Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Luizianne Lins diz que Prefeitura de Fortaleza é prioridade para a executiva nacional

398 22

“A permanência do PT na Prefeitura de Fortaleza é prioridade para a executiva nacional do partido. Foi o que assegurou a prefeita Luizianne Lins (PT), durante reunião entre o presidente nacional da legenda, Rui Falcão, e representantes dos diretórios estaduais.

“Fortaleza é, hoje, a maior capital que o PT governa no País. Daí a importância que o PT nacional dá para a continuidade do projeto petista na Capital”, disse a prefeita, durante o encontro realizado em Salvador, que teve como pauta a agenda do partido para 2011, a reforma política e as eleições de 2012.

Numa demonstração dessa atenção especial que o partido devota à sucessão no Paço Municipal, após o evento, Luizianne participou de reunião reservada com o presidente Rui Falcão, no início da noite de ontem.

Segundo a assessoria de imprensa da prefeita, na ocasião, ficou acertado que, na condição de presidente do PT no Ceará, Luizianne, receberá Falcão em Fortaleza, no próximo dia 30, para traçar estratégias visando às eleições municipais.

Falcão debaterá com a prefeita, dirigentes e parlamentares petistas do Ceará, medidas para contra-atacar as críticas que Luizianne vem sofrendo nos últimos meses, no que já classificou como sendo “antecipação” do processo eleitoral. A reforma política também está na pauta.

Ainda durante o evento na Bahia, a prefeita Luizianne também afirmou que a ideia do PT nacional é trabalhar durante o ano de 2011, focando a organização partidária, para garantir o sucesso nas eleições de 2012 em todo o País.”

(O POVO)

Entrevista de Palocci – Repercussão entre oposição e governistas

A opinião de governistas e oposicionistas sobre a entrevista dada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, ao Jornal Nacional (TV Globo), nesta sexta-feira:.

ACM Neto, deputado federal (BA) e líder do DEM na Câmara
“A entrevista não fala nada, não acrescenta nenhuma informação, ele é vazio nos pontos que interessa, nas empresas que contrataram os seus serviços e a origem do recurso. Ele falar foi inútil, não deveria ter passado por essas, falou, falou e não disse nada. Ficou no ar numa nebulosa grande. Reforçou a necessidade de ele ir à Câmara, se defrontar com os deputados sobre as coisas graves que a empresa dele fez.”

Cândido Vaccarezza, deputado federal (PT-SP) e líder do governo na Câmara
“Acho importante a entrevista porque ele deixou claro que era um problema dele, que não fez tráfico de influência e nem usou informações privilegiadas. Quero centralizar o debate sobre o ‘Brasil Sem Miséria’ e os projetos importantes para o Brasil. [A entrevista] facilita a discussão [sobre a convocação do ministro para dar explicações no Congresso]”.

Chico Alencar, deputado federal (RJ) e líder do PSOL na Câmara

“Eu acho que ele demorou muito para falar, 18 dias, e falou muito pouco. Não acrescentou nada do essencial que a sociedade quer saber. Por exemplo, não falou que tipo de consultoria prestou e para quem. Dizer que tem nota fiscal é totalmente insuficiente.”

(Portal G1)

Duarte Nogueira, deputado federal (SP) e líder do PSDB na Câmara

“Não disse absolutamente nada. Só piorou a questão. Não elucidou os pontos se houve tráfico de influência e de conquista de benefícios pessoais. Depois dessa entrevista, ele deve pedir afastamento. A posição do ministro ficou insustentável. Agora, a pressão da opinião pública vai aumentar, porque ele disse que só prestou serviços para empresas privadas, mas não disse se elas tinham interesses dentro do governo. E essa história de concentração de recursos no fim do ano, porque os pagamentos estavam represados não existe, eles são pagos a medida que são prestado.”

Henrique Eduardo Alves, deputado (RN) e líder do PMDB na Câmara
“Acho que o que faltava era ele vir a público e fazer o que fez. Ele fez com segurança, as perguntas não foram combinadas. Na minha opinião ele respondeu com tranquilidade, serenidade. Mesmo para aqueles que não querem acreditar na sua palavra, ele fez com seriedade. Eu acho que ele encaminhou a documentação que ele falou, que não se envolveu com nenhum órgão público. Eu dou a ele este crédito. Acho que ele não iria falar ao Brasil o que a documentação não comprovasse. Ele fez com seguridade e cumpriu seu papel de forma esclarecedora.”

José Agripino, senador (RN) e presidente nacional do DEM
“A entrevista não acrescenta nada, porque não esclarece a dúvida da opinião pública, que é se houve ou não tráfico de influência. Qual o problema de expor o negócio se eles são limpos? Ele falou para o público interno do governo e do PT, mas o cidadão comum em casa se pergunta qual o problema de dizer com quem ele tinha contratos, se eles eram limpos? Está longe de encerrar o assunto, as dúvidas pemanecem e ele terá que se defender no foro adequado”

Luiz Sérgio (PT), ministro de Relações Institucionais

“Ele foi claro, objetivo e convincente. Não [precisa dar novas explicações ou falar no Congresso], porque todos estavam cobrando que ele falasse e ele falou para o Brasil, falou de maneira, como disse, clara, objetiva e convincente. As explicações que tinham que ser prestadas foram prestadas e os dados, como são dados que se referem a sigilos de contratos que precisam ser respeitados [não foram expostos]. Vou dar um exemplo: a  WTorre se antecipou dizendo que ele tinha trabalhado para ela e rapidamente, em poucos dias, de forma irresponsável, a oposição disse que ela tinha se beneficiado [de tráfico de influência]. Utilizaram uma empresa, o nome de uma empresa, de forma leviana para fazer disputa política, então é preciso preservar as empresas. Elas fizeram contratos. A crise vai passar. As pessoas queriam ouvi-lo e ele falou.”

Romero Jucá, senador (PMDB-RR), líder do governo no Senado

“Foi uma entrevista tranquila. Ele falou o que poderia falar respeitando a confidencialidade dos contratos e acho que esclarece a posição dele e dá um ponto importante de que não pode haver exploração política nesse caso. Exploração política vai haver sempre, mas a base do governo ganha agora um discurso importante para defendê-lo. [Palocci] Não deu detalhe das empresas porque não queria expor. Está correto. Falou sobre todos os assuntos e que está respeitando informações detalhadas aos órgãos de controle.”

Ronaldo Caiado, deputado federal (DEM-GO)
“Primeiro lugar, nada convincente e nada esclarecedor. Ficou claro que ele foi cem por cento monitorado por advogado de defesa. Ele não teve um comportamento de um homem público. Em resumo, é um político em queda-livre, sem rede de proteção. A Casa Civil caiu. Ficou claro que ele não suporta uma convocação na Câmara. Palocci cada vez mais está com cara de ser o Delúbio Soares do governo Dilma.”

Rui Falcão, deputado estadual (SP) e presidente nacional do PT
“Muito boa, achei a entrevista muito convincente. Desde o início, sempre achei que ele [Palocci] tinha dado as respostas sobre sua consultoria, agora ele detalhou. Ele mesmo afirmou, e sempre achei isso também, que não há nenhuma crise, e com essas informações detalhadas acredito que se encerra o assunto.”

Sérgio Guerra, deputado federal (PE) e presidente nacional do PSDB
“Ele prestou esclarecimentos sobre o que ninguém perguntou a ele. O que todos perguntam e que cabe esclarecer é para quem trabalhou, por quanto trabalhou e qual o trabalho que ele fez. O argumento de que o faturamento se concentra no momento em que ele encerra o trabalho da empresa não resiste a três minutos de exposição. Se ele está disposto a falar ou se apresentar como aconteceu hoje para toda a população, por que ele não vai ao Congresso como bom democrata e presta os esclarecimentos? Não é por falta de convite, é por excesso de proteção.”

Palocci jura inocência e diz que nunca fez tráfico de influência

O” ministro chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, afirmou nesta sexta-feira, 3, que sua empresa de consultoria Projeto jamais atuou junto a órgãos públicos. “Quando uma empresa privada tinha negócios com o setor público, eu nunca atuei nesses casos”, disse em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo. Palocci enfatizou que, em nenhum momento, participou de empreendimento que envolvesse órgão público e privado. “Isso a lei não me permitia. Eu tinha perfeita clareza do que a lei permitia e o que não”, disse.

Questionado sobre se não iria mesmo divulgar o nome das empresas para as quais prestou consultoria, Palocci disse que uma empresa decidiu admitir que contratou seus serviços e a oposição foi atrás de informações, o que acabou resultando em denúncias falsas. Palocci referia-se à WTorre. A oposição buscou informações sobre a declaração do imposto de renda da empresa e constatou que ela teria recebido a restituição em 2010, época em que a empresa de Palocci prestava serviços para a WTorre. Isso levou a Receita a explicar que a restituição foi feita por conta de uma decisão judicial.

“Não se pode falar em tempo recorde (para a restituição). Não se pode inferir que eu tenha atuado no caso”, disse Palocci. O ministro defendeu-se, dizendo que não pode expor contratos que teve com empresas privadas, “renomadas em suas áreas, num ambiente de conflito político”. “Acho que não tenho o direito de fazê-lo (divulgar os nomes)”.

Ele informou apenas que atuou para empresas dos setores da indústria, de serviços financeiros, de mercado de capitais, fundos de investimento em empresas privadas, setor de serviços em geral. “Empresas da iniciativa privada que consideraram útil o fato de eu ter sido ministro da Fazenda, conhecer a área econômica”, disse, esclarecendo ainda ter respeitado a quarentena depois que deixou o ministério da Fazenda.”

(Agência Estado)

VAMOS NÓS – Por que Palocci demorou 18 dias para dar esclarecimentos? Por que não deu uma coletiva, ao invés de privilegiar a Rede Globo? Essa novela não chegou ao seu último capítulo. Pode anotar.

Projeto de Pimentel quer estimular recolhimento do FGTS

A utilização de recursos públicos poderá ficar mais rigorosa. Os bancos privados terão de verificar se a empresa está em dia com o recolhimento ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, antes de conceder empréstimo, financiamento, dispensa de juros e multas ou qualquer outro benefício com recursos públicos. É o que estabelece o projeto (PLS 184/11) apresentado, em abril, pelo senador José Pimentel (PT). Um dos objetivos é aumentar o recolhimento ao FGTS.

Pela legislação atual (Lei 9.012/95), essa regra vale apenas para as instituições oficiais de crédito, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. Com isso, empresas em débito com o FGTS podem ter acesso a recursos oficiais por meio de bancos privados, o que desestimula o recolhimento. Por outro lado, a regra atual gera condições desiguais de competição no mercado entre os bancos oficiais e os privados, já que estes, hoje, têm menos restrições.

O projeto de José Pimentel resolve esses problemas e coloca as instituições oficiais de crédito em pé de igualdade com os bancos privados. Além disso, garante que nenhuma empresa terá acesso a recursos oficiais, como financiamento do BNDES ou dos fundos constitucionais (FNE, FCO e FNO), se estiver em dívida com o FGTS. Com isso, a proposta pretende garantir um maior recolhimento a esse fundo, cujo objetivo é proteger o trabalhador.

O projeto de José Pimentel está sob a análise da Comissão de Assuntos Sociais do Senado. De lá, se aprovado, seguirá à análise da Comissão de Assuntos Econômicos, onde será analisada em caráter terminativo. Isso quer dizer que, se aprovada nessa comissão, a proposta poderá seguir diretamente à Câmara dos Deputados.

(Com Agência Senado)

Comentário do Felipão – Ceará X Botafogo

201 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=swEikfzfpWg[/youtube]

Eis o comentário do jornalista Felipe Araújo sobre o jogo do Ceará contra o Vasco, válido pela Campeonao Brasileiro, que ocorrerá neste sábado, a partir das 18h30min, no Estádio Presidente Vargas. Que não seja mais um teste para uma meia ofensiva como busca o técnico Wagner Mancini, espera Felipão.

Vivo confirma venda de iPhone 4 branco no Ceará

A Vivo informa para o Blog: já está comercializando no Ceará, desde a última quarta-feira, o iPhone 4 branco, que custará o mesmo que o modelo original, na cor preta. A operadora disponibilizará a nova versão para os demais Estados, a partir da próxima sexta.

A empresa adianta estar mantendo a estrutura do portfólio de planos criados especialmente para o iPhone, com oito diferentes opções que incluem minutos livres locais, torpedos SMS/ MMS e pacotes de dados que variam de 250 MB a 2 GB.  No Vivo iPhone 60 (o menor plano paro o iPhone 4 branco) o aparelho sai por R$ 1.299, 00.

DETALHE – Esse valor pode cair para R$ 549,00 no plano Vivo iPhone Completo, que engloba todos os serviços oferecidos pela operadora.

Tarifa Social de Energia chega a 12 milhões de casas

“Toda família com renda mensal por pessoa de até meio salário mínimo tem direito à Tarifa Social de Energia Elétrica que permite desconto na conta de luz. Esses consumidores precisam, no entanto, estar inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Desde o ano passado, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), gestor do Cadastro Único, e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estão trabalhando na regulamentação da Lei 12.212, de 20 de janeiro de 2010, que acabou com a redução automática destinada a residências com consumo de até 80 kWh/mês e passou a exigir o cadastramento.

O Cadastro Único é feito pelas prefeituras e serve como base para seleção de beneficiários do Bolsa Família e outros programas sociais. Em todo Brasil, 19,5 milhões de famílias com renda de até meio salário foram cadastradas. Destas, 12,9 milhões recebem transferência de renda e só precisam apresentar às concessionárias de energia o Número de Identificação Social (NIS), que consta no seu cartão ,para obter o desconto na conta de luz.

As famílias que estão no Cadastro Único, mas não foram incluídas no Bolsa Família (renda mensal por pessoa da família de até R$ 140,00), devem solicitar à prefeitura do município em que mora o seu NIS e depois se dirigir à concessionária de energia para obter a Tarifa Social.”

(Com site MDS)

XXI Cine Ceará traz fotógrafo cubano para exposição em Fortaleza

Ovidio Hernandez e Amauri Cândido.

O XXI Cine Ceará só será aberto no próximo dia 8, no Thatro José de Alencar, mas, até lá, alguns eventos ocorrerá em Fortaleza como forma de animar cinéfilos e amantes da sétima arte.

Já está na cidade o diretor do Laboratório de Fotografia da Escola Internacional de Cinema e Televisão de Cuba, Ovidio González Hernández. Ele será um dos homenageados do festival e, neste sábado, a partir das 16 horas, o Espaço Cultural do CREA/CE (antigo San Pedro Hotel), abrirá exposição fotográfica. Com direito a palestra.

Quem está ciceroneando Ovidio González é o coordenador de Produção do Cine Ceará, jornalist Amaury Cândido, que, inclusive, foi seu aluno em Cuba.

(Foto – Paulo MOska)

Tasso e Aécio têm encontro com ex-primeiro ministro da Espanha

124 1
Os tucanos Tasso Jereissati e Aécio Neves estiveram reunidos, nesta sexta-feira, com o ex-primeiro ministro espanhol José Maria Aznar. Durante almoço, no Rio de Janeiro, os três discutiram os cenários políticos no Brasil e na Espanha, com projeções para as duas eleições presidenciais nos dois países. Na Espanha, o PP – partido de Aznar, foi o grande vitorioso das últimas eleições municipais. Venceu, inclusive, em Valência, uma das mais importantes cidades espanholas e em Madrid, a Capital.
Em visita ao Brasil, Aznar tem mantido contato com empresários e as principais lideranças políticas do País. Antes de conversar com Tasso e Aécio, o ex-primeiro ministro foi recebido, em Brasília, pela cúpula dos Democratas durante jantar oferecido pelo presidente nacional da sigla, senador José Agripino (RN).
Esse foi o primeiro encontro de Tasso e Aécio, após a Convenção Nacional do PSDB, sábado último, em Brasília, na qual foi reeleito para a presidência nacional dos tucanos o deputado federal Sérgio Guerra (E). Tasso, nesse encontro, teve seu nome confirmado para a presidência nacional do Instituto Teotônio Vilela (ITV). Na próxima quarta-feira, em Brasília, acontecerá a primeira reunião da nova Executiva nacional tucana.

Diretor-geral do Incor discute em Fortaleza projeto de fabricação do coração artificial

O diretor-geral do Instituto do Coração (Incor), Noedir Stols, está em Fortaleza. Veio assumir, nest asexta-feira, a presidência do conselho direetor do Stud Heart, entidade apoiada pelo Grupo Beto Studart que atuará na fabricação de coração artificial.

Noedir é ciceroneado pelos diretores do Stud Heart Alesandro Veron e Henrique Carvalho. Durante este fim de semana, ele presidirá reuniões para definir a formatação e o trabalho da nova entidade.

CNI aumenta para 3,8% previsão de crescimento do PIB

“A expansão do PIB (Produto Interno Bruto) no primeiro trimestre fez a CNI (Confederação Nacional da Indústria) aumentar suas estimativas para o desempenho da economia em 2011. A previsão para o crescimento do PIB, que era de 3,5% em abril último, aumentou para 3,8%, e a expectativa de expansão do PIB industrial subiu de 2,8% para 3,2%.

A economia brasileira teve o crescimento acelerado no primeiro trimestre deste ano e subiu 1,3% frente aos três meses imediatamente anteriores, informou hoje o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em relação a igual período em 2010, o PIB avançou 4,2%.

No quarto trimestre de 2010, o PIB tinha crescido 0,8% sobre os três meses anteriores, segundo dado revisado pelo IBGE. Ao todo, a economia movimentou R$ 939,6 bilhões de janeiro a março. Segundo a CNI, o resultado foi puxado pelo bom desempenho da indústria, que teve expansão de 2,2% no período.

Apesar do aumento do PIB detectado pelo IBGE no início deste ano, a CNI acredita, no entanto, que o ritmo da atividade econômica será menor nos próximos meses.”

(Folha.com)

PSDB está preocupado com repercussão política de fala de FHC sobre maconha

164 5

“O discurso do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso pela descriminalização da maconha tornou-se uma preocupação eleitoral para alguns dos principais nomes de seu partido, o PSDB, informa reportagem publicada na Folha desta sexta-feira.
 
De acordo com o texto, a defesa da adoção de políticas alternativas para usuários de drogas ganhará mais destaque a partir de hoje com a estreia do documentário “Quebrando o Tabu”, que é estrelado por ele, nas maiores cidades do Brasil.

No filme, FHC conta experiências de países que adotaram medidas alternativas à punição dos usuários de drogas, ao lado de políticos como os ex-presidentes Bill Clinton (EUA) e Ernesto Zedillo (Mexico).

(Folha.com)

Fortaleza é sede do Congresso da Fraternidade

Fortaleza será sede, a partir das 19 horas desta sexta-feira, no Centro de Convenções, do Congresso da Fraternidade. Trata-se do encontro que congregará, até domingo, as novas comunidades da Igreja Cartólica. Na abertura, haverá a coroação de Nossa Senhora.

Entre convidados, o bispo de Caruaru, Dom Dino, e pregadores internacionais. Também Luiza Santiago, que fundou a Comunidade Canção Nova (SP), ao lado do padre Jonas Abib.

A Comunidade Face de Cristo está entre os cicerones do Congresso da Fraternidade, que será encerrado com missa a ser celebrada pelo arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio de Aparecido Tose.

(Foto – Paulo MOska)

SERVIÇO

Mais informações sobe o Congresso no Blog da Sagrada Família.

Presidente do Simec/CE apegoa – a luta contra a privatização da saúde continua

Com o título “O Estado quer privatizar a saúde”, o presidente do Sindicato dos Médicos do Estado do Ceará (Simec), José Maria Pontes, manda artigo para o Blog. Ele aborda a tentativa de se criar empresa pública para gerir hospitais universitários como ameaça de privatização na área. Confira:

O Estado brasileiro vem, há muito tempo, tentando privatizar a saúde pública. Quando a Constituinte criou o Sistema Única de Saúde (SUS) e o tornou constitucional (art. 196 a 200) em 1988, nós já sabíamos que a luta daqueles que não têm compromisso com a saúde do nosso povo ia continuar, sempre com o objetivo de colocar a fatia do dinheiro público da saúde nas mãos da iniciativa privada.

Nada contra a iniciativa privada, mas entendemos que o poder público tem que garantir saúde e educação universal e de qualidade para a população, já que pagamos muito imposto no Brasil e a população desassistida não tem outra forma de ser socorrida.

A ideia de começar a privatizar a saúde é antiga, mas foi a partir de 1995 com o “PAS” dos ex-prefeitos Celso Pitta e Paulo Maluf, quando ocuparam a Prefeitura de São Paulo, que se iniciou na prática todo processo. Em 2001 acabou o “PAS” com uma grande CPI e muita corrupção.

Quando Fernando Henrique Cardoso assumiu a Presidência da República também fez uma ofensiva contra o SUS estatal e que foi acompanhado por muitos Estados e Municípios aprovando leis criando as Organizações Sociais (OS) e as OSCIP que se mantém até hoje, inclusive no Ceará.

Na Ea Lula,a ideia continuou, apesar de acreditarmos na época que sendo um governo de esquerda não ia continuar, Lula tentou privatizar a saúde e a educação, através das Fundações Estatais de Direito Privado e, no último dia do seu governo, assinou a Medida Provisória 520, cujo relator foi o deputado federal Danilo Forte (PMDB), do Ceará, e que entregava de mão beijada, sem licitação, a gestão de 45 hospitais universitários federais à iniciativa privada, uma tal de Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Sociedade Anônima (EBSERH S.A.), isto mesmo Sociedade Anônima com ações e metas a cumprir, uma vergonha nacional, criava-se uma  Empresa Pública de Direito Privado para cuidar destes hospitais-escolas.

A MP 520 desrespeitava a Constituição Federal e feria alguns de seus artigos, rasgava as leis orgânicas da saúde (leis 8080 e 8141) e era imoral, pois acabava com a autonomia universitária, desmontava o SUS e dava um “golpe de mestre” no ensino médico no Brasil, pois é lá onde se prepara a maioria dos nossos futuros médicos e onde se faz mais pesquisa na área de saúde.

O modelo desta EBSERH S.A. foi baseado na empresa que gerencia o Hospital de Clínicas de Porto Alegre e que mantém convênio com 35 planos de saúde, quer dizer com dupla porta de entrada, isto é, por uma entra o paciente do SUS e pela outra o paciente privado, só que a porta do SUS é bem estreita e a privada é muito larga.

Outra forma de privatização da saúde vem ocorrendo no Brasil como a Parceria Pública Privada (PPP) que existe no Estado da Bahia (Hospital do Subúrbio), em Belo Horizonte com a atenção básica a partir de 2012 e em unidades de saúde de São Paulo.

A MP 520 tinha que ser aprovada no senado até a meia-noite de ontem o que não aconteceu devido os senadores de oposição e alguns da base do governo que se utilizaram de manobras regimentais para impedir a votação em plenário. Alguns senadores do PT ficaram a favor desta imoralidade em uma total falta de coerência, pois no período FHC estes senhores sempre defendiam o SUS e a universidade pública e de qualidade. Que incoerência!!!!!

A vitória de ontem no Senado Federal foi uma vitória do povo brasileiro, foi uma vitória do SUS, uma vitória da universidade pública, de centenas de sindicatos da área de saúde, de sindicatos de trabalhadores, de centrais sindicais, de companheiros que se esforçaram para não acabar com a mais importante política social deste País que é o SUS.

Para fazer justiça quero tornar público os nomes dos deputados do Ceará que se posicionaram, apesar de fazer parte da base governista, contra esta privatização da saúde: João Ananias e Chico Lopes do PCdoB e Eudes Xavier do PT.

Qual o próximo passo do poder público no Brasil para continuar insistindo na privatização da saúde?

Que estejamos atentos, pois temos é que melhorar o SUS e não destruí-lo.

* José Maria Pontes

Presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará.

PIB do Brasil cresce 1,3% no primeiro trimestre

“O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todas as riquezas produzidas no país, cresceu 1,3% no primeiro trimestre deste ano na comparação com o trimestre anterior, informou hoje (3) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O maior destaque, de acordo com o IBGE, foi a agropecuária, que registrou aumento de 3,3% no valor adicionado. Em seguida, aparecem a indústria, com expansão de 2,2%, e os serviços, com elevação de 1,1%.

Em relação ao primeiro trimestre de 2010, o PIB registrou aumento de 4,2%. Nessa base de comparação, os serviços foram a atividade econômica com maior expansão (4%). A indústria cresceu 3,5% e a agropecuária, 3,1%.

O IBGE informou também que revisou o dado relativo ao quarto trimestre de 2010 em relação aos três meses anteriores. O dado previamente divulgado apontava uma expansão de 0,7%, mas na verdade o crescimento ficou em 0,8%.”

(Agência Brasil)