Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Fortaleza terá concessionária da Harley Davidson

272 2

O diretor-superintendente da Harley Davidson no País, Longino Morawsky, anunciou, nesta terça-feira, durante coletiva em São Paulo, que o grupo vai apostar em ampliação e que o Nordeste será contemplado com concessionárias.

Ele adiantou que já estão sendo nomeados parceiros comerciais para representar a marca no Recife, Salvador e em Fortaleza.

As ações de mercado, no entanto, só terão início a partir de 2012.

Envolvido em quebra de sigilo do caseiro Francenildo Costa é nomeado assessor

159 2

“O Planalto nomeou Jeter Ribeiro de Souza, envolvido na quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, para assessorar a presidente Dilma Rousseff. Ex-gerente da Caixa Econômica Federal, ele acessou e imprimiu uma cópia do extrato do caseiro a pedido do então presidente do banco, Jorge Mattoso, que responde a ação penal pelo caso. O escândalo derrubou o então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, em março de 2006. Souza foi convocado a depor na Polícia Federal, mas não chegou a ser indiciado na investigação no Supremo Tribunal Federal. Ele afirmou que Palocci não teve influência em sua indicação.

A nomeação saiu no último dia 2 no Diário Oficial da União. O ato foi assinado pelo secretário-executivo da Casa Civil, Beto Vasconcelos, substituto imediato de Palocci. Souza recebeu função de confiança: assessor do gabinete-adjunto de Informações em Apoio à Decisão da Presidente. Ele ganhou cargo comissionado DAS 3, de “direção e assessoramento superior”. A remuneração é de R$ 4.042,06. Quase cinco anos após acessar os dados bancários de Francenildo Costa, Souza disse que só cumpriu ordem do então presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Mattoso. “Foi uma solicitação do presidente. Eu não podia me negar a cumprir a ordem para retirar o extrato.” Souza classificou o ato como “corriqueiro” e disse não ter praticado quebra de sigilo, pois manteve no banco as informações que obteve.”

 (Folha Online)

Novo mínimo – Guimarães diz que quem é governo, tem que ser governo

168 4

“Quem é governo, tem que ser governo e estar com o governo”, afirmou, nesta terça-feira, o segundo vice-presidente nacional do PT, deputado federal José Nobre Guimarães, ao comentar a polêmica em torno do novo salário minimo. O governo federal fechou a proposta em R$ 545,00, e as centrais sindicais lutam para que fique em R$ 580,00 ou, numa negociação, em R$ 560,00.

Para José Guimarães, não há o que se discutir: o governo federal sinalizou com o que pode pagar de forma responsável e de acordo com o controle dos gastos. “Eu, por exemplo, sou governo e voto com o governo independente do valor que ficar definido. A questão é do projeto”, destacou o petista.

Guimarães reconheceu que o clima é de divisão na própria bancada federal do partido, mas insistiu para a necessidade do controle de gastos, onde o governo federal anunciou corte de R$ 50 bilhões. Também lembrou que o fundamental deve ser o projeto do PT de melhorar a vida da classe trabalhadora, luta gradual e que se conquista por etapas. Não falou das críticas de gastança na Era Lula.

O petista também não quis comentar a postura de companheiros de bancada cearense como Eudes Xavier e Artur  Bruno que anunciam estar lutando por um minimo maior do que a proposta oficial. Reiterou o parlamentar que “quem é governo, tem que estar do lado do governo e sabe conviver com desgastes.”

Novo mínimo – Petista vê "intransigência" do Núcleo Duro" do Governo Dilma

 

“Se eu for punido, estarei sendo punido pela história do PT”, disse, nesta madrugada de terça-feira, o deputado federal Eudes Xavier, ao reiterar posição em favor de um salário mínimo de R$ 580,00. O governo Dilma quer R$ 545,00 e vem fazendo pressão, por meio de seus líderes no Congresso, alegando arrocho na economia.

Eudes disse que adotou essa posição não somente pelo passado de luta da legenda em favor da classe trabalhadora, mas também por questão de coerência. “Sempre fui sindicalista e cheguei a presidir a CUT do Ceará. Tenho que ser coerente”, explicou, antes de eembarcar para Brasília.

Para Eudfes Xav ier, há condições de se melhorar o valor do novo mínimo. Centrais querem R$ 580,00, alguns avaliam que pode ficar em R$ 560,00, mas o governo federal insiste em R$ 545,00. “O que se quer é antecipar ganhos que virão ano que vem. A inflação e avanços do PIB”, observou, lamentando que o “Núcleo duro” da economia do governo Dilma esteja agindo com “intransigência”.

O parlamentar destacou que o salário mínimo é uma forma também de se dividir renda no País, no que considera, a partir de um bom diálogo, fundamental que o valor seja o melhor possível. Nesta manhã de terça-feira, haverá nova reunião da bancada federal sobre o tema, informou Eudes Xavier, no que ele espera que se chegue a um consenso em favor do País e da classe trabalhadora.

Ex-prefeita de Parauapebas é a nova secretária nacional de Política de Turismo

“O Diário Oficial da União publicou nesta terça-feira, 15, a nomeação de Ana Isabel Mesquita de Oliveira para o cargo de secretária nacional de Políticas de Turismo do Ministério do Turismo.

Isabel Mesquita é ex-prefeita de Parauapebas (PA) e ex-deputada federal (2006-2010) pelo PMDB do Pará. A secretaria que ela comandará deve auxiliar na elaboração e monitoramento da Política Nacional de Turismo, de acordo com as diretrizes propostas e os subsídios fornecidos pelo Conselho Nacional de Turismo.
Além de avaliar a execução dessa política, cabe à secretaria implementar o modelo de gestão descentralizada do turismo nas suas dimensões gerencial e territorial, alinhando as ações do Ministério do Turismo às do Conselho Nacional de Turismo, do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur) e dos fóruns e conselhos estaduais de Turismo nas 27 unidades federativas.”
(Agência Brasil)

SiSU – Confirmação na lista de espera até 5ª feira

“A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal do Ceará orienta os candidatos do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) sobre a necessidade de explicitar sua intenção em participar da lista de espera no próprio SiSU, a fim de concorrer a uma vaga em chamada que será realizada a partir do dia 21 de fevereiro, no Campus do Pici. A manifestação de interesse deve ser feita até quinta-feira, por meio do Boletim Individual do candidato no SiSU (sisualuno.mec.gov.br).

A Prograd divulgará, ainda esta semana, em seu site (www.prograd.ufc.br), um edital com o cronograma das chamadas relativas a cada curso. Os candidatos deverão comparecer em data e hora reservada ao curso onde que se encontra em lista de espera. Haverá chamada nominal, nos moldes das antigas chamadas de classificáveis.

A Prograd ainda informa que o candidato que não foi classificado em nenhuma das chamadas do SiSU pode participar das duas listas de espera dos cursos aos quais se inscreveu. Se for classificado apenas na segunda opção, tendo ou não se matriculado, poderá participar da lista de espera de sua primeira opção.”

(Site da UFC)

Centrais sindicais dizem ter maioria em favor de um mínimo de R$ 560,00

162 1

“As centrais sindicais apostam que conseguirão um acordo com o governo para aprovar na Câmara um salário mínimo de R$ 560,00. O valor R$ 15,00 acima do que quer o Planalto seria uma antecipação de parte do reajuste previsto para 2012. Até o final da tarde de ontem (14), os sindicalistas acreditavam ter o apoio de mais da metade da Câmara para a aprovação do novo valor. Mesmo confiantes na possibilidade de derrubar o mínimo proposto pelo governo, eles defendem um acordo com o Planalto, ainda que na última hora, para evitar o confronto dentro da própria base aliada. Os principais líderes sindicais são filiados a partidos que apoiam o governo Dilma. A votação está prevista para amanhã (16).

A proposta dos sindicalistas é considerada “simpática” pelo relator da matéria, Vicentinho (PT-SP), ex-presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Mas o governo, por enquanto, diz não abrir mão de aumentar o salário mínimo apenas para R$ 545,00. Ontem, o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio, negou a hipótese de um plano “B”, como querem as centrais.

Atualmente o salário mínimo está fixado em R$ 540,00. Esta é a primeira desde 2007 que o piso salarial não subiu acima da inflação, exatamente por conta de um acordo entre as centrais e o governo, que previa reajustes somando-se a inflação com o crescimento da economia de dois anos anteriores. Como em 2009, o PIB ficou negativo, o aumento que o governo concedeu significa apenas a reposição inflacionária do ano passado.

As oposições – que, apesar de alguns entendimentos diferentes, devem se unir à proposta das centrais –, estão mais otimistas em conseguirem uma vitória contra o governo. “Claro que o governo é favorito, mas nós temos chances. Estou otimista”, afirmou o líder do DEM, Antônio Carlos Magalhães Neto (BA), ao Congresso em Foco.

O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), diz que a proposta das centrais tem a simpatia da base aliada. “A situação está boa. Por isso, temos de fazer um acordo”, avaliou ele. Vice-presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), o deputado Roberto Santiago (PV-SP) é o autor da emenda dos R$ 560,00 como antecipação do reajuste de 2012. Ele acredita ter o apoio de mais de 257 deputados, incluídos aí entre “15% a 20% de traição” de PT e PMDB. Entretanto, Santiago também defende a estratégia de um novo acordo com o governo.

O relator da proposta, Vicentinho, disse ao Congresso em Foco que ter “simpatia” pela alternativa dos sindicalistas. “Torço por um novo acordo”, afirmou ele na quarta-feira passada, antes de ser designado relator da matéria.

Punições

Ontem, Luiz Sérgio esteve na reunião de coordenação política com a presidenta Dilma Rousseff e o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP). O assunto foi salário mínimo. O ministro negou que tivessem sido discutidas eventuais punições a parlamentares que não votassem com o governo, apesar de líderes preverem retenção e cancelamento de emendas dos infiéis, como mostrou o Congresso em Foco.
 
“Nós acreditamos que os aliados não faltarão, acima de tudo, ao país, nesse momento muito importante que nós estamos vivendo”, disse Sérgio, na tarde de segunda-feira. Pelo acordo das lideranças, as votações do salário mínimo serão nominais, quando cada deputado diz como votou em cada emenda apresentada.

O líder do PMDB, Henrique Alves (RN), disse acreditar que a maioria de sua bancada apoiará o Planalto, mas negou fidelidade completa. “É natural que tenha dissidências, até porque alguns membros do partido votaram no [José] Serra, que defendeu durante a campanha um salário de R$ 600,00”, escreveu ele em seu site no twitter ontem à tarde. “Respeito as naturais dissidências, mas espero uma defesa maciça do PMDB na votação desta semana.”

(Congresso em Foco)

Ciro – O homem de 25 mil dólares

114 3

Enquanto não viaja para estudar em Londres, o ex-prefeito, ex-governador, ex-ministro, ex-deputado federal e candidato a presidente da República por suas vezes, Ciro Gomes , retoma palestras pelo País.

Só que o cachê não é mais US$ 5 mil. Dependendo de quem convida, pode chegar a US$ 25 mil, dizem assessores.

A previsão de Ciro embarcar para Londres é julho, onde, como ele já informou, passará um bom tempo estudando.

(Coluna Vertical, do OPOVO)

Novo mínimo – Dilma quer Lupi enquadrando o PDT

“Enquadrado pela presidente da República, Dilma Rousseff, para ser mais afirmativo contra a campanha do presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), por um salário mínimo maior que os R$ 545 do governo , o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, busca nesta terça-feira uma alternativa que amenize o mal-estar criado com o Planalto.

A ideia é que a bancada se posicione a favor dos R$ 545 defendidos pelo governo, mas, sem fechar questão, seja liberada para votar.

Dessa forma, o ministro – que tem dito a membros do partido ser favorável a um salário maior que os R$ 545 do governo – não ficará “exposto, e nem o partido, contra a parede”, disse uma fonte do PDT.

Na prática, porém, Lupi adotou o silêncio e, nos bastidores, tem manifestado sua opinião a favor de um aumento maior, como pleiteia Paulo Pereira da Silva. A posição desagradou ao governo, que isolou o Ministério do Trabalho das discussões, ao contrário de anos anteriores.”

(Globo)

Salário mínimo – Governistas tentam driblar traições

“Para mostrar a força da presidente Dilma Rousseff no seu primeiro teste no Congresso, o governo trabalha para que as “traições isoladas” não comprometam a ampla maioria na votação do projeto que fixa o salário mínimo em R$ 545 e a política de reajuste até 2015, inclusive.

Em tese, a base governista tem 386 deputados, mas os próprios líderes partidários admitiam ontem que a adesão não será de 100%. A avaliação mais pessimista entre os governistas é que a proposta será aprovada com pelo menos 300 votos.

Os ministros e líderes aliados realizam nesta terça-feira uma maratona de reuniões para conter o movimento iniciado por um aliado, o PDT do presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva, que defende o mínimo de R$ 560 .

O maior trunfo do governo Dilma é a fragilidade do PMDB da Câmara, depois do desgaste da briga por nomeações do segundo escalão. Precisando mostrar lealdade, o PMDB da Câmara promete cerca de 65 votos dos 77 atuais.”

(O Globo)

Presidente da Petrobras cumpre agenda em Fortaleza nesta 4ª feira

368 1

O presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, estará em Fortaleza nesta quarta-feira. Às 10 horas, na Residência Oficial, ele vai expor os investimentos da estatal para este ano no Ceará, tendo ao lado o governador Cid Gomes (PSB).

O encontro vai contar com a presença de um grupo de empresários cearenses que aproveitarão a ocasião para questionar Gabrielli sobre o processo de instalaão da futura refinaria premium do Estado.

Presidentes de TRE's do Nordeste terã encontro de trabalho no Recife

“Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais vão estar reunidos nos próximos dias 17 e 18, no Mar Hotel, no Recife, durante o 52º Encontro do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais. O encontro tem o objetivo de aprofundar questões de interesse da Justiça Eleitoral e trocar experiências das atividades funcionais e administrativas.

O anfitrião do evento, desembargador Roberto Ferreira Lins (presidente do TRE-PE) comandará a solenidade de abertura, que ocorrerá na quinta-feira, às 10h, no Pleno do TRE-PE. No mesmo dia, no auditório do Mar Hotel, às 15h, o desembargador Henrique Nelson Calandra (presidente da Associação dos Magistrados do Brasil) dará início ao ciclo de palestras abordando o tema “Novos rumos da AMB”.

Em seguida, vice-diretor da Escola Judiciária Eleitoral do TSE, Walber Agra discorrerá sobre “Reflexos no processo eleitoral da aplicação do art. 30-A da Lei n.º 9.504/97”. A Programação do dia será encerrada, às 17h20, por Ana Cristina Vieira de Barros Correia (Assessora de Planejamento e Gestão Estratégica da Diretoria-Geral do TRE-PE) que abordará o tema “Gestão estratégica – Instrumento impulsionador do desenvolvimento institucional”.

No segundo dia, o desembargador federal Francisco Cavalcanti, diretor da Escola Judiciária Eleitoral de Pernambuco, ministrará a palestra “Extensão da concretização da Lei da Ficha Limpa”. Logo após, será a vez do ministro Henrique Neves da Silva (TSE) abordar “Estruturação e perspectivas da Justiça Eleitoral”.

À tarde, o ministro Joelson Dias (TSE) inicia os trabalhos fazendo palestra sobre “Dilemas e aporias na propaganda eleitoral”. O ciclo de palestra será encerrado com a explanação do tema “Eleitor, a cidadania não termina na urna. Lembre-se sempre do seu voto”, pela Seção de Comunicação do TRE do Distrito Federal.

O 52º Encontro do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais será encerrado, às 9h, do sábado, ocasião em que o colegiado se reunirá para fazer a lavratura da Carta do Recife, documento com as principais propostas do encontro.”

(JC Online)

Dilma divulga nota sobre despedidas de Ronaldo

145 1

“Neste momento de despedida, quero enviar minha saudação ao jogador Ronaldo Luís Nazário de Lima, um brasileiro que se tornou Fenômeno. Um dos jogadores mais talentosos da história do futebol, Ronaldo conquistou dois Mundiais com a Seleção Brasileira e é, até hoje, o maior artilheiro de Copas do Mundo.

Em plena atividade, o jogador, que foi um exemplo de superação, já tinha se tornado uma verdadeira lenda. Todos nós, brasileiros, seremos eternamente gratos pelas alegrias que ele nos proporcionou e pelo que fez em prol do prestígio do Brasil no mundo dos esportes.

Dilma Rousseff

Presidenta da República Federativa do Brasil.

CNI coordenará diálogo para nova política industrial

 

“O governo elegeu a Confederação Nacional da Indústria (CNI) como coordenadora da interlocução que manterá com a indústria brasileira para a elaboração da segunda etapa da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) e a formulação de uma nova estratégia de comércio exterior. O papel da entidade nessas tarefas foi definido durante a 27ª Reunião do Fórum Nacional da Indústria, realizada nesta segunda-feira, no escritório da CNI, em São Paulo.

O encontro foi conduzido pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, e teve como convidados especiais o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho.

Pimentel e Coutinho informaram aos integrantes do Fórum que o governo pretende divulgar a PDP2 e a nova estratégia de comércio exterior dentro de 60 dias. “Há um sentimento de urgência por parte do governo no sentido de definirmos a PDP2 e tenho certeza que a CNI entende isso e nos auxiliará muito”, afirmou Coutinho ao final da reunião do Fórum.

O presidente da CNI respondeu prontamente e informou que o fórum colherá e ordenará as contribuições da indústria até o final de fevereiro, e as encaminhará ao Ministério do Desenvolvimento e ao BNDES em 1º de março. 

Reativação do CNDI – Pimentel informou que o governo reativará o Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI) que foi criado em 2004, no âmbito da primeira política industrial do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas se reuniu apenas uma vez. “Vamos recriar, fazer renascer o Conselho como uma entidade de alto nível voltada para discussão, acompanhamento e implementação da política industrial do governo”, afirmou Pimentel.

Pelo lado do governo, o CNDI será composto por 14 ministros de estado e o presidente do BNDES. A indústria terá 14 assentos no conselho. Pimentel e Coutinho informaram que contam com a CNI e as associações setoriais para a escolha dos representantes da indústria.

Robson de Andrade destacou que a recriação do conselho agrada a indústria. Ele se comprometeu a trabalhar intensamente junto às federações da indústria e associações setoriais para definir o mais rapidamente possível a representação privada no CNDI. Observou também que a reunião do Fórum Nacional da Indústria inaugurou uma nova e proveitosa etapa de interlocução entre a indústria brasileira e o governo. “A CNI se compromete a ampliar esse diálogo, mantendo uma interlocução permanente com o Ministério do Desenvolvimento e o BNDES”, afirmou.

Competitividade – Durante a reunião, os integrantes do Fórum mostraram suas preocupações com a perda de competitividade de muitos setores industriais, provocada, entre outros fatores, pela excessiva valorização do real, altas taxas de juros, dificuldade de acesso ao crédito e agressiva concorrência externa, especialmente de países asiáticos.

Pimentel reafirmou que o governo fará tudo que estiver ao seu alcance para enfrentar esses problemas, destacando a aceleração das medidas de defesa comercial do país. Observou ainda que a PDP2 e a nova estratégia de comércio exterior também serão voltadas ao aumento da competitividade da indústria. O ministro e o presidente do BNDES ressaltaram que a prorrogação do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), a ser anunciado nas próximas 48 horas, também ajudará a reduzir a perda de competitividade.

O Fórum Nacional da Indústria, órgão consultivo da direção da CNI, reúne os presidentes de associações nacionais setoriais e de federações  de indústrias.  Nos encontros, os empresários debatem temas de interesse nacional e propõem  ações que promovam o crescimento da economia e da indústria. ”

(Site da CNI)

Economista ligado a Serra vai defender na Câmara a viabilidade do mínimo de R$ 600,00

126 2

“Fechada em torno da proposta do salário mínimo a R$ 600, a bancada do PSDB na Câmara dos Deputados promete provar nesta terça-feira, 15, que o valor defendido pelo partido na campanha eleitoral de 2010 não afetará as contas da União se forem feitos ajustes nos gastos do governo. Para isso, convocou um dos principais consultores econômicos do ex-governador José Serra, o economista Geraldo Biasoto Junior, para expor no plenário da Casa o que é possível fazer para que o mínimo de R$ 600,00 se viabilize.

O foco da apresentação deve ser o aumento das despesas do governo entre 2008 e 2010. Nela, o economista irá defender a necessidade de redução das despesas aos níveis de 2009, apontando o dá para cortar. Diretor executivo da Fundação do Desenvolvimento Administrativo de São Paulo (Fundap), Biasoto colaborou com o candidato derrotado do PSDB na disputa pela presidência, e tem os números que embasam a proposta do mínimo de R$ 600,00.

Pela análise do economista, o governo central gasta demais com programas de pequena abrangência, transferências de recursos para entidades não governamentais, políticas anticíclicas que já poderiam ter sido abandonadas, entre outros. Na lista de exemplos de Biasoto devem constar programas dos ministérios de Esporte e Cultura de baixa execução orçamentária. Em alguns casos, o total de recursos executados não passa de 20%.

Em Brasília desde a sexta-feira, 11, o economista fará sua apresentação na sessão extraordinária desta terça-feira, que funcionará como comissão geral para debater o mínimo. O encontro convocado pelos líderes partidários acontece na véspera da votação, marcada para quarta-feira, 16. Também participará do debate o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa.”

(Blog Radar Político –  Estadão)

Eternit implantará fábricas de louças sanitárias no Pecém

166 2

O Grupo Eternit fechou a compra de 40 hectares de terras no Pecém (São Gonçalo do Amarante), onde deverá instalar quatro fábricas de louças sanitárias. A informação foi dada nesta segunda-feira pelo diretor de Infraestrutura da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Adece), Eduardo Neves, durante entrevista ao programa Mercado & Negócios, apresentado pela jornalista Neila Fontenele na Rádio O POVO/CBN.

Segundo Eduardo Neves, essas quatro unidades vão custar cerca de R$ 117 milhões, sendo que , ainda neste semestre, a Eternit iniciará o trabalho de terraplenagem do terreno para começar a construir a primeira fábrica, que deve ficar pronta num prazo de 18 meses.

O Governo do Estado vai dar apoio ao empreendimento garantindo infraesturutra como água e energia, adiantou Neves.

Jobim nega desprestígio com Dilma e diz que vai negociar caças

     

“O ministro Nelson Jobim (Defesa) negou estar desprestigiado no governo Dilma Rousseff e afirmou nesta segunda-feira que vai participar da compra dos novos caças da FAB (Força Aérea Brasileira). Ele negou também que o governo brasileiro tenha suspendido a negociação, o que chamou de “invenção” da imprensa.

Segundo a Folha informou no último dia 20, a presidente Dilma decidiu adiar a decisão da compra dos novos caças para o final do ano por causa do aperto fiscal. O governo anunciou corte no Orçamento deste ano de R$ 50 bilhões. Dilma, também, optou por consultar outras pessoas sobre a negociação, entregando documentos referentes à compra ao ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento), seu amigo.

Sobre um suposto mal-estar com Dilma, Jobim disse que essas informação são plantadas por “lobistas” e negou ter mandado recado para a presidente. “Minha relação com ela está ótima. Se estivesse desprestigiado não estaria aqui [em viagem oficial a Buenos Aires]. Não mando recado, no Rio Grande não é assim.” O ministro disse que vai se reunir com a presidente, amanhã em Brasília, para tratar de vários assuntos, como a compra dos novos caças da FAB.

Ele também afirmou que desconhece a participação de Fernando Pimentel na negociação, como pediu Dilma. “Perguntei ao Pimentel e ele disse que não foi escolhido e que não recebeu nada.” Ministro da Defesa de Lula, Jobim continuou no cargo no governo Dilma. Ele está em Buenos Aires para a assinatura de acordos bilaterais com seu equivalente argentino.”

(Folha.com)

Cid Gomes: Eduardo Campos deve se preocupar com o PMDB e não com ele e seu irmão Ciro

144 1

Eis duas notas da Coluna Painel, da Folha de SãoPaulo, desta segunda-feira:

Tropas – A tensão entre o presidente do PSB, Eduardo Campos, e os irmãos Gomes, Cid e Ciro, resulta em animosidade permanente entre deputados de Pernambuco e do Ceará na bancada do PSB.

Prioridades Em conversas com aliados, Cid Gomes costuma dizer que Eduardo erra ao escolher a ele e ao irmão como alvos. ‘Se quer ser candidato a vice-presidente em 2014, ele não deveria estar preocupado conosco, e sim com o PMDB’, argumenta o governador do Ceará.’

VAMOS NÓS – Para a imprensa pernambucana, a “tensão” entre o Eduardo Campos e os irmãos Ferreira Gomes é alimentada pela imprensa sulista, como forma de conter a influência dos três políticos do Nordeste, junto à presidente Dilma Rousseff.