Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Enem – MEC vai pagar R$ 372 milhões pelas próximas edições

“As edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) dos próximos 12 meses vão custar cerca de R$ 372 milhões ao Ministério da Educação.

O valor será repassado pelo Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep) ao consórcio responsável pela realização da prova, formado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe-UnB) e a Fundação Cesgranrio.

O valor é considerado um “teto estimado” e deve custear a realização de pelo menos duas edições do Enem nos próximos 12 meses: a próxima, marcada para os dias 22 e 23 de outubro e a do primeiro semestre de 2012, prevista para os dias 28 e 29 de abril.

O consócio foi contratado com dispensa de licitação. Na última edição do Enem, em 2010, o Inep pagou R$128,5 milhões pela aplicação e correçãodas provas ao mesmo consórcio.

O contrato prevê a prestação de serviços como aplicação do exame, contratação e treinamento de fiscais e correção das redações.

O valor não inclui a impressão das provas, que será feita pela gráfica RR Donelley, a mesma que imprimiu os testes na última edição, nem a operação de logística e a distribuição, coordenada pelos Correios.”

(Com Agências)

Copa 2014 – Presidente do Sebrae participará de evento em Fortaleza

O presidente nacional do Sebrae, Luiz Barreto, abrirá em Fortaleza, a partir das 8 horas, no Centro de Negócios do Sebrae, o seminário Oportunidades de Negócios na Copa 2014. O evento é destinado aos micro e pequenos empresários, segundo informou para o Blog o diretor técnico do órgão Alcy Porto.

As palestras e discussões terão como base um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas-FGV, a pedido do Sebrae, onde consta um mapeamento focado em nove setores: construção civil, tecnologia da informação, turismo, comércio varejista, madeira e móveis, agronegócio, produção associada ao turismo e serviços.

DETALHE – Luis Barreto foi ministro do Turismo no Governo Lula e sua gestão acabou alvo de Operação da Polícia Federal.

A Agenda de Dilma no Ceará

176 1

A presidente Dilma Rousseff e comitiva ficarão hospedadas no Hotel Luzeiros, na avenida Beira Mar. Todo um esquema de segurança foi reforçado na área.

Dilma desembarcará às 10 horas em Fortaleza, pela Base Aérea, e de lá, num helicóptero, tomará a rota do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (São Gonçalo do Amarante), com o governador Cid Gomes (PSB).

Na agenda, inauguração do terminal multiuso, correia transportadora e conferida na terraplenagem da futura siderúrgica. Depois, almoço ainda no Pecém.

Em seguida, ela rumará para Pacajus com Cid Gomes, onde haverá a inauguração de uma políclinica, encerrando assim sua visita.

CNI/Ibope – Após divulgação de escândalos, cai popularidade de Dilma

“Pesquisa CNI/Ibope aponta queda na aprovação do governo de Dilma Rousseff. O índice de pessoas que atribuíram conceito ótimo ou bom ao governo da petista é de 48%, em comparação com 56% na pesquisa anterior, divulgada em abril.

Aumentou o índice da avaliação regular –de 27% para 36%– e de ruim –de 5% para 12%.

O percentual da aprovação pessoal da presidente também caiu, dos 73% verificados em abril para 67%.

Dos entrevistados, 57% disseram acreditar que o governo Dilma é igual ao de Lula. O índice também é inferior à pesquisa anterior, que verificou que 64% dos entrevistados tinham essa avaliação.

Para esta pesquisa, 2.002 pessoas foram ouvidas em 141 municípios, entre os dias 28 e 31 de julho. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

No momento em que a pesquisa foi feita, não havia a polêmica das denúncias envolvendo o Ministério da Agricultura nem do Turismo.”

(Folha.com)

Famoso "baton" da Garoto tem produção no Ceará

473 1

O Moinho Santa Lúcia, que opera em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza) não produz mais só farinha de trigo, biscoitos e macarrão. Passou a fabricar também o conhecido “baton” da Garoto.

O controlador do grupo, Alexandre Sales, fechou a transação no começo do mês. Ele diz que essa ação faz parte do plano de expansão do Moinho Santa Lúcia.

Crise mundial – Presidente do BC diz que Brasil tem situação fiscal "bem arrumada"

“O Brasil precisa confirmar seu diferencial que é uma situação fiscal “bem arrumada”, disse o presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, na abertura do Seminário Internacional sobre Justiça Fiscal, promovido pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

Tombini destacou que o cenário internacional é “desafiador”, mas que o Brasil está bem posicionado. “Não podemos agora fraquejar”, disse. “Daqui a dois anos, não só vamos ter um período razoável para economia, mas sairemos fortalecidos com as políticas adequadas”, acrescentou.

Na avaliação do presidente do BC, a situação internacional atual ainda é uma “herança” da crise financeira internacional de 2008, uma vez que houve necessidade de as economias avançadas aportarem recursos para o sistema financeiro.

Com isso, destacou Tombini, houve elevação da dívida pública em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), soma de todas as riquezas produzidas, em países como Grécia, Irlanda e Espanha.

No  Brasil, Tombini enfatizou que a relação entre dívida e PIB é “cadente”, o que gera condições de financiamento de longo prazo para o setor privado e público, uma vez que a queda nesse indicador leva à redução dos riscos dos empréstimos.”

(Agência Brasil)

PT seria alvo na operaçao da PF no Ministério do Turismo

“A operação da PF no Ministério do Turismo tem como alvo a gestão petista. Os fatos investigados ocorreram na administração de Luiz Barretto, atual presidente do Sebrae, e do ex-presidente da Embratur Mário Moysés.

Ontem, no Planalto, era grande a irritação com a PF, de quem se dizia que agiu de forma “espetaculosa” e com “dose exagerada”.

Críticas também ao ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) por não ter sido informado de ordem judicial que chegou à PF na sexta-feira.

Foi tensa a reunião dos senadores do PMDB com a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais). Os peemedebistas estavam irritados com a eventual manobra de colocar no colo do PMDB problemas ocorridos na gestão do PT no Turismo.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) perguntou à ministra como a PF prendia 35 pessoas e o governo não sabia de nada. “A Polícia Federal é independente”, respondeu Ideli.

No Congresso, indignação suprapartidária com a prisão de um dos secretários da pasta, o ex-deputado Colbert Martins (PMDB-BA). Recém-chegado ao ministério, ele teria liberado apenas a última parcela de um convênio de 2009, com parecer técnico favorável.”

(Ilmar Franco, O Globo)

Ministério do Turismo suspende assinatura de convênios

“Um dia após ser alvo da Operação Voucher, da Polícia Federal (PF), o Ministério do Turismo suspendeu por 45 dias a assinatura de convênios com entidades privadas sem fins lucrativos. Também foram suspensos quaisquer empenho de recursos, ou seja, a liberação de verbas ministeriais para essas entidades.

Deflagrada ontem (9) pela Polícia Federal, a Operação Voucher teve origem em auditorias do Tribunal de Contas da União (TCU) que identificou indícios de um esquema de desvio de verbas públicas destinadas pelo ministério ao Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi), uma organização sem fins lucrativas com sede em São Paulo conveniada para promover cursos de qualificação profissional no Amapá.

No total, 35 suspeitos de envolvimento com o esquema foram presos em São Paulo, Brasília e Macapá, entre eles, o secretário executivo do ministério, Frederico Silva da Costa, e o ex-presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Mário Moyses.

Publicada no Diário Oficial da União de hoje (10), a Portaria Ministerial nº 136, além da suspensão de novos contratos, determina que a secretarias nacionais e a Diretoria de Gestão Interna do ministério examinem as prestação de contas referentes aos convênios em vigor até 31 de dezembro de 2010, priorizando aqueles de valores mais expressivos.

Além disso, as secretarias e a diretoria deverão apresentar um relatório quinzenal contendo a análise das prestações de contas já concluídas, bem como as pendentes.”

(Agência Brasil)

Reinaldo Gianecchini está internado

325 2

“O ator Reynaldo Gianecchini, de 38 anos, está internado no Sírio-Libanês, em São Paulo. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do hospital na manhã desta quarta-feira (10). Como não houve autorização da família, a assessoria não pôde passar detalhes sobre o estado de saúde do ator, nem desde quando ele está internado.

Na tarde da última terça-feira (9), a assessoria de imprensa de Gianecchini divulgou que ele sofreu uma reação alérgica depois de tomar um antibiótico. Por conta disso, o ator precisou se afastar do espetáculo “Cruel”, que está em cartaz às segundas e terças-feiras no Teatro FAAP, em São Paulo. A peça foi suspensa até segunda ordem.”

(Portal Uol)

Ministro do Turismo deve comparecer à Câmara na próxima semana para falar sobre denúncias

“Da mesma forma como fez no caso do ministro da Agricultura, Wagner Rossi, o PMDB será o primeiro a chamar seus ministros para rebater denúncias de irregularidades. O partido apoiará a aprovação quarta-feira, nas comissões temáticas, de convite para que ministro do Turismo, Pedro Novais, compareça à Câmara na semana que vem e fale sobre as suspeitas de desvio de recursos destinados ao Ministério do Turismo por meio de emendas parlamentares. O convite deve ser aprovado na Comissão de Turismo da Câmara. Já a oposição apresentou pedidos de convocação, mas deverá concordar com sua transformação em convite.”

Em oglobo.com

Marta Suplicy se esconde para não responder sobre ex-assessor preso pela PF

“Responsável pela nomeação do ex-presidente da Embratur Mário Moyses, preso na Operação Voucher, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) chegou a se esconder no banheiro do cafezinho do plenário do Senado para fugir de jornalistas. Impecável num tailler vermelho, a vice-presidente da Casa se encastelou na cadeira de presidente por quatro horas, de olhos grudados no computador, enquanto a oposição criticava o desvio de R$4 milhões no Ministério do Turismo, durante parte da gestão de Marta.

Moyses foi braço-direito de Marta em São Paulo, inclusive em campanhas. No período em que presidiu a sessão, ela manteve o semblante contrariado. Quando o senador Mário Couto (PSDB-PA) falou de “ladrões” no Turismo, citando a prisão de Moysés, ela virou o rosto para o lado, com expressão de impaciência.

– Malditos aqueles que roubam! Mas vão pagar, doa a quem doer, presidenta! – bradava Couto, enquanto Marta olhava fixamente para a tela de seu computador.

Por volta de 17h, quando o presidente José Sarney (PMDB-AP) chegou para presidir a ordem do dia, ela não se levantou. Ele ficou por minutos em pé no plenário enquanto Marta, atabalhoadamente, tentava presidir o início da sessão de votação. Começou a discutir uma matéria, sem anunciar a abertura da ordem do dia.

– Para começar a ordem do dia, vossa excelência tem que primeiro anunciar a abertura da ordem do dia – repreendeu Couto.

– Vou abrir – disse ela.

Quando Sarney subiu à Mesa e retomou seu lugar, ela ficou sentada ao seu lado. Jornalistas a aguardavam embaixo. Por fim, ela saiu, mas refugiou-se no banheiro do cafezinho. Os jornalistas a esperaram na porta do banheiro por cerca de 20 minutos, enquanto ela despachava dentro com assessores.

Quando saiu, caminhou a passos largos de volta ao plenário, com o celular no ouvido, ignorando as perguntas dos jornalistas sobre a prisão de Moysés:

– Não vou falar, tudo o que tinha a dizer, já falei – disse, voltando para a Mesa.

Após algum tempo, escoltada por seguranças, saiu por uma passagem atrás da Mesa.

Coordenador político do gabinete de Marta, Charles Capela de Abreu negou que ela tenha se trancado no banheiro para evitar os jornalistas. Segundo ele, Marta está muito triste com a prisão de Moysés:

– Fomos surpreendidos com a prisão do Mário, e estamos preocupados. Ele é uma pessoa honesta e sempre correta.”

(Globo)

No PT, a ordem é tratar Ciro com indiferença

“Alguns cardeais do PT reunidos informalmente tomaram uma decisão: não vão polemizar com o ex-governador Ciro Gomes, o coordenador eleitoral do PSB. Como Ciro defende candidatura própria à Prefeitura e não apoia o PT ressaltando que é uma posição pessoal – não é igual ao que pensa o seu irmão, o governador, terá a indiferença como resposta a partir de agora.

Sobre o processo eleitoral, o que se observa é que os petistas adotaram uma posição absolutamente pragmática: lançaram seus 13 pré-candidatos e, no momento devido, vão procurar o governador e os partidos aliados.

Agora, a ordem da cúpula petista, segundo um histórico sem barba, é continuar inaugurando obras. Mesmo que alguns aliados, até com barba, fiquem com raiva.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Indicações para o Dnit desagradam servidores

“A indicação dos sete nomes que devem ocupar a diretoria colegiada do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) pela presidente da República, Dilma Rousseff, gerou uma “grande inquietação entre os funcionários do órgão”.

A informação foi confirmada à Folha pela assessoria de imprensa do Dnit na tarde desta terça-feira. Dilma tem a prerrogativa para as indicações.

Segundo o Dnit, “várias manifestações e questionamentos” foram feitos “sobre o porquê de não haver nenhum indicado do próprio Dnit entre aqueles nomes”. Os indicados vieram de outros órgãos federais.

Em uma reunião realizada ontem no auditório do Dnit, os funcionários explicaram a importância de participarem das indicações dos nomes, ainda segundo a assessoria, “até mesmo pela experiência e qualificação de seu corpo técnico”.

Os servidores irão levar o posicionamento deles ao ministro, reivindicando que os cargos de coordenação técnica do Dnit sejam ocupados exclusivamente por servidores de carreira.

Os indicados do governo ainda precisam passar por sabatina na Comissão de Constituição de Justiça do Senado.”

(Folha.com)

PMDB ameça tirar cargos do PT na Agricultura

“Em meio à crise envolvendo ministérios do PMDB, integrantes do diretório paulista do partido abriram uma disputa para tentar tirar do PT o controle da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), entidade vinculada ao Ministério da Agricultura.

Pelo menos 13 indicados para cargos de chefia na Ceagesp, o maior entreposto de distribuição de alimentos da América Latina, são ligados ao PT, entre eles o diretor-presidente, Mário Maurici.

Maurici é ex-prefeito de Franco da Rocha (Grande SP) e ex-secretário do prefeito Celso Daniel (morto em 2002) em Santo André.

É ligado ao ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência), assim como o responsável pelo departamento financeiro, Delcimar Pires Martins, ex-assessor especial da Presidência no governo Lula.”

(Globo)

Lobista preso em Brasília já foi condenado no Ceará

“O homem chamado Julio César Fróes Fialho, que se dizia jornalista e publicitário, caiu nas mãos da polícia cearense em 1992. Acusado de integrar quadrilha de tráfico de drogas, ele foi condenado, em Fortaleza, a três anos de prisão. Cumprida a pena, deixou de lado a antiga alcunha profissional e passou a ser apresentado apenas como Julio Fróes. O nome é o mesmo que hoje, 19 anos depois, é apontado como pivô da crise política no Ministério da Agricultura. Após o episódio com drogas, Fróes deverá ser novamente investigado – desta vez, por suposto tráfico de influência no Governo Federal.

Reportagem da revista Veja desta semana levanta suspeitas sobre possível atuação de Fróes como lobista da pasta da Agricultura. Ele manteria um escritório no prédio do Ministério, de onde supostamente influia em contratos e licitações mediante cobrança de propina, apesar de não ocupar cargo na pasta.

O ministro Wagner Rossi (PMDB) negou participação em irregularidades e foi poupado pela presidente Dilma Rousseff (PT). No entanto, as denúncias acabaram provocando, no último sábado, o pedido de demissão do secretário executivo da pasta, Milton Ortolan, identificado como suposto contato de Fróes no Governo.

Passagem pelo Ceará

Fróes foi preso em março de 1992, com meio quilo de cocaína. De acordo com notícias publicadas pelo O POVO à época, ele ajudou a Polícia a desmanchar um esquema de tráfico na rota Fortaleza-Brasília, com ramificações no Congresso Nacional.

Fróes e outros seis integrantes da quadrilha foram julgados pelo hoje desembargador Jucid Peixoto do Amaral, que diz não se recordar do caso. “Em 1992, foram presas mais de 90 pessoas por tráfico, não dá pra lembrar”, lamenta. Embora o registro profissional não tenha sido confirmado, Fróes chegou a atuar em veículos de imprensa de vários estados. Após a prisão, ocupou cargos no Senado (ver quadro ao lado).

O POVO não conseguiu contato com Júlio Fróes. O ex-advogado, Neuzemar Moraes, disse não saber de seu paradeiro. Já o Ministério da Agricultura nega ter qualquer contato com ele.

(O POVO)

Acordo garante Simples Nacional mais simplificado

O Simples Nacional será ainda mais simplificado. O sistema também vai incluir um número maior de micro e pequenas empresas e de empreendedores individuais. Além disso, as alterações na Lei do Simples vão incentivar a exportação e a geração de empregos formais. As mudanças, pactuadas entre o governo federal e a Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa, foram anunciadas nesta terça-feira (9/8) pela presidenta Dilma Rousseff, durante solenidade no Palácio do Planalto. As alterações farão parte do projeto de lei complementar (PLP 591/10) que está pronto para votação na Câmara dos Deputados.

Segundo o senador José Pimentel (PT), vice-presidente da Frente Parlamentar, a presidenta Dilma Rousseff atendeu a todas as reivindicações apresentadas pelos parlamentares. Uma delas era a ampliação do teto da receita bruta anual para que uma empresa seja incluída no Simples. Outro pleito atendido, segundo Pimentel, é a duplicação do limite de enquadramento para as empresas exportadoras. Com a medida, a parte da produção que for exportada terá um teto extra, de igual valor ao limite da renda obtida no mercado nacional. “Essa demanda era para o mundo exportador, para que esse setor possa exportar ainda mais”, explicou José Pimentel.

No caso das microempresas, o teto passa dos atuais R$ 240 mil para R$ 360 mil, sendo que a receita obtida com a exportação pode chegar a outros R$ 360 mil. Para pequenas empresas, o limite máximo de renda com as vendas no Brasil passa de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões anuais, sendo que esse valor poderá chegar a R$ 7,2 milhões, se a empresa conseguir exportar metade de sua produção. O projeto também eleva o limite de faturamento bruto do empreendedor individual para R$ 60 mil por ano, e não mais os R$ 36 mil da legislação em vigor. Esse empreendedor também terá teto extra de R$ 60 mil para a renda obtida com exportações. “Com isso, vamos formalizar muito mais gente”, comemorou o senador cearense.

José Pimentel também elogiou a política de inovação tecnológica anunciada pelo governo. “Com isso, será possível desburocratizar o sistema e fazer alterações e baixas de pequenos negócios pela internet”, disse. Com a mesma finalidade de simplificar o sistema, os impostos cobrados do empreendedor individual serão unificados em um único formulário, segundo o ministro da Fazenda Guido Mantega.

Outra inovação será a possibilidade de parcelamento em até 60 meses dos débitos das empresas incluídas no Simples Nacional. Segundo Pimentel, a medida atende as empresas que enfrentaram dificuldades por conta da crise financeira de 2009. “Com o novo parcelamento, vamos resolver a situação de mais de 500 mil micro e pequenas empresas que estão na iminência de serem expulsas do Simples”, disse o senador.

Como os pequenos negócios são os que mais geram empregos no país, o governo quer, com as novas medidas, ampliar o número de carteiras assinadas no mercado de trabalho. As mudanças também pretendem estimular a exportação e aumentar a produção e a concorrência, como explicou o ministro da Fazenda.

A presidenta Dilma Rousseff assinou o pedido de urgência para votação da proposta no Congresso. Se aprovado na Câmara dos Deputados, o PLP 591/10 seguirá à análise do Senado Federal. Depois, vai à sanção presidencial.

Ministro do Esporte falará sobre legado da Copa em Fortaleza

175 1

O ministro do Esporte, Orlando Silva, participará em Fortaleza, na próxima sexta-feira, do Fórum Nacional sobre o Legado da Copa e Desenvolvimento das Cidades. Ele é convidado do Instituto da Cidade e do senador Inácio Arruda (PCdoB).

Orlando dará uma coletiva a partir das 8 horas e, em seguida, iniciará as discussões até o fim da manhã com envolvidos na realização do evento em Fortaleza. Os secretários Evaldo Lima (Esporte) e Ferrúcio Feitosa (Copa) são também convidados, além do empresariado e do público em geral.

Segundo a assessoria do Instituto Cidades, as inscrições para o evento, que ocorrerá no Marina Park Hotel, são gratuitas.