acelerar “a possibilidade de ter uma universidade de classe mundial” e “desenvolver a economia do conhecimento”. “Tem que preparar o enxoval para ter casamento, nós estamos preparando esse enxoval”, disse o ministro no rádio.

Em quatro anos, o programa concederá bolsas de estudo a 100 mil brasileiros para cerca de 20 áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento nacional, inovação tecnológica e registro de patentes na área de engenharia, tecnologia e ciências da saúde. O CNPq e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) fornecerão 75 mil bolsas. O governo pretende que as 25 mil restantes sejam custeadas pela iniciativa privada.

De acordo com Mercadante, empresas multinacionais, como a British Gas e a Portugal Telecom; e entidades como a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e Federação Brasileira de Bancos (Febraban) já manifestaram interesse em custear a formação de pesquisadores e até estágios no exterior.

O programa Ciência sem Fronteiras terá quatro modalidades. A Bolsa Brasil Graduação será destinada a alunos com melhor aproveitamento e terá duração de um ano (sendo seis a nove meses cumpridos no meio acadêmico e o restante em empresas ou centros de pesquisa e desenvolvimento no exterior). A Bolsa Brasil Jovem Cientistas, com duração de três anos, é destinada a pesquisadores em início de carreira (doutorandos) que tenham produção científica destacada.

Também terão bolsas os especialistas e engenheiros empregados na iniciativa privada ou instituições de pesquisa tecnológica que tenham sido aceitos nas melhores universidades do mundo para treinamento de até 12 meses. Além dessas bolsas haverá modalidades para estrangeiros e, especialmente, brasileiros radicados no exterior que queiram ser pesquisador visitante especial no Brasil durante três anos e recebam estudantes e pesquisadores brasileiros no seu laboratório no exterior.

Mercadante avalia que a boa fase da economia brasileira, a crise financeira na Europa e o problema de orçamento do governo norte-americano vão favorecer o intercâmbio com pesquisadores estrangeiros e estimular o regresso de brasileiros que vivem no exterior. Até 2014, o governo deverá investir R$ 3,16 bilhões no programa: R$ 1,7 bilhão da Capes (40 mil bolsas) e R$ 1,4 bilhão do CNPq (35 mil bolsas).

Com os recursos das duas agências, mais de 27 mil bolsas serão destinadas a alunos da graduação; 24,6 mil para estudantes de doutorado sanduíche (um ano); cerca de 9,8 mil para doutorado integral; e 8,9 mil para pós-doutorado. Haverá 2.660 vagas para estágio sênior de seis meses: 700 para treinamento de especialistas de empresas no exterior; 860 para jovens cientistas; e 390 para pesquisadores visitantes especiais no Brasil.”

(Agência Brasil)

CNI – Otimismo do brasileiro aumenta com dois meses de estabilidade

“O otimismo do consumidor cresceu em julho na comparação com junho, após dois meses de estabilidade. O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC), divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quinta-feira, 28.07, aumentou 1,3% em relação ao mês anterior, movido sobretudo pela estabilidade na inflação.

“O crescimento do índice em julho foi causado principalmente pela redução da preocupação dos consumidores com o aumento da inflação”, explica o economista da CNI Marcelo Azevedo.

Mesmo mais otimistas em relação à inflação, cujo indicador no INEC cresceu 8,2% em julho ante junho, os consumidores continuam preocupados com o aumento dos preços. Em julho, 61% dos entrevistados responderam acreditar que haverá aumento inflacionário, enquanto em junho esse percentual era de 69%.

No período, também houve aumento da preocupação dos consumidores com o desemprego e redução nas expectativas sobre compras de bens de maior valor. Já os indicadores de renda pessoal, de situação financeira e de endividamento no INEC registraram crescimento acima de 1%.

A preocupação ainda elevada dos brasileiros com a trajetória inflacionária fez com que o INEC em julho caísse 3% em comparação ao mesmo mês do ano passado, a maior queda no índice em 12 meses. O recuo frente a julho de 2010 ocorreu em todos os seis componentes do índice: expectativas sobre a trajetória da inflação, o desemprego, a renda pessoal, a situação financeira, o endividamento e as compras de bens de maior valor.

O pessimismo foi maior em relação à inflação, cujo indicador recuou 8,6% na comparação com julho de 2010, seguido da avaliação sobre o endividamento, que teve queda de 5,4% no período. De acordo com Azevedo, a queda nesses indicadores mostra que mais brasileiros acreditam que haverá continuidade no aumento da inflação e no encarecimento do crédito.

Emprego 

O indicador de emprego também teve queda de 2,4% em relação a julho do ano passado. Segundo a pesquisa, o indicador de desemprego é o menor desde junho de 2010. Apesar da queda, o índice ainda está muito acima de sua média histórica, o que confirma manutenção do otimismo em relação à abertura de vagas no mercado de trabalho.

As expectativas sobre compras de bens de maior valor também tiveram queda de 0,3% na comparação com julho de 2010. Os indicadores de renda pessoal, de situação financeira e de endividamento decresceram, sinalizando maior pessimismo dos brasileiros em relação ao mesmo mês do ano passado.
O INEC foi realizado entre 14 e 18 de julho a partir de pesquisa de opinião pública de abrangência nacional feita pelo Ibope com 2.002 pessoas.”

(Com CNI)