Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Presidente do Ibope diz que Dilma será eleita presidente do Brasil

Na revista IstoÉ desta semana, o presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, em entrevista, faz uma mea culpa e diz que Lula deve fazer Dilma Rousseff presidente do Brasil. Confira: 

Há exatamente um ano, o presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, declarou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não faria o sucessor, apesar da alta popularidade. Na ocasião, o responsável por um dos mais tradicionais institutos de pesquisas do País assegurava que o presidente não conseguiria transferir seu prestígio pessoal para um “poste”, como tratava a ex-ministra Dilma Rousseff. Agora, a um mês das eleições e respaldado por números apresentados em pesquisas diárias, Montenegro faz um mea-culpa. “Errei e peço desculpas. Na vida, às vezes, você se engana”, afirmou. “O Brasil já tem uma presidente. É Dilma Rousseff.”

Segundo Montenegro, a ex-ministra da Casa Civil vem se conduzindo de forma convincente e confirma, na prática, o que o presidente disse sobre ela na histórica entrevista concedida à ISTOÉ na primeira semana de agosto: “Lula acertou. Dilma é um animal político. Está mostrando muito mais capacidade do que os adversários.”

O sr. disse que o presidente Lula não conseguiria transferir seu prestígio para a ex-ministra Dilma Rousseff, mas as pesquisas mostram o contrário. O sr. ain­da sustenta que o presidente não fará o sucessor?
Eu nunca vi, em quase 40 anos de Ibope, uma mudança na curva, como aconteceu nesta eleição, reverter de novo. Por mais que ainda faltem 30 e poucos dias para a eleição, o Brasil já tem uma presidente. É Dilma Rousseff. Ela tem 80% de chances de resolver a eleição no primeiro turno. Mas, se não for eleita agora, será no segundo turno.

A que o sr. atribui essa virada?
Houve uma série de fatores. Primeiro a transferência do Lula, que realmente vai sair como o melhor presidente do Brasil. Um pouco acima até do patamar de Getúlio Vargas e de Juscelino Kubitschek. O segundo ponto é o preparo da candidata Dilma. Ela tem mostrado capacidade de gestão, equilíbrio, tranquilidade e firmeza. A terceira razão é seu bom desempenho na televisão, inclusive nos debates e entrevistas. Lula acertou ao dizer, em entrevista à ISTOÉ, que ela era um animal político. Está mostrando muito mais capacidade que os adversários e mostra que tem preparo para ser presidente.

Mas há um ano o sr. declarou que Lula dificilmente faria o sucessor.
Errei. Eu dizia de uma forma clara que, apesar de o Lula estar bem, ele não elegeria um poste. Foi uma declaração extemporânea, descuidada e muito mais fundamentada num pensamento político do que com base em pesquisas. Foi um pensamento meu. Acho que eu tinha o direito de pensar daquela forma, mas não tinha o direito de tornar público. Peço desculpas. Na vida, às vezes, você se engana.

O que mais o surpreendeu desde o momento do lançamento das candidaturas?
A oposição errou e essa é a quarta razão para o sucesso de Dilma. A campanha do Serra está velha e antiga. Não tem novidade. O PSDB repete 2002 e 2006. Está transmitindo para o eleitor uma coisa envelhecida. Vejo um despreparo total. O PSDB está perdido, da mesma forma que o Lula ficou nas eleições de 1994 e 1998 contra o Plano Real. Na ocasião, ele não sabia se criticava ou se apoiava e perdeu duas eleições.

O bom momento da economia, a geração de empregos e o consumo em alta não fazem do governo Lula um cabo eleitoral imbatível?
Essa, para mim, é a razão principal. O Brasil nunca viveu um momento tão bom. E as pessoas estão com medo de perder esse momento. O Plano Real acabou derrotando o Lula duas vezes. Mas o Lula, com o governo dele, sem querer ou por querer, acabou criando um plano que eu chamo de imperial. É o império do bem, em que cerca de 80% a 90% das pessoas pelo menos subiram um degrau. Quem não comia passou a comer uma refeição por dia, quem comia uma refeição passou a fazer duas, quem nunca teve crédito passou a ter crédito, quem andava a pé passou a andar de bicicleta ou moto, quem tinha carro comprou um mais novo e quem nunca viajou de avião passou a viajar. Os industriais também estão felizes, vendendo o que nunca venderam. Os banqueiros idem.

Mas esse fator não pesou logo de início, quando os candidatos lançaram os seus nomes e Serra permaneceu vários meses na frente.
No início, houve transferência do Lula. Mas, de uns três meses para cá, o Lula está associando o êxito dele ao êxito do governo como um todo. E está mostrando que Dilma é a gestora desse governo. O braço direito dele. E as pessoas estão confiantes nisso e não estão querendo perder o que ganharam.

É possível dizer então que o programa de tevê do PT é mais eficiente do que o da oposição?
A tevê ajudou na consolidação. Mas a virada de Dilma Rousseff na corrida para presidente da República se deu antes da tevê. Pelo menos antes do horário eleitoral gratuito.

Isso derruba o mito de que o programa eleitoral é capaz de virar a eleição?
Quando a eleição é disputada por candidatos pouco conhecidos, ele pode ser decisivo, sim. Por exemplo, a televisão está ajudando a eleição de Minas Gerais a se tornar mais dura. O Aécio está entrando agora, o Anastasia é o governador e eles estão mostrando as realizações do governo. Por isso, o Anastasia está crescendo. O Hélio Costa largou na frente porque já era uma pessoa muito mais conhecida do que o Anastasia. Mas, quando você pega uma eleição em que todos os candidatos são bem conhecidos, o uso da tevê é muito mais de manutenção e preenchimento do que para proporcionar uma virada.

E os debates? Eles podem mudar a eleição?
Só se houvesse um desastre. Cada eleitor acha que o seu candidato teve desempenho melhor. Vai ouvir o que está querendo ouvir. Já conhece as propostas anunciadas durante a propaganda eleitoral. Falando especificamente dessa eleição presidencial, repito que a população está de bem com a vida. Quer continuar esse bom momento. O Brasil quer Dilma presidente.

A candidatura de Marina Silva não tem força para levar a eleição até o segundo turno?
Cada vez mais a vitória de Dilma no primeiro turno fica cristalizada. Temos pesquisas diárias que mostram que essa eleição presidencial acabou. Agora, mais uma vez, o Brasil está dando um show de democracia. É bom dizer que os três principais candidatos são excelentes. Todos têm passado político, currículo e história. A história da Marina Silva, por exemplo, é maravilhosa. A luta dela pelo meio ambiente é muito importante. Mas a Marina até outro dia estava com Lula e as pessoas a relacionam com o presidente. Você pega a luta do Serra e ela também é fantástica. E o Serra, até outro dia, também estava no palanque do Lula, na luta contra a ditadura.

O fato de Dilma nunca ter disputado uma eleição não deveria pesar a favor de José Serra?
No Chile, Michele Bachelet tinha 80% de aprovação, mas não conseguiu fazer o sucessor. Por quê? Porque ele tinha passado. Já tinha concorrido. Quando você concorre, você pega experiência por um lado, mas a pessoa deixa de ser virgem, politicamente falando. Sempre há brigas que você tem que comprar e vem a rejeição. No caso da Dilma, o fato de ela nunca ter concorrido, ter sido sempre uma gestora, uma técnica, precisando só exercitar o seu lado político, ajudou muito.

Em que medida o fato de Dilma ser mulher a ajudou nessas eleições?
Acho que não ajudou muito. Mas é algo diferente. O Brasil já tem implementado coisas novas na política, como foi a eleição de um sindicalista. É um fato interessante, mas a competência do Lula e da Dilma ajudaram muito mais.

O atabalhoado processo de escolha do vice na chapa do PSDB prejudicou a candidatura de José Serra?
Não. Nunca vi vice ganhar eleição. Nem perder.

O sr. acredita que Lula possa puxar votos para candidatos do PT nos Estados, como em São Paulo, por exemplo?
Acho muito difícil. O Lula tinha toda essa popularidade em 2008, apoiou a Marta e ela perdeu do Gilberto Kassab, que estava fazendo uma boa administração.

Dilma eleita, qual a saída para a oposição?
Está provado que o modelo da oposição não deu certo. Talvez ganhe em alguns Estados importantes, como São Paulo, Minas, Paraná e Goiás. Sempre terá um papel importante. Mas essa eleição mostra que está na hora de uma reforma política. É preciso diminuir o número de partidos. Os programas partidários também precisam ser mais respeitados. Os partidos são os pilares da democracia.

Quebra de sigilo – CCJ quer ouvir servidores da Receita, Previ e Planalto

“Diante da repercussão do vazamento de dados fiscais de tucanos, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado marcou para esta terça-feira depoimento com o corregedor-geral da Receita Federal, Antonio Carlos Costa D`Ávila Carvalho. A audiência pública é para esclarecer o suposto esquema de pagamento de propina em troca de acesso a informações sigilosas. O funcionário ainda não confirmou presença.

Durante coletiva nesta sexta-feira, o corregedor informou que as servidoras Adeildda Ferreira Leão dos Santos e Antonia Aparecida Rodrigues dos Santos Neves Silva serão indiciadas. As representações foram entregues ao Ministério Público Federal (MPF). Apesar do indiciamento, o servidor negou ligação entre a quebra do sigilo e o processo eleitoral: “Não identificamos qualquer ilação político-partidária”. O vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, uma das vítimas da quebra de sigilo, acusou a Receita de, com essa afirmação, tentar desviar o caráter político do vazamento de seus dados.

Em nota, o MPF afirmou que investiga a violação dos dados do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, e pode oferecer ação penal contra os responsáveis, caso seja comprovada prática de delito. A procuradoria disse ainda que não pode fornecer detalhes da apuração porque o caso corre sob sigilo.”

(Revista Veja)

VAMOS NÓS – Vai haver quórum para isso?

PT pede indenização de R$ 100 mil a José Serra

177 6

“Como havia anuniado na última quinta-feira, o PT entrou com uma ação na Justiça Civil por danos morais contra o candidato à Presidência José Serra (PSDB) por ter acusado a candidata Dilma Rousseff (PT) de estar envolvida na quebra de sigilo fiscal de tucanos.

O valor da indenização solicitada é de 100.000 reais. A defesa argumenta que o presidenciável ofendeu a honra do PT e de Dilma “ao acusá-los de quebra de sigilo fiscal de Eduardo Jorge, atos de espionagem e prática de táticas sujas em campanha eleitoral”.

(Revista Veja)

Faustão, alguém está "frescando" com você

371 1

Tudo bem que o Faustão (Rede Globo) apareça na telinha da TV Verdes Mares fazendo chamada para atração cearense, no caso a banda “Garota Safada”. Mas quem teve a infeliz ideia de mandar ele gravar chamada para seu programa com expressões do nosso linguajar como “frescando”?

Nada de falso moralismo, mas essa palavra não combina com o objetivo da divulgação. É pejorativa e o grupo, que tem seus defeitos ou coisa parecida, merecia tratamento melhor. Até o “botando boneco” usado pelo Faustão em outra chamada, passou bem, mas o frescando… Soou mal e o apresentador, com certeza, não adotaria tal palavrinha nojenta.

Senadores caciques na mira da degola

A revista IstoÉ desta semana traz matéria intitulado “O fim de uma era?”, onde aborda a possibilidade de vários senadores, caciques políticos em seus Estados, acabarem na degola pelo voto. Confira:

Senadores experientes que ganharam os holofotes nos últimos oito anos estão ameaçados de sair de cena no início de 2011. Apesar de terem ocupado as páginas dos jornais e frequentado de maneira assídua a tribuna do Senado por quase uma década, eles, agora, têm a eleição ameaçada. Alguns mantiveram o discurso ultrapassado e utilizam a campanha não para apresentar novas ideias, mas para denegrir a imagem dos oponentes. Outros, além de envolvidos com esquemas de corrupção, fazem campanha semelhante à de coronéis que dividiam os Estados em currais eleitorais. De acordo com especialistas, o eleitor, cada vez mais bem-informado, vem mostrando que quer sangue novo e exige competência. “Há dois terços do Senado em disputa e haverá uma grande renovação”, diz o diretor do Diap, Antônio Augusto Queiroz. “Dos 30 que tentam a reeleição, quase a metade não deve se reeleger.”

A degola ameaça principalmente os senadores de oposição do Nordeste, que apostaram num discurso surrado e de crítica sistemática ao governo Lula no Congresso. O senador Heráclito Fortes (DEM-PI), que utilizou a CPI dos Bingos para minar o governo, corre sério risco de ficar sem mandato. Ele está em terceiro lugar nas pesquisas, com 24% dos votos, atrás do ex-governador Wellington Dias (PT-PI), que tem 55%, e de Mão Santa (PSC-PI), com 30%. “Estou recebendo um bombardeio direto do Palácio”, reclama Heráclito. “Eles não têm o direito de usar a máquina do governo, de distribuir verbas e convênios para favorecer seus aliados. As candidaturas mais caras são as do governo”, justificou. Outro que usou a CPI para atingir o governo foi o senador Efraim Morais (DEM-PB). Com uma diferença: Efraim é acusado de envolvimento em esquemas de corrupção.

As denúncias vão desde a distribuição de cargos a servidores fantasmas no Senado até a cobrança de propinas em contratos de serviços públicos. Na Paraíba, o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) lidera as pesquisas ao Senado, com 52% dos votos. Em segundo lugar está o prefeito de Campina Grande, Vital do Rego Filho (PMDB), com 25%. Efraim tem 22%.
Outra figura carimbada da política brasileira que corre o risco de ficar sem mandato é o senador Arthur Virgílio (PSDB). Dono de um discurso ácido e de críticas pesadas, ele aproveita sua campanha para desferir duros golpes nos concorrentes. Mas essa estratégia não tem garantido votos para Virgílio. O ex-governador do Amazonas Eduardo Braga (PMDB) tem 82% e a deputada Vanessa Grazziotin (PCdoB) está em segundo lugar, com 39,3%. Virgílio aparece com 39%. No Rio Grande do Norte, o senador José Agripino Maia (DEM), que chegou a bater boca com a ministra Dilma Rousseff em audiência no Senado, está em segundo lugar nas pesquisas, com 39%, mas vê o avanço de sua oponente, a ex-governadora Wilma Maia (PSB), que já tem 32%. Em primeiro lugar está o ex-presidente do Senado Garibaldi Alves Filho (PMDB), com 41%.

A ameaça de esses caciques perderem seus cocares deixa claro dois fenômenos que estão ocorrendo nas eleições de 2010. O primeiro é a impressionante popularidade do presidente Lula, que conseguirá fazer como sucessora uma candidata completamente virgem em disputas eleitorais. Se Lula não consegue eleger todos os candidatos que apoia, como o ex-senador Aloizio Mercadante, em São Paulo, ele, ao menos, tem minado a campanha de seus adversários políticos. O outro é o desejo de renovação do Congresso. Após anos de escândalo sobre escândalo no Senado, boa parte da população não quer eleger ninguém que tenha passado os últimos anos por lá.

Serra evita ataques ao PT e ao Governo Federal em programa gratuito

“O candidato à presidência da República pelo PSDB, José Serra, dispensou em seu programa eleitoral gratuito veiculado na televisão na tarde deste sábado (28) os ataques ao Governo Federal e ao PT. Nos últimos programas do candidato tucano, os ataques a políticos petistas vinham sendo mostrados em um trecho final da propaganda, depois de um intervalo com uma tela escura para separá-lo do corpo do programa. Em um deles, apareciam imagens de reportagens com denúncias relacionadas ao mensalão, contra José Dirceu e Antônio Palocci. Em outro, um apresentador contava o episódio envolvendo a quebra de sigilo de tucanos na Receita Federal para a elaboração de um suposto dossiê.

Neste sábado, Serra utilizou a mesma peça já veiculada na última quinta-feira (28), porém com a supressão do trecho final. Sob o slogan “continuidade é responsabilidade”, o tucano prometeu “continuar o que está dando certo, corrigir o que está dando errado e acelerar o que está andando devagar”. Além disso, valorizou seus projetos na área da saúde – genéricos, os mutirões e os hospitais para transplantes.

Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV) também repetiram seus programas. Dilma se utilizou menos da imagem de Lula, enfatizou a influência positiva que programas como o PAC e o Bolsa Família exerce na vida dos trabalhadores de baixa renda e mostrou depoimentos de pessoas beneficiadas por ações do governo federal. Já Marina, passou a maior parte do tempo falando de sua carreira como professora e novamente tratou do tema da educação. Entre as propostas apresentadas, estavam a educação em tempo integral nas escolas, implantação de mais bibliotecas e boa alimentação para os alunos.”

(Com Agêcnias)

Marco Maciel responde indiretas de Lula

Lula passou por Recife nessa sexta-feira, onde fez comício, no Marco Zero, ao lado de Dilma Rousseff, e não poupou algumas lideranças políticas do Estado. Uma delas foi o senador Marco Maciel (DEM), que postula reeleição. Lula afirmou no palanque que havia um político dali, senador, que conhecia desde menino e que nunca soube de alguma coisa que ele tenha feito por Pernambuco, sua terra. Marco Maciel distribuiu nota para a imprensa enste sábado. Confira:

NOTA

“Só reconheço como juiz da minha vida pública o povo, este que já me elegeu várias vezes para a Câmara Federal e o Senado, e duas vezes para vice-presidência. Minha consciência vale mais que milhares de testemunhos. O povo vota com consciência. Ele é o único juiz, e o povo do meu Estado é politizado, vai me eleger mais uma vez em três de outubro próximo.”

Plínio de Arruda Sampaio quer integração da escola pública com a escola privada

“O candidato à presidência da República pelo PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, afirmou, neste sábado (28), que, se eleito, acabará com o modelo de escolas particulares como conhecemos hoje e irá propor uma integração entre essas escolas e as públicas.

“As escolas que são indústrias de vender diploma, essas vão ser fechadas, porque elas são uma enganação (…) As escolas particulares sérias devem fazer um trato com as escolas públicas: ‘eu não cobro mensalidade, vocês pagam meus professores e meus gastos’. E assim ela se integra na pública”, explicou o socialista.

Cumprimentando os transeuntes e acenando para todos os lados, Plínio de Arruda fez uma caminhada no calçadão Dom Pedro II, no Centro de Guarulhos, na Grande São Paulo. Ao lado de militantes e candidatos de sua legenda, Plínio tomou o microfone do pequeno carro de som e, enquanto caminhava entre o comércio, discursou em defesa da redução da jornada de trabalho: “vocês que estão dentro dessa loja de calçados, vocês são explorados. Trabalham mais horas do que deviam, não precisavam trabalhar tanto. Vocês, na Ponto Frio, a mesma coisa”, afirmou, despertando o espanto dos funcionários das lojas enquanto passava.

“(Com a redução da jornada de trabalho) você trabalharia a metade do que trabalha. O resto do tempo você dedicaria a ler, a passear. O homem não nasceu para ser escravo do capital”, disse. O candidato do Psol falou também sobre a situação dos aposentados, destacando que o fator previdenciário deve ser revogado. “A previdência é uma vergonha. Essa de que a previdência é deficitária é uma mentira. A previdência não é só a pensão que se paga ao aposentado, é uma série de atividades e a soma delas faz com que a previdência seja superavitária”, explicou Plínio, acrescentando que, apesar de a conta do aposentados ser deficitária, a previdência “dá lucro para o Brasil”.

Ao longo da caminhada, o candidato à presidência tirou fotos com eleitores e pediu votos até para uma militante do PT que distribuía panfletos. Plínio ainda ofereceu uma moeda a um deficiente físico que pedia dinheiro na rua, mas o pedinte prontamente recusou: “o que eu queria era uma licença para trabalhar em uma banca (como camelô). Para mim é mais importante que o dinheiro”, afirmou Agenor Mendes Rodrigues, que, ao se envolver em uma briga entre camelôs, levou um tiro no braço e ficou com a deficiência.”

(Portal Terra)

Fausto Nilo volta a compor com Fagner

O compositor Fausto Nilo avisa para o Blog: renovou parceria com o cantor Raimundo Fagner. Os dois estão, inclusive, fazendo novas composições que, brevemente, poderão ser conferidas.

Enquanto isso, Fausto diz que, até o fim deste ano, sairá o CD “Disco de Carnaval”, pela Biscoito Fino, pronto há algum tempo. Reúne sucessos do gênero, mas outras composições variadas.

Bom destacar que a MPB, com certeza, vai agradecer muito pela volta dessa parceria.

(Foto – Paulo Moska)

Sindicalista pode estar na mira da Receita Federal

“Depois do indiciamento de duas servidoras por violar os sigilos dos dados fiscais de quatro tucanos, um sindicalista pode entrar na mira da Receita Federal. É o funcionário Hamilton Mathias, que trabalha na mesma sala onde foi violado o sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, e de três pessoas ligadas ao PSDB. Mathias é delegado do Sindireceita (Sindicato dos servidores da Receita) no grande ABC, região de origem do PT. É conhecido na região pela intensa atividade sindical.

Segundo o processo interno aberto pela Receita para investigar o episódio, apenas uma mesa vazia separa Hamilton Mathias do computador de Adeildda Ferreira dos Santos, usado para violar os dados fiscais de Eduardo Jorge e de Luiz Carlos Mendonça de Barros, Gregório Marin Preciado e Ricardo Sérgio, todos ligados ao alto comando do PSDB.

Em conversa gravada por telefone com o Estado, às 20h30 de sexta-feira, 27, Hamilton disse ser inocente e estar tranquilo. Afirmou que não pode comentar o episódio porque o processo corre sob sigilo e os servidores da agência da Receita em Mauá, onde o dado fiscal foi quebrado, foram orientados a não comentar o assunto.Ele já foi ouvido uma vez em depoimento prestado à Corregedoria da Receita no dia 2 de agosto. Naquele dia, negou qualquer envolvimento na consulta ilegal aos dados dos tucanos. Desde 2003, o Sindireceita agraciou políticos do PT com a medalha ““Mérito Público Evandro Lins e Silva”. Entre os agraciados estão os deputados Antonio Palocci e João Paulo Cunha.

Questionado pela Corregedoria da Receita se tem ligações políticas, o sindicalista Hamilton Mathias afirmou que “não é filiado, mas por residir em cidade pequena, Ribeirão Pires/SP, conhece o prefeito que é filiado ao PV, o vice-prefeito, e outras pessoas filiadas a partidos políticos diversos”. Ele negou conhecer Eduardo Jorge e disse que nunca recebeu qualquer ordem para acessar os seus dados.

Ele, no entanto, admitiu que sabia que Adeildda tinha a senha da servidora Antonia Aparecida Rodrigues dos Santos Neves Silva. “A própria Antonia contou-lhe”, segundo o depoimento. O código dela foi usado, a partir do computador de Adeildda, para consultar e imprimir as declarações de renda dos tucanos no dia 8 de outubro do ano passado.

Em nota divulgada na sexta-feira à noite, Antonia voltou a negar envolvimento com episódio e desmentiu as acusações feitas pela Corregedoria da Receita de que há indícios de um esquema de venda de dados fiscais na agência de Mauá. Em depoimento à corregedoria, ela afirmou que emprestou a senha a Adeildda e à funcionária Ana Maria Cano, mas as duas também dizem que não têm responsabilidade no episódio.

Além de Hamilton Mathias, a Corregedoria já ouviu as outras duas pessoas que, teoricamente, trabalham na mesma sala onde os sigilos foram violados: Júlio Cezar Bertoldo e Gisleine Morgado. Ambos também negam participação na quebra dos sigilos fiscais dos tucanos.”

(Agência Estado)

Ibope/Estadão – Dilma abre 24 pontos de vantagem sobre José Serra

88 4

“Após dez dias de exposição dos candidatos à Presidência no horário eleitoral, a petista Dilma Rousseff abriu 24 pontos de vantagem sobre o tucano José Serra. Se a eleição fosse hoje, ela venceria no primeiro turno, com 59% dos votos válidos. Segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, Dilma chegou a 51% das intenções de voto, um crescimento de oito pontos porcentuais em relação ao levantamento anterior do mesmo instituto, feito às vésperas do início da propaganda eleitoral. Desde então, Serra passou de 32% para 27%. Marina Silva, do PV, oscilou de 8% para 7%. Somados, os adversários da petista têm 35 pontos, 16 a menos do que ela.

A performance de Dilma já se equipara à de Luiz Inácio Lula da Silva na campanha de 2006. Na época, no primeiro turno, o então candidato petista teve 59% dos votos válidos como teto nas pesquisas. Geografia do voto. Dilma ultrapassou Serra em São Paulo (42% a 35%) e tem o dobro de votos do adversário (51% a 25%) em Minas Gerais – respectivamente primeiro e segundo maiores colégios eleitorais do País. No Rio de Janeiro, terceiro Estado com a maior concentração de eleitores, a candidata do PT abriu nada menos do que 41 pontos de vantagem em relação ao tucano (57% a 16%).

Na divisão do eleitorado por regiões, Dilma registra a liderança mais folgada no Nordeste, onde tem mais que o triplo de votos do rival (66% a 20%%). No Sudeste, ela vence por 44% a 30%, e no Norte/Centro-Oeste, por 56% a 24%.

A Região Sul é a única em que há empate técnico: Dilma tem 40% e Serra, 35%. A margem de erro específica para a amostra de eleitores dessa região chega a cinco pontos porcentuais. Mas também entre os sulistas se verifica a tendência de crescimento da petista: ela subiu cinco pontos porcentuais na região, e o tucano caiu nove.

RICOS E POBRES

A segmentação do eleitorado por renda mostra que a candidata do PT tem melhor desempenho entre os mais pobres. Dos que têm renda familiar de até um salário mínimo, 58% manifestam a intenção de votar nela, e 22% em Serra. Na faixa de renda logo acima – de um a dois salários mínimos -, o placar é de 53% a 26%. Há um empate entre a petista (39%) e o tucano (38%) no eleitorado com renda superior a cinco salários.

Também há empate técnico entre ambos no segmento da população que cursou o ensino superior. Nas demais faixas de escolaridade, Dilma vence com 25 a 28 pontos de vantagem.

A taxa de rejeição à candidata petista oscilou dois pontos para baixo, mas se mantem praticamente a mesma desde junho, próxima dos 17%. No caso do candidato tucano, 27% afirmam que não votariam nele em nenhuma hipótese. A disparada da candidata apoiada pelo presidente Lula disseminou a expectativa de que ela vença a eleição. Para dois terços da população, a ex-ministra tomará posse em janeiro como sucessora do atual presidente. Apenas 19% dos eleitores acham que Serra será o vitorioso.

MULHERES

Com boa parte de sua propaganda direcionada à conquista do eleitorado feminino – dando destaque à possibilidade de uma mulher assumir pela primeira vez a Presidência -, Dilma cresceu mais entre as mulheres (nove pontos) que entre os homens (cinco pontos).

Na simulação de segundo turno, a vantagem de Dilma entre as mulheres é agora praticamente a mesma que entre os homens, um fato inédito na campanha. O próprio Lula sempre teve mais votos entre os homens.

A pesquisa mostra que 57% dos eleitores já assistiram a pelo menos um programa do horário eleitoral. Segundo o Ibope, 50% dos brasileiros preferem votar em um candidato apoiado pelo presidente, e 9% tendem a optar por um representante da oposição. Do total do eleitorado, 88% sabem que Dilma é a candidata de Lula.

78% APROVAM LULA

O governo do presidente é considerado ótimo ou bom por 78% dos brasileiros. Outros 4% consideram a gestão Lula ruim ou péssima.

?(Agência Estado)

Lula e Dilma devem vir ao Ceará no dia 10

70 1

O presidente Lula e a candidata a presidente, Dilma Rousseff (PT), devem ir ao Ceará no próximo dia 10. Os detalhes da agenda – um misto de compromisso oficial e de campanha, o governador Cid Gomes, postulante à reeleição, está acertando com o Planalto e a cúpula do PT.  Na programação, um comício que deverá contar com a participação de Ciro Gomes.

(Com Portal Ig)

DETALHE – O que chama a atenção é que a prefeita Luizianne Lins, coordenadora-geral da campanha dilmista no Estado, não aparece para divulgar agenda. Nem aparece na campanha pró-Cid Gomes.

(Portal Ig)

Zé Dirceu fez cateterismo

“Depois de ser submetido a um cateterismo, José Dirceu disse ao Poder Online, durante o 19º Congresso Sindical Comerciário, que acontece na Praia Grande, litoral paulista, que está bem:

– Não tenho nada, não. Fui fazer um cateterismo. Fiquei lá, evidentemente, com a perna estendida algumas horas, mas o médico viu que não tinha nada e me mandou para casa. Todo mundo sabe que eu tenho mais de 60 anos, mas, modéstia à parte, estou inteirão e charmoso!”

(Portal iG)

Dilma diz que não vai aceitar provocações dos adversários

“Ao participar de um comício em Recife, junto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse que não vai ceder às provocações feitas pelas campanhas adversárias.

“Apesar de todas as falsidades, calúnias e mentiras, vamos seguir em frente com uma proposta muito clara de desenvolvimento do Brasil”, discursou Dilma Rousseff, durante comício no Marco Zero, no Recife Antigo.

Depois do discurso de Dilma, Lula criticou os adversários, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso: “As pessoas mais pobres tinham medo de mim. As pessoas pensavam assim: por que votar em um peão igual a mim? Se eu não sei governar, por que ele vai saber? Aí eu pensei: por que um cientista político, que nunca fundou um sindicato, que nunca fundou um partido, podia governar e eu, que fundei sindicato e que fundei o maior partido de esquerda da América Latina, não podia governar?”

(Agência Brasil)

Lula: "Ainda tenho mais quatro meses de mandato. Tem caneta para fazer muito estrago"

65 1

“Não vou sair triste no dia 1º de janeiro. Saio de cabeça erguida porque sei que no meu lugar, ficará uma pessoa preparada para fazer mais do que eu fiz pelo Brasil”, afirmou, nesta noite de sexta-feriza, durante comício no Marco Zero, no Recife (PE), o presidente Lula. Com ele, estavam a candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff, o governador Eduardo Campos (PSB) e várias lideranças lulistas do Estado.

Lula fez um discurso contra o preconceito à mulher. Aproveitou para exaltar sua candidata e dizer que o Brasil terá, pela primeira vez, uma mulher presidente da República. Ele também fez questão de lembrar a sua trajetória política e indiretamente criticou a era dos tucanos que tinha em FHC seu maior representante. “Um torneiro mecânico sem diploma universitário foi o presidente que mais fez universidades e escolas técnicas na história desse País”.

Ele disse que quando assumiu a presidência da República foi alvo de muitos preconceitos: “Acho que sofri todos os preconceitos. Ser nordestino, não ter diploma, falar errado. Mas descobri com Paulo Freire que as pessoas entendiam o que eu falava.”

O presidente aproveitou para destacar ali o trabalho do governador Eduardeo Campos e defendeu sua reeleição: “Se eu pudesse, transferia o voto para vir votar em Eduardo Campos. Mas a dona Marisa vota em São Bernardo e eu tenho que acompanhar ela.”  Também não poupou críticas aos adversários pernambucanos como o senador Marco Maciel (DEM), que tenta novo mandato: “Desde que eu era pequeno, ele já era político. O que ele trouxe para Pernambuco?”, questionou.

Sobrou também para o candidato a governador Jarbas Bezerra (PMDB): “Tenho acompanhado as pesquisas. Do jeito que a coisa tá, o adversário de Eduardo vai ficar devendo pontos no final da eleição.”  Complementou: “É importante votar nos nossos candidatos, para que depois nenhum picareta venha querer estragar a revolução que Eduardo Campos está fazendo em Pernambuco”. 

Ao final, Lula fez uma brincadeira nada recomendável: “Ainda tenho mais quatro meses de mandato. Tem caneta para fazer muito estrago”. 

 (Com Blog da Folha/Foto – Roberto Stuckert Filho)

Corregedor da Receita identifica esquema de compra e venda de informações

“O corregedor-geral da Receita Federal, Antonio Carlos Costa D`ávila, informou há pouco que a Receita identificou o esquema de compra e venda de informações fiscais envolvendo a violação de sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, e outras pessoas ligadas ao comando do partido. Segundo ele, o esquema envolvia pagamento de propina e encomenda externa. “Há indícios de que há um esquema. Foi identificado um esquema de compra e venda”, afirmou há pouco o corregedor, em entrevista coletiva no Ministério da Fazenda.

Na próxima segunda-feira, 30, a corregedoria encaminhará duas representações para o Ministério Público contra os servidores envolvidos no esquema de quebra do sigilo fiscal. Segundo ele, as informações levantadas até agora já dão indícios suficientes sobre o envolvimento dos servidores.”

(Agência Estado)

Ibope lança portal das eleições

“O Ibope Inteligência colocou no ar nesta sexta-feira (27) o seu novo portal de eleições, no endereço www.eleicoes.ibope.com.br. A iniciativa tem o objetivo de facilitar o acesso do eleitor às pesquisas de intenção de voto das eleições em curso, entre outras informações sobe a empresa e as eleições. Com um sistema de navegação mais amigável ao internauta, a nova plataforma apresenta os resultados em gráficos evolutivos, apontando o sobe e desce dos candidatos para presidente, governador e senador.

Entre outros dados, o portal reúne informações de utilidade pública, como o Guia de Leitura de Pesquisa Eleitoral, que esclarece tudo sobre a metodologia das pesquisas. Mantendo o procedimento adotado até agora, o IBOPE Inteligência esclarece que cada nova pesquisa será publicada no novo site sempre na tarde do dia seguinte à divulgação realizada pelos contratantes.”

(Assesoria de Imprensa do Ibope)