Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

CCJ do Senado pode aprovar penas duras para fraudes em licitações

“A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) poderá aprovar em decisão terminativa, na próxima quarta-feira, projeto de lei do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) que endurece e amplia as penas para crimes descritos na Lei de Licitações. A intenção do autor é garantir punição mais rigorosa para crimes contra o patrimônio público, que estaria menos protegido legalmente de investidas criminosas que o patrimônio privado.

Em primeiro lugar, segundo ressalta o parecer do senador Alvaro Dias (PSDB-PR), a proposta altera de detenção para reclusão a pena imposta para os crimes listados na atual legislação. A mudança pretende dar mais poder à investigação policial e à instrução judicial, já que a reclusão permite a decretação de prisão preventiva e a interceptação telefônica.

A punição para a maioria desses atos criminosos aumentaria para três a seis anos, mais multa, que também teria seu valor ampliado. Alvaro Dias observa ainda que, ao agravar as penas para crimes contra o patrimônio público, o projeto dificulta a extinção da punibilidade por essas práticas, tendo em vista que penas maiores implicam prazos maiores de prescrição.”

(Agência Senado)

Ministro seria alvo de dossiê do PT

357 6

Até a bela filha entrou no dossiê.

“O ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi alvo de um dossiê apócrifo segundo reportagem publicada neste domingo (1º) no jornal “Folha de S.Paulo”. De acordo com a reportagem, o próprio governo descobriu que o dossiê foi elaborado pela ala do PT egressa do sindicalismo bancário a fim de obter o comando de um fundo de pensão.

O dossiê, segundo o jornal, traz acusações de tráfico de influência no Banco do Brasil contra a filha de Mantega, a modelo Marina Mantega. No final de abril, o dossiê foi enviado para a presidência do BB, para o gabinete de Mantega e para a Casa Civil. O objetivo era forçar o ministro a desistir de nomear o vice-presidente do Banco do Brasil Paulo Caffarelli para a presidência da Previ (fundo de pensão dos funcionários do banco).

De acordo com a reportagem, Caffarelli acabou preterido por ordem do Palácio do Planalto, mas os bancários também saíram enfraquecidos. O nome por eles defendido para assumir a presidência da Previ, Joílson Ferreira, não foi escolhido.O dossiê relata também, segundo a reportagem, que Marina Mantega esteve com Caffarelli para encaminhar pleitos por diversas vezes na sede do Banco do Brasil em São Paulo. Segundo Caffarelli, os encontros realmente ocorreram. Marina Mantega nega as acusações.

“Não procede. Não tem nada disso. Trabalho com o mercado do Oriente Médio. Gente que está vindo aqui, investindo dinheiro no Brasil. Não tenho nada a ver com o Banco do Brasil ou com qualquer instituição do governo”, disse Marina Mantega ao jornal. Petistas supostamente envolvidos na elaboração do dossiê foram ouvidos pela “Folha de S.Paulo” e negaram participação no caso. Por meio de sua assessoria, o ministro Guido Mantega informou que não quer falar sobre o dossiê contra sua filha.”

(Folha Online)

"Ficha Limpa" – 20 já indeferidos no País

68 1

“A Lei da Ficha Limpa já foi usada como fundamento para indeferir 20 candidaturas no país. O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais foi o que mais barrou candidatos. Até agora foram 10. A legislação aprovada neste ano estabelece que são inelegíveis os políticos condenados por órgãos colegiados do Poder Judiciário, como os  tribunais de justiça dos Estados.

O TRE do Mato Grosso negou o registro do deputado federal Pedro Henry Neto (PP). O candidato, reeleito em 2006 teve o nome envolvido nos escândalos do mensalão e da máfia das ambulâncias (sanguessugas). Segundo o tribunal, Henry não pode ser candidato porque foi condenado em 2007 por compra de votos. Os candidatos que tiveram os pedidos de registro eleitoral rejeitados pelos TREs ainda podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral e ao Supremo Tribunal Federal.

Veja abaixo a lista dos indeferidos até a última semana:

Ceará
Sineval Roque (a deputado estadual, PSB)

Espíriro Santo
Luiz Carlos Moreira (deputado estadual, PMDB)
Marcelino Fraga (deputado estadual, PMDB)
Roberto Valadão Almokdice (deputado estadual, PMDB)

Mato Grosso
Pedro Henry (a deputado federal, PP)

Minas Gerais
Adilson da Vale Verde (a deputado federal, PTN)
Antônio Carlos Bouzada (a deputado estadual, PC do B)
Athos Avelino Pereira (a deputado estadual, PPS)
Carlos Alberto Pereira (a deputado federal, PDT)
Eduardo Santos Porcino (a deputado estadual, PV)
Leonídio Henrique Correa Bouças (a deputado estadual, PMDB)
Maria Lúcia Soares de Mendonça (a deputado estadual, DEM)
Pedro Caminhas Pinduca (a deputado estadual, PP)
Silas Brasileiro (a deputado federal, PMDB)
Wellington Magalhães (a deputado estadual, PMN)

Pará
Roselito Soares da Silva (a deputado estadual, PR)

Paraíba
Francisco Edmilson da Silva Ribeiro (a deputado estadual, PCB)

Paraná
Erivan Passos da Silva (a deputado estadual, PRTB)

Santa Catarina
João Pizzolatti (a deputado federal, PP)

Rondônia
Jair Miotto (a deputado estadual, PPS)

(Folha.com)

DETALHE – O deputado federal tucano Manuel Salviano teve registro indeferido no último sábado, pelo TRE, por contas desaprovadas quando prefeito de Juazeiro do Norte. Ele  vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral.

Propaganda de aliados não cita Serra

56 1

“Com 25 dias de campanha, os candidatos a governador aliados de José Serra (PSDB) nos oito maiores colégios eleitorais do país ainda não incorporaram a imagem do tucano em seus santinhos, adesivos e cartazes.

Até sexta-feira, só a campanha de Antonio Anastasia, em Minas Gerais, começava, timidamente, a produzir material casado. Mesmo em São Paulo, base de Serra, ainda não há material com ele ao lado de Geraldo Alckmin -exceto painéis em encontros de sua coligação.

Nos sites dos candidatos nesses Estados, que representam 94 milhões de eleitores, não havia um único material de campanha casado disponível para download. Nem mesmo na apresentação das páginas havia uma foto do candidato.

A foto oficial de Serra, em alta resolução, está disponível no seu site oficial desde o início da corrida presidencial. Com ou sem Serra, o custo de imprimir um adesivo, por exemplo, é o mesmo.

O cenário é distinto do de sua adversária Dilma Rousseff (PT), cuja imagem acompanhava o material de campanha de seus aliados em 7 desses 8 Estados.”

(Folha Online)

Band fará 1º debate com presidenciáveis

“Na quinta-feira 5, às 22 horas, na Rede Bandeirantes, será dada a largada para os debates entre os candidatos à Presidência. Desde o famoso confronto entre Fernando Collor e Luiz Inácio Lula da Silva, em 1989, os debates são considerados fundamentais para a definição de votos nas eleições presidenciais. Prova disso é que José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), decidiram cancelar todos os compromissos, a partir da segunda-feira, para se preparar para o confronto. Serra aposta todas as fichas no confronto de ideias, Dilma está mais preocupada com a edição do debate.

Escaldado, o staff da candidata petista fez as seguintes imposições para que ela topasse participar do evento: a emissora só pode usar nos programas pós-debate a primeira resposta, quando a pergunta é igual para todos, e as considerações finais.

“Não temos nenhuma preocupação com o debate. Dilma está preparada e tem conteúdo”, avaliou João Santana, o marqueteiro da campanha.”

(Revista IstoÉ)

Alfândega vai liberar celular, relógio e câmera compradas no Exterior

“A partir de segunda-feira (2), o viajante que comprar um telefone celular, um relógio de pulso ou uma máquina fotográfica no exterior não precisará mais declará-lo à Receita Federal ao retornar ao país. Esses objetos farão parte da cota de bens de uso pessoal, isentos de imposto.

A nova legislação, a ser publicada no “Diário Oficial da União”, também isenta de tributação roupas e acessórios, adornos pessoais e produtos de higiene e beleza.

Baterias e acessórios em quantidades compatíveis, carrinhos de bebê e equipamentos de deslocamento como cadeiras de rodas, muletas e andadores também entram na lista.

Notebooks e filmadoras estão fora da lista de bens de uso pessoal. Devem ser declarados e entram na cota já existente, limitada a US$ 500 para quem usou transporte aéreo ou marítimo e a US$ 300 para quem utilizou transporte via terrestre, fluvial ou lacustre.

CIGARROS E BEBIDAS

A nova regra também colocará limites que antes dependiam da avaliação do fiscal da alfândega para serem fixados.

O viajante poderá adquirir no exterior e trazer consigo, no máximo, 12 litros de bebidas alcoólicas, dez maços de cigarros com 20 unidades cada um, 25 unidades de charutos ou cigarrilhas e 250 gramas de fumo.

Antes de embarcar, o viajante não precisará mais fazer a Declaração de Saída Temporária de produtos estrangeiros que está levando. Hoje essa medida é considerada pela Receita como excesso de burocracia.

O órgão colocará em seu site um “perguntão da bagagem”, parecido com o “perguntão do Imposto de Renda”, que define o que é considerado bem de uso pessoal e a quantidade permitida.

Pequenos presentes e suvenires que custem menos de US$ 10 poderão ser trazidos em no máximo 20 unidades, desde que não haja mais de dez idênticas.

FALTA DE CLAREZA

O Ministério da Fazenda e a Receita identificaram falta de clareza e transparência nas regras atuais.

Por elas, um fiscal poderia entender que duas garrafas de vinho são abusivas, enquanto outro poderia considerar uma caixa de uísque um consumo razoável.

Se o viajante comprar um iPod ou um iPad no exterior e comprovar que, durante a viagem, fez uso profissional da aquisição, não precisará declará-lo. Mas sempre precisará apresentar nota fiscal.

Caso uma brasileira chegue de viagem com um brinco de diamantes valendo US$ 50 mil nas orelhas, poderá ser questionada sobre a origem dos recursos para compra do produto, embora a joia faça parte dos bens considerados de uso pessoal.”

(Folha.com)

"Chico Xavier" em DVD para cegos

O filme “Chico Xavier” (foto) chega em DVD (R$ 29,90) e Blu-ray (R$ 89,90) com recurso especial para deficientes visuais. Ainda pouquíssimo explorada no Brasil, a audiodescrição é o detalhamento em áudio de informações veiculadas visualmente, mas que não estão contidas nos diálogos de um filme, comportando-se como um áudio extra, integrado ao som original, que contém descrições, por exemplo, de cenários, expressões faciais e corporais dos personagens, conteúdo de texto, figurinos, indicação de tempo e espaço etc.

Inserida nos intervalos entre os diálogos e os ruídos, a audiodescrição não atrapalha o andamento do filme.

(Diário de SP, com dica do Gente de Mídia)

TSE inicia neste sábado campanha de conscientização do eletorado

Um dos cartazes da campanha.

“Informar e conscientizar o eleitor sobre o voto e mostrar a importância de sua participação no processo eleitoral. Este é o objetivo da campanha do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que conta com o apoio de 26 vídeos simples, mas didáticos, para orientar o eleitor na hora de votar. O primeiro vídeo será veiculado em rede nacional de rádio e TV neste sábado, a partir das 20h30min. Os demais serão exibidos diariamente até 3 de outubro, dia do pleito. A legislação eleitoral prevê que as emissoras, que funcionam em regime de concessão pública, disponibilizem até dez minutos diários para veiculação de informações importantes sobre o processo eleitoral.

Segundo o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, os vídeos têm o objetivo de informar o eleitor sobre pontos importantes que ainda não são de conhecimento geral. Ele cita, como exemplo, uma mudança na legislação eleitoral no ano passado, que determinou que o eleitor se apresente no local de votação com o título de eleitor e carteira de identidade com foto. O presidente do TSE ainda lembrou que o título pode ser pedido nos cartórios eleitorais ate dia 23 de setembro.  

Outro aspecto que será tratado em um dos vídeos é que, pela primeira vez nas eleições brasileiras, o eleitor que estará fora de seu domicílio eleitoral no dia de votação poderá escolher presidente e vice, desde que esteja em qualquer outra capital brasileira. Para isso, basta comunicar que votará em trânsito no cartório eleitoral da cidade onde reside.  

Horário e locais de votação, forma como eleitor deve digitar o voto, segurança das urnas e do sistema de apuração de votos e a ordem de votação são outros pontos abordados na campanha. “Também enfatizaremos a importância do voto consciente, que o eleitor não venda seu voto, que ele pesquise os antecedentes de seus candidatos e se informe acerca das ideias e programas daqueles que concorrem às eleições”, disse Lewandowski.”

(Agência Brasil)

Ex-deputado da "oração da propina" desiste de candidatura

“O ex-deputado Júnior Brunelli (ex-PSC) desistiu de disputar a eleição para a Câmara Legislativa do Distrito Federal. Ele encaminhou nessa sexta-feira o pedido de renúncia de sua candidatura ao Tribunal Regional Eleitoral. O ex-deputado brigava na Justiça para se candidatar ao cargo e chegou a ser expulso do PSC por este motivo.

Suspeito de participar do escândalo do mensalão do DEM do Distrito Federal, Brunelli ganhou notoridade ao protagonizar o episódio que ficou conhecido como a “oração da propina”.

Em um dos vídeos gravados pelo delator do esquema, o ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal Durval Barbosa, Brunelli recebe dinheiro e ora pela saúde do ex-secretário junto com o ex-presidente da Câmara Legislativa Leonardo Prudente (ex-DEM), que foi filmado também colocando dinheiro nas meias.”

(Com Agências)

Brasil assume comando do Mercosul na próxima semana

“Na próxima terça-feira (3) o Brasil assume a presidência pro tempore do Mercado Comum do Sul (Mercosul). A presidência brasileira se inicia no momento em que o bloco completa 20 anos e terá como tema “Mercosul: os próximos 20 anos”.

O cargo será entregue ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva na reunião da Cúpula do Mercosul, em San Juan, Argentina, pela presidente do país, Cristina Kirchner. A Argentina ocupou a presidência do bloco nos últimos seis meses, mesmo período em que o Brasil ficará à frente do Mercosul.

Na presidência do bloco, Lula pretende implementar uma agenda positiva e com elementos de inovação, além de reforçar o compromisso de integração regional, de acordo com o porta-voz da presidência, Marcelo Baumbach.

Entre as principais iniciativas da presidência brasileira estarão o esforço para aumentar a visibilidade do Mercosul, o fortalecimento institucional do bloco, o apoio à participação social, o reforço da agenda social e um balanço sobre os rumos futuros da integração.

Na parte da tarde, após a reunião do Mercosul, o presidente Lula vai se reunir com a presidente Cristina Kirchner.

Integram o Mercosul a Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. A presidência pro tempore do bloco é rotativa e a cada seis meses um país do bloco assume o comando.

O país que ocupa a presidência determina, em coordenação com as demais delegações, a agenda das reuniões do Grupo Mercado Comum e do Conselho Mercado Comum, organiza as reuniões dos órgãos do Mercosul, além de exercer a função de porta-voz nas reuniões ou foros internacionais de que o Mercocul participe.” 

(Agência Brasil)

Serra está perdendo status de preferido do mercado financeiro

“O tucano José Serra iniciou sua campanha pela Presidência do país como o preferido dos mercados financeiros, mas suas últimas declarações contundentes sobre política econômica estão gerando dúvidas em muitos investidores. Alguns investidores e especialistas políticos disseram à Reuters que estão mais cautelosos sobre Serra do que sobre sua principal rival, Dilma Rousseff (PT). Serra, 68 anos, político veterano do PSDB, tem preocupado sobre Banco Central, juros e um maior papel do Estado na economia.

A aparente mudança na confiança causa uma reviravolta no senso comum relacionado à corrida presidencial, e pode mexer nos mercados de câmbio e de títulos se Serra permanecer forte nas pesquisa à medida que a eleição se aproximar, disseram investidores. “O sistema financeiro secretamente prefere a Dilma”, disse Tony Volpon, chefe de pesquisa de mercados emergentes da Nomura Securities em Nova York.

Em muitos quesitos, Serra deveria ser o preferido do investidor. Ele ostenta um doutorado em economia pela Cornell University, uma vasta experiência no Executivo e um partido que realizou privatizações e reformas pró-mercado no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

Dilma, por outro lado, funcionária pública de carreira, já foi guerrilheira e nunca foi eleita a um cargo público.

Ela, porém, abriu seu caminho para conseguir o apoio de investidores ao se distanciar de algumas propostas mais esquerdistas do PT. Dilma também prometeu continuar com políticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que agradam os mercados e que ajudaram a impulsionar a economia nos últimos anos.”

* Da Reuters, leia mais aqui

Lula sanciona lei do lixo na próxima 2ª feira

“O presidente Lula irá sancionar na próxima segunda-feira (2) a nova lei que institui a Política Nacional dos Resíduos Sólidos. Aprovada pelo Congresso no início deste mês, a proposta prevê o fim dos lixões e estabelece regras para a gestão do lixo no país. Entre as novidades, está a obrigatoriedade de estados e municípios elaborarem um plano de coleta seletiva.

A nova lei, que entra em vigor a partir da publicação no Diário Oficial da União, determina que as prefeituras devem construir aterros sanitários adequados ambientalmente, onde só poderão ser depositados os resíduos sem qualquer possibilidade de reaproveitamento ou reciclagem. De acordo com a proposta, será proibido catar lixo, morar ou criar animais em aterros sanitários e também não será permitida a importação de qualquer tipo de lixo.

A proposta prevê ainda o sistema de logística reversa. Por esse sistema, empresas responsáveis pela fabricação e comercialização de produtos recicláveis e reutilizáveis devem recolher esses materiais do mercado. A nova lei, no entanto, não prevê de que forma se derá essa logística. Isso ainda depende de regulamentação para ser colocado em prática. O projeto que cria a Política Nacional dos Resíduos Sólidos foi aprovado no Congresso após quase 20 anos tramitando na Casa. A nova lei é considerada um marco na gestão do lixo no Brasil, que até então não tinha nenhuma lei nacional que estabelecesse regras para administrar o lixo produzido pela sociedade.”

(Congresso em Fcoo)

Censo 2010 – Família do governador será primeira a ser pesquisada

61 2

A família do governador Cid Gomes (PSB) será a primeira a ser visitada no Estado pelo Censo. Os recenseadores do IBGE estarão neste domingo, a partir das 9h30min, na Residência Oficial, para iniciar pesquisa que terá início em outras casas a partir da próxima segunda-feira. O Censo 2010 é a maior operação coletiva realizada no país, com um exército de 230 mil profissionais percorrendo todos os 58 milhões de domicílios do país. Tudo com o objetivo de revelar à sociedade, aos órgãos públicos e privados, o retrato mais fiel de nosso povo: quantos e como somos e de que forma vivemos.

Todos os resultados vão ajudar o Brasil a se planejar para os próximos dez anos, tanto em termos de definição de políticas públicas como das decisões de investimento da iniciativa privada. O Censo, que será totalmente informatizado, com o uso de 220 mil computadores de mão (PDA), investigará as características dos domicílios, as relações de parentesco, fecundidade, educação, trabalho, renda, cor e raça e religião. No questionário deste ano foram colocadas perguntas como, por exemplo, novas relações de parentesco, emigração internacional, etnia e língua indígena. Outra novidade é que, pela primeira vez, o Censo poderá ser respondido também pela Internet.”

Reitor da Uece confere a SBPC

O reitor da Universidade Estadual do Ceará, Francisco de Assis Araripe, está conferindo, em Natal (RN), a reunão anual da 62ª Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Ele já participou, inclusive, de uma mesa redonda com o tema “O papel das Universidades Estaduais no Brasl”, ao lado dos reitores da Unicamp e da Universidade do Estado do Mato Grosso.

Assis Araripe destacou que, apesar das dificuldades vividas pelo ensino superior público no País, a Uece vem conseguindo expandir suas ações para o Interior e buscando oferecer cursos de acordo com a realidade de cada região.

Revista britânica diz que Bolsa Família não resolve a pobreza urbana

“A revista britânica The Economist traz em sua edição desta semana um longo artigo sobre o Bolsa Família, no qual afirma que, apesar da grande contribuição do programa para a redução dos índices de pobreza do Brasil, ele parece não funcionar tão bem no combate à pobreza nas grandes cidades. De acordo com a revista – que cita dados da Fundação Getúlio Vargas – cerca de um sexto da redução da pobreza no país nos últimos anos pode ser atribuído ao Bolsa Família, “mas algumas evidências sugerem que o programa não está funcionando tão bem nas cidades como nas áreas rurais”.

“O sucesso do Brasil em reduzir a pobreza parece ser maior nas áreas rurais que nas urbanas”, diz o artigo, que cita dados das Nações Unidas que indicam que houve uma redução de 15 pontos percentuais no número de pobres na população rural entre 2003 e 2008, enquanto nas cidades essa diminuição foi muito menor. Segundo a publicação, um dos principais fatores que levam a esta situação é o fato de o Bolsa Família ter substituído, a partir de 2003, uma série de outros benefícios que, somados, poderiam representar ganhos maiores para estas famílias das cidades que o montante concedido atualmente.

A revista comenta que o Bolsa Família acabou eliminando programas como o de combate a subnutrição infantil, os subsídios que eram dados à compra de gás de cozinha e o programa de ajuda a jovens entre 15 e 16 anos. “Embora seja difícil provar pela falta de dados oficiais, evidências sugerem que a quantia (atual) pode valer menos que os antigos benefícios”, diz a revista. Outro problema citado pela Economist é o fato de o programa ter tido pouco sucesso em reduzir o trabalho infantil. Segundo a publicação, crianças das cidades podem ganhar mais dinheiro “vendendo bugigangas ou trabalhando como empregados” do que ficando na escola para receber os benefícios. Embora afirme que estes fatores não signifiquem que o Bolsa Família seja “desperdício de dinheiro” nas áreas urbanas, o artigo diz, no entanto, que o programa não é a solução “mágica” como tem sido tratado no Brasil e em outros países.

Vices

A mesma edição traz outro artigo sobre o Brasil, desta vez discutindo o papel dos candidatos à vice nas principais chapas que concorrem à Presidência nas eleições de outubro. Citando o fato de quatro vices terem assumido a Presidência desde 1954, a revista afirma que os candidatos ao cargo estão em evidência na campanha atual, principalmente devido ao fato de Dilma Rousseff (PT) ter ficado “seriamente doente” no ano passado. “É mais que mera curiosidade o fato de os companheiros de chapa tanto de Dilma Rousseff como de seu principal oponente, José Serra (PSDB), estarem causando problemas. Os dois candidatos provavelmente desejariam ter outros parceiros (de chapa)”, diz a revista. A Economist cita então as declarações de Indio da Costa, vice na chapa de Serra, que acusou o PT de ter ligações com as Farc, causando “uma situação embaraçosa”.

Já em relação a Michel Temer, do PMDB, vice na chapa de Dilma, a revista afirma que ele pertence a um partido que é um conjunto “de lideranças políticas regionais, algumas das quais envolvidas em escândalos”. “Assim como (Indio da) Costa, ele (Temer) parece não ter a total confiança de seu parceiro de chapa”, diz a revista.

(Portal Terra)

Receita Federal permitirá que casais gays incluam parceiros no IR

“A Receita Federal acatou parecer da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional que permite a casais homossexuais incluírem seus parceiros na declaração do Imposto de Renda. O parecer número 1 503 foi aprovado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, e deverá ser publicado no Diário Oficial na próxima segunda-feira.

Para obter a inclusão, o casal deve provar que mantém união estável por um período igual ou superior a cinco anos. O parecer é resultado de uma consulta feita por uma servidora pública que desejava incluir a companheira –isenta no Imposto de Renda– como sua dependente. Com ela, abre-se precedente para outros casais na mesma situação.

O parecer cita o princípio da isonomia jurídica para garantir aos casais gays aquilo que já é direito dos parceiros heterossexuais. “O direito tributário não se presta à regulamentação e organização das conveniências ou opções sexuais dos contribuintes”, diz trecho do material.”

(Veja Online)

Pai do Programa Espacial Brasileiro fará palestra em Fortaleza

O cearense Fernando de Mendonça, que criou o programa espacial Brasileiro, anuncia visita ao Ceará no próximo dia 10. Ele vem fazer palestra, atendendo a um convite da Fiec, durante a Inova 2010, a feira de inovação tecnológica do Estado. No auditório da federação.

Fernando de Mendonça é natural de Guaramiranga e é um dos nomes mais respeitado internacionalmente no campo da engenharia espacial. Foi ele o criador da “Barreira no inferno” no Rio Gande do Norte.

Pena que por aqui nunca tenha sido lembrado para receber uma grande homenagem.

Doutor em videogames debaterá em Fortaleza

Roger Tavares, professor-doutor em videogames pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), é o convidado do ciclo de debates Papo XXI, nesta sexta-feira, a partir das 18 horas, no entro Cultural Banco do Nordeste. Ele discutirá o tema “Cultura de Jogos” dentro da programação do BOJOGÁ – Festival de Jogos Eletrônicos, que o CCBNB realiza desde o último dia 13 e que se estednerá até sábado.

Além de doutor em Videogames, Roger Tavares é ativista da cultura dos games no Brasil e fundador do site-comunidade Gamecultura (www.gamecultura.com.br). É professor, pesquisador universitário e realiza palestras, eventos e consultoria em games (design e educação). Também é conselheiro da Associação Internacional de Desenvolvimento de Jogos, em São Paulo, e membro corporativo da ABRAGAMES – Associação Brasileira de Desenvolvedores de Games.”

SERVIÇO

* CCBNB –  Rua Floriano Peixoto, 941 – 2º andar – Centro – fone: (85) 3464.3108).

Collor ameaça dar tapa na cara de jornalista da IstoÉ

488 6

“O senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL) ligou para a redação da sucursal de Brasília (DF) da revista IstoÉ, na tarde desta quinta-feira (29), e ameaçou esbofetear o jornalista Hugo Marques por conta de uma nota na edição de 21 de julho sobre o pedido de impugnação da candidatura do político alagoano.

“Quando eu lhe encontrar, vai ser para enfiar a mão na sua cara, seu filho da puta”, vociferou Fernando Collor após explicar ao repórter o motivo de sua ligação.

Em entrevista ao Portal IMPRENSA, Marques declarou que, ao constatar o teor da ligação, desligou o telefone imediatamente. “Eu não queria ouvir insultos e nem responder. Fico preocupado dele tentar arrancar alguma agressividade minha. Se eu criar um conflito com ele, fico impedido de cobrir. Então não falei nada”, contou.

Sobre o fundamento das ameaças do ex-presidente – que concorre ao governo de Alagoas -, Marques pontuou que os dados sobre a candidatura de Collor estão no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Ele tem que convencer a Justiça Eleitoral, não a mim”.

Marques afirmou que não irá se manifestar contra Collor, tampouco acionar entidades de classe, mas pontuou ser “lamentável” a atitude do ex-presidente “em um regime democrático”. “Não tenho nada contra ele, mas é lamentável que um sujeito desses ligue para uma redação e ameace uma pessoa. Ele poderia ter mais cautela, poderia respeitar os direitos humanos”.

De acordo com o repórter, Collor estaria desgostoso com a revista por conta de outras matérias em que o político é citado. Sobretudo a respeito de uma entrevista com sua ex-mulher, Rosane Malta, em que é indicado como sonegador de impostos.

A respeito de um eventual encontro com o ex-presidente, Marques disse não estar temeroso. “Sou faixa roxa de Karatê (risos)”, afirmou. “Estou há 22 anos denunciando bandidos de peso pesado e essa deve ser a décima ameaça, e isso não me intimida”, finalizou.

A reportagem tentou contato com o diretório nacional e regional do PTB e com a coordenação de campanha de Collor e não obteve retorno. A assessoria de imprensa de seu gabinete no Senado declarou que não tem relação com as atividades do senador fora de seu mandato, e por isso não poderia falar sobre o assunto.”

(Portal Imprensa)