Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Relatora do Orçamento 2011, Ideli já favorece aliados em Santa Catarina

“Relatora do Orçamento por menos de 36 horas, a futura ministra da Pesca, senadora Ideli Salvatti (PT-SC), favoreceu correligionários ao destinar R$ 1,25 milhão de sua cota de emendas a entidades comandadas por petistas em Santa Catarina. Das cinco entidades beneficiadas por ela com emendas parlamentares, quatro têm filiados do PT na direção e uma é presidida por integrante do PRB, legenda do vice-presidente da República, José Alencar, conforme os projetos do Orçamento de 2009, 2010 e 2011. Escolhida relatora do Orçamento após a renúncia do senador Gim Argello (PTB-DF), Ideli abriu mão da função para evitar constrangimentos ao relatar o projeto que destinará recursos para o ministério que comandará a convite de Dilma Rousseff.

Entre as entidades contempladas com emendas de Ideli, a que recebeu mais recursos foi o Instituto Tática e Ação, de Laguna. Em 2008, ela propôs uma emenda de R$ 500 mil para o instituto promover festas na cidade catarinense no ano seguinte. No mesmo mês, segundo registros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o presidente da entidade, Angelo Luiz Matos, filiou-se ao PT. Ainda aguardam a liberação dos recursos a Associação Cultural de Hip Hop de Laguna e o Cesap, ambos coordenados por petistas, que já apresentaram projetos ao Ministério da Cultura e à Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres.

Ideli Salvatti também apresentou emendas para a Associação de Entidades Filantrópicas de Santa Catarina e para o Centro Cultural Escrava Anastácia. A primeira, presidida por Luiz Carlos Barcelos Filho (PRB), ganhou emenda de R$ 150 mil, mas não conseguiu a liberação da verba por falta de adequação do projeto de capacitação de adolescentes. A segunda ganhou R$ 350 mil em emendas para o Orçamento do Trabalho deste ano e de 2011. Tem entre seus responsáveis pelo menos um filiado ao PT.”

(Folha Online)

Fagner é destaque nos 100 anos do TJA

 

O cantor Raimundo Fagner subirá no palco do Theatro José de Alencar na próxima quinta-feira, às 19 horas, em clima bem saudosista. Dentro da programação do centenário de fundação do TJA, ele ganhará destaque por ter sido o primeiro artista a tocar guitarra nesse local.

Na época, havia preconceito contra o instrumento. Esse episódio ocorreu em dezembro de 1968. Competindo com a música “Nada sou”, de sua autoria com o falecido Marcos Francisco de Alcântara, Fagner acabou vencendo o IV Festival Cearense de Música Popular. “Nessa disputa, tínhamos composições de Luis Assunção, Belchior e Petrúcio Maia”, lembra para esta Vertical o artista.

Ele não esconde a alegria de voltar ao palco do teatro para recordar um dos momentos marcantes de sua carreira.”

(Coluna Vertical, do O POVO) 

Cearense comanda no CNJ reunião para avaliar Casas de Justiça e Cidadania

“O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realiza nesta segunda-feira, em Brasília, o I Workshop do Projeto Casas de Justiça e Cidadania com a finalidade de subsidiar os estudos para implantação de novas casas e aprimorar o trabalho já desenvolvido por alguns estados, com o intercâmbio de boas práticas. Clique aqui para ver a programação.

Segundo o conselheiro Jorge Hélio, cearense que representa a OAB nacional nesse orgnaismo, o encontro vai avaliar a atuação das unidades do Projeto Casas de Justiça e Cidadania, iniciativa que oferece aos cidadãos comuns os serviços de assistência jurídica gratuita, informações de utilidade pública, ouvidoria e conciliações que ajudam a resolver pequenas pendências.

Os gestores que participaram do encontro apresentarão dados a respeito do funcionamento das respectivas Casas, bem como as impressões sobre o sistema recentemente implantado pelo CNJ, o Memória Permanente das Casas de Justiça e Cidadania.

Participam representantes das Casas de Justiça e Cidadania de Belém (PA), Manaus (AM), Porto Velho (RO), Teresina (PI), Montes Claros (MG), Boa Vista (RR), Macapá (AP), Natal (RN), Fortaleza (CE), São Luís (MA), Salvador (BA), Mogi-Guaçu (SP), Cuiabá (MT), Florianópolis e Balneário Camboriú (SC).

O trabalho, desenvolvido em cada uma das 15 unidades onde o projeto foi implantado desde 2008 pela Recomendação 26 do CNJ, tem como objetivo dar proteção à criança, à juventude e a ressocializar presos e ex-detentos do sistema prisional brasileiro, atividades que humanizam a ação do Judiciário e aproximam a justiça da sociedade. Nas Casas de Justiça e Cidadania o cidadão pode fazer petições, receber orientações jurídicas e de forma orientada e acompanhar procedimentos e ações judiciais que são de seu interesse.”

(Com CNJ)

José Dirceu tenta evitar brigas no PT por cargos no Governo Dilma

“Sem fazer tanto barulho quanto o PMDB, o PT está numa guerra interna por causa dos cargos no primeiro escalão do governo da presidente eleita, Dilma Rousseff. As várias tendências do partido estão divididas e reivindicam espaço não só no futuro Ministério, mas também nas estatais. Tanto que, nesta reta final da transição, a cobiça dos petistas transformou-se no maior problema de Dilma. Diante do impasse, até mesmo o ex-chefe da Casa Civil e deputado cassado, José Dirceu, foi chamado às pressas para tentar pacificar o partido.

Atuando ainda de forma discreta em Brasília, Dirceu tem grande influência no PT. Para o futuro governo Dilma, ele pode não ter feito indicações para o primeiro escalão, mas estará muito bem representado na Esplanada dos Ministérios, com Miriam Belchior no Ministério do Planejamento, e no Palácio do Planalto, com Gilberto Carvalho na Secretaria-geral da Presidência da República.

São dois grandes amigos de Dirceu, com quem ele não deixou de ter contatos permanente, mesmo depois de sair chamuscado do governo. Segundo uma fonte do governo que está no Planalto desde o início do governo Lula, Dirceu nunca deixou de frequentar, discretamente, os gabinetes dos amigos deixados lá. Mesmo não tendo muita proximidade com a presidente eleita, Dirceu tem sido chamado a atuar nos bastidores do PT.

Em sua passagem por Brasília semana passada, conversou com os integrantes da equipe de transição e com dirigentes petistas para tentar encontrar uma solução para os cargos do PT.”

(O Globo)

Transnordestina – O que Lula fará de concreeto no Ceará

Cid Gomes acompanhará Lula nessa visita.

Nesta segunda-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitará um dos canteiros de obras da Ferrovia Nova Transnordestina, que ligará os portos de Pecém (CE) e Suape (PE) ao cerrado do Piauí, no município de Eliseu Martins. O Presidente percorrerá, a partir das 15h20min, os quase 16 quilômetros de linha concluída do trecho entre Salgueiro (PE) e Missão Velha (CE), até o chamado marco zero da ferrovia, em território cearense. Em seguida, no município de Missão Velha, a partir das 16h30, participará de cerimônia alusiva à visita e de assinatura da contratação dos lotes 2 a 11 do trecho Missão Velha – Pecém.

SUPERESTRUTURA

O Presidente também acompanhará as obras de instalação da superestrutura da Transnordestina, como é chamada toda a etapa que segue a fase de terraplanagem – execução da camada de brita, instalação de trilhos e dos dormentes de concreto.

A Transnordestina, no novo trecho, conta com 1.728 quilômetros de extensão, onde serão investidos, segundo o Ministério dos Transportes, R$ 5,4 bilhões, com previsão de conclusão em 2012. Atualmente, a obra registra a contratação de cerca de 11 mil trabalhadores nos canteiros de obras que se espalham pelos três estados (Ceará, Pernambuco e Piauí).

O trecho entre Missão Velha e Salgueiro, com 95 quilômetros, sendo 81 desses dentro do Ceará, será o primeiro a ser concluído. Os equipamentos de instalação da superestrutura têm capacidade para conclusão de 800 metros de ferrovia por dia, trecho equivalente à implantação de mais de 1,3 mil dormentes.

A Transnordestina é considerada uma ferrovia de classe mundial, em bitola larga (1,6 metro), com alta produtividade, possibilitando uma velocidade máxima de 80 km/h, com baixo consumo de combustível. O objetivo é elevar a competitividade da produção agrícola e mineral da região com uma moderna logística que une uma ferrovia de alto desempenho e portos de calado profundo que podem receber navios de grande porte. As projeções da ferrovia apontam para o transporte de cerca de 27 milhões de toneladas, em 2020, de acordo com o Ministério dos Transportes.

(Com Agências)

Dilma discute ministérios de PSB, PP e PCdo B nesta semana

“A presidente eleita Dilma Rousseff, que será diplomada na sexta-feira 17, deverá resolver algumas das pendências de seu futuro ministério ao longo desta semana. São tarefas para os próximos dias fechar os nomes do PSB e do PP para o primeiro escalão e apaziguar as disputas internas entre as diversas tendências do PT. Primeiro, Dilma deverá ir a Porto Alegre para passar seu aniversário, nesta terça-feira 14, com a filha e o neto.

O PCdoB também deverá acertar com a presidente eleita suas indicações. Uma possibilidade é a ida do ministro dos Esportes, Orlando Silva, para a Autoridade Olímpica, cedendo seu cargo para a deputada federal eleita e ex-prefeita de Olinda, Luciana Santos.

O PSB negocia o Ministério da Integração Nacional e a Secretaria Nacional dos Portos (que tem status de ministério e já é ocupada pelo partido no governo Lula).

Já o PP discute a indicação do deputado Mário Negromonte (PP-BA) para o Ministério das Cidades, pasta que é ocupada atualmente pelo partido, com Marcio Fortes.

O PDT apresentou apenas um nome a Dilma, o do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, para que seja mantido à frente da pasta.”

(O Globo)

Receita Federal divulga nesta 2ª feira regras do IR 2011

“A Receita Federal divulga nesta segunda-feira as regras para o preenchimento da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2011. Além de mudanças no limite mínimo de renda para a obrigatoriedade da entrega do documento, é esperado o fim da declaração em formulários de papel. Essas alterações nas regras já tinham sido antecipadas pelo supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir. Quando falou sobre as possíveis mudanças, Adir disse que os formulários de papel trazem certos transtornos para a Receita por representarem um volume muito pequeno em relação aos documentos enviados pela internet. Muitas vezes, lembrou o supervisor, esses formulários foram enviados por pessoas que sequer estavam obrigadas a declarar.

Outro problema destacado por ele é que muitos documentos em papel são ilegíveis. Se for confirmada a mudança, a Receita deverá informar como o contribuinte que não dispõe de computador fará a declaração a partir de 2011. Joaquim Adir também informou, à época, que haveria um aumento no limite mínimo de renda das pessoas físicas para a declaração, que passaria de R$ 17.215,08, em 2010, para R$ 22.487,25, em 2011. Esses valores podem ter uma variação. Para 2011, a Receita também fez mudança no programa gerador da declaração do IRPF, que está de cara nova. A versão de teste pode ser encontrada no site da Receita Federal.

A versão beta é utilizada normalmente para testes de programas de computador em fase de desenvolvimento e pode sofrer modificações até que o produto esteja homologado. Isso significa que ela não deve ser usada para o preenchimento final da declaração, mas apenas para testar suas funcionalidades e segurança. A novidade no programa gerador da declaração do Imposto de Renda 2011, além da interface gráfica, é o formulário de rendimentos tributáveis de pessoa jurídica recebidos acumuladamente, como pensão alimentícia.

Por enquanto, a versão teste pode ser utilizada apenas no sistema operacional Windows (Microsoft). Após ser homologado, o programa deverá funcionar em qualquer sistema operacional, desde que o usuário tenha instalado outro programa conhecido como máquina virtual Java.

Na verdade, o aplicativo funciona como se fosse outra máquina, que aceita os programas da Receita rodando no computador do usuário, seja ele de que tipo for ou que adote qualquer sistema operacional. Isso permite que qualquer cidadão com um sistema Linux, por exemplo, e não só os usuários do Windows (Microsoft), possa instalar o programa para preencher a declaração.

Este ano, o programa de computador gerador da declaração do Imposto de Renda foi homologado em fevereiro pela Receita, e o prazo para a entrega das declarações começou no dia 1º de março e terminou em 30 de abril.

As críticas e sugestões sobre a versão de teste do programa gerador da declaração podem ser encaminhadas para irpf.beta@receita.fazenda.gov.br até 31 de dezembro.”

(Agêncai Brasil)

Chico Anísio respira sem ajuda de aparelhos

“O humorista Chico Anysio (79) permanece internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro. De acordo com boletim médico, o paciente, a partir deste domingo, vai passar o dia sem a ajuda de aparelhos para respirar e, durante a noite, contará com o suporte mecânico.

Segundo o boletim médico, o comediante apresenta boa recuperação e já se alimenta de líquidos. O quadro clínico do comediante permanece estável dentro de sua gravidade, diz a nota. Não há previsão de alta.

O artista foi internado na último dia 2, com um quadro de falta de ar. Após avaliação inicial, onde foi detectada uma obstrução de artéria coronariana, ele foi submetido a uma angioplastia, procedimento que desobstrui as artérias.

Durante o período pós-operatório, Anysio voltou a sentir falta de ar e foi diagnosticado tamponamento cardíaco, que ocorre quando o sangue se acumula entre as membranas que envolvem o coração.”

(Com Portal G1)

Congresso tem pauta decisiva sobre cortes no Orçamento 2011

“O Congresso inicia a semana com um impasse a resolver relativo às receitas orçamentárias para 2011. Logo nesta segunda-feira (13), a Comissão Mista de Orçamento (CMO) se reúne para decidir como solucionará as implicações do anúncio feito pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, de reestimativa de arrecadação tributária para baixo – previsão de corte de R$ 8 bilhões em relação ao projeto original encaminhado aos parlamentares. Segundo o ministro, o corte não vai ser desmedidamente lançado à comissão: o governo recomendará onde deve ser operada a supressão dos recursos.

Em 3 de novembro, os membros da CMO já haviam aumentado em quase R$ 18 bilhões a previsão de gastos da União para o próximo ano. Com isso, a diferença entre a nova estimativa da equipe econômica e o texto trabalhado no Congresso é algo em torno de R$ 25 bilhões.

Eis o imbróglio a ser resolvido por deputados e senadores antes de 22 de dezembro, prazo regimental e constitucional para a votação da Lei Orçamentária Anual. No início da noite de amanhã (segunda, 13), o relator de receitas da proposta orçamentária da CMO, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), deve apresentar uma sugestão alternativa para o aporte de verbas de 2001. Para o presidente do colegiado, deputado Waldemir Moka (PMDB-MS), os números a serem apresentados, caso sejam “consistentes”, podem sublevar a previsão de retração orçamentária do governo.

A discussão diante da recomendação de corte acontece em meio às denúncias de desvios de recursos, via emendas individuais ao orçamento, que acometem o ex-relator da CMO, senador Gim Argello (PTB-DF), que deixou a comissão depois das acusações. Depois da saída do petebista, duas senadoras foram indicadas à função, sendo que a última foi mantida no posto: líder do governo no Senado, Ideli Salvatti (PT-SC) chegou a ser inscrita como relatora, mas a colega de partido Serys Slhessarenko (MT) foi posta em seu lugar pelo líder do PT na Casa, Aloizio Mercadante (SP). Ideli assumirá o Ministério da Pesca.

A despeito de todos os problemas, os membros da CMO acreditam que o texto final do orçamento 2011 será normalmente votado. Também nesta segunda, o colegiado deve apreciar e votar pareceres sobre as áreas de Infraestrutura e de Fazenda, Desenvolvimento e Turismo, os dois últimos relatórios setoriais em análise no Congresso.

Medidas provisórias

Na Câmara, os destaques da pauta de votações em plenário são o projeto de legalização dos bingos (Projeto de Lei 2944/04) e a matéria que prorroga o Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza (Proposta de Emenda à Constituição-PEC 507/10). Na última quarta-feira (8), os deputados já aprovaram o rito de urgência de análise do PL 2944/04, que passa a ter prioridade de votação sobre as demais proposições em pauta – em votação em sessões extraordinárias, porque dez medidas provisórias trancam os trabalhos nas sessões ordináias. Isso foi possível graças ao acordo de líderes que propiciou a aprovação, no último dia 2, dos projetos relativos ao pré-sal. Segundo o vice-presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), as medidas provisórias com prioridade de votação, de acordo com o acerto de lideranças, são a MP 499/10 e a MP 502/10.

Aprovada com alterações no Senado, na última quarta-feira (8), a MP 499/10 promove alterações no quadro funcional do Ministério da Defesa e acrescenta o órgão do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas ao organograma básico da pasta. A medida provisória transformou 61 funções comissionadas técnicas em três cargos em comissão – um de Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (natureza especial), com remuneração de R$ 11.431,88; e dois cargos em comissão DAS (Direção de Assessoramente Superior) de nível 6.

Já a MP 502/10 cria dois tipos de incentivo financeiro para atletas: a Bolsa Atleta de Base, que concede R$ 370 mensais para esportistas iniciantes; e a Bolsa Atleta Pódio, que pode render até R$ 15 mil, mensalmente, para atletas profissionais de alto rendimento com chances de medalha, desde que estejam entre os 20 mais bem ranqueados no cenário mundial. A MP tem como meta o estímulo e a preparação de atletas para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.”

(Congresso em Foco)

Lula visita o Ceará nesta 2ª feira

O presidente Lula visitará o Ceará nesta segunda-feira, a partir das 14 horas, quando desembarcará de avião presidencial no Aeroporto Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte. Lula será recepcionado pelo governador Cid Gomes (PSB) e, em seguida, se deslocará para Missão Velha. Ali, Lula assinará, às 14 h30min, a contratação dos lotes 2 a 11 da Ferrovia Transnordestina , no trecho Missão Velha – Pécem, e visitará as obras desse projeto.

Na comitiva de Lula, estarão o ministro dos Transportes, Paulo Passos, e vários parlamentrares federais cearenses, entre os quais o senador Inácio Arruda (PCdoB), o deputado federal José Nobre Guimarães e os senadores eleitos José Pimentel (PT) e Eunício Oliveira (PMDB).

Confira o expediente dos bancos no Natal e Ano Novo

“A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgou a relação dos horários de funcionamento das agências bancárias do país em virtude das festas de Natal e fim de ano.

De acordo com órgão, na véspera de Natal (24) os bancos terão atendimento ao público no horário das 9 às 11 horas (horário de Brasília). Já no dia 31, véspera de Ano Novo, não haverá expediente nas agências bancárias já que a data está reservada para realizar balanços. Os atendimentos retornarão apenas na segunda-feira, dia 3, primeiro dia útil de 2011.

A Febraban ressalta que, caso os consumidores tenham pagamentos que vençam no dia 31 de dezembro, eles poderão ser quitados no dia 3, sem acréscimos de multa ou correção.”

(Agêcnia Brasil)

Zico ganha homenagem em Fortaleza

O ex-jogador Zico desembarca em Fortaleza nas próximas horas. Ele será um dos homenageados da Festa das Personalidades Esportivas, uma promoção do jornalista Sérgio Ponte e do Grupo de Comunicação O POVO. O evento ocorrerá a partir das 19 horas desta segunda-feira, no Marina Park Hotel e terá transmissão ao vivo da rádio O POVO/CBN.

Além de Zico, deverão ser homenageados o técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, que descansa no litoral, dirigentes e jogadores de clubes locais, além de entidades e a querida Inês Cabral, esta como torcedora. Inês é Ceará sadia.

E se Aécio tivesse sido o candidato tucano?

60 1

Com o título “Os erros do PSDB”, Marcos Coimbra, sociólogo e presidente do Instituto Vox Populi, escreve artigo que saiu públicasdo neste domigno, no jornal Correio Braziliesne. Confira:

Decisões erradas costumam custar caro na política. Especialmente as que levam a escolhas equivocadas de estratégia eleitoral. Como o ciclo eleitoral é longo, o erro de hoje produz efeitos durante anos.

Quando chegaram à candidatura Serra, as oposições e o PSDB sabiam que o provável insucesso não só as manteria por mais quatro anos longe do poder, como as deixaria em posição complicada na sucessão de Dilma. Tinham consciência de que errar em 2010 as prejudicaria em 2014.

Dito e feito. Por mais que alguns queiram ver sucessos no projeto Serra/2010, foi um fracasso do começo ao fim, que afeta negativamente as oposições e que cobrará alto preço no futuro próximo.

Paradoxalmente, é a boa performance de Serra no segundo turno, perdendo por “apenas” 12 milhões de votos, que mostra quão errada foi a opção por seu nome. Quanto à votação que obteve no primeiro, nada a comentar: ele chegou quase que exatamente àquilo que as pesquisas antecipavam. Seus 33 milhões de votos, enfrentando Dilma, foram um bom retrato do limitado potencial de sua candidatura. (Para lembrar: Alckmin tinha recebido, há quatro anos, quase 40 milhões. Apenas para igualá-lo, Serra teria que ter ultrapassado 43 milhões de votos agora, considerando o aumento do eleitorado. E isso sem levar em conta que o adversário de Alckmin era ninguém menos que Lula!).

O fato é que houve Marina, em cujo vácuo Serra foi puxado para o segundo turno. Nisso, vimos duas coisas: a) que existia um espaço vazio na opinião pública, formado pelos eleitores que não haviam assimilado a proposta de Lula, de uma eleição despersonalizada, e b) que Marina podia ser a pessoa que esses eleitores procuravam, mas não Serra. Apenas a metade dos que votaram nela no primeiro turno deram a ele seu voto no segundo.

Ou seja: nessa parcela do eleitorado, Serra acabou derrotado pelo seu argumento básico de campanha. Ele perdeu para Dilma entre os que aceitaram que a eleição era um confronto de projetos (o plebiscito que Lula propunha). E não conseguiu convencer os eleitores de Marina de que era melhor candidato (“mais preparado”, “mais experiente”) que Dilma.

Não existe análise histórica contra-factual, feita na base do “Se A e não B tivesse acontecido, quais seriam as consequências?”. Mas, no caso, a tentação é grande de especular sobre o que poderia ter ocorrido se Aécio tivesse sido o candidato do PSDB.

Talvez chegássemos ao final do primeiro turno com um cenário diferente. Talvez Marina não crescesse tanto. Talvez …

Se, no entanto, as coisas fossem parecidas e Aécio o candidato, a aritmética do segundo turno seria complicada para Dilma. Os eleitores de Marina teriam alguém em quem votar que possuía os mesmos atributos da senadora: capacidade de convencer, de entusiasmar, de transmitir uma imagem da mudança. Alguém com carisma, como disseram muitos dos que votaram na candidata do PV.

Provavelmente, não seriam todos os eleitores de Marina que iriam para Aécio. Mas seriam mais que aqueles que Serra conseguiu atrair. Em outras palavras, Aécio teria uma chance real de vencer, coisa que Serra nunca teve.

O importante é que, mesmo perdendo com Aécio, as oposições estariam hoje em situação melhor. Não teriam terminado a eleição sob o signo de um anti-esquerdismo primitivo. Não teriam tentado misturar política, religião e preconceitos. Não teriam se exposto a cenas ridículas.

Teriam um candidato pronto para 2014, quando as oposições deverão enfrentar um quadro difícil: ou uma presidente bem avaliada disputando a reeleição (notando que nenhum presidente deixou de se reeleger em nossa história) ou a possibilidade de Lula voltar ao páreo. Seu único nome viável, o próprio Aécio, ainda precisa ser apresentado ao país.

Mas o melhor, para as oposições, é que, se o mineiro tivesse sido candidato, não seria necessária a renovação custosa que têm que fazer. Através da candidatura de Aécio, a própria eleição teria sido a refundação do PSDB. O passado já seria passado e o futuro não teria que brigar com ele.

Dilma quer criar linha oficial para ampliar luta contra a pobreza

“A presidente eleita, Dilma Rousseff, vai criar uma linha oficial de pobreza para ampliar a política social do governo, que terá crianças, regiões metropolitanas e comunidades isoladas como focos, agora que o governo Lula considera cumprida a missão de atender a pobreza “clássica” do Norte/Nordeste.

A linha ajudará a calcular o custo para acabar com a pobreza no país, inicialmente estimado entre R$ 9 bilhões e R$ 21,7 bilhões por ano. Esse é o principal nó para a presidente eleita cumprir sua principal promessa de campanha. A equipe de transição já começou a fazer os cálculos do custo dessas políticas para os cofres públicos.

Tudo vai depender do critério adotado para definir quem são e quanto ganham essas pessoas. Essa, segundo especialistas, é uma escolha política. Quanto mais alta a linha estipulada pelo governo, mais recursos deverão ser desembolsados para garantir o piso mínimo de renda das famílias para tirá-las da extrema pobreza.

Se a linha de pobreza escolhida fosse de R$ 145 (como a usada pela Fundação Getulio Vargas), o custo seria de R$ 21,7 bilhões. Mas, se for mais generosa para garantir, por exemplo, que todos recebam salário mínimo todo mês, o déficit passaria a R$ 314 bilhões/ano. Identificar esse número sempre foi um dos maiores problemas para reduzir desigualdades no país.

Somente com essa conta em mãos, o governo poderá buscar fontes para financiar a iniciativa. Integrantes da equipe de transição estimam que, mantidos os 0,4% do Produto Interno Bruto (PIB) que o governo gasta com o Bolsa Família anualmente, o custo do programa deva subir R$ 7 bilhões nos quatro anos de governo Dilma, valor baixo para os seus resultados.

Estima-se em 28,8 milhões o universo de pessoas que poderiam ser consideradas miseráveis no país, segundo os critérios da Fundação Getulio Vargas. Em 2003, eram 49 milhões. Alagoas é o estado com maior proporção de miseráveis do país em relação à sua população (34,96%), sendo seguido pelo Maranhão (31,49%).”

(Globo)

Ciro só retorna da Europa dia 22 e seu destino continua de molho

O deputado federal Ciro Gomes (PSB), antes ignorado pelo partido para ministérios, foi sugerido por Dilma, com apoio do presidente Lula, conforme revelou nesta semana o Poder Online (iG), para o Ministério da Integração Nacional. Aguarda-se resposta dele até quarta-feira, já que só retornará da Europa, onde passa temporada com o filho caçula, Yuri, dia 22 próximo. A data do retorno de Ciro ao Brasil foi passada para o Blog por seu irmão, o governador Cid Gomes (PSB).

Par essa pasta, os nomes inicialmente indicados pelo PSB são os de Fernando Bezerra, atual secretário de Desenvolvimento Econômico do governo de Eduardo Campos, em Pernambuco, e Márcio França, deputado por São Paulo. França, porém, não é um político de consenso dentro da equipe de transição.

Cabe ao PSB indicar quem ocupar o Ministério da Integração Nacional e a Secretaria Especial dos Portos, esta última com um correligionário de Ciro Gomes, no caso Pedro Brito.

A predileção de Dilma por Ciro ficou clara com a participação de seu irmão, o governador do Ceará, Cid Gomes, na reunião de semana passada na Granja do Torto. 

Ciro tem a preferência da equipe de transição por ter descartado candidatura própria à Presidência neste ano e declarado apoio a Dilma Rousseff. Depois do primeiro turno, ele foi convidado a fazer parte do núcleo da campanha.

A Ciro agora cabe decidir se aceita retornar à pasta da Integração Nacional, que já ocupou no governo Lula. Inicialmente, a aliados ele disse que recusaria a oferta, considerando-a “figurinha repetida”. Mas, agora, restaram poucas posições de ponta no governo. Se declinar, Ciro ainda tem a opção de ocupar a presidência do Banco do Nordeste.

(Este Blog e Portal iG)

Silvio Santos – 80 anos

“Fortaleza nem bem tinha conhecido a televisão quando São Paulo viu, pela primeira vez, na TV Paulista (atual Rede Globo), a imagem do locutor que desde os 14 anos de idade entoava sua voz nas rádios cariocas e paulistas. Em 1961, Silvio Santos iniciava sua história na televisão brasileira apresentando o programa Vamos brincar de forca, que em pouco tempo viraria uma febre televisiva. Era o primeiro passo de uma relação que tomaria dimensões, ate então, inimagináveis e que duraria até os dias de hoje. Chegando aos 80 anos neste domingo, a história de vida do apresentador batizado Senor Abravel se mistura à própria história da televisão brasileira e confunde o telespectador sobre o que é o homem e o que é personagem.

Até tornar-se o homem que faz aviõezinhos de dinheiro, o caminho foi longo e marcado por um dom especial para os negócios encontrado em poucos. Nascido em 12 de dezembro de 1930, no boêmio bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, Senor Abravanel é o filho primogênito de Rebeca e Alberto Abravanel, um casal de imigrantes que se conheceu na capital carioca. Pai de seis filhas, o hoje Silvio Santos está casado pela segunda vez. Da primeira relação, com Maria Aparecida (Cidinha) – que morreu de câncer em 1977 – vieram Cíntia e Sílvia. Com a segunda esposa, Íris Abravanel, com quem é casado há mais de 30 anos, teve Daniela, Patrícia, Rebecca e Renata.

O codinome Silvio, segundo conta na biografia A fantástica história de Sílvio Santos, de Arlindo Silva, surgiu depois que o pai tentou registrá-lo com o nome de Dom, que para seu Alberto significava “senhor”. O nome, no entanto, não foi permitido e o pai decidiu pelo Senor Abravanel, que parecia com senhor. A mãe nunca aceitou esse nome e só lhe chamava de Sílvio. Um dia, durante a inscrição para um show de calouros, perguntaram-lhe o nome e ele respondeu “Silvio”. E sobrenome? “Santos, porque os santos ajudam”. A previsão estava certa.

Das ruas aos estúdios

Silvio cresceu vendo o pai tentar comercializar bugigangas para sustentar a família. E viu também quando ele perdeu tudo no jogo. Foi aí que o já falante e inquieto rapaz, então com 14 anos, se afastou da Escola de Contabilidade Santo Amaro Cavalcanti e foi “se virar”pela avenida Rio Branco, no Centro do Rio. Começou vendendo capinhas para título de eleitor. Viu um ambulante mais velho com os objetos e decidiu imitá-lo. Comprou duas capinhas e saiu dizendo que era a última. Vendeu. Repetiu a tática e voltou a vender tudo. “Dizem até que a moeda de 2 cruzeiros com a qual comprei a minha primeira carteirinha foi a moeda do Tio Patinhas”, brinca o apresentador.

Mas o dinheiro de verdade veio com a venda de canetas. Até números de mágica com moedas e baralhos ele passou a fazer para chamar atenção dos clientes. Em pouco tempo, Sílvio ganhava, por dia, o referente a cerca de cinco salários mínimos da época, trabalhando apenas das 11h ao meio-dia, horário de almoço do funcionário que fiscalizava os ambulantes. Um dia, ele perdeu a hora e o rapa bateu. Ao invés de levá-lo preso, o diretor de fiscalização da prefeitura entregou-lhe um cartão para que procurasse emprego de locutor na Rádio Guanabara. Ele foi, deu certo, mas um mês depois voltou a ser camelô.

A saída definitiva das ruas só viria com o ingresso no exército, com 18 anos, pois se o “rapa pegasse”, a cana militar seria mais dura. Na mesma época, voltou a ser locutor, desta vez, na Rádio Continental, em Niterói, para onde se dirigia de barca. Começava ali uma nova e promissora fase da vida do futuro empresário e apresentador, que, saído do comércio das ruas, construiu um império de mais de 30 empresas, entre as quais está o famoso Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).

Aos 80 anos e com uma vitalidade invejável, Silvio Santos carrega uma história de superação e coragem que desde o mês passado vem sendo posta à prova de fogo. O empresário tenta reverter um rombo de R$ 2,5 bilhões causado por fraudes no banco PanAmericano, pertencente ao Grupo Silvio Santos. O empresário deu como garantia para obter empréstimo do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) praticamente todo seu patrimônio empresarial. Entraram 44 empresas subordinadas à holding SS Participações, entre elas o SBT, sua participação no banco PanAmericano, a Jequiti, a Liderança Capitalização e o Baú da Felicidade. Muitos acreditam que desta vez seja a falência definitiva do empresário. Mas, hoje é um novo ano que começa para Silvio.”

(O POVO – Vida & Arte)

PSDB em clima de reformulação. Nome de Tasso entre cotados para a missão

61 3

“Depois de amargar a terceira derrota consecutiva nas eleições presidenciais, o PSDB começa a se repensar. Criado em junho de 1988 por um grupo de dissidentes do PMDB liderados por políticos de São Paulo e Minas Gerais, o partido que nasceu para ser poder precisa mais do que nunca se consolidar como oposição. Apesar de ter feito oito governadores nas últimas eleições, o PSDB saiu menor das urnas. Ainda assim, tucanos próximos ao ex-governador paulista José Serra, que perdeu a disputa para Dilma Rousseff (PT), se fecharam em copas diante de uma proposta de refundação da agremiação política. Apresentada pelo senador eleito Aécio Neves, ex-governador mineiro, a proposta prevê a reformulação do programa partidário até maio de 2011, quando acontece a convenção nacional tucana. Dessa forma, temas como políticas específicas para o Nordeste, profissionalização do serviço público e sustentabilidade seriam incluídos entre as diretrizes do partido. “Só o tema da sustentabilidade justificaria a revisão do programa”, diz Aécio. “Ele não é tratado no programa do PSDB com a ênfase que deveria ter.”

Na opinião do senador eleito, três lideranças históricas tucanas deveriam conduzir o processo de revisão do programa do partido: o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Serra e Tasso Jereissati (CE), senador em final de mandato. De imediato, a sugestão de mudança provocou estranheza até mesmo em Fernando Henrique. Sua primeira reação foi classificar o termo refundação como “muito forte”, embora ele próprio tivesse antes avisado não estar mais disposto a endossar campanhas que negassem a história do partido. Na semana passada, no entanto, o ex-presidente estava entre aqueles que se alinharam ao projeto, que envolve retomar as raízes do partido, cujas tendências de centro-esquerda cederam espaço nas últimas eleições a bandeiras conservadoras, como o debate em torno do aborto. Para discutir o futuro do partido, o ex-presidente recebeu Aécio na segunda-feira 6 em seu apartamento no bairro de Higienópolis, em São Paulo.

Outro tucano graduado a apoiar o processo de refundação foi o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin. “O partido foi fundado na década de 1980 e nós estamos em outro momento”, afirmou Alckmin, após almoço com Aécio, também em São Paulo. “É importante atualizar o programa partidário e fazer uma oposição inteligente.” Lembrando que os governadores eleitos pelo PSDB administrarão Estados que concentram 47,5% do eleitorado brasileiro, os tucanos pretendem ainda renovar os seus quadros. Por um lado, trata-se de uma volta às raízes, buscando uma reaproximação com a sociedade civil. “Precisamos também atrair as novas gerações e lideranças que não se encontram hoje no campo do partido”, defende Aécio. Não por acaso, durante um périplo por Brasília, na semana passada, Aécio reuniu-se com correligionários, mas também com políticos de outros partidos, como integrantes da bancada do Democratas e o governador reeleito de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

O ex-governador de Minas garante que seu único objetivo daqui para a frente é cumprir o mandato de senador, fazendo uma oposição forte, mas qualificada, ao governo Dilma. Ele afirma ainda que não pretende aceitar nem disputar nenhum posto de liderança no Senado. “A oposição terá vários líderes”, ressalta Aécio. “Eu não serei o líder.” Mesmo assim, seus movimentos apontam para 2014, como potencial candidato à sucessão de Dilma. Afinal, durante todo o ano de 2009 ele se empenhou para que a cúpula do PSDB promovesse prévias internas para a escolha do candidato tucano à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Não teve sucesso na empreitada, mas a iniciativa de disputar a indicação com Serra – e não aceitar ser vice na chapa – acabou por consolidar nacionalmente sua liderança.”

(Revista IstoÉ)