Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Olha o caos! Fortaleza tem a maior frota de veículos do Nordeste e a oitava do País

569 3

“A frota de veículos de Fortaleza só cresce. Tanto que já é a oitava maior do Brasil. A capital cearense tem 687.732 veículos registrados, conforme dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). É a maior quantidade de veículos da região Nordeste. O Departamento Estadual de Trânsito (Detran/CE) contabiliza 730.957 habilitados em Fortaleza até julho deste ano.

No País, têm mais veículos que Fortaleza as seguintes capitais: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Brasília (DF), Goiânia (GO) e Porto Alegre (RS), nessa ordem. A capital paulista lidera a lista com mais veículos – mais de 6 milhões e 300 mil carros.

Na edição de ontem, O POVO mostrou que a quantidade de agentes para fiscalizar o trânsito em Fortaleza é pequena. Há um agente para cada 2.162 veículos na Capital. É a terceira pior média no Nordeste.

Para o arquiteto e urbanista Antonio Paulo Cavalcante, o problema não é só de fiscalização. Mas envolve a ordenação da ocupação do solo, cita ele, que é professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Antonio Paulo cita que um dos problemas no tráfego é o número de estabelecimentos comerciais e estacionamentos que existem nas principais vias de fluxo. E ele lista como exemplos a Antônio Sales, a 13 de Maio, a Pontes Vieira, a Bezerra de Menezes, a Padre Valdevino.

Justamente nesses locais deveria haver apenas os estabelecimentos comerciais. Os estacionamentos deveriam estar nas vias transversais. Ou vice-versa: “Assim, libera o fluxo de passagem. Ou diminui a frota ou diminui o espaço de circular ou ordena esse espaço. Não é aumentando a fiscalização que vai resolver o problema”.

Uma ação que poderia mudar a ocupação da Cidade, informa o doutor em Urbanismo, seria aumentar o valor do IPTU de determinada região para algumas atividades que gerem congestionamento. Assim, elas migrariam para outras áreas. Ele informa que, em Fortaleza, o motorista faz cerca de 12 conversões para chegar ao seu destino. A média é sete.”

(O POVO)

Cid terá audiência com Lula para tratar de projetos e da vinda de Dilma ao Ceará

“O governador Cid Gomes (PSB) se reúne hoje de manhã, no Palácio do Planalto, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na pauta oficial, uma avaliação das obras da ferrovia Transnordestina. Também estarão presentes os governadores de Pernambuco, Eduardo Campos, e do Piauí, Wilson Martins. Todos os três são filiados ao PSB.

Mas o segundo turno da eleição presidencial também deverá entrar na agenda. Conforme o governador cearense disse na manhã do último sábado, ele irá tratar com o presidente, também hoje, acerca de uma visita da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff. O próprio Lula também pode visitar o Estado, na reta final da campanha.

“Ela (Dilma) me disse que quer vir. E o Lula também quer vir. Estou indo terça-feira lá (para Brasília) conversar com o presidente Lula. Vamos ver se a gente fecha a agenda”, afirmou o governador, no último sábado, conforme publicou O POVO no domingo.

No primeiro turno da eleição, Dilma visitou o Ceará apenas uma vez, em visita-relâmpago para gravar trechos do horário eleitoral. Na ocasião, não fez nenhum ato público de campanha.”

(O POVO)

Réveillon da Prefeitura – Mart'nália é mais uma atração

105 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Xb8J9kfG2lk[/youtube]

Eis aí a cantora Mart’nália, filha do grande Martinho da Vila. Ela é mais uma atração que a Prefeitura de Fortaleza acertou para o “Réveillon da Paz”, no aterro da Praia de Iracema. Vai se juntar a atrações como Caetano Veloso, Bateria da Vila Isabel, Amelinha, Banda Sanfônica e Biquini Cavadão.

Marina grava para o Programa do Jô, que torce por ela em 2014

133 1

“A senadora Marina Silva (PV-AC) é a entrevistada do Programa do Jô, da Rede Globo, que vai ao ar na noite desta segunda-feira(18) após o Jornal da Globo. Ela falou basicamente das histórias narradas em “Marina – A vida por uma causa”, livro de reportagem biográfica escrito pela jornalista Marília de Camargo César. A entrevista, gravada no final da tarde desta segunda, aconteceu no mesmo dia em que completa 16 anos que Marina foi entrevistada pela primeira vez pelo apresentador, quando Jô ainda era do SBT.
Foi a quinta vez que Jô Soares entrevistou Marina Silva. Ela disse que havia gente tentando “folclorizar” o mandato dela quando foi eleita no Acre pela primeira vez, aos 36 anos, se tornando a na senadora mais jovem da história do País. A senadora não citou o nome, mas o fato envolveu o jornalista Boris Casoy, que criticou na TV o fato de o povo acreano ter eleito uma ex-seringueira para o Senado. Marina disse que depois da primeira entrevista a Jô Soares o Brasil “passou a me ver com muito respeito”.
Embora o site do Programa do Jô tenha anunciado que a ex-candidata à presidência da República pelo PV iria falar sobre sua expressiva votação no primeiro turno e suas expectativas para o segundo, não se falou em política. O apresentador argumentou que se fizesse isso ficaria desigual para os dois candidatos que disputam o segundo turno. “Espero que a próxima será quando você for eleita presidente da República”, afirmou Jô Soares no final do programa, ao corrigir que era a quinta e não a quarta vez que entrevistava Marina Silva.”
(Portal Terra)

Gabeira e Feldmann, do PV, apoiam Serra

115 3

“Um dia após a senadora Marina Silva e o PV declararem “independência” no segundo turno da eleição presidencial, membros do partido declararam apoio nesta segunda-feira (18) à candidatura de José Serra (PSDB). O apoio foi declarado em ato na cidade de São Paulo e encabeçado por Fabio Feldmann e Fernando Gabeira, ex-candidatos do PV aos governos de São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente. Em discurso, Serra classificou a aliança como “programática” e enumerou ações na área ambiental de suas gestões na Prefeitura de São Paulo e no governo paulista. “O meio ambiente é importante e compatível com o crescimento. Mas mesmo se não fosse, eu seria ambientalista”, disse.

Alem de Feldmann, Serra e Gabeira, o ato, realizado na casa que abrigou o comitê de Feldmann, reuniu Fernando Henrique Cardoso, Gilberto Kassab, Aloysio Nunes Ferreira, Geraldo Alckmin e outros políticos tucanos e verdes. Em intervenção no ato, Fernando Henrique Cardoso defendeu a visão ambiental de seu partido e afirmou que “a visão do desenvolvimento a qualquer preço quem encarna é a Dilma”. O ex-presidente defendeu ainda a manutenção do Código Florestal, proposta defendida pelo PV. “Não podemos concordar que se mude o Código Florestal”.

Em discurso, Serra não citou o Código Florestal e preferiu enumerar ações ambientais na sua gestão e na de Kassab na Prefeitura de São Paulo, como a ampliação de parques, a criação de ciclovias e bicicletários. Ele agradeceu Gabeira pelo apoio, que disse ter “significado pessoal e psicológico”, e classificou ainda o apoio desses membros do PV como “natural”. “Para mim, é uma convicção de economista que a maneira mais inteligente para se desenvolver uma economia é a maneira sustentável”, disse o candidato.”

(Portal G1)

Índio da Costa confirma: Vencendo, Serra criará o Ministério da Segurança Pública

162 3

O candidato a vice-presidente da República na chapa do tucano José Serra, deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ), confirmou, nesta segunda-feira, em Fortaleza: vencendo o pleito, Serra criará o Ministério da Segurança Pública. Segundo Índio da Costa, o órgão buscará um trabalho conjunto e articulado com todas as secretarias de segurança pública e com as Forças Armadas.

Ele explicou que essa pasta virá com a prioridade de combater o narcotráfico no Páis. O postulante lamentou o avanço das drogas no Brasil e, em especial, o crack entre os adolescentes.

Indio da Costa veio manter contato com jovens empresários e, nesta segunda-feira, almoço no restaurante Boi Preto comjovens empresários, num encontro articulao pelo então postulante a vice do tucano Marcos Cals, o empresário Pedro Fiúza.

Concurso – 95 vagas para CNPq e 44 para Biblioteca Nacional

O Ministério do Planejamento publicou hoje (18), no Diário Oficial da União, autorização para a abertura de dois concursos públicos, com um total de 139 vagas. Serão abertas 95 vagas no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência de fomento vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, e 44 na Fundação Biblioteca Nacional (FBN), instituição ligada ao Ministério da Cultura que coordena o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas e a política de incentivo à leitura.

O edital será publicado no prazo de seis meses a contar da data da publicação no jornal oficial. O Ministério da Ciência e Tecnologia e a FBN escolherão a instituição que irá aplicar as provas e definir as datas.

No concurso público para o CNPq, serão oferecidas 46 vagas de nível superior, para analista em ciência e tecnologia, e 49 vagas de nível intermediário, para assistente em ciência e tecnologia. O provimento dos cargos tem o objetivo de substituir funcionários terceirizados, situação em desacordo com a legislação, e deverá ocorrer a partir de janeiro de 2011, tendo a extinção de 188 postos de trabalho.

O concurso da FNB vai selecionar servidores para o provimento de cargos do Plano Especial de Cargos da Cultura, a serem preenchidos a partir de maio do próximo ano. Os aprovados no concurso também substituirão terceirizados em situação irregular, com a obrigação de que sejam extintos 44 postos de trabalho.”

(Agência Brasil)

TSE manda retirar de circulação o Jornal da CUT

115 1

“O ministro Joelson Dias, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou, na madrugada desta segunda-feira (18), a retirada de circulação do Jornal da CUT e da Revista do Brasil. O conteúdo “censurando” é referente à edição do mês de setembro do jornal da central sindical. E o da revista, à edição de outubro, que traz na capa a foto da candidata à presidência, Dilma (PT).

A decisão do ministro tem como base liminar de autoria dos advogados da campanha de José Serra (PSDB) – adversário de Dilma – que acusa a CUT e a Revista do Brasil de produzirem “farto material” impresso para promoção da candidata. Além do material impresso, o conteúdo postado na internet também deverá ser retirado. Na decisão, Joelson Dias ressalta que “os sindicatos não podem contribuir direta ou indiretamente para a campanha de um candidato ou de um partido”.

Na liminar, os advogados da campanha de Serra também pedem que seja retirado do ar o blog do presidente da CUT, Artur Henrique, o que não foi atendido pelo ministro. 

O jornal, produzido pela CUT, foi criado em 2008 e tem uma tiragem de 20 mil exemplares. Ele é distribuído mensalmente.

Já a revista é produzida pela Editora Gráfica Atitude Ltda. No site da empresa diz que a revista é distribuída mensalmente para 360 mil trabalhadores, por meio de dezenas de entidades sindicais ligadas a profissionais dos mais diversos setores da economia – como indústria, energia, bancos, saúde, educação.

Segundo a editora, para atender ao público que não recebe o material por meio dos sindicatos, desde o junho de 2008 a publicação é distribuída também em bancas de todas as capitais e nas principais cidades do estado de São Paulo. 

(Blog do Noblat)

Até a capitalização, Petrobras investiu R$ 47 bilhões em obras e aquisição de materiais

“Dados do Ministério do Planejamento mostram que o Grupo Petrobras investiu, entre janeiro e agosto deste ano, mais de R$ 47 bilhões em obras e aquisição de materiais. O montante representa 91% do total aplicado pelas estatais brasileiras no período (R$ 51,8 bilhões) e é 20% superior ao verificado no mesmo período do ano passado, em valores atualizados. Além disso, é a maior quantia já investida pela empresa no período janeiro-agosto desde 1995, primeiro ano completo do Plano Real, em valores atualizados (veja a tabela). Esses são os últimos resultados dos investimentos da empresa antes da mega capitalização, que aconteceu em setembro.

Para o sociólogo Antônio Ramalho, professor de relações internacionais da Universidade de Brasília, a capitalização da estatal servirá para elevar  ainda mais os recursos a serem investidos. Ele não vê possibilidade de privatização da empresa e acredita que, no longo prazo, os investimentos da Petrobras podem refletir na vida dos acionistas da empresa. “Isso acontecerá quando [os investimentos] vierem a produzir resultados e as ações se valorizarem”, afirma.

Dos R$ 94,9 bilhões previstos para as estatais este ano, quase 84% está por conta do Grupo Petrobras e suas 29 empresas – pouco mais de R$ 79,3 bilhões. O restante é dividido entre entidades vinculadas ao Grupo Eletrobrás, Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), entre outras. A verba autorizada apenas para investimentos da Petrobras este ano é R$ 20,9 bilhões superior à prevista para os Três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e três vezes maior do que a dotação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Orçamento Geral da União 2010.

Este ano, até agosto, o “PAC Orçamentário” – que não inclui os investimentos das estatais, estados, municípios e financiamentos habitacionais – foi responsável por aplicar R$ 11,3 bilhões em projetos e atividades espalhados por todo o país. Isso significa que a Petrobras sozinha, em oito meses, desembolsou R$ 35,9 bilhões a mais que o carro-chefe do governo Lula no mesmo período. Os valores do programa referem-se aos recursos de obras e projetos tocados pela administração federal direta passíveis de monitoramento por meio do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).

Apesar das boas marcas registradas nos oito primeiros meses deste ano, o montante investido pela Petrobras ainda representa 59% do total previsto para a estatal em 2010. Se o ritmo de investimentos permanecer na mesma média de janeiro-agosto, ao final do ano a empresa terá investido 89% dos R$ 79,3 bilhões.

De 1995 para cá, os investimentos da Petrobras, voltados a atividades de oferta de petróleo e gás natural em âmbito nacional e internacional, também aumentaram significativamente sua participação do Produto Interno Bruto (PIB). Naquele ano, o R$ 1,9 bilhão (em valores correntes) desembolsado pela estatal nos oito primeiros meses representou 0,57% da soma das riquezas produzidas no país no mesmo período. Já entre janeiro e agosto deste ano, o montante investido pela empresa equivale a 2,73% do PIB apurado no primeiro semestre, o maior índice desde 1995.”

(Site Contas Abertas)

Taxa básica de juros deve ficar em 10,75%, preveem analistas do mercado financeiro

“Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) esperam a manutenção da taxa básica de juros, a Selic, no patamar de 10,75% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), marcada para esta terça-feira, 19, e para a quarta-feira, 20.

Para os analistas, a Selic, instrumento de controle da inflação, também não deve ser alterada na última reunião do ano, nos dias 7 e 8 de dezembro. O Copom eleva os juros para estimular a poupança e conter a expansão excessiva da demanda. O comitê também pode não mexer nos juros básicos quando acredita que o patamar da taxa é suficiente para gerar equilíbrio entre o que se produz, o que se compra e os preços. Pode ainda reduzir a taxa Selic se o objetivo for aquecer o mercado consumidor e estimular a atividade econômica.

Segundo o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, 18, pelo BC, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar acima do centro da meta de inflação (4,5%) neste ano e em 2011, na avaliação dos analistas. Mas a expectativa está abaixo do limite superior de 6,5%. A projeção para o IPCA neste ano está em 5,20%, contra 5,15% da semana passada. Essa estimativa tem crescido nos últimos dias. Há quatro semanas, a projeção era de 5,01%. Para 2011, a expectativa para o IPCA oscilou de 4,98% para 4,99%. Essa estimativa era de 4,95% há quatro semanas.
 
O boletim Focus também traz projeções para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI). A previsão referente a esse índice passou de 9,64% para 9,68%, neste ano, e de 5,08% para 5,14%, em 2011. A expectativa para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) oscilou de 9,57% para 9,73%, em 2010, e de 5,07% para 5,25%, no próximo ano.
A projeção para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), neste ano, passou de 5,24% para 5,33%. Para 2011, subiu de 4,63% para 4,66%. A expectativa dos analistas para os preços administrados caiu de 3,53% para 3,50%, em 2010, e de 4,75% para 4,70%, em 2011.
Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, água, educação, saneamento, transporte urbano coletivo, entre outros.” 

(Agência Brasil)

2º Turno – Tucano diz que PV ficou neutro para manter cargos em Estados como o Ceará

160 2

O deputado federal Raimundo Gomes de Matos, vice-presidente regional do PSDB, lamentou, nesta segunda-feira, que a senadora Marina Silva tenha adotado uma postura neutra com relação ao segundo turno da eleição presidencial. O PV e Marina, que disputou a presidência da República e ajudou, com mais de 20 milhões de votos, a forçar o segundo turno, decidiram não optar por Serra (PSDB) ou Dilma Rousseff (PT)  durante encontro nacional realizado nesse domingo, em São Paulo.

“A gente lamenta essa postura do PV e da senadora Marina. Todos esperavam que Marina, que se saiu bem nas eleições e como líder do seu partido, se posicionasse”, disse o parlamentar.

Raimundo Gomes, no entanto, não se disse surpreso, observando que a decisão de Marina deve ter sido resultado da pressão de diretórios regionais do PV que acharam melhor evitar brigas e manter posições em cargos públicos. Ele citou como exemplo disso o PV do Ceará, onde, por conveniências, detém posições na esfera estadual.

Polêmica do aborto faz bispos racharem

“A discussão da questão do aborto na campanha eleitoral, que está dividindo os católicos por causa do veto de alguns bispos à candidata petista Dilma Rousseff, provocou um racha no episcopado em nível nacional e deverá deixar sequelas na vida da Igreja, seja qual for o resultado do segundo turno, em 31 de outubro.

A polêmica terá também reflexos na eleição para a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em maio do próximo ano, quando um grupo conservador, contrário à atual linha de diálogo, tentaria tomar o poder para adotar uma posição mais dura de oposição ao governo. Pelo menos, na hipótese de Dilma vir a ser a vencedora.

A confusão foi armada pelo apoio dado pela direção do Regional Sul 1, que reúne as 41 dioceses de São Paulo, em 26 de agosto, a uma nota intitulada Apelo a Todos os Brasileiros e Brasileiras, da Comissão em Defesa da Vida, que recomendava aos eleitores que “independentemente de suas convicções ideológicas ou religiosas”, dessem seu voto “somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalização do aborto”.

O autor ou inspirador do texto foi o padre Berardo Graz, da diocese de Guarulhos, cujo bispo, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, encampou o manifesto e citou, entre os vetados, o nome de Dilma. Passado o primeiro turno, d. Luiz Gonzaga reiterou sua posição, alegando que, embora a petista tenha feito uma profissão de fé em defesa da vida, não se podia acreditar nela. “Dilma, que se faz agora de santinha para dizer que é contra o aborto, já mudou de opinião três vezes.”

Artigos e entrevistas de d. Luiz Gonzaga irritaram outros membros do episcopado paulista, principalmente porque grupos de católicos contrários ao aborto e à candidatura Dilma distribuíram milhares de cópias da nota do Regional Sul 1 de apoio ao manifesto da comissão coordenada pelo padre Berardo.

A distribuição do material em paróquias de outras dioceses, à revelia de seus bispos, pôs mais lenha na fogueira. O texto se multiplicou também em mensagens pela internet, espalhando-se por todo o País.”

(Agência Estado)

Expectativa da economia não é boa para 2011

“Enquanto Dilma Rousseff e José Serra praticamente ignoram o debate dos temas macroeconômicos, as expectativas de analistas e investidores para o próximo ano vêm piorando ao longo da campanha eleitoral.

A petista e o tucano ostentam a condição de economistas em seus programas de rádio e TV, mas pouco ou nada se sabe sobre o que pretendem fazer a respeito das políticas fiscal, de administração das receitas e gastos públicos; monetária, de controle dos juros e da inflação; e cambial, referente à relação entre o real e as moedas de outros países.

Nos três casos, o futuro presidente terá de tomar medidas para responder a incertezas que se acumularam nos últimos meses e tornaram o cenário para 2011, embora sem ameaça visível de crise, menos benigno do que parecia antes do início oficial da corrida ao Planalto. A preocupação mais imediata é com a credibilidade do Orçamento federal.

Desde o ano passado, o governo não tem conseguido cumprir as metas de superavit primário, ou seja, a parcela da arrecadação de impostos e outros recursos poupada para abater a dívida pública.

Segundo pesquisa do Banco Central, o mercado não acredita no anunciado superavit de 3,3% do Produto Interno Bruto em 2011. As projeções dos especialistas, que convergiam para 3% até julho, hoje estão em 2,8% do PIB. A diferença em relação à meta é de quase R$ 20 bilhões, ou um ano e meio de Bolsa Família.”

(Folha Online)

Bancários assina acordo com banqueiros nesta 3º feira

O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra, seguiu, nesta segunda-feira, para Brasília. Ali, ele participará de reunião de avaliação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Instituições Financeiras (Contrafi) pós-greve dos bancários. Segundo Bezerra, a categoria saiu vitoriosa da paralisação, pois conseguiu avanços importantes.

Entre avanços, reajuste de 7,5%, o que dá um ganho real sobre a inflação de 3,08%, assim como aumento na participação dos lucros na ordem de 14,3%.

Carlos Eduardo Bezerra, que integrou a coordenação nacional da greve dos bancários, estará nesta terça-feira em São Paulo para participar do ato de assinatura do acordo coletivo da categoria com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Num debate morno, Dilma reconhece erro de Erenice e Serra nega doações ilegais

“Pela primeira vez, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, admitiu neste domingo (17) no debate RedeTV/Folha de S.Paulo que sua ex-braço direito, Erenice Guerra, “errou” no período que passou à frente da Casa Civil, de onde saiu acusada de tráfico de influência. O presidenciável tucano José Serra, por sua vez, negou que sua campanha recebesse doações ilegais vindas de um ex-diretor do Dersa.

A líder nas pesquisas de intenção de voto, que por muito tempo evitou condenar a ex-assessora, afirmou que não concorda com contratação de parentes e amigos no serviço público. Erenice tinha o filho, Israel, trabalhando na Casa Civil, assim como indicados dele. “As pessoas erram e a Erenice errou”, disse Dilma, em resposta a uma pergunta de jornalista, no terceiro bloco do debate.

“Quero deixar claro que eu considero a situação da Erenice com muita indignação. Não concordo com a contratação de parentes e de amigos. Eu tenho um compromisso em combater o nepotismo e o tráfico de influência”, afirmou. “Nós investigamos, e a Erenice saiu do governo. A Polícia Federal está investigando o caso e 16 pessoas foram interrogadas. Isso significa que nós apuramos aquilo que acontece.”

O candidato do PSDB, por sua vez, teve de responder sobre o ex-diretor de Engenharia da Dersa, empresa de estradas paulistas, Paulo Vieira de Souza. Conhecido como Paulo Preto, ele foi acusado de arrecadar ilegalmente cerca de R$ 4 milhões para financiar campanhas de tucanos paulistas. Para Serra, essa acusação faz parte de uma “estratégia do pega ladrão” do PT.

“Esse é o método. Disseram que alguém tinha recebido uma contribuição para essa campanha e não tinha entregue. Eu sou a vitima. Isso não aconteceu na minha campanha”, afirmou. “Alguém teria pego e não entregue para a campanha. Nunca veio ninguém reclamar que o dinheiro não chegou”, afirmou o tucano.

Serra disse que o caso de Paulo Preto é diferente dos escândalos na Casa Civil e criticou o apelido dado ao ex-assessor, que disse desconhecer no início da semana para depois admitir que sabia de quem se tratava. “Eu não o conhecia assim. Esse é um apelido racista. Como ele é descendente de africanos, deram esse apelido”, disse.

Em sua resposta sobre Erenice, Dilma aproveitou para criticar o adversário. “Isso é propina na obra mais importante do governo de São Paulo, o Rodoanel. Essa denúncia é de maio, não é de ontem.”, disse ela. “Nós investigamos.”

Privatizações e segurança

A petista centrou ataques nas privatizações feitas no governo Fernando Henrique Cardoso e na gestão de Serra em São Paulo. Ela afirmou que o tucano Serra quis dificultar uma operação na qual a Petrobras compraria a Gás Brasiliano, uma empresa paulista de distribuição de gás. O presidenciável fez, então, o ataque mais duro do início do debate “[A campanha do PT] mente o tempo todo e uma das principais questões é a da privatização”, disse.

“Esse não é o assunto que depende do governo de São Paulo. O governo Lula e a Dilma fizeram mais concessões a empresas privadas do que o Fernando Henrique. É por causa de eleição [que criticam privatizações]”, afirmou Serra, que questionou a rival sobre um tema mais ameno: cursos profissionalizantes.

Na resposta, Dilma afirmou que Lula não fez mais escolas técnicas porque na gestão de FHC “foi feita uma lei proibindo que se criassem escolas técnicas no Brasil a não ser que os Estados e os municípios assumissem a manutenção”. “Nós mudamos essa legislação e passamos a investir”, disse.

As polêmicas religiosas que permearam a primeira semana de campanha no segundo turno não apareceram no primeiro bloco do debate. A única referência nesse sentido foi feita por Dilma, ao dizer que espera ser “eleita, graças a Deus”.

No quarto bloco, Dilma acusou o governo tucano em São Paulo de abandonar a segurança e permitir que o PCC (Primeiro Comando da Capital) dominasse de dentro dos presídios o tráfico de drogas. “Tenho um compromisso: é livrar São Paulo do PCC”, disse. E completou afirmando que o PSDB é responsável pelo “domínio do trafico pelo PCC das cadeias”.”

(Portal Uol)