Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Federação dos Policiais Federais anuncia apoio a Dilma

 

A Federação Nacional dos Policiais Federais fechou apoio à candidata Dilma Rousseff. Segundo o vice da entidade, o cearense João Waldery, porque há promessa de que eleita a petista garantirá a implantação da nova Lei Orgânica da categoria.

Essa luta, conforme Waldery, é antiga e já rendeu greves no passado. Ele disse que a entidade avaliou que a melhor perspectiva é apoiar a petista, até porque as conversações em torno do projeto estão bem adiantadas.

(Foto – Paulo Moska)

Mesmo vazio, Congresso custa R$ 1,9 bi a contribuinte

“Mesmo vazio, o Congresso Nacional custa caro ao contribuinte. De julho a outubro, quando votações e debates são próximos de zero, houve R$ 1,9 bilhão de despesas de todos os tipos.

Chamado de “recesso branco”, a paralisia do Legislativo acontece de dois em dois anos por causa das eleições. Além deste período com pouco trabalho, o recesso constitucional continua: em julho e no final do ano. Ou seja, são cinco meses de trabalho escasso.

Na Câmara, por exemplo, não há nenhum tipo de votação desde 7 de julho. Duas tentativas de reunir deputados em Brasília durante esse período fracassaram.”

(Folha Online)

PF investiga possivel ação da máfia italiana no Ceará e Rio Grande do Norte

O jornal O Globo deste sábado estampa reportagem informando que a Polícia Federal investiga no Rio a suposta participação de empresas de fachada, controladas pela máfia italiana, no envio para a Itália de cocaína pura produzida na Bolívia, tendo o Rio como base. As suspeita surgiram após a prisão do comerciante italiano Emanuele Savine, de 39 anos, flagrado no último dia 21, em Itaguaí, no momento em que tentava transportar cerca de 300 quilos de cocaína escondida em vasos com palmeiras imperiais. A droga, avaliada na Europa em oito milhões de euros, seguiria em contêiner de navio do Porto de Itaguaí até a Itália.

Junto com o italiano, foi preso Guilherme Morais Machado, de 34 anos, que administrava a chácara “Dindas Flores”, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. Segundo as investigações da PF, realizadas em conjunto pelos policiais de Brasília e da Delegacia federal de Repressão a Entorpecentes (DRE) do Rio, a droga foi levada de caminhão da Bolívia até o interior de São Paulo, onde a cocaína era guardada em depósitos e depois, também em caminhões, transportada para a chácara.

Os agentes descobriram que Guilherme, sempre atendendo pedidos de Savine, já havia feito pelo menos uma outra remessa para a Itália de vasos com palmeiras imperiais. O motorista de caminhão Reinaldo Duarte Júnior, de 27 anos, também preso pela PF, contou que receberia R$ 5 mil do italiano para levar a carga até o porto.

A presença da máfia italiana no país é investigada pela PF desde 2005. Os criminosos atuariam no Rio, São Paulo e estados do Nordeste – especialmente Rio Grande do Norte e Ceará -, fazendo tráfico de drogas e de mulheres para prostituição. Recentemente mais de 15 pessoas foram presas pela PF em vários estados, suspeitas de integrar o grupo mafioso conhecido por “Sacra Corona Unita”, que tem Natal como sua base no Brasil, mas com ramificações no Rio.”

(O Globo)

O Dia "D" de Dilma e Serra

“Para acompanhar o resultado, concentração e discrição. Tanto Dilma Rousseff (PT) quanto José Serra (PSDB) devem permanecer longe dos holofotes. A petista deve votar às 8h em Porto Alegre, e depois seguirá para um café da manhã com aliados. Por volta das 11h, a candidata deve embarcar de volta a Brasília.

Todos os coordenadores da campanha votam em seus estados e retornam a Brasília mais ou menos no mesmo horário. Dilma, assessores e petistas chegam e vão para o Hotel Naoum para os preparativos da festa. Depois se encontram com o presidente Lula no Palácio da Alvorada para acompanhar a apuração.

Com o resultado, se Dilma ganhar, ela e o séquito seguem para o Hotel Naoum onde a petista fará sua declaração. Dilma deve deixar a entrevista para o dia seguinte.

O tucano José Serra deve manter o ritual de eleições anteriores e permanecerá recolhido no domingo até que a eleição defina quem será, a partir de 2011, o novo presidente do país.

Como de costume, o candidato do PSDB, depois de votar no Colégio Santa Cruz, por volta do meio-dia, deve evitar os jornalistas até que não haja dúvidas sobre o resultado das urnas.

Serra tem convite para almoçar na casa do amigo Andrea Matarazzo, mas o tucano tem dito que vai optar pela companhia dos netos Francisco, Gabriela e Antonio, e de sua filha, Verônica, no Morumbi, antes de seguir para seu escritório.

Se for eleita, Dilma deverá dar uma declaração à nação. Em seguida, a petista deve seguir para a Esplanada dos Ministérios. Depois da festa, Dilma retornará ao hotel, onde tem uma suíte presidencial reservada para que passe ali sua primeira noite como a nova presidente eleita do Brasil.

A petista, se realmente for eleita, deve passar os dois primeiros dias depois da eleição em Brasília e depois viajar para um descanso de pelo menos uma semana no Rio Grande do Sul. Mas não deve ficar na sua casa em Porto Alegre, para evitar o assédio.

No dia 9 de novembro, Dilma deve ser levada pelo presidente Lula para ser apresentada à comunidade internacional , em reunião do G-20 na Coreia do Sul, como a presidente eleita do Brasil. Na ida, Lula e Dilma devem fazer uma parada em Maputo, capital de Moçambique.”

(O Globo)

Brasil será sede de convenção interamericana contra a corrupção

113 2

“Brasília vai ser sede da terceira reunião da Conferência dos Estados Partes no Mecanismo de Acompanhamento da Implementação da Convenção Interamericana contra a Corrupção (Mesicic), marcada para os dias 9 e 10 de dezembro. Esta é a primeira vez que a conferência é realizada fora de Washington, nos EUA, onde ocorreram as duas primeiras reuniões, em 2004 e 2006. No Brasil, a organização do evento está a cargo da Controladoria-Geral da União (CGU).

A Conferência contará com a presença do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, do ministro-chefe da CGU, Jorge Hage, de autoridades públicas de todos os 28 países da América que ratificaram a Convenção Interamericana contra a Corrupção e integram seu Mecanismo de Acompanhamento, além de representantes de organizações da sociedade civil que atuam na área.

Durante a reunião, serão discutidos os progressos obtidos pelos países na implementação da Convenção e das recomendações do Mesicic; o fortalecimento desse Mecanismo, incluindo questões como a divulgação de suas realizações, visitas in loco, financiamento, e participação da sociedade civil; a cooperação com outros mecanismos de acompanhamento internacionais e sub-regionais; e o fortalecimento da cooperação hemisférica contra a corrupção em áreas como responsabilidade do setor privado e recuperação de ativos.

Mesicic

Instrumento de caráter intergovernamental estabelecido no âmbito da OEA, o Mesicic tem o objetivo de apoiar os Estados Partes na implementação das disposições da Convenção por meio de avaliações recíprocas, da realização de atividades de cooperação técnica; do intercâmbio de informações, experiências e melhores práticas; e da harmonização das legislações de cada país.”

(Site da CGU)

Dólar fecha em baixa, mas valor acumulado é o maior desde maio

“A cotação do dólar comercial fechou em baixa de 0,64% nesta sexta-feira (29), a R$ 1,703 na venda. Porém, no mês, a moeda norte-americana acumulou alta de 0,65%, atingindo a maior elevação mensal desde o mês de maio (quando subiu 4,78%). Na semana, o dólar tem desvalorização de 0,35%. No ano, as perdas são de 2,29%.

O Banco Central (BC) voltou a fazer dois leilões de compra de dólar ao longo do dia. Na primeira intervenção, o BC comprou moeda a R$ 1,699. Na segunda operação, o valor aceito foi de R$ 1,70. Além disso, o Ministério da Fazenda ampliou o poder de fogo do Tesouro para compras de dólares no mercado à vista e voltou a emitir bônus da dívida em reais no exterior.

Mesmo após as medidas, o dólar teve alta apenas discreta no mês. Mas, em outros mercados, a tendência de desvalorização da moeda continuou. O euro termina o mês com alta de cerca de 2%, mesmo percentual de alta de uma cesta com as principais divisas, que inclui o iene. As commodities, principal componente da pauta de exportações brasileira, subiram cerca de 4% no mês.

“As medidas tiveram efeito, mas limitado”, disse à Reuters Carlos Allievi Jr., gestor da Infinity Asset. “Um pouco foi por elas em si, e um pouco pelo receio de novas medidas. O fluxo (de capitais) continua positivo”.

BNB aguarda ser notificado sobre pedido de afastamento de advogados

Sobre decisão da Justiça do Trabalho determinando o afastamento de advogados contratados pelo Banco do Nordeste do Brasil para fazer cobrança de clientes, a assessoria de Imprensa do BNB informa para o Blog:

“A Instituição não foi notificada da decisão judicial. Tão logo isso ocorra, o banco tomará as medidas cabíveis.

O pedido de afatamento de advogados atende a uma reivindicação do Ministério Público do Trabalho

Lula diz não ver nada de novo na fala do Papa sobre aborto

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira (29), no Salão Internacional do Automóvel, no Anhembi, em São Paulo que não viu novidade na declaração do Papa Bento XVI sobre o aborto.  Lula  deixou claro que a declaração, às vésperas da votação do segundo turno, marcado pela discussão sobre o aborto, pode ser emitida pelo pontífice todas as vezes que é questionado sobre o assunto.

“Não vi nenhuma novidade na declaração do Papa. Isso é um comportamento da Igreja Católica desde que ela existe. Se você for ver o que a Igreja Católica falava há dois mil anos atrás, ela falava exatamente o que o Papa falou. Isso pode ser falado a qualquer momento, pode ser falado ontem, hoje e amanhã”, disse Lula. “Toda vez que perguntar para o Papa sobre a questão do aborto, ele vai dizer exatamente o que ele disse”, afirmou.
 
“Cada um vai de acordo com a sua consciência. Este país é democrático, um país laico. Portanto, as pessoas se manifestam do jeito que quiserem. A liberdade é bom por isso. Porque a gente ganha ou a gente perde, a gente pode pagar o preço pelos erros que cometeu”, disse o presidente, para logo em seguida emendar: “Devo ter cometido muitos erros, mas pelo reconhecimento da sociedade brasileira, tive mais acertos.”

Lula  criticou o  nível da campanha  e disse que sua candidata, Dilma Rousseff, foi vítima de preconceito. “Fiquei triste porque a campanha teve nível muito baixo. A candidata Dilma foi vítima de preconceito mais uma vez mostrado de forma arraigada contra a mulher brasileira.”

(Portal G1)

Serra pega carona em discurso do Papa contra o aborto

“O candidato à presidência da República, José Serra (PSDB), ressaltou nesta sexta (29), em sua propaganda eleitoral no rádio, as declarações do papa Bento XVI, que orientou bispos brasileiros a emitir aos fieis um julgamento moral “também em matérias políticas”. “O discurso do papa Bento XVI para os bispos é uma reflexão sobre o direito à vida e sobre a responsabilidade, a transparência das ideias e dos compromissos dos homens públicos. O governante tem que ter uma palavra hoje e a mesma palavra amanhã. Principalmente, quando se trata de problemas fundamentais como o aborto. A palavra do papa é uma palavra de amor à vida”, disse a locutora.

A manifestação do papa aconteceu na quinta-feira (28) a um grupo de bispos brasileiros da região Nordeste. Ele condenou a descriminalização do aborto e da eutanásia e pediu para os religiosos lembrarem os fiéis a usar o voto para a promoção do “bem comum”. A apenas dois dias do segundo turno das eleições presidenciais, o programa tucano também ressaltou o passado de Serra, suas propostas feitas durante toda a campanha eleitoral e voltou a falar que Dilma Rousseff (PT) privatizou a exploração da camada de petróleo pré-sal.

Já Dilma aproveitou o último dia de propaganda eleitoral no rádio para destacar a importância em uma possível eleição da primeira presidenta mulher do País. O programa petista ainda voltou a utilizar uma fala do presidente Lula, que pede aos eleitores que não se abstenham do voto e compareçam às urnas no domingo (31), apesar do feriado de Finados da próxima terça.”

(Com Agências)

Mensalão do DEM – STJ nega pedido de Arruda para não depor

“O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda para usar o direito de não testemunhar no inquérito que apura o suposto envolvimento do ex-procurador-geral de Justiça do DF, Leonardo Bandarra, e da promotora de Justiça Deborah Guerner no esquema de pagamento de propina no DF, o chamado mensalão do DEM.

A defesa de Arruda pretendia obter por decisão liminar o direito de não testemunhar, de conhecer o conteúdo do inquérito e de não ser preso por ficar em silêncio. Os pedidos foram negados pelo relator do caso, desembargador Celso Limongi, que manteve Arruda como testemunha. Para o magistrado, o ex-governador não tem direito a acesso amplo aos autos, nem à invocação do direito constitucional ao silêncio, exclusivo de quem ostenta a condição de investigado.

Antes de sair esta decisão do STJ, Arruda já foi ouvido duas vezes no inquérito. Segundo o tribunal, em depoimento prestado ao procurador regional da República da 1ª Região, Ronaldo Meira Vasconcelos Albo, o ex-governador se disse vítima de extorsão e negou que fosse coautor dos fatos.”

(POrtal G1)

Peça "Enfim, nós" será atração no Teatro Via Sul

“Zeca e Fernanda estão prestes a passar o seu primeiro Dia dos Namorados juntos, desde que passaram a dividir o mesmo teto. A noite promete ser cheia de surpresas, afinal, os dois têm novidades para contar. Tudo seria perfeito se um pequeno incidente doméstico não fizesse com que eles fossem obrigados a passar à noite trancados no banheiro.

Esse é um pequeno resumo da comédia Enfim, nós, com texto inédito de Bruno Mazzeo e Cláudio Torres Gonzaga, que já teve no elenco Bruno Mazzeo, Fernanda Rodrigues, Regiane Alves e Fernanda Souza e agora volta com Marcius Melhem e Fabíula Nascimento no elenco.

Fabíula Nascimento, a Jaqueline de Força Tarefa na Rede Globo, e Marcius Melhen considerado uma das revelações do humor brasileiro, se destacando como redator do programa S.O.S Emergência, atuando como ator e redator em os Caras de Pau, em novelas como Radesh de Caminho das Índias, e no teatro com a peça Nós na Fita ao lado do seu parceiro Leandro Hassun, definitivamente recomendam que “todo casal, antes de unir os trapos, deveria passar pelo menos uma noite trancado no banheiro”.

Depois de quatro anos de existência, com temporadas de sucesso no Rio de Janeiro e São Paulo, além de turnê por mais de 30 cidades brasileiras, com mais de 60 mil expectadores, a comédia Enfim, nós terá apresentação nos dias 5, 6 e 7 de novembro, no Teatro do Via Sul Shopping, em Fortaleza.”

(Divulgação)

Tasso integrará plateia vip que acompanhará debate da Rede Globo

117 3

O senador tucano Tasso Jereissati embarca, no início desta tarde de sexta-feira, para o Rio de Janeiro. Ele é um dos convidados vips para participar da plateia que assistirá ao debate que José Serra, candidato do PSDB a presidente da República, travará com a postulante petista Dilma Rousseff, na Rede Globo.

O debate começará logo após capítulo inédito da novela Passione e ocorrerá num dos estúdios do Projac e terá como mediador o jornalista William Boinner. Contará com três blocos. Dessa vez, noentanto, nada de pergunta temática: candidato responderá perguntas feitas por eleitores indecisos presentes nos estúdios e que foram pré-selecionados pelo Ibope.

Tasso vai integrar a plateia ao lado de um grupo de tucanos que inclui nomes como os do senador eleito Aécio Neves, os governadores eleitos Anastasia (MG) e Alckmin (SP) e o reeleito Beto Richa (PR) e o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra.

Setor público brasileiro tem superávit primário recorde

“O setor público consolidado brasileiro registrou superávit primário de R$ 27,8 bilhões em setembro, o maior valor da série histórica iniciada em dezembro de 2001, informou o Banco Central nesta sexta-feira. O superávit do governo central foi influenciado pelo recebimento de receitas da cessão onerosa pela exploração de petróleo, pagas pela Petrobras, em montante superior às despesas com a capitalização da empresa”, disse o BC em nota.

O Governo Central (Tesouro Nacional, o Banco Central e Previdência Social) registrou superávit de R$ 25,6 bilhões; os governos regionais, R$ 1,7 bilhão; e as empresas estatais, R$ 509 milhões.

Com a forte arrecadação atípica, a economia feita pelo governo superou o volume de juros apropriados no mês e o país registrou um superávit nominal de R$ 11,782 bilhões.

A dívida pública líquida recuou a 41% do Produto Interno Bruto (PIB) no mês passado, ante 41,4% do PIB em agosto. Segundo o BC, a redução de 0,4 ponto percentual “foi determinada, sobretudo, pelo superávit primário registrado no mês, e pelo crescimento do PIB corrente”.

A dívida mobiliária federal, avaliada pela posição de carteira, totalizou R$1.534,4 bilhões (44,4% do PIB) em setembro, R$ 9,8 bilhões maior em relação ao mês anterior.”

(Portal Terra)

Bispo que encomendou panfletos contra Dilma se diz aliviado depois de fala do Papa

121 3

“Responsável pela encomenda de 2,1 milhões de panfletos contra Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência, dom Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo de Guarulhos, disse à Folha estar “aliviado” com pronunciamento do papa Bento 16 ao clero brasileiro. Ontem, o pontífice recomendou o engajamento de padres em questões políticas.

Dom Luiz recebeu a reportagem em sua casa, acompanhado do advogado da diocese de Guarulhos, João Carlos Biagini. Por pelo menos quatro vezes, Biagini interveio na entrevista, sob a alegação de esclarecer o discurso do bispo.

Aos 74 anos, dom Luiz, reafirmou sua posição “em defesa da vida”, condenou o voto na petista, e desviou do assunto quando perguntado sobre o suposto aborto que teria sido feito por Mônica Serra. Ele também disse que, apesar de contrário à prática do aborto, não é a favor da prisão de mulheres que recorrem a ele.

Dom Luiz disse ainda que se considera “vitorioso” por ter defendido a colocação do assunto na pauta eleitoral. “O meu candidato é o próprio Cristo. E o meu partido é o Evangelho”, afirmou.

FOLHA- Como o sr. avalia as declarações do papa? Acha que ele estava acompanhando a repercussão de questões ligadas à religião nas eleições brasileiras?

dom Luiz – Eu não posso dizer com certeza, como dois e dois são quatro, mas pelo conhecimento que temos da diplomacia do Vaticano, das informaçãos que goza o Papa, tenho para mim que essa posição que ele assumiu foi, em parte ao menos, motivada pela situação que nós temos aqui. Tem o consulado do Vaticano, que é o representante do papa junto ao governo e ao clero brasileiro. Além disso, há uma equipe de diplomatas do mundo todo que estão acompanhando eventos de todos os países. Sei que há brasileiros que informam [o papa] dessa situação que estamos vivendo no Brasil, principalmente durante a campanha política, e acho que isso motivou o santo padre a esse discurso em defesa da vida e dos direitos fundamentais.

O sr. acredita que esse pronunciamento do papa vai encorajar padres e bispos brasileiros?

Efeito terá, mas não posso afirmar que esse efeito será generalizado e assumido por todo o clero. Mas em uma boa parte do clero brasileiro acho que sim.

Cada um de nós conhece as obrigações que tem e, por atitudes erradas, ou omissões, terá que prestar contas não a mim, mas a Deus. Eu aponto o caminho, mas não tiro liberdade de ninguém. A minha certeza é a verdade do evangelho. O meu candidato é o próprio Cristo. E o meu partido é o evangelho.

O sr. acredita que essa mobilização é um fruto da mobilização que o sr. fez?

Eu acredito que sim. Não só do meu trabalho, mas da minha equipe né? Eu estou à frente, mas com a colaboração de minha equipe. Foi a Igreja no Brasil que chegou lá.

O sr. se sentiu aliviado com o discurso do papa?

Muito. Muito aliviado. No começo fui combatido. Essa palavra do papa me alegra, justamente por ele estar defendendo agora aquilo que eu vinha defendendo.

O sr. tomou conhecimento de reportagem que deu conta de um suposto aborto feito por Mônica Serra?

Eu ouvi dizer. Eu soube. Agora, veja bem, às vezes, mesmo o aborto provocado, às vezes, tem um atenuante. Não estou aprovando, hein, não estou aprovando o aborto em absoluto.

[O advogado do bispo interrompe]

João Carlos Biagini – Dom Luiz, deixa só eu falar um negócio. O dom Luiz está trabalhando em cima de documentos. Documentos do PT, o evangelho e a fala do papa. Esse negócio aí, para ele comentar, não tem como comentar. Eu posso falar para você que se juntar três pessoas aí e falar que eu andei nu na beira do Tietê em 1900… é uma história difícil de comentar. Aqui [sobre o PT] nós temos prova.

[dom Luiz retoma a entrevista]

dom Luiz – A minha posição nunca foi a favor do José Serra (PSDB). Aliás, no artigo que originou tudo isso eu deixo claro que sou contra o aborto, contra a senhora Dilma e contra qualquer candidato que o defendesse, independente do partido a que pertencesse. Eu não pedi voto a nenhum candidato. Eu pedi simplesmente para não votarem na Dilma.

Mas agora nós temos apenas dois candidatos…

Lá no primeiro turno, não indiquei candidato nenhum, pedi que não votassem nela. Agora, por coerência, no segundo turno, eu continuo dizendo: não vote na Dilma. Mas eu nunca disse: vote no Serra.

A minha posição é una. Aquilo que eu falo eu assino, e confirmo. Eu não sou como a candidata que mudou muitas vezes de posição e do dia para a noite virou católica. A posição do PT, o ideário do PT é muito perigoso.

O sr. acha que mulheres que fazem aborto devem ir para a cadeia?

Olha, eu não chego a esse ponto. Eu sou contra o aborto e tenho pena da mulher que aborta. Às vezes, as coitadas são vítimas de maus tratos. Eu não condeno a pessoa. Eu condeno o ato.

[O advogado interfere novamente]

João Carlos Biagini – O que precisa, né dom Luiz, é ter um tratamento desde o início da concepção, né? Um acompanhamento. Para que não aconteça isso. Não simplesmente aprovar o aborto.

[dom Luiz retoma a entrevista]

dom Luiz – É. Exato. Aqui em Guarulhos, por exemplo, tem um padre que faz um trabalho muito grande e que evitou muitos abortos, conversando e dando apoio.

O sr. acha que o posicionamento do papa pode provocar uma mobilização capaz de influenciar os resultados apontados hoje pelas pesquisas?

Só Deus pode responder quem é que vai ganhar, mas eu me julgo vitorioso. Mesmo que a Dilma vença, o fato de eu ter levantado esse problema compromete todos os eleitos a respeitar [a posição da Igreja]. A Dilma seria muito… como é que eu vou dizer…

[O advogado interfere pela terceira vez]

João Carlos Biagini – O que o dom Luiz está dizendo é que conseguiu introduzir uma agenda de valores para ser discutida, e não só aquela materialista, como se a pessoa fosse uma máquina de ser alimentada…

[dom Luiz retoma a entrevista]

dom Luiz – E mesmo assim, seja qual for a pessoa eleita, eu vou continuar a minha batalha. Seja quem for, eu não vou cruzar o braço.

O sr. acredita que, se Dilma for eleita, essa vitória significará uma derrota para a investida promovida por setores da Igreja contra a campanha dela?

Não. A verdade venceu. Esse problema era iminente com a eleição do PT e agora perdeu-se o pulso que tinha, mesmo porque depois das manifestações que houve, das manifestações do papa, eu não acho que houve um regresso. Houve um despertar de muitos católicos.

Cheguei a ouvir de petistas de caderneta ‘olha, eu ia votar no PT, mas depois de tudo o que o senhor falou não vou mais’. Eu digo que houve uma vitória da nossa parte, porque a vida venceu. Se ela tocar nesse ponto [aborto] vai encontar uma resistência enorme.

O sr. é a favor de padres se lançarem candidatos? A orientação pelo engajamento da Igreja deve passar pela representação via mandato?

Em tese não. A não ser em casos muito especiais. Houve um padre, Arruda Câmara, que a Igreja pediu que ele fosse candidato para segurar a aprovação do divórcio. O padre candidato é escolhido, não escolhe. Mas em tese eu sou contra. Porque qualquer candidato tem que ter partido político, e à medida que eu defendo um partido, me torno adversário de outros. E padre deve unir, não dividir.”

(Folha.com)

TSE – Panfletagem e carro de som, só até 22 horas deste sábado

“Hoje é o ultimo dia de exibição da propaganda eleitoral gratuita, no rádio e na TV, dos candidatos à Presidência da República e aos governos estaduais que disputam o segundo turno. De acordo com o calendário eleitoral, também termina o prazo para a divulgação de propaganda eleitoral paga na imprensa escrita, de propaganda eleitoral em páginas institucionais na internet e para a realização de debates entre os candidatos.

A legislação estabelece ainda que a propaganda eleitoral por meio de alto-falantes e amplificadores de som pode ser feita até amanhã (30), mas só até as 22 horas, assim como a realização de carreatas e a distribuição de material de propaganda política.

No domingo (31), os eleitores poderão ir às urnas entre as 8 e as 17 horas. Aqueles que chegarem perto do fim do horário, receberão senhas para que possam ser atendidos e, com isso, garantir o direito ao voto. Os eleitores de todo o país deverão votar em seu candidato à Presidência e, em oito estados, em concorrentes ao governo estadual. Nos dois casos, o número do candidato e do partido tem dois dígitos. O Tribunal Superior Eleitoral recomenda que os eleitores levem uma cola com o número do candidato, e com isso, agilizar o tempo de votação.

A estimativa do TSE é que, nos estados onde haverá segundo turno (Goiás, Alagoas, Pará, Amapá, Paraíba, Rondônia, Roraima e Piauí, além do Distrito Federal) o tempo médio que cada eleitor gastará na cabine de votação será de 30 segundos. Nas localidades onde haverá votação apenas para presidente, o tempo deverá ser menor. No dia da eleição, os eleitores podem manifestar seu voto, desde que de maneira individual e silenciosa.

(Agência Brasil)

Lei Seca neste domingo de eleições

109 1

“O Pleno do Tribunal de Justiça do Ceará decidiu manter a proibição da venda e do consumo de bebidas alcoólicas em bares e restaurante no horário compreendido entre zero e 24 horas deste domingo, dia das eleições do segundo turno.

A decisão foi proferida na ação de agravo regimental (nº72780-47.2010.8.06.0000-1) impetrado pelo Estado do Ceará. Conforme os autos, o Sindicato de Restaurantes, Bares, Barracas de Praia, Buffets e Similares (SINDIREST) ajuizou ação requerendo a suspensão da Portaria nº 2.103, expedida pelo secretário de Segurança Pública do Estado, em 30 de setembro de 2010. ”

(Com TJ-CE)

Presidente do TSE na luta contra a abstenção

“O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, faz um apelo para que os eleitores evitem viajar no feriadão de Finados e compareçam às urnas neste domingo (31). “O comparecimento às urnas é um dever cívico e não uma formalidade burocrática. Por isso, faço um apelo a todos os eleitores que compareçam às urnas”, disse.

Para o ministro, o índice de abstenção não deverá ser maior que no primeiro turno, quando 18,12% dos eleitores deixaram de votar. “Normalmente, a abstenção no segundo turno é menor que no primeiro, porque a disputa fica mais acirrada, mais particularizada”, comentou.

Os eleitores que não votaram no primeiro turno poderão votar normalmente no segundo. Entretanto, aqueles que não se inscreveram para votar em trânsito e aqueles que, ainda assim, não puderem votar, têm até 31 de dezembro para justificar a ausência. A justificativa pode ser feita no próprio domingo, dia da eleição, ou depois, em qualquer cartório eleitoral. 

O eleitor que não votar nem justificar a ausência será multado pela Justiça Eleitoral. Caso não vote e nem pague a multa, não poderá se inscrever em concurso público, tirar passaporte ou carteira de identidade, renovar matrícula em estabelecimentos de ensino público, obter empréstimos em estabelecimentos de crédito mantidos pelo governo ou participar de concorrência. Caso não vote em três eleições consecutivas, terá o título cancelado.”

(Agência Brasil)

Ontem, censurados; hoje, censores

168 10

Com o título “Ontem, censurados; hoje, censores”, o publicitário e poeta Ricardo Alcântara deixa para professores do curso de Comunicação Social e ONGs que assinaram nota de apoio à criação do Conselho Estadual de Comunicação Social a seguinte reflexão:

Gostaria de perguntar aos dirigentes das organizações sociais que assinam o manifesto em favor da criação dos conselhos de comunicação: Onde se diz que a medida não visa estabelecer um regime de censura à imprensa?
 
O projeto de indicação a deputada estadual Raquel Marques (PT) prevê, como atribuições do conselho, “monitorar”, “orientar” e “fiscalizar” os veículos de comunicação. Se vocês, signatários do manifesto, pudessem definir isso em palavra, como o fariam?

Até onde alcança a minha limitada percepção, isto tem nome: Censura.

Ricardo Alcântara,

Publicitário.

Lula: Kirchner ajudou a construir a América Latina de hoje

138 2

 

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi na noite desta quinta-feira a Buenos Aires para o velório do ex-presidente argentino Néstor Kirchner, na Casa Rosada, onde abraçou Cristina Kirchner e foi muito aplaudido. Antes de embarcar de volta para São Paulo, ele discursou em um aeroporto militar da capital e exaltou o legado do ex-líder para a Argentina e as relações econômicas e diplomáticas com o Brasil. 

– Kirchner era mais do que um presidente, era um companheiro que junto comigo ajudou a construir a América Latina que temos hoje. Um homem morre, mas as ideias permanecem – afirmou o presidente brasileiro.

Lula disse ainda que, com Kirchner, as relações entre Brasil e Argentina cresceram. Para o líder brasileiro, durante o governo do marido de Cristina (2003-2007) caíram preconceitos diplomáticos e empresariais.

– Descobrimos que Brasil e Argentina não eram adversários, a não ser no futebol. Na economia e na política, a gente se completava. A relação entre Brasil e Argentina é a melhor desde que os países existem – discursou.

Lula antecipou sua viagem à Argentina, inicialmente prevista para sexta. O presidente não ficou nem três horas no país e embarcou de volta para o Brasil por volta de 23h30 (Brasília). Na Casa Rosada, ficou cerca de uma hora ao lado de Cristina e dos dois filhos do casal Kirchner, Máximo e Florencia.

– Kirchner vai continuar governando junto a Cristina, junto ao povo – completou Lula.

(O Globo)