Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Posse de Bolsonaro – Lista de convidados vai de parentes a amigos de pescaria

Aproximadamente 140 nomes estão na lista de convidados pessoais do presidente eleito Jair Bolsonaro para a cerimônia de posse, em 1º de janeiro. A Agência Brasil apurou que entre os esperados em Brasília estão antigos parceiros de pescaria e líderes religiosos.

A família de Bolsonaro comparecerá em peso. A mãe, Olinda Bolsonaro, de 89 anos, Renato, único irmão do presidente eleito, filhos, noras, cunhados, netos e sobrinhos.

Também estão na lista os pastores evangélicos Silas Malafaia, Valdemiro Santiago, fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus e presidente da Igreja Batista Atitude Central da Barra, pastor Josué Valandro, frequentada pela futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da TV Record, bispo Edir Macedo, também está na lista.

Convites

A distribuição de convites começou no último dia 10 e ainda não foi concluída, alguns são entregues via Sedex, outros em mãos. No total, somente para a cerimônia de posse no Congresso Nacional, serão distribuídos 2 mil convites.

Para a recepção no Itamaraty, são previstos outros mil convidados. Na lista protocolar estão autoridades de primeiro escalão do governo, militares de alta patente, chefes de Estado, diplomatas, parlamentares e governadores eleitos ou reeleitos de estados.

Estrangeiros

A expectativa é de que 60 delegações estrangeiras prestigiem a posse. As presenças já confirmadas são de presidentes de países vizinhos, como Maurício Macri (Argentina), Sebastián Piñera (Chile), Mario Abdo Benítez (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai), Iván Duque Márquez (Colômbia) e Marín Vizcarra (Peru).

Também vão desembarcar em Brasília, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeu, além do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

(Agência Brasil)

Editorial do O POVO: “Uma marca para começar”

Com o título “Uma marca para começar”, eis o Editorial do O POVO deste domingo:

Há uma compreensão média no País quanto à necessidade premente de reformas. Não é de hoje. Não é deste Governo a viver seus estertores. É uma agenda de Estado. Chegamos ao cenário atual de urgência em função da cultura procrastinadora, uma marca brasileira, sobretudo em se tratando de política econômica versus política partidária. Ante um Governo cuja relação com o Congresso inaugura novos arranjos, o País se depara com uma imensa interrogação. Haverá capacidade para reformar?

O principal trunfo é técnico. Diagnóstico já há. O Governo Temer chega ao seu final com o reconhecido mérito de ter aprumado o rumo da economia e deixar indicações para a equipe que vai chegar. O estudo “Panorama Fiscal Brasileiro”, da lavra do Ministério da Fazenda, leia-se Secretaria do Tesouro Nacional, deixa os fios a serem conectados.

O mapeamento da situação fiscal brasileira, divulgado há poucos dias, elenca os principais problemas fiscais e propostas de reversão. Os instrumentos macroeconômicos lidam com os desafios do cenário externo nada simples, com dólar vigoroso e capacidade limitada das economias emergentes. No Brasil, atividade econômica em recuperação aquém do ritmo esperado, inflação sob controle e ajuste fiscal gradual em curso.

No que tange as projeções fiscais, a destacar resultado primário para 2018 cumprido com facilidade. A reconhecer a disciplina do Governo no maior controle dos gastos, dada a imposição de um limite ao seu crescimento pelo Novo Regime Fiscal (EC nº 95/2016); e maior arrecadação de receitas extraordinárias. Isto compondo uma tríade com o fim da recessão.

O novo ano não terá felicidade fácil. As despesas discricionárias previstas estão em R$ 102,5 bilhões, acrescidas de uma reserva de contingência de R$ 14,6 bilhões, chegando a R$ 117,1 bilhões, conforme Projeto da Lei Orçamentária encaminhado ao Congresso. Neste ano, foram R$ 129,5 bilhões de despesas discricionárias. Noutros termos, será ano de orçamento espartano.

A equipe econômica é pragmática. Mira nos números e segue com a posologia. Chama a atenção para a necessidade de equilíbrio fiscal das contas públicas não apenas no âmbito da União. Cobra dos demais níveis – estadual e municipal – disciplina, aquele fundamento no qual o Ceará fundamentou suas ações desde os anos 1980 até hoje.

Os sucessivos governos nacionais conseguiram lograr no máximo paliativos. Sabemos que inícios de gestões são o intervalo de tempo mais propício às decisões mais árduas e antipáticas, tendo em vista o capital político ainda acumulado. Assim, o Governo a tomar posse dentro de pouco mais de uma semana tem a oportunidade de deixar uma marca logo na partida.

(Editorial do POVO)

Falta de explicação de ex-assessor de Flávio Bolsonaro alimenta desconfiança no Congresso

249 1

A falta de explicações para o caso do ex-assessor Fabrício Queiroz, que trabalhou para o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), alimenta desconfianças no Congresso. A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo deste sábado.

Parlamentares preveem que a oposição usará a situação para pressionar Jair Bolsonaro no início do ano.

Nessa sexta (21), o motorista Queiroz faltou, pela segunda vez, a um depoimento marcado pelo Ministério Público para falar sobre o caso da “rachadinha salarial”.

(Foto – Instagram de Flávio Bolsonaro)

Bolsonaro reafirma compromisso de campanha de reduzir presença do Estado

O presidente eleito Jair Bolsonaro reafirmou pelo Twitter neste sábado (22), o compromisso feito durante a campanha eleitoral de reduzir o Estado. Segundo ele, as convergências ministeriais darão o tom de desenvolvimento do país, que foi pautada pela população. “Reduzir o Estado, desenvolvimento sem entraves de ONGs, acordos comerciais bilaterais já em andamento e mudar a atual pífia linha educacional. Vamos alavancar o Brasil!”, disse.

Pela mesma rede social, Bolsonaro negou que um general que trabalha no gabinete de seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), integrará seu governo. Pelo Twitter, usando a hastag fake news, ele disse que “nenhum general trabalha no gabinete do deputado”.

Segundo o Jornal O GLOBO, a Secretaria de Comunicação (Secom), órgão que será inserido na Secretaria de Governo, comandada pelo general Carlos Alberto dos Santos Cruz, será ocupada por Floriano Barbosa, atualmente assessor no gabinete do deputado federal Eduardo Bolsonaro. Floriano não é militar.

Bolsonaro deve seguir hoje (22) para a Base Naval da Ilha de Marambaia, onde deverá passar o Natal. O presidente eleito deve retornar à sua casa, na Barra da Tijuca, no dia 27 de dezembro, e seguir para a Brasília no dia 29, onde deverá ficar até a posse, em 1º de janeiro.

(Agência Brasil)

Terror em Milagres – Refém diz como escapou da morte

“Só não matei o senhor porque Deus não deixou”. A frase, dita a um dos reféns que sobreviveu à tragédia de Milagres, no Ceará, seria de um dos policiais militares do Grupo de Ação Táticas Especiais(Gate) da PM que participaram da operação que terminou com 14 mortos no último dia 7. Seis deles eram inocentes e haviam sido sequestrados por assaltantes de banco para servir de escudos humanos.

A revelação é parte do depoimento do agricultor Francisco Laurentino Rodrigues, 71, pai de Francisca Edneide da Cruz Santos, 49, alvejada por um tiro durante a perseguição à quadrilha que tentou explodir o Bradesco e o Banco do Brasil de Milagres, na região do Cariri cearense.

O POVO apurou que o depoimento de Laurentino Rodrigues seria uma das peças-chave da investigação que responsabilizaria os PMs pela morte de reféns. Erros de comando, comunicação e estratégia teriam levado à matança.

Na delegacia de Brejo Santo, Laurentino contou que na cena do crime, em Milagres, ele e o filho Genário foram posicionados numa calçada ao lado do Banco do Brasil. Por ordem dos assaltantes, ficaram sentados e, instantes depois, ouviram “barulhos de muitos tiros”.

Inicialmente, lembra o agricultor, os disparos atingiram as portas da agência do Bradesco que estava à sua frente. Foi a deixa, de acordo com a narrativa do pai de Edineide, para que o bando começasse a correr e um deles caísse morto há pouco metros de onde estava a testemunha.

Para tentar escapar, Laurentino e o filho se deitaram na pista, ficando protegido pelo meio fio da rua Padre Misael Gomes. O agricultor afirmou na Polícia Civil que viu outros dois criminosos serem atingidos e mortos quase em frente ao Bradesco.

O refém revelou ainda ao delegado que “diversos tiros foram dados em sua direção e do filho”. E não morreram ali por “sorte, pois as balas batiam na parede soltando terra contra o ele e o filho Genário”.

Para Laurentino Rodrigues, os PMs atiraram “na intenção de matá-los”. Ali, no chão, perto do fim do tiroteio, o idoso contou que teve mal estar após perder parte do fôlego diante dos momentos de agonia.

Segundo Laurentino, o Celta da família – onde estava a esposa Lurilda, a filha Edneide e outros dois assaltantes – tentou retornar duas vezes para o local das duas agências bancárias. Porém, percebendo o que estava acontecendo, os criminosos recuaram. Momento em que se iniciou um novo tiroteio, “agora contra o veículo”.

De fato, o depoimento do agricultor bate com o estado em que o Celta foi encontrado. O veículo, recolhido no pátio da delegacia de Milagres para perícia, apresenta uma perfuração de bala no vidro dianteiro e teve estilhaçadas a janela de trás do passageiro e o vidro traseiro.

Foi no mesmo Celta onde morreu a filha de Laurentino e pelo menos um dos assaltantes de banco. A marca de um projétil no lado esquerdo do porta-mala (entrada ou saída) indicaria que o carro também teria sido atacado por trás. Ou que os bandidos atiraram de fora para dentro contra os policias. Os peritos forenses já têm a resposta.

Laurentino revelou, em depoimento na Polícia Civil, que “em nenhum momento foram usados de escudos humanos” pelos bandidos que estavam encapuzados. Os dois reféns ficaram sentados na calçada até o início do tiroteio, quando se deitaram para se esquivar dos disparos.

Após o tiroteio, três policiais militares se aproximaram de pai e filho. Um deles o abordou, enquanto os outros dois permaneceram apontado o armamento. Até que o interlocutor disse que os dois “eram da paz”.

O agricultor, que havia ido pegar a filha no aeroporto de Juazeiro do Norte (ela vinha de São Paulo para as comemorações do Natal), só soube da morte de Edineide após deixar a delegacia.

Também foram sequestrados e mortos na tragédia de Milagres mais cinco reféns. Todos da mesma família: João Batista Campos Magalhães, 49, Vinícius de Souza Magalhães, 14, Claudineide Campos de Souza Santos, 41, Cícero Tenório dos Santos,60, e Gustavo Tenório dos Santos, 13. Eles eram pernambucanos e vinha de São Paulo. A família desceu no aeroporto de Juazeiro do Norte e atravessava o Cariri cearense, em direção à Serra Talhada (PE), para as festas de fim de ano.

(O POVO – Demitri Túlio, Cláudio Ribeiro e Lucas Barbosa)

Petrobras será presidida por Roberto Castello Branco

O Conselho de Administração da Petrobras elegeu em reunião o economista Roberto Castello Branco para o cargo de presidente da companhia a partir do dia 1º de janeiro de 2019 e o nomeou como conselheiro de Administração a partir do primeiro dia do ano que vem até a próxima Assembleia Geral de Acionistas, segundo informações divulgadas hoje (21). Conforme a estatal, a indicação de Castello Branco, feita pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, passou por análise prévia do Comitê de Indicação, Remuneração e Sucessão do Conselho de Administração.

Na mesma reunião o Conselho de Administração aprovou a dispensa, no dia 31 de dezembro de 2018, de Ivan Monteiro da presidência da estatal. Diante da dispensa, Ivan Monteiro apresentou sua renúncia à posição de conselheiro de Administração da Petrobras, sendo que sua saída ocorrerá no último dia do ano.

Os diretores de Estratégia, Organização e Sistema de Gestão, Nelson Luiz Costa Silva; e de Refino e Gás Natural, Jorge Celestino Ramos também foram dispensados a partir de 31 de dezembro. A diretora de Exploração e Produção, Solange da Silva Guedes, e de Assuntos Corporativos, Eberaldo de Almeida Neto, de acordo com a Petrobras, “ocuparão interinamente essas posições, respectivamente, sem prejuízo de suas funções atuais, pelo prazo de 90 dias ou até que o conselho delibere sobre novos diretores executivos”.

Futuro presidente

Roberto Castello Branco é graduado em economia, com doutorado na Fundação Getulio Vargas (FGV EPGE) e pós-doutorado na Universidade de Chicago. Ele participou de programas de treinamento executivo da Sloan School of Management (MIT) e na International Institute for Management Development (IMD).

O futuro presidente da Petrobras é professor afiliado da Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getulio Vargas (EPGE/FGV), atuando também como diretor do Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da instituição.

Castelo Branco foi diretor na Vale S.A., do Banco Central do Brasil, do Banco Boavista, do Banco Boavista Investimentos e do Banco InterAtlântico. Ele foi também membro do Conselho de Administração da Petrobras entre maio de 2015 e abril de 2016.

Na nota com o anúncio das decisões do Conselho de Administração, a Petrobras agradeceu “o importante trabalho de Ivan de Souza Monteiro desde sua chegada em 2015, assim como as contribuições dos diretores Nelson Luiz Costa Silva e Jorge Celestino Ramos e dá boas-vindas a Roberto Castello Branco”.

(Agência Brasil)

Catedral de Fortaleza recebe restos mortais de dom Aloísio em clima de ordenação de diáconos

A Arquidiocese de Fortaleza recebeu, nesta noite de sexta-feira, na Catedral Metropolitana, a urna com parte dos restos mortais do ex-arcebispo de Fortaleza, dom Aloísio Lorscheider. O ato foi marcado por celebração presidida pelo atual arcebispo, dom José Antonio Aparecido, destacando ainda o 40º aniversário da dedicação da Catedral, concluída e consagrada pelo arcebispo falecido.

Na mesma celebração, foram ordenados 17 diáconos, sendo quatro permanentes. Entre os fiéis católicos presentes, estava o senador Tasso Jereissati (PSDB), que era amigo de dom Aloísio. Com ele, sua mulher, Renata, e o deputado estadual tucano Carlos Matos.

Os Diáconos ordenados

1 – Claudenir Maia Silva
2 – Francisco Antônio Araújo Souza
3 – Francisco Rodrigues da Cruz
4 – Francisco Tarciso Alves de Medeiros
5 – Franco Michel Silva Galdino
6 – Igor Cristino Câmara
7 – Jonas Xavier de Souza Almeida
8 – José do Carmo da Silva Oliveira
9 – Maciel de Sousa Silva
10 – Marlos de Oliveira Rebouças
11 – Michel Bastos Bow Ztaif
12 – Ramilson do Nascimento Silva
13 – Roberto Jorge Simões Menezes
14 – Thiago José Rocha Costa
15 – Ticiano Silva Cavalcante
16 – Vicente Tomaz de Souza Junior
17 – Vitor Bomfim Santos

As relíquias ficarão depositadas na Capela da Ressurreição, construída na Cripta da Catedral, no subsolo. Ali, deverá estar exposta para visitação.

Memória

Dom Aloísio Léo Arlindo Lorscheider (1973 a 1995) foi 4º arcebispo de Fortaleza). Cardeal Presbítero do Título de São Pedro “in Montório”, filho de Jose Aloysio Lorscheider e de Verônica Gerhard Lorscheider. Nasceu em Linha Geraldo, município de Estrela, no Rio Grande do Sul, em 8 de outubro de 1924. Foi ordenado sacerdote a 22 de agosto de 1948.

No dia 03 de fevereiro de 1962, o Papa João XXIII nomeou-o bispo de Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul. Recebeu a ordenação episcopal a 20 de maio do mesmo ano. Foi membro da Comissão Teológica da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, e depois primeiro Secretário da mesma Conferência até ser eleito Presidente.

Em 1973, Paulo VI o promoveu à sede arquidiocesana de Fortaleza. Nesta Arquidiocese, dom Aloísio Lorscheider continuou a sua missão pastoral já com notáveis frutos em Santo Ângelo. Dedicou particular atenção ao clero, no qual procurou desenvolver um profundo sentido de comunhão eclesial e um singular impulso apostólico.

No fim de 1972, no decurso da XIV Assembléia do CELAM foi eleito Vice-presidente deste organismo, sucedendo pouco depois a Dom Eduardo Pironio, na Presidência do órgão.

Presidiu em 1979 o Encontro dos Bispos da América Latina em Puebla-México. Foi criado e publicado cardeal no consistório de 24 de mão de 1976 por S.S. o Papa Paulo VI – Presbítero do Título de São Pedro “in Montorio”, e como tal, tomou parte nos dois conclaves que elegeram papas, respectivamente suas Santidades João Paulo I e João Paulo II.

Foi transferido para a Arquidiocese de Aparecida do Norte em 1995. Em 28 de janeiro de 2004, recebeu a notícia da aceitação de sua renúncia e em 25 de março do mesmo ano entregou a arquidiocese para dom Raymundo Damasceno Assis, tornando-se, assim, arcebispo emérito de Aparecida.

Morreu às 5h30min, do dia 23 de dezembro de 2007, no Hospital São Francisco, em Porto Alegre.

*Fotos – Blog da Sagrada Família

Bolsonaro passará o Natal na Base da Marinha na Ilha de Marambaia, no Rio

O presidente eleito Jair Bolsonaro deverá passar o Natal na Base da Marinha, na Ilha da Marambaia, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (21) por sua assessoria. O local é um refúgio tradicional de presidentes da República, com acesso controlado por terra e mar.

Segundo as informações divulgadas, Bolsonaro deverá se dirigir à Marambaia no início da tarde de sábado (22), com sua família, retornando a sua residência, na Barra da Tijuca, no dia 27, pouco antes de seu embarque para Brasília, previsto para ocorrer dia 29.

No feriado de carnaval deste ano, o complexo da Marambaia recebeu o presidente Michel Temer e sua família. Além de oferecer segurança a chefes de Estado, o local – controlado pela Marinha e pelo Exército – tem praias bonitas e reservadas, longe dos olhos de curiosos e mesmo da imprensa, o que garante repouso e tranquilidade.

(Agência Brasil)

Denúncias contra João de Deus afastam frequentadores de Abadiânia

Parcialmente dependente do chamado turismo religioso, a pequena cidade de Abadiânia (GO) já sente o impacto econômico das denúncias contra o médium goiano João Teixeira de Faria, o João de Deus. Segundo o prefeito de Abadiânia, José Aparecido Alves Diniz (PSD), ao menos 150 funcionários de pousadas e hotéis foram demitidos nos últimos dias.

“Ainda não temos um balanço oficial porque essas demissões não são informadas à prefeitura, mas, informalmente, soubemos que, nos últimos dias, já houve algo em torno de 150 demissões”, disse Diniz à Agência Brasil.

Desde que as acusações contra o médium começaram a vir a público, no último dia 7, centenas de mulheres de todo o país procuraram as autoridades para denunciar João de Deus pela prática de crimes sexuais. Antes de ser preso em caráter preventivo, no último dia 16, o médium esteve uma única vez no centro espírita Casa Dom Inácio de Loyola, onde permaneceu por menos de dez minutos e saiu dizendo ser inocente.

A partir daí, o movimento vem diminuindo dia após dia, prejudicando o comércio local. Principalmente os estabelecimentos instalados ao longo da avenida onde funciona o centro espírita em que, desde 1976, João de Deus oferece consultas, aconselhamento e cirurgias espirituais, além de vender produtos que ele próprio prescreve a seus seguidores.

Segundo funcionários da Casa Dom Inácio, entre 3 mil e 5 mil pessoas são atendidas semanalmente. Aproximadamente 25% destes frequentadores vêm do exterior. Quase a totalidade dos demais atendidos mora em outras cidades.

De acordo com o prefeito, o centro espírita emprega 40 pessoas e gera aproximadamente 1,2 mil postos de trabalho no município.

Por telefone, funcionários de pousadas, que pediram para não ter seus nomes divulgados, confirmaram que alguns estabelecimentos estão fechando as portas temporariamente, dando férias coletivas aos funcionários ou mesmo demitindo empregados. Explicaram, no entanto, que o número de frequentadores da Casa Dom Inácio habitualmente diminui nesta época do ano. Principalmente entre os estrangeiros, já que muitos retornam aos seus países de origem para passar as festas com parentes e amigos. A apreensão das pessoas ouvidas pela reportagem se deve mais aos cancelamentos de reservas para 2019.

Ao admitir ainda estar surpreso com a situação, o prefeito está buscando ajuda nos governos federal e estadual. Hoje (20), Diniz esteve no Ministério das Cidades, em Brasília. E já planeja retornar em janeiro a fim de pedir apoio do futuro ministério que reunirá, em uma só pasta, os atuais ministérios da Fazenda e da Indústria e Comércio Exterior.

“Vamos atrás de alternativas. Temos que levar indústrias e outras atividades que gerem emprego para o município”, disse Diniz logo após deixar o Ministério das Cidades. Para o prefeito, a cidade a meio caminho entre Brasília e Goiânia tem potencial para atrair atividades industriais e atrativos turísticos como a proximidade com o Lago Corumbá. “É um sonho nosso investir e aproveitar a infraestrutura turística já existente”, acrescentou o prefeito que, nas últimas eleições, derrotou o candidato apoiado por João de Deus.

De acordo com a prefeitura, há 69 pousadas e hotéis devidamente regularizadas funcionando na cidade, mas o total de estabelecimentos pode chegar a 90, se levadas em conta as residências transformadas em pensões improvisadas.

Centros logísticos

Diniz revelou que já vinha desenvolvendo um projeto com o escritório regional do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para identificar atividades econômicas alternativas que possam ser desenvolvidas em Abadiânia. Além de apostar no turismo ecológico, o prefeito acredita que a localização da cidade e o fato desta ser atravessada pela rodovia BR-060, que liga as capitais federal e goiana, é uma vantagem.

As negociações com o Sebrae começaram ainda na gestão municipal anterior, mas ainda não avançaram a ponto de permitir uma ação concreta. “Começamos conversando com secretários municipais, com o prefeito à época. Planejamos identificar formas de estimular o empreendedorismo a partir da realidade local e, de fato, uma das hipóteses discutidas era desenvolver o turismo ecológico”, confirmou à Agência Brasil o gerente regional do escritório do Entorno do Distrito Federal, Masashi Hiroshima.

Há dois anos, no entanto, o atendimento à Abadiânia foi transferido ao escritório regional de Anápolis (GO). Hoje, está a cargo do gerente regional Jorge Gustavo de Souza Toledo, que diz continuar em contato com a prefeitura. “Vínhamos conversando e já tínhamos um plano inicial que, inclusive, incluía o turismo religioso. Obviamente, fomos pegos de surpresa. Agora, temos que trabalhar um novo planejamento, pensando em como estimular as micro e pequenas empresas locais”, comentou Toledo, acrescentando que a primeira coisa a fazer é definir a identidade pela qual o município quer ser reconhecido.

“Nossa preocupação é manter as atividades já existentes, aproveitando a infraestrutura hoteleira e comercial já instalada, e estimular o surgimento de outras iniciativas. Para isso, precisamos envolver a todos os atores locais, e não só a prefeitura, na discussão sobre o que fazer, no que investir, que identidade dar à cidade”, comentou Toledo.

Já há, na cidade, pequenas empresas fazendo bons negócios graças ao fluxo de pessoas que passam pela BR-060. É possível desenvolver o turismo ecológico e também aproveitar a proximidade com as cidades de Anápolis, que tem uma pujança industrial, de Goiás e de Brasília para, por exemplo, instalar centros logísticos”, acrescentou Toledo, lembrando que há, na região, terrenos suficientes para a instalação de galpões e plantas industriais.

(Agência Brasil)

PRF deflagra Operação Natal

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), iniciou à 0h de hoje (21) a operação de Natal, que segue até o dia 25. A operação tem como prioridade o controle de velocidade com radares portáteis, o combate à embriaguez ao volante e a fiscalização de ultrapassagens proibidas. Neste ano, a operação terá cinco dias de duração, um a mais do que em 2017.

Em nota, a PRF informa que também estará atenta ao uso do cinto de segurança e dos dispositivos de retenção para crianças, além de realizar fiscalizações específicas de motocicletas.

O reforço policial está à cargo do planejamento de cada uma das regionais da PRF, uma vez que cada uma conta com necessidades diferentes, de acordo com a assessoria de imprensa da corporação. A previsão geral é de um acréscimo de pelo menos 30% na força de trabalho ordinária.

Após a operação de Natal, inicia-se no dia 28 de dezembro e finaliza no dia 1º de janeiro a Operação Ano Novo. Segundo a PRF, as duas operações vão contar com um reforço de policiais nas rodovias federais, o que aumentará a sensação de segurança durante as festas de fim de ano até o carnaval, datas onde o apelo por consumo de bebidas alcoólicas aumenta e, em razão disso, a ocorrência de acidentes e mortes.

Redução de acidentes

Para uma viagem segura, a PRF orienta que os motoristas respeitem os limites de velocidade, mantenham distância de segurança em relação aos demais veículos, ultrapassem apenas quando houver plenas condições de segurança e não desviem a atenção do trânsito.

A PRF também orienta os usuários de rodovias, mesmo antes de viagens curtas, a fazer uma revisão preventiva do veículo, o que inclui a checagem dos pneus, do sistema de iluminação, dos equipamentos obrigatórios, do nível do óleo e do radiador, entre outros itens.

Também é fundamental planejar a viagem, buscando evitar, na medida do possível, os horários de pico. Dirigir cansado ou com sono aumenta o risco de o motorista cometer erros. A cada três ou quatro horas de viagem, é recomendável uma pausa para descanso ou revezar a direção do veículo.

(Agência Brasil)

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro falta pela segunda vez ao depoimento

O ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), o policial Fabrício Queiroz, foi internado para realização de “procedimento invasivo com anestesia”, conforme justificou, nesta sexta-feira, sua a defesa para que ele não prestasse depoimento, informa o site da Folha de S. Paulo.

Queiroz iria depor, no Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), sobre movimentação considerada estranha de R$ 1,2 milhão em sua conta. Ele já havia faltado ao depoimento na última quarta-feira, 19, também alegando “urgência médica”.

O MP-RJ disse que irá sugerir ao presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT), a presença de Flávio Bolsonaro no próximo dia 10 para esclarecimentos sobre o caso.

Familiares de Queiroz e outros assessores do filho do presidente eleito foram convocados para depor no próximo dia 8.

(Foto – Reprodução)

Bolsonaro e Haddad no Natal sem Partido

Com o título “Bolsonaro e Haddad no Natal sem Partido”, eis artigo de Antonio Jorge Pereira Júnior, doutor e mestre em Direito – USP, professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito da Unifor. Ele acredita que, apesar das diversas de campanha, as famílias possam entrar no espírito natalino. Confira:

Nas eleições circulou meme no qual se dizia que, em razão das brigas políticas em família, alguns teriam de comemorar o Natal na casa do Bolsonaro ou Haddad. No calor das discussões, houve troca de expressões ofensivas que, como pedras, geraram feridas. Chega o Natal, excelente momento para superar o clima azedo que tenha ficado, teste da maturidade humana e política de cada um.

Duas histórias podem nos inspirar a atmosfera interior a partir da qual se pode recuperar, manter e aperfeiçoar relacionamentos, para além de partidarismos.

Vale lembrar da “Trégua de 1914”. Durante a Primeira Guerra Mundial, ingleses e alemães definiram dois dias de armistício, a véspera e o dia de Natal. Batalhões deixaram trincheiras e foram a campo trocar lembranças e jogar futebol. Sentiram-se irmanados. Eram humanos, cristãos e patriotas. Tal como a maior parte dos brasileiros que pelejaram nas eleições em lados opostos. Temos mais em comum do que nossas diferenças, além do real interesse em nosso País. Este pensamento pode ajudar a galvanizar chagas e recuperar o clima fraterno. É preciso olhar para além das divergências e alargar horizontes.

Também é válido recordar o cenário do primeiro Natal. Por capricho, o ditador local determinara que cada um voltasse à terra de origem para contagem da população. Uma família humilde pega a estrada em pleno inverno e percorre vias perigosas até Belém. Ela está grávida de 9 meses. O filho não foi planejado. Surgiu antes de coabitar com o marido. Ele cogitou abandoná-la mas, ao fim, assumiria a criança “à brasileira”. Não havia lugar nas hospedarias. Ninguém se comoveu para lhes ajudar, salvo uma pessoa, que lhes permitiu dormir com seus animais, em um estábulo.

Leitor: é ou não é um quadro terrível? Imagine-se ali. Como estaria se sentindo? O que poderiam dizer Maria e José diante de tudo aquilo? “Se todo animal inspira ternura, o que houve, então, com os homens?”, dizia Guimarães Rosa. Será que nossas escaramuças políticas são equiparáveis?

O casal sublimou tudo isso sem uma única queixa. Em meio a circunstâncias duríssimas, viveram a união plena naquela que seria cantada como a “Noite Feliz” por todas as gerações.

Qual o segredo da alegria, em contexto tão desolador? Ater-se ao que é mais importante e valioso, muitas vezes esquecido nas narrativas tecidas em clima de mágoa e chateação. Em Belém, viveu-se a dignidade humana em seu ápice. Uma visão encantadora. Algo maior sobrelevaria todas as pendências.

A parcialidade e superficialidade cegam e impedem de vislumbrar o melhor de cada um. Pense agora nas brigas tolas. Elas trazem algo de cômico, pelo caricaturesco. Nessa medida, deixe-se rir do ridículo, e assim se depura a memória. Ressalte agora as qualidades e o valor das pessoas com quem você se indispôs. Desarme-se. Vá a campo como alemães e ingleses em 1914. Pratique o fair play. Seja o primeiro a se desculpar. Deseje um Feliz Natal aos que estão sentidos com você ou com quem você se ressentiu. Aproveite a oportunidade para atualizar o melhor de si. Ofereça morada em seu coração a amigos ou parentes que pôs para fora dali.

Termino com uma mensagem de Natal que Bolsonaro e Haddad fizeram juntos. Eles ainda não sabem disso. “O momento agora exige que estendamos a mão para os brasileiros e brasileiras, independentemente de partido” (Haddad), afinal, todo Natal nos lembra que paira “Deus acima de todos” (Bolsonaro). Feliz Natal!

*Antonio Jorge Pereira Júnior

antoniojorge2000@gmail.com

Doutor e mestre em Direito – USP, professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito da Unifor.

Alckmin vai trabalhar como acupunturista voluntário

359 1

Geraldo Alckmin aceitou o convite do seu ex-secretário de Saúde, Giovanni Cerri, para atender, a partir do começo de 2019, a pacientes como acupunturista, uma de suas especialidades. O atendimento ocorrerá no Hospital das Clínicas de São Paulo, informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

O tucano Alckmin, que disputou a presidência da República, vai trabalhar como voluntário. E deve também fazer um novo curso na especialidade.

(Foto – Reprodução de TV)

Gastos de brasileiros no Exterior caem 13,2% em novembro, diz BC

Os gastos de brasileiros no exterior chegaram a US$ 1,385 bilhão, em novembro, e acumularam US$ 16,863 bilhões nos 11 meses do ano, informou hoje (21) o Banco Central (BC). Os resultados foram inferiores em 13,2% e em 2,96%, respectivamente, em relação aos gastos registrados em iguais períodos de 2017.

Já as despesas de estrangeiros em viagem no Brasil ficaram em US$ 464 milhões, em novembro, e em US$ 5,432 bilhões de janeiro ao mês passado. Com os gastos de brasileiros no exterior maiores que os de estrangeiros no país, a conta de viagens internacionais ficou negativa em US$ 921 milhões, no mês passado, e em US$ 11,431 bilhões, no acumulado do ano, abaixo do déficit em igual período de 2017 (US$ 12,070 bilhões).

Os dados das viagens internacionais fazem parte da conta de serviços (viagens internacionais, transportes, aluguel de equipamentos, seguros, entre outros) das transações correntes, que são as compras e as vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com o mundo.

A conta de serviços costuma registrar saldo negativo. Em novembro, o déficit ficou em US$ 2,711 bilhões e nos 11 meses, em US$ 30,679 bilhões. Por outro lado, o superávit comercial chegou a US$ 3,576 bilhões, no mês passado, e a US$ 47,409 bilhões, de janeiro a novembro.

O balanço das transações é formado também pela conta de renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários) que apresentou saldo negativo de US$ 1,901 bilhão, em novembro, e de US$ 31,225 bilhões, no acumulado do ano.

A conta de renda secundária (renda gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) ficou positiva em US$ 241 milhões, em novembro, e em US$ 2,381 bilhões, no acumulado do ano.

No total, a conta de transações correntes ficou negativa em US$ 795 milhões, em novembro. No mesmo mês de 2017, houve déficit de US$ 2,162 bilhões. No acumulado deste ano, as transações correntes registraram saldo negativo de US$ 12,114 bilhões, contra US$ 3,581 bilhões em igual período de 2017. A previsão do BC é que as contas externas fechem este ano com saldo negativo de US$ 17,6 bilhões, o que corresponde a 0,9% do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Para 2019, a previsão é de déficit de US$ 35,6 bilhões, equivalentes a 1,8% do PIB.

Investimentos estrangeiros

Quando o país registra saldo negativo em transações correntes, precisa cobrir esse déficit com investimentos ou empréstimos no exterior. A melhor forma de financiamento do saldo negativo é o investimento direto no país (IDP), porque recursos são aplicados no setor produtivo do país. Em novembro, esses investimentos chegaram a US$ 10,274 bilhões e acumularam US$ 77,782 bilhões, nos 11 meses do ano.

O BC projeta que os investimentos estrangeiros vão fechar este ano em US$ 83 bilhões (4,4% do PIB). Para 2019, a estimativa é US$ 90 bilhões, 4,6% do PIB.

(Agência Brasil)

SUS vai ofertar dois novos medicamentos para doenças raras

O Sistema Único de Saúde (SUS) passa a ofertar, em até 180 dias, os medicamentos alfaelosulfase e galsulfase para o tratamento de pacientes com mucopolissacaridose tipos IV e VI, respectivamente. A portaria que incorpora os insumos na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename) já foi publicada no Diário Oficial da União.

Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou que a mucopolissacaridose consiste em um distúrbio genético que afeta a produção de enzimas, substâncias fundamentais para diversos processos químicos em nosso organismo. A doença não tem cura, mas um tratamento adequado, segundo a pasta, é capaz de reduzir complicações e sintomas, além de impedir o agravamento do quadro.

A expectativa do governo é que o medicamento alfaelosulfase possa atender a 153 pacientes de todo o país diagnosticados com o tipo IV de mucopolissacaridose. Já o galsulfase deve ser utilizado por 183 pacientes com o tipo VI da doença, que apresenta ainda outros quatro estágios. Em junho, o ministério incorporou os medicamentos laronidase e idursulfase alfa para o tratamento de mucopolissacaridose tipos I e II.

Doenças raras

De acordo com a pasta, as doenças raras são caracterizadas por uma ampla diversidade de sinais e sintomas que variam não só de doença para doença, mas também de pessoa para pessoa. Manifestações relativamente frequentes podem simular doenças comuns, dificultando o diagnóstico, causando elevado sofrimento clínico e psicossocial aos afetados e suas famílias.

Considera-se doença rara aquela que afeta até 65 pessoas em cada 100 mil indivíduos, ou seja, 1,3 pessoa para cada 2 mil indivíduos. O número exato de doenças raras não é conhecido. Estima-se que existam entre 6 mil a 8 mil tipos de doenças raras em todo o mundo. 80% delas decorrem de fatores genéticos e as demais advêm de causas ambientais, infecciosas e imunológicas, entre outras.

“Muito embora sejam individualmente raras, como um grupo elas acometem um percentual significativo da população, o que resulta em um problema de saúde relevante”, destacou o ministério.

(Agência Brasil)

Um relato atualizado para a história

Com o título “Um relato atualizado para a história”, eis artigo de Cássio Borges, engenheiro civil, formado pela Escola Politécnica de Pernambuco e com cursos de pós-graduação em Barragens e Recursos Hídricos pela Escola Nacional de Engenharia e Escola Politécnica da Universidade Católica, ambas do Rio de Janeiro. Confira:

É prazeroso retransmitir para os leitores deste Blog o que escreveu o jornalista Alan Neto em sua conceituada coluna de domingo, no O POVO do último dia 2 de dezembro, com palavras elogiosas sobre o livro que escrevi enfocando o planejamento hídrico da vale do Rio Jaguaribe no Ceará, nas suas 362 páginas : “Guardião do Dnocs velho de guerra, o engenheiro Cássio Borges escreveu um livro para os anais da história – A Face Oculta da Barragem do Castanhão, um relato atualizado para a História. Uma joia rara…”.

O livro trata especificamente dos erros de engenharia que foram cometidos no projeto da Barragem do Castanhão, empreendimento este elaborado em 1985 pelo então Departamento Nacional de Obras de Saneamento-DNOS, que foi extinto no inicio do Governo de Collor de Melo, e do perigo de o Projeto de Integração Rio São Francisco ser entregue a uma entidade que não tem identificação com a problemática hídrica de nossa Região de rios intermitentes.

Desde quando esta obra surgiu no cenário cearense, me posicionei contra a sua inclusão no Planejamento Hídrico do Vale do Rio Jaguaribe, tendo escrito dezenas de artigos fazendo alusão a esses erros de engenharia, sem contudo ter sensibilizado os meus colegas da comunidade técnica/cientifica do estado do Ceará que preferiram ficar calados e não dar resposta aos meus questionamentos sobre a referida obra. Foram quatorze anos de uma discussão que, aliás, não houve, porque os defensores da Barragem do Castanhão preferiram o silêncio como resposta. Daí o motivo porque resolvi escrever este livro : “ um relato atualizado para a História”.

Mas porque os idealizadores, defensores e promotores deste empreendimento preferiram ficar em silêncio? Por que não responderam os questionamentos que fiz a este respeito em dezenas de artigos que escrevi? Por que utilizaram a evaporação como sendo de apenas 1.700 mm, em vez de 2.800 mm, como foi citado no Estudo de Impacto Ambiental? Por que cantaram em verso e prosa que a Barragem do Castanhão tinha a sua vazão regularizada como sendo de 30 m³/s e agora admitem ser de apenas 10 m³/s? Por quê? Por quê?

A conclusão a que chego é que o fato acima deve servir de exemplo: No meu entendimento, é uma temeridade o Projeto de Integração do Rio São Francisco ser entregue a uma entidade que não tem o conhecimento e a expertise que tem o DNOCS, que há 109 anos atua na região nordestina, sem que tenha sido registrado, até hoje, qualquer problema em seus empreendimentos. Nunca é demais lembrar que o DNOCS criou uma florescente civilização em nossa Região e é considerado pelos estudiosos como “o maior fabricante de água do mundo” ou, como já foi denominado também, de a Universidade da Caatinga.

A construção de 331 açudes públicos de médio e grande porte, cerca de 900 açudes de pequeno porte em regime de cooperação que acumulam 38 bilhões de metros cúbicos de água, a construção de 22.000 quilômetros de rodovias, 34.000 poços profundos, cerca de 100 mil hectares de irrigação pública e 50 000 hectares de irrigação privada, perenização de 3.000 km de rios intermitentes (equivalente ao Rio Danúbio que tem 2.860 km e atravessa dez países europeu), criação de nove Centros de Pesquisas Ictiológicas que produzem 50 milhões de exemplares de alevinos por ano, entre outras grandes realizações, tudo isto equivale ao que é gasto através do programa BOLSA FAMILIA em cinco anos, sem que este gere um só emprego produtivo.

*Cássio Borges

Engenheiro civil, formado pela Escola Politécnica de Pernambuco e com cursos de pós-graduação em Barragens e Recursos Hídricos pela Escola Nacional de Engenharia e Escola Politécnica da Universidade Católica, ambas do Rio de Janeiro.

Vivo lança campanha “Tem hora pra tudo”

A Vivo lança hoje (20) o quarto filme de sua campanha “Tem Hora Pra Tudo”. Com a estreia, em momento de retrospectivas e expectativas para 2019, a empresa propõe um olhar mais consciente sobre o uso da tecnologia, escolhendo viver por inteiro todas as conexões em sua hora, uma de cada vez.

Para tanto, o filme traz cenas como o de uma mulher em um jantar com as amigas fotografando sua comida, um rapaz conectado em um aplicativo de relacionamento durante uma festa e um surfista na areia, sem entrar no mar por esperar receber uma mensagem.

Em todas as peças, o botão de “deslize” do celular – interface que permite aceitar ou recusar uma ligação ou notificação – sinaliza a mudança de conexão para desconexão.