Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Caso Battisti – Se decreto contrariar tratado, italiano poderá ser extraditado

“O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) voltará a analisar o processo de Extradição (Ext 1085) do italiano Cesare Battisti no próximo mês, quando terminam as férias coletivas dos ministros da Corte. Durante entrevista coletiva concedida, no Rio de Janeiro, o presidente do STF, ministro Cezar Peluso, afirmou que caberá ao Tribunal examinar se a permanência de Battisti no Brasil, como determinou o governo federal, está de acordo com os termos do tratado. “Se o Supremo Tribunal Federal decidir que não está nos termos do tratado, ele vai ter que ser extraditado”, afirmou.

No último dia de seu mandato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou decreto no qual nega ao governo italiano o pedido de extradição do ex-ativista. Imediatamente, a defesa de Battisti apresentou petição ao STF solicitando a expedição imediata de alvará de soltura. Já o governo da Itália apresentou petição requerendo que Battisti permanecesse preso até que o Plenário do STF examine o caso.

Após determinar o desarquivamento do processo de extradição e anexar as duas petições aos autos, o ministro Cezar Peluso decidiu manter a prisão do italiano e remeteu o processo para análise do relator, ministro Gilmar Mendes.”

(Site do STF)

Emprego bate recorde e indústria deve ajudar a manter o ritmo em 2011

“Depois de um ano recorde de contratações, que terminou com um saldo de 2,5 milhões de postos de trabalho com carteira assinada, a perspectiva é de que o emprego continue firme em 2011, especialmente na indústria.

Só a Zona Franca de Manaus, que reúne a maioria dos fabricantes de eletroeletrônicos e motocicletas, além de produtos químicos, vai efetivar cerca de 7 mil trabalhadores temporários. Eles foram contratados a partir de outubro para incrementar a produção de fim de ano.

“Até o fim deste mês, 80% dos trabalhadores temporários serão aproveitados. No ano passado, foram efetivados perto de 5 mil trabalhadores e o índice de aproveitamento de temporários foi bem menor, entre 40% e 50%”, afirma o presidente do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Eletroeletrônicos de Manaus, Wilson Périco.

(Estadão)

Inquérito da PF sobre Erenice Guerra é prorrogado pela terceira vez

“O Tribunal Regional Federal (TRF) prorrogou em mais 60 dias o caso sobre as suspeitas de tráfico de influência na Casa Civil, na qual a ex-ministra Erenice Guerra é uma das rés. O suposto crime teria ocorrido em 2009, quando Erenice era secretária-executiva da pasta. A Polícia Federal deve seguir com os depoimentos e com a a análise dos computadores apreendidos na sede do ministério. Esta é a terceira vez que o inquérito, iniciado em setembro, foi prorrogado.

A primeira prorrogação aconteceu no dia 14 de outubro e a segunda em 24 de novembro. Erenice, que assumiu a Casa Civil no lugar de Dilma Rousseff, teria atuado para viabilizar negócios nos Correios intermediados por uma empresa de consultoria de seu filho, Israel Guerra. Ele é acusado de usar a influência da mãe para cobrar propina em negociações entre empresas privadas e o governo. Após as denúncias, Erenice pediu demissão do cargo.”

(Portal Terra)

Sociólogo em defesa da Comissão da Verdade

167 1

Pedro foi perseguido pela ditadura.

Com artigo intitulado “Para nunca más vivirlo, para nunca más negarlo”,  eis o que escreveu no O POVO desta terça-feira sobre a criação da Comissão Nacional da Verdade, o professor Pedro Albuqueuque, também advogado, sociólogo e colaborador deste Blog. Confira: 

Com essas palavras o presidente Lagos, do Chile, em discurso de novembro de 2004, assumiu a responsabilidade oficial quanto às atrocidades cometidas pela ditadura de Pinochet, reveladas oficialmente pela Comissão da Verdade e Reconciliação.

Parte desse feito o Estado brasileiro realizou. O Projeto de Lei 7376/2010 de iniciativa do então presidente Lula e que cria a Comissão Nacional da Verdade (CNV) está em curso de apreciação pela CE da Câmara dos Deputados, devendo posteriormente ir à decisão do Plenário.

Forçoso é reconhecer que faltaram interveniências políticas mais efetivas da Presidência da República, dos partidos, dos grupos organizados, da sociedade, do Legislativo para que um tema dessa envergadura se transformasse numa questão abraçada pela sociedade. No novo governo o tema integrou os discursos de posse da presidente e da ministra Maria do Rosário: foi pedido ao Congresso Nacional a aprovação do PL 7376/2010, o que significa por o Estado, autor das atrocidades, no centro da exposição da verdade.

Que parte nos cabe nesse caminhar? A assunção da finalidade da CNV insculpida no PL7376/2010: examinar e esclarecer as violações de direitos humanos da ditadura a fim de efetivar o direito à memória e à verdade histórica e promover a reconciliação nacional. As narrativas das “vítimas”, ou seja, das famílias dos executados e desaparecidos, dos torturados e exilados, dos presos e exonerados, dos impedidos de trabalhar e estudar devem ser o primeiro passo, para logo a seguir saber-se da narrativa do Estado e de suas providências. Sem a narrativa institucional teremos verdade incompleta e não haverá reconciliação.

Antes de tudo, porém, um pronunciamento público da presidente deve ensejar públicos pronunciamentos de comprometimento com a verdade do ministro da Defesa e dos comandantes militares. No Chile, o discurso do presidente afirmou que a prisão política e as torturas constituíram uma prática institucional do Estado que é absolutamente inaceitável. Seguiu-lhe o comandante do exército, Gen. Juan Emilio Cheyre, ao anunciar o empenho institucional pela verdade, tendo enfatizado que as violações aos direitos humanos pelo Estado jamais e para ninguém podem ter justificação ética.

Por fim, um tema polêmico, o da punição. Quem pede punição para os combatentes da ditadura tergiversa. Esses já receberam atrozes e covardes punições. Quanto a punir os agentes do Estado, este é outro debate. Polêmico, pleno de incertezas e divergências. Será permeado, por certo, pelo embate entre as variadas correntes criminológicas. Mas, punir não pode ser o fim

O que agora se impõe é a instalação da Comissão Nacional da Verdade para que a emergência da verdade se imponha como fim, pois esta não emergirá sob ameaças e a clarividência dela necessita. 

Pedro Albuquerque – Advogado, sociólogo e professor da Universidade de Fortaleza

dealbuquerqueneto. pedro@gmail.com

Castelão – Plano de exploração comercial já atrai grupos estrangeiros

166 1

Maquete do novo Castelão.

“O plano comercial do Castelão já está nas mãos de duas empresas estrangeiras. A negociação envolve naming rights e a concessão de camarotes por 1,8 milhão de reais ao ano.

Os direitos de exploração comercial do estádio cearense têm valores bem mais modestos que os negociados pelos clubes do Sudeste, como não poderia deixar de ser. Corinthians e Palmeiras, por exemplo, imaginam faturar mais de dez milhões de reais por ano com suas futuras arenas.”

(Lauro Jardim – Coluna Radar)

SOS Sudeste – Arquidiocese mobiliza paróquias

A Arquidiocese de Fortaleza distribuiu, nesta terça-feira, carta conclamando a todas as paróquias a se solidarizarem com as vítimas das enchentes no Sudeste do País. Confira o teor da carta que chegou para este Blog:

Fortaleza, 18 de janeiro de 2011
Aos Vigários Episcopais, Párocos e Padres responsáveis por áreas pastorais, aos Coordenadores arquidiocesanos de pastorais, movimentos, associações, serviços e comunidades.
O Secretariado de Pastoral da Arquidiocese, a Cáritas Arquidiocesana e a Equipe Arquidiocesana de Campanhas, em comunhão com nossas irmãs e irmãos do Sudeste, neste tempo de tanto sofrimento por que estão passando, com eles nos solidarizamos e propomos a todos que fazem a Arquidiocese de Fortaleza gestos reveladores da Caridade.

1. Doação de alimentos imediatamente comestíveis, material de limpeza e higiene, água, a serem entregues diretamente na Defesa Civil de Fortaleza, cujo endereço é: Rua Delmiro de Farias, 1900, bairro Rodolfo Teófilo, Fortaleza. Tel. 3066 2336 e 3066 2329.

2. Doação em dinheiro para as contas da Campanha SOS SUDESTE, que a CNBB, juntamente com a Cáritas Brasileira, acaba de lançar

3. Coleta no próximo dia 30 em todas as igrejas da Arquidiocese, em favor das vítimas dessa tragédia, atendendo à sugestão de Dom Demétrio Valentini, presidente da Caritas Brasileira.

A doação em dinheiro, seja pessoal, seja a das coletas, deve ser depositada diretamente nas contas da Cáritas Brasileira, abertas com esta finalidade.

Conta 1490-8, Agência 1041 – OP. 003 – Caixa Econômica Federal

Conta 32.000-5, Agência 3475-4, Banco do Brasil.

Fraternalmente,

Pe. Francisco Ivan de Souza – Coordenador Arquidiocesano de Pastoral
Pe. Luiz Sartorel – pela Cáritas Arquidiocesana
Rosélia Follmann – pela equipe arquidiocesana de Campanhas
Marta Andrade – pelo Setor de Comunicação
Miguel Brandão – pelo Secretariado de Pastoral

É grave estado de saúde de Chico Anísio

92 1

 

É grave o estado de saúde do humorista Chico Anysio (79). A pneumonia detectada em seu pulmão direito não está regredindo, segundo informou, nesta terça-feira, boletim do Hospital Samaritano. Os médicos dizem que a doença está resistente aos antibióticos.

O boletim diz ainda que Chico Anísio apresenta “insuficiência cardíaca e pressão arterial muito baixa”. Os médicos estão usando um aparelho para monitorar o coração e outro para auxiliar o paciente a respirar. Chico  continua internado na CTI, mas não está sedado.

(Com Portal G1)

Parlamentares ministros optaram pelo salário do Congresso

“A nomeação de parlamentares para cargos no Poder Executivo levou 33 novos deputados e cinco senadores a Brasília. Se a entrada desses suplentes – quase todos para cumprir apenas um mês de mandato, já que os eleitos em 2010 tomam posse em fevereiro – mantém a representação dos Estados inalterada, o mesmo não ocorre com as despesas. Isso porque a maioria dos parlamentares prefere manter o salário recebido do Congresso, maior que o de um ministro ou um secretário estadual.

Dos 33 deputados que se licenciaram para assumir ministérios e secretarias estaduais, 27 optaram por manter o salário pago pela Câmara (R$ 16.512), apesar de um suplente ocupar sua vaga. É como se, em janeiro, a Casa contasse com 540 deputados, e não 513, provocando um impacto extra na folha de pagamentos de pelo menos R$ 115,6 mil. Outros seis deputados deixaram a Câmara para assumir os cargos de vice-presidente da República e de vice-governadores.

Esse grupo usa uma regra constitucional que permite ao deputado ou senador escolher por receber o salário pelo Executivo – como ministro ou secretário estadual ou municipal – ou pelo Legislativo. Na prática, isso representa uma diferença na conta bancária de R$ 5.764, no caso de ministros. Um deputado recebe R$ 16.512, enquanto o salário de um ministro é de R$ 10.748.

Em relação aos secretários estaduais, caso de 26 dos 33 licenciados, a diferença é maior. Geralmente, os governos estaduais equiparam os salários dos secretários ao dos parlamentares das Assembleias Legislativas, que são limitados a 75% do que recebe um deputado federal.
Optar por manter o vínculo com o Legislativo traz outros benefícios aos deputados ministros. Os parlamentares têm 15 salários por ano e, como ministros, ainda podem usufruir do apartamento funcional da Câmara ou receber o auxílio moradia de R$ 3.000 mensais.

Reajuste

Essa distinção salarial, no entanto, tem os dias contados. Em dezembro, os parlamentares aprovaram em votação-relâmpago um projeto concedendo aumento de 61,83% nos próprios salários.No mesmo projeto, os deputados e os senadores aumentaram os vencimentos do presidente da República em 133,96% e os salários dos ministros de Estado e do vice-presidente da República em 148,63%. A partir de 1º de fevereiro, todos passarão a receber R$ 26.723,13, o mesmo salário dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).”

(Agência Estado)

Dilma agradece carta de deputada do Irã

“Em nota à imprensa divulgada nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff agradeceu pela carta enviada pela deputada Zohreh Elahian, presidente do Comitê de Direitos Humanos da Assembleia Consultiva do Irã. No comunicado, Dilma exaltou o interesse da deputada em contribuir para o diálogo entre os dois países, mas não se manifestou sobre a situação de Sakineh Ashtiani, condenada a morte por enforcamento.

Na segunda-feira, o Palácio do Planalto informou que a presidente se manifestaria hoje sobre o conteúdo da carta, que foi traduzido do inglês para o português. Segundo agências internacionais, o documento relata à presidente a suspensão da condenação por enforcamento de Sakineh e a conversão da pena de morte em dez anos de prisão.No comunicado, Dilma não fala se recebeu algum tipo de informação sobre a situação da iraniana, condenada à morte por adultério e por possível participação no assassinato do marido. O texto apenas defende os direitos humanos como central na política externa do Brasil, “sem seletividade e tratamento discriminatório”.

“A Presidenta considera como muito positiva a disposição da deputada Zohreh Elahian de realizar um amplo intercâmbio de opiniões por meio dos canais adequados. Um diálogo com as comissões de Direitos Humanos do Congresso brasileiro poderá ser de grande utilidade nesse sentido”, diz a nota. Na segunda-feira, o responsável jurídico do Irã pelo processo de execução de Sakineh afirmou que a pena não foi suspensa. O chefe do Departamento de Justiça do Azerbaijão Oriental Hojjatoleslam, Malek Ajdar Sharifi, afirmou que o processo de Sakineh ainda aguarda julgamento e decisão final. A autoridade negou alterações na ação.”

(Portal Terra)

Enem derruba presidente do Inep

“O Ministério da Educação confirmou nesta terça-feira o nome da reitora da Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio), Malvina Tania Tuttman, como nova presidente do Inep (instituto de pesquisas do Ministério da Educação). Ela vai substituir Joaquim José Soares Neto, que havia pedido para deixar o cargo.

O Inep é responsável pela aplicação do Enem, exame nacional que, sob a direção de Neto, teve problemas com impressão de provas, erros no cabeçalho, suspeita de vazamento, entre outros.

Neto já havia pedido ao ministro Fernando Haddad (Educação) para sair antes das últimas dificuldades com o Sisu –sistema sob gestão direta do MEC que seleciona universitários via Enem.

Outro nome divulgado hoje é o do novo secretário de Educação Superior. O cargo será assumido por Luiz Claudio Costa, ex-reitor da Universidade Federal de Viçosa. Ele ocupará o posta que era antes de Maria Paula Dallari, que deixou o cargo a pedido.

MAIS MUDANÇAS

Outra alteração no MEC será a criação de uma secretaria para tratar especificamente da regulação de cursos superiores, a ser comandada pelo professor da USP Luiz Fernando Massoneto.

Já o deputado federal Carlos Abicalil (PT) vai ocupar uma nova secretaria, que trará das relações com as redes municipais e estaduais.

A Secretaria de Educação Especial será incorporada pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. A nova titular será Cláudia Dutra, ex-titular da Educação Especial.

A Secretaria da Educação Básica vai incorporar a Secretaria de Educação a Distância e permanecerá sob o comando de Maria do Pilar Lacerda.

PROBLEMAS NO SISU

Depois de travar no último fim de semana, o Sisu apresentou novos problemas na segunda-feira. Candidatos que acessavam a página podiam ver dados de outros inscritos, como nota e opção de curso, o que pode ser caracterizado como vazamento de informações.

A confusão no site foi relatada à Folha por alunos, que tentaram acessar o sistema para conferir seus dados e acabaram visualizando as informações de outros candidatos.

O Ministério da Educação admitiu o problema e disse que ele já foi resolvido. Ainda segundo o MEC, os candidatos não conseguiriam mudar a opção do curso feita pelos outros.

No ano passado, houve problema ‘[similar’. Leitores reclamaram do congestionamento no acesso ao site do Sisu, o que dificultou a inscrição. Na ocasião, o MEC divulgou nota explicando que a dificuldade para acessar o site foi provocada por uma falha técnica na rede e pela queda da internet. ”

(Folha Online)

Caso Battisti – Senado italiano aprova moção pró-extradição

“O Senado da Itália aprovou hoje (18) por unanimidade a moção bipartidária – em nome dos deputados e senadores –  sobre a extradição do ex-ativista político Cesare Battisti, que é mantido em prisão preventiva no Brasil. A iniciativa obriga o governo italiano a tomar providências, por meios das vias legais, inclusive no Tribunal Internacional de Justiça, para obter a extradição.

As informações são confirmadas pelo Conselho de Ministros do Governo da Itália.

No último dia 31, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou que Battisti será mantido no Brasil. A decisão foi baseada em parecer da Advocacia-Geral da União (AGU), feito com base nos termos da Constituição brasileira, nas convenções internacionais sobre direitos humanos e do tratado de extradição entre o Brasil e a Itália.

O caso, porém, deverá ser julgado pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) em fevereiro, quando a Corte retorna às atividades. A decisão do governo brasileiro gerou protestos na Itália e ameaças de estremecimentos nas relações entre os dois governos.

Ex-dirigente dos Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), grupo extremista que atuou na Itália nas décadas 60 e 70, Battisti, de 52 anos, é acusado de participação em uma série de crimes, inclusive assassinatos.

O ex-ativista foi condenado à prisão perpétua à revelia na Itália por quatro homicídios cometidos pelo PAC entre 1977 e 1979. Ele nega as acusações. Jamais cumpriu pena no país, deixando a Itália rumo à França e depois ao Brasil. Desde março de 2007, Battisti está preso preventivamente na Penitenciária da Papuda, em Brasília.”

(Agência Brasil)

Aliados de Serra se insurgem contra trégua que PSDB dá a Dilma

146 2

“Aliados do ex-governador José Serra abandonaram a quarentena pós-eleitoral e já se insurgem contra a trégua de expoentes do PSDB a presidente Dilma Rousseff, informa o “Painel” da Folha, editado interinamente por Ranier Bragon.

A tragédia na região serrana do Rio é o primeiro mote dos serristas, que pregam a responsabilização do governo federal pela ocupação desordenada de áreas de risco, questionando a eficiência gerencial da presidente à frente do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento).

O primeiro a vocalizar o movimento é o senador eleito Aloysio Nunes (SP), para quem o partido deve planejar seu futuro se firmando como “oposição no presente”.

Enquanto governadores adotam a retórica da parceria federativa, o grupo do candidato derrotado à Presidência tenta reposicioná-lo no tabuleiro.”

(Folha – Coluna Painel)

General questiona Comissão da Verdade

158 9

Eis artigo do general reformado Torres de Melo sobre a Comissão da Verdade, a ser criada para apurar casos de torturas no País durante a ditadura. Em artigo no O POVO desta terça-feira, ele bate duro nessa iniciativa. Confira:

Nada melhor do que lutar pela verdade. O problema é que, quando se falseia a verdade para se atingir fins políticos, surge a mentira e os fatos são distorcidos.

Não foram as Forças Armadas que promoveram o movimento contra-revolucionário de 1964. Ele decorreu de um apelo da sociedade representada, principalmente, pelos governadores – civis – de Minas, Rio e São Paulo, e a quase totalidade da mídia de então. Esqueceram a Marcha da Família com Deus e pela Liberdade? Às Forças Armadas cumpriram o seu dever constitucional, atendendo à vontade do povo, defendo a democracia derrotando aqueles que queriam implantar uma ditadura de esquerda.

Os seus próprios participantes, livros e documentos mostram a verdade da afirmativa. Agora distorcem os fatos dizendo que lutavam pelo restabelecimento da democracia e chegam a apresentar a reação ao AI-5 como razão do movimento armado. Mentira. Antes já tinham sido mortos 19 brasileiros. A bomba colocada no aeroporto dos Guararapes, no Recife, que matou um jornalista, um almirante e mutilou outros, procuram ocultar. Nenhum sindicato fez movimento para auxiliar a família do jornalista morto, que deixara viúva e cinco filhos; e o criminoso autor do atentado – Raymundo Gonçalves de Figueiredo – tem nome de rua em Belo Horizonte, como um herói, e o morto merece silêncio e é ignorado pela tal Comissão da Verdade.

A guerrilha urbana e rural foi se intensificando. Jacob Gorender (em seu “Combate nas Trevas”) diz: “A esquerda brasileira, de inspiração marxista, pegou duas vezes em armas. Em 1935 e em 1968-1974, mas a luta armada começou a ser tentada pela esquerda em 1965”. Diz mais: “organizações de esquerda prarticaram atos aqui expostos sem subterfúgios: atentados a bomba e armas de fogo, assaltos a bancos, sequestros de diplomatas e de aviões, matança de vigilantes, policiais e elementos das Forças Armadas, justiçamento de próprios companheiros em desgraça, guerrilhas urbana e rural”. Nas lutas mataram 119 brasileiros e estrangeiros e as Forças Legais outros tantos ou pouco mais.

Os que foram para Xambioá não foram plantar rosas. Foram para a guerra e tentar criar um território livre de guerrilha. Não há na história do mundo guerra sem mortes de todos os tipos e os comunistas são mestres, pois mataram mais de 100 milhões em nome da humanidade e hoje são repelidos pelo mundo todo.

Derrotados no governo Medici, segue-se Geisel com o início da abertura e terminada por Figueiredo. O processo da Anistia foi ponto de honra deste último. Anistia significa passar a borracha e começar tudo de novo. Ulisses Guimarães a aceitava, mas não queria que os que estavam no Exterior fossem beneficiados para concorrer em eleições. Lutou contra Brizolla e Arraes. Esqueceram? O STF já julgou a Anistia, justificando-a, e não há o que mais discutir.

Pretendem, agora, uma Comissão da Verdade. Que verdade? Eles só querem a “verdade” que lhes interessa e que conta somente o que querem e escondem os seus crimes? Só para um lado? E os que eles mataram, roubaram, sequestraram, torturaram não merecem respeito? Querem uma Comissão de mão única? O bom senso só recomenda olhar para frente. Vamos buscar a verdade verdadeira. Chega de mentira. 

Torres de Melo – General.

Caso Battisti – Filho de joalheiro morto pode vir ao Brasil

183 1

“O filho do joalheiro morto por membros do grupo esquerdista do ex-militante Cesare Battisti, Alberto Torregiani, afirmou ontem que poderá vir ao Brasil, caso seja necessário, para dar sua versão dos fatos que pesam contra o ex-ativista italiano, como a acusação de ter cometido quatro assassinatos.

— Neste momento, não é minha intenção ir ao Brasil, porque estou levando em frente minha batalha com diversas iniciativas — afirmou ele à Agência Ansa.

Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos cometidos na década de 1970, quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC). Alberto é filho do joalheiro Pierluigi Torregiani, que morreu durante um tiroteio contra membros do PAC.

Ele disse, no entanto, que sua vinda ao Brasil poderia acontecer para mostrar às pessoas a verdade:

— Ficaremos em alerta para a possibilidade de explicar claramente às pessoas que queiram saber a verdade.”

 (O Globo)

UFC é a universidade mais procurada do País

130 1

“O curso de medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) está em primeiro lugar entre os mais procurados pelos estudantes no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Atestado de qualidade para o reitor da instituição, professor Jesualdo Farias, a colocação no ranking nacional preocupa os estudantes cearenses que querem fazer a graduação perto de casa.

Os dois filhos de Paulo Sérgio Filho querem Medicina na UFC, e o engenheiro não se conforma quando lembra que a instituição submete todas as vagas dos cursos presenciais oferecidos ao crivo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) realizado no ano passado. São 5.724 vagas, todas elas a disposição do Sisu.

Nossa Federal, entre as 83 cadastradas no Sistema, apresenta o maior número de inscrições: até ontem, eram 49.186. “Há mais de 20 anos, o número de vagas não tem aumento significativo. Agora com todas as vagas abertas para o País inteiro, os cearenses que querem prestar vestibular aqui são os mais prejudicados”, reclama o pai dos alunos.

Apenas a faculdade de Medicina da UFC recebeu 7.680 inscrições até as 10 horas de ontem, último informe divulgado pelo MEC. Também no ranking disponibilizado pelo Ministério da Educação (MEC) das dez maiores demandas está a do Direito, também da UFC, com 2.994 inscritos.

“Para que rapidamente no Brasil se forme uma rede sustentável de vaga baseada num processo de seleção que induza a uma formação diferenciada, todas as universidades federais devem partir para esse modelo (100% das vagas disponíveis ao Enem-Sisu). Nós temos absoluta confiança de que o processo não vai prejudicar os estudantes cearenses”, reforça o reitor da federal do Ceará.

Prouni

O professor Jesualdo Farias aponta ainda que em 2009 foram 45 mil os cearenses inscritos no Enem. Este ano, o número saltou para 208 mil. Segundo ele, esse acréscimo deve ser levado em consideração na hora de avaliar a posição nacional da UFC em relação ao número de inscrições. Quanto ao incremento no número de vagas, o reitor lembra que em 2012 a Universidade deve ter 6.200, 8,3% a mais do que as ofertadas hoje.

A mudança não é ocasionada pelo incremento na procura ocasionado pelo novo sistema, mas pelo Programa Universidade para Todos (Prouni). Dentro do pacote, vagas para criação de novos cursos estão inclusas. O reitor preferiu não informar os cursos que terão maior oferta porque as decisões ainda não foram formalmente tomadas.

CURSOS MAIS PROCURADOS

Os cursos mais procurados pelo Sisu

Medicina, da UFC – 7.680 inscrições

Ciência e tecnologia, da UFABC – 6.495 inscrições

Medicina, da UFRJ – 3.786 inscrições.

Direito, da UFRJ – 3.724 inscrições

Medicina, da UFPel – 3.487 inscrições

Engenharia de produção, da UFSCar – 3.156 inscrições

Direito, da UFC – 2.994 inscrições

Medicina, da Ufcspa – 2.647 inscrições

Medicina, da UniRio – 2.431 inscrições

Direito, da UFMA – 2.405 inscrições

As universidades mais procuradas

UFC – 49.186

UFRJ – 36.473

UFSCar – 32.821

UFMT – 24.975

UFRPE – 22.011

UFMA – 18.362

UFPI – 17.509

(O POVO)

Caças da FAB – Dilma decide suspender escolha e abre nova disputa

“A presidente Dilma Rousseff decidiu suspender o processo de escolha dos aviões de combate da Força Aérea Brasileira (FAB), que já estava em fase final, e abrir uma nova disputa. A presidente resolveu também ampliar o leque de concorrentes. Até agora, só três empresas disputavam a preferência da FAB: a francesa Dassault, com os caças Rafale; a americana Boeing, com os F18 Super Hornet; e a sueca Saab, com os Gripen NG.

Essas propostas continuam na mesa, mas, agora, outros fabricantes também poderão participar da concorrência, como os russos que haviam sido desclassificados na disputa anterior.

A presidente Dilma decidiu rever o processo de compra dos caças diante da forte pressão internacional. Fabricantes de vários países manifestaram interesse em vender aviões para a FAB, um negócio de bilhões de dólares, que pode ter forte impacto no desenvolvimento tecnológico do setor no Brasil.

Há uma semana, o senador norte-americano John McCain, do Partido Republicano, teve uma reunião com a presidente para pedir que o governo brasileiro acolha a oferta apresentada pela Boeing na primeira etapa do processo de compra.

Até deixar o governo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dava sinais de que preferia os caças franceses. Isto porque a Rafale incluiu no pacote de venda a promessa de transferir toda a tecnologia de produção dos aviões.”

(O Globo)

Sucessão na Câmara – Marco Maia ganha apoio da bancada federal cearense

O deputado federal Marco Maia (PT-RS), candidato à presidência da Câmara dos Deputados, ganhou apoio do governador Cid Gomes e de toda a bancada federal do Ceará nesta segunda-feira, durante aloço, no Pálácio d Abolição.

“Tenho certeza que o deputado Marco Maia fará um grande trabalho na Presidência da Câmara. A nossa expectativa é que a Câmara possa servir ao melhor propósito de um planejamento que leve o Brasil a seguir com os avanços iniciados com o governo do presidente Lula e que se intensificarão com o governo da presidente Dilma”, disse o governador Cid Gomes. Durante o encontro, Cid entregou um manifesto assinado pelos deputados federais cearenses apoiando a eleição de Maia.

Para o deputado Marco Maia, o apoio dado pelo governador Cid Gomes, foi decisivo para fortalecer sua candidatura. “Recebi o apoio com muita alegria e sei da responsabilidade que teremos à frente da presidência da Câmara. Os interesses do Ceará estão conectados com os interesses do Brasil”, afirmou.

O encontro teve também a participação de deputados federais do Ceará, diversas lideranças políticas do Estado e com os deputados Henrique Fontana (PT-RS), Eduardo Gomes (PSDB-TO), Paulo Teixeira (PT-SP) e Arlindo Chinaglia (PT-SP).”

(Com Site do Governo do Estado)

José Genoíno tratará do caso dos mortos e desaparecidos durante a ditadura

119 1

“A ministra Maria do Rosário, da pasta de Direitos Humanos, pretende tratar a questão dos mortos e desaparecidos nos anos da ditadura. Apesar do interesse e conhecimento da vida do Congresso, Rosário não estará na linha de frente das negociações. Esse papel caberá ao deputado José Genoino (PT-SP), que em fevereiro deixa o Congresso e passa a trabalhar no Ministério da Defesa, a convite de Jobim, no cargo de assessor civil.

Encaminhado ao Congresso no ano passado, o projeto destina-se a esclarecer fatos ocorridos na ditadura, especialmente aqueles relacionados a mortos e desaparecidos. Genoino tem credenciais para a missão. Participou da luta armada contra o regime militar, como a presidente Dilma Rousseff, tem boas relações na área das Forças Armadas e é bom negociador.

A ação de Genoino deve deixar Maria do Rosário mais livre para cuidar de outros temas e até olhar melhor para a cena internacional.”

(Agência Estado)

Deputada iraniana critica Dilma

114 1

“A presidente da comissão de direitos humanos do Parlamento iraniano, Zohre Elahian, repudiou as declarações críticas da presidente brasileira, Dilma Rousseff, sobre a situação dos direitos humanos no Irã. Segundo a agência estatal de notícias iraniana Irna, Elahian enviou neste domingo uma carta a Dilma dizendo que aqueles que Dilma defende são na realidade “pessoas acusadas de crimes contra a segurança do Estado”.

“Os que Dilma Rousseff classifica de prisioneiros políticos e de consciência são aqueles que têm registrado em seus antecedentes crimes de segurança contra o povo iraniano”, afirma a deputada. A parlamentar ainda ressalta que os prisioneiros defendidos por Dilma tiveram a intenção de “acabar com o regime iraniano” durante os grandes protestos de junho de 2009 realizados contra a polêmica reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.”

(Portal Terra)